Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/blog/www/wordpress/wp-includes/pomo/plural-forms.php on line 210
Eliminatórias fazem lembrar o Campeonato Mineiro: uma ou duas seleções sobram. Problema é quando chega a Copa do Mundo | Blog do Chico Maia

Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Eliminatórias fazem lembrar o Campeonato Mineiro: uma ou duas seleções sobram. Problema é quando chega a Copa do Mundo

Foto: www.cbf.com.br

No Campeonato Mineiro os times da capital deitam e rolam. Além da diferença financeira, quando aparece um time do interior incomodando, a arbitragem sempre “erra” contra ele. Atlético e Cruzeiro chegam disparados à frente; o América também, mas, excepcionalmente, como nos últimos anos. Aí vem o Brasileiro e o bicho pega. Na dúvida, árbitros apitam quase sempre a favor dos adversários de São Paulo e Rio.

Nestas eliminatórias para a Copa do Qatar 2022, o Brasil está disparado, com 100% de aproveitamento, 21 pontos em 21 disputados. Campanha impressionante, mas a bola jogada não condiz bem com estes números. A Argentina está em segundo, com 15 pontos e os mesmos sete jogos da seleção do Tite. Equador (12 pontos), Uruguai e Colômbia, com 9, brigam atualmente pelas duas vagas diretas restantes e a da repescagem.

Com a diferença técnica entre as seleções da Europa e as Sul-Americanas cada vez maior, quando chega a Copa, as do velho mundo nem precisam da força da arbitragem. Ganham dentro de campo, com um pé nas costas.

Sobre Chile 0 x 1 Brasil, ontem, em Santiago, gostei do que escreveu aqui no blog o Eduardo Silva: “. . . Falaram mal do menino Ney que tá com uma barriguinha de cadela prenha; que jogou pedra ontem . . .”

Claro que ele quis dizer cadela prenhe, né?

Realmente!


Deixe uma resposta para Márcio Luiz Cancelar resposta

Comentários:
11
  • Márcio Luiz disse:

    Obrigado, meu caro Chico.
    Muito honrado com as suas palavras.

    A história da humanidade remonta a várias pragas através dos séculos.
    Ao meu ver a praga desde século até então são as fake news e os perfis fakes.
    Como vc bem definiu, são abjetos.

    Abraço.

  • Eduardo Silva disse:

    Chico, boa tarde,

    Assim como falamos de ditos populares, advérbios, me lembrei de palavras de outros idiomas que incorporamos em nosso vocabulário. Uma delas é HATER, uma palavra em inglês que significa:

    Os “haters” (em português, “odiadores”) são pessoas que realizam comentários, interações e ações críticas de modo não construtivo, apenas para desmotivar e atingir outro usuário.

    Digo isso porque aqui em seu blog estão cheios deles, como vemos ai o Marcio Qua Qua, Germano Brás e outros.. São indivíduos que ficam na espreita, não argumentam nada sobre o que é escrito nos posts, só querem constranger e diminuir quem pensa diferente deles.

    Embora aqui seja um blog que comenta mais de esportes, a gente observa o caráter de muitos aqui pelas suas “postagens”, um exemplo é esse Marcio Qua Qua que é a tipica pessoa que atira a pedra e esconde a mão, não tem coragem de se dirigir diretamente a pessoa, é o tipico puxa-saco, aquela figura pequena, recalcada, que tenta ser engraçado, é um indivíduo menor que pode apunhalar um amigo ou irmão a qualquer momento, essa minha impressão.

    Mas o que o cara posta diz mais sobre ele do que de quem ele quer atingir. Até em um blog podemos exercitar coisas como convivência, cidadania, censura, em um momento que jornalistas, políticos com mandato e sem mandato e blogueiros estão sendo PRESOS, sem direito a defesa por CRIME DE OPINIÃO!

    Podemos aprender todo dia, toda hora!

    E TEMOS COMO DEVER não deixar crescer os intolerantes, hoje sou eu, amanhã será quem? Será o blogueiro?

    Agradeço a atenção!

    • Chico Maia disse:

      Eduardo,
      você me dá uma ótima oportunidade para tentar conversar com você. Já tentei, várias vezes, por meio do e-mail que aparece aqui na moderação, mas nunca tive retorno; o que demonstra que você existe, pode até ser “Eduardo”, mas na realidade é fictício, pois seu endereço de e-mail inexiste. Lamento, pois você faz bons comentários, que entretanto, não são confiáveis, por não ter identidade verdadeira. Libero a maioria do que você escreve porque gera debates, mas não publico vários, porque o objetivo é apenas provocar, sem cumprir o objetivo do blog, que é o debate sadio e a interação.
      Por exemplo, agora, você ataca o Márcio, de uma forma tola (pra não usar expressão mais grosseira), e liberei para poder me dirigir diretamente a você, cujo endereço de e-mail registrado aqui no blog não existe. Conheci pessoalmente o Márcio, participante das primeiras postagens deste blog, há mais de 10 anos. Estive com ele uma ou duas vezes em encontros promovidos pelo Kleytinho da Floresta, cruzeirense, gente boa, que anda sumido do blog. Também de posições firmes, polêmicas, assim como o Márcio, mas que não se esconde no anonimato e mostra a cara, a personalidade.
      Um anônimo como você, chamar alguém de “indivíduos”, e questionar “liberdade de expressão”, na intenção de defender quem prega atentado físico a Ministros ou a qualquer pessoa de qualquer governo, é de uma insanidade absurda. Foge da racionalidade. Não me interessa conviver ou partilhar espaço com quem, na primeira oportunidade, vai tentar me calar, por divergir.
      Seja bem-vindo sempre, porém assumindo a sua identidade verdadeira. Este “Eduardo Silva”, anônimo, é abjeto. Certamente há muitos espaços na internet que aceitam, gostam e até incentivem este tipo coisa.
      Até mais!

