Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Valeu o espírito de luta e Cruzeiro acaba com sequência de quatro jogos sem vencer

henrique

De Thiago Nogueira para O Tempo:

“Era preciso vencer. De qualquer jeito. O time ainda está longe do ideal mas, num momento de instabilidade, o Cruzeiro mostrou o mínimo que a torcida exigia: gana e raça. Dos pés do incansável Henrique, a equipe celeste bateu o Grêmio, na noite deste sábado, no Mineirão, aliviando a pressão na briga contra o rebaixamento.

A vitória por 1 a 0 põe fim ao período de quatro partidas sem triunfo e tira o time do Z-4. Os três pontos também melhoram a incômoda classificação como mandante. Até o início da rodada, a Raposa era a pior equipe atuando em casa. A vitória deste sábado foi a quarta em 14 duelos.

No próximo sábado, contra a Ponte Preta, também em BH, o Cruzeiro tem nova oportunidade de se afastar da área vermelha.”

Dificuldades. O Cruzeiro começou o jogo disperso. Por três vezes, em 10 minutos, os atacantes do Grêmio saíram na cara de Rafael. Lento e como pouca movimentação, a Raposa demorou a incomodar. Só aos 18 min, o time celeste resolveu acordar, com duas oportunidades seguidas de Ábila e Sóbis.

Só que a partida, tecnicamente, ainda estava abaixo da crítica. Bruno Grassi pegou uma cabeçada a queima-roupa do xará Bruno Rodrigo, na mais clara chance cruzeirense na primeira etapa. Ábila, criticado por recentes gols perdidos, também teve uma oportunidade nos pés.

A segunda etapa manteve a toada: aquele jogo feio, de perde e ganha e disputas de cabeça. De melhora, o Cruzeiro conseguiu mais posse de bola. Mas as chances eram escassas. E quando as construía, as desperdiçava, como a de Élber, que acabara de entrar e isolou debaixo das traves.

O tempo passava e a apreensão pelo gol era nítida. Nessa altura, o Grêmio se limitava apenas aos contra-golpes. Era preciso insistir. E foi assim, mais na raça do que na técnica, que enfim, as redes balançaram. Henrique foi o dono do gol, aos 27 min. O time gaúcho nada mais conseguiu.

http://www.otempo.com.br/superfc/cruzeiro/cruzeiro-volta-a-vencer-supera-gr%C3%AAmio-e-respira-na-luta-contra-o-z-4-1.1379648


» Comentar

Comentários:
10
  • Julio Avila (Mariana) disse:

    É aquela frase: “se tiver uma camisa do Atlético no varal, não liga não fera. Ela ta secando pro próximo jogo ” que vergonha em gente,um time com patrocinio de 100 milhões da poderosa Dy world tendo que lavar uniforme para o proximo jogo,alguém entende isso?

    • J.B.CRUZ disse:

      CARO JÚLIO ÁVILA :
      ROBERTO DRUMONND (atleticano ‘sadio’, foi um poeta da bola, além de escritor brilhante..
      Esta frase é dele: ”SE TIVER UMA CAMISA PRETA E BRANCA PENDURADA NO VARAL: O ATLETICANO TORCE CONTRA O VENTO”..
      Mas a melhor dele é a frase:” CHINA AZUL”..Um reconhecimento da grandeza do adversário..
      GRANDE DRUMONND….

  • J.B.CRUZ disse:

    Calma pessoal, deixa o MANO trabalhar…Futebol é entrosamento, e ELE está ‘procurando’ a escalação ideal..
    O ÁBILA é artilheiro nato, mas também sujeito à crise..
    Em 1.958 no campeonato Paulista, PELÉ marcou 58 gols; e até hoje não foi superado por outro ARTILHEIRO em qualquer campeonato estadual..
    Mas, em 1.959, PELÉ ficou 10 jogos sem marcar e logo ficou sendo questionado pelos comentaristas….O futebol ( como qualquer atividade na vida), não pode cometer falhas, principalmente quando você é destaque entre os seus competidores…
    Ninguém fica ‘cobrando’ toda hora dos últimos, mas, sempre dos MELHORES, DOS PRIMEIROS…
    .

  • Julio Avila (Mariana) disse:

    Time grande não cai!cruzeiro teve mais oportunidades e mereceu vencer!
    agora é vencer a fraca ponte e jogar ela no na briga pra não cair também,o sp esta doido querendo cair!

