Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Futebol argentino não terá mais subsídios do governo e desespero bate à porta dos “hermanos”

AFA

Aqui a coisa está feia, mas para os vizinhos está pior e poderá se agravar. Notícia do Zero Hora, de Porto Alegre:

* “Presidente argentino diz que Estado deixará de financiar o futebol”

Mauricio Macri garantiu que o governo não adquirirá direitos de transmissão do campeonato do país

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, garantiu, nesta terça-feira, que o Estado deixará de financiar o futebol do país por meio da aquisição de direitos de transmissão, prática realizada desde 2009.

Durante entrevista na Casa Rosada, sede do Executivo, Macri respondeu sobre a possibilidade do governo estender o contrato de transmissão dos jogos, considerando a demora de um novo convênio de empresas privadas com a Associação de Futebol Argentino (AFA).

– O Estado não vai mais participar do programa Futebol para Todos (FPT). Isso está claro há seis meses e espero que eles tenham pensado como vão continuar a partir de fevereiro, porque nós não vamos mais participar – afirmou o presidente.

O FPT foi um programa implementado pelo governo de Cristina Kirchner, entre 2007 e 2015, em que o Estado comprava os direitos de televisão dos jogos de futebol e transmitia todos as partidas de graça. Depois de sete anos de futebol gratuito na TV, o governo de Macri busca terminar o FTP e retornar com um esquema de contratos privados, nos quais o usuário paga para assistir aos jogos.

A situação dos clubes argentinos é preocupante. Vários times não pagam os salários de seus atletas há meses e, segundo a imprensa esportiva local, há o risco do campeonato argentino não voltar a ser disputado. O torneio está em recesso e tem previsão de retorno para 7 de fevereiro.

Desde a morte de Julio Grondona, militar que comandou a AFA de 1979 a 2014, a associação vive uma intensa crise e sofreu intervenção da Fifa. A maior entidade do futebol instalou uma Comissão Normalizadora, mas o mandato acaba em 30 de junho.

A AFA marcou a eleição de um novo presidente para 28 de abril.

– O futebol está em uma crise terminal, talvez a pior do país. Os dirigentes, ao invés de encarar o problema, continuam procurando um atalho, um remendo e não fazem as coisas com seriedade suficiente – denunciou Macri, que foi presidente do Boca Juniors entre 1995 e 2007.

A gestão alavancou a carreira política do atual presidente.

O governo Macri impulsiona um torneio de primeira divisão por fora da AFA, a Superliga, que permite a participação de Sociedades Anônimas Esportivas. O atual modelo de clubes são Sociedades Civis Sem Fins Lucrativos. Para por um ponto final à crise que vive o futebol argentino, Macri insistiu:

– Espero que a AFA e os clubes em geral abandonem a obscuridade e se transformem em instituições transparentes e confiáveis.

http://zh.clicrbs.com.br/rs/esportes/noticia/2017/01/presidente-argentino-diz-que-estado-deixara-de-financiar-o-futebol-9417488.html


» Comentar

Comentários:
22
  • Renato - 7 Lagoas disse:

    Está certíssimo, apesar de os esquerdopatas não entenderem. Eles usam tapas, como burros e cavalos. Parabéns ao Macri!

    • ita disse:

      Explica aí o contrato da Minas Arena, onde o governo arca com o lucro garantido do consórcio estabelecido em contrato. Dezenas de milhões ao ano para um grupo q não tem incentivo nenhum de transformar o Mineirão numa praça realmente atrativa ao púbico.

      Tudo isso na gestão dos Macri tuniquins.

      Alguém aí já ouviu falar do perdão da dívida de CENTENAS de BILHOES para grandes proprietários de terras e telefônicas?

      Alguém aí sabe q o desvio por sonegação de impostos é da ordem de 4 a 5 VEZES maior q o da corrupção?

      • Carlos Almeida disse:

        Vc pode falar tbm da Arena Pantanal e da Arena Amazônia, defendidas “bravamente” pelo governo federal através do então ministro dos esportes Aldo Rebelo.

        Ou até mesmo da Arena Pernambuco e Maracanã, TODOS casos mto mais críticos do que o Mineirão, TODOS de administrações de partidos que apoiavam aquele governo que trouxe essa famigerada copa, a copa do dinheiro público.

