Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Os 100% de aproveitamento do Galo, o Cruzeiro na cola e o América reagindo

CRU1

O Campeonato Mineiro segue e o Atlético gera esperanças na torcida de que o time possa fazer bonito nas grandes competições de 2017. Oito vitórias em oito jogos, trata-se de uma marca significativa, pois não é fácil, mesmo enfrentando os fracos times que disputam o estadual.

O América deu uma reagida, retornou ao grupo dos quatro que decidirão a disputa e consegue resultados surpreendentes, como este contra o América-TO.

O comentarista do blog, Alex Sousa, analisou o empate do Cruzeiro contra o Tombense no Mineirão:

* “O Cruzeiro falhou demais e conseguiu complicar um jogo que poderia vencer, sobretudo dentro do Mineirão. Incrível como a equipe errou passes e, por omissão dos jogadores responsáveis peça criação, recorreu demais a toques laterais ou às ligações diretas feitas por zagueiros e laterais. O empate premiou a Tombense; mesmo pressionada a equipe não se desesperou e procurou sair jogando e contra-atacar. Ainda contou com a sorte, pois a bola foi à trave duas vezes e a qualidade do goleiro evitou gols. O time visitante soube fazer a catimba e preparar uma jogada para chegar ao empate. No finzinho quase venceu com um gol de cabeça em lance de escanteio.
NADA NOVO: O Cruzeiro começou a partida sem inspiração e jogando de forma displicente. Ninguém tomava a iniciativa de jogar futebol e só a 17’, em chute de Alisson, o time apareceu no ataque. O goleiro Darley fez defesa espetacular em chute de fora da área. Nova jogada de perigo só a 24’, em jogada de Sobis e De Arrascaeta, concluída pelo primeiro em chute forte bem espalmado pelo goleiro Darley.
NÃO SUPORTOU: A 28’ Robinho saiu do jogo e Mano Menezes colocou Rafinha em seu lugar. Parece ter sido algum problema na parte posterior de uma das coxas. A contusão é uma variável que precisa ser levada em conta; o ano só está começando e os principais jogos ainda não aconteceram, contudo, a perda de um jogador tão importante pode virar um grande problema ao longo do ano.
UM DOS POUCOS: Ariel Cabral era um dos poucos a tentar armar a equipe no ataque. A 30’ ele dominou uma bola no meio de campo e fez um lançamento espetacular para De Arrascaeta, que se movimentou e entrou na área em velocidade. O uruguaio tinha tudo para finalizar de perna esquerda, contudo, com calma, driblou os marcadores e concluiu com chute colocado, no ângulo superior esquerdo de Darley, fazendo 1 a 0 Cruzeiro.
MOMENTO MMA: A 38’ Alex e Manoel protagonizaram a encarada do MMA. A bola saiu pela lateral na disputa do lance e o atacante da Tombense chutou o jogador do Cruzeiro, de leve, fora de campo e sem bola em jogo. Manoel foi para cima tomando satisfações e eles se encararam e fizeram com que se formasse o bolinho e o empurra-empurra. Faltou só o tradicional “cospe aqui quem for mais homem”. Palhaçada e cartão amarelo para ambos.
NA TRAVE E GOL ANULADO: A 45’, de pois de falta perigosa sofrida por Alisson, De Arrascaeta fez uma cobrança sobre a barreira, buscando o ângulo superior esquerdo do goleiro. A bola bateu na trave, com Darley batido, e Rafinha aproveitou o rebote e fez o gol que acabou corretamente anulado, já que o atacante estava impedido.
RESUMO DO 1º TEMPO: Tombense jogando fechadinha na defesa e esperando uma chance em erro do Cruzeiro, que não conseguiu ser efetivo no setor de criação, valendo-se mais de chutes de longa distância e bolas paradas, sendo o gol o único momento em que se viu futebol de verdade.
FALHA DE MARCAÇÃO E EMPATE: Logo no reinício do 2º tempo equipe de Tombos chegou ao gol de empate, com o atacante Alex, que, de bico, fuzilou o gol de Rafael. A bola veio tocada desde o setor de lateral esquerda, com o Cruzeiro marcando “com os olhos” no meio-campo, até que que chegou a João Paulo e Pedro Castro, sob olhares de Henrique e Ariel Cabral. Pedro Castro dominou e fez um lançamento nas costas do lento Léo, que não acompanhou o atacante na velocidade. 1 a 1 digno do verso do hino nacional, tal a sonolência: “deitado eternamente em berço esplêndido”…
ABAFA, BOLOLÔ E MONTOEIRA: Depois do empate o que se viu foi um Cruzeiro muito abaixo do que se espera no controle de jogo, armação e definição. Muita gente parada à espera de algum lampejo isolado de criatividade que definisse a partida, o que não aconteceu. Rafinha deu lugar a Ábila e Alisson a Elber, mas nada funcionou coletivamente. Havia um tremendo espaço entre a defesa e o ataque e em raros momentos o Cruzeiro, na base do drible e da correria, chegou com algum perigo. A Tombense marcava bem e, com a bola nos pés, saia jogando; vez por outro alguém caia para esfriar o ímpeto do Cruzeiro e muitos lances eram “matados” na base da falta tática.
CHANCES PERDIDAS: O desorganizado time azul quase fez um gol com De Arrascaeta, a 12’, mas a bola foi na trave; o uruguaio tentou em 2 cobranças de falta que passaram um perto do gol e outra defendida espetacularmente por Darley. Antes de sair Rafinha esteve cara-a-cara dom Darley, depois de passe de Sobis a 23’, contudo, tentou o passe e acabou perdendo excelente chance. Sóbis, a 25’, fez boa cobrança de falta e a bola “explodiu” no peito do goleiro e acabou cortada, já que ninguém apareceu na sobra. Depois de 30’ o Cruzeiro pouco produziu; Ábila foi pouco acionado e Elber muito individualista. A Tombense, a 42’, teve a chance de vencer. Robertinho antecipou-se aos marcadores na primeira trave e testou com perigo uma bola que veio de escanteio. O lance passou pertinho do gol de Rafael.
RESUMO DO 2º TEMPO: A Tombense recorreu à catimba e as faltas para segurar um empate que obteve em jogada bem trabalhada pelo seu meio-campo e ataque, que explorou uma vulnerabilidade recorrente este ano no setor de meio campo e defesa do Cruzeiro. O time azul foi um amontoado de jogadores que tentou prevalecer, sem sucesso, de jogadas individuais de um ou outro. Léo, definitivamente, é um ponto fraco que muitos procurarão explorar; Henrique e Ariel Cabral andam vacilando na marcação e se revezando no famoso “cerca lourenço”, que via-de-regra estoura em lance de perigo sobre a defesa.
FICHA TÉCNICA DA PARTIDA
CRUZEIRO: Rafael, Ezequiel, Léo, Manoel e Diogo Barbosa; Henrique, Ariel Cabral, Robinho ((Rafinha) Ábila), De Arrascaeta e Alisson (Elber); Rafael Sobis – Técnico: Mano Menezes.
TOMBENSE: Darley, André Krobel (Robertinho), Wellington Carvalho, Anderson e Natan; Jonathan, João Paulo, Pedro Castro e Tauã (Daniel Amorim); Matheus Oliveira e Alex Gonçalves (Léo Lisboa) – Técnico: Raul Cabral.
ARBITRAGEM: Murilo Francisco Misson Júnior com auxílio de Magno Arantes Lira e Pedro Araújo Dias Cotta.
Gols: De Arrascaeta, a 30’ 1º t e Alex Gonçalves, a 1’ 2ºt.
Cartões amarelos: Ezequiel, Rafinha e Manoel (Cruzeiro) e Darley, Robertinho, João Paulo, Matheus Oliveira e Alex Gonçalves (Tombense).
Público/renda: Público: 8.161 e Renda: R$ 143.806,00.”

