Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

River x Boca: lá como cá, palhaçada pura. E tem gente que ainda acha isso bonito!

Poderia ser um Atlético x Cruzeiro; Palmeiras x Corintians; Grenal; Vasco x Flamengo; Peñarol x Nacional; Olímpia x Cerro Porteño; Colo-Colo x La U, América do México x Chivas Guadalajara enfim…

Lá como cá. Em Buenos Aires, Belo Horizonte, São Paulo, Rio e em qualquer lugar do Brasil e continentes americanos. Somos terceiro mundo e do terceiro mundo nunca sairemos. O futebol expressa o pensamento e o comportamento latino-americano, da ignorância, malandragem e falta de bom senso, com honrosas e raras exceções de lideranças de tempos em tempos, que fazem diferença.

Três anos atrás, em 14 de maio de 2015, o River Plate foi vítima de emboscada no retorno do time para o segundo tempo ao gramado de La Bombonera. Eram as oitavas de final da Libertadores da América.

Gás de pimenta atingiu em cheio aos jogadores, impediu a realização do resto do jogo e resultou na eliminação do anfitrião pelo tribunal da Conmebol. O River terminou campeão e foi presa fácil para o Barcelona na final do Mundial de Clubes, tomando 3 a 0 em Yokohama/Japão.

Agora o Boca dá o troco para tentar desmoralizar o River, cujos imbecis da torcida jogaram tudo que podiam no ônibus do time que chegava ao Monumental de Nuñes. Fez drama e ameaçou não entrar em campo. E o mundo vendo isso pela TV. Catimba pura contando com a insegurança e incompetência da diretoria da Conmebol. Desrespeito a patrocinadores e principalmente aos torcedores que estavam no estádio e milhões de telespectadores mundo afora. Sem falar nas empresas jornalísticas e seus profissionais mobilizados para essa cobertura. Todos com cara de tacho, com repertório esgotado, repetitivos e sem saber o que falar mais. Palhaçada pura!

Programei-me para ver esta final, às 18 horas no horário brasileiro de verão, e depois assistiria Atlético x Santos pelo Brasileiro, justificando a grana que pago mensalmente à Sky e ao Premiere. E aí? Como ficamos os milhares que foram ao Monumental e milhões, como eu, mundo afora?

E tem cabeça cozida que ainda acha isso bonito, que “faz parte do futebol”.


Deixe uma resposta para Marcos Cancelar resposta

Comentários:
9
  • Felipe Victoria disse:

    Esta situação da final da Libertadores lembrou o futebol Brasileiro nos anos 80. Diferentemente do que muitos pensam, considero o nosso futebol mais organizado que a maior parte das confederações sulamericanas e, claro, muito à frente dos argentinos. Hoje, na série A, temos estádios muito superiores ao que se vê nos outros países, temos uma maior organização e maiores punições para atos de hostilidade e vandalismo dos torcedores.

    O que presenciamos neste fds foi uma selvageria, um show de desorganização e um completo desrespeito em relação ao consumidor e profissionais envolvidos nesta partida. Certamente foram milhões investidos à toa. Eu mesmo tenho um amigo que saiu de BH e foi à BsAs para levar seu filho a esta partida e como resultado desta experiência, trouxe muitos vinhos na bagagem. Quem vai ressarcir estes turistas/torcedores? Como compensar os gastos inúteis que tiveram todos orgãos de imprensa? Como ter credibilidade junto aos patrocinadores e como mensurar suas perdas?

    Coloque tudo na conta dos lixos que são a Conmebol e a AFA, verdadeiros antros de desorganização, incompetecência, corrupção e compadrio.

    De qualquer maneira, nesta libertadores 2018 ficou claro que, como ocorria com o Flamengo e times do Rio décadas atrás, hoje há um favorecimento gortesco aos principais times da Argentina e, principalmnente ao Boca Juniors. Esta final será jogada se, como e quando o boca quiser. Que os Brasileiros fiquem de olho, se unam e se protejam ou que abandonem o torneio, o que ensejará a sua derrocada, pois virará uma copa da Argentina. Sou totalmente a favor.

