Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Discussão sobre cotas da TV aos clubes gera elogio até de cruzeirense a Alexandre Kalil

A semana passada foi marcada pela ida do Arrascaeta para o Flamengo e a discussão sobre a distribuição de verbas da TV pelos direitos de transmissão do Brasileiro. Com direito à volta a cena do futebol de Alexandre Kalil, profundo conhecedor do assunto, entrevistado pelo Henrique André, do Hoje em Dia, na quinta-feira e repercussão na mídia nacional.

Mauro Cézar, comentarista do ESPN, entrou no assunto e twittou:

Imediatamente tomou o troco de Kalil:

O cruzeirense fanático João Chiabi Duarte, colunista do Blog do Torcedor do Globo.com, enviou-me essa mensagem:

* “É Chicão … pensei que futebolisticamente jamais iria bater palmas para o Alexandre Kalil… mas, esta enquadrada no Mauro Cezar Pereira da ESPN foi muito oportuna…”

E enviou essa mensagem direto ao ex-presidente do Galo:

*”Kalil,
Como cruzeirense é óbvio que normalmente não vou gostar de suas posições…
Mas, o atleticano terá que lhe demonstrar gratidão eterna. FATO !!!
Agora, quanto a bater de frente com a imprensa do eixo Rio-São Paulo terá meu apoio sempre.”

Sexta-feira Kalil voltou a twittar:

 

A entrevista foi esta:

“Caso Arrascaeta: Kalil relembra profecia de 2014 e critica poder dado ao Flamengo no mercado”

Henrique André

hcarmo@hojeemdia.com.br

“Os clubes têm que mandar a televisão (Globo, detentora dos direitos de transmissão do Brasileirão) fazer o Campeonato apenas com o Flamengo. É hora de fazer uma grande guerra. Eles (TV) vão perder audiência. Se não for feito, os clubes vão fechar as portas”. Para Alexandre Kalil, ex-presidente do Atlético e atual prefeito de Belo Horizonte, esta é a única solução para diminuir a cota do time carioca e, consequentemente, a disparidade em relação aos outros concorrentes da Série A.

De acordo com estudo da empresa de consultoria Ernest & Young, em caso de título, o Flamengo receberia cerca de R$327 milhões em cotas no Brasileirão 2019. Este valor, inclusive, é de R$147 milhões a mais que a projeção feita para o ano passada.

Já o Corinthians, detentor da segunda maior torcida do país, ficaria com R$271 milhões em caso de título. Este montante representa cerca de R$91 milhões a mais que em 2018.

No novo modelo de divisão de cotas, Atlético e Cruzeiro podem receber menos do que na temporada passada; o valor deve cair de R$108 para R$100 milhões, mesmo em caso de volta olímpica.

“Enquanto isso não acontecesse (o Flamengo entrar com força máxima no mercado), os clubes não iam acordar. Na última vez que negociei com eles (Globo), não deixei nem subirem na sede. Ficaram na calçada da Olegário Maciel. O Atlético foi o último a assinar”, acrescenta Kalil em entrevista ao Hoje em Dia.

Questionado sobre a não mudança de cenário, mesmo com a demora para assinar o acordo, o ex-presidente do Galo disse que vários fatores interferem na união dos clubes pela causa e que o atual cenário é consequência de “safadeza e corrupção”.

Palmeiras

Sobre o crescimento financeiro do Palmeiras nos últimos anos e a força do alviverde no mercado da bola, Kalil é enfático ao afirmar que não pode ser comparado com o Flamengo. De acordo com o prefeito da capital mineira, os paulistas arrecadavam menos que o Atlético durante seu mandato e que tiveram competência para se reestruturar e fazer a parceria com a Crefisa, patrocinadora master.

“O caso do Palmeiras é bem diferente e a gente não pode misturar as coisas. O Paulo Nobre (ex-presidente) foi muito competente e isso é preciso ser destacado. Assim como o Alexandre Mattos (diretor de futebol), que tem sido muito feliz nas contratações”, explica o ex-presidente atleticano, que também frisou a competência do Cruzeiro em manter a maioria do elenco que conquistou o bicampeonato da Copa do Brasil e o técnico Mano Menezes.

