Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

A “Lei de Gérson” e o caráter nacional

Domingo, 26/05, 9h30, fila quilométrica e dificuldade para abastecimento em posto da Av. Antônio Olinto –Editorial do jornal Sete Dias, de Sete Lagoas:

* Além de completar a desmoralização desse governo o movimento dos caminhoneiros (muito justo, diga-se) trouxe outro benefício ao país: lembrar a “Lei de Gérson e repensar o caráter nacional. Essa “lei” surgiu de uma campanha publicitária dos anos 1970, do cigarro Vila Rica, em que o jogador Gérson, destaque na conquista da Copa do Mundo de 1970, dizia que gostava de levar vantagem em tudo, por isso comprava a tal marca de cigarro. Atualmente comentarista esportivo, até hoje Gérson vive se explicando, mas o caráter nacional continua o mesmo. Grande parte dos brasileiros, possivelmente a maioria, só pensa em si; o semelhante que se dane.

O jornalista Henrique André, do jornal Hoje em Dia, escreveu no twitter dele, terça-feira, @ohenriqueandre: “Impressionado com as filas quilométricas formadas para abastecer. Mais ainda com as tarifas do @Uber_Brasil, que se aproveita da greve para faturar. Minha corrida, que daria R$ 12 reais, deu R$ 32. E sabe o detalhe? O carro era movido a gás. Brasil-sil-sil-sil!”.

Nos postos Vila, dos dois lados da BR-040 no trecho entre Sete Lagoas e Belo Horizonte, na divisa dos municípios de Esmeraldas e Pedro Leopoldo, a direção da empresa e a polícia proibiram a venda de combustíveis em vasilhames, porque espertalhões estavam adquirindo um galão por R$ 24 e revendo nas próprias filas de abastecimento a R$ 50.

No anonimato das redes sociais, em meio a tanto lixo, costuma-se aproveitar coisas boas, como este texto, entitulado “Para refletir”, que realmente merece reflexão: “Japão: após o tsunami, a população comprava o estritamente necessário para não prejudicar o próximo.
EUA: após o estrago do furacão Katrina, o comércio vendia bens a preço de custo para ajudar a população.
França: depois dos atentados terroristas, os táxis faziam corridas grátis para a população.
Brasil: durante a greve dos caminhoneiros, comerciantes vendiam gasolina a R$9,99/l; a batata foi reajustada em 300% e a alface foi vendida a quase R$7,00. O botijão de gás passou de R$ 65,00 para  R$ 130,00. O nosso problema não é apenas culpa dos políticos. Eles são o reflexo da nossa sociedade. Precisamos mudar!!!”

É isso aí!

Editorial do jornal Sete Dias, de Sete Lagoas


Deixe uma resposta para Raws Cancelar resposta

Comentários:
18
  • Horacio V Duarte disse:

    Estou gostando muito desta conversa, um bando de macacos fazendo lambança e o culpado é o ‘brasileiro’, esta gentinha que está tomando ferro com a palhaçada. Podiam dar menos conselho, guardar o moralismo para quem quer ouvir e começar a limpar a m. que fizeram, ou pelo menos parar de bater palma para macaco dançar.

  • Marcos disse:

    É por essas e outras que o nosso país nunca será promovido a país desenvolvido, porque o próprio povo brasileiro não ajuda! Então não pode se queixar dos políticos que o governa. Nesse país o que não falta são aproveitadores, que não podem ver uma falta de produtos que os vendem por preços abusivos.
    Muitos motoristas que podiam bem deixar seus carros nas garagens, devido à falta de combustível, foram enfrentar filas bastante extensas pra abastecer seus carros pelo dobro do preço. Mesmo correndo risco de chegar na bomba do posto e o frentista lhe dizer que o combustível já acabou. Depois não reclamem se a gasolina voltar a subir, e subir pra valer.
    O Brasil segue sua vida medíocre de país em desenvolvimento mesmo com o tanto de recursos e riquezas que possui. Isso se não for rebaixado a país subdesenvolvido de fato. O povo brasileiro precisa rever muitas de suas condutas se quiser viver em um país melhor.

  • Rafael disse:

    Li em algum lugar:

    “O Brasil é um monte de gente tentando se dar bem sozinha e se ferrando juntas.”

  • Thales Rosa disse:

    É duro Chico… É duro… Pensei que desta cez seria diferenre q em meio ao caos os brasileiros iriam se unir em um único objetivo: reduzir a carga tributaria. Mas os se viu foi o relatado acima… Cada um por si…

  • Carlos Henrique disse:

