Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/blog/www/wordpress/wp-includes/pomo/plural-forms.php on line 210
Na véspera do clássico, Manoel deixou o Cruzeiro na mão e não fez falta nenhuma | Blog do Chico Maia

Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Na véspera do clássico, Manoel deixou o Cruzeiro na mão e não fez falta nenhuma

Lamentável que os nossos maiores clubes só utilizem a prata da casa quando não tem outro jeito. O Cruzeiro tem a defesa menos vazada do campeonato. Apenas três gols em nove jogos. Manoel era uma referência e sabia disso. Mas, na hora “agá”, negociando a sua permanência no clube, resolveu dizer que não estava com a cabeça boa para o clássico e deixou o time na mão. Felipe Conceição acreditou em Weverton, 18 anos e o moço foi bem demais. Ninguém se lembrou de Manoel.

E assim segue o futebol mineiro, em que especialmente Atlético e Cruzeiro só recorrem às suas categorias de base quando não há outra opção. Não têm uma política de lançamento dos jovens que eles mesmos formam. Por falta de coragem ou por algum outro interesse.

Nascido em Goiânia, 18 anos de idade, no Cruzeiro desde os 13, depois de passar numa “peneirada”, Weverton foi promovido ao profissional este ano. Frequente em convocações para as seleções brasileiras da faixa etária dele, mostrou que tem um grande futuro pela frente, pois soube aproveitar a oportunidade.

E sem essa conversa fiada de grande parte da imprensa de que “jovens são jogados na fogueira”. Papo furado. Que tem capacidade, joga e fim de papo. Quem não tem, treme e vai ter o destino que a sua competência permite, que é jogar em times menores, onde a pressão não seja tão grande. Ou então buscar uma outra profissão, já que futebol é para quem sabe e aguenta. Se fosse fácil, qualquer um estaria ali.


Deixe uma resposta para Guilherme Leôncio Cancelar resposta

Comentários:
9
  • Valmar Azevedo disse:

    Sei que os simpatizantes e arrogantes vão chiar, mas vou dizer. Por seus negócios com a cúpula do outro lado, esses jogos comemorativos ou decisivos entre Galo e CruCru, quando Ricardo Guimarães está no comando, dá um receio. O Galo não joga só isso… Joguinho de compadres!

  • Luís Cláudio disse:

    O Cru cru está no caminho certo. Enquanto o Galo tende a Cruzeirar o Crucru tende a Flsmengsr.

  • Bernardo Montalvão disse:

    Hulk está jogando só com o nome, deveria ser reserva de Savarino e Marrony, aliás, o Marrony e Zaracho vinham crescendo de produção e Cuca os tirou do time.

  • Guilherme Leôncio disse:

    A globo dá detalhes da briga entre Hulk e Pottker, mas o pau quebrou, briga feia e generalizada nos vestiários do Mané Garrincha entre boleiros de Fla e Porco e omitiram tudo.

  • Renan Rodrigues disse:

    Outro dia após uma derrota azulina, tinha um simpatizante Crucru descendo o cacete no atleta que fez o gol ontem. Agora o cara é craque. O Barcelona já está de olho.Kkk!

  • José de Arimathéia disse:

    A arrogância dos Crucrus voltou. Time perfeito, jogando o fino da bola.

  • Clóvis Mineiro disse:

    Foi só o BH Futebol Clube ganhar e comemoraram como se estivessem retornando à SÉRIE A!!! Meus problemas acabaram!!!

  • Alisson Sol disse:

    Eu estava para citar exatamente isto. Weverton jogou muito bem. Erros da defesa ontem foram de coordenação. No geral, devo admitir: o Fábio foi um dos destaques do jogo. Apesar da aplicação na partida contra o Clube Atlético MRV, fica meu aviso: o Cruzeiro venceu porque o técnico “condenado” do adversário é muito ruim, e afundaria até o Bayer! Vai minar a Libertadores que venceu pelo resto da carreira. Este negócio de chutou mais ou qualquer estatística que não seja “gol” tem pouca validade no futebol. Se o goleiro é destaque, é sinal de que foi muito acionado. O meio-campo precisa de muito mais volume de jogo. Do contrário, a defesa e goleiro vão ou continuar se destacando, ou cansarem e falhas pontuais deixarem o resultado virar completamente (ontem, foi 1×0, mas podia ser 1×2 facilmente).

    O Cruzeiro precisa acreditar mais na base. Aí está a solução para o time e para o clube. Outro dia estava assistindo o filme “Pelé”. Aos 17 anos, jogou demais em 1958. Depois, ele mesmo admite que não estava querendo ir para a Copa de 1970 pois já estava “velho” e o histórico das duas copas anteriores era: jogava duas partidas e machucava, não se recuperando a tempo. Hoje, com melhor Ciência Esportiva, estamos ampliando a carreira de jogadores. Mas é mais “marketing” do que tudo. Você vê Messi andando, e alguns jogadores fazem corridas de 50 metros depois ficam 10 minutos se recuperando em campo. Quem tem a coragem de por jovens em campo, como o Athletico Paranaense, colhe os frutos. Quem não tem, acumula dívidas.

  • Marcos DF disse:

    Ahh veio, tudo na vida depende de vontade, inspiração, “sangue nus oio”. Não é reza, mandinga ou superstição que vai ganhar jogo.
    O de ontem serve de lição para o Galo, faltou mobilização, parece que o Cuca nunca jogou um clássico na vida. E olha que o cara já jogou no Grêmio.
    De 10 neguinhos que passam pela base, você vai aproveitar um ou dois por ano, mais que isso é lucro e um ponto fora da curva.