        Senão fica só parecendo histeria de petista.

        • ita disse:

          Antes de pedir minhas explicações, comece vc pelos meus pedidos, não vá esquecer o perdão da dívida de CENTENAS de BILHOES, financiamento camuflado da iniciativa privada com dinheiro q era pra ser do povo…

          • Carlos Almeida disse:

            Agora, pq o sr ficou tranquilo e caladinho com o perdão da dívida dos ditadores africanos em 1 bilhão de dólares com o Brasil?
            Esse dinheiro tbm não era pra ser do povo?

            E o que o sr diz sobre as refinarias da Petrobrás que o Lula “doou” ao Evo Morales, sendo ainda que a estatal brasileira investiu 6 bilhões naquele país?
            Esse patrimônio não era pra ser do povo brasileiro?

            Mas se o problema for o “financiamento camuflado” aos grandes empresários, o sr. pode falar tbm dos 7,5 bilhões que o governo do pt liberou para o JBSFriboi…

          • Carlos Almeida disse:

            Isso é vc que está dizendo, que se “informa” por notícias fabricadas em sites e blogs petistas.

            Uma coisa seria o perdão da dívida em si, outra coisa é o refinanciamento, perdão de multa, juros e encargos, necessário sim na atual crise econômica.

            O próprio Profut da Dilma perdoou 600 milhões de dívidas dos clubes.

            E em relação às teles o sr. está novamente errado.
            Não são CENTENAS de bilhões.
            Segundo o próprio Tribunal de Contas da União é um valor estimado em 105 bilhões.

      • Carlos Almeida disse:

        Então explique tbm o caso da Fonte Nova…

        Jaques Wagner firmou um contrato com a Odebrecht e a OAS que administrarão o estádio por 35 anos e que prevê repasse do estado de cerca de 20 milhões/ano.

        Aproveite e explique tbm o colossal elefante de Brasília…

        O então governador do DF, Agnelo Queiroz, defendia enfaticamente garantindo que o estádio teria não só grandes jogos mas tbm grandes eventos nacionais e internacionais.
        Não preciso nem continuar…

        Pois bem, a administração desse estádio é inteiramente estatal e gera prejuízo de 6,5 milhões/ano.

        E finaliza nos explicando se esses estádios tem essa “praça atrativa ao público”.

      • Renato - 7 Lagoas disse:

        Não vou explicar nada. Não tenho procuração pra defender bandido. Também acho que as reformas do Mineirão e do Independência renderam milhões aos tucanos que governavam MG à época. Inclusive, acho um absurdo ter reformado os dois estádios ao mesmo tempo. Uma completa sacanagem feita para promover a roubalheira e beneficiar o América.

        Quanto à sonegação de impostos e perdão de dívidas, era diferente nos 13 anos de ‘gestão” do PT?? E a compra de medidas provisórias? E o furto aos fundos dos funcionários das estatais? Tudo o que os outros partidos (PSDB, PMDB, DEM, etc.) faziam, o PT potencializou com sua gula por dinheiro, vida de ostentação e poder. Aliás, quem votou na turma que aí está não fui eu, foi que votou no PT. Agora, aguentem.

        • ita disse:

          Indiretamente vcs estão defendendo bandidos “direitistas”, esse é meu ponto de vista na verdade, q por sinal, incomoda e muito os tucanos enrustidos

          Não vai explicar pq está claro q esse papinho de que “esquerdopata” é q gosta de dinheiro público financiando privado é conversa pra boi dormir.

  • Carlos Almeida disse:

    Certíssimo.

    O Estado tem outras prioridades e a população outras necessidades.

  • Renato César disse:

    Quem sabe esta crise não favoreça ao Galo, para conseguir seus reforços no futebol argentino? Aliás, na América do Sul existem bons volantes e bons armadores clássicos, que não custariam caro.

    Problema é que já temos 4 estrangeiros no elenco. Caso um seja negociado (Pratto é o que tem mais chance), poderíamos buscar um volante e um camisa 10, ambos de primeira linha. Caso contrário, poderá haver negócio de ocasião mesmo. Quem sabe Santiago Ascacibar ou Fernando Gago?