Alex Sousa


» Comentar

Comentários:
42
  • Alex Souza disse:

    COPA DA 1ª LIGA – Grupo C – 3ª Rodada – Joinville 0 x 0 Cruzeiro
    2119:45mar2017 – Terça – Arena Joinville – Joinville/SC

    RESUMO DA PARTIDA: Jogadores do Cruzeiro, sobretudo os atacantes, demostraram imensa falta de qualidade nas conclusões e desperdiçaram chances absurdas ao longo da partida. A preparação das jogadas funcionou em diversos momentos, contudo, a turma fracassou miseravelmente em meio a fartas oportunidades de gol. Fazer gols era vital, sobretudo para quem recebeu oportunidade numa partida como esta. Rafinha foi bem na função de “garçom”: Raniel, Élber, Alex, Marcus Vinícius e Fabrício perderam uma chance fácil de mostrar serviço. Parece, pelos gritos que se ouviu na transmissão, que a paciência do Mano Menezes acabou.

    VOLTANDO: Jogo que marcou a volta de Dedé, que sofreu nos últimos dois anos com graves contusões e processo cirúrgico. Trata-se de um jogador importante que vinha fora da equipe e que agora volta a ficar à disposição; a torcida é para que a recuperação tenha sido plena, de modo que Dedé volte a ser titular.

    BUSCANDO O GOL: Aos poucos o time do Cruzeiro foi dominando a partida e chegou com perigo no ataque. Raniel, depois de boa trama com Rafinha, recebeu o passe e chutou na rede, pelo lado de fora, a 15’; depois foi a vez de Lucas Silva, com seu característico chute forte de fora da área, tentar o gol a 18’, coma bola desviando na defesa e passando perigosamente à direita do gol do Joinville.

    RECUADO: O time do Joinville permanecia recuado. Os inexperientes jogadores levados a campo eram do time Sub-20, já que a equipe catarinense priorizou a disputa do Campeonato Estadual. Embora com o controle da posse de bola o time misto do Cruzeiro mostrando grande dificuldade para superara marcação.

    CARA-A-CARA: Só a 30’ apareceu nova jogada de perigo, em trama de Maike com Élber; o atacante azul recebeu a bola na grande área, sem marcação, e cara-a-cara com o goleiro concluiu sobre este e um defensor fez o toque pela linha de fundo, sendo perdida uma chance clara de gol.

