Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Do início da Bossa Nova em Diamantina ao fim difícil no Rio. Que João Gilberto descanse em paz

Foto: Jornal Zero Hora/RS

Em fins dos anos 1960 o diamantinense Fausto Miranda foi tentar a vida nos Estados Unidos e arrumou emprego numa pizzaria em Nova Iorque. Bom de prosa e de serviço, caiu no gosto do dono da casa, que num belo dia o chamou para uma missão:

__ Temos um cliente brasileiro, muito difícil de lidar. A partir de agora você é quem vai atendê-lo. Deixe a comida na porta do apartamento, pois ele não nunca abre a porta.

Lá foi o Fausto, mas neste dia o cliente abriu a porta e se assustou com ele:

__ Fausto? Você por aqui?

__ Uai, Joãozinho? Você que é o cliente “difícil” da pizzaria onde eu trabalho?

Depois de quase 20 anos sem se verem, os amigos de adolescência João Gilberto e Fausto Miranda se reencontravam nessa feliz coincidência. João perguntou pelos amigos que fizera em Diamantina, nos tempos em que morou lá com a irmã e o marido dela, que era engenheiro do antigo DNER e construía estradas federais na região.

Detalhes desses tempos me foram contados pelo próprio Fausto, que depois concedeu entrevista à Folha de S. Paulo numa repodtagem de 2011, transcrita aqui no blog:

Meus amigos, presenças garantidas no Mercado Velho de Diamantina, todo sábado: da esquerda para a direita, Vandinho Baracho, Bueno do Prado Filho, Fausto Miranda e seu Edvaldo Orlando. 

http://blog.chicomaia.com.br/2011/06/12/joao-gilberto-de-um-banheiro-em-diamantina-para-o-mundo/

João Gilberto descansou. Seus últimos anos de vida foram de muitas dificuldades, em todos os aspectos, conforme mostram essas reportagens da revista Cifras, Estadão e O Globo, ano passado:

* “COM AJUDA DE CAETANO E CHICO, JOÃO GILBERTO BUSCA SAIR DA AGONIA”

Depois de dez anos sem ser visto fora de casa, João Gilberto teve de deixar à revelia o apartamento em que vivia, a 500 metros da praia do Leblon. O cantor, que enfrentava ameaça de despejo por conta de pagamentos atrasados, foi convencido a se mudar para não correr o risco de ser constrangido a sair à força. Uma amiga do meio artístico cedeu um outro imóvel na região para acomodá-lo.

A um mês dos 87 anos, o músico vive numa situação de fragilidade física e mental, agravada pela condição de miserabilidade financeira, segundo afirmou a advogada de sua filha Bebel Gilberto, Simone Kamenetz. A penúria vem comovendo admiradores de João do meio musical. Chico Buarque, que foi seu cunhado (ele foi casado com Miúcha, mãe de Bebel), e o casal Caetano Veloso e Paula Lavigne estão mobilizados para ajudá-lo.

Desde o fim do ano passado, Bebel está na Justiça para interditar o pai. Foi a forma que a cantora encontrou de tentar cuidar de sua saúde, e resguardar suas finanças – pilar da música brasileira, criador da bossa nova e cultuado por fãs do mundo todo, e apesar de ter feito um acordo milionário com o banco Opportunity em 2013, como adiantamento do valor a ser ganho por uma ação contra a gravadora EMI dois anos depois, João não tem recursos sequer para arcar com um plano de saúde, algo bastante temerário a essa altura de sua vida.

O cantor tem uma hérnia não tratada e não se submete a exames. Foi esse problema que o impediu em 2011, segundo divulgado à época, de cumprir uma turnê por cidades como Rio, São Paulo, Porto Alegre, Salvador e Brasília, na esteira de seus 80 anos. As dores que já sentia então o impediam de tocar seu violão como exigia seu conhecido perfeccionismo.

Agora, Bebel, que mora em Nova York, conseguiu que duas médicas, uma geriatra e uma psiquiatra com experiência em idosos, fossem até ele, vencendo, aos poucos, sua resistência. “Ele está doente. Temos todo o cuidado no mundo para chegar ao João e tratá-lo. Bebel está tentando que ele faça exames. Não adianta pegar à força”, ponderou a advogada da cantora. O caso corre em segredo na 5.ª Vara de Órfãos e Sucessões do Rio. O Tribunal de Justiça não divulga informações sobre o assunto, por conta do sigilo.

Sempre dentro de casa

As dificuldades para acessar João e de persuadi-lo a atentar para sua saúde se dão porque ele, como se sabe, não sai de casa. A última vez que foi visto em público foi nos shows de 2008 que fez pelos 50 anos da bossa nova. “Bebel não quer internar o pai, e sim ver o que pode ser feito em casa. Ele não pode ficar assustado, com medo. O juiz está muito cuidadoso, por se tratar de uma pessoa idosa. Está preocupado”, afirmou Simone.

