Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

A Bélgica tem mais time, foi melhor e a classificação é incontestável

Realmente o time dirigido pelo espanhol Roberto Martinez, é excelente. Diferentemente do jogo contra o Japão, quando entrou relaxado e excessivamente autoconfiante, contra o Brasil o respeito foi absoluto e a atenção foi total do primeiro ao último minuto.

O time tem uma sintonia impressionante e nesta vitória destaque especial para três jogadores, pela ordem: o baixinho, meia Eden Hazard (que joga no Chelsea), tomou conta do meio campo; o gigante, rápido e habilidoso Lukaku e o goleiro, também gigante, com seu 1,99 de altura, goleiro Courtois, com defesas sensacionais principalmente no primeiro tempo. Lukaku foi fundamental nos gols no primeiro tempo. Faz lembrar o ex-jogador Adriano para abrir espaços, jogar sem a bola atraindo a marcação para si. Até no tamanho são parecidos. O brasileiro mede 1,89 e o bela 1,91.

O Brasil não foi mal, mas enfrentou adversário superior. Nas poucas vezes em que isso ocorreu na “era” Tite, os jogadores acima da média fizeram diferença e o time venceu ou empatou. Hoje, Neymar e companhia não deram conta e a esta altura a delegação já está tomando as providências para o retorno à casa. A soberba, como sempre, também pesou. Tite e jogadores até tentavam disfarçar, mas tinham certeza que estariam decidindo o título semana que vem no Estádio Luznhiki, restando saber quem seria o adversário. Sem falar na imprensa, né? O oba-oba e ufanismo, especialmente da turma do Rio e São Paulo era de dar medo. Coisa de doido. Fica o consolo de que não sendo campeão do mundo as mazelas da CBF e cia., não ficam escondidas debaixo do tapete. A conquista do penta em 2002 deu sobrevida de mais pelo menos 12 anos a Ricardo Teixeira e amigos.

Aliás, os belgas comemoram também uma forra daquela Copa do Japão/Coréia, em que foram eliminados pelo Brasil nas oitavas de final, com participação direta do árbitro jamaicano Peter Prendergast, que anulou, escandalosamente, um gol legítimo deles, aos 35 minutos do primeiro tempo, na cidade de Kobe/Japão. Foi tão feio que o apitador reconheceu o erro e pediu desculpas depois, mas o Brasil venceu e foi campeão na sequência. Tempos em que o ex-sogro do Ricardo Teixeira, João Havelange, ainda mandava e muito na FIFA.


Deixe uma resposta para Pedro Vitor Cancelar resposta

Comentários:
24
  • Herminio disse:

    Enfim vai começar a Copa do Mundo.Quanto ao time da CBF disputou um campeonato série C na América do Sul e um Série B na Copa.
    Quando foi pegar times da série A não passou do primeiro.
    Enfim acabou o ufanismo! Hora de assistir a Copa com prazer.

  • Pedro Vitor disse:

    Olha o esquema do belgas bem parecido com o time montado pelo Cuca em 2013

    Ele colocava o Richarlisson como um libero do lado esquerdo rocha pra atacar com Tardelli e Bernard circulando na frente pelos flancos Donizete, Pierre, Ronaldinho e Jo pelo meio de campo

    O Hazard lembra muito o Tardelli e Marques características não posição, Hazard tenta muito um contra um mas prende menos a bola que o Neymar que não joga pelo time, então os belgas fizeram uma marcação no lado esquerdo brasileiro matou Neymar e o Marcelo também, sem espaço do lado direito sempre disse desde antes da copa que sem Daniel Alves o setor era fraco tecnicamente a zaga não era ruim mas o sistema defensivo sim.

    O Tite Arma uma defesa como ninguém, mas isso ele faz no Corinthians e tem a mídia do clube que controla toda uma leva de audiência no país como aliado, já na seleção é diferente apesar que a mídia estava toda voltada para conter quem pensava o contrário mas não foi o suficiente.

    Neymar por ser agressivo deveria ter um esquema ofensivo onde a bola chegue a ele numa boa condição pra partir pra cima em velocidade.

