Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Último jogo da seleção na primeira fase da Copa mostra a frágil realidade do futebol feminino brasileiro

Brasil e Itália jogam às 16 horas em Valenciennes e um empate poderá garantir a classificação às oitavas de final da Copa. Passar da primeira fase já será motivo de comemoração desse time, que reflete bem a realidade do futebol feminino no Brasil, que conseguiu entrar para as primeiras posições do ranking da FIFA graças a uma geração de grandes jogadoras, que, entretanto, chegaram ao seu limite. A data de validade venceu e não houve a devida renovação. Marta (33 anos), Cristiane (34) e Formiga (41) são exemplos concretos disso nesta disputa na França.

Marta jogará hoje, pelo menos um tempo, e os problemas físicos foram motivo de desabafo dela contra a ex-treinadora da Seleção, Emily Lima, que dera entrevistas dizendo que só a convocaria, e qualquer outra jogadora para uma Copa, se estivesse 100% fisicamente. “Sem dúvida alguma, ela não estava acompanhando o meu trabalho na minha equipe. O Orlando Pride fez seis jogos na liga (dos EUA), antes de as atletas todas serem liberadas para suas respectivas seleções. Eu fui uma das que mais jogou. Foi uma declaração sem conhecimento nenhum, mas vindo dela, eu já esperava isso. Sempre que ela tem oportunidade, ela ataca, e ataca muito mais desmerecendo um trabalho que a gente faz”.

A ex-treinadora se equivoca. Craque você aguarda até o apito inicial do árbitro, como diziam o João Saldanha e o Zagallo sobre Tostão, que era dúvida de ordem médica para a convocação final da seleção que disputaria a Copa do México em 1970. E, na véspera deste jogo importante, Marta nem deveria gastar tempo e se incomodar com palavras ao vento da antiga desafeta.


Deixe uma resposta para Flávio Azevedo Cancelar resposta

Comentários:
2
  • Flávio Azevedo disse:

    Esra treinadora nao teve competência pra continuar e ao invés estudar mais e progredir fixa torcendo contra, atirando no proprio pé..estas pessoas despreparadas ajudam a atrapalhar o desenvolvimento do esporte feminino em geral..e quem nao está preparado ou informado, guarde o preconceito de lado, o futebol feminino chegou para ficar..o futebol masculino no brasil, parou no tempo, atolado em corrupção de dirigentes, que não largam o osso, igual aos políticos…..

  • Guilherme Lopes disse:

    Chico não é só a seleção feminina, mas o futebol brasileiro em geral caminha ladeira abaixo. Nossas divisões de bases colhem fracassos, salve me engano ganharam um torneio agora em Toulon, mas quase todos já profissionais. Os atletas quando completam 18 anos já são milionários e se enchem de estrelismos. Por outro lado grassa a corrupção em todos os âmbitos do nosso esporte e os interesses capitalistas de instituições e pessoas físicas se sobrepõe ao bom êxito dos esportes como um todo. No futebol, enquanto a seleção masculina jogar em função de Neymar e a feminina de Marta, seremos assim. No futebol moderno, aparecem atletas diferenciados sim, mas tem que haver coletivismo.