“O que antes era tido como uma excentricidade (não sair de casa) já se tornou uma condição mental. Piorou com a idade. A capacidade cognitiva dele está muito prejudicada. Ele não tem condições de administrar a própria vida”, ela considera.

Negativa a exames

Há um mês, Miúcha contou ao jornal ‘O Estado de S. Paulo’ que João se recusava a se submeter a exames. “A situação é difícil, ele é muito fechado, tem 86 anos e algumas questões de saúde. Está muito magrinho. A Bebel está tentando de tudo por ele. Todos queremos que o João se trate. Ele foge de médico como o diabo da cruz. Se a gente marcar, ele desmarca trinta vezes.”

De acordo com Miúcha, João segue morando sozinho e fazendo o que mais gosta – tocando seu violão e cantando. Para ela, sua situação não é tão dramática quanto a descrita nos jornais desde sua interdição por Bebel.

Arrombamento

Faz um mês que a Justiça autorizou o arrombamento do apartamento no Leblon, para que João fosse citado quanto ao processo de interdição, e também para que seu estado fosse avaliado devidamente. Mas, ao entrar no imóvel, as oficiais constataram que sua condição mental o impedia de compreender o que se passava. Nesses casos, o procedimento é não realizar a citação.

Na ocasião, não houve necessidade de o apartamento ser arrombado de fato: para preservar João, uma data foi acertada previamente, e uma pessoa de sua confiança ficou no apartamento e abriu a porta para a entrada da equipe.

Há duas semanas, a advogada de Bebel leu no jornal ‘O Estado de S. Paulo’ a entrevista de João Marcelo Gilberto, primogênito de João, em que ele afirmou ter sido excluído das decisões sobre o pai. Simone negou que Bebel tenha alijado o irmão das decisões referentes ao processo de interdição.

“O que João Marcelo disse não é verdade. Ele foi procurado, estivemos com o advogado dele. Ele não foi excluído, ele se excluiu. O processo tem custos que devem ser compartilhados entre os dois, e ele deu a entender que não teria interesse em patrocinar isso”, contou ela.

Ação de alimentos

Antes do início do processo de interdição, João Marcelo entrara com uma ação de alimentos tendo como beneficiária sua filha caçula, de dois anos. Conforme explicou ao jornal ‘O Estado de S. Paulo’, o objetivo não era pleitear uma pensão de João Gilberto para a neta, e sim ter acesso aos números da vida financeira dele. Para o irmão, Bebel quer ter o controle desses dados sozinha, e lhe sonega informações.

Segundo Simone, a explicação de João Marcelo não faz sentido, uma vez que ele tem acesso à situação patrimonial do pai por estar citado na ação de interdição, como parte interessada. Como ele mora nos EUA, bastaria fazê-lo por meio de seu advogado, ela disse.

“Bebel não está fazendo nada por dinheiro. Não há espólio a ser dividido, o estado é de penúria financeira”, disse Simone. “João Gilberto recebeu R$ 5 milhões do Opportunity em 2013, não poderia estar na situação que está hoje, sofrendo despejo, sem seguro saúde. Ainda mais se você pensar que ele não tem luxo algum, não viaja, não compra apartamento. Se há um patrimônio oculto, Bebel não o conhece. A preocupação do João Marcelo é injustificada. Ele tem todo o direito de conhecer o patrimônio do pai, basta entrar no processo”.

A reportagem procurou João Marcelo Gilberto para que ele comentasse a situação, mas não conseguiu contato. Na entrevista que deu ao jornal ‘O Estado de S. Paulo’, ele se disse triste e preocupado com o pai. “Gostaria que ele tivesse um final de vida feliz e tranquilo, e sei que posso contribuir muito nesse sentido, desde que pessoas agora próximas a ele não façam esforço em me afastar”, declarou.

* Por Estadão Conteúdo

https://revista.cifras.com.br/noticia/com-ajuda-de-caetano-e-chico-joao-gilberto-busca-sair-da-agonia_13725

***

“João Gilberto: filho acusa, em rede sociater sido excluído das decisões acerca do pai”

Mulher de Marcelo Gilberto diz que ligações do marido para o pai e para a irmã, Bebel, não têm sido atendi João Gilberto: filho acusa, em rede social, ter sido excluído das decisões acerca do pai

Mulher de Marcelo Gilberto diz que ligações do marido para o pai e para a irmã, Bebel, não têm sido atendidas

RIO – Nesta quinta-feira, uma semana depois de ter sido anunciada a decisão judicial do arrombamento da porta do apartamento em que mora o cantorJoão Gilberto (decorrente da interdição do cantor, pedida por sua filha, Bebel), o filho de João, Marcelo Gilberto, fez um desabafo no Facebook: “Meu pai foi efetivamente sequestrado e alienado de mim e da minha família imediata”, escreveu ele, em inglês, acrescentando acusações a Bebel: “Eu não fui informado, aconselhado, consultado ou nem sequer fiquei ciente das maquinações legais ou físicas que minha irmã tomou/está tomando em relação ao meu pai, tirando o que leio no noticiário.” Marcelo finalizou o post com a frase “Desculpas, pai, eu não consegui manter os abutres longe de você.” Mulher de Marcelo Gilberto, Adriana Magalhães Oliveira disse que tudo começou há alguns dias, depois de os advogados de Marcelo e Bebel terem acertado questões financeiras que envolvem o cantor. Depois disso, ela conta, ligações dele para o pai e a irmã deixaram de ser atendidas. Marcelo esteve no Brasil ano passado e acompanha de Nova York os desdobramentos do imbroglio. Adriana está no Rio e adianta que o marido deve voltar à cidade caso a situação se agrave. — Tudo o que o Marcelo queria era estar ciente do que acontecia no lado financeiro. Ele sempre foi solidário com a irmã na questão da avaliação médica ( para que os filhos possam ter a curatela do pai, ou seja, possam continuar decidindo sobre seus contratos e movimentações financeiras ), a gente sabia que aquilo tinha que ser feito. Mas agora não temos sido informados nem quando, nem como vai ser feito, fomos jogados de escanteio — diz.

LEIA MAIS : Entenda as disputas familiares que levaram à interdição de João Gilberto

ARTIGO: Um drama tão pouco bossa nova

Procurada pela reportagem, a assessoria de Bebel Gilberto disse que a cantora prefere não se pronunciar sobre o assunto.

https://oglobo.globo.com/cultura/joao-gilberto-filho-acusa-em-rede-social-ter-sido-excluido-das-decisoes-acerca-do-pai-22561409


» Comentar

Comentários:
6
  • Sérgio Murilo Rodrigues Lopes disse:

    João Gilberto era gênio da música brasileira, o pai da Bossa Nova, o verdadeiro rei. Em 1959, lançou o álbum “Chega de Saudade”. Passados 60 anos, eu ainda escuto no meu carro, essa obra prima. Infelizmente, a maioria das pessoas e a imprensa tradicional não valorizam os grandes músicos do nosso país. Nos dias atuais, a maior parte do cenário musical é preenchido por canções de baixo nível. Funk e Sertanejo Universitário dominam o Brasil. A boa música fica nos nossos corações e nas nossas mentes. Música de qualidade é para poucos. Graças a Deus, valorizo as músicas de alto nível. Viva a Bossa Nova! Viva o rei João Gilberto!

  • Flávio Pimenta disse:

    Valeu Chico, você é o cara. Parabens.

  • Guilherme Gonçalves Costa disse:

    “Vaia de bêbado não vale…. Vaia de bêbado não vale.” Grande João

  • Marcelo de Andrade disse:

    Perda enorme. Gênio da síncope. Buscava sempre a perfeição.

  • Luiz disse:

    João Gilberto..
    O que dizer desse gênio!
    Excêntrico, exigente, mas com um resultado musical admirável,que numa inversão pouco provável, influencia o jazz e seus músicos maravilhosos.Grandes nomes se renderam ao João. pelo seu jeito simples de cantar, pela delicadeza com que tocava seu violão. Gilberto Gil disse, em entrevista ao Fantástico, que o João, ao tocar , não se ouvia o som das cordas e nem dos traços do braços,mas apenas o som puro do violão.
    Vai-se o homem, fica sua obra perpétua.E que obra!
    Enquanto isso…temos que ouvir Anita, Maiara e Maraísa, Gustavo Lima, Luan Santana, Thiaguinho…Mcs diversos, funks…sertanojos!!! Meu Deus…salve a música brasileira!

  • Alisson Sol disse:

    Tenho parentes que administram um asilo. Como dizem: é o retrato do Brasil e seu nepotismo, com os piores casos sendo os dos idosos que perdem a capacidade de administrar suas finanças e tem recursos, como devia ser o caso do João Gilberto. Geram a discórdia no final da vida entre gente que provavelmente nunca os levaram para passear quando tinham saúde.

    João Gilberto provavelmente recebia um bom dinheiro dos direitos de suas músicas, que você ainda escuta no mundo inteiro. Agora que descansou, vamos ver o que as sangue-sugas vão fazer…