Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Jornal paulista destaca mineiros no Brasileiro e credita fracasso à falta de estádio em BH

Está na Folha de São Paulo de hoje e no Uol.

Porém, discordo do diretor do Atlético, Eduardo Maluf, que, nessa reportagem, diz que 60% da culpa das péssimas campanhas dos mineiros seja em função da falta de estádio em BH.

Considero o contrário: 60% foi por incompetência na montagem dos elencos, com ressalvas ao América, que tinha uma mixaria de dinheiro em relação a todos os seus concorrentes, especialmente, Galo e Raposa.

Confira:

* Sem casa, times mineiros agonizam no Campeonato Brasileiro

Sem jogos em Belo Horizonte, o futebol mineiro amarga em 2011 a sua pior participação na era dos pontos corridos do Campeonato Brasileiro, iniciada em 2003.

Embora sejam três clubes nesta edição (algo que ocorreu somente em 2008), nenhum faz boa campanha: América-MG e Atlético-MG estão na zona de rebaixamento, enquanto o Cruzeiro aparece na 14ª posição, perto da área de degola.

CAMXCRU

A média de pontos dos times é de 24 pontos. Até 2010, o pior desempenho tinha sido em 2004 e 2005, com a média de 31 pontos. Em 2004, o Cruzeiro era o 12º colocado e o Atlético-MG, o 17º –eram 24 participantes. Já em 2005, com 22 clubes na disputa, o Cruzeiro brigava na parte de cima (era o sétimo) e o Atlético-MG lutava sem sucesso contra o rebaixamento.

Em 2011, o América-MG é o lanterna com 19 pontos. O Atlético-MG possui 24 e é o primeiro time na zona do rebaixamento. O Cruzeiro, com 29, também não está muito longe da área da ‘degola’, é o 14º.

Em 2008, quando a dupla teve a companhia do Ipatinga, a média foi de 31,3 pontos (os três juntos somavam 94 pontos em 24 jogos). Naquele ano, o Ipatinga estava na lanterna, mas Atlético-MG estava no meio da tabela e o Cruzeiro brigava pela ponta (era o segundo, com 43).

A melhor participação, contudo, foi em 2003, na primeira edição do campeonato no formato atual. Naquele ano, o Cruzeiro foi campeão e o Atlético-MG o sétimo. Em 24 jogos, somavam 87 pontos (média de 43,5 pontos).

De acordo com os dirigentes do futebol mineiro, a situação na atual edição do Nacional tem ligação direta ao fato de não poder jogar nos estádios do Mineirão e do Independência, fechados para reforma.

No ano passado o Cruzeiro lutou pelo título e pouco usou o Mineirão, foram só três jogos. Mesmo assim, o gerente de futebol do clube, Valdir Barbosa, apontou que o time sentiu muita falta do estádio.

“Sem o Mineirão tivemos prejuízos técnicos e financeiros. Não fomos campeões por dois pontos [O Fluminense acabou o Brasileiro-2010 com 71 pontos contra 69 do Cruzeiro]. Terminamos muito perto do título. Se jogássemos em casa, acredito que teríamos sido campeões”, disse Barbosa.

Sobre o desempenho neste ano, Barbosa admitiu que o time precisa superar outras pedras pelo caminho.

“Além do fator mando, temos que ser realistas que a venda de alguns jogadores, por força de contrato, por causa de parcerias, também pesou.”

O América-MG, sem o Independência, conseguiu subir para a Série A no ano passado. Agora, encontra dificuldades para se manter na elite sem poder jogar em Belo Horizonte.

“Sete Lagoas abriu as portas para nos receber, mas não é a mesma coisa. Também jogamos em Uberlândia. O reflexo é dentro de campo. É o segundo ano seguido [sem jogos na capital mineira]. No primeiro momento dá a sensação de que é uma coisa de improviso. Mas, agora, estamos no segundo ano e o desgaste, as viagens e o lado financeiro começam a pesar mais. É uma bola de neve que cresce”, afirmou o diretor de futebol do América-MG, Alexandre Mattos.

