Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Hoje, cinco anos da última entrevista coletiva de Alexandre Kalil como presidente do Atlético

A lembrança foi feita pelo HENRIQUE ANDRÉ, do jornal Hoje em Dia, via twitter: @ohenriqueandre “Há exatos 5 anos, @alexandrekalil dava a última entrevista coletiva como presidente do @Atletico.”

E quanta falta ele faz ao Galo e ao futebol brasileiro. No dia três de dezembro de 2014, Daniel Nepomuceno foi eleito, candidato único, e assumiu no mesmo dia, numa ideia do próprio Kalil, para que o sucessor já começasse a trabalhar e montar seu time para a temporada de 2015. Nessa foto, postada pelo Henrique André, à esquerda, está o Domênico Bhering, Diretor de Comunicações do Galo, gente boa demais da conta, que fez aniversário ontem.

Por falar em Kalil, em 2014 ele cantou a pedra do desequilíbrio de forças que ocorreria no futebol brasileiro e lutou para isso não ocorresse, mas estava no seu último ano de mandato e deu no que deu. O Flamengo deste ano é consequência do que ele previu. Na época o Uol publicou reportagem a respeito, que foi transcrita aqui no blog:

Atlético recebe prêmio “Eficiência na Gestão do Futebol” e Kalil aproveita para reclamar de privilégios a concorrentes

http://blog.chicomaia.com.br/2014/05/14/atletico-recebe-premio-eficiencia-na-gestao-do-futebol-e-kalil-aproveita-para-reclamar-de-privilegios-a-concorrentes/


» Comentar

Comentários:
6
  • Marcos disse:

    Pelo menos Minas Gerais garantiu um representante na série A de 2020.
    Uma série A onde teremos dois times do Paraná, dois times de Goiás, dois times do Ceará e… apenas um time de Minas Gerais. Pelo menos a situação não é tão grave quanto a de Santa Catarina que estará totalmente fora da próxima edição da divisão principal….
    A mediocridade atinge em cheio o futebol mineiro, justamente quando o futebol brasileiro começa a tomar outros rumos. Não demora muito pra status de clube grande ser privilégio de poucos. Quem não se preparou para isso irá se apequenar, vivendo de glórias do passado…

  • Marcão de Varginha disse:

    Embora essa matéria não cita a vitória do Galo contra o Corinthians, o nosso “técnico” com suas substituições fez de tudo pra equipe paulista empatar ou virar o placar..
    – Agora que estamos matriculados na divisão de elite 2020, não vou ficar em cima do muro: fora Mancini, Wilson, Maidana, Guga, Patric, Igor Rabelo, Bolt, Zé Welison, Elias, Vinícius, Lucas Hernández, Di santo, Ricardo Oliveira, e àqueles que não citei e que fazem parte do grupo e só treinam, também poderiam ser negociados, trocados, emprestados… usem Cazares, Otero, Chará e TODOS remanescentes da Libertadores 2013 como moeda de troca. Contratem atletas que cheguem pra ser titulares e mesclem com alguns que estão retornando de empréstimo e com os pratas da casa: Cleiton, Michael, Marquinhos, Bruninho e outros.
    – Tomara que a diretoria aprenda a gastar os poucos recursos pecuniários para trazer boas contratações.
    – #benecyeternomito

  • Marcão de Varginha disse:

    Graças ao seu caráter, sua personalidade forte, e sem papas na língua, Alexandre Kalil realmente foi e ainda é um exemplo de administrador. Afirmo que àqueles/as que não o admiram é porque não suportam ouvir a verdade, e são aduladores que preferem ouvir o que lhes agradam, não o que merecem, e isso ele herdou de seu saudoso pai que não tinha medo da mídia, nem da CBF e muito menos da rede esgoto de televisão.
    – Parabéns pelo seu jeito sincero e franco de ser, Kalil: enquanto uns mentem, vc encara a realidade!
    – #benecyeternomito

  • Igor Duarte disse:

    Ahhhh! Bons tempos…

  • Horacio disse:

    Sem dúvida um grande presidente, fez muito pelo Galo e pelo futebol brasileiro, mas acho que o Galo tem que encontrar sua forma de administrar, não dá para ficar na dependência de uma pessoa. É o tipo de atividade esgotante.
    Esta forma de gestão está ultrapassada, futebol movimenta muito dinheiro e os clubes estão reféns de quanto a televisão quer pagar e de um monte de rufião de jogador de futebol que torna as contratações de bons jogadores inviáveis. Os custos do futebol não têm base na economia e nem no que vemos em campo.
    Na minha opinião esta falta de perspectiva só vai ser resolvida quando o clube tiver um grupo de avaliação técnica, física, disciplinar e econômica de jogadores, que não podem ser contratados com mais de 25 anos (exceto o Messil ou Crhistiano). As divisõe de base devem ter o papel que já tiveram para que os clubes possam competir de igual para igual. A globo prefere ter seu próprio timinho e um outro adversário, palmeiras ou curintia. Da minha parte já proponho boicote a estes jogos do premier ou outra mídia paga. No final transferem o dinheiro que paguei para ver meu time, para o time quem eles bem entendem. Para eles distorcerem o futebol, não concordo com isto, não vou pagar, aliás, já não pago. Continua dando ibope pro mengão globo.