Sobre o Atlético e seus desafios, Alexandre prefere se abster e, sem titubear, apenas afirma que “isso é assunto para o Sette Câmara (atual presidente) responder”. Ele ainda lembrou que, o time campeão da Libertadores em 2013, época em que ainda ocupava a principal cadeira do alvinegro, foi montado sem dinheiro em caixa.

Pedra cantada

A surpreendente ousadia do Flamengo ao investir no mercado da bola, principalmente com a batida de martelo com Gabigol e Arrascaeta, foi pedra cantada por Kalil há quase cinco anos. Em entrevista ao canal Fox Sports, ele previu o domínio rubro-negro no cenário nacional.

“O Flamengo está com uma diretoria que está arrumando o clube. Se arrumar o Flamengo, acabou o futebol brasileiro. Temos que rezar para Flamengo e Corinthians trazerem um (Alexandre) Pato por ano, porque senão, nós vamos embora”, disse em dezembro de 2014.

https://www.hojeemdia.com.br/esportes/caso-arrascaeta-kalil-relembra-profecia-de-2014-e-critica-poder-dado-ao-flamengo-no-mercado-1.684971


Deixe uma resposta para Horacio Duarte Cancelar resposta

Comentários:
15
  • humberto disse:

    Pode fechar a base do galo, perdeu para um time que estava sem jogar há 6 meses, os jogadores fizeram vaquinha pra ir pra copinha. Vergonha, esta é a única palavra.

  • Silvio T disse:

    É impossível negar a importância do Kalil na história do galo, mas… Não dá prá esquecer que quem destruiu o legado de títulos e equilíbrio financeiro do período 2012/2015 foi o sinistro Nepomuceno, indicado pelo Kalil. Ou seja, Kalil tem muita culpa na fase desastrosa que o Atlético viveu entre 2016/2018. Mas mudando pra dentro das quatro linhas, hoje é dia de sofrer com o galinho na copa São Paulo. Já vi duas partidas e não sei como meu coração aguentou. O time em vários meninos bons, que mostram muito potencial, mas que, a exemplo do que acontece com o time principal, ficam noventa por cento do tempo feito baratas tontas dentro de campo. Enquanto os adversários tocam a bola, se posicionam taticamente, mostram que dominam os fundamentos, o galinho vive de chutões e dependendo dos brilhos individuais raros para conseguir as vitórias. É um troço impressionante! Será que ninguém no Atlético vê esse tipo de coisa?

  • Horacio Duarte disse:

    Não tem tanto tempo assim, domingo a tarde, quase no país inteiro, só passava jogo do flamengo ou algum outro time carioca. É desta torcida que falam. Títulos, agente sabe bem porque, só tem no Brasil. Quem tem torcida é o corintias.

    Não há porque clubes do futebol mexicano terem mais dinheiro do que os brasileiros. O mercado publicitário espanhol é muito menor que o nosso, e dinheiro não falta ao futebol de lá. Aqui, o nosso, empobrece ano a ano.

    A maior parte deste problema veio quando os clubes aceitaram o favorecimento dado ao flamengo e ao corintias no episódio que levou ao fim o clube dos 13. Ali quebrou-se a aliança que tirou da cbf a negociação com a televisão.

    Não faltou visão, faltou inteligência. Preferiram algumas migalhas a mais do que ter o controle. Usaram tática típica de adestradores de animais com a cartolagem e funcionou gastando muito poucas miglhas.

    Uma coisa é ter o controle deste mercado publicitário, outra é receber de quem tem este controle. E o dinheiro arrecadado com o futebol continuou sem ir para os clubes.

    E todos os clubes perderam feio. Os ‘dirigentes’ continuam com o papel que lhes cabe, torcedores subcelebridades, gente feia e esquisita com direito a dar piti por besteira em público. Uma espécie de rei Momo. Mas tem torcedor que tem dirigente de estimação.

    E o Kalil está certo, não sei quanto tempo vai demorar, mas o flamengo e corintias vão jogar o brasileirão sozinhos. Serão 40 jogos só entre eles.

    • Alisson Sol disse:

      Horácio,

      Os patrocinadores dos times de futebol no México. Todos tem como alvo… o mercado americano!
      Corona, Tecate, Bud Light, são marcas de cerveja que você vai encontrar nos uniformes dos times mexicanos. Algumas marcas sequer são vendidas no México!
      Durante a Copa, a “Bug Light” fez o seguinte anúncio: Cerveja de graça para toda a Califórnia se o México vencesse o Brasil! (link). Entendeu porque os clubes do México tem mais dinheiro que os clubes brasileiros? E nem vou entrar na questão dos “direitos de transmissão”. Sabe qual a liga de futebol mais vista na TV dos EUA? Não é sequer a Liga Americana, ou a “Premier League”. É a Liga Mexicana (link).

