Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/blog/www/wordpress/wp-includes/pomo/plural-forms.php on line 210
América sai de cabeça erguida da Copa SP que teve violência e até faca no gramado na eliminação do São Paulo  pelo Palmeiras | Blog do Chico Maia

Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

América sai de cabeça erguida da Copa SP que teve violência e até faca no gramado na eliminação do São Paulo  pelo Palmeiras

O Coelho foi derrotado pelo Santos, 3 a 0, na sexta-feira e terminou em quarto lugar, numa competição que envolve 128 times. Na outra semifinal, ontem, palhaçada de marginais da torcida do São Paulo, que invadiram o gramado, tentaram agredir um jogador do Palmeiras e foi encontrada uma faca no gramado.

Hoje, a Federação Paulista  e o São Paulo soltaram notas repudiando “veementemente” a violência. Aquele comunicado protocolar, que deixa tudo como está para ver como é que fica, em que ninguém é punido e vida que segue. É o Brasil nosso  de cada dia, de norte a sul, leste a oeste.

Sobre a ótima performance do América, a opinião de dois americanos sempre presentes aqui no blog: Marcio  Amorim e Ed Diogo:

* Marcio Amorim

Caros Chico e amigos!
Volto para ser coerente com a minha fala anterior. Não protagonizamos a surpresa que eu esperava e deu a lógica: Santos 3 x 0. Não que o Santos seja lá essas coisas. O jogo foi muito igual, com um pequeno domínio do Santos. Após levar o gol, o América acordou, dominou e sofreu um gol por pura inocência de um futuro grande goleiro, o Cássio, que poderia ter deixado a bola passar. Não havia mais nenhum atacante do Santos, a não ser o que recebeu a bola de mão beijada.
A partir daí, o que era difícil ficou impossível com 2 x 0 de forma inesperada.
Enfim, o que mais parecia um milagre, estar na semifinal, sonho de Corínthians, Flamengo, Flu, Bota, Vasco, Atlético MG, Cruzeiro, Inter, Grêmio, etc., etc., etc. este milagre coube orgulhosamente ao América MG.
O grupo é muito bom e vai ganhar experiência para disputar ainda umas três Copinhas. Adson, Diogo, Cássio, Kantê, Teo e outros vão adquirir experiência e devem, sim, ser chamados para uma atuação ou outra no grupo principal. A imprensa paulista não economizou elogios a esses atletas principalmente. Pena que o sucesso do adversário tenha sido motivo para um ou outro sair chamando pessoas que nem conhece de imbecis, só porque defendem o time do coração neste espaço. E sem agredir ninguém.
Como disse certo filósofo do futebol, de cujo nome não tenho conhecimento: “futebol é a coisa mais importante entre as que não têm importância nenhuma”.
Parabéns Coelhão(zinho)! Nada ia tirar o brilho da campanha. Como não tirou.

***

* Ed Diogo

O Coelhão continua fazendo história tanto o profissional quanto as categorias de base como foi mostrado no campeonato mineiro da categoria e agora na copa São Paulo com a maioria sub17/18 e superamos 124 clubes . Parabéns jovens promessas parabéns diretoria estamos no caminho certo.
Acredita Coelhão

***

O Globoesporte.com mostrou imagens da invasão de campo por torcedores do São Paulo:

* “Jogador do Palmeiras encontra faca no gramado após torcedores do São Paulo invadirem gramado na Copinha; veja o vídeo da confusão”

Nos acréscimos, são-paulinos pularam no gramado e tentaram agredir jogadores do Verdão; delegado conclui, em análise preliminar, que arma foi arremessada da arquibancada

https://ge.globo.com/futebol/copa-sp-de-futebol-junior/noticia/torcedores-do-sao-paulo-invadem-campo-na-copinha-e-tentam-agredir-jogador-do-palmeiras-faca-e-encontrada.ghtml


Deixe uma resposta para carlos henrique Cancelar resposta

Comentários:
2
  • carlos henrique disse:

    Chico,no amador fazia gols, poucos, mas era camisa dez
    naquela epoca muitos times, jogavam em funçao do centro avante
    O centro avante nato, tava acabando, ai apareceu o Pedro Fluminense
    hoje no Flamengo, centro avante das antigas
    Gabigol, é mais oportunista, P edro é mais completo
    Quem é mais cerntro avante, Ronaldo fenômeno ou Romario
    para min o Baixinho , fazia até gol de cabeça de bico de todo jeito
    Ronaldo nao fez 5 gols de cabeça na carreira profissional
    agora apareceu o Hendric,Do Palmeiras
    curioso que sou,fui ver o jogo da copinha
    ai vi o dia do golaço de bicicleta
    e vi America x Santos
    O America perdeu, em duas falhas do seu goleiro
    o primeiro chute de fora da area
    bola alta em cima do goleiro ,era sodar o tapa, por cima do travessao
    todo goleiro faz isso, foi em cima dele
    no segundo faz a ponte, e solta na mao do atacante
    o menino do America, que fez o gol contra o Botafogo,é muito bom
    nao guardei o nome dele
    voltando ao Hendric, tem jeitodaqueles craques de antigamente
    o jeitao de caminhar, de antecipar a jogada
    e pode se bem trabalhado psicologicamente
    se um espetaculo como centro avante
    pura habilidade, intimo da bola

  • Marcelo disse:

    O trabalho nas categorias de base do América sempre foi bem
    feito até a transição para o profissional. O que não tem explicação é porque os bons valores não são lançados. Não ganham rodagem. Santos e Flamengo, por exemplo, não querem saber de idade. Se é bom, lançam no profissional. Depois vendem e arrecadam. Faz parte. Aqui, o que se vê são jogadores como Henrique Almeida, Wellington Paulista, Ribamar, Léo Passos, Yan sasse, Ysaque, Luiz Fernando, chegarem, nem jogarem, ou recebendo inúmeras chances, ou sendo
    pelo menos relacionados para as partidas, enquanto uma promessa como o Carlos Alberto tem que fazer chover em campo, para receber uma sequência de jogos, que nunca teve. Isso ninguém explica. Zé Ricardo é outro exemplo. Preterido para o Juninho Valoura jogar o ano passado inteiro. Voltou contra o São Paulo na última rodada e acabou com o jogo. E por aí vai. Coisas que o América poderia mudar para colher bons frutos, mas que parece não querer. O Mineiro seria um ótimo laboratório. Antes do Mineiro do ano passado, inclusive, assim como esse ano, falaram que iam utilizar o campeonato para isso. Mas durou uma rodada só a promessa. E foi suficiente para mostrar um lateral direito com muito potencial, que já foi emprestado duas vezes e nunca mais se ouviu falar dele. Chamava Thalys o menino. São apenas alguns exemplos de como mesmo em um clube organizado e revelador, a base sofre para ter as chances que merece.