    QUALIDADE DA FINALIZAÇÃO: O ataque azul chegava bem, contudo, errava o lance definitivo e perdia a chance de conclusão, seja pelo domínio errado, como aconteceu com Raniel a 35’, pela intervenção da defesa, como aconteceu com Hudson a 37’, de pois de cruzamento de Rafinha ou por erro na finalização, como aconteceu no chute para fora de Raniel, a 39’.

    DE LONGE: Lucas Silva voltou a aparecer bem na finalização de longa distância, a 42’, quando recebeu sob olhares da marcação à distância e disparou forte, coma bola indo a escanteio; na cobrança a bola sobrou para Élber que chutou para defesa segura do goleiro Ferreira.

    NA TRAVE: Raniel perdeu uma chance incrível a 45’. O Cruzeiro contra-atacou em velocidade com Hudson, Lucas Silva e Élber, sendo que este deu o passe para o atacante em seguia em velocidade, superando a defesa. Ele entrou na área, limpou o goleiro com calma e chutou, contudo, a bola bateu na trave esquerda e saiu pela linha de fundo.

    RESUMO DO 1º TEMPO: A superioridade azul não foi traduzida em vantagem por causa dos erros de conclusão. As jogadas de ataque apareceram: Raniel (02 vezes), Élber (01) e Lucas Silva (02) estiveram perto de abrir o placar, contudo, prevaleceu o 0 a 0. Élber e Raniel não poderiam ter perdido as chances claras que apareceram.

    CONTRA-ATAQUE: Rafinha puxou um bom contra-ataque a 2’ e o Cruzeiro chegou com três atacantes; a bola foi passada a Élber na direita e ele tentou o passe cruzado para Raniel, contudo, a defesa cortou para escanteio. Na cobrança Dedé saltou mais que a defesa do Joinville e cabeceou por cima do travessão.

    SAIU MACHUCADO: Hudson foi substituído por Marcus Vinícius logo a 4’ já que sentiu uma pancada na coxa. Chance para Marcus Vinícius mostrar algum serviço; ele machucou-se, perdeu espaço e vem sendo pouco aproveitado no time titular.

    DEFENSORES NA ÁREA: A 11’ os zagueiros do Cruzeiro apareceram na área do Joinville. Depois de jogada de Fabrício e cruzamento da esquerda Dedé voltou a ganhar uma jogada pelo alto, superando a defesa; a bola foi a Murilo que cabeceou sobre o gol adversário.

    PRESSÃO AZUL: A 13’ Raniel, em lance individual, ia limpando a defesa adversária e quando ir concluir de perna esquerda a defesa cortou evitando o chute; no minuto seguinte o mesmo Raniel entrou livre pela direita e caiu na disputa. Ele aproveitou a sobra e cruzou para Élber, mas o passe foi forte demais e a bola passou em frente ao gol com a defesa e goleiro batidos.

    FICOU DEVENDO/VOLTOU DEVENDO: Alex foi a campo no lugar de Raniel, a 19’. O jovem atacante perdeu chances incríveis e saiu devendo; o seu substituto é outro que vem perdendo espaço e, desde que subiu para o time profissional, por força de sua participação na Copa São Paulo do ano passado, nada mostrou que justificasse sua presença.

    MULA SEM CABEÇA: A 27’ o árbitro paralisou a partida e ainda exibiu um cartão amarelo arbitrário para Dedé. O goleiro Ferreira do Joinville trombou com um companheiro na própria área e caiu. O Joinville tinha a posse de bola e saiu para o ataque, quando deveria ter colocado a bola para fora para o atendimento.

    PERDEU: A 31’ Alex aumentou a própria dívida. Depois de receber cruzamento perfeito de Élber, que fez jogada pela direita, concluiu errado, para fora, mesmo estando de frente para o gol. “Mas é garoto”, dirão alguns; vai nessa para ver onde vai parar. Mano estava gritando com o time à beira do gramado e foi captado pela tv: “vai sair alguma coisa ou não vai”?

    PERDEU/PERDEU/PERDEU: Três erros de conclusão no mesmo lance é demais. A 36’ Rafinha atacou pela direita e cruzou na medida para Élber que, de frente para o gol, perdeu a conclusão. Fabrício chegava pela esquerda e perdeu o chute na primeira tentativa; ainda ficou com a sobre e chutou para fora. Falar o quê?

    NINGUÉM CHEGOU: A 45’ Rafinha inverteu uma jogada da direita para a esquerda; Fabrício chegou e fez cruzamento para trás e ninguém apareceu para finalizar. No lance seguinte Marcus Vinícius entrou na área do Joinville pela direita e chutou forte, sobre o gol adversário. O mesmo Marcus Vinícius, a 48’, voltou a perder gol feito depois que Rafinha, em lance individual, limpou a defesa com dribles e cruzou a bola ao meio-campista quase na linha da pequena área. Ele chutou mal outra vez.

    RESUMO DO 2º TEMPO: O Cruzeiro dominou a partida sem ser ameaçado pelos jovens jogadores do Joinville, que raramente foi à frente. Teve a chance do gol a todo tempo e errou tudo o que diz respeito a finalizações. Faltou qualidade para definir.

