Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Dia de Minas Gerais se unir pelo América, o único que jogou futebol à altura de nossa tradição este ano no Brasileiro

A criançada, futuro americano em foto do Cristiano Quintino, publicada aqui no blog em janeiro de 2011, junto com outras, históricas, que podem ser vistas no link:  http://blog.chicomaia.com.br/2011/01/04/lembrancas-de-um-sabado-memoravel/

***

Nem falarei hoje das lambanças de Atlético e Cruzeiro, que estão penando com seus times horrorosos para se manter na primeira divisão nacional. O dia é de falar e apoiar o time que está jogando o futebol mais bonito de Minas e do Brasil ao lado do Flamengo e Bragantino. Jogo aberto, corajoso, solidário, fruto do trabalho dessa revelação entre os treinadores brasileiros, Felipe Conceição.

Otimismo e humildade neste sábado em que o Coelho pode dar uma enorme alegria à sua fiel torcida e a todos os mineiros que gostam de futebol de verdade. O estádio estará lotado, o adversário merece respeito e certamente tem incentivos extras para dificultar o caminho americano. A diretoria trabalhou muito bem, assim como a comissão técnica e jogadores para que este momento chegasse.


» Comentar

Comentários:
6
  • Huener disse:

    Caríssim@s, boa noite.

    Infelizmente, quis Deus que não fosse dessa vez. Mas, tudo bem. Valeu pela luta e esforço de tod@s. Por outro lado, posso dizer que William Maranhão e Ricardo Silva fizeram falta hoje. Se o Coelhão tivesse feito um esforço junto ao Inter e segurado o Paulao aqui… talvez a história fosse outra hoje. Para o ano que vem, espero três coisas: manter a espinha dorsal da equipe e fotlaecer com reforços pontuais. Já estão falando em propostas para Mateusinho, Flávio e Zé Ricardo de times da série A. O Ricardo Silva é do Ituano..já deve ter propostas. Quanto as dispensas, devolver o Thiago para o Flamengo, ver as situações dos contratos do Belusso, Diogo e Toscano. Quanto ao Lima, ver se ele se sobressai no Mineiro. Se não, obrigado e passar bem. Quanto aos reforços, ver como está a situação do Messias, e olhar o Jean Patrick, Jefinho (Cuiabá), Rodrigão (Santos), Fernando Neto (Paraná), João Pedro (Atletico PR), Jorginho, Pedro Raul (Atletico GO), Alisson Farias (CRB). Acredito que com esses aí, e mantendo o Lucas Kal e o Pedrão de zagueiros e mais um experiente, caso o Ricardo não continue, formaremos um coelhão para subir. Em segundo, precisamos de um patrocinador master para o campeonato inteiro ou um investidor. Salum falou de chineses, tomara mesmo! Vejam o caso do Bragantino. Ah, e por fim, voltem com a camisa verde e branca. Não tenho boas recordações da vermelha em 2012 e 2019 (vide jogo da Ponte…).
    No mais, vida que segue e que venha 2020.

    Saudações americanas.

  • Márcio Amorim disse:

    Boa noite, caro Chico e amigos!
    Comentei há poucos dias depois de ter andado sumido do blog que o meu sumiço no primeiro turno era porque não gosto de tumultuar na hora da crise. Peguei muito no pé de uns seis jogadores que eu considerava fraquíssimos. Melhor calar. Depois de um primeiro turno deprimente, o América descobriu duas coisas: o Tigrão e que na Série B não há ninguém muito melhor do que ninguém. Com um pouco mais de organização, conseguiu em um turno o que os outros levaram dois: chegou à última rodada, brigando em igualdade de condições com dois grandes times, Coritiba e Atlético-GO, por duas vagas restantes.
    Tão improvável seria chegar a esta condição, como improvável seria “entregar” facilmente o acesso, como fez o Coelhão hoje, depois de tanta luta insana. Infelizmente, aconteceu. Já disse outras vezes aqui no blog que o América é alérgico a campo cheio. Sempre que o povo comparece, apoiado por torcedores diversos, o América dá vexame.
    Lembro-me de um, assim de relance, já no novo Independência, contra o sofrível “Papão da Curuzu”. Parece-me que bastaria um empate, e o América perdeu por 1 x 0. Foi uma tarde-noite para ser esquecida. Um dos piores jogadores, que já vi com a camisa do América, talvez o pior, com o time já perdendo, sofreu uma falta comum. O juiz marcou e amarelou o adversário. Este “crack” se levantou e deu uma cabeçada no nariz do atleta que cometera a falta, e o melado desceu. E aquele cidadão foi expulso, prejudicando o América.
    Hoje não teve o ridículo Willians em campo. Festa pronta, preparada com carinho pelos torcedores que receberam o time ainda na Rua Pitangui, tentando deixar claro que fariam a sua parte. O que se viu em campo foi um desastre sinistro. Muito sinistro. O time corria, punha a alma pela boca, mas não jogava bola. Em pouco tempo, o São Bento, rebaixado, com poucos reservas no banco, totalmente sem estímulo, abriu 2 x 0.
    O time consciente e tranquilo que o América fora, a partir do segundo turno, despareceu. Transformou-se em um time sem rumo. O Viçosa, tão questionado pela torcida, limitava-se a matar bolas seguidas na canela, deixando o São Bento perceber que poderia ganhar o jogo.
    E não deu outra. O time virou um amontoado, sem comando dentro e fora do campo e se tornou presa fácil. Para quem, como eu, já se acostumou a estas situações ridículas, era questão de tempo. E o tempo voava. Um gol deu nova esperança, mas não era o dia, pasmem, de novo.
    O acesso improvável até alguns dias atrás, tornara-se uma realidade palpável. Absurdamente fácil. Vencer um time tão rebaixado quanto desmotivado, em casa, e tendo o apoio de uma cidade inteira, parecia simples. Não aconteceu. Repito: de novo.
    Vamos amargar mais um ano, lamentando, reclamando da contratação de jogadores medianos (alguns nada além de medíocres), procurando culpados prováveis e improváveis e engolindo uma dura realidade: somos da prateleira de cima só na B.
    Agradecendo a força recebida dos coirmãos, espero que todos tenham um bom final de ano e um 2020 cheio de renovadas esperanças.
    Grande abraço!

  • José Catão disse:

    Faltou humildade a torcida do Coelho nos momentos decisivos. Vi muita arrogância e vitória antecipada e olha que o América já tinha perdido duas dentro de casa para times ruins. Essa de não deixar atleticanos e cruzeirenses usar suas camisas é o cúmulo. O importante é o barulho e o impulso da torcida, não as camisas. Fica pra 2020.

  • Marcos disse:

    Prezados amigos, Minas Gerais não terá dois clubes na série A de 2020. E sim APENAS um! E olhe lá!
    Ninguém imaginava que o América iria borrar as calças em pleno Independência. Foi derrotado de forma inacreditável pelo São Bento de Sorocaba que já estava rebaixado. Continuará na série B e terá o Cruzeiro para lhe fazer companhia.
    Cá pra nós, times mineiros não merecem disputar a série A. Os três times daqui foram derrotados em casa por times JÁ rebaixados! Lugar ideal pra Atlético, América e Cruzeiro é mesmo na série B.

  • Marcão de Varginha disse:

    Força, América: hoje é mais um dia pra somar mais 3 pontos, e com respeito ao adversário poderá alcançar sua meta: depende somente de si próprio!