Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Cristiano Ronaldo, o fenômeno português em carne, osso e alma

Foto: br.bolavip.com/futebol/Cristiano-Ronaldo-marca-dois

Desde sexta-feira passada estava pensando em passar uma dica para vocês: “Ronaldo”, na Netflix. Coincidentemente, ontem ele arrebentou de novo, fazendo lembrar momentos da vida dele mostrados nesta excelente produção.

No portal Bola Vip, Rodrigo Alcantara:, ontem: “Aos 36 anos, Cristiano Ronaldo conquistou mais um recorde pessoal. Com dois gols de cabeça, no finzinho da partida (um aos 43 e o outro aos 50 minutos do segundo tempo), o ‘gajo’ virou o jogo, deu a vitória por 2 a 1 para Portugal sobre a Irlanda, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. Além de garantir os três ponts e a liderança para sua seleção, o craque português se tornou o recordista absoluto de gols por seleções no futebol masculino, com 111 em 180 jogos com a camisa portuguesa. . .”

Ele tinha desperdiçado um pênalti, quando o jogo estava 0 a 0, mas é desses que não se abate com nada. Este camarada é realmente fenomenal, não só dentro de um campo de futebol. Acabei de constatar isso no documentário. Vale demais a pena. Da infância pobre na Ilha da Madeira, as dificuldades familiares, com o pai alcoólatra, o drama psicológico com a mãe, que confessa que ele era o filho que “indesejado”, já que em função da pobreza ela não via como tratar e cuidar de um quarto filho, ao sucesso mundial, as conquistas esportivas e pessoais, estrelato mundial, vida de “astro pop”. E tudo tratado com simplicidade, de forma direta, depoimentos dele, da mãe, do pai, do irmão, do seu empresário Jorge Mendes, primeiro e único. Da rivalidade e amizade com o Messi, e de uma humildade que a imprensa não mostra no dia a dia, já que ele sabe o tamanho que tem e sabe separar muito bem as coisas.

A relação com o filho, com uma mãe que ele sempre quis preservar a identidade, aparece muito durante o documentário, que foi lançado em 2015. Mostra também as conversas de vestiários, da casa dele, os preparativos para a Copa de 2014. A frustração pela eliminação na primeira fase, o arrependimento por ter vindo ao Brasil machucado.


Foto: Jornal Tribuna de Mauc- jtm.com.mo/desporto    

O técnico da seleção portuguesa em 2014 era o Paulo Bento, que em 2016 dirigiu o Cruzeiro, que aliás, pagou a ele o resto do acerto da demissão, na justiça, R$ 700 mil, no início deste ano.


“. . . Dolores Aveiro voltou a engravidar. Entretanto, decidiu que um quarto herdeiro era demais. “Foi um filho não desejado, mas me deu tantas alegrias, e tudo o que eu tenho eu devo a ele. Queria abortar; Deus não quis que acontecesse . . .”


Deixe uma resposta para Luviano carvalho Cancelar resposta

Comentários:
3
  • Luviano carvalho disse:

    Se o neymala se inspirasse nele.

  • Alisson Sol disse:

    Excelente mesmo. Creio que apenas o documentário sobre o Leeds United seja melhor que este.

    Eu iria fazer uma comparação com o nosso “Ronaldo”. Depois, lembrei que você mesmo havia no passado escrito muito bem sobre ele. Achei aqui. Nada a acrescentar.

    • Claudio disse:

      Alisson, muito pertinente sua observação.
      Melhor ainda foi ler o artigo dos comentários da época.
      Percebemos que os monotemas são os mesmos.
      Não dá para comparar ídolos do passado fomos do momento.
      Querer relativizar Tostão, Dirceu Lopes com Ronaldo…
      Sacanagem.
      Como dizia o ex presidente Sarney:
      Nada como o tempo e o silêncio.
      Leia comentários de 2015.