      Não há “favorecimento” a Flamengo e Corinthians. Há o fato de que os times são mais antigos. O Flamengo tem 123 anos (para efeito de comparação, o Atlético-MG tem 110, e o Cruzeiro 98). Há o fato de que estão em cidades e estados mais populosos, e há o fato histórico que a torcida do Flamengo, com a construção de Brasília, se espalhou pelo Brasil. Daqui há pouco alguém vai querer esquecer a História e dizer que houve favorecimento aos portugueses no passado do Brasil, e acabar com o Clube de Regatas Vasco da Gama!

      • Horacio Duarte disse:

        Salve Allisson Sol,

        Não conheço bem o futebol mexicano, mas faz todo o sentido o que você diz. Grande parte da entrada de dólares no México e outros países da america central vem dos imigrantes que trabalham nos EUA, nos países menores é a principal fonte de receita.

        Certamente o futebol de lá se beneficia disto. Meu ponto é que nunca vendemos o nosso futebol para lá, EUA mesmo o México. O monopólio nunca teve interesse, para lugar nenhum do mundo, mesmo quando o futebol daqui tinha algum prestígio. Falo isto pelo fuso horário favorável, a diferença é de 4 horas, com a europa são 8-10 horas a mais.

        Mas eu tomo por base a National Football League, ou soccer americano. É interessante saber um pouco mais de como é gerenciada a liga mais ricas do mundo:
        https://en.wikipedia.org/wiki/National_Football_League
        ou
        https://pt.wikipedia.org/wiki/National_Football_League
        Sugiro a leitura das seçôes ‘Estrutura corporativa’, ‘Cobertura da mídia’ e ‘Draft’ que é a forma de entrada de atletas. Resumindo, fazem de tudo para que os times tenham o nível mais próximo possível para que haja disputa. Resultados conhecidos a priori não despertam interesse. Bem diferente daqui onde o monopólio não tem interesse de desenvolver o mercado.

        Quanto ao flamengo e corintias, só o corintias tem realmente torcida, o poder de compra das torcidas do palmeiras e são paulo, força publicitária, são muito maiores que de qualquer outro time. Flamengo é só o time do falecido dono da emissora.

  • Pedro Vítor disse:

    Esse negócio do Flamengo estar num momento de grandes investimentos, pode dar certo, dentro de campo, ou pode não dar também, já vimos o Flamengo investir e a coisa não fluir nos vestiários, no clima do dia a dia, e já vimos eles sem muito investimentos surpreenderem, futebol é uma caixinha de surpresa.

    Agora além dos caras ganharem muito acima dos outros, e é isso é que é citado pelo Kalil como um caminho que não fará bem ao futebol brasileiro, ainda tiveram duas grandes vendas do Vinicius Júnior e Lucas Paquetá, que renderam juntos mais de 200 milhões ao cofres “saneados” do menguinho, mas investimentos muito acima do que realmente vale, ou seja inflacionando o mercado, acabará fazendo que aconteça muitos “erros avaliativos”, como por exemplo, o Everton Ribeiro, custou quase 30 milhões, tem um salário bem acima do seu patamar, agora mesmo fizeram três investimentos absurdos, primeiro no Rodrigo Caio ex São Paulo, 20 milhões, zagueiro comum e baixo, muito parecido com o nosso Gabriel que foi para o Botafogo, acho o Gabriel ate melhor, mais Arrascaeta, quantia pesada num jogador que tirando o gol na final da copa do brasil, vinha tendo uma temporada aquém do que se esperava, inclusive foi mal na copa do mundo, e pra terminar o Gabigol que da noite pro dia virou craque, logico que trata de um bom jogador, com talento individual, canhoto, porém 1,5 milhões mensais, tem que ser fora de série e muito acima dos outros.