No Atlético-MG, o diretor de futebol, Eduardo Maluf, declarou que jogar fora da capital mineira prejudica bastante a sua equipe.

“O resultado [da má campanha] se deve 60% ao fator mando de campo e 40% ao time que não se encontrou”, comentou Maluf, que também trabalhou por 12 anos no Cruzeiro.

O dirigente atleticano comparou o perfil da torcida do interior com o a de Belo Horizonte.

“O torcedor do interior é mais de ver o jogo e o torcedor da capital é aquele que se considera o 12º jogador. E o time sente isso.”

Para a próxima temporada, o Atlético-MG espera voltar a jogar em Belo Horizonte. “O Independência deve reabrir em fevereiro de 2012 e dará um ânimo diferente”, declarou Maluf.

* http://www1.folha.uol.com.br/esporte/977794-sem-casa-times-mineiros-agonizam-no-campeonato-brasileiro.shtml

SIGA CHICO MAIA NO TWITTER:

http://www.twitter.com/chicomaiablog


Deixe uma resposta para Paulo Araujo Cancelar resposta

Comentários:
19
  • Jose Dias disse:

    Esse povo é muito cara de pau. O Cruzeiro não ter ganhado ano passado pode até ser por não jogar no Mineirão. Mas isso já passou. Esse ano já estão jogando a mais de uma ano em sete lagoas e já deu para acostumar. Contratam mal, vendem os melhores e dpois vem me dizer que a culpa é do Mineirão?
    Deveriam é pedir para sair. O Mineirão faz falta, mas com esse futebolzinho que estão jogando, eles iam é tomar goleada em casa todo jogo.

  • Dudu GALOMAIO BH disse:

    A opinião do Maluf nesse assunto é um “lixo”, assim como são “lixos” a maioria absoluta das contratações que ele fez…

  • Marcos 2011 disse:

    Tá na cara que o futebol mineiro sentiria as ausências do Mineirão e do Independência. Achei que as consequencias viriam já em 2010. Felizmente não. Mas vieram esse ano. Falta de estádios agravada pelos erros brutais cometidos por quem administram o futebol em Minas. Nossos cartolas gostam de levar torcedores na conversa, não possuem ideias ousadas para seus clubes, e ainda por cima estão acabando com os clubes. Se o Cruzeiro se desfez de metade do seu time, o Atlético também! Após sair Diego Tardelli e Obina o ataque do Atlético morreu.
    A ganância, a demagogia, a inveja dos times do eixo Rio-São Paulo, preocupações com rivais, o pensamento pequeno, a valorização exacerbada de um Campeonato falido como o Mineiro, a falta de ousadia etc, faz com que Galo e Raposa estejam nos lugares onde merecem, e só um milagre os livrará do rebaixamento esse ano. Mas o América não se salvará nem com milagre!

  • bessas disse:

    Francsico Barbosa,

    Gostei da sua frase para o ano que vem “o time não está adaptado ao novo independência”.

  • audisio disse:

    Caro Chico,
    Devido ao fato do blog ser extremamente dinâmico alguns não tiveram a oportunidade de ler.
    Como o assunto é pertinente peço que republique o meu texto.
    Seria uma resposta ao Mauf. Concordo em 40% mas 60% de responsabilidade é demais!
    Abraço
    Audisio.