  • Renato César disse:

    No sul era forte o boato de entrega do time gaúcho para prejudicar o rival. Este placar mostra que onde há fumaça há fogo.

    Situação celeste é muito complicada. Na próxima rodada, um empate diante da Ponte em casa pode levar o time de volta ao 18º lugar. Dos adversários que faltam, talvez o Vitória lá na Bahia seja o menos complicado. Se o Benecy não trabalhar direito, o caldo pode entornar.

    Torcida celeste precisa ter muita cautela neste momento.

  • Leandro Celeste disse:

    Nos próximos 4 jogos conquistaremos 10 pontos e ficaremos tranquilos na tabela, aí dá para poupar o time no Brasileirão e focar no Penta da Copa do Brasil!

  • Igor Mendes disse:

    Aqueles dois gols perdidos pelo Grêmio no início do jogo cara a cara com o goleiro, Benecy deve ter pago os salários atrasados da equipe gremista.

  • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

    É isso aí… Se não dá na técnica, tem que ser na raça mesmo !!!
    Parabéns para os jogadores e principalmente para o Henrique, que este sim, tem demonstrado uma preocupação de fato em lutar pra tirar o time dessa situação que se encontra.

  • Leandro Fábricio disse:

    daqui a pouco alguns simpatizantes felpudos vão subir na gilllette de novo e voltar a falar em g-4 kkkkkkk…

    a corda ainda continua no pescoço…. nada mudou

  • Alex Souza disse:

    Cruzeiro 1 X 0 Grêmio – 28ª Rodada do Campeonato Brasileiro 2016
    Mineirão – Belo Horizonte/MG – 0118:30Outubro2016 – Sábado

    JOGO DIFÍCIL: Vitória importantíssima do Cruzeiro sobre o Grêmio, pelo placar mínimo, num jogo dificílimo. Muita correria, bate-rebate, catimba, cera, passes errados e fortes emoções.

    COMEÇO RUIM: O time azul iniciou mal a partida. Tentou ir ao ataque de forma desordenada e sobre com a retomada de bola e contra-ataques do time gremistas. Douglas, apesar, de lento, teve muita liberdade e armou pelo menos três boas jogadas com Luan. Rafael salvou o time numa saída providencial nos pés no atacante; Bruno Rodrigo salvou o Cruzeiro quando Luan ia concluindo e depois o mesmo atacante conseguiu chutar, mas a bola foi para fora.

    MELHORANDO: Com estrema dificuldade de articulação o Cruzeiro cadenciou muito as jogadas. Bastava insistir em velocidade com os laterais que os erros aconteciam e os cruzamentos davam em nada. A 18’ o Cruzeiro quase marcou. Robinho virou o jogo na direita e Ezequiel tabelou com Sóbis. O meia cruzou e Ábila finalizou para defesa no susto de Bruno Grassi; o Cruzeiro pegou a sobra e fez boa jogada pela esquerda, com Edimar e Rafinha; o cruzamento foi a Sóbis que quase marcou de cabeça.

    GRÊMIO ENCURRALADO: O Cruzeiro foi tomando conta do jogo e o Grêmio se retraindo; a defesa gaúcha rebatia a bola em todas as direções e num escanteio, a 23’, Henrique se antecipou à defesa e cabeceou com perigo, coma bola passando perto da trava esquerda do gol do Grêmio.

    CHANCES PERDIDAS: A 35’ Bruno Grassi defendeu um bom chute de Robinho da extrema direita, rebatendo a bola a para escanteio. A pressão continuou e a 38’ o goleiro gaúcho fez defesa espetacular depois de cabeçada violenta de Bruno Rodrigo, após tabela de Henrique e Rafinha.

    CARA A CARA: A 41’ Ezequiel deu um cruzamento perfeito para a área. Ábila dominou bem e, tendo tudo para marcar, tentou dar um chapéu em Walace Oliveira; Jeromel apareceu bem na cobertura e fez o corte. Era lance para finalizar de primeira para abrir o placar.