    FICHA TÉCNICA
    JOINVILLE: Ferreira, Lucas Sum (Jeferson), Igor, Léo Couto e Madson (Daniel Soares); Formiga, Renan Torquato, Eduardo Person e Gustavo Xuxa; Dereck (Vitor Hugo) e Janderson – Técnico: Fabinho Santos
    CRUZEIRO: Lucas França, Mayke, Dedé, Murilo e Fabrício; Romero (Bryan), Hudson (Marcus Vinícius), Lucas Silva, Rafinha e Elber; Raniel (Alex) – Técnico: Mano Menezes
    ARBITRAGEM: Todos do Paraná: Adriano Mitczviski com auxílio de Bruno Boschilia e Ivan Carlos Bohn
    CARTÕES AMARELOS: Lucas Romero, a 24’ 1ºt; Gustavo Xuxa, a 18’ 2ºt; Dedé, a 27’ 2ºt e Ferreira, a 45’ 2ºt
    CARTÕES VERMELHOS: Não houve.
    PÚBLICO/RENDA: Não divulgados na transmissão.

  • Fernando Luiz disse:

    Se 3 volantes não deram certo porque não colocar 4? Marlone vem aí.

  • Raws disse:

    Esse ano voltaremos a uma triste disputa, o título de quem ficará à frente do rival. Triste e simples assim.

  • Raul Otávio da Silva Pereira disse:

    O Cruzeiro dificilmente terminará a fase classificatória em primeiro lugar. Também dificilmente deixará de ser o segundo.
    Sendo assim, considerando que a posição no mata-mata está praticamente garantida, não há pq por os titulares prá jogar de 3 em 3 dias – dá para poupá-los mais e esperar o São Paulo.

  • Pedro Vítor disse:

    Olha eu vi o jogo do Cruzeiro afinal nas bandas onde estava não passou o Galo. Se o time do Galo é burocrático mas o Cruzeiro também é, a diferença é que o Galo tem bons jogadores em praticamente todas as posições talvez falte ali zagueiros e alguns reservas e lógico que Mineiro não é parâmetro porém senso crítico faz mal mas também faz, é um equilíbrio primeiro elogia e depois mete o pau, e depois vê analisa o que sobrou se é bom ou ruim, se foi sorte, acaso ou competência.

    Lá na roça eu vendo o jogo ao lado de três cruzeirenses, o primeiro disse só gostava de ver futebol mas não se conteve com o gol do seu time, o segundo só pensava no Galo e o terceiro disse o Elber já fez gol no Galo.

    Eu disse quando ele entrou “este aí a natureza marca”

    No gol da tombense que o Manoel estava igual ao Werley nos bons tempos ali já foi alertado mas a cegueira num deixa vê

    Já Galo venceu aos trancos e barrancos é assim que tem de ser no Mineiro se num der na bola vai na raça

  • Raul Otávio da Silva Pereira disse:

    Pronto. Aí está. Dois jogadores importantes do Cruzeiro fora por quase dois meses. E o ano está só começando. Isso que dá levar todo mundo para jogar contra Murici, São Francisco e cia ltda.
    Está faltando o Alisson, que surpreendentemente ainda não se machucou esse ano.

  • José Eduardo Barata disse:

    Hélio Antônio , Ed Diogo
    ===================
    Sobre o Spencer , jogou salão no Viajantes , com o
    Beto Arantes e o Ziza Valadares
    No América , na base .
    Foi para os azuis e lá conquistou o direito do passe
    livre , o primeiro a alcançar tal feito , em que pese a
    imprensa brasileira destacar que foi o Afonsinho , do
    Botafogo , a ter a primazia .
    Como sempre , eles sempre querem ter razão .
    Depois , GALO e campeão brasileiro .
    Por fim , México , onde ficou por muitos anos .
    É isso .

    • Helio Antonio Corrêa disse:

      Barata.
      Legal sobre o Spencer, jogou muito no Viajantes, lembro deles lá, era um baita time este do salão.
      Lembrei-me de um time que acho que vc. também viu jogar, veja se lembra?
      Adao ,Cicinão,Moacir e Eberval
      Daniel e Tao
      Dias, Paulinho (Paulinho cai cai), Raimundo e Ramalho
      Lembra-se deste time?

      Moacir,Eberval e Raimundo, foram vendidos ao” Vaxco” , destes 3 o Raimundo não conseguiu ficar mas Eberval e Moacir ajudaram a tirar o clube carioca da fila de 13 anos sem o titulo e foram
      campeoes carioca em 70.

      Outra do Moacir, ele ficou marcado também por ter participado do jogo em que o Pelé fez o milesimo gol.

      E ainda sobre o milésimo gol, após marcar de pênalti, o Rei é substituido e quem entra em seu lugar é o nosso grande JAIR BALA, lembra-se disto. ?