  • Silvio T disse:

    Tudo prá favorecer a rede globo de lá. A partir de agora os hermanos também teão que conviver com o monopólio massacrante de um só canal sendo dono dos clubes. Mera coincidência? Se fizerem uma pequena viagem no tempo, verão a mesma situação aqui nos anos 90. Times falidos aceitando a “bondade” da globo para se salvarem e vendendo a alma ao diabo.

    • José Eduardo Barata disse:

      É só ter determinação para enfrentar o monopólio ,
      meu caro .
      O futebol é um “produto” que todo mundo quer e
      paga para assistir .
      Fossem os dirigentes brasileiros corajosos e a
      situação seria outra .
      Mas aqui , todos sabemos , é tudo por baixo do
      pano , e é o que é .
      Quantas vezes apareceram oportunidades de se
      mudar o quadro e os dirigentes , sabe-se lá por
      qual motivo ( alguém arrisca um palpite ? ) viram
      que era melhor deixar tudo na mesma .
      Kalil que o diga .
      A “bondade” da Globo é fruto da incompetência e
      da covardia dos dirigentes .
      O esporte , hoje , na platinada , é o que suporta a
      emissora .
      Experimentem tirar dela esse filé para ver o que
      acontece .
      A tal bondade evapora e ela vai ter que “dançar
      conforme a música” .
      Quanto ao fato de governos “bancarem” esporte
      profissional , aí não .
      Não estamos mais na época de circo e pão para
      a plebe .

      • Silvio T disse:

        Vc está enganado, meu caro. O que o ex governo argentino fez foi acabar com o monopólio. Comprava os direitos e os revendia a todos os canais. Nada era de graça. Prá variar, a história verdadeira não é contada por aqui pela nossa nobre imprensa. Mas, assim como acontece lá e em outros países sul americanos, também acho que as coisas vão mudar e por causa dos americanos. Fox e Espn não estão investindo tanto prá não terem o brasileirão em suas telas. Já reparou como a globo tá decendo o pau no Trump? Vc acha que ele vai apoiar quem nessa briga pelos direitos de transmissão?

        • José Eduardo Barata disse:

          Não entendi nada no seu comentário .
          Qual o seu norte ?
          Sua linha de pensamento ?
          Cristina Kirchner comprava direitos com
          dinheiro de impostos e os repassava ?
          Governo é balcão de negócios ?
          ‘Tá bom . Segue o jogo .

          • Alisson Sol disse:

            O José Eduardo Barata falou perfeitamente neste caso. Veja o que deu o “Balcão de Negócios” na Argentina: link.

            Por que deveria um governo deveria adquirir direitos de transmissão de futebol para revender?
            Vai fazer isto com novelas? Com UFC? Com tênis? Com natação?
            Tomara que o Brasil nunca copie isto. Enquanto estas barganhas ocorrem “no alto nível”, uma medalhista na natação na Rio 2016 já está com problemas de patrocínio (link)

  • Alisson Sol disse:

    Há um perigo nisto: as empresas brasileiras com enorme investimento na Argentina começarem a financiar a futebol por lá. Principalmente agora que estão limpando a casa por aqui…

    De resto: é excelente ver um governo ao menos tentando ser honesto e sem populismo. Quem sabe isto pega!

  • J.B.CRUZ disse:

    Isto que é governo comprometido com seu povo: seu País….Governo que se preze não tem departamento de marketing e propaganda daquilo que se realiza..

    • José Eduardo Barata disse:

      Eu , na minha humildade , simplesmente abomino
      essa história de propagar realizações de governo .
      É uma estupidez fazer uso de verba pública para
      dar a conhecer o que se faz na administração de
      um governo .
      É campanha disfarçada do mandatário .
      Um horror !!!

  • thiago disse:

    Opa, apareceu alguém de culhao pra respeitar o dinheiro do contribuinte. Essa moda podia pegar aqui no Brasil, onde os clubes devem milhões ao fisco e pagam salários astronômicos aos jogadores, pagam comissões por fora a empresários, fazem artimanhas nas vendas pra não pagar impostos, etc.

  • Walcely Almeida disse:

    Dinheiro de impostos devem ir para saúde, educação, segurança, infraestrutura, não para aumentar lucro de futebol prifissional. Está certo o presidente Macri.