    Nas eliminatórias deu certo, também porque o Brasil estava em péssima fase e as equipes achavam que estava fácil jogar contra o Brasil aí jogando no contra ataques e reinou mas a partir do momento que tem de buscar o jogo muda tudo

  • Carlos Junqueira disse:

    Bom dia a todos. Ao meu ver vários fatores foram determinantes para a derrota de ontem:
    1- A aplicação tática da Bélgica ( mudou seu esquema de jogo e jogou no contra ataque, explorando as deficiências de nossa marcação)
    2- O excelente goleiro belga
    3- O fator sorte ( bola na trave contra a Bélgica no início do jogo e o gol contra)
    4- O fato do pelo menos quatro jogadores brasileiros jogando muito mal ( Fernandinho; Willian ; Coutinho e Marcelo) Excluo o Paulinho, pois não o vi em campo. Não há como ganhar um jogo com quase metade do time errando a maioria dos lances.
    5- A falta de leitura do treinador que se tratava de um jogo de copa. Preferiu manter os amiguinhos a colocar os que estavam em melhor fase ( Firmino e Felipe Luís principalmente)
    6- Sacrificar um atacante ( Jesus ) para corrigir a falha de marcação de um meio campo ( Paulinho)
    Somando tudo isso realmente ficava difícil vencer, mas mesmo assim ainda tivemos chances. Vida que segue …

  • Silvio T disse:

    A revolução que não veio de forma radical com o 7×1, precisa ser bem acelerada no futebol brasileiro. Não adianta o discurso retrógrado dos que acham chato, ridículo, mentiroso e tudo mais sobre a tática no futebol. Os europeus, principalmente, tem uma feroz consciência sobre isso desde jovens. E outra besteira é achar que isso prejudicaria a qualidade individual do jogador. Estão aí os destaques da França e Bélgica prá provar que a capacidade de entender o jogo, saber se posicionar em campo, ler o que faz o adversário só ajuda ainda mais o desempenho dos bons. Lembrando um antigo comercial de tv dos anos 70 que vendia os métodos modernos de alinhamento e balanceamento dos automóveis: a época do marreteiro acabou.

  • Fred disse:

    Foi-se o tempo que o Brasil (e a Argentina também) ganhavam títulos na base do junta-junta de craques que resolviam individualmente. As outras seleções estudaram, planejaram e evoluíram muito. Dito isso, é preciso duas humildades:
    Humildade 1: não é porque é o Brasil que não pode jogar no “estilo chapecoense” de vez em quando. Ou pra ser mais próximo, no estilo corinthians do próprio Tite…
    Humildade 2: enquanto a seleção não aceitar trazer um treineiro europeu que ensine ao junta-junta de craques tática, posicionamento, tabelas rápidas, etc. vamos nos surpreender com Bélgicas ou sete a um.

  • jorgemoreira disse:

    Como estou me divertindo com os programas da fofoxkkkk só falta o idiota do tal de beija, este é um verdadeiro asno em assuntos futebolisticos, e agora o tal de paschoal viu penalti no gabriel, quem sabe até amanhã eles vão conseguir anular o resultado e classificar o timeco do tite, mais uma vez eu afirmo eu não tive paciencia pra ver este time jogar nesta copa , eu assisti alguns jogos da França que me entusiasmou desde o inicio apesar do jogo contra a Dinamarca(este foi uma das maiores peladas das copas recentes) eu acho que dá França, a Belgica deve ficar pelo caminho

  • Rafael disse:

    Selecinha! E o engodo, vai continuar a se passar por treinador?

  • José Eduardo Barata disse:

    Começo a ler os comentários e não
    me contenho : Brasil é melhor , jogou
    melhor , a Bélgica se fechou , nossos
    caras deram um calor naquela defesa
    de vermelho criando chances incríveis
    mas no final …. perdemos !
    Que azar ! Que maldade !
    E aí vem a balela do momento :
    o Brasil propôs o jogo !!!
    Eles tinham o contra ataque !!!
    Gente , o time deles matou o Brasil
    no primeiro tempo e se defendeu no
    segundo porque fomos pra cima na
    base do individualismo .
    E o Hazard teve um chute que seria
    a pá de cal .
    Enfim , cada qual com sua opinião.

    • Renato César disse:

      Primeiro tempo eles fizeram 2 X 0. Pessoal queria que voltassem sufocando o Brasil? Jogaram como um time que está ganhando um jogo de copa. Principalmente um time que nunca ganhou jogando contra um time que tem cinco títulos.

      Fizeram o que tinha que ser feito para elevar o nível desta geração.

    • Alisson Sol disse:

      Barata,

      Que amargura. Você diria que a Italia jogou melhor que o Brasil em 1982?
      Faltou eficiência. Mas não foi um vexame.