      • José Eduardo Barata disse:

        Esta foi uma das formações do Villa Nova .
        Quem sou eu pra acompanhar seus conhecimentos !
        A minha memória é pontual , registra feitos e fatos
        que me marcaram , nada mais .
        Como o Fluminense do Telê , o Bangu 66 , seu time
        da década de 60, os atacantes do Botafogo que em
        62 e 70 foram todos pra seleção,tendo sido cortado
        o Rogério , em 70 , por contusão …. enfim , histórias
        que nos foram contadas por grandes equipes e por
        grandes jogadores .
        Falar de bola é bom demais da conta , não é ?
        Casos como ter assistido Atlético e Democrata no
        Duarte de Paiva em cima de uma lage , acho que
        do banheiro , na lateral do campo .
        Meu Deus !!! , o que o GALO já nos fez viver ….!!!

  • Paulo F. disse:

    Impressionante a diferença do futebol apresentado pelo Galo do jogo contra o Tupi para esse do Tricordiano. Definitivamente não dá pra jogar com 3 jogadores defensivos no meio, o time perde MUITA criação. Gosto do Danilo, mas não dá pra jogar com ele e mais dois volantes no meio, não cria nada! Acho até que ele deveria ser titular no lugar do Fabio Santos, que não vem muito bem.
    Quando eu achei que o Roger tinha achado a formação, ele volta pra formação anterior… triste viu

  • ita disse:

    Concordo com tudo que o Beto disse sobre o Clayton nesse vídeo

    https://www.youtube.com/watch?v=RrJpYDyCmE8

    Aliás, estou ficando de saco cheio dessa parte exigente da torcida do galo, esse povo alto nível que tem como parâmetro a pujança e o perfeccionismo barcelonista, acham q compraram um pacote de vitórias quando fez sócio torcedor.

    Curioso que acontece mais no Indepa, onde prevalece a voz dessa turma, e é o mesmo perfil sócio econômico do povinho de internet q faz barulho e se acha a voz da torcida do galo e falam um monte de bobagem.

    Já me entristecia profundamente a discussão de qual estádio é o melhor (os dois são do galo e ponto), mas agora estou certo q o mineirão pelo simples motivo de ser mais democrático e representativa quanto ao q é a torcida, aquela turminha sofrida na vida, q cansada de reclamar na labuta do dia a dia, parece mais propensa a incentivar, a que levou o galo à virada em 94 contra um Corinthians melhor e levou um time até pior à final em 99, onde metade do elenco, se bobear, não teve o nível q o Clayton pode ter e mesmo assim foram incentivados.

    Vou resumir pra não deixar dúvidas, tirando ataques extremistas q vimos ano passado de alguns elementos da torcida contra a própria torcida, respeito toda e qualquer opinião sobre o galo, pq entendo q a torcida é tão grandiosa quanto diversa, o que quero é q prevaleça a diversidade nas manifestações e cada vez mais entendo q o mineirão é mais apropriado. Não precisa acabar com jogos no indepa, mas levantar a questão já é algo.

    • Jorge moreira disse:

      Ita, quem prefere o Mineirão é a imprensa por causa das mordomias principalmente o dono da radio de minas, que só sabe falar mau do Galo e reduzir o espaço de noticias, qualquer dia o tal carneirinho vai dedicar o mesmo tempo de noticiários do ameriquinha ao Galo, quem sabe o que é melhor pro Galo é a diretoria(sem o nepomusono tá) e a torcida o resto que fique calado principalmente o dono da radio de minas

      • ita disse:

        Digo isso tendo casa e vaga disponível pertinho do Independência pra usar a hora que eu quiser.

      • ita disse:

        Caro Jorge, por mim, me dava igual, detestava essa discussão da massa sobre a preferência porque ouvia tanta bobagem, q parecia q tinha torcedor com medo de um ou de outro. Deixava pra diretoria escolher e às vezes discordava, sem achar q havia algo grave. Mas pelos motivos expostos, prefiro o Mineirão.

    • Paulo F disse:

      Concordo com você Ita!! muito chato os corneteiros do Indepa, ninguém nem canta mais, você começa a cantar e o povo ao seu redor parece incomodado com o fato! triste!
      Eu critico mesmo aqui no blog, porque sou exigente com um bom futebol que agora voltamos a poder exigir, mas durante os jogos é apoio 100%.
      Eu nem me importo se perdermos jogando bem e lutando.
      Por isso vim aqui criticar o Roger, pois o time jogou muito bem mesmo com o Cazares no lugar do Danilo, melhor partida do ano, mas mesmo assim ele voltou com o esquema antigo… decepcionante.

  • Guilherme Leôncio disse:

    Chico, o Super Esportes traz um depoimento do ex zagueiro azul Gottardo sobre aquele fracassado e inédito projeto do Zezé Perrela e do técnico Nelsinho Batista, para contratar 4 selecionáveis para um jogo só e ganhar o Mundial sobre o Borússia. Para o Zezé era o título dos seus sonhos, enquanto para Wilson Gottardo, uma das maiores decepções de sua vida futebolística. Kkkk!!!!

