Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Derrotas e queda de rendimento transformam Alexandre Mattos, de “Mittos” a vilão, no Palmeiras

Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras

Dizia Cazuza que “os fãs de hoje são os linchadores de amanhã”; Augusto dos Anjos disse no poema Versos Íntimos, que “a mão que afaga é a mesma que apedreja”. Pois o mineiro Alexandre Mattos, revelado pelo América como diretor de futebol, levado para fazer sucesso no Cruzeiro pelo então presidente Gilvan de Pinho Tavares, está sentindo na pele os efeitos dessas frases famosas. A voz das arquibancadas e da cornetagem não perdoa. Enquanto a bola está entrando mais nas redes adversárias tudo é bonito e perfeito. Quando a maré vira, “um cão danado, todos a ele”.

Milton Neves tratou deste assunto no blog dele, hoje no Uol:

* “Por que Mattos foi de ídolo a vilão dos palmeirenses?”

Por Milton Neves

No começo de 2015, Alexandre Mattos chegou com pompa ao Palmeiras após montar o time do Cruzeiro que ganhou os Campeonatos Brasileiros de 2013 e de 2014. Teve até apresentação na Academia de Futebol, com toda a imprensa reunida. A sensação era de que o Verdão tinha acabado de contratar um grande craque do futebol mundial. E, nos bastidores, o cartola correspondeu. Fez grandes contratações, como a do disputadíssimo Dudu, e recolocou o Palmeiras no topo do futebol brasileiro. A torcida, empolgadíssima, chegou até a criar um apelido para ele: Alexandre “Mittos”…. É, meus amigos, mas percebo, pelo que ouço nas ruas e leio nas redes sociais, que a lua de mel entre o cartola e os palmeirenses chegou ao fim neste ano. Nesta atual crise palestrina, Mattos tem sido o mais atacado. Por torcedores, por conselheiros e até por ídolos alviverdes. Veja o que escreveu Valdívia na manhã desta quarta-feira em seu Twitter:

https://blogmiltonneves.uol.com.br/blog/2019/09/04/por-que-mattos-foi-de-idolo-a-vilao-dos-palmeirenses/?utm_source=twitter&utm_medium=social-media&utm_content=geral&utm_campaign=esporte


Deixe uma resposta para Silvio T Cancelar resposta

Comentários:
6
  • Luiz Ibirité disse:

    Chico treinador não “ganha” jogo, mas neste desta noite o Rogério Ceni ajudou o time a perder, ele se perdeu e o time hj não foi sombra nem dele e muito menos do Mano, me parece q ele tem uma paixão pelo David, e o Jadson na lateral até agora não entendi, quando o Dedé machucou alguém tinha de soprar pra ele q o Henrique (não comprometeu) porém é melhor cabeça de área do que zagueiro, inventou num momento onde não podia inventar, não o culpo, ainda é um treinador em formação, pq k pra nós decidir um campeonato no nordeste, é muito pouca experiência para decidir uma semifinal de copa do Brasil. Juntemos os cacos para não piorar ainda mais a situação!

    • Alisson Sol disse:

      Sei não. Penso que hoje a classificação já estava perdida. Mas o Ceni parece ter caído no canro da sereia do cone e do TN. O time não tem finalização. E o terceiro gol do Inter é a prova de que o Mano estava certo em não mandar o time para a frente. Deu dó ver os velhinhos correndo atrás do atacante que começou a correr antes do meio-campo.

      E o pior hoje nem foi isto. Parece que um tribunal decidiu que o condenado pode voltar à vice-presidência do Cruzeiro. Seria dar um tapa na cara dos torcedores. Vamos aguardar…

  • Luiz disse:

    Chico Maia e amigos do Blog
    Em tempos que o assunto são os goleiros…Rogério Ceni (mesmo sendo treinador) no Cruzeiro, Vitor machucado, Cleiton na seleção, Wilson contratado, os arqueiros reservas do galo machucados, peço licença a esse blog para abrir um espaço e dedicar uma atenção ao grande goleiro Manga e sua linda camisa emblemática do Botafogo. Virei fã do futebol por causa do Manga e de outros goleiros, Renato, Luizinho, Luiz Perez..João Leite…..Ortiz.. o grande Ladislao Mazurkiewicz Iglesias, morto em 2013, Tafarel e tantos outros. Acho incrível essa posição na equipe…as defesas fantásticas,às vezes quase acrobáticas…bolas no ângulo em que, num vôo solitário e meio Kamikaze ( vento divino) são espalmadas para delírio da massa. Um penalti defendido com último recurso ( quem não se lembra do São Vitor?)! Assim , essa parte me ajudou a ser mais torcedor do Galo.
    Como esquecer aquela defesa do Manga num Cruzeiro x Inter com o Nelinho cobrando uma falta sem chances de defesa e que ele foi buscar a bola?
    Pois não é meu caro Chico, que o Manga está em situação delicada de saúde no Equador, e vindo para o Brasil atrás de recursos médicos.Estou triste como se ele fosse um dos goleiros do Galo.Que tal abrir um espaço dedicado a ele?
    Grande abraço

  • Helio Antonio Corrêa disse:

    É CHICO MAIA, meu conterrâneo
    O futebol não muda, será sempre contada pelos que vencem.
    Aí aparecem estas figuras que nós nao entendemos como que ganham força a esse ponto
    Veja;
    Alexandre Matos, ganhou projeção nacional com a montagem do timaço do Cruzeiro em13/14, depois monta os times do Palmeiras e é campeao mais 2 vezes e mais uma CB
    E o que foi mesmo que o VALDIVIA ganhou?
    Tá certo, houveram erros aos montes, gastou se um dinheirão com jogadores meia boca, mas gastou de quem tinha pra gastar, e o resultado foram os titulos.
    Seria muito bem vindo de volta, nós até podemos fazer uma troca das boas,:
    Mandaremos ITAIR MACHADO para eles, e traremos o AM de volta
    Ou quem sabe eles não gostariam mesmo era de ter como diretor de futebol os FABULOSOS
    DIMAS FONSECA ou o VICINTIM,?

  • Silvio T disse:

    Recebo envergonhado um link do UAi enviado por um amigo com reportagem sobre os 50 anos da épica vitória do galo em cima da seleção brasileira, a que seria tri no México no ano seguinte. Envergonhado pelo total desprezo oficial do clube por um fato tão marcante na história do futebol brasileiro. É a cara dos “jestores” atuais dessa sagrada instituição. Deixo aqui minha homenagem aos 14 jogadores que entraram no Mineirão para honrar o nome do Atlético, que foi obrigado pela CBF a atuar com a camisa vermelha da seleção mineira :
    Mussula, Humberto Monteiro, Grapete, Normandes e Cincunegui; Oldair, Amauri e Vaguinho; Laci, Tião e Dadá – Zé Horta, Vantuir e Caldeira entraram no decorrer do jogo. O técnico era Yustrich e Amauri e Dario fizeram os gols.