      • José Eduardo Barata disse:

        Ah! , meu caro ALISSON ,
        amargura ?!?!?!?
        Por quem me tomas ?
        Itália , em 82 ( você não era nascido )
        tivemos erros cruciais , e não foi Cerezo
        quem entregou a pizza , porque depois o
        Brasil empatou duas vezes, no 2 a 2 e o
        placar era nosso .
        Depois de anos reconheceram a falha do
        Junior no terceiro gol deles , quando no
        corner cobrado a zaga saiu mas nosso
        lateral ficou colado na trave .
        Então , não disse que a Itália tenha sido
        melhor , foram falhas nossas e só .
        Este o primeiro ponto .
        O segundo , no jogo de ontem , tivemos
        dois times jogando iguais, chances para
        ambos os lados, com um belíssimo time
        belga recheado de ótimos jogadores .
        E o que EU vi foi uma aula de futebol do
        time vermelho no primeiro tempo e , é
        claro , no segundo também .
        Como disse o RENATO CÉSAR , o jogo
        deles foi perfeito , ao construírem um
        placar e defendê-lo .
        Quanto ao Brasil , individualidades , tão
        somente , com qualidades , mas sem o
        mínimo de controle emocional .
        Quanto ao “vexame” não , eu não disse
        isso , em nenhum momento .
        Mas a empáfia e a soberba são irmãs
        desse time amarelo da CBF/GLOBO ,
        seguramente .

  • José Eduardo Barata disse:

    Alô RENATO CÉSAR ,
    você e meu filho me alertaram e eu
    estou inebriado com o futebol desses
    caras da Bélgica .

  • José Eduardo Barata disse:

    Quando os jogadores largaram mão dos
    “esquemas” do intragável Tite , a bola até
    que rolou com alguma emoção .
    Mas do lado de lá tem gente boa demais da
    conta .
    O segundo gol foi magistral !!!!

  • José Eduardo Barata disse:

    De Bruyne , o craque da copa .
    Aliás , Harzard .
    Ou melhor , os dois .

  • Guilherme Gonçalves Costa disse:

    Ainda bem que não houve derramamento de lágrimas de crocodilo após o jogo. Com um futebol tão medíocre, não daria pra suportar jogadores se derramando em lágrimas no campo. O que fica é a esperança de que a seleção brasileira volte a ser algum dia, uma seleção realmente brasileira. É impressão minha, ou os últimos 4 técnicos eram gaúchos??? Se eu estiver errado alguém me corrija. Eu não consigo entender o motivo das escolhas por gaúchos, sistematicamente. Será porque o melhor futebol praticado no mundo atualmente é europeu, e por causa das raízes do Rio Grande com a Europa, a escolha tem que ser obrigatoriamente por um técnico gaúcho??? Se for, podem pendurar as chuteiras e começar de novo. É o fim da picada. E com uma bela pistolada. Kkkkkkk

  • José Antonio disse:

    Vai ser bom assistir os programinhas da imprensa carioca e paulista naquelas mesinhas redondas e nos “sofazinhos” pra ver as explicações mirabolantes para justificar o fracasso da seleção da Globo. A Globo escolheu o técnico e ajudou a formar a seleção dos “bem amigos”, agora todo mundo vai querer pular fora e vai ter até os caras de pau que vão dizer “eu avisei”…. ahahahahahahaahaha… O futebol brasileiro precisa mudar muita coisa e a imprensa é uma delas… Esse monopólio da Globo e essa centralização da imprensa dita nacional no Rio e em SP tem que acabar senão continuaremos a ser eleiminados e procurando desculpas…..

    • Alisson Sol disse:

      Uma boa análise também. Mas é preciso lembrar que o público tem inúmeras escolhas. A imprensa hoje em dia observa muito os comentários do público, e vai agir de acordo com o que o público quer assistir ou ler.

      E não há coerência: havia muito rancor contra Dunga, críticas à Família Scolari, mas um excesso de boa vontade com a “Patota do Tite”. Se a maior parte do público preferir os programas de esporte com debates intensos e gritos ao invés do debate racional, é isto o que vai continuar a estar disponível.

  • Horacio V Duarte disse:

    O elenco brasileiro é muito melhor, mas perdeu para uma estratégia de jogo. No primeiro tempo o Lukaku e o Hazard jogaram e praticamente definiram o jogo, no segundo tempo mal mal viram a bola. Esquema foi o caldense na veia, goleiro jogou umas 3 bolas para lateral.
    Foi um doloroso exemplo para quem acha que medalhão ganha jogo, que crack é crack e pode resolver qualquer jogo em uma fração de segundo. Resolve nada, conversa de spike.
    É, o adversário também jogou, jogou no erro, fez marcação, tinha estratégia de contra ataque nas costas dos laterais. Não jogaram aberto como jogaram contra o japão, aprenderam com os erros. Bom para eles.
    Fico um pouco triste pelo futebol brasileiro, seleção só com quem está jogando no exterior e esta festa toda com os clubes todos quebrados. Mais triste ainda pela falta de pespectiva com o comando do futebol nas mãos da cbf e dos interesses privados de um emissora de televisão, não exatamente pela derrota, derrota faz parte do futebol.
    No mais vão voltar a realidade porque aqui é GALOOOOO!