    • Marcos disse:

      A gente sempre pensa que o Brasil é um péssimo exemplo pro futebol… mas os argentinos ainda conseguem superar e muito o Brasil. Na Argentina o povo apela pra porradarias pra ganhar jogos, não se contentam em apenas jogar bola.
      Veja o exemplo da final mineira da Copa do Brasil que ocorreu há exatos quatro anos atrás, Atlético venceu a Copa do Brasil ganhando os dois jogos do Cruzeiro e ainda assim não houve confusão em BH e adjacências. Nem atleticanos atacaram jogadores do Cruzeiro. E nem cruzeirenses atacaram jogadores do Atlético.
      Sobre a final da Libertadores 2018, acredito eu que há riscos sim de a Fifa barrar a América do Sul da disputa do Mundial de Clubes desse ano, caso o “forfer” continue.

  • Horacio Duarte disse:

    Pois eu não entraria no campo nem a porrete. Se ganha não chegaria vivo em casa. Este tipo de patifaria não pode ter qualquer tipo de benefício, senão nenhum time vai ter segurança de disputar fora de casa. F. -se a televisão e os spiks, não havia a menor condição de jogo. Fiquei p. e nem era com um time que eu tivesse qq simpatia.

    Como vivem jogando pedras e garrafas nos outros, os clubes perdem a oportunidade de fazerem uma liga sudamericana de futebol. Commebol não passa de uma cbf de 5ª categoria, ambas caras inúteis e totalmente dispensáveis.

  • Marcão de Varginha disse:

    Para a segurança de todos e devido à selvageria do público envolvido, que a CONMEBOL remarque essa partida para campo neutro, de preferência para fora dos limites argentinos!
    – #benecyeternomito

  • Marcos disse:

    América do Sul segue sendo a vergonha do futebol mundial. Por sorte não houve uma tragédia nas finais argentinas da Libertadores. Parece que nem a Conmebol e nem as autoridades argentinas estavam preparadas pra receber essas finais. No futebol brasileiro há vandalismo sim, mas os argentinos conseguem superar, sendo eles os ditos mais civilizados da América do Sul.
    E aqui no Brasil, o Atlético força a barra pra jogar fora sua vaga na Libertadores. E se o Cruzeiro vence o Flamengo hoje, o Palmeiras ganha o campeonato brasileiro sem entrar em campo.

  • Igor Mendes disse:

    Quando um time engata uma 5ª, vence 3 seguidas, aí vem a cúpula e põe a arbitragem para brecar aquele time e não distanciar dos outros e o campeonato se ver bem disputado. Só o Palmeiras está fora deste sistema e ganha todas (?).

  • Alisson Sol disse:

    Se o Brasil não der uma guinada, a Argentina está dando os sinais claros de como será o amanhã.
    – Jogador em final de carreira dando os últimos suspiros? Tem. Veja que Tevez foi a “voz do Boca” nas entrevistas.
    – Banco envolvido em vários escândalos patrocinando os clubes de futebol? Tem. Basta pesquisar sobre o tal BBVA.
    – Dinheiro público patrocinando futebol em esquemas de direitos de imagem, comerciais, etc.? Tem. Fútbol para Todos
    – Clubes já beneficiados múltiplas vezes insistindo na evasão de impostos? Tem. E como!

    Os argentinos tem a pior desvalorização da moeda dos últimos tempos entre os países que não se chamam Zimbabue. Resta saber se o Brasil vai insistir em seguir o exemplo…

  • João Cavalieri disse:

    Chico a involução social e moral por estas bandas do globo, é um fato e sem perspectiva de melhora. Deus nos ajude.

  • Antonio da Silva disse:

    Futebol brasileiro e sul americano, tudo a ver. É por isso que nas finais de mundiais de clubes, quando jogam contra times europeus é ataque contra defesa. Por aqui, times horríveis tem ganho o Brasileirão, inclusive com atletas meia boca, mas sempre recebendo um empurrãozinho das arbitragens.