  • Marcão de Varginha disse:

    Mano teco-teco desceu a ripa na arbitragem, que segundo ele, prejudicou seu time… mi-mi-mi demais e pouco futebol.
    – O time celeste tropeçou de novo na arrogância, no scarpin de bicos e saltos finíssimos, e de novo aquele dirigente chegou depois da arbitragem ter entrado em campo!
    – #benecyeternomito

  • Jorge moreira disse:

    Onde andam os que gostam de comentar sobre as coisas do Galo hem, hoje é dia de lavarem as …sujas

  • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

    Eu tô falando…
    Venho avisando há tempos pra Torcida do Cruzeiro não se empolgar à toa… O time evoluiu sim em relação ao ano passado. Mas o ano passado nem pode servir de parâmetro, uma vez que foi um dos piores anos da história do Cruzeiro. Então, a melhora que o time foi em relação ao ano passado, mas isso não quer dizer que será suficiente pra encarar os grandes jogos de fato deste ano.
    Aquele tal de Elber… Pelo amor de Deus !! Como um jogadorzinho desse consegue fazer parte do elenco de um time de Série A ?? O cara já teve 11.386 chances e nunca emplacou, até quando vão dar espaço pra um jogadorzinho assim ??
    Então, se o Cruzeiro quer de fato lutar por algo importante este ano, tem que melhorar muito, mas muito mesmo.

  • José Eduardo Barata disse:

    Falava eu em outro comentário sobre os bravos de
    nossa imprensa .
    Não posso deixar passar um primor para avaliação de
    todos vocês , acontecido no jogo dos azuis ontem .
    Perguntado pelo Rogério “será” Correa sobre o tempo
    de acréscimo , coisa absolutamente sem interesse na
    narração , o Márcio (alô , Inter ) de Freitas começou a
    discussão entre eles se seriam 03 ou 04 minutos , e
    o Márcio “defendendo” 04 minutos .
    Ao ser mostrada a placa com 05 minutos , o ex-juiz
    disse , em alto e bom som : MELHOR AINDA !
    Melhor por quê ? Melhor para quem ?
    Eu , hein ?

    • Tarcísio Coimbra disse:

      Observei isto durante a transmissão. O que mais impressiona é Resende pedindo cartão para os atletas do Tombense e do outro lado ele amaciava. Não se pode criticar o time azul senão cria crises. O Mano só falta tomar o apito do árbitro. Como sempre, nossa diretoria é muito ruim em termos de tabela: faremos as duas últimas partidas fora. Já acostumei com o Galo jogando mal fora de casa, menos mal que venceu. Apesar dos 100% no Mineiro, não me iludo. O time do Galo é fraco. Elias ressente jogar ao lado do soneca Rafael Carioca e do Danilo na meiuca. Diferente de jogar ao lado de Ralf, Jadson e Renato Augusto e na seleção. Os laterais são inconstantes, a zaga é fraca, falta armador e um velocista pelos flancos como o Tardelli ou Bernard. Abraços.

    • Tonho ( Mineiro ) disse:

      Serio ???? entregaram a torcida assim ao vivo e a cores ???? kkkkkk

  • Alisson Sol disse:

    A realidade é simples: O desinteresse pelo Rural é tão claro, que qualquer post sobre o Bruno gera muitos mais comentários. Hora de explorar como acabar de vez com este evento deficitário.

  • Ademilson disse:

    Chico, estava olhando a situação do Democrata-GV, a FMF foi muito rígida na tabela com a equipe. Foram duas sequências de jogos fora, em um torneio com 11 rodadas é um castigo. Pode ser que o time consiga evitar o retorno ao módulo 2. Veja a sequencia de jogos: america (c), uberlandia (f), URT (f), Vila (c), Atletico (c), Tombense (f), Tricordiano (c), Tupi (f), Caldense (f), America-TO (c) e Cruzeiro (f). Agora pergunto, porque não fazer uma tabela, com a sequência de um jogo fora e outro em casa? Os times do interior já dão um duro danado para se manterem, quando chegam a divisão principal são tratados assim.

  • Alex disse:

    Público/renda: Público: 8.161 e Renda: R$ 143.806,00.”
    Ps: só tem um jeito do Pirangi conseguir ultrapassar a marca dos 10000 torcedores no Mineirão….jogar contra o Galo….e olha a média dos ingressos, qual a desculpa agora?…e o Money?…chorando como sempre e descontrolado…kkkkk….e como dizia o “blogueiro” Thiago Never:”esse time é imbatível”………..kkkk…se bem que o time ainda não perdeu….kkkkkkkkkkkkkkk

  • José Eduardo Barata disse:

    Falta de jogo em campo , falta de noção nas transmissões .
    Sou crítico e não arredo pé de minhas opiniões .
    Como esta :
    duas jogadas de área , uma que resultou no primeiro gol e
    a outra em cabeçada do Otero .
    As duas executadas pelo Danilo que se movimentou para
    receber em condições de cruzamento , pela direita , com a
    bola sendo colocada na área de …pé direito !
    No intervalo , o que ouço ?
    Que o Danilo precisa se posicionar melhor , porque quando
    recebe a bola pela direita ele precisa “arrumar” o corpo , ‘tá
    sempre com dificuldades no domínio , e que seria melhor se
    ele ajeitasse a bola para o Rocha caprichar no cruzamento ,
    tudo porque ele é canhoto .
    Eu devo ter visto outro jogo .
    Eu devia estar dormindo .
    Acho que estava vendo algum filme .
    O cara faz o básico , deixa a bola correr , olha para a área ,
    coloca no pé do Fred e na cabeça do Otero e a gente ouve
    essas bobagens de manual, de apostilha do curso que essa
    turma frequentou .
    Deus me livre !!!!