    Conversa de um japones torcedor do Galo com um torcedor de BH.
    – “Porque o Diego Souza foi embora?”
    – “Porque Dorival Junior embirrou…”
    – “Porque Obina foi embora?”
    – “Porque o Dorival preferiu o Ricardo Bueno!”
    – “Porque o Tardelli foi embora?”
    – “Porque a grana era muito boa!”
    – “E o que foi feito com a grana?”
    – “Trouxeram o Richarlyson e o Guilherme!”
    – “E que troxeram para o lugar do Diego Souza?”
    – “Ora o Caio e o wesley!!”
    – “E pro lugar do Tardelli?”
    – “Jonathan Obina e Guilherme?”
    – “E e aquele garoto que marcou outro dia pelo Porto, o Kleber.”
    – “Venderam…”
    – “Trouxeram quem para o lugar dele?”
    – “Outro jovem o Magno Alves!”
    – “Esse Marcos Rocha do América é um ótimo jogador, não acha?”
    – “Está sendo considerado um dos melhores laterais do campeonato! Só que não é do América!”
    – “Não! De quem é?”
    – “É do Atlético! Está emprestado!”
    – “Quem veio no lugar dele?”
    – “Patric! Uai!”
    – “De onde onde veio o Maquinhos Cambalhota?
    – “Do Japão. Foi artilheiro no campeonato Japonês!”
    – “Porque ele não está jogando?”
    – “Porque jogador de 36 anos demora seis meses para entrar em forma e dois treinos para se machucar!”
    – “E o Mancini?”
    – “Mesma coisa.”
    – “Esse Serginho é do departamento de atletismo do Galo?”
    – “Não é jogador de meio campo!”
    – “Pensei que fizesse parte do “UFC” do Galo.
    – “Não… Eles dizem que tem que ter paciência com a prata da casa. São 200 jogos para descobrirem que se trata de atleta de outro esporte!”
    – Ah, então é por isso que o Cairo e Reinaldo Rosa ainda estão nos planos do Cuca?
    – “Sim, juntos com o Renan Oliveira!”. Estão comentando que talvez o Rafael Miranda volte!”
    – “E o diretor de futebol? Não faz nada?”
    – “Faz! Esta em Barueri contratando o reserva deles da lateral direita e um camisa dez. Dizem que estão tentando alguém na faixa etária do Magno Alves e do Marquinhos Cambalhota, o twitter está bombando com o nome do Ramom Menezes. O Maluf já trouxe o Caio e o Wesley”!!
    – “O que será que está errado com o Galo hein?”
    – “Ninguém sabe… Futebol é um mistério!”

  • Alisson Sol disse:

    O Francisco Barbosa escreveu algo sobre o qual eu já estava pensando: a “desculpa” do ano que vem. Assim que começarem os resultados ruins, alguém vai falar que “o gramado novo ainda não assentou direito“. Foi exatamente a desculpa do Dunga quando a seleção brasileira jogou na reinauguração de Wembley.

    A criatividade humana para inventar desculpas é infinita. Às vezes, empregam mais energia pensando na desculpa do que seria necessário para fazer o trabalho, e não ter de se desculpar. Mas é a força do hábito…

  • Basílio disse:

    Só não entendo é porque os caras quando saem pra outros clubes jogam bola: Éder Luís, Diego Souza, Tiago Feltri, Rafael Cruz, Jael, Leandro Castan etc.

  • J.B.CRUZ disse:

    Em época de VENDER é preciso, GANHAR não é preciso, sem planejamento não se vai a lugar algum…Entrosamento, IDEM!!!

  • Francisco Barbosa disse:

    Não sabia que a (falta do) mineirão é frangueiro, ruim de pontaria e péssimo administrador.

  • Alex Meneses disse:

    Quando o Galo caiu, se não me falhe a memoria, o Mineirão estava lá…ta faltando é competencia…

  • Francisco Barbosa disse:

    Ano que vem a desculpa será: O time não está adaptado ao novo Independência.

    Essa cambada não serve nem pro campeonato de Congonhal.

    “ô povinho ruim de bola sô”

    Mas como são bons de desculpa.