      • Eduardo Silva disse:

        Chico Maia, boa noite,

        O motivo do email estar constando inválido é porque o portal IG estava me cobrando 75,00 há muitos anos atrás para manter esse meu email (eduardosilva@ig.com.br) e como eu não renovei eles bloquearam, mas eu nunca tinha observado isso e também não sabia que vc mandava resposta para alguém em particular e tanto o celular quanto o notebook colocam de forma automática e eu tenho um corporativo que uso a trabalho.

        Mas amanhã vou fazer outro email em outro portal e vou postar aqui para seu conhecimento, no problem.

        Quanto ao que falei do Marcio Qua Qua, reitero o que disse porque esses caras só ficam aqui jogando pedra e escondendo a mão, não aguentam meia hora para debater qualquer tema.

        Grato.

  • Germano Brás disse:

    Kkkk, quem gosta de corrigir os outros, dando tiro no pé.

  • Fred disse:

    Ontem fez lembrar as partidas atuais do Cruzeiro. Ô joguim ruim…….

  • Eduardo Silva disse:

    Amado Mestre Chico Maia,

    Data máxima vênia, prenha ou prenhe, ambas as expressões estão corretas, apontam no mesmo sentido e significado mas “prenha” é considerada uma variante informal.

    No post anterior o apelido do goleiro Luiz Antonio seu apelido está Totô…

    Claro que vc quis dizer Totó…. Realmente…kkk

    Grande abraço!

    • Chico Maia disse:

      Olá Eduardo, realmente, mas no caso do Neymar, da forma como você escreveu, é prenhe. No caso do Luiz Antônio, com quem eu convivi quando cobri o Cruzeiro, eu o chamava de Totô.
      Abraço.
      ***
      Diferença entre Prenha e Prenhe
      prenha ou prenhe: O que é, signifcados e definições:
      Prenha
      Prenha: Adjetivo

      O que é Prenha:
      Estar grávida.
      Exemplo de uso da palavra Prenha:

      -Todos desconfiavam que ela estava prenha depois que a barriga cresceu tanto.

      Clique aqui para mais definições de Prenha
      Prenhe
      Prenhe: Adjetivo

      O que é Prenhe:
      Descreve a gravidez dos animais.
      Exemplo de uso da palavra Prenhe:

      Uma ovelha prenhe.

      Clique aqui para mais definições de Prenhe

      • Eduardo Silva disse:

        Prezado Chico,

        Você tem razão, mas o que acontece é que muitos ditos populares vão mudando algumas palavras, sem perder muito seu significado, me lembrei de uma vez que minha irmã poetisa e escritora que me falou sobre isso, sendo também correto a utilização de uma Linguagem Coloquial ou popular, desde que essa comunicação seja entendida pelo receptor, embora se utilizando de palavras e expressões adverbiais incorretas..

        Alguns exemplos:

        Muitos dos ditados populares, na medida em que o tempo passa, sofrem alterações verdadeiramente brutais. O uso equivocado, por alguns, induz muitos ao erro.
        E os exemplos dessa degenerescência são muitos: “Batatinha quando nasce, espalha a rama pelo chão”, transformou-se em “Batatinha, quando nasce, esparrama pelo chão”.
        A exemplo disso, “Esse menino não para quieto, parece que tem bicho no corpo inteiro”, transformou-se em “Esse menino não para quieto, parece que tem bicho carpinteiro”; “Quem tem boca vaia Roma”, transformou-se em “Quem tem boca vai a Roma”; “Esculpido em Carrara”, transformou-se em “Cuspido e escarrado”; e “Quem não tem cão, caça como gato”, transformou-se em “Quem não tem cão, caça com gato”!

        Valeu sua intervenção para que ficássemos mais cultos hoje de nosso tão rebuscado vernáculo!

        Grande abraço!

  • Márcio Luiz disse:

    Que falta faz um ensino FUNDAMENTAL neste país…

    • Edson Dias disse:

      Prezado Márcio Luiz, a sutileza desse seu comentário – e para quem ele é dirigido, o tornam um dos melhores comentários do blog do Chico de todos os tempos. Kkkkkkkkkkkkkkkkk