Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/blog/www/wordpress/wp-includes/pomo/plural-forms.php on line 210
Chegou o momento de mostrar quem tem mais time e controle emocional | Blog do Chico Maia

Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Chegou o momento de mostrar quem tem mais time e controle emocional

twitter.com/Atletico

A partir das oitavas de final a Libertadores apresenta uma final a cada confronto, em jogos de ida e volta. Não há nenhuma outra oportunidade para o perdedor depois do segundo jogo, como o desta noite, no Mineirão. É quando a margem de erro de treinadores e jogadores é a mínima possível, em todos os aspectos. A escalação e substituições certas, nos momentos certos, o acerto de passes, o sangue frio para suportar provocações, a sapiência para provocar e obter efeito, sem abusar, o chute certeiro, a atenção à arbitragem e até os gandulas, na reposição da bola, com a devida urgência ou morosidade, dependendo da situação.

Normalmente são jogos de nervos à flor da pele, em que a bola “queima no pé” e os melhores jogadores, no “conjunto da obra”, se sobressaem. Individualmente vejo o Atlético com melhores jogadores, em condições de decidir na base da genialidade de um Nacho, velocidade e astúcia de um Zaracho ou na força do Hulk.

Prefiro confiar nas opções técnicas e táticas do Cuca, acreditar que o time fará uma grande partida, que os jogadores estejam inspirados. Que o Galo marque pelo menos um gol e não sofra nenhum, para seguir adiante na competição. O resto é perfumaria e muita cabeça cozida nessa história de foguete em hotel do adversário.

Os prováveis times:

Atlético: Everson, Mariano, Réver (Nathan Silva), Junior Alonso e Dodô; Allan, Tchê Tchê, Zaracho e Nacho Fernández; Savarino e Hulk.

twitter.com/Atletico

Boca: Rossi, Weigandt, Izquierdoz, Rojo e Sández; Rolón, Medina e González; Villa, Pavón e Briasco

twitter.com/BocaJrsOficial

Técnico: Miguel Ángel Russo

O árbitro é o mesmo da final da Copa América, o uruguaio Esteban Daniel Ostojich. O VAR será comandado pelo chilenoJulio Bascuñán.


Deixe uma resposta para Júlio Soares Cancelar resposta

Comentários:
14
  • Marcos disse:

    Gritos de Galo soam por Minas.
    O Atlético derrubou, nos pênaltis, o Boca Juniors.
    Uma classificação que bota o Atlético como um sério candidato ao título da Libertadores.
    Enquanto o Galo cresce, a Raposa desce…

  • Marcio Borges disse:

    Meteram a mao no boca outra vez???!!! Este ano tem que dar galo de qualquer jeito….kkkk
    Quero ver os chorões de plantão….kkkk
    #tiburcioeternomito
    #naodeformataooficial

  • Jerônimo disse:

    A pressão dos argentinos sobre a arbitragem surtiu efeito.

    O bandeira, que bandeirou no primeiro tempo na defesa esquerda do Galo, em frente ao Cuca, não deu um lance a favor do Galo.
    Nenhum.

    A bola do jogo esteve nos pés do Zaracho…e ele desperdiçou.

    O Hulk já está marcado pela arbitragem. Os árbitros não apitam faltas simples sobre ele. As faltas duras, típicas de cartão viram faltas normais e as faltas muito fortes, dignas de cartão vermelho, são penalizadas com amarelo. O Hulk vai apanhar, copiosamente, enquanto jogar no Galo.

    Deixar o Arana ir para as olimpíadas foi um erro. Enfraqueceu o time tanto no ataque quanto na defesa. Burrice achar que isso valorizaria ele. Um título de libertadores valoriza muito mais do que uma olimpíada.

    A falta de equilíbrio emocional dos jogadores brasileiros é impressionante… podem ter 50 anos de idade e continuam sem qualquer controle emocional.

    Ouvir o picareta do Simon dando pitaco sobre a arbitragem é horrível. Ele sente ódio do Galo, pois nos sempre lembramos do “erro” dele, na Copa do Brasil de 2007, quando ele não deu um pênalti claro no Tcho.

    Enfim…a pergunta que não quer calar: Quem foi o idiota que molhou o gramado do Mineirão ?!?

    Escrevo no intervalo do jogo para não dizer que sou engenheiro de obra pronta.

  • Júlio Soares disse:

    O grande defeito do Brasil hoje é o Simbolismo. Quando outros fazem, não incomoda e a imprensa acha bonito. Uns podem, outros não podem.

  • Horacio disse:

    É, é sempre deste jeito, quando o clube sente que vai perder tenta de tudo. No jogo de ida foi o maior neymarismo. Era encostar e os caras punham a mão no rosto, caiam rolando e dando gritinhos de dor, vindos do fundo da alma ferida de morte, Mo drama mexicano.

