Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Na torcida para que a paz volte logo à Ucrânia e que o nosso conterrâneo Sérgio Utsch saia ileso de Kiev

Parece um pesadelo, mas o conflito sangrento é real entre Rússia e Ucrânia. Tive a satisfação de conhecer a Ucrânia em 2012, durante a Eurocopa, realizada em conjunto com a Polônia, dois países fantásticos, em todos os aspectos. Uma das melhores coberturas que já fiz, uma das melhores viagens. Dirigi milhares de quilômetros, por excelentes estradas, numa imersão na história e também na geopolítica. Pelo que tenho visto na TV, identifiquei muitos lugares por onde passei e que agora são cenários de bombas explodindo e corpos despedaçados. As estradas que cortam Polônia e Ucrânia são como museus a céu aberto, em que tanques, aviões e outros equipamentos de guerra ficam expostos e podem ser até tocados por quem se anima a parar e observar. Restos da União Soviética e da Guerra Fria; hoje, bem utilizados como atrativos turísticos.

Dói ser testemunha da história, assistindo ao vivo e por meio de imagens do whatsapp, a carnificina de uma guerra, que imaginávamos que jamais ocorresse nos dias de hoje, nessas proporções.

Quando estive lá, o clima já não era tranquilo. A divisão política estava esquentando com inúmeros protestos pela prisão da ex-primeira ministra Julia Timoschenko e deposição do então presidente, Víktor Yanukóvytch. Aliás, assisti uma curta e ótima série na Netflix, que ajuda a entender o que se passa entre Ucrânia e Rússia atualmente. Vale a pena.

O jornalista Sérgio Utsch está lá. Correspondente do SBT no Reino Unido, mora em Londres há 11 anos e viaja sempre para cobrir grandes eventos, mesmo que seja uma guerra, como esta. Mineiro de Lagoa Santa/Conceição do Maato Dentro, já o vi relatando fatos pela TV, de dentro de um tanque de guerra, no combate ao Estado Islâmico, e balas comendo soltas. Mas ele tinha uma proteção, do exército norte-americano, mínima que fosse, que garantia alguma segurança pessoal. Mais recentemente passou uns apertos no Afeganistão, com o retorno do Taliban ao poder. Mas, agora é diferente. Ele corre risco permanente, sob as bombas que caem em grande número, na capital. Ele esteva na mesma Ucrânia, em 2014, cobrindo o movimento que derrubou Yanukóvytch. Inclusive entrevistou Bernard, ex-Atlético, que estava no Shaktar, em Donetsky, com registro aqui no blog, inclusive, no dia 14 de março de 20114: Encontro de mineiros no frio de Donetsk/Ucrânia: Bernard diz a Sergio Utsch que pode voltar

http://blog.chicomaia.com.br/2014/03/14/encontro-de-mineiros-no-frio-de-donetskucrania-bernard-diz-a-sergio-utsch-que-pode-voltar/ 

Que o Utsch retorne logo e bem, da belíssima capital ucraniana. Para sentir um pouco do drama em que vive em Kiev: ‘Rede de Wi-Fi do hotel cortada. “Por causa dos espiões russos”, me diz o segurança, o único funcionário que restou. Todos os outros abandonaram o hotel, que está entregue aos hóspedes. A maioria, jornalistas.’


» Comentar

Comentários:
15
  • Horacio disse:

    O Galo jogou ontem e saiu com uma vitória apertada. Não vi o jogo, mas os “melhores lances” mostram duas falhas na bola aérea que não são justificáveis.

    A defesa do Galo está muito velha, mal posicionada, abrindo buracos com o meio e recompondo mal. Ou treina o Igor Rabelo, que é destro, para jogar do lado esquerdo ou arruma um outro zagueiro, o Réver não consegue jogar este campeonato mantendo um bom nível, não sei o Godin. Tenho minhas dúvidas se podemos contar com os dois toda a temporada.

  • Horacio disse:

    É seu Chico, burrice é a única coisa que tem de sobra no mundo. Acho esse Putin a cara do bozo, a diferença que tem um nível cultural mais elevado, mais educado, mas a prática é a mesma, quer resolver tudo na porrada.
    Toda esta indignação contra esta guerra é justa, mas faltou um gesto de quem podia tentar apagar o fogo ao invés de jogar gasolina. Faltou esta indignação contra a invasão da Líbia, do Iraque, da Síria do Afeganistão e por aí vai. Quem apoiou estas invasões, ou mesmo participou inclusive financiando grupos terroristas, hoje estão dando uma de virgem no puteiro, hipócritas, gente que não presta, não fizeram nada para impedir e ainda deram o exemplo.