  • José Eduardo Barata disse:

    Três pontos , oito vitórias , uma montanha de gols
    de diferença para o segundo colocado , que beleza !
    Mas que p-e-l-a–d-a !!!!!!!!! Mais uma .
    Peço aos teóricos das pranchetas , dos números e dos
    botões que me expliquem como foi aquele esquema de
    sábado :
    1.2.3.4 ? 4.3.2.1 ? 4.6.0 ? 2.3.5 ? 1.8.1?
    Meu Deus !!!!
    Excetuando-se duas ou rês jogadas no primeiro tempo
    com alguma lucidez , jogadores se movimentando para
    receber um passe para conclusão , nada mais foi visto .
    Pelada de fim de semana .
    Os caras voltavam para pegar a bola e saiam correndo
    feito loucos para o ataque .
    Cada hora era um .
    E a defesa se virava como podia .
    E os cruzamentos ? E os lançamentos ? E as jogadas
    “pelos lados do campo” ? (essa expressão é massa ,
    queridinha dos comentaristas) .
    Ah , falar em cruzamentos , o Clayton foi perfeito .
    E “vamu que vamu” , porque , pra mim , o que me
    interessa é vitória do GALO .
    E sábado foi uma daquelas que é a cara do time :
    na vontade e no arranca-toco .

  • Julio Avila (Mariana) disse:

    A pre temporada azul continua,um resultado inesperado no trajeto mas nada que não vamos corrigir e melhorar.Rural é pra testes mesmos quem preocupa muito com rural é time que não é acostumado a levantar taças diferentes.o atleticano ficou mais feliz com o empate do cruzeiro do que com a vitoria de seu time,normal,eles estão desesperados atrás da vantagem de jogar por 2 empates no mata-mata!

    • Jorge moreira disse:

      Porque desesperados a quanto tempo o seu time não chega na final, voçê continua garantindo que o seu time vai chegar na final continua, ou vai continuar sendo o eterno dono da secadora, menos, mariana, humildade chegue na final e depois comente porque faz tempo que voçê só se presta a ser dono da secadora e comentar coisas do Galo e por falar nisto voçê esqueceu de falar do Kalilzão ainda da tempo pode comentar sobre o seu eterno idolo o Kalilzão já que o benecy mito voçê o abandonou de vez

    • Alex disse:

      ….desesperado tá é o seu time que corre o risco de ficar de fora das finais pelo terceiro ano seguido…..kkkkkkkkkkkkk…..

    • Helio Antonio Corrêa disse:

      JULIO AVILA
      Permita-me discordar. Com todo respeito, mas veja só:
      Se o Rural é para treinamento como vc. mesmo disse, porque então não experimentar novas formaçoes? porque sempre Henrique/Cabral? porque sempre Alissom,? pq.não experimentar por um bom periodo o Abila?
      Isto posto, lhe digo como cruzeirense que sou.
      Nao estamos reclamando do resultado, estamos reclamando e muito , é do futebol jogado(ou melhor a ser jogado) este filme amigo, nós vimos no ano passado com o Deivid e não gostamos do final.
      É somente isto que estamos reclamando. Se podemos fazer um time melhor, porque será que a pirraça do treinador tem que prevalecer?
      Nós ja conhecemos este lado pirracento do MM. lembra-se ano passado do Bigode? foi a mesma coisa, ter que aguentar Leo na zaga, Henrique/Cabral juntos, Alissom no ataque é muito para qualquer torcedor.
      Veja outra pérola:
      Quando o time não tem o Abila, (quase nunca tem) ha jogadas pelos lados do campo e não tem quem as aproveita.
      Bem , aí o MM coloca o Abila, e a jogada não aparece mais, isto é o que?
      Resposta: time mal treinado, e o gringo fica feito barata tonta no ataque.
      É disso que estamos reclamando, se o Rural é para experiencias , então que os faça.?

  • Amaury Alkimim disse:

    Bom Dia! O lado positivo dessa campanha regular no Mineiro do meu Cruzeirão é que não nos deixa iludidos. Acho que para passarmos pelo São Paulo teremos que jogar o que não jogamos até agora. Muito difícil, portanto. Penso que se continuar nessa toada vamos lutar para ficar entre os 10 do Brasileirão. O time realmente é melhor do que o dos últimos dois anos, mas ainda é limitado e tecnicamente fraco. A prudência exige de mim uns dois meses para formar esta opinião. Até que Mano tem tentado e testado todo o elenco (o lado negativo disso é que compromete o conjunto, mas é necessário), mas o time não deslancha. Vem o clássico e já liguei a luz amarela…

  • BRG disse:

    Não foi um futebol muito parecido com o time do início do ano passado (David)? Tocou, tocou bola para os lados, porém, o meio de campo não conseguiu criar um bom número de jogadas que prestassem. O que se viu, foram os zagueiros tentando fazer ligação direta.

    Infelizmente, houve melhora em relação ao ano passado, porém, muito pouca e insuficiente para credenciar a equipe a disputar títulos.

