Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Venceu quem soube jogar uma decisão. E bola pra frente!

De tudo que li e ouvi sobre os 2 a 0 do Cruzeiro, gostei muito de dois comentários em especial. De um cruzeirense e um atleticano, que as senhoras e os senhores vão ler na sequência. Para não voltar mais a este jogo, que passou, e a vida segue, minhas últimas impressões: o Cruzeiro soube usar toda a experiência dentro e fora de campo, com tudo que o que existe no futebol, que todo clube usa quando tem oportunidade e profissionais para aplicar a fórmula. Diretoria mais experiente, treinador mais experiente e jogadores idem, além de competentes. Otero era o jogador a ser anulado, fosse como fosse. O venezuelano é grande jogador, mas filhote num clássico desses. Começou fazendo besteira ao cutucar os adversários nas redes sociais, logo depois dos 3 a 1. E não apareceu ninguém do Galo, colega de dentro das quatro linhas ou um chefe da comissão técnica ou diretoria, para mandá-lo sair dessa. Desde o primeiro minuto começou a caça a ele e ninguém o alertou para que se fingisse de morto. E lá foi o Otero cair na armadilha azul. Trocou ofensas, tapas e safanões. Caiu feito um patinho, sucumbindo aos 21 minutos. E o Cruzeiro ainda ficou com um a mais. Se tivesse perdido o Edilson, não teria tido tanto prejuízo quanto o Atlético teve perdendo o seu principal jogador. Ali o título começou ser sacramentado pela Raposa.

O árbitro poderia ter expulsado o lateral cruzeirense, mas o estrago pra valer, já estava feito, e foi no esquema do Thiago Larghi, que ficou sem ter como mexer para evitar o pior. Otero era e é insubstituível neste time atualmente.

O resto é perfumaria e história para ser contada no futuro. Por isso concordo com que disse o cruzeirense Daniano Marques, em minha página no facebook: “Pra mim o nome da final foi o Rómulo Otero. Desequilibrou na primeira e foi desequilibrado na segunda!!!”.

E concordo também com o atleticano Carlos Almeida, comentarista aqui do blog:

* “Venceu quem soube jogar uma decisão”.
Desde o final do jogo no Horto o Mano começou a pilhar seus jogadores, inclusive os impedindo de conversarem com os adversários.

Ontem, pra cada jogador do Atlético que pegava na bola vinham 3 do Cruzeiro.

Conseguiu marcar o 1° gol no tempo pretendido com falhas de Otero, Gabriel e Victor.

Conseguiu anular e acabar com a principal arma do adversário, Otero.

Mt bom jogador e talvez o principal nome do time desde o fim do ano passado, mas que ontem foi abaixo da crítica, nota zero.

Expulsão justa, como tbm deveria ter sido expulso o Edílson, não só pelo lance, pois além de solar e tentar atingir com soco, encenou que foi atingido.

E antes desse lance já merecia amarelo em 2 oportunidades por provocação.

Destaque pro Mano e pro Edílson.
Experiência, malícia pra decidir um jogo em detalhes.

O curioso é que dps de ficar com 1 a menos o Cruzeiro parou de jogar.

Aí entra a falta de experiência do Larghi.
Considero a escalação a ideal mas não pra estratégia que se apresentou.
Se era pra jogar de igual pra igual seria a melhor escalação, mas como o que se viu foi o Atlético tentando segurar o começo do jogo não dava pra ficar com Elias, Otero e Cazares.

Elias mt mal, não fez nada.

Pior partida do Fábio Santos. Devido à uma falta não marcada, ficou reclamando e não acompanhou a jogada.
A jogada prossegue a bola é recuperada e ele perde a bola que resulta no gol da perda do título.
Logo ele que esbravejou e criticou em entrevista o Tomás Andrade no lance do gol do Cruzeiro no Horto.

Destaque positivo para Adílson (monstro), Cazares e Leo Silva.

Não acho que o árbitro seja mal intencionado, mas foi caseiro e não teve critérios.

Deixou de marcar a maioria das faltas do Cruzeiro e acabou desequilibrando a partida ao deixar de expulsar o Edílson.

Mas fica uma constatação: tecnicamente, o Cruzeiro não foi superior ao Atlético.
Foi mais inteligente e soube jogar uma decisão.
Para o Atlético, até a expulsão, parecia mais um jogo.”


» Comentar

Comentários:
136
  • Marcos disse:

    Kannemann expulso.
    Engraçado que o Léo no Elias não foi.
    Marias não ganharam o Mineiro. Ganharam o Troféu Luiz Flávio de Oliveira.

    • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

      Chora mais franga… Rsrs

      A maioria dos Atleticanos eu trato de: “Atleticano”. Mas vc tem que ser tratado como franga.
      Como um dirigente do Cruzeiro falou certa vez com o Presidente da FMF: “Vc é franga… Vc é franga… E vc é franga !!!”

  • ELY disse:

    merecer é o que se faz dentro de campo e mata mata estava no regulamento. e no mata mata não teve superioridade do cruzeiro em momento algum. claro que um time que fica com um jogador a menos desde os 20 do primeiro tempo, diga se de passagem de forma injusta, porque o outro jogador também agrediu, vai ter muito mais dificuldade do que o adversário. Dizer que se estivesse 10 contra 10 o atletico seria campeão tambem não é certa absoluta, mas que tornaria o jogo igual e ambos poderia ganhar, mas dessa forma o atletico ficou impossibilitado de disputar. Então dizer que foi merecido, eu concordaria desde que o adversário estive em conciçoes iguais de disputa. A imprensa querer dizer que ganhou porque fez melhor campanha e que o juiz não interferiu é querer achar que todo mudo é besta.

  • Flávio Azevedo disse:

    pior que esta desculpa do edilson (a raposa colocou o time atleticano na roda no mineirão, onde inexplicavelmente o aprendiz de treinador tirou de campo o atacante ricardo oliveira) é ver vocês falando que a rede globo editaram as imagens dos “gols e não gols” no jogo atletico de vespasiano e COELHO, quando mais uma vez fomos operados no apito…quem acompanha futebol, sabe que varias titulos estaduais foram vencidos pelo inquilinos por ajudas extras e quem duvida, so procurar os jogos no youtube…mas é assim, pau que bate em chico, bate em francisco…e que sabado comecem a choradeira de arbitragem…desde 1971…….

  • Henrique Nóbrega disse:

    Gente o Cru cru não usou catimba pra ganhar o jogo, já estava pré determinado que o Otero seria expulso. Ele levantou o braço para se proteger do pé alto do Edilson. Lembram-se do escândalo envolvendo o diretor de arbitragem da cbf e a cúpula Cru cru antes da Copas Centenário? Um jornalista do Hoje em Dia apurou o preço de um cartão amarelo e de um vermelho. Ai vazou um áudio entre o presidente do CAP e o diretor, tentando dar propina ao Óscar R,. de Godóy num jogo contra o Vasco… O Óscar não aceitou e nunca mais apitou. Com o lucro da Centenário seria para pagar a campanha do suposto diretor e do dirigente azulino para deputados. Está escrito no jornal! Lembram das declarações do Benecy? Então isso não é novidade nenhuma, com o otero em campo as chances azuladas seriam poucas. É por isso que o Brasi está assim, corrupção virou experiência e catimba. Muda Brasil!!!!!!!!!!!!!!

    • Guaraci Lima disse:

      Você acredita em ET’S também né???

      • Marcão de Varginha disse:

        Como sou da cidade interplanetária, fico a vontade para responder sua pergunta: não, nunca acreditei… mas por questão de bom senso, imparcialidade e certa desconfiança pela má vontade que os apitadores nutrem pelo genuinamente mineiro que não propões nenhuma manipulação com os próprios, concordo em gênero, número e grau com o Henrique Nóbrega.
        – #benecyeternomito

  • Carlos Almeida disse:

    Chico, nenhum jogador do Atlético saiu lamuriando a forma como o lateral do Cruzeiro cavou a expulsão do Otero.
    Ricardo Oliveira, Léo Silva, Victor.

    O Victor inclusive disse que isso precisa servir de lição, já que na Sulamericana será mt pior.

    É aquela máxima “o que o que acontece no campo fica no campo”.

    Só agora dps do ignóbil tripudiar tbm fora de campo, é que veio a reação dos companheiros.

    Eu acho ótimo ver um Edílson, um Itair, um Perrella lá.

    É algo que a gente deseja só pra quem deseja o melhor.

  • Cláudio disse:

    Muito legal ler os comentários.
    Da semana passada.
    “Esta semana vai ser um chororô…
    Semana que vem não o veremos tão cedo…
    Próximo jogo vai ter jogador do cruzeiro expulso, não aguentam a pressão…” e por aí vai.
    Legal cobrar coerência, mas somente quando se é coerente.

  • Guaraci Lima disse:

    Essa decisão de 2018 está me lembrando a decisão do Campeonato Mineiro de 1977. Onze dias antes, em Montevidéu, o Cruzeiro perdera a Libertadores para o Boca. Abalado por essa perda, o time celeste foi para o 1º jogo da melhor-de-três, em 25 de setembro. Descansado e no auge da forma, o Atlético-MG venceu por 1×0, gol de Danival. O juiz deixou de marcar um pênalti a favor do Cruzeiro, mas Cerezo não se tocou. Empolgado e irônico, saiu de campo convencido de que a fatura estava liquidada. Aos microfones, convidou sua torcida: “A massa pode vir comemorar o título domingo que vem, pois comigo e o Rei jogando, o Glorioso nunca vai perder pro Cruzeiro.”
    Falou num domingo, teve de engolir as palavras no seguinte. Hebert Carlos Revetria, o Sobrenatural Revetria, entrou no time e decidiu naquele fantástico 2 de outubro de 1977. Marinho fez 1 x 0, aos 5, e a torcida adversária começou a festejar: “É campeão!”. Revetria empatou aos 25 e voltou a marcar aos 10 e 12 do 2º tempo. Reinaldo descontou aos 40. Final: Cruzeiro 3×2. O Atlético-MG desmoronou. Na terceira batalha, o Cruzeiro completou o serviço.
    Com os 3 a 2, o Cruzeiro forçou o terceiro jogo. Novamente, o Atlético saiu na frente com um gol de Reinaldo no primeiro tempo e o Cruzeiro só foi empatar no meio do segundo, com o Revetria aproveitando bola escorada de cabeça por Joãozinho em córner cobrado pelo Nelinho. Na prorrogação, em lance parecido entre Nelinho e Joãozinho, Lívio, que substituíra Revétria, fez 2 a 1. E, nos minutos finais, em lançamento longo de Nelinho, Joãozinho definiu o título.

  • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

    Ahhhhhh…
    Já ia me esquecendo… rs
    O Ronaldinho Gaúcho, naquele jogo contra o São Paulo pela Libertadores, no Independência, no episódio da água mineral… Lembram ??
    Pois é… Naquele jogo ele não foi um jogador “cascudo” ?? Ou “tarimbado” ?? Ou “malandro” ?? Que soube tirar proveito da sua experiência / malandragem ( Malandragem no linguajar do mundo do futebol e não a malandragem que leva um cidadão à ruína ) para um benefício próprio e para o seu time ??
    Se não me engano, não lembro de nenhum Atleticano aqui do Blog o condenando pela sua “malandragem”… Ou pela sua “esperteza”…

    Estamos de olho… rsrs

    • Marcos disse:

      Você tem problema de cognição.
      Querer comparar um jogador que pede água com um jogador que dá um chute e um soco…

    • Renato César disse:

      Volte a um comentário do José Eduardo Barata, acho que no post anterior, onde ele define esta questão de malandragem. Tomar uma água com o goleiro e ficar isolado na linha de fundo é muito diferente do que o Edílson fez o jogo inteiro.

      • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

        Caro Renato César,

        É evidente que lance por lance, comparando-os, é claro que é beeeeemmmm diferente mesmo. Mas o que eu tentei salientar, é como alguns de vcs entendem a tal da “malandragem” de forma mais conveniente. Só isso. A “malandragem” do R. Gaúcho aquela vez não causa vergonha de ser Brasileiro. Já a “malandragem” do Edilson em provocar um jogador adversário, já causa vergonha de ser Brasileiro, né ?? Ok então.

        Abraços

  • DUDU GALOMAIO BH disse:

    Chega a impressionar o quanto que alguns aqui são alienados. Querem que o atleticano “reconheça a superioridade do cruzeiro”. Que superioridade é essa que absolutamente ninguém viu nas finais?
    Há que se conseguir ter o mínimo de capacidade de separar as coisas.
    Caso o campeonato fosse em pontos corridos, encerrando-se na primeira fase, o campeão absoluto e indiscutível seria sim o cruzeiro.
    Uma vez que o REGULAMENTO PREVÊ SEMI-FINAIS E FINAIS, não adianta conclamar a primeira fase. Vai valer o que ocorrer nos mata-matas.
    Seu time passou pelo Tupi jogando um futebol pobre, sem convencer. E contra o “patinho feio” Atlético Mineiro, não foi superior em momento algum, tendo como alento 10 minutos de pressão inicial no jogo de volta, que acabou resultando na vantagem de 1×0.
    Ademais, tomou um vareio de bola no primeiro tempo da primeira partida e quase sai goleado do Horto. No jogo final, jogou 70 minutos com um jogador a mais sem produzir grandes coisas. Pergunto: Onde se viu a tal superioridade na hora da decisão? É uma alienação que beira a loucura. Meldellssss…

    • Jose Eduardo Barata disse:

      DUDU GALOMAIO ,
      esses caras não respeitam nem os verdadeiros
      ídolos, craques, que já vestiram aquela camisa,
      pois estão a glorificar jogadores absolutamente
      medíocres deste plantel atual .

      • DUDU GALOMAIO BH disse:

        Verdade, Barata.
        Como eu comentei outro dia. Somos obrigados a respeitar a história de grandes atletas que vestiram a camisa azul. Porém, hoje em dia, a imbecilidade tomou conta… Basta provocar o rival para ser endeusado. Roger Flores e Fabrício são bons exemplos… ficaram no “chinelinho” aqui um tempão sem serem questionados, pois mesmo que como funcionários estivessem produzindo pouco, sempre se lembravam de provocar o rival e assim ficavam “na maciota” o tempo que quisessem…

    • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

      Caro Dudu Galomaio,

      Se numa partida houve um vencedor e um perdedor. Logo, o que venceu foi superior ao perdedor a ponto de conseguir a vitória. Certo ?? Não estamos falando aqui de superioridade no sentido de futebol maravilhoso, bonito… Mas sim da superioridade lógica, onde se sobressai aquele que em algum ponto foi superior ao seu oponente.
      Não estamos pedindo para jogarem confetes na vitória do Cruzeiro não. Apenas pontuando o que quase sempre nós Cruzeirenses observamos por aqui. Que a maioria dos Atleticanos quase nunca reconhecem os méritos ou supremacia do adversário, seja qual for, quando perdem algum jogo ou algum Título. Só isto.
      Daqui a pouco não vamos poder nem nos assustar, se aparecer algum Atleticano falando que não foi o Cruzeiro quem venceu o Atlético Mineiro, foi o Atlético Mineiro que entregou a rapadura e perdeu para o Cruzeiro porque quis. Que não foi o Arrascaeta que fez o primeiro gol, mas sim que a zaga e o Victor entregaram de mão beijada. Que não foi o Thiago Neves que fez o segundo gol, mas sim que o Fábio Santos foi fazer gracinha pra facilitar a vida do Cruzeiro e que em forma de protesto, a zaga Atleticana juntamente com o Victor não se esforçaram pra evitarem o segundo e fatídico gol… rsrs Pelo andar da carruagem realmente não podemos assustar se aparecer dessas coisas por aqui… rsrs

      O engraçado é que quando o Atlético Mineiro alcança um resultado tido por muitos como muito difícil ou até impossível, como inclusive já conquistou recentemente na Libertadores 2013 e Copa do Brasil 2014, aí é: “jogo épico”… “time da virada”… rsrs

      Então, vem o Cruzeiro numa situação bastante adversa, com o psicológico abalado pelo empate pífio dentro de casa com o Vasco no meio da semana, jogadores e Torcida tendo que aguentar zoações e provocações quase que o tempo todo pela justa derrota no primeiro jogo, foi um tal de cheirinho, de Torcida de papelão, ainda assim a Torcida acredita no time, faz a sua parte, lota o Mineirão, os jogadores retribuem com total atenção, foco, aplicação e alcançam o placar que o time precisava e sagram-se Campeões. Não reconhecer isso como um feito considerável e relevante, realmente não é obrigatório. Mas querer desqualificar a saga do Cruzeiro em busca do seu objetivo, depois da obrigação de entrar para enfrentar o Atlético Mineiro com a obrigação de vencer por uma diferença de 02 gols, atribuindo a derrota exclusivamente à arbitragem, eu tenho que respeitar, mas posso também exercer o meu direito de emitir a minha opinião de que isso é sim a velha mania de tapar o sol com a peneira.

      Abraços

      • Clóvis Mineiro disse:

        Depois do sofrimento e da dificuldade que foi vencer a Libertadores, vocês não dizem que foi o apagão que tirou a vitória do nosso adversário. Todo torcedor é igual, não cobrem isso só dos atleticanos.

        • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

          Caro Clóvis Mineiro,

          Sim, concordo contigo que o Torcedor vai sempre encontrar um “porém” pra tentar zoar o rival. E isso é normal e faz parte. O que pelo menos “EU” saliento, é que a maioria de vcs além de quase nunca saberem assimilar as nossas zoações, também quase nunca reconhecem o mérito do adversário e acabam preferindo essa linha só do revide de zoação por zoação e alguns da vitimização.

          Abraços

      • Marcelo Satch disse:

        Pois é Clayton….. O que voce coloca é algo que já reparei aqui e com alguns amigos atleticanos…… O Atlético nunca perde merecendo perder……… ou foi o juiz, que é comprado em favor do adversário, ou é uma displicência absoluta de algum jogador ou é o técnico que escala ou mexe mal, ou é a midia, ou é a Globo, ou é o vento, sei lá…… são tantos os fatores, mas nunca é a constatação de que o adversário foi, de fato, melhor. Aquela frase do texto do Roberto Drummond fez mais estragos que alegrias na cabecinha deles…. Daí achar que todos os elementos estão contra eles…..

        • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

          Caro Marcelo Satch,

          Claro que não podemos generalizar, aqui mesmo no Blog existem alguns poucos Atleticanos que não adotam essa linha do vitimismo eterno. Mas a maioria que nós conhecemos, por aqui, em família, no trabalho e entre amigos no geral, têm essa postura. A gente só observa, mas tem que respeitar né ?? Afinal cada um é livre para pensar e agir como queira… rs

          Abraços

      • Paulo F disse:

        Reconheco sim a superioridade do seu time, e no fim das coisas a xampanha que decidiu. Mas só foi superior porque o Galo entregou, pra mim isso é bastante evidente. Não foi como no primeiro jogo da final que o galo foi bem superior na bola. Foi uma sucessão de erros dos jogadores, tecnico e arbitro que levaram o time à derrota.

        • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

          Caro Paulo F,

          Vc tem noção da dimensão do que vc escreveu: “O galo entregou” ?? Vc refletiu sobre esta colocação antes de emiti-la ??
          Bom se essa é realmente a real manifestação do que vc pensa, eu só posso respeitar. Mas imagino que a maioria dos Atleticanos que aqui participam talvez jamais admitiriam sequer supor uma coisa dessa.
          Porque da minha parte eu te asseguro uma coisa, o dia que desconfiar mesmo que de longe, que “O Cruzeiro entregou” um jogo para o Atlético Mineiro, eu jamais acompanharia qualquer coisa ligada ao Cruzeiro. Posso suportar a derrota que for, se constatar que o time deu o seu máximo, lutou como pôde, mas sucumbiu à superioridade do Atlético Mineiro naquele momento. Mas conceber que o Cruzeiro possa entregar um jogo para o Atlético Mineiro, eu jamais admitiria.

          Abraços

          • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

            Bom Dudu Galomaio,

            Aí é uma questão de interpretação, que só o próprio autor da frase poderia elucidar… rs

            Abraços

          • DUDU GALOMAIO BH disse:

            Já que ele aponta vários erros que levaram a derrota está mais para esse raciocínio, para mim, entretanto.

          • DUDU GALOMAIO BH disse:

            Clayton, lendo o que o Paulo f. escreveu… esse “entregou” que ele escreveu não foi no sentido de “dar mole”… “entregar o ouro ao bandido” não?

      • DUDU GALOMAIO BH disse:

        Clayton, sobre seu comentário, eu não vi nenhum atleticano dizendo que o Galo “entregou a rapadura” pro cruzeiro.
        Mas… se vasculharmos esse blog em 2014, o que teve de cruzeireiro aqui dizendo que o cruzeiro “deixou” o Galo ganhar a Copa do Brasil porque estava “desinteressado”… nussssss
        Seria uma enormidade. Queira o “José Gomes” ou não hahaha

        • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

          Caro Dudu Galomaio,

          Vc realmente não percebeu que eu falei que não poderíamos nem assustar, “SE” acabasse aparecendo algum Atleticano falando que o Atlético Mineiro entregou a rapadura ?? Eu falei “SE”… Na hipótese… Não afirmei como vc tentou dar a entender.
          Mas ainda assim, não é que a minha suspeição do “SE” não acabou acontecendo ?? rsrs Segundo o Paulo F, o Atlético Mineiro entregou. Opinião dele, claro.
          Agora, se toda vez vc for lembrar no que um ou vários Cruzeirenses falaram ou fizeram em 2014, 1994, 2000, 1967, 2003, 2005 ou seja lá quando foi, pra me responder alguma coisa, aí vai ser dureza hein… rs Como eu sempre digo, me cobre, me interpele , me conteste, pelo que “EU” falar aqui, seja pra vc ou pra quem for.

          Abraços

      • DUDU GALOMAIO BH disse:

        Caro, Clayton… a questão (como sempre) é entender o que se lê.
        Você eu sei que consegue. Muitos da turminha azul aqui deste espaço, costumeiramente, não.
        O título, no final das contas, acabou nas mãos do cruzeiro e ponto final.
        Agora, há aqueles que acham que não há o menor motivo de contestação, diante de tudo que aconteceu, como se fosse absurdo pensar que seu time poderia não ser o campeão.
        É sobre essa “cegueira” que comento. Enfim…

        • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

          Caro Dudu Galomaio,

          Agora bom… rs
          Porque nesse ponto eu tenho que concordar com vc sim, de que às vezes, por mais que reconheçamos o mérito do adversário, há sempre um “porém”, um “porquê” que na nossa opinião nos faz ponderar. A questão é como vamos externalizar isto de forma a não parecer uma simples desculpa barata nossa.

          Abraços

  • Leonardo Amorim disse:

    O dito comentarista, Carlos Almeida, pode ser tudo, menos atleticano. A decisão ficou no zero a zero placar agregado. O Cruzeiro foi campeão por sua campanha contra URT´s da vida. vida que segue.

  • Renato César disse:

    Para encerrar o assunto clássico então, quero a opinião somente dos celestes em relação às declarações do vice de futebol após o jogo. Falou das “frangas” da FMF e disse que tem que resolver na porrada. Vamos ver como pensa cada torcedor…

    • Guaraci Lima disse:

      Esse Itair não representa ninguém mesmo, ele é igual ao Lula, não consegue construir uma frase sem erros de concordância nominal e verbal.

    • Alisson Sol disse:

      Este Sr. não nos representa. Simples assim.

      Eu tenho de reconhecer que “cheguei atrasado” para assistir o jogo, e não havia visto ao vivo a expulsão. O tal Edílson é um defensor, na minha opinião, desleal. Também simples assim. Eu até não gosto muito da contratação do Dedé, que há anos joga no “Time do DM”. Mas você vê o Dedé jogar e nota que o nível é diferente. Vai na bola e, se faz falta, o faz ao menos “tentando jogar futebol”. O Edílson simplesmente quer disfarçar com esta de “entrar ríspido”, a sua falta de futebol. Quem joga futebol sabe que aquilo de levantar o pé é perigoso. Quem joga bola e já levou um “pé na barriga” sabe que é uma dor enorme. Acho que “não pegou”, mas apenas porque o Otero já, vindo com a má intenção, desviou para acertar o Edílson na cara. Talvez tenham de mudar de esporte para algum “UFCtebol”…

      Depois, vi os lances do jogo (link, e continuo com a mesma opinião: o Cruzeiro jogou para ganhar. O Atlético-MG não teve sequer uma chance clara de gol. Em parte isto de deve à ausência prematura do Otero. Mas mesmo com a expulsão dos dois (Edílson e Otero), que seria o correto, o Cruzeiro fez por merecer a vitória. E, como já disse o Clayton em outro post: tirar o Luan e o Ricardo Oliveira foi uma substituição horrível. Também acho que os dois, cansados e andando em campo, iriam gerar maior preocupação que seus substitutos.

      • Renato César disse:

        Concordo com sua avaliação sobre o Edílson. Quem joga futebol, principalmente onde não há cobertura televisiva, sabe que aquela entrada dele não foi ríspida, foi chamando para a briga mesmo.

        O Otero, como eu disse desde o momento do lance, tinha que ser expulso mesmo. E ainda vai entrar no artigo de agressão, que prevê de 4 a 10 jogos de suspensão. Mas o Edílson tem que ser enquadrado no mesmo artigo.

        Sobre a análise do jogo, já não concordo. Eu já havia comentado aqui que um problema deste time do Galo é que joga os 15 primeiros minutos de cada tempo fechado e sem levar perigo algum ao adversário. Entre 20 e 30 minutos equilibra a partida. E, normalmente, a partir dos 30 minutos é o dono do jogo, com as chances mais claras e praticamente sem correr risco.

        Se pegar o clássico, vai ver isto. E os gols celestes sairão justamente neste período de passividade do Galo. Mesmo assim, fora os dois gols, só houve uma finalização com perigo, justamente a que o rebote deu origem ao 1º gol.

        No período de domínio do Galo, também por termos inferioridade numérica, não tivemos lance de perigo contra o gol do Fábio.

        Quanto às substituições, não acho que o Thiago tenha errado. Blanco entrou no lugar do Luan e jogou muito mais que ele. Inclusive, para mim, foi o melhor em campo mesmo tendo jogado pouco mais de 30 minutos. Já o Ricardo Oliveira saiu porque o juiz mostrou que expulsaria mais um e ele já tinha amarelo. A opção foi pelo jogador de ataque que estava no banco. A substituição que não fedeu nem cheirou foi a entrada do Róger Guedes.

        Erros do Thiago Larghi para mim foram:
        – time misto na Copa do Brasil. Eu teria entrado com reservas e concentrado os titulares para o clássico;
        – ignorar fatores históricos para o clássico. O Carlos “voz fina” raramente não marca contra vocês. Isto desde a base. Eu o teria escalado na quarta e falado para ele que era para pegar ritmo porque entraria no domingo. Veja que a opção do Mano, não por acaso, foi pelo Arrascaeta.

    • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

      Caro Renato César,

      Aquele Itair Machado, consegue ser pior do que o Perrela e o Kalil juntos, no que tange à troca de provocações. Aquela entrevista que ele deu ainda dentro do Mineirão, pós jogo, beira a irresponsabilidade. Um sujeito que fala mais querendo jogar pra galera.
      E é por causa de dirigentes assim, mais Torcedores e passionais do que Dirigentes de fato, que essa mentalidade provinciana entre os dois Clubes deve se perpetuar.
      Lamentável sobre todos os aspectos.

      Abraços

      • Renato César disse:

        Totalmente de acordo. Inclusive, ele que jogou por terra a possibilidade de jogos com torcida dividida no Mineirão pelo Campeonato Brasileiro. Tanto as suas declarações quanto o seu comportamento e da sua família (lembrando que foi um parente dele que agrediu o Luan no acesso ao vestiário).

        Minha opinião é que seu presidente é mal assessorado, mas parece ser bem intencionado. Já este vice aí, se vocês não abrirem o olho logo…

        • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

          Caro Renato César,

          Infelizmente Itair e Wagner Pires, são mais ou menos da mesma linha…
          O mais ponderado lá e que deve ter até vergonha alheia ao ver esses colegas de Diretoria falando, é o Marco Antônio Lage. Esse sim é um gentlemann !!!
          Se a gente acha o Itair falastrão, que adora jogar pra galera, provocador que tropeça nas palavras, o Wagner Pires consegue ser pior…

          Abraços

          • Renato César disse:

            Bom, aí você fala com muito mais propriedade do que eu. Na minha opinião o Wagner era só um cara mal assessorado, que ouvia Itair e Serginho. Mas se você o define assim, quem sou eu para entrar nesta seara!

            Sobre os outros diretores, não os conheço, à exceção de um da família do helicóptero. Este Marco Antônio Lage pelo menos tem um currículo que o credenciaria ao cargo.

  • Rafael disse:

    Que Sette Câmara e Gallo esqueçam o Mineiro e passem a pensar na Copa do Brasil, Sulamericana e Brasileiro – neste, para se manter na primeira divisão.

    Precisamos de 2 zagueiros para chegarem e assimur a titularidade. Um lateral-direito titular Um segundo volante titular e um substituto para o Ricardo Oliveira. No mínimo.

    Se chegarem propostas por Gabriel e Cazares, podem vender.

  • Carlos Costa disse:

    Chico, no futebol o choro é livre, os atleticanos reclamam do juiz deste jogo, porém bateram palmas para o juiz do jogo anterior, quando ele marcou falta no lance que resultou no primeiro gol do Atlético no jogo de ida, quando o Egídio nem encostou no jogador adversário e a transmissão mostra isso claramente. No mais é bola pro mato que o jogo é de campeonato é venceu quem foi o melhor durante todo o torneio, com 11 pontos de frente.

    • Paulo F disse:

      Uma falta nem tao perto na area que gerou um cruzqmento perfeito e antecipacao precisa do centroavante, sem merito nenhum ne… entendi. Nesse jogo o juiz deixou de marcar varias faltas pro galo e de aplicar cartoes. Uma dessas faltas poderia ter saido gol mas nem por isso influenciaram diretamente o resultado, mas uma expulsao influencia bastante

  • Horacio V Duarte disse:

    Caro Chico, a festa pelo campeonato mineiro, parecia a libertadores, valorizou muito nossa derrota, e olha que o time nem ta lá estas coisas. Não vi esta superioridade do adversário, Vitor fez umas 4 defesas difíceis, e olhe lá. A falta de 1 jogador desequilibrou sim, mas não justifica nem a cochilada no primeiro nem o erro de saída no segundo gol.
    Quanto ‘malandragem’ é sim parte do jogo e todos os profissionais já deveriam estar ‘vacinados’, tanto os técnicos quanto os jogadores. E isto nunca foi o problema do futebol, esta moralidade que alguns cobram não vai resolver a falta de dinheiro e o excesso de jogos dos maiores clubes. O futebol brasileiro tem dono, dono que dita regras, faz e desfaz, tem histórias pouco republicanas na compra dos direitos de imagem e transmissão, diria até que há um padrão fifa, enquanto cobra decência, moralidade e etica dos outros. Quase sempre sobra para os jogadores, mas por trás, nos bastidores…

  • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

    Quaquaquaquááááááá…

    Só rindo mesmo viu…. rs
    Muito engraçado como assim, não mais que de repente, do nada, bate um sentimento de civilidade total nas pessoas… rs Um ar de pureza, de mansidão, de lisura… rs
    Mas quando o antigo “General” Donizetti deles aprontava das suas, entrava duro, era expulso, agredia, provocava nos microfones, tava tudo certo né ?? Ele era o jogador “cascudo” que protegia a zaga do time, aquele que tinha a “catimba” necessária para o time encarar os clássicos e jogos da Libertadores… Quando o Fred ainda estava no Atlético Mineiro e agrediu covardemente o Manoel num clássico, não vimos aqui esses mesmos “arautos dos bons costumes entre jogadores” demonstrarem um mínimo de indignação…
    Ahhhhh… Me ajuda aí né…
    A cara de pau é tanta que beira a hipocrisia.
    Basta analisarem o próprio histórico do Blog, que vão perceber quanta “coerência”…

    • Jose Eduardo Barata disse:

      CLAYTINHO ,
      o General batia sim , e muito , como
      batiam Márcio Gugu e Fontana , por
      exemplo , mas esses que citei além
      de outros que poderiam aqui estar ,
      se expressaram com tanta baixeza
      moral como o lateral de hoje .

      • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

        Tranquilo !

      • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

        Caro José Eduardo Barata,

        Até então eu me referia à “malandragem” do tido como jogador “cascudo”, exclusivamente dentro de campo. E penso que o senhor não deve ter lido uma linha minha que fosse, concordando com as declarações provocativas do Edilson fora de campo. Porque neste ponto eu concordo com o senhor, que foi sim uma atitude muito baixa, pequena e desnecessária. Parece que pelo menos com a Venezuela ele tá tentando se desculpar. Mas sabe como é né… A palavra falada é igual a flecha lançada… Não tem volta.

        Abraços

        • Jose Eduardo Barata disse:

          CLAYTINHO ,
          recorramos à leitura DESTE seu texto que
          comentei para lá encontrarmos o que foi
          dito sobre o General e a comparação com
          o que fez o Edílson : não se encontra , de
          forma clara ou oculta , nada em referência
          ao comportamento do jogador azul .

        • Renato César disse:

          Quando começou, Donizete era só o jogador truculento, raçudo, com a cara da Massa. Este aí era importante para o time. Fazia muitas faltas, recebias muitos cartões, era expulso normalmente de forma justa. Depois passou a ganhar espaço para declarações desnecessárias e teve igual desimportância para o time, tanto que seu contrato não foi renovado.

          Muitos torcedores confundem as coisas e acham que ele ainda deveria vestir a camisa do Galo. Só que não, né?!

          Sobre o Fred, minha declaração à época foi que a sua atitude foi desnecessária. Foi justamente expulso e punido pelos tribunais. Tribunais estes que não tiveram a mesma conduta com o Leo.

          • Renato César disse:

            Claytinho, Fred ano passado foi punido com 04 jogos e teve a pena reduzida para três, coisas do direito (tipo o cara que pega 15 anos de prisão, mas quando completa uns 10 “cumpre” o resto da pena em liberdade). Por isto jogou na final. Já o Leo jogou com efeito suspensivo, tipo um habeas corpus. Ainda vai haver julgamento do mérito, para decidir sobre a pena dele, só que o campeonato já acabou. Nestes casos, normalmente convertem a pena para multa (tipo, Cruzeiro ser condenado a pagar R$ 50.000,00).

          • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

            Caro Renato César,

            Ainda assim foram as decisões do Tribunal e do Pleno. E se não me engano, com o Fred naquela ocasião foi do mesmo jeito.
            Mas como já falei, não posso contestar muito e nem concordar ou discordar muito, porque realmente não tenho conhecimento jurídico para tal.

            Abraços

          • Renato César disse:

            Claytinho, na verdade não tiveram o que os tribunais determinaram para eles porque o Leo cumpriu dois jogos dos 4 que pegou e jogou os outros com efeito suspensivo. Ou seja, a punição dele ainda não foi cumprida. Agora, com o fim da competição, a tendência é que as outras duas partidas sejam convertidas em multa.

          • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

            Caro Renato César,

            Sobre os casos Fred x Léo, cada um teve o que os tribunais determinaram para eles. E essa é uma esfera que eu realmente não tenho competência pra falar com mais propriedade.

            Abraços

    • Zé Carlos disse:

      “data vênia” na ocasião o fred foi expulso no ato, cheguei até a desconfiar que ele fez aquilo de propósito pois nunca ví ele declarar pelo Galo o amor que dizia ter pelo Cruzeiro.

      • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

        Caro Zé Carlos,

        Sim, naquela ocasião o Fred foi devidamente expulso na mesma hora. A questão que eu levantei não foi se ele deveria ou não ser expulso. Foi que naquela ocasião, nas manifestações dos Atleticanos aqui no Blog, não vimos quase que nenhuma indignação com o seu até então próprio jogador, por ter praticado um ato desleal, ou uma catimba, ou uma covardia, ou uma malandragem, como alguns estão querendo fazer agora com o Edilson. Repito, acho que ele teve a parcela de erro dele sim no lance, que ele não é santo, mas alguns discursinhos que vimos por aí, sobre o “absurdo” que é um jogador ser mais cascudo e ousar usar da sua “malandragem” para pilhar o adversário e cavar algum cartão / expulsão, na minha opinião, é muita cara de pau e conveniência.

        Abraços

        • Zé Carlos disse:

          Não posso falar pela Massa, é muita gente, e tem gente de todo tipo e nem tudo que me irrita eu publico mas como disse antes cheguei a desconfiar que foi de propósito pelas declarações prévias dele de amor ao Cruzeiro.

    • Juca da Floresta disse:

      Como sempre Claytinho seu comentário é irrepreensível. O General Donizete era uma dama para os atleticanos.

      • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

        Caro Juca da Floresta,

        Mas o “General” podia… Ele era o 007 deles… “Permissão para”…
        Era correto… Ele jogava duro, mas “na bola”… Ele “nunca” provocava nos microfones…

        Já nós não temos essa chancela do “007”… rs Tão tá né… rs

        Abraços

  • Julio Avila (Mariana) disse:

    Os mesmos de sempre continuam com a choradeira e não coloca méritos nenhum na vitoria azul! talvez os erros dos jogadores atleticanos não aconteceu por causa da pressão dos jogadores cruzeirenses né? não aceitam as derrotas nunca! e a maioria é os mesmos que gostam de serem os “donos” da razão!

  • Fausto Peixoto disse:

    Uma coisa ficou bem claro…. as Marias não tem um “timaço” como pensam e nem o Galo é tão ruim como comentam……. a expulsão desequilibrou a final, não que possamos afirmar que o Galo iria virar o jogo, mas que ficou desigual ficou.

    Se Elas tivessem esse “timaço” que assopram para todo lado teriam aproveitado a situação para impor uma vitoria por um placar maior.

    Quanto ao Galo, faltam 02 laterais e um camisa 10 para fazer sombra no Cazares. (pelo menos).

  • Guaraci Lima disse:

    Partidas do Atlético contra o América: bandeirinha valida gol de cabeçada irregular do Atlético, não valida gol de cabeçada regular do América e aponta impedimento em dois gols do América quando não havia impedimento (mimimi de americano, não interferiu no resultado, Atlético foi superior e iria ganhar de qualquer jeito, diretoria do América está chorando sem razão….) Final contra o Cruzeiro: Arbitro decide expulsar o Otero por agressão e dá cartão amarelo para o Edílson (Cruzeiro escandalosamente beneficiado pela arbitragem, Gustavo Perrella já está influenciando os resultados do Cruzeiro na CBF, #Benecieternomito, campeonato manchado….) Pimenta nos olhos dos outros é refresco!!!!

    • DUDU GALOMAIO BH disse:

      Falou o “fodão”, consumidor de GUARACiaba.
      Esse “ser supremo” é capaz de definir o que a tecnologia não conseguiu.
      “mirabile est, quod homo”

      • Juca da Floresta disse:

        A verdade dói né Dudu. Você ficou sem argumentos meu chapa, fodão?????

        • DUDU GALOMAIO BH disse:

          Verdade? Que verdade? A “sua” verdade?
          Não se faça de “biruta”, caro cidadão.
          Ou por acaso você e o Guaraciaba sabem mais do que todos aqueles que, pagos para comentar futebol noite e dia e mesmo com toda tecnologia, definiram os lances polêmicos de Atlético x América como questionáveis e duvidosos.
          Reconheça seu lugar…

  • Pedro Vítor disse:

    Assim o Mano realmente estava com o Atlético engasgado na garganta, o Cruzeiro também estava considerando o campeonato mineiro maior que a Libertadores e Copa do Brasil, me parece que perderam apenas um jogo né e isso mostra quanto levaram a sério o poderosíssimo “Campeonato Mineiro”

    Otero foi infantil, e como o Chico disse, ele hoje faz mais falta ao time que Robinho e Fred faziam lá no Brasileiro, que aprenda com a situação e cresça diante disso.

    Eu particularmente não transferir a responsabilidade, o primeiro gol das Mariposas, o Otero esparrama pelo chão deixa o Edilson cruzar e o Gabriel deixa o Arrascaeta cabecear sozinho, tanto Léo Silva como o Victor ainda tentam antecipar mas já era tarde, ali estava 11 a 11, e Galo sem raça nenhuma num jogo que tem de entrar no 220 volts!

    Depois que o Otero foi expulso, e eu não espero que nenhum Maria reconheça que o juiz errou eu não expulsar o Edilson, já que estão acostumados com roubos e manchas em sua história, aí sim o Atlético começou a querer jogar, e até poderia ter se superado, mas nosso time ainda é um pouco limitado, precisamos urgentemente de um lateral direito, um meia armador, e um zagueiro o time ficou engessado correndo com a perna travada, e temos que lembrar que do outro lado tinha o Mano Menezes, que logo tirou o Edilson, que acabaria sendo expulso, e houve também um revesamento de “faltas” primeiro foi o Henrique que deu uma no Cazares, depois foi o Léo, depois foi Dedé.

    Posso destacar que o Atlético foi valente mas inseguro. Realmente se o juiz expulsa o Edilson poderia ajudar como poderia ainda assim o Atlético ter perdido mais na expulsão do Otero que o Cruzeiro sem o Edilson, isso porque não temos ninguem pra substituir o Otero, e já do lado de lá, Edilson não faz falta alguma, tanto que entrou só pra catimbar, e ainda assim deu passe pro Arrascaeta.

    Enfim, serve para estatística, e também como preparação ao campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Sul Americana!

    • Jose Eduardo Barata disse:

      PEDRO VÍTOR ,
      eu também vi o Otero não ter dividido
      com mais força aquela bola mas, por
      favor , reveja o lance e verás que o
      Gabriel não era o marcador , e sim o
      Silva .
      Vamos ser justos , não é mesmo ?

      • Pedro Vítor disse:

        Barata, justiça seja feita, o Gabriel é titular por falta de qualidade no elenco, diferentemente do Jemerson lá atrás que bancou Rever que até pediu para sair, concorda ou discorda?

        E o Léo Silva chega atrasado tanto no primeiro como no segundo lance, normal, 38 anos de idade, já era para nossa diretoria ter sacado isso, estão esperando o quê?????

      • Carlos Almeida disse:

        Reveja o lance por trás e verá que o Gabriel está o tempo todo mal colocado, não marca ninguém e não se antecipa.
        A jogada ali era do lado de área dele e o Leo Silva fica na segunda trave.
        Ali era mt mais do Gabriel e do Victor.

        Sejamos justos, Gabriel desde a final do Copa do Brasil não joga nada.
        Jogou mal no domingo e Leo Silva foi um dos melhores em campo.
        André Luiz, Lima e até o Leandro Almeida se destacaram mais.

        • Jose Eduardo Barata disse:

          CARLOS ALMEIDA ,
          não sou muito de levar adiante discussão
          sobre o que “eu acho” e o “interlocutor
          acha” .
          Mas, meu caro , aqui não é uma questão
          de “achar” , é de “ver o lance” .
          Não , o Gabriel não estava na marcação
          do atacante azul no primeiro gol : era o
          Silva que estava ali .
          Culpe o Gabriel por todos os lances em
          que ele se envolva (ou não), mas aqui ,
          me perdoe , a “parada” não foi com ele .

          • Carlos Almeida disse:

            Rever o lance pela imagem que mencionei talvez ajudasse a esclarecer melhor.
            E nem citei o 2° gol, tbm no lado dele, pq a grande falha foi do Fábio Santos.
            Pq senão aí continuamos no “eu acho”, “eu não acho”.
            Mas tudo bem, segue o jogo.

  • Rodrigo Couto disse:

    Tudo esta em seu lugar graças a Deus, em 34 finais diretas entre Cruzeiro x Vespasianenses
    o #timedopovo ganhou 14 .
    no mais o choro é livre !!!
    #benecycontinuacriandomarrecas

  • Flaviano disse:

    Venceu quem soube jogar uma decisão?
    Discordo, Chico! O cruzeiro venceu, porque jogou com um jogador a mais.
    O que vimos foi um Atlético acuado pela desvantagem numérica e um Cruzeiro que soube tirar vantagens dessa superioridade.
    Os cruzeirenses estavam morrendo de medo das bolas paradas de Otero. Deram um jeitinho de tirá-lo do jogo.
    O Atlético deveria entrar na CBF com uma representação contra o arbitro Luiz Flávio de Oliveirana, que se omitiu a não expulsar o lateral Edilson do Cruzeiro. O quarto arbitro havia sinalizado para Luiz Flávio de Oliveira, pedindo a expulsão dos dois jogadores. Entretanto, Luiz Flávio de Oliveira expulsou somente o meia atleticano.
    Ora, quem não viu que o lateral Edílson deixou o pé em Otero e seguida a acertou a cabeça do Venezuelano? Infelizmente, Luiz Flávio de Oliveira expulsou somente o meia atleticano. Lamentável…
    O Atual presidente do ATLÉTICO precisa apreender a brigar pelo seu time, quem sabe unas aulas com Elias Kalil ajudaria.
    Alias, Otero deveria processar Edílson por xenofobia. Em uma declaração preconceituosa, Edilson disse: “Quem é Otero? Otero é seleção venezuelana”… “porra nenhuma” ressaltou.
    Mas é assim mesmo, time de MARIAS precisa de apito amigo.
    O que semearam no clássico irão colher no futuro; afinal porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará.

  • Juca da Floresta disse:

    Não dá para entender a reclamação contra a arbitragem, o Edílson não a tinge a barriga do otero, que lhe dá uma cotovelada na cara. Cartões vermelho e amarelo bem aplicados. Vamos relembrar da semifinal, quem deveria estar na final contra o cruzeiro foi o America, que realmente foi muito prejudicado.

  • Thales Rosa disse:

    Cruzeiro campeão.

    Passou foco agora na libertadores, brasileiro e Copa do Brasil! Estamos de olho nesta triplice Coroa.

    O mundial nem cito pois é algo quase impossivel para qualquer time fora da europa, as vezes cai um raio e um time da america do sul ganha.. mas nao podemos contar com isto.

    O maior de Minas tem que Repeitar: Cruzeiro Esporte Clube.
    4 Brasileiros
    5 Copas do Brasil
    2 Libertadores

  • Renato César disse:

    Mudando de assunto, o Galo divulgou o balanço de 2017. R$ 25 Milhões de prejuízo.

    Parabéns ao Sette Câmara pela coragem de fazer as coisas certas! Amador, juvenil, inexperiente… Deixem os invejosos falarem suas bobagens. Você está recolocando o Galo no seu devido lugar. No futuro próximo, seremos um dos 4 ou 5 clubes brasileiros que vão se manter no topo sem dúvida alguma.

    Parabéns!

    • Carlos Almeida disse:

      O que o 7 fez de genial?

      Assumiu o clube com déficit e sem orçamento pra arcar com os maiores salários e sem condições de contratar.

      Essa contenção de gastos não foi uma opção já que não havia outra alternativa.

      Porém ele fez parte dessa msm diretoria que gerou tamanho prejuízo sem nenhuma conquista que a justificasse.

      • Renato César disse:

        Não é bem assim. Sempre há espaço para desmandos. Veja o que acontece no Cruzeiro. Diretoria nova pegou o clube altamente endividado e no vermelho e o que fez? Buscou empréstimos bancários e com “agiotas” (que eles chamam de “parceiros do clube”) para aumentar o endividamento.

        Você pode colocar os pés no freio e ser responsável. Ou ser igualmente irresponsável como seus antecessores. Se fizer opção pelo primeiro caminho, será duramente criticado pela imprensa e pela torcida.

        Então, ele está de parabéns sim pela escolha que fez e, principalmente, por ter aguentado porrada de todo lado mas ter continuado no caminho certo.

        Em tempo, só uma dúvida: você torce para qual time?

        • Carlos Almeida disse:

          Cidadão, o Atlético não tem dinheiro, perdeu orçamento e as contas estão sendo bloqueadas.
          Responsabilidade é o mínimo para o cargo, não há nada de espetacular nisso.
          Principalmente pra quem foi parte atuante da diretoria que aumentou a dívida do clube e o colocou no vermelho.

  • Renato César disse:

    Ontem eu li uma coisa interessante: “campeonato regional só serve para derrubar treinador. Este Mineiro serviu para revelar um, Thiago Larghi!”

    O tempo confirmará isto.

  • Antonio Geraldo disse:

    Neste momento de “aparente” luta das instituições públicas, pelo resgate ético e moral, acredito ser pertinente considerar estas atitudes, como malandragens a serem superadas, deficiências morais a serem corrigidas. Chega de gol de mão, gol de Deus. Chega de cai-cai, pra enganar o Juiz, de simulações de toda ordem. Vamos nomear estas atitudes corretamente. Parabéns por sua crônica documentada com fotos esclarecedoras.

  • Julio Cesar disse:

    Mano é da mesma escola do Felipão ! Vamos ao anti jogo, a catimba, as provocações. O arbitro não tem pulso, usa dois pesos e duas medidas e no final, isso quer dizer malicia e saber jogar uma decisão. Se numa decisão o Messi levar o segundo empurrão, ou joelhada pelas costas ou mesmo aquela pegada no tornozelo, o adversario vai levar o amarelo de cara. No primeiro jogo no Independencia o Atletico não usou desse expediente pra vencer! Em 2014 na Copa do Brasil nos dois jogos con Pirangi tambem não. Na Europa não se ve isso em decisões. Mas aqui no Brasil é usar malicia e “saber” jogar uma decisão. Não concordo mas pra boa parte da imprensa, ou ate maioria é. É o mesmo que admitir: futebol 0 X 2 malicia, provocação e malicia !

    • Renato César disse:

      Aí vamos para uma Copa do Mundo e tomamos 7×1 em casa, graças à nossa malícia, nossa malandragem, nossa esperteza.

      Quando vencemos a briga de malícias, malandragens, espertezas com os sulamericanos, somos goleados pelos Europeus no Mundial de Clubes. Afinal, somos espertos, malandros, maldosos, cascudos…

      • Carlos Almeida disse:

        É justamente o contrário, se o Brasil dos 7×1 tivesse mais “malandragem” não teria tentado jogar de igual com a Alemanha, que inclusive só não perdeu a Copa para os Hermanos, mestres nesse artifício, pela ruindade do Higuaín e pelo fato do Messi ter jogado lesionado durante toda a competição, pois que tiveram as melhores chances, sozinhos na cara do gol.

        E os grandes clubes europeus que “atropelam” os sul-americanos estão cheios de jogadores sul-americanos, principalmente brasileiros e argentinos.

        Essa choradeira, esse mimimi não ajuda em nada, só serve pra ficar dando corda em cruzeirense, “ibope” e valorizar além da conta essa conquista do adversário.

        • Renato César disse:

          A base do Bayern que era imbatível era praticamente toda de jogadores alemães. Os que não eram: austríaco David Alaba; holandês Arjen Robben; francês Frank Ribery. Nenhum sulamericano.

          Este time foi sucedido pelo Barcelona na hegemonia. Exceções era o croata Rakitic, argentino Javier Mascherano, brasileiro Daniel Alves e argentino Messi. Sendo que o Messi nunca jogou profissionalmente na Argentina.Ou seja, apenas dois jogadores sulamericanos.

          Hoje “O Time” é o Real Madrid. Os estrangeiros são o costa-riquenho Keylor Navas, o galês Gareth Bale, o croata Luka Modrić, os brasileiros Marcelo e Casemiro e português Cristiano Ronaldo. Desconsiderando que 90% do time é o português, somente Marcelo e Casemiro são sulamericanos.

          Então, sua teoria não se sustenta. Lembro também que não estou de choradeira. Se voltar nos meus comentários vai ver o que tenho exaltado. Porém, quando se fala da arbitragem e dos lances polêmicos, minha opinião é esta de que os erros aconteceram.

          • Carlos Almeida disse:

            Seu caso parece ser inveterado…
            Sempre insistindo em insinuar coisas que não foram ditas…
            Agora vem com essa do Dante… quem disse que era titular absoluto???

            Diz que o clube alemão não tinha sul-americanos e teve hegemonia, o que não é verdade.

            Achar que o CR7 é 90% de um time que tem Sérgio Ramos, Marcelo, Casemiro, Kroos… provavelmente o melhor elenco do planeta, é um direito seu.
            Messi, Reinaldo e Pelé não chegariam nessa proporção.7
            Talvez Maradona em 86.

            Sim, as outrora sensações da Champions não tiveram camisa, tarimba pra chegar, mas jogaram um bom futebol, como nunca antes na competição.
            Culpa desses sul-americanos.

            A propósito, se vc fosse mais coerente, sensato, teria falado da Roma e a grande escola defensiva italiana, com Alisson, Jesus e Bruno Peres.

            Ah, e o craque do Liverpool era o Coutinho e agora é o Firmino.
            Que coisa…

          • Renato César disse:

            Eu não esqueci de mencionar jogadores, prezado Carlos Almeida. Citei apenas os jogadores das formações principais dos clubes. Dante não era titular absoluto nos jogos decisivos (a não ser em casos de contusões e suspensões). Já o Luiz Gustavo até teve uma participação maior, mas foi liberado para o Wolfsburg no meio de 2013, ou seja, não era fundamental também.

            Negar que Cristiano Ronaldo seja 90% da equipe é que parece ser coisa de quem não acompanha muito bem os jogos lá. Ou talvez de quem seja partidário do Messi. Navas pega muito, Marcelo é muito seguro e o melhor da posição no mundo, Casemiro está jogando demais e Modrić é um craque. Mas sem o CR7 esta máquina não funciona. Isto tanto é verdade que a fase ruim recente do time coincidiu com a ausência do futebol dele.

            Ele só participa dos momentos ofensivos da equipe? Sim. Mas participa. E como participa. Nos últimos 10 jogos (e todos decisivos, seja pelo campeonato espanhol, seja pela Liga), ele fez 20 gols. Só isto. A cada tempo de jogo tem um gol dele.

            Sobre PSG e City, ambos estão recheados de sulamericanos. E estão nas semifinais da Liga, né? E olha que, no começo da competição, ainda no ano passado, eu indicava o City como favorito.

          • Carlos Almeida disse:

            E quem é que disse que não ocorreram erros de arbitragem???

            Qual é a minha teoria?
            Aí é falta de compreensão e uma interpretação totalmente equivocada.
            Eu disse que os grandes europeus estão cheios de sul-americanos e não que só tem sul-americanos.

            Hegemonia do Bayern??
            Ganhou a Champions de 2013 dps de mais de década e dps?
            E vc esqueceu de mencionar Dante e Luiz Gustavo, jogadores medianos que tiveram participação importante na conquista, tanto que foram pra Copa.

            Falar que o Real é 90% Ronaldo parece coisa de quem assisti somente os gols dps da partida.
            Marcelo é um monstro, ao lado do Ramos, o jogagor mais importante dps do CR7.
            Casemiro voltou a jogar d+.

            E olha qtos sul-americanos na sensação da Champions, o City e no PSG.
            Não vou nem citar os nomes, mas é pelo menos meio time.

          • Jose Eduardo Barata disse:

            RENATO CÉSAR ,
            show !!!!

      • Helio Antonio Corrêa disse:

        RENATO CESAR
        Menos, agora a choradeira de sempre .
        Vamos pensar um pouco, dizer que o excesso de malandragem que sempre esteve presente no futebol brasileiro, é um dos responsaveis pelo 7 a 1, é muito, é demais da conta.
        O que nos levou a tomar de 7 a 1, foi a falta de melhores jogadores, pura simples assim.
        Entao , Didi quando dava as voadores dele em seus adversários,
        Almir quando aprontava em campo, vide Santos e Milan
        Gerson quando quase quebrou a perna de Delatorre em um Brasil x Peru
        O maior de todos quando pegou um alemão no Maraca, e quase quebrou o queixo de um uruguaio, estes todos não eram brasilerios e campeonissímos? o que mudou então?
        O que Acontece,? o que mudou para tomarmos de 7 caro amigo, foi que os melhores nossos estão lá fora, aqui ficaram os de 3º escalao, então dizer que o anti jogo, a violencia etc é a causa do 7 a 1, me perdoe mas não é verdade.
        Dizer que isto é primordial em uma decisão? também não é verdade.
        Em uma partida de futebol, você sabe bem sobre isto, são vários fatores que acontecem, mas quando se tem um grande time, não ha catimba,juiz, bola, torcida , campo que em quase 90% das vezes não dá o time melhor.ás vezes, acontece como a selação hungara de 54, a nossa de 82.
        Esta choradeira ja era esperada, e não tenho ilusão, se fosse o contrario, também estariamos aqui fazer deste espaço o verdadeiro muro das lementaçoes.
        Só entrei novamente no assunto, pq. os 7 a1 nao tem nada com esta historia de malandragem , esperteza coisa e tal. Ela sempre existiu no nosso futebol
        Vc. se lembra do Brasil e Espanha de 62? com o grande, N.Santos dando os famosos dois passos para frente e com isto não tendo sido marcado o penal contra nós?
        Nesta mesma copa, vc. se lembra da súmula do arbitro Brasil e Chile desaparecer e com isto não julgaram o melhor jogador da copa?
        Entao caro amigo, se sempre existiu, os 7 a 1 nao pode entrar nesta conta.
        Pode discordar, não sou o dono da verdade, mas os fatos estão aí, se eu pesquisar, encontrarei outros estes citados, foram os de memoria.

        • Jose Eduardo Barata disse:

          HÉLIO ANTÔNIO ,
          naquele jogo estavam os craques
          “europeus” do Brasil , ou não ?

          • Helio Antonio Corrêa disse:

            JOSE EDUARDO BARATA
            É, até estava, mas o que na verdade eu queria mostrar, era que não é por sermos malandros,etc que tomamos de 7.
            Tomamos de 7 pq. a safra era ruim, pois quando ela era boa, tinha tudo aquilo que falei e vc. se lembra muito bem de todos aqueles fatos.
            Mas quando não se tem um grande time, nao ha malandragem,cascudagem etc que dê jeito.
            Até os “estrangeiros” do time, nao era toda aquela Brastemp , era isto que queria dizer.
            A malandragem, sempre se fez presente no nosso futebol e isto não impediu que fossemos penta, o que impediu várias vezes sermos campeos, foram, a soberba , a desorganização e por fim a safra ruim.
            Era sobre isto que dizia,

        • Renato César disse:

          Acho que não me fiz entender. Julio Cesar citou o Felipão como praticante do antijogo, da catimba, das provocações. E disse que aqui valorizamos isto. Só lembrei que o Felipão era o técnico do 7×1. Toda esta “rodagem”, não impediu o maior vexame brasileiro em Copas do Mundo.

          Por isto eu disse que quando nos apoiamos nisto para decidir com os outros lá fora que preferem o trabalho e seguir as regras, não saímos vencedores.

          Nos casos dos times que citou, a qualidade técnica era muito superior à catimba. Logo, não foi a maldade que os levou às conquistas.

          Talvez tenhamos a mesma opinião, mas você tenha entendido errado o que eu disse.

  • Antonio da Silva disse:

    Pasmem, antes do jogo um colega me deu a seguinte opinião: se eu fosse o Larghi não colocaria o Otero de cara. Otero alterna partidas boas e ruins sem muita sequência de jogos bons. Como jogou bem as duas últimas, o surto dele está acabando. Outra coisa, se ele jogar, vão planejar um esquema para neutralizá-lo, tirando-o o Larghi dá um nó no Mano. Estranhei, mas foi o que ouvi e o Otero tem atitudes imprevisíveis e sem experiência na malandragem do futebol.
    Sem querer comparar Otero com Reinaldo, mas era comum, arbitragens ou adversários fazerem tudo pra tirar o Rei das decisões… Otero mandou muito bem no 1º clássico da decisão e contra o Ferroviário, normal que o cru cru tinha intenção de desestabilizá-lo, inclusive com a conivência da arbitragem. Lá é muito comum isso. O Galo alternou bom e baixo rendimento durante a competição e o cru cru venceu num detalhe, já quer a expulsão do otero foi primordial para a vitória azulina.

  • Raul Otávio da Silva Pereira disse:

    Vamos pular essa página e cuidar da vida ?
    Agora tem Libertadores, Sulamericana, Copa do Brasil e Brasileirão para os times mineiros.
    Bora Cruzeiro !

  • Armando de Almeida disse:

    Pois Chico, é exactamente por essa ideia do brasileiro sobre o que é futebol, expressada por si como experiência, malícia e outros termos mais que só significam desonestidade esportiva e outros adjetivos menos simpáticos, que o Brasil levou 7 em casa numa copa do mundo, não tem nenhum treinador de topo no futebol mundial, não tem um único time capaz de discutir um torneio internacional, não tem tática, não evoluiu nem cresceu, pelo contrário, só tem vindo a perder. Vive do talento natural e pelos milhões de praticantes devido à dimensão do país. Dizer que “… o Cruzeiro soube usar toda a experiência dentro e fora de campo, com tudo que o que existe no futebol, que todo clube usa quando tem oportunidade e profissionais para aplicar a fórmula…” é reconhecer aquilo que o Brasil tanto precisa resolver: a mutreta, a trapaça, a corrupção, o querer levar vantagem ilícita e querer ganhar a qualquer custo. Triste!

    • Tonho ( Mineiro ) disse:

      vale ate botar na cadeia para ganhar !! Grande Brazil !!!

    • Jose Eduardo Barata disse:

      ARMANDO DE ALMEIDA ,
      muito bem dito , principalmente quando se
      tem notícia de que o lateral azul usou toda
      “a catimba” partindo para atacar o Otero
      de forma vil e pessoal .
      Isso é “canalhice ” .

      • Helio Antonio Corrêa disse:

        JOSE EDUARDO BARATA
        Nao era isso que eu lia , quando o DONIZETE jogava e batia à vontade.
        Isto, todos voces traduzia como GENERAL da raça, da alma atleticana.
        Nao me venha dizer que nao lembra disso. , pois era uma constante nos jogos CAM x CRU.

        • Jose Eduardo Barata disse:

          HÉLIO ANTÔNIO ,
          assim procedíamos como também acontecia
          na época de Márcio Paulada e outros por lá .
          O que contesto aqui foi o comportamento de
          seu lateral que usou de COVARDIA MORAL
          para atacar o Otero .
          Bater , deixa bater .
          Brito , Fontana , Márcio Paulada , Moraes ,
          Cláudio ( lateral ) , Cincuneghi , ……. todos
          batiam com gosto , mas não ofendiam , se
          é que me entende .

    • Renato César disse:

      100% de acordo com este comentário! Infelizmente, vendo os aplausos para isto, penso que o país não tem solução mesmo. Aqui o errado é que é certo. Muito complicado.

  • Regi.Galo/BH disse:

    Aos comentários de ambos, Parabéns!!!
    Valeu o destaque.

    Ao companheiro Carlos Almeida,
    Excelente!!! (sem nada de alegorias; direto ao ponto;sem coré-coré…gostei!)

  • Luiz Ibirité disse:

    Q vexame para aqueles q agrediram o luan, pior, onde aconteceu pelo q se sabe somente ficam pessoas credenciadas, é sempre assim por causa de meia duzia de babacas os laços se estreitaram de nv.

  • Luiz Ibirité disse:

    Caro Renato Cesar, acho o Alex Souza muito ponderado sim, ele critica o time mesmo sendo campeao, numa final esperamos o titulo, o Cruzeiro foi melhor, pode ate não ter feito o seu melhor, mas cumpriu a missao que tinha de cumprir, mas o campeonato mineiro so serve pra isto, zuar e ser zuado (torcedor), pros times ainda não enxergaram q é um grande laboratorio, se tem hora pra errar é no mineiro.

  • Luiz Ibirité disse:

    Fala dudu, estou aqui pra dar meu pitaco sobre a arbitragem de ontem, quando o otero foi expulso eu estava do outro lado do campo, setor E inferior, confesso q na hora somente comemorei, pois vi o vermelho saindo direto, ja estava 1×0, pensei com um a menos vai dar Cruzeiro é claro, vendo em casa o vt mais detalhado vi q o juiz poderia ter expulsado os dois, eu disse poderia, mas acho eu q ele fez certo, o edilson da um chutão e otero vai e direção ao chute, (o otero é muito rapido) mais leva o cotovelo com clara demonstração de querer acertar, o chute do edilson passa ao lado do otero, o q foi falado antes entre eles não quero nem saber, visto que durante a semana falaram q aconteceu muita coisa, vai la saber, porem, pra mim na hora q o 4 arbitro aponta os dois, como disse o claytinho, não dá para diferenciar o q ele quer dizer, se é pra expulsar os dois ou se somente aponta os dois, so que o arbitro estava bem posicionado, de frente pro lance, resolveu ali na hora, nem pediu ajuda, se ele não tivesse visto era mais certo a expulsao dos dois ou somente o amarelo. Um jogo deste tb é dificil pro apitador, os jogadores não colaboram, por ex. o elias reclama o tempo todo, quer apitar o jogo inteiro, futebol mesmo que é bom nada, o oliveira isolado, gente quando vi não acreditei, o atletico poupou o patrick no meio de semana, claro q deveria poupar, mas perai ganharam o primeiro jogo da final e foram raros os que levantaram a bola, somente temos este repertorio.
    Quanto ao Cruzeiro, ontem comemorei, hoje vejo q algumas mudanças precisam ser feitas, a lateral esq. tem de sair egidio, pessimos dos pessimos, ariel cabral não dá, arrascaeta deve ser reserva e ser titular contra o atletico, pois vai regular assim la longe, pode dar sequencia pro sassa que ele tem grande chances de assumir a 9 ali na frente, o edilson lateral precisa voltar a jogar, pq ja vimos quao diferente é ali com ele em campo.
    Vou ser criticado aqui por alguns, mas, estou falando não pelo q aconteceu ontem, por um todo, o jogo de ontem teve seu diferencial, era final, os caras estavam pilhados, querendo dar uma resposta pra si mesmo, mas estou falando por todo campeonato, aqui são somente os tres da capital, mas e a libertadores,(perdemos fora e empatamos em casa com o vasco) o br18, a copa do brasil, o time do Cruzeiro precisa evoluir muito, o titulo não pode esconder estas deficiencias que estão ai saltando aos nossos olhos.

    • Renato César disse:

      Esta resposta era para ter saído aqui, mas devo ter clicado errado e ficou no meu comentário:
      http://blog.chicomaia.com.br/2018/04/09/venceu-quem-soube-jogar-uma-decisao-e-bola-pra-frente/#comment-213267

      • luiz ibirite disse:

        pois então, impossivel esta leitura labial de onde eu estava, pra vc ter uma ideia, ate o ricardo oliveira pediu pro elias jogar futebol, mas ele so se preocupa em reclamar, se vc conseguiu contabilizar a quantidade de conversas entre sobis e o juiz, as do elias perdi as contas.
        como eu disse um jogo destes tb é dificil pro apitador.

    • DUDU GALOMAIO BH disse:

      Apenas a tentativa do chute já consumava tentativa de agressão e além disso ele também acerta o cotovelo no Otero. Me nego a acreditar que mesmo com as imagens mostrando tudo a paixão ainda o faça querer modificar o acontecido, meu caro.

      • luiz ibirite disse:

        o dudu onde vc v o edilson indo chutar o otero, ate onde sei ele da um chutão e antes do otero chegar na bola, é uma falta temeraria, passiva de cartão amarelo, mas ja q não vamos concordar mesmo, bola pra frente.

        • DUDU GALOMAIO BH disse:

          Então tá né Luiz? Paciência… rsrs

        • Jose Eduardo Barata disse:

          LUIZ IBIRITÉ ,
          você é um cara bom de papo , dá
          para levar uma conversa na boa .
          Veja o lance novamente e verás o
          lateral isolando a bola e , AÍ SIM ,
          levantando o pé no Otero .
          Já o nosso atacante vai direto no
          rosto dele , como já o havia feito
          em lance anterior em que deu um
          tapa no azul .
          A disputa entre eles foi muito mais
          que simples “jogada ríspida” .

          • Luiz ibirite disse:

            Jose Eduardo Barata por tudo q envolveu o jogo, a maneira como cada um procurou se motivar para o jogo, fica sempre a impressão de q alguém saiu prejudicado, eu não sei o q o Edilson falou pro otero, só sei q pra arbitragem é uma final, jogo difícil, no q vi em campo, os jogadores do dois lados precionando a arbitragem, o juiz não é profissional, o futebol mudou muito, em vários esportes já se tem auxílios, e no futebol quantas x vimos o juiz tomar a decisão sozinho e quantas x vimos ele pedir “auxílio” aos outros árbitros, no mesmo campeonato vimos erros gritantes e sabe pq? Por falta de critério, a regra é clara, mas arbitragem é interpretativa, o árbitro expulsou somente ó otero, e errou ao amarelar o Edilson, mas a maioria das pessoas q se dizem conhecedoras do futebol disseram q deveria expulsar tb, pra vc ter uma ideia no mesmo jogo o 4 árbitro aponta q são os dois, mas não conseguimos decifrar o q ele quer dizer ao apontar o dedo, e o juiz decidiu, falta critério, a regra é clara, mas a arbitragem nunca foi!
            Abraços!

      • Renato César disse:

        Fiz um comentário abaixo, mas destaco novamente este trecho: “o juiz justificou o cartão amarelo para o Edílson na súmula como sendo em razão de uma falta temerária”. Mas, se voltarmos no lance quem cobrou a falta? O cara recebeu um cartão pela falta que sofreu?

        Estes fatos nos fazem crer que o juiz precisa de uma reciclagem com urgência. Mostrou que estava completamente perdido na arbitragem. Ouso dizer que ele assumiu as características celestes para ele e foi quem mais tremeu no clássico.

  • Renato César disse:

    Vou continuar discordando. Não podemos enaltecer a Lei de Gerson e nem aqueles que a praticam.

    Diretoria do Galo já vetou novamente jogo com torcida dividida por falta de reciprocidade. Realmente, não pode ser certo ser errado.

    Mário de Andrade que descreveu bem o povo brasileiro (isto há quase um século) em Macunaíma. Mas apenas sintetizou o povo brasileiro, não queria criar um herói. Ele criou um anti- herói na verdade, um personagem que vive “encurtando” caminhos para se dar bem, ignorando trabalho e regras.

    Qualquer semelhança não é mera coincidência, pois Mário de Andrade estudou o brasileiro para criar o Macunaíma.

    • Renato César disse:

      Observe na primeira foto que o Edílson também está dando um soco no Otero. Na segunda foto, veja as posições dos braços, das mãos, das pernas e até o olhar do Edílson. Acha que ele estava dançando balé ou tinha intenção de acertar o Otero?

      Ainda sobre este lance, o juiz justificou o cartão amarelo na súmula como sendo em razão de uma falta temerária. Volte no lance (ou na sua memória) e me diga quem cobrou a falta.

      Quando disse que o Elias reclama o tempo todo, você por acaso lembra que o árbitro chamou o Rafael Sóbis separado três vezes para mandá-lo parar de reclamar e, depois disto, o Ricardo Oliveira vira para o Edílson na entrada da área celeste e fala com ele “Vamo jogar! Vamo jogar!” e o juizão, lá do meio do campo, levantou um amarelo para ele? O Elias é que reclama?

      O resultado foi homologado e isto não vai mudar. Por isto, a maioria dos atleticanos pelo que tenho visto em todos os lugares, tem preferido enxergar a evolução da equipe. Claro, ao falar do jogo, não tem como deixar de citar erros de arbitragem, que só não ocorreram para quem não quis ver.

      Hoje, temos um treinador que comete sim seus erros como é natural de qualquer ser humano, mas que acerta muito mais. O time está encorpando. Tenho certeza que a temporada será muito mais produtiva do que prometia inicialmente.

  • João Gomes disse:

    FRASE DO DIA:

    “O Atlético de domingo parecia que estava no Maracanã contra o Flamengo ou no Itaquerão enfrentando o Corinthians. Um dos males que o Independência tem causado ao Galo é que ele joga no Mineirão como se fosse visitante.”

    Emanuel Carneiro
    Rádio Itatiaia

    • Márcio Luiz disse:

      João Gomes,
      No início do ano durante a Florida Cup o nosso conselheiro Emanuel Carneiro comentara que “não entendia o porquê do Adilson ainda estar no Atlético, pois o jogador demonstrava uma má vontade danada”.
      Então, não leva o que ele diz sobre o Galo muito a sério não.

    • Jose Eduardo Barata disse:

      JOÃO GOMES ,
      esse Emmanuel .. .
      Libertadores e Copa do Brasil foram
      decididas no Horto ?

  • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

    É caro Chico…

    Você pode não querer mais voltar a esse jogo, mas a tendência é a choradeira continuar por mais algum tempo… Principalmente pelo fato da maior parte da Torcida Atleticana continuar achando que o time só perdeu o jogo e o Título por causa da arbitragem. São em momentos como este que um elenco mais experiente faz a diferença. E também neste ponto o Cruzeiro está à frente do Atlético Mineiro.
    O Atlético Mineiro teve sim uma evolução, a comparar pelo início melancólico que teve, contou com aquele apagão do Cruzeiro no primeiro jogo quando levou 03 gols em menos de 15 minutos, mas a verdade é, opinião também da maior parte da crônica esportiva Nacional, que o Cruzeiro tem sim um elenco mais qualificado que o Atlético Mineiro. E olha que não tinha à disposição aquele ex-jogador em atividade que tanta mágoa deixou nos Atleticanos e o Raniel. E ainda assim o Cruzeiro fez prevalecer sua superioridade técnica.
    Falar que tecnicamente o Cruzeiro não foi superior ao Atlético Mineiro, é querer tirar como base só o primeiro jogo da decisão. Mas em que pese o clássico ser um campeonato à parte, o que deve ser avaliado é o todo, os números, o aproveitamento. E o Cruzeiro, apesar do apagão de 15 minutos, foi melhor tecnicamente sim, mais inteligente sim e mais eficiente sim do que todos os outros times que disputaram esse Campeonato Mineiro, incluindo obviamente o Atlético Mineiro.
    Fato !!

    Abraços

    • Carlos Henrique disse:

      Lamentavel Clayton, é o presidente do Atletico
      voltar atrás, pediu o classico com duas torcidas
      o presidente do Cruzeiro concordou
      depois da final, voltou atrás.
      Mas quem sabe , ainda repense.
      Quanto a “choradeira’
      acaba , depois dos jogos subsequentes
      Mas o Luiz Flavio, deveria expulsar os dois.
      Nao teve lance, de penalty, impedimento
      mas deveriam , ser expulso os dois
      mas vida que segue
      o Galo em reformulaçao,ainda se firmando
      com jogadores novos
      o Cruzeiro nao, ja vem com um trabalho desde ano passado

      • Renato César disse:

        Veja as declarações do Itair pós clássico, ainda no gramado, e o que aconteceu na saída do vestiário. Não tem como conversar com este povo eles, não vão cumprir a parte deles.

      • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

        Grande Carlos Henrique,

        Nessa questão do até então acordo para o clássico com Torcida meio a meio, quem teve a iniciativa e agora voltou atrás, foi o Presidente do Atlético Mineiro como vc bem colocou. Segundo ele, por falta de reciprocidade no tratamento recebido neste último jogo e eu realmente não duvido que a Diretoria do Cruzeiro tenha deixado a desejar. Por isso que eu sempre falo que, com esses dirigentes nossos, com essa mentalidade provinciana, é pouco provável das coisas evoluírem.
        Com relação ao tão debatido lance Edilson x Otero, como eu já falei em outro comentário, ali foi um lance interpretativo. Eu também acho que o Edilson agiu de forma errada, dura, podendo ser advertido como “jogada violenta” e o Otero corretamente expulso por “agressão”. Porém, penso que se o árbitro tivesse expulsado também o Edilson, não estaria errado porque assim seria a expressão de como ele interpretou o lance. E de certa forma, expulsando os dois, já “dava o seu recado” para os demais jogadores, de que ele não iria admitir aquele tipo de situação ao longo de todo o jogo. Achei sim que o Edilson soube como pilhar o Otero, que agiu como um juvenil fraco psicologicamente. Mas daí a vários Atleticanos quererem apontar este fato entre esses dois jogadores, como se fosse uma ação deliberada do árbitro em prejudicar o seu time, sendo o principal motivo para a derrota do Atlético Mineiro, não reconhecendo uma vírgula sequer de mérito do adversário, por mais que eu tenha que respeitar essas opiniões, na minha opinião é querer forçar a barra demais e tapar sim o sol com a peneira.
        Eu sei que vc não faz essa linha de Torcedor que eu me referi. Acompanho seus comentários, observo que vc faz as suas brincadeiras e zoações quando devidas, mas percebo um pouco mais de lucidez, coerência e desprendimento nas suas palavras. Do tipo que, se algum dia tiver que reconhecer algum feito do rival ou seja lá de qual time for, não vê problema nenhum em fazê-lo.

        Abraços