Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Wanderley Luxemburgo está bravo com quem diz que ele e outros mais rodados estão ultrapassados. Com razão!

Continuo considerando-o um dos melhores do Brasil, mas discordo da justificativa que ele dá para o fato de não estar empregado em um clube da prateleira de cima. Ele se considera discriminado pela idade. Está com 65 anos. Tenho certeza que não é isso que provoca o sumiço de grandes propostas e sim as polêmicas nas quais ele se envolveu ou foi envolvido. E são muitas, né?

Mas ele tem razão quando diz que parte da imprensa fez colar a ideia errada de que treinador brasileiro não presta, que não se moderniza e etecetera e tal. Há grandes treinadores, novos e velhos de idade, como sempre houve em nossa história. Essa valorização exacerbada do futebol europeu e seus “professores”, embalada pelo “futebol comercial” da grande mídia (como diz o José Luiz Gontijo) está jogando o futebol brasileiro para a prateleira de baixo no mundo, devolvendo-nos ao “complexo de vira-latas”, como diria o Nelson Rodrigues. Semana passada a contratação do Felipe Coutinho pelo Barcelona ganhou mais espaço na imprensa brasileira que os nossos clubes, em Minas então foi uma festa. Atlético e Cruzeiro ficaram em cantos de páginas e rodapés. O América reduzido a algumas linhas e o interior do estado continuou inexistindo. E olhem que o Campeonato Mineiro está prestes a começar, hein!?

Neste embalo, vejo os nossos clubes gastando fortunas nas categorias de base sem ter o retorno proporcional. Também pudera: os dirigentes dessas bases mandam buscar jogadores para testes lá “nos cafundó” do país, no Nordeste, São Paulo, Rio, Sul e etecetera, se esquecendo da própria Grande BH e interior, que sempre foram minas férteis de grandes jogadores. É só consultar a história, antiga e recente. Mas buscar longe rende mais para muita gente. Como diria o saudoso Leonel de Moura Brizola: “são os ‘interésses’ inconfessáveis”.

Voltando à reclamação do Vanderlei Luxemburgo, um belo exemplo para quem diz que treinador acima dos 60 anos está ultrapassado é o Zezé Moreira, que conduziu o Cruzeiro ao título da Libertadores de 1975. Quando, aos 68 anos, foi anunciado como o novo técnico, o presidente Felício Brandi tomou porrada de todo jeito. A imprensa quase toda dizia que o Felício também estava “gagá” e que o Cruzeiro estava retrocedendo. Pois o “seu” Zezé foi quem soube utilizar da melhor forma os jogadores que tinha à disposição e “modernizou” a forma do time jogar. Ficou quase três anos no cargo e entrou para a história como um dos melhores treinadores que já passaram pelo futebol mineiro.

Confira a entrevista do Luxa, publicada hoje pelo SuperFC:

* ‘Existe preconceito no futebol com os mais velhos’, diz Luxemburgo

O treinador está sem trabalhar desde que deixou o Sport, em outubro do ano passado.

Agência Estado

Vanderlei Luxemburgo está bastante incomodado. A situação do futebol brasileiro e a busca por se espelhar no modelo europeu levaram o técnico de 65 anos a reclamar bastante durante a cerca de uma hora de entrevista exclusiva ao Estado, na última terça-feira. Sem trabalhar desde que deixou o Sport, em outubro do ano passado, o treinador afirmou que profissionais da idade dele têm sofrido rejeição depois da Copa do Mundo de 2014

Quando vai voltar a trabalhar?

Vamos esperar surgir alguma coisa que eu possa realizar. Recebi algumas ofertas. Eu quis ficar até o fim do ano curtindo minha família. Surgiram algumas coisas que não me interessaram, de fora do Brasil.

Hoje é mais difícil ser técnico?

Os jovens de hoje estão mudando os conceitos que sempre existiram no futebol brasileiro. O que é moderno para você hoje no futebol? Na verdade é tudo uma mudança de nomes. Vejo um conceito de moderno criado externamente e trazido para o futebol Os jovens treinadores que estão se formando hoje estão simplesmente mudando o nome de ponta para extrema, de contragolpe para transição. Pegam esses nomes para dizer que é moderno. Deixamos de ser referência para o mundo para buscar referências na Alemanha, Espanha e Itália… Naquele futebol pragmático.

