Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

E lá se foi Silvestre, o “Artilheiro da Alegria”, do Siderúrgica, Atlético, América e seleção mineira

Pelé e Silvestre em foto do álbum do Silvestre/terceirotempo.uol.com.br

Bem cedo o jornalista Vinícius Dias, que mora em Itabirito, twittou: @dias_vinicius_ “Morre em Itabirito, aos 88 anos, Silvestre Martins Fernandes. Artilheiro do Mineiro de 58 e campeão, em 64, pelo Siderúrgica. Integrou a Seleção Mineira na inauguração do Mineirão. Pelo Atlético, ouviu Pelé dizer aos companheiros de Santos: “marquem o camisa 8. Ele sabe jogar”.

Seleção mineira, 1965: da esquerda para a direita, Bueno, Canindé, Grapete, Buglê, Fábio, Décio Teixeira e Ubaldo Miranda; Wilson Almeida, Silvestre, Tostão, Dirceu Lopes, Tião e o massagista Bolão. Foto: Arquivo pessoal Silvestre/terceirotempo.uol.com.br

Cláudio Arreguy, que foi do Jornal do Brasil e editor de esportes do Estado de Minas, escreveu sobre ele: @c_arreguy “Quando me apaixonei por futebol, época da inauguração do Mineirão, um dos grandes jogadores de Minas era Silvestre, atacante campeão pelo Siderúrgica em 64 e titular da Seleção Mineira no 1° jogo do estádio, ao lado de Tostão. Soube há pouco de sua morte. Deus conforte a família.”

O ex-jogador e treinador, Procópio Cardozo, confirmou que se tratava de um craque: “Em 1964 eu estava no Fluminense e indiquei Tostão e Dirceu Lopes ainda novos para o clube contratar. O presidente Nelson Vaz Moreira mandou o Tim vir a BH observa-los no jogo Siderúrgica x Cruzeiro. Na volta o Tim falou que os meninos eram bons mas que ele preferia o Silvestre.”

O jornal Folha de Sabará deu mais detalhes sobre a morte dele:

Com a camisa do Siderúrgica, campeão mineiro de 1964

Faleceu hoje o implacável artilheiro do Siderúrgica! – Silvestre Martins Fernandes, o “Artilheiro da Alegria”

O perigosíssimo e implacável artilheiro negro do Atlético nos anos 60 e campeão mineiro pelo Siderúrgica, em 1964, nasceu no dia 10 de abril de 1933, em Itabirito e lá residia até hoje, onde nasceu Telê Santana. Silvestre, era aposentado. Foi titular da Seleção Mineira de 1965 que inaugurou o Mineirão no dia 7 de setembro de 1965. Resultado final: Seleção Mineira 1 x 0 River Plate, gol de Buglê, do Galo. Era casado com dona Anita e teve quatro filhos.

Iniciou sua carreira nas categorias de base do Fluminense, a convite do conterrâneo Telê Santana, na época, profissional no Tricolor Carioca.

Como profissional, jogou no Siderúrgica, Atlético (em 1952), retornou ao Siderúrgica e encerrou carreira no Democrata de Sete Lagoas.

Foi artilheiro do Campeonato Mineiro, em 1958, e campeão, seis anos depois, pelo Siderúrgica.

Chegou a recusar uma proposta do São Paulo, devido o amor e saudades que sentia da família.
Todavia, o sonho de se profissionalizar permaneceu. As portas do Siderúrgica se abriram. As boas atuações lhe renderam frutos, o Cruzeiro, clube do coração do artilheiro, fez uma proposta, mas novamente, rejeitada por Silvestre. Atendendo aos pedidos de sua mãe, permaneceu em Sabará. O mesmo confessou não ter se arrependido da recusa em atuar pela Raposa.
As lembranças da época de atleta são diversas e uma delas é tratada com carinho. O encontro com o “Rei Pelé”, no dia 5 de abril de 1961.
Segundo Silvestre, foi a maior emoção. Teve a honra e o prazer de cumprimentar o Pelé. Mas diante da forte equipe paulista, Silvestre estava vestindo a camisa oito do Galo. O brilho do duelo, nem mesmo a derrota pelo placar de 3 a 1 lhe foi tirado. Para o próprio, trata-se da mais marcante partida disputada em sua carreira. Que, ainda hoje, traz à tona memórias.

Artilheiro da alegria

Silvestre, que acreditava ter marcado cerca de 50 gols durante sua carreira profissional, ainda arrancou centenas de sorrisos dos telespectadores da cidade. Nos início dos anos 2000, ele se tornou “artilheiro da alegria”. Foi contador de piadas, com outros dez colegas, na atração humorística “O Barracão – Nós Somos da Farra”, exibida diariamente, à tarde, pela TVI, canal local.

A Folha de Sabará em nome de todos os sabarenses, se solidariza com toda família  a perda deste grande ídolo. Vai com deus Artilheiro da Alegria, você cumpriu a sua jornada!

https://folhadesabara.com.br/noticia/8563/faleceu-hoje-o-implacavel-artilheiro-do-siderurgica


Deixe uma resposta para Marcão de Varginha Cancelar resposta

Comentários:
1