    Já o Palmeiras, tem dinheiro da Crefisa, mas sabe contratar, deu um pouco de sorte no Brasileiro, tinha bom elenco, fez de tudo pra desfalcar o Atlético concorrente direto na venda do Roger Guedes, vez ou outra até sobe demais os valores pra ganhar os leilões sobre os destaques do Brasil, porém acaba pagando á vista, e tendo uma boa aceitação por conta disso, pois todos os outros clubes exceto Flamengo não conseguem honrar seus compromissos e ainda investir certeiramente em reforços.

    Basta os outros clubes se organizarem serem mais competente ou seja “bons olheiros” no futebol sul americano, e chegar antes para pagar menos que a dupla, ainda revender por mais depois!

  • Eduardo Silva disse:

    Vamos por partes:

    1. NÃO acredito que o Framengo, Curintians e até o Parmeras consigam dominar o futebol brasileiro ganhando todos os títulos, nas próximas décadas, porque:

    a. Dirigentes são desorganizados em suas administrações. principalmente na parte financeira;
    b. Política interna dos clubes impede continuidade das gestões;
    c. Tem poucos técnicos no país com capacidade de gestão de grupos;
    d. Montagem de elencos são bastante subjetivos, muitas vezes muitos medalhões mais atrapalham do que ajudam a ganhar títulos.
    e. Organização do futebol é uma zorra: CBF, Federações, tabelas, datas, arbitragens.

    2. São várias competições no ano e os clubes terão que priorizar, o Cruzeiro mesmo deve focar na Libertadores e na Copa do Brasil, pela projeção e valor de premiação pagos.

    3. O Parmeras tem no ataque Dudu, William Bigode e agora o R.Goulart e o Framengo tem Arrascateta, Everton Ribeiro e Gabigol, ou seja de 6 jogadores, CINCO deles ganharam o mundo com o Cruzeiro . Então aqui se forma jogador até torná-los grandes… isso é fato!

    4. Ano passado mesmo o Parmeras só ganhou o Brasileiro porque o Grêmio, Cruzeiro, Framengo abriram mão da competição pra focar na Libertas e Copa do Brasil, senão ia ficar no cheirinho do porco…

    5. Outra coisa é essa de dirigente vim falar: Eu avisei! que nada! tudo desunido, brigam até por causa de vestiário em estádio, venda de ingressos e outras bobagens!! definitivamente não tem virgem nessa zona chamada futebol brasileiro!!!

    6. Sobre o Juca Kfoury e o José Trajano dois em fim de carreira que viraram garotos de recado do Lulopetismo, estão perdendo completamente a credibilidade que um dia tiveram! E o Mauro Cézar da ESPN é framenguista doente, quando o time perde, fala até babar!

    7. Hoje, o PVC da Fox Sports mandou essa: “Os outros clubes contratam, o Cruzeiro monta times! ”
    kkkk tem que respeitar muito!!

    Então, concluindo, apesar dessa montanha de dinheiro, não vejo ainda essa capacidade de hegemonia toda, porque montagem de elenco não é ciências exatas, ou seja, muito dinheiro não é garantia absoluta de títulos! a história do futebol está repleta de exemplos!!

    Mas minha aposta que o Cruzerão cabuloso deve beliscar mais dois títulos esse ano: Libertadores ou Copa do Brasil e o Ruralito já está garantido!! e se bobear chegamos junto no brasileirão também…

    zeroooooooooooooo

  • Marcão de Varginha disse:

    Num futuro incerto, será se aparecerá algum dirigente de clube “mineiro” (?) com a ousadia, irreverência, inteligência, sem papas na lingua doa a quem doer e coragem de peitar a CBF e sua comissão de arbitragem, além da inservível e adepta da esquerda emissora do plim-plim? A resposta é a mais óbvia possível: Não, claro! Afinal, sinceridade não dá titulos, nem oficiais e muito menos por fax!
    – #benecyeternomito

  • Carlos Henrique disse:

    O Mauro cezar, que para min é um mala.
    Brtozzi e Mario Marra,
    Juka Khouri e Trajano mencionados por Kalil
    vi na epoca a entrevista de Kalil a fox
    como vi a entrevista a E.S.P.N
    QUEM QUISER VER TA NO yOUTUBE.
    O CARA COLOCOU UM TRECHO DA ENTREVISTA NO SEU CANAL.
    Flamenguista doente, um mala
    chega ser pior que o Neto
    estuda mais e tem mais, cultura
    mas as ideias de perseguir
    e arrumar confusao, sao identicas
    uma vez defendi Felipao, e ele falando
    dos twitters mencionou o meu
    e depois me bloqueou, nem tenho mais twitter.