    Depois do gol fake a coisa piorou, o e juiz não teve pulso de impedir que jogassem para a platéia, em especial para os spikes, que também deram seu showzinho. “Clima de guerra” é pra jogo de várzea, diz muito sobre o nível das administrações e da organização do futebol. Se a competição estivesse em um nível melhor o assunto era outro.

    Temos um time melhor e com mais ritmo, mas isto não ganha e nunca ganhou jogo. Futebol é no campo, é jogo, é jogado, rebolou levou. Espero que o Galo pare de levantar o bracinho esperando que o juiz pare a jogada. Mata a jogada depois reclama!! Se jogar sério ganha. E eles sabem disso, o que explica a palhaçada.

  • Marcão de Varginha disse:

    Respeito opiniões contrárias, mas sou contra essas atitudes; sabemos que futebol se ganha dentro e fora do campo, mas entendo que “fora” se aplica às pressões administrativas junto às entidades envolvidas (FMF, CBF, Conmebol e FIFA).. será se todos que estão hospedados naquele hotel acompanham futebol, e os que moram nas imediações são todos torcedores do Galo? E como fica a situação daqueles que estão com sua saúde comprometida? Há pessoas sensíveis que não suportam essa barulheira e ficam nervosos piorando seu estado de saúde, e os moradores de rua? E os cães que ficam à procura de alimentação, e aliado à todas essas situações esses arruaceiros no mínimo estão perturbando o trabalho e sossego alheios, e será se estavam usando máscara e adotando as devidas precauções de combate ao COVID?
    – A grande verdade é que essas atitudes incomodam àqueles que não estão envolvidos no NEGÓCIO futebol e isso é ilegal, desproporcional, covardia e desrespeito para com todos que estão naquelas adjacências querendo gozar o que todos nós temos direito: descansar e dormir para refazer energias para que possamos trabalhar e arcar com nossas responsabilidades familiares e profissionais!
    – Não é preciso “olho por olho”, mas lembrando Luxemburgo que afirmou “a melhor forma de respeitar o adversário é marcando gols e vencendo-o”. Temos condições e time para avançar nas competições, depende só de nós mesmos para chegarmos lá respeitando os adversários. Essa atitude de foguetório independente do horário nunca foi futebol, mas crime passivo de punição.
    – Boa sorte, Galo!
    – #benecyeternomito

  • Jerônimo disse:

    O Galo, ontem, ganhou dois reforços: a saída do Gabriel e o afastamento do Guga.
    Agora, só falta se livrar do Sasha.

  • Pedro Vitor disse:

    O maais engraçado é que a torcida do Cruzeiro jogou o portão da toca no chão, e ninguém foi preso a pm faz vista grossa com a torcida adversária ou alguém acoberta

  • Marcio Borges disse:

    https://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2021/07/20/interna_gerais,1288194/torcedores-do-galo-sao-detidos-apos-foguetorio-na-porta-de-hotel-do-boca.shtml

    Deveriam ser detidos e ficar impedidos de ate mesmo ouvir o jogo. Torcida organizada, DE QUALQUER CLUBE, virou organização criminosa.
    #tiburcioeternomito
    #naodeformataooficial

  • Raws disse:

    Lembrando de Arana e talvez keno, com resistência a TchêTchê, é o melhor que temos.

  • Guilherme Leôncio disse:

    O Galo tem que se precaver e entrar focado, os argentinos são frios e sabem jogar na casa do adversário. Em 2015, o CruCru venceu o River Plate por 1 X 0 no jogo de ida numas quartas de finais da Libertadores. Na volta, jogando por um simples empate no Mineirão, o CruCru foi derrotado por 3 X 0 e despediu-se da competição. Jogo difícil e sem prognósticos hoje a noite!

  • Silvio Torres disse:

    Eu estava no Mineirão no dia da eliminação para o Seu Jorge. Lembro que, com 15 minutos de jogo, disse pra um amigo: é um jogo de campeonato mineiro, mas por ser Libertadores, o Atlético entra numa pilha como se estivesse enfrentando o Bayern. Deu no que deu. Acho que a situação é parecida com hoje. Mesmo já tendo mostrado em Buenos Aires que não é a porcaria que os “especialistas” diziam ser, o time do Boca está num nível inferior ao galo. Tem que ter personalidade, estratégia, inteligência.

  • Marcio Borges disse:

    Time por time o galo e melhor. Mas Sempre achei o boca extremamente perigoso fora de casa. Fazer ou não fazer barulho não vai adiantar nada. Até porque o jogo é a noite. Os caras podem dormir a tarde inteira…kkkkk
    #tiburcioeternomito
    #naodeformataooficial