  • Alexandre Luiz disse:

    Será que o Maluf não sente vergonha de uma declaração dessas? 60% é culpa do Sr. Mineirão e 40% dos jogadores. Quer dizer, para o Sr. Maluf não recai nem 1% do que estamos vendo, já que 100% dos problemas são de terceiros. Gostaria de saber se foi o Sr. Mineirão que contratou Caio, Patric, Guilherme Santos, Guilherme, Magno Alves, Richarlysson? Se foi o Sr. Mineirão que vendeu Tardelli e Obina? A torcida clama por laterais por exatos 17 meses!

  • Anderson Palestra disse:

    Eu credito 100% de fracasso do Cruzeiro ao seu mandatário mor.
    Ele é famoso por desmanches no meio do campeonato. Famosas, também, são suas transações, todas nebulosas.

  • Clayton Batista Coelho ( Claytinho - Só Boleiro do Nova Vista/BH ) disse:

    É mais fácil principalmente para os dirigentes do Cruzeiro e do Atlético Mineiro, transferirem a responsabilidade, tirarem o deles da reta, do que vir a público e dizer: “Erramos por incompetência e por privilegiarmos outros interesses”…

  • Alisson Sol disse:

    Então deve ser pela falta de estádio que o Atlético-MG tem a segunda maior média de idade dentre os times do brasileiro (29,63 anos) e o Cruzeiro a terceira (28,00 anos) (link). Enquanto isto, a média de idade do time do Vasco é 25,63 anos (exatamente 4 anos mais jovens em média do que os jogadores do Atlético-MG).

    Eu acho que vou tentar uma peneira no Cruzeiro, pois não creio que vou elevar a média tanto assim…

    Pior é esta agora de que o “torcedor da capital é melhor”. Então, considerando os “jogos de uma torcida só”, chegamos à conclusão de que o torcedor da capital atrapalha o time! (Ou alguém acha que a “Arena do Jacaré” encheu com torcedores de Sete Lagoas?!). Este negócio de vender para a torcida a imagem de que “vocês são especiais” é o truque comercial mais velho da História. Incrível é que ainda funcione…

  • Ed disse:

    60 % de incompetência? Bondade sua, Chico. É bem mais que isso.

    Só para início de conversa, se estádio fizesse essa diferença toda, o Galo não teria caído jogando no Mineirão, o Vasco em São januário, o grêmio no Olímpico, o Palmeiras no Parque Antártica e o Corinthians no Pacaembu.

    Conversa fiada do “melhos diretor de futebol do Brasil”, aquele que compra um reserva de time da Ucrânia pelo mesmo preço que vendeu um artilheiro consagrado e ídolo como o tardelli. Mais uma vez querendo tirar o dele da reta.

  • Paulo Araujo disse:

    Chico será que a falta de estádio é a responsável pelas contratações de: Caio, Wesley, Patrick, Guilherme Santos, Luiz Fernando, Giovanni, Leandro, Toro, Mancini, Dudu (chinelinho) cearense, Marquinhos cambalhota, (deve ter mais) alem do Eduardo Maluf?

  • Infelizmente essa questão de estádio se tornou uma desculpa pronta para os times mineiros. A má do Galo vêm de anos, com ou sem Mineirão. Já o Cruzeiro fez tudo errado e agora desvia o foco da administração falha para os estádios. Basta lembrarmos que o time perdeu títulos para o adversarios em casa. Enquanto o América, disputou a série A com um time de série B. Estádio não faria diferença.
    Mineirão e Independência fazem falta, mas o planejamento dos times mineiros pesa ainda mais.

  • Guilherme disse:

    Chico, por que o povo tá comemorando tanto a respeito do Independência? A data para o término do mesmo já foi adiado 2 ou 3 vezes, num atraso total de 1 ano ou mais e, agora, dizem que vai ficar pronto no dia 29 de fevereiro.

    Brasileiro tem memória curta. Não é atoa que políticos do passado, acusados de todos os crimes possíveis, ainda se reelegem.

    Lamentável.

    A situação dos clubes mineiros hoje no campeonato brasileiro também é culpa do povo. Povo omisso. Passivo.