    GENTE dependo do oleo diesel plantar colher
    conversei com um amigo meu caminhoneiro
    que disse o seguinte
    pegou um frete para Recife
    estava no Pr
    quando chegou la o oleo diesel
    tinha subido 4 vezes
    tem cara pagando ainda prestaçao do caminhao
    nao estamos pagando a conta do caminhoneiro nao
    como trabalhar dando prejuizo
    o governo em um ano deu 126 aumentos no diesel
    voces, recebem seus ordenados
    e os caras , tem que trabalhar
    mas como
    se esta dando prejuizo
    eu mesmo que tenho uma pequena propriedade perto da cidade
    nao pude vir pra cidade
    vou cedinho e volto a tarde
    fiquei la
    todo dia jogava 13o litros de leite fora
    a colheita de café
    vai ter que esperar
    nao tem como ainda levar gente la
    e tem gente que nao entende
    foi a melhor coisa que aconteceu
    ninguem merece trabalhar no vermelho
    mas a Petrobras, tem que ter lucro
    muito lucro
    quem depende da gasolina, do diesel
    este pode ter prejuizo

  • Pedro Vítor disse:

    “Brazil esta matando o Brasil”

    Brasil não merece o Brazil’

    Música interpretada pela Elis Regina, de Aldir Blanc e Maurício Tapajós, mas é a verdade absoluta do Brasileiro!

    Querelas do Brasil

    O Brazil não conhece o Brasil
    O Brasil nunca foi ao Brazil
    Tapir, jabuti, liana, alamandra, alialaúde
    Piau, ururau, aqui, ataúde
    Piá, carioca, porecramecrã
    Jobim akarore Jobim-açu
    Oh, oh, oh

    Pererê, câmara, tororó, olererê
    Piriri, ratatá, karatê, olará

    O Brazil não merece o Brasil
    O Brazil ta matando o Brasil
    Jereba, saci, caandrades
    Cunhãs, ariranha, aranha
    Sertões, Guimarães, bachianas, águas
    E Marionaíma, ariraribóia,
    Na aura das mãos de Jobim-açu
    Oh, oh, oh

    Jererê, sarará, cururu, olerê
    Blablablá, bafafá, sururu, olará

    Do Brasil, SoS ao Brasil
    Do Brasil, SoS ao Brasil
    Do Brasil, SoS ao Brasil
    Tinhorão, urutu, sucuri
    O Jobim, sabiá, bem-te-vi
    Cabuçu, Cordovil, Cachambi, olerê
    Madureira, Olaria e Bangu, Olará
    Cascadura, Água Santa, Acari, Olerê
    Ipanema e Nova Iguaçu, Olará
    Do Brasil, SoS ao Brasil
    Do Brasil, SoS ao Brasil

  • José Eduardo Barata disse:

    Meus filhos e os filhos de todo mundo saindo mais cedo
    de casa para garantir o ônibus para que possam chegar
    no local de trabalho , à noite retornando de carona ou na
    espera da condução sem horário , para cumprir com os
    deveres de uma sociedade que precisa produzir .
    E o FUNCIONÁRIO PÚBLICO DISPENSADO de trabalhar ,
    deixando toda a população na agonia das licenças, dos
    despachos , dos documentos que lhes são devidos e
    que não estão sendo entregues , penalizando a todos ?
    Por que o SERVIDOR público tem esse privilégio ?
    Por que toda a população tem que se virar e o estado
    e prefeituras SE DISPENSAM de trabalhar.?
    Este é o BRASIL que os caminhoneiros denunciam !!!!

  • Antonio da Silva disse:

    Essa greve só serviu para confirmar o quão desvalorizada está a camisa azulina. Sassá foi as redes sociais trocando camisas por gasolina. Duas camisas em troca de 10 litros, como o preço está a 5,00; duas camisas do cru cru etão valendo 50,00. Pior ainda, o torcedor entregou a gasolina em duas garrafas pets, nunca vi garrafa pet de 5 litros. Bem pior ainda, é proibido acondicionar gasolina em garrafa pet, mas como lá tudo é nebuloso…

  • Alisson Sol disse:

    Chico,

    Desculpe-me pelo “contraditório”. Contudo, acho que, em momentos de crise é que se tem de manter a calma, e olhar os fatos primeiro, o mais objetivamente possível.

    Alguns fatos:
    – Após a Tsunami no Japão as pessoas compravam apenas o necessário porque este é o jeito de se comprar no Japão, e também na Inglaterra. Os imóveis são minúsculos. As geladeiras parecem frigobar. O hábito é de se comprar bens perecíveis quase todo dia, simplesmente por não se ter onde estocar. Mas ocorreram enormes escândalos com o dinheiro para recuperar o país da Tsunami, com verbas gastas em outras regiões, e atividades absolutamente não relacionadas à recuperação do país após o desastre (link).
    – Nos EUA, morreram 1,833 pessos during o furacão Katrina. A maioria pobres que não tiveram como sair da região inundada. Quem ficou, dependeu de ajuda da FEMA, que é de graça. Ou de organizações não-governamentais, que também provêem alimento e abrigos de graça. Aliás, em análise do governo americano sobre o que “deu certo” na resposta ao Katrina, as organizações não-governamentais são reconhecidas com destaque (link</a). Comércio aberto praticamente não existiu por quase um ano.
    – Sim, vários taxistas levaram pessoas de graça após atentados na França (
    link). E vários estabelecimentos abriram as portas para ajudar as vítimas que não tinham para onde ir.