  • Juca da Floresta disse:

    Bom domingo a todos! Eu não entendo nada de geopolítica e muito menos de guerra, mas tenho duas perguntas para os especialistas para tentar saciar minha curiosidade: A Rússia invadiu a Ucrânia por causa da possível adesão deste país que lhe faz fronteira à OTAN – Organização do Tratado do Atlântico Norte. 1. Se a OTAN foi criada para a defesa militar da Europa Ocidental contra a União Soviética, por que não se desfez quando a URSS acabou? 2. Todos entendíamos os objetivos dos países da Europa Ocidental e dos EUA em 1949, ano de de criação da OTAN; hoje quais são?

  • Fred disse:

    É isso que dá eleger um palhaço, completamente incompetente e ainda puxa saco dos EUA, pra governar um país. E olha que nem estou me referindo ao palhaço Bozo…

  • Silvio Torres disse:

    Quando o Tio Sam inventou armas de destruição em massa para invadir e destruir o Iraque, nenhuma indignação da mídia brasileira. Calculam que 500 mil crianças tenham morrido por causa da guerra levada a cabo pelos americanos. Mas como não eram loiros de olhos azuis, não despertaram correntes de solidariedade pelo mundo. C’est lá vie.

  • Raws disse:

    PQPiuuuuuullll. Eu mereço.

  • Jerônimo disse:

    “Eleja um palhaço, espere um circo”.
    O golpe que a Ucrânia sofreu em 2014, financiado pelos EUA, levou ao poder um comediante e o resultado é esse circo de horrores

    O palhaço caiu na lábia dos EUA e da Otan para transformar a Ucrânia em mais base da Otan. Caso isso acontecesse os mísseis que fossem disparados de Kiev aceitariam Moscou em apenas 4 minutos. Enfim, depois de 8 anos de negociações diplomáticas, com a Rússia, a Ucrânia não aceitava ser neutra e insistia na aliança com a Otan. A ocupação que está acontecendo, agora, busca evitar conflitos maiores no futuro. Aliás, conflito este que será rapidamente resolvido uma vez que não há outra alternativa a não ser a rendição do palhaço e a assinatura de um acordo de neutralidade por parte da Ucrânia.

    Para paz futura basta o povo ucraniano escolher um presidente que não seja maluco e nazista que o país terá tranquilidade.

    Que o povo brasileiro esteja apreendendo com essa situação e não reeleja o palhaço Bozo.

    • Bernardo Montalvão disse:

      Seu comentário é muito parcial… Neste sentido então, os EUA deveria ter atacado Cuba durante a Guerra Fria, por ter se aliado a URSS. A Ucrânia é um país independente e se alia a quem ela quiser.

      • Jerônimo disse:

        Os EUA atacam Cuba há mais de 62 anos, diariamente, com um violento embargo econômico. Esse embargo à Cuba já matou mais cubanos que TODA a ocupação da Ucrânia irá matar.

        A guerra não é feita apenas com armas bélicas, mas a guerra também pode ser financeira, cultural, tecnológica, química, religiosa etc.

        Sim, a Ucrânia é um país soberano e pode se aliar a quem ele quiser, mas dependendo da aliança feita…haverá consequenciais positivas ou negativas. O palhaço na presidência da Ucrânia optou pela aliança errada.

        E os países, também soberanos, que foram invadidos pelos EUA?
        Coréia do Sul, Grécia, Kwait, Iraque, Indonésia, Iugoslávia, Síria…
        Aguardo a sua opinião sobre como estes países invadidos ameaçavam a soberania norte americana.

        Os russos venceram o nazismo em 1945 e o farão, novamente, agora.

        • Bernardo Montalvão disse:

          Antes de mais nada devo te dizer que não nutro nenhuma simpatia pelos países imperialistas, pena que você idolatra a Rússia. Acordos comerciais não são invasões… O Embargo a Cuba não matou 1% do que o regime autoritário Castrista assassinou seus opositores.

          • Eduardo Silva disse:

            O Jerónimo fala aí que os EUA patrocinaram um golpe em 1916 no Brasil e quebrou várias empresas deixando milhares de desempregados? Oi?

            Pelo que vimos nessa ladroagem desenfreada teve muitos RÉUS CONFESSOS, roubaram, devolveram o dinheiro roubado e entregaram e contaram em detalhes o esquema de fraudes da quadrilha petralha.

            Que mundo irreal que esse povo vive?

          • Jerônimo disse:

            Os EUA jogaram 2 bombas atômicas no Japão, que mataram dezenas de milhares de pessoas, mesmo depois dos Russos terem acabado com a II guerra mundial e com Hitler morto há mais de 4 meses.

            Os EUA invadiram, nos últimos 100 anos, mais de uma dúzia de países para roubar as riquezas naturais e atender aos interesses políticos e econômicos norte americanos. Essas invasões causