Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Voltar ao que era

Não me parece ser tão difícil explicar o principal motivo da queda de produção do Atlético, que não vence há quatro jogos, e ontem foi goleado pelo Grêmio, em Porto Alegre. O time precisa voltar a se comportar como no início do campeonato, com simplicidade, reconhecendo as suas limitações, se aproveitando principalmente dos erros dos adversários. Líder durante oito rodadas, a impressão é que a comissão técnica e os jogadores começaram a acreditar que eram melhores do que realmente são. O Atlético passou a jogar aberto como se tivesse um elenco em condições de encarar qualquer um, dentro ou fora de casa. Até consegue fazer boas exibições, mas sem vencer, porque tem poucos jogadores que conseguem transformar em gols as oportunidades criadas. E quando há problemas com eles, não possui peças de reposição à altura. O mesmo ocorre em outras posições, onde a fragilidade é enorme tanto entre os titulares quanto entre os reservas, como no gol e nas laterais. Por causa dessas deficiências pontos altamente preciosos foram perdidos.

A solução é pegar de volta a fórmula do início do campeonato, quando 1 x 0 era goleada, e a exploração da velocidade do Éder Luiz e Diego Tardelli resultava em gols e vitórias surpreendentes.

Essa e outras notas, em minha coluna de amanhã no jornal O Tempo, nas bancas.


Deixe uma resposta para Junior Cancelar resposta

Comentários:
5
  • Renato Paiva disse:

    Concordo com o amigo que disse que o Kalil tem que parar com essas piadinhas. Isso não é coisa de presidente. É coisa de torcedor. Nós, simples torcedores podemos fazer piada. Aliás, os torcedores são movidos a isso. Aquele episódio do mascote (Galo) com a bandeira do Estudiantes no jogo do Galo contra o São Paulo, para citar apenas um exemplo, fou um absurdo. Total falta de respeito. Aquilo poderia ser feito pela torcida na arquibancada, mas não pelo Clube.
    Além disso, o Atlético tem que ficar livre (emprestar ou vender) de eternas promessas da base (Tchô, Renan Oliveira, Edson, Éder Luiz, Marcos Rocha…).
    Edson é um chama gol, Tchô arrasta a bunda pelo campo o tempo todo, Renan Oliveira precisa de um choque de 220v, Éder Luiz não consegue dominar uma bola, Marcos Rocha não toma bola de ninguém e faz falta o tempo todo. Assim fica difícil.
    De qualquer forma, reconheço que (com muito esforço) o Atlético está mudando do grupo dos times intermediários, como citou um amigo do blog, para o dos grandes. Isso é uma tarefa árdua, mas acredito que o Kalil conseguirá executá-la. Infelizmente, temos que ter paciência.
    Um abraço a todos.

  • Junior disse:

    Bom dia Chico,

    Que falta tem feito o Márcio Araujo no meio campo do atlético. Gosto do Serginho, gosto do Jonilson, mas o Márcio é um jogador com grande velocidade e que marca e saí pro jogo como ninguém no galo. No mais os erros tem sido os mesmos, a defesa falhando e os laterais se tornando avenidas. O problema é que a sorte de campeão do inicio do ano acabou, antes a bola batia no Tardelli e entrava, agora ela insiste em não entrar.

    Hoje pela manhã questionei meu irmão e agora faço a mesma pergunta para você e os outros blogueiros, o que o Atlético deve priorizar agora, o Brasileiro e tentar a vaga para a Libertadores ou focar e tentar buscar o título inédito da copa sulamericana?

    Abraços

  • Luis Gustavo disse:

    Prezado Chico, eu já ecrevi antes e repito: nenhum time do mundo tem condição de ganhar alguma coisa com Edson, Alex Bruno, Werley, Welton Felipe, Renan, Renan Oliveira, Tcho e outros mais. Alem disso o Galo não tem lateral direito, meia e um camisa 10 de verdade.

    Também acho que a imprensa deveria cobrar mais do Alexandre Kalil. Ele é falastrão igual ao Ziza. Fez piada, alias bem fraca, em uma entrevista que tinha vendido o Tardeli e o Renan Oliveira e que já tinha contratado os substutos na Série C. Naquele dia ele demostrou ser um péssimo comediante e irresponsável, pois, recusar 9 milhões de euros no Tardeli é coisa de irresponsável. E eu duvido que algum time ofereceu alguma coisa no Renan “foguete molhado” Oliveira.

    Depois ele veio com a piadinha que o Renteria não quis ir para o Cruzeiro porque ele preferia jogar em time que era líder. Era. Não é mais e dificilmente voltará a ser.

    A imprensa tem que cobrar dele mais seriedade na direção do Atlético. O clube passa por esses anos todos assim porque falta gente com menos fanatismo e mais razão para dirigir o Clube.

    Falo isso tudo numa boa porque torço para o América, que também custou a entender que a vaidade de dirigentes só ia afundar cada vez mais o clube.

    Abraços

  • Ulisses Nascimento Santos disse:

    Boa noite Chico Maia. Não vi o jogo do Galo contra o Grêmio, por isso não posso fazer comentários sobre as atuações nessa partida especificamente. Porém, uma coisa é certa: se quiser alguma coisa nesse Brasileiro, o Atlético tem que se reforçar e bem. No mínimo trazer um zagueiro, um volante que saia para bem o jogo e um bom armador, pelo menos pra organizar o meio de campo, afinal, não acredito que o Kalil vai trazer o tão pedido Camisa 10, o craque que leva o time pro ataque. Acho que o Roth não pode levar a culpar por tudo: o treinador precisa de material humano, portanto, sem boas opções fica dificil escalar uma equipe competitiva.
    Vou continuar torcendo pro Galo, mas acho que a situação está ficando complicada.

  • claudio disse:

    nenhuma surpresa prá mim. quem entende um mínimo de futebol e sem fanatismo bairrista sabe muito bem que o cruzeiro após a derrota na libertadores não iria muito longe no brasileirão e o atlético não é páreo para grandes clubes como palmeiras, inter, são paulo, gremio e corinthians. a queda do atletico mineiro é algo óbvio e previsível. pode anotar: este time vai ficar longe do rebaixamento,mas da mesma forma distante da libertadores. tanto quanto o cruzeiro, vai apenas participar da sul americana em 2010. o futebol brasileiro há alguns anos é dividido em tres grupos:
    1- os grandes: palmeiras, sao paulo, cruzeiro, inter, gremio e corinthians
    2- os médios: flamengo, atetico mineiro, fluminense, vasco, botafogo, santos, atletico paranaense, coritiba e goiás
    3- pequenos: todos os outros fora os acima citados (inclusive o metido a grande sport clube do recife)