    Veja que, típico da Internet, se misturou uma verdade com duas mentiras, e se cria uma “mensagem viral” espalhando mitos. O povo brasileiro não é diferente de nenhum outro povo no mundo. Não é melhor. Não é pior.

    O país está em um estado histórico diferente de outros países, e tem como sair disto. Mas não será simplesmente achando que “o povo é ruim, e não tem jeito”. Ao contrário, é preciso investir mais em educação e infra-estrutura agora, e colher depois. Felizmente, o país descobriu logo que não tinha tanto petróleo assim, pois caminhava para o “modelo Venezuela”. Agora, talvez o Brasil acorde e se direcione para o modelo Singapura ou Coréia do Sul. Mas mesmo naqueles lugares há corrupção e problemas. Mas persiste o investimento no futuro e a vontade de melhorar.

  • Renato César disse:

    Excelente! Digo sempre que o problema do Brasil é um só: o brasileiro!

    No Facebook ontem eu escrevi o seguinte:
    “Campanha agora é #VemPraFila! É o otário do brasileiro provando mais uma vez que não é e nunca será uma NAÇÃO!”

    Contando lá fora esta situação eles não acreditam. Não tem como este país dar certo enquanto tiver este povo.

  • Alessandro Cândido Ferreira disse:

    Caro Chico, várias reportagens foram mostradas mostrando o egoísmo. Agora lembra-se do ataque a Paris? Lá os taxistas faziam corridas com preços menores ou até mesmo de graça. Ainda temos muito a evoluir, principalmente o nosso país.

  • Pablo Oliveira disse:

    É Chico os caminhoneiros fizeram uma manifestação legítima, conseguiram seus objetivos e nós pagamos a conta.
    Gasolina era R$4.39 antes da greve e agora é R$4.99.
    Etanol era R$2.79 antes da greve e agora R$3.39
    Gás de Cozinha era R$60.00 antes da greve e agora R$80.00
    Ovos branco R$9.00 o pente e agora R$18.00
    O comércio sem faturar nada a uma semana, a industria parada, frangos e porcos morrendo, leite sendo jogado fora, desabastecimento no Ceasa e preço nas alturas.
    Não sou caminhoneiro mas sou Brasileiro e exijo respeito, não podemos pagar uma conta que não é nossa, tá difícil esses país desses governantes corruptos eu quero é o Kalil para presidente.

    • jorgemoreira disse:

      A cemig já avisou que os acionistas querem 25% de aumento, então cabe ao zé povinho dar o aumento pra satisfazer a eles , na minha casa nós adotamos o tá caro substitumos por outro produto, deixem os especuladores jogarem o alimento fora, minha filha ouviu do gerente do banco que ela trabalha, se virem pra vir trabalhar, eu não dependo de transporte publico e tenho combustivél então façam o mesmo se virem, é este o paiz dos que mandam em tudo

  • Horacio V Duarte disse:

    Caro Chico Maia, assinaria em baixo, só faltou dizer que a imprensa, mais uma vez, não ajudou. Como no caso dos surtos de febre amarela criou mais pânico do que informou. Uma coisa é escândalo envolvendo ricos, famosos e políticos, outra coisa é quando as pessoas precisam ser orientadas.

    Partem da suposição que todos têm o mesma idade, nível de instrução, recursos e discernimento, deu nisto aí. Quem precisa de combustível para trabalhar ficou sem. E agiram assim não apenas pela lei de Gerson(que nem é dele) ou porque brasileiro é assim, sabem que não há ninguém para defendê-los, estão sozinhos e Deus, e olhe lá.

  • Marcos disse:

    O Uber é internacional.
    Então a crítica não cabe só ao Brasil.

  • Raws disse:

    Chico, ótimo post. Só faço a ressalva de que muitos enfrentam filas por extrema necessidade. Fiquei pensando, o que faz a pessoa dormir na fila de um posto, dentro do veículo, com frio e perigo de assalto? Desespero. Então não podemos colocar todos no mesmo balaio. Outra coisa, Motos, pickups, furgões, taxis e vans, deveriam ter preferência, em sua maioria são para o trabalho. Vão falar “mas os caminhoneiros estão se sacrificando”, eu digo, cada um sabe até onde pode ir. Os caminhoneiros estão certos, quem não abastece está certo e quem não pode deixar de abastecer também. O grande erro e de todos foi nas urnas e infelizmente se repetirá pois Aécio e Dilma estão quase garantidos no senado.

    • jorgemoreira disse:

      Olha quem apareceu, que legal voçê e os outros amigos em Atleticanidade estão fazendo falta neste espaço, volte sempre e lembranças aos que estão meio sumidos mas que deixam sempre saudade nas conversas sobre o Clube Atlético Mineiro, pra voçê tambem que sempre se comunica fora deste espaço mas que continua com o humor e vontade sempre de nos defender dos…… voçê sabe quem é

      • Raws disse:

        Jorge, a vida em certos momentos se mostra tão dura que nos recolhemos. Esse espaço é um canto de minha casa, porém, ultimamente tenho ido somente na cozinha, banheiro e quarto. Abraço.