    • Armando de Almeida disse:

      Concordo com a sua análise Chico, mas você falou 3 nomes e esqueceu-se do cérebro do time: Kevin de Bruyne. Fantástico jogador de futebol. Veja o que ele jogou o ano inteiro no City. Humilde, discreto e trabalhador (nada brasileiro, né?!), o time joga ao ritmo dele.
      Nota: dizer que o Hazard não jogou nada no segundo tempo, é preciso assistir com atenção outra vez os 45 minutos. Saiu sozinho com a bola, segurou jogo, driblou e avançou no campo quando o Brasil tentava se defender, jogou sozinho contra 4 ou 5 brasileiros e ganhou todas as faltas que precisava. Gênio.
      E dizer que o Coutinho não jogou nada também é ter visto outro jogo. É o craque do time, literalmente. O Neymala perdeu a maioria das bolas que recebeu e nunca se apresentou assumindo as responsabilidades do jogo. Se não fosse o Coutinho organizar aquele ataque, muito pior estaríamos.

  • ORLANDO CARDOSO disse:

    Discordo que a Bélgica tem mais time que o Brasil. O que ocorre é justamente o contrário, pois sabendo que o time é inferior adotou uma marcação compacta e usou os contra ataques, enquanto isso o Brasil propunha o jogo. A Bélgica é qualificada sim, mas as chances de gol do Brasil foram muito superiores, sendo que após o gol do Brasil tivemos 03 chances claríssimas e o goleiro da Bélgica trabalhou muito mais que o Alisson.
    Assim, entendo que a seleção da Bélgica tem qualidades, mas não é superior.

    • Alisson Sol disse:

      Eu concordo com esta análise. Havia sim motivo para confiança. É só ver qualquer vídeo com os melhores momentos da partida. Lembra demais a partida do Brasil na eliminação da Copa em 1982: o time criou e perdeu inúmeras oportunidades, e o adversário conclui e fez o gol quando teve suas chances. O primeiro gol da Bélgica foi uma aberração.

      Acho não apenas que o Brasil tem “mais time”, mas que o Brasil tem um time melhor do que o que foi convocado e escalado. Aí entra o problema que alguns já citaram: a imprensa. Não acho que houve soberba ou desprezo pelo adversário. Mas creio que o Tite ainda usa e abusa do crédito adquirido no título Mundial do Corinthians. Tite sempre destacou que iria convocar os melhores em atividade no momento, mas na hora da Copa levou seus jogadores de confiança, chegando ao absurdo de convovar jogadores machucados. Reduziu suas opções, e houve pouca crítica ou discussão disto. Criticaram muito a “Família Scolari”, mas não há quase nenhuma referência ao grupo dos “Amigos do Tite”. Era mais importante ter jogado no Time do Corinthians treinado por Tite do que estar em perfeita condição técnica e física. Vamos torcer para que isto fique como lição para o futuro técnico (sabemos que, à exceção de Telê, ficar depois de uma derrota na Copa é quase impossível).

  • Amaury Alkimim - Montes Claros disse:

    Oi pessoal, perder é ruim demais, mas realmente nossa seleção é limitada e só tem Neymar e Coutinho (este hoje estava uma lástima) acima da média.Torci muito, mas desde o primeiro jogo – principalmente naquele – ficaram evidentes nossas fraquezas. Agora é se preparar para as eliminatórias e montar um time melhor para 2022. E pensar que um dia depois da final meu Cruzeirão estará em campo, com um time também limitado disputando um jogo eliminatório – aliás, dois jogos importantes na mesma semana. Temos tudo para irmos mal nas 03 competições e não é pessimismo ou má vontade e sim apenas uma constatação óbvia, pois o Cruzeiro não tem um meio de campo criativo e muito menos um centroavante. Muito triste! Se joga demais, o time se arrasta, se folga dez dias, também se arrasta por volta d ritmo. Essa diretoria celeste fala (briga, provoca e até ataca verbalmente) muito e faz pouco. Mas como também sou limitado na minha análise espero estar errado. E como espero!