  • Raul Otávio da Silva Pereira disse:

    Khalil foi a última coisa diferente, importante e vitoriosa que surgiu no futebol brasileiro. De lá prá cá, mais do mesmo.

    Concordo com tudo que ele falou e fez. Conseguiu até uma Libertadores para o Mineiro, o que convenhamos, foi uma façanha….kkkk

    Pena que era apenas um; as tentativas que fez não deram em nada por falta de apoio de outros dirigentes mais preocupados com suas questões miúdas do dia a dia. Inclusive os dirigentes do Cruzeiro.

    Meus amigos cruzeirenses podem me xingar, detonar, por meu nome na boca do sapo, mas não vou deixar de falar – se Khalil fosse cruzeirense, se tivesse sido presidente do Cruzeiro, já seríamos tri ou tetra da Liberatadores, e com certeza campeões mundiais.

    Mas infelizmente, ele resolveu torcer para o Mineiro. Fazer o quê….

    Vida longa, Khalil. Pessoas como você fazem a diferença. E boa sorte na Prefeitura; não voto em BH, mas se votasse o “confirma” no seu nome estaria garantido.

  • Alisson Sol disse:

    Bairrismo absurdo. Ao Flamengo não foi dado nenhum “poder”: o clube conquistou e cresceu sua torcida durante muitos anos. O problema não é a “arrumação do Flamengo”: é a bagunça dos outros clubes, com seus dirigentes que os utilizam em benefício próprio. Há alguns anos que já não sei quem é o Presidente do Flamengo. Isto é ótimo! Parabéns ao clube. Quando tinha dirigentes toda hora na imprensa dando declarações bombásticas e e se preparando para cargo político, o clube definhou. Agora, está no caminho certo. Que outros sigam o exemplo, ao invés da usual inveja e contestação bairrista!

    Enquanto os jogadores bebem, e os dirigentes parecem tontos, o Brasil destrói seu futebol. Jogadores que são promessas, como o Vinícius Jr., vão embora cedo para a Europa. Agora, a maior transação do futebol dentro do Brasil ocorre justamente com um jogador do Uruguai. Que pensemos melhor no que é realmente bom para os clubes e bom para o futebol.

    Distraídos com seus bairrismos e mentalidades e discussões pequenas, os clubes brasileiros caminham para a irrelevância. No último final-de-semana, fui correr uma meia-maratona em Orlado, Flórida. Há alguns anos, era comum cruzar frequentemente com pessoas vestidas com camisas de times do Brasil. Neste final-de-semana, apesar da final da Flórida Cup, vencida pelo próprio Flamengo, e de promoções mil, com direito a show de Ivete Sangalo, o cenário foi completamente diferente. Cruzei com inúmeros brasileiros. Nenhum vestindo camisa de clubes do Brasil, e vários vestindo camisas de clubes europeus, principalmente Barcelona, Real Madrid, e algumas crianças já com a camisa do Cristiano Ronaldo na Juventus. A loja “Pelé Soccer” era o retrato do atual cenário: nenhuma camisa de clube brasileiro à venda. Ali estava o mercado do futebol rentável no Brasil no futebol, mas todos vestindo camisas de clubes europeus.

    • Bruno de Oliveira disse:

      A maior emissora de TV do Brasil é carioca. Durante o período de ouro do Flamengo, na década de 80 e início da década de 90, os jogos do clube eram transmitidos para todo o interior do país. Fazendo da equipe carioca o clube de futebol mais conhecido do país. Hoje não é muito diferente, pois em muitas praças do nosso estado ainda são transmitidos jogos do Flamengo e outros clubes do Rio de Janeiro. O Flamengo fez a parte dele dentro de campo, conquistando títulos, mas o “poder” da mídia foi fundamental para torná-lo o clube de maior torcida no Brasil.

  • Pedro Vítor disse:

    Acompanhei o debate dos dois no twitter, Kalil é foda, conhece demais, tem respeito, e faz uma falta gigantesca ao Atlético!

  • Stefano Venuto Barbosa disse:

    Meu Deus do céu, João Chiabi tem um blog? Hahahahahahaha brincadeira, abraço pra todos e um feliz ano novo!