    SEM MUDANÇAS: Os times voltaram ao 2º tempo sem mudanças e a dinâmica continuou parecida com a do 1º tempo. O Cruzeiro tocando a bola e tentando armar as jogadas e o Grêmio se defendendo. O Cruzeiro procurava forças o jogo pelas laterais e insistia em bolas altas na área. A 11’ Ezequiel cruzou bem; o goleiro falhou na saída e a bola sobrou para Rafinha. O atacante tentou concluir, mas a bola subiu demais. Ramiro respondeu para o Grêmio com um chutaço da intermediária; a bola descreveu uma curva e saiu muito próxima ao ângulo esquerdo superior do gol de Rafael.

    SUBSTITUIÇÕES: Encontrando grandes dificuldades na partida Sóbis deu lugar a Elber aos 13’ da etapa final. Aos 14’, depois de tabela com Rafinha, Elber recebeu e finalizou sobre o gol uma chance clara de gol. A 20’ Ábila, pouco acionado, deu lugar a Willian Bigode; o Grêmio substituiu o atacante Pedro Rocha por Everton. a bola . no defensor. tem ido a campo com um time sem vocação para fazer gols e construir jogadas; a bola nos pés destes jogadores do grupo atual, com raras exceções, é motivo de tranquilidade para o adversário. Recuperá-la num desarme ou numa jogada bisonha de algum jogador do Cruzeiro é só uma questão de tempo.

    MAIS PRESSÃO E GOL: A 26’ Rafinha construiu jogada pela direita e cruzou. A bola baixa cruzou a área na direção de Elber que, livre de marcação, perdeu a chance e chutou sobre o goleiro Bruno Grassi. A 27’ Elber fez uma cobrança rápida e curta de escanteio para Robinho. Ele recebeu e cruzou na 1ª trave. Henrique, que já havia tentado uma antecipação à defesa na etapa inicial apareceu em lance semelhante e fez 1 a 0, levantando a torcida. Em seguida Ariel Cabral saiu para a entrada de Romero; o Grêmio sacou Caio e promoveu a entrada de Guilherme; depois Douglas por Henrique Almeida.

    FALHA AZUL: Nos acréscimos da partida o Grêmio cobrou um escanteio a 48’; a defesa ficou olhando e Marcelo Oliveira cabeceou à esquerda do gol de Rafael. Aos 50’ o árbitro encerrou o jogo e o Cruzeiro, com os três pontos, saiu da zona de rebaixamento.

    PACIÊNCIA: Era visível a irritação nas arquibancadas do Mineirão com os erros de passe do time do Cruzeiro, contudo, reconhecendo o mérito das tentativas e o valor da perseverança a torcida apoiou o time. As vaias esboçadas nas saídas de Sóbis e Ábila foram abafadas pelo incentivos aos que entraram e o jogo terminou com merecida vitória e festa do público que esteve no estádio levando o seu incentivo.

    RESUMO DA PARTIDA

    Partida dominada pelo Cruzeiro que errou muitas finalizações e poderia ter feito um resultado melhor com Ábila e Elber. A pressão de ter que fazer o resultado levou o time a errar muitos passes e a insistir em lançamentos longos, facilitando os cortes do time gaúcho em alguns momentos. A cobrança rápida de escanteio de Elber e Robinho, bem como a insistência de Henrique em jogada que não é muito da sua característica, foram aspectos decisivos para vitória. Partida ruim de Sóbis e muita dificuldade da equipe de preparar jogadas para Ábila.

    CRUZEIRO: Rafael, Ezequiel, Léo, Bruno Rodrigo e Edimar; Henrique, Ariel Cabral (Lucas Romero), Robinho, Sóbis (Elber), e Rafinha; Ábila (Willian Bigode) – Técnico: Mano Menezes
    GRÊMIO: Bruno Grassi; Wallace Oliveira, Geromel, Kannemann e Marcelo Oliveira; Jailson, Kaio (Guilherme), Ramiro, Douglas (Henrique Almeida) e Pedro Rocha (Everton); Luan – Técnico: Renato Gaúcho
    Arbitragem: Celmo Alves Resende Cunha (GO), auxiliado por Cristhian Passos Sorence (GO) e Leone Carvalho Rocha (GO)
    Público/Renda: 16.618 pagantes/R$ 363.879,00
    Cartões amarelos: Ábila (12’ 1ºT), Henrique (18’ 1ºT), Marcelo Oliveira (32 1ºT), Luan (7’ 2ºT), Ariel Cabral (21’ 2ºT), Everton (35’ 2ºT)
    Gols: Henrique, a 27′ 2ºT