    Para início de conversa, há peças no elenco que não têm qualquer condição de estarem no Cruzeiro. Ezequiel é limitadíssimo, faz no máximo o feijão com arroz. Léo é muito lento, um zagueiro muito fraco, que não seria nem segundo reserva no rival. Henrique está mal, é lento, frouxo na marcação e tem errado muitos passes. Elber é fraco, nunca fez nada, não entendo a insistência com este péssimo jogador. Por fim, o Ábila é horroroso, esqueçam este cara.

    Por outro lado, Rafael, Diogo, Ariel, Alisson e Sóbis tem jogado bem e são ótimas opções ao time.

    • thiago disse:

      Discordo de vc. O time como um todo e muito bom, e tem jogado bem, ontem apenas refletiu o que vinha acontecendo, o Cruzeiro faz 1 × 0 e senta em cima do resultado e acha que vai marcar outro a hora que quiser (o claytinho ja tinha falado isso).
      Sobre o Ezequiel ele deu equilíbrio na marcação e no apoio, ontem jogou mal mas nem de longe e péssimo como vc fala. Achei que ontem no lance do gol do tombense foi aquela falta de atenção coletiva, falta entrar mais pilhado, mais aceso. Henrique foi frouxo na marcação, o Leo foi lento e o Manoel idem.
      Mais isso funciona como um sinal amarelo pro time que acha q estava nos cascos e ainda precisa melhorar.
      O saldo negativo foram as contusões do Robinho e do Henrique. Mas temos elenco pra repor bem esses caras. Acho que no lugar do Henrique vai entrar o Lucas Silva e Thiago Neves deve ser recuado pra posição do Robinho.
      Vamos as semifinais e as finais do campeonato Mineiro e vamos dar um choque de realidade nas frangas. Pode pagar pra ver!

      • Pedro Vítor disse:

        Que papo bom

        Misture um passeio na lua com a realidade

        Como diz lá pros lado de Conselheiro Mata : “Benza Deus”

      • Alex disse:

        …esse “choque de realidade” vc tem que oferecer para o eu time mesmo…a realidade é que vcs não chegam as finais há 2 anos…..se vc vivesse de realidade, já teria experimentado esse choque….kkk….esse aí é bom nas piadas também…kkkk

      • Leandro Fábricio disse:

        Choque de realidade??? kkkkkk se enxerga cara vcs estão ha dois anos seguidos sem sequer chegar a final do campeonato regional kkkkkkkk se chegar a final já será lucro pra vcs

  • Leandro Fábricio disse:

    Uai teve time aí que levou um tombo hj no mineirao hein kkkk, o barcelona das américas tropeçou feio…

    Tô falando que os simpatizantes azuis estão iludidos com esse time que eles tem, rafael sóbis pura enganação, elber e allison pipocas que nunca estouram e por aí vai…

    elenco caro e fraco, a imprensa azul adora falar dos salarios de robinho e fred no atlético e se esquecem que thiago neves e sóbis recebem verdadeiras fortunas no enseada, sem contar fabio, henrique, o trapalhão dedé que não joga ha 2 anos etc etc.. pra vcs verem que manoel que até pouco tempo era reserva e nunca foi unanimidade nos felpudos recebe cerca de 380 mil no enseada kkkk…

    mas espero que os simpatizantes do time azul calcinha continuem assim, iludidos com o barcelona das américas deles…

  • Leandro Fábricio disse:

    O jogo do galo foi um jogo de pouca relevancia, na minha opinião o atlético pouco ou quase nada evoluiu em termos de bom futebol e continua um time lento e pragmático apesar de estar jogando contra times fraquissimos do campeonato regional… uma boa partida do felipe santana, vamos ver se vai continuar assim ou não, apesar da altura continua muito mal nas bolas aereas parece mais erros de posicionamento… uma coisa me chama a atenção em roger machado desde a sua chegada aqui no atlético, roger machado sempre queima a terceira substituição muito cedo, já vinha observando tal fato em jogos anteriores e ontem a coisa se repetiu, teve um jogo que maicossuel atuou machucado boa parte da partida fazendo numero em campo porque roger machado tinha feito as tres substituições cedo demais… ontem ele tirou fred no intervalo, até aí tudo bem porque fred sentiu o tornozelo e foi por precaução, com 12 minutos do segundo tempo ele queima a segunda substiuição, e já aos 18 minutos ele já ia queimar a terceira substituição como fez, ele ia colocar o yago no lugar do elias mas como o galo segundo antes da substituição tomou o gol de empate, ele trocou yago por clayton, se o galo toma o gol alguns minutos mais adiante, ele ia queimar a terceira substituição cedo demais e com o atleta errado… nunca vi treinador nenhum queimar as tres substituições com 18 minutos do segundo tempo…

    no mai é aguardar..

    • Frederico disse:

      Entendo que o Roger está com uma base mas aproveitando pra testar opções em jogos pra ver como o time comporta. Brasileirão tem cartões e lesões e nada melhor do que o técnico saber quem escalar e até mudar o time sem perder a qualidade. Campeonato Mineiro é pra isso mesmo. Teste pois só joga com baba