Quando teve essa ruptura do Brasil com suas origens?

A partir de 1990, quando começamos a implantar aqui os três zagueiros. Acabamos com os laterais, com o meia-esquerda e começamos a achar que tínhamos de imitar os europeus. Mas o que eles têm para nos mostrar?

Tem como corrigir?

Precisamos ter um projeto de governo para o futebol brasileiro, criar centros de excelência para a prática do futebol nas favelas, nos subúrbios. A especulação imobiliária chegou e acabou com os campos de várzea. Temos que pegar nossas raízes e fazer um projeto, sem imitar nada lá de fora. O futebol é patrimônio nacional. Temos que proteger uma matéria-prima do Brasil, como são o petróleo e o aço. Estão batendo na tecla errada da modernidade. Ficam falando que o Luxemburgo está ultrapassado, que o Levir (Culpi) está ultrapassado… Quando cheguei, com 40 anos, o Telê Santana tinha mais de 60 e não era ultrapassado nem o Zagallo. Por que agora nós estamos superados?

Então o senhor tem sido vítima de preconceito pela idade?

Criaram isso depois da última Copa do Mundo, de que os técnicos brasileiros, depois do 7 a 1, ficaram ultrapassados e não acrescentaram nada para o futebol. Esse preconceito já me fechou muitas portas. É um preconceito do momento que estamos vivendo aqui. Parte da mídia pediu mais técnicos estrangeiros por aqui.

O 7 a 1 criou uma reação muita exagerada?

Muito! Foi desproporcional. A reação não poderia ter uma influência tão radical como teve no futebol brasileiro. Estão extrapolando demais na necessidade da mudança. Tem espaço para todo mundo, de qualquer idade. Não existe cara velho, existe cara experiente. Um escritor não serve por estar velho? O Galvão Bueno vai ter de parar de transmitir jogo por causa da idade? Se você conversar comigo sobre modernidade, eu vou saber falar sobre qualquer segmento. Eu vivo com meus netos de 15 anos, danço rap com eles para acompanhar. Por que técnico fica velho e é tido como acabado? Você fica mais sábio.

Por que depois do senhor e do Felipão, mais nenhum brasileiro dirigiu times grandes na Europa?

Será que é necessário nós irmos mesmo? Tem a discussão sobre o motivo de não sairmos do Brasil. Nós vivemos bem e ganhamos muito bem aqui. O argentino e o chileno vão porque ganham uns 20 mil dólares por mês. Então o cara vai arriscar. É maravilhoso ter a oportunidade de trabalhar na Europa, é claro. Mas se não for, não tem problema. Você não deixa de ser um excelente técnico por causa disso.

O Brasil teria treinadores em condições de trabalhar lá?

É só você ver nossas dificuldades. Fizemos trabalho aqui com três dias de pré-temporada. Nós somos preparados. Levei fisioterapeuta para trabalhar comigo no Real Madrid. Não tinha. O time do Zidane, do Raul, do Ronaldo não tinha avaliação com o histórico do jogador. Como vou lá aprender alguma coisa se eu levei isso para lá?

Qual elenco foi o mais difícil para você trabalhar?

Todos são complicados. Em um elenco de futebol, tem que ter um cara que é bagaceiro, sabe? Um cara que gosta de algumas coisas diferentes, de uma p…, de uma namorada, de uma farra. Boleiros são jovens. Tem também o cara que é da igreja e isso a gente respeita. Dentro de um time de futebol não prevalece preferência por religião. A religião é a do clube, então todo mundo tem que rezar a cartilha do clube. Você pode ser evangélico, católico, macumbeiro, pode ser o que quiser. Time de futebol muito comportado não dá certo. Tem que ter um maloqueiro.

O jogador de hoje é bem diferente do da sua época?

O ambiente do vestiário é totalmente diferente do que o de alguns anos. Os jogadores não se envolvem tanto com seu projeto, a sua participação, com os colegas. Já vi jogadores meus saírem na porrada no vestiário e eu incentivei porque depois eles tinham que brigar com os adversários. Hoje em dia, a assessoria de imprensa já liga, passa uma informação para alguém, o empresário entra na história. No Palmeiras eu falei para o Evair que ele precisaria se prejudicar e jogar recuado para deixar o Edilson e o Edmundo no ataque. O Evair entendeu. Se eu fizer isso hoje, o jogador liga para o empresário para reclamar. O vestiário agora é superlotado. O jogador sai da palestra e em vez de se preocupar só com o jogo, fica com o celular e o fone de ouvido.

https://www.google.com.br/search?ei=Y3NXWqixNIrGwAT1irDoDg&q=treinador+de+futebol+paulo+cesar+carpegiani&oq=treinador+de+futebol+paulo+cesar+carpegiani&gs_l=psy-ab.3…3213.11550.0.12302.23.23.0.0.0.0.183.2620.0j21.21.0….0…1c.1.64.psy-ab..2.3.353…0j0i22i30k1.0.L45z2ECYULQ


Deixe uma resposta para Luiz ibirite Cancelar resposta

Comentários:
28
  • Horacio V Duarte disse:

    Caro Chico Maia, acho que o Luxemburgo já tem seu lugar garantido na história do futebol, mas acho também que não evoluiu. Parou. Digo que até piorou, todo time que treina acaba na zona do rebaixamento, estes são os resultados atuais dele.
    O problema do futebol nacional não é apenas treinador, é também. Mas tem o efeito mídia, muita pressão por resultados imediatos, excesso de jogos e de campeonatos. Além disso o mercado de mídia é monopolizado, o mercado publicitário na espanha não deve ser maior do que o brasileiro, e lá os times faturam muito com mídia e direitos de imagem. Porque?
    Isto também resulta na incapacidade dos clubes de manter bons jogadores, os melhores sempre saem. O futebol também tem que manter o dinossauro CBF, se não me engano, faturou 1 bi com o futebol ano passado, e não tem que manter jogadores, comissões técnicas, estádios…. nada, comandado pelo… pelo.. sei lá, por sujeitos sem qualquer relação com o futebol ou com os clubes.

  • jorgemoreira disse:

    Heheheheheheheheh este decadente sempre gosta de aparecer

  • Rafael disse:

    Luxa gosta de se envolver em polêmicas, faz parte de sua forma de aparecer. Teve seu caráter colocado em jogo em aglumas sotuações. Já ganhou mta $$$, não precisa mais trabalhar. O resultado é a falta de vontade, vontade de trabalhar duro, de se renovar. Os resultados estão aí nos últimos anos (e quantos anos!) campanhas pífias por onde passou.

    E é o típico treinador que só gosta de trabalhar com jogadorea prontos, com uns que já conhece. Forma grupinhos, sua panela.

    Não faz falta ao futebol um cara assim. Pode encerrar a carreir.

  • Renato César disse:

    Numa conversa lúcida, você vê que o “Profexô” ainda entende bem de futebol. É um dos últimos exemplos “raiz” dos técnicos. Mas por quê ele não conquista mais nada e não para mais em clube algum? Obviamente está faltando uma evolução na sua carreira.

    Para mim, falta a ele a habilidade para discursar. Ele perde os grupos à medida em que muda seu discurso diante dos resultados. É a famosa conjugação verbal futebolística dele: “eu ganho, nós empatamos e eles perdem!” Neste ponto, Abel Braga e Levir Culpi são mais polidos.

    Se não aprender a lidar com isto, o máximo que ele pode conseguir é ser um coordenador técnico de um clube ou seleção. Tipo um Zagallo do Parreira em 1994. Só que aí ele terá que entender que o salário é outro, entre 6 e 7 vezes menor.

  • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

    Quaquaquaquááá….

    Mas o maior rival é o Flamengo…. kkkkk ok

    “Cccccceeeeiiiiiii”…. kkkkkkkk

  • Tonho ( Mineiro ) disse:

    Triste realidade, voltei ao Brasil para viver a cerca de 2 anos e estive morando por 2 anos ai no Brasil, quando cheguei fiquei assustado de como o futebol Europeu e forte no Brasil, ate deu para entender o porque do futebol Brasileiro ter perdido a forca aqui fora, 80% desta perda credito a corrupcao da cbf. Antes Brasil era referencia , hoje o futebol Brasileiro e piada aqui fora. E o pior esta por vir com a diferenca que a midia passa de dinheiro aos times de Rio e Sao Paulo e tambem na midia este enDeusamento dos times e jogadores comuns na Europa.

  • J.B.CRUZ disse:

    WANDERLEY LUXEMBURGO DA SILVA: Já Tem seu Nome Gravado na História do Futebol Brasileiro de Todos os Tempos..Seguramente está Entre os 10 melhores..Em Uma lista de 5 melhores Técnicos na História do CRUZEIRO; Aparece em terceiro para mim….
    CRUZEIRO SEMPRE !!..

  • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

    Sinceramente, não sei como está o nível de conhecimento do Luxemburgo atualmente, mas serei eternamente grato a ele pela nossa Tríplice Coroa em 2003… Feito jamais alcançado por nenhum outro time do Brasil !!
    Que ano mágico aquele de 2003 viu…
    Valeu Luxa !!

    • Renato César disse:

      Em 1992, o São Paulo conquistou: Copa Intercontinental, Libertadores, Regional. Em 1993, conquistou: Copa Intercontinental, Libertadores, Recopa, Supercopa. Eles seriam campeões de uma Tríplice e de uma Quádrupla Coroa? Ou bicampeões da Tríplice Coroa?

      Obs: citei o São Paulo só para ficar isento.

      • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

        Caros Renato César e Victor Maia,

        Mas no Brasil o que é considerado como Tríplice Coroa, pelo menos por praticamente todos programas e cronistas esportivos, é a conquista no mesmo ano do Título Estadual e dos outros dois Campeonatos Nacionais ( Brasileiro e Copa do Brasil ) no mesmo ano.

        Abraços

        • DUDU GALOMAIO BH disse:

          Como é que é, Clayton?
          “No Brasil é considerado tríplice coroa”?
          Engraçado… antes de 2003 esse termo nunca havia sido usado, por times que pudessem alcançar tal feito. Até porque, TODOS SABEM QUE A TRÍPLICE COROA LEGÍTIMA COMPUTA CAMPEONATO NACIONAL, COPA NACIONAL E COPA CONTINENTAL.
          Agora, se você disser que “NO BRASIL, ISSO FOI TÃO REPETIDO PELOS CRUZEIRENSES E ECOADO PELA IMPRENSA AZUL, FORÇOSAMENTE, COMO UMA ‘SUPOSTA’ TRÍPLICE COROA, TOTALMENTE IMPROVISADA…” acho que fica bem mais realista.

        • Renato César disse:

          No Brasil que você diz é o terço azul de Minas Gerais, né?! Na metade vermelha do Rio Grande do Sul, por exemplo, eles falam em tríplice coroa colorada, com foto do falecido Fernandão divulgando a “conquista”!

          Em São Paulo ninguém fala nada a respeito disto. É só um título sem troféu, tipo um Campeão do Gelo, algo que rotula algum feito do clube mas que não teve volta olímpica. Como é do clube, costuma ser defendido somente pelos próprios torcedores e ignorado pelos torcedores rivais.

      • Victor Maia disse:

        O Internacional também ganhou 3 títulos incluindo um Gauchão. Questionado na época na Band Minas, o então presidente do Cru cru Alvimar Perrela disse que a inventada Tríplice Coroa deles não valia. Kkkk!!!!

  • Lucy disse:

    Vamos à cronologia Atleticana:

    Dez/16 e Jan/17 Torcedores nutella comemoram a chegada do Roger e os “reforços” anunciados… O torcedor raiz Dudu GaloMaio crava em nosso Grupo: “não se empolguem com o elenco desse ano porque não vão ganhar nada, toda vez que a torcida se anima o time fracassa”.
    03/12/17 Em um jogo ridículo o time do Atlético sofre contra os reservas do Grêmio, no apagar das luzes, venceram e estavam conquistando (sem merecer) uma vaga na pré Libertadores, até que Túlio de Melo (ironicamente formado nas categorias de base do Galo) faz um gol no finalzinho do jogo lá e dá a vaga à Chapecoense.
    04/012/17 Torcedores nuttela se desesperam, pois para eles não ir à LA seria o fim. O torcedor raiz que viu ou conhece a decepção com a SELEGALO e as frustrações de 77, 80, 81, entre outras, sabe que é mais uma vez hora de recomeçar.
    11/12/17 Sérgio Sette Câmara é eleito presidente do CAM. E logo anima o torcedor raiz, pois demonstra não ser influenciável igual seu antecessor que atendendo aos pedidos dos nutellas errou desde a demissão do Levir à contratação e demissão do Roger.
    21/12/17 Surgem os primeiro rumores de que Ricardo Oliveira estaria vindo para o Galo. O torcedor nutella esbraveja por causa da idade avançada (será que se lembram do Ricardo Bueno e do Mexerica?), o raiz prefere enxergar o ”copo meio cheio”.
    23/12/17 MANHÃ: é anunciada a saída do Fred, a torcida sente um alivio. TARDE: Fred assina com o Cruzeiro, a torcida se irrita, pois teríamos “reforçado” o rival de graça. NOITE: Vêm à tona os termos da rescisão, Fred perdoou uma dívida de 3,5milhões e aceitou uma multa de 10milhões, a torcida comemora! No CAM apenas será lembrado pelos gols que NÃO fez contra o Jorge Wilstermann e contra o Corinthians.
    27/12/17 Marcos Rocha fecha com o Palmeiras. O nutella comemora, para eles o Galo ficou livre de uma “avenida”. O raiz que se lembra, entre outros, do Sheslon, Evanilson, Michel e Luisinho Neto, ficam apreensivos.
    04/01/18 Torcida organizada faz protesto na apresentação dos jogadores, mas já? Porque não fizeram antes? Estariam eles dando o “cartão de visitas” aos novatos de que se não receberem ingressos gratuitos a baderna se instaura?
    08/01/19 Cazares fala sobre dividir o quarto com o RO… Conseguirá o Pastor ajudar a resgatar o “Pelezares” que algumas (poucas) vezes nos encantou ou continuaremos nos aborrecendo o “cachazares”?
    09/01/18 Fábio Santos fala que o time está mais equilibrado, lembrando da declaração do Elias pós saída do Fred, onde disse que “menos é mais”, ao que tudo indica a fama de desagregador não era injusta, a maçã podre se foi…
    10/01/18 É anunciado o nosso maior “reforço” do ano, o zagueiro Erazo foi emprestado ao Vasco.
    Alguns torcedores Atleticanos nutellas ainda não entenderam que aquele time de 2013 não volta mais… Precisam aprender que torcer é mais do que tudo APOIAR. Tem ainda alguns que mesmo sendo raiz gostam muito de cornetar (não é mesmo Alex?), o momento é de transição, vamos ter paciência. A base de um Time Campeão é a tríade: Uma Diretoria que bem administra. Um elenco comprometido. E Torcedores que apóiam.
    Estamos desanimados esse ano, ainda não houve uma contratação que de fato nos “enchessem os olhos”, por isso volto ao início da cronologia; segundo a teoria do Dudu GaloMaio isso pode ser um bom sinal. Vamos aguardar

    Enquanto isso do outro lado da lagoa.

    O presidente Wagner Pires logo após eleito já mostrou a que veio quando rompeu com o até então aliado “doutor” Gilvan e se uniu ao senador. O senador volta para o Cruzeiro em um momento em que o nome dele teria sido delatado em uma investigação do FBI em ação que tramita na Corte de Nova Iorque sobre questões referentes à CBF, ressaltando que o time desse senador é o único fora do eixo que ganhou o CB na era dos pontos corridos sem ter qualquer problema com a arbitragem, e por pura sorte das 6 finais da Copa do Brasil disputadas 4 foram em casa (inclusive a de 2014, alguém aí se lembra?). Continuando na família que usa sobrenome alheio, o aprendiz de cartola Gustavo Perrela irá assumir cargo na CBF, aquela mesma que está sendo investigada nos EUA… O que dizer do Itair Machado? Que suas lambanças afundaram o Ipatinga? Que foi acusado de ameaça de morte por Vicintin e Gilvan? Que responde processo judicial por ter cobrado dinheiro do pai de um jovem para que colocasse o filho desse nas categorias de base do Cruzeiro e não cumpriu? Que seria sócio do agente do Bruno Silva (que estaria “penhorado” para pagar o pai desse jovem), esse mesmo que ele trouxe por 10milhões, mas não pagou 5,7milhões pelo Hudson? Melhor falarmos de questões práticas, o senhor Itair teria condenação penal transitada em julgado o que contraria o Estatuto do Cruzeiro, certamente alguém irá (ou já o fez) questionar isso judicialmente. Diante dos fatos é possível dizer que o senador talvez volte a assumir a presidência do time azul ainda nesse mandato (se não for nomeado Ministro do Esporte)…
    Apesar dos títulos, por conta do aumento da dívida e das trapalhadas Gilvan e seus asseclas foram apelidados de Os Três Patetas. Essa gestão que se inicia poderia chamar de IRMÃOS METRALHA?!

    OBS: Todas as informações sobre Zezé Perrela e Itair Machado foram retiradas do Blog do Paulinho.

    • Tonho ( Mineiro ) disse:

      Gostei das informacoes sobre o pirangi, eu nao sigo as paginas policiais no Brasil e este resumao mostrou bem como a Mafia ainda esta viva no Brasil. Agora sobre a cronologia do nosso Galo, nao concordar com contratacoes e algumas coisas de nossa diretoria classifica alguem como torcedor Nutella ?? nao entendi !!

  • Raul Pereira disse:

    Não tem preconceito contra treinador mais “erado”.
    O que existe é uma entressafra, na qual “o velho já morreu e o novo não nasceu ainda”.
    Esse senhor, por quem a torcida do Cruzeiro tem gratidão – afinal, ganhou um Brasileiro depois de 37 anos (1966-2003) devia era passar óleo de peroba na cara.
    Um grande cara de pau, que ganhou títulos com máquinas montadas por Palmeiras, Corinthians e Cruzeiro e passou a se achar a última bala do pacote. O pica da galáxia. A bala do Kennedy.
    Nenhum resquício de humildade. Arrogante e pretensioso.
    Não tem espaço mais prá ele – mesmo que os novos treinadores via de regra estejam patinando, alternando muitos momentos ruins com alguns poucos momentos bons.

    • Victor Maia disse:

      Caro Raul, o 1º campeonato brasileiro ganho pelo time azulado foi em 2003, portanto, fundado em 1922, são mais de 80 anos. Um participante do blog já disse isso aqui antes. Título por fax não vale.

    • Tonho ( Mineiro ) disse:

      Concordo com Chico Maia, o que atrapalha Luxemburgo sao as apostas e atitudes pessoais, ele na minha modesta opiniao foi depois de Tele Santana o melhor tecnico de futebol do Brasil, nao adianta ser bom e nao ter um bom plantel, Guardiola que o diga.

  • Lucas H. Nobre disse:

    Quanto ao Luxemburgo, muita conversa e pouca ação; técnico vive de resultados e ele ultimamente não ganha nada. Se tivesse dirigido o Corinthians ano passado a mídia o colocaria nas alturas como fez com o grande Carile..
    Quanto a distância do futebol europeu para o brasileiro, em todo lugar existe corrupção, mas lá, existem planteis bons o que qualifica os times vencedores, enquanto aqui, a Crefisa passa seus anúncios no horário nobre e o Palmeiras ganha um campeonato com contratações a nível de série B. O resto fica por conta dos corredores. 2017 o Corinthians com um time meia boca ganha um primeiro turno sem perder, depois capengou para ver se o campeonato ganhava emoção e foi campeão com um time desacreditado. Fora isso, nossos jogadores estão indo embora muito cedo e nossas divisões de base só ensina firula, o futebol moderno requer disciplina tática, passes de primeira e dribles na hora certa. Tem muito estádio brasileiro também que não serve para a 1ª divisão, enfim uma série de fatores que poderia iniciar pelas más influências e corrupção que assola nosso futebol e política. Pra piorar, os caciques de outrora, estão voltando tudo!

    • José Eduardo Barata disse:

      LUCAS ,
      tenho visto aqui e ali jogos da Copa SP .
      O que esses garotos estão treinados para
      comemorar um gol é fantástico .
      Dancinhas, rebolados ,mãozinhas pra cima ,
      caretas e discurso pras câmeras .
      Futebol mesmo , que é bom , NADA .

  • Silvio T disse:

    Chico, quando vc diz que o campeonato mineiro vai começar, você explica tudo. Porque o Santos, com Neymar, parecia um time de bêbados contra o Barcelona. Porque o Grêmio, indiscutível campeão das Américas, não conseguiu dar um chute a gol contra o Real Madrid na pior fase dos últimos tempos da equipe espanhola. Porque cada vez mais e mais e mais crianças (principalmente), adolescentes (principalmente), adultos e velhos se voltam para as espetaculares partidas da Premier League, da La Liga, Bundesliga e agora também do campeonato francês. Prá não falar da Champions, que já é covardia. Neymar e Coutinho sendo negociados por quase um bilhão enquanto aqui três quase aposentados são as principais contratações dos nossos times da série A: fred, Ricardo Oliveira e He Man! Campeonato mineiro, eleição no vasco, fluminense pedindo esmola prá continuar existindo etc etc Vamos ser realistas, caro Chico. Parece que o 7×1 não existiu…

  • Waltinho disse:

    Chico,
    É claro que está ele está ultrapassado, mas é duro aceitar isso. Como 40 anos qualquer cidadão brasileiro, tem dificuldades de arrumar colocação no mercado de trabalho em geral. Agora imagine com 65 anos? É só se resignar e aceitar a realidade. Dar vezes ao jovens e buscar de ser feliz em outro patamar. Agradecer a Deus por ter tido sucesso e se conseguiu segurar alguma coisa para se manter, ensinar a outros e envolver em causas sociais.

  • Paulo César disse:

    Concordo com sua análise, a respeito de os problemas extracampo terem afetado a empregabilidade do Luxa. Mas acho, também, que os resultados (ou falta de…) são preponderantes para o “desemprego” dele. Além das questões de fora das quatro linhas, entra, sim, um jeitão meio defasado, ultrapassado de se relacionar com o grupo e a comunidade dos clubes que o contrataram recentemente.

    Luxa foi demitido, nos últimos dez anos, que eu me lembre:

    Do Santos (duas vezes);
    Do Galo;
    Do Flamengo (duas vezes);
    Do Cruzeiro;
    Do Fluminense (naquele ano da “ajudinha” da Lusa);
    Do Palmeiras;
    Do Sport;
    De um time da segunda divisão da China.

    Dos chamados grandes do país, só faltaram no currículo do Luxa, Inter (como técnico), Vasco, Botafogo e São Paulo. Acho, sinceramente, que em um momento da carreira, ele se perdeu. Mas não se deu conta disto. Sempre falou pelos cotovelos. Reconheço também uma certa má-vontade com o perfil dele, por parte da imprensa (que desdenharia do “pojeto”, da simplicidade e falta de pedigree), sendo ele um monge tibetano, ou o maior picareta que jamais apareceu na Terra. E, com ele dando motivos, aí que a sua situação ficou mais caótica…

  • Pedro Vítor disse:

    Boa entrevista do Luxemburgo

  • José Eduardo Barata disse:

    Esse texto do CHICO MAIA a tratar da relação
    imprensa/futebol.europeu retrata tudo o que
    defendo por squi .
    Como é bom saber que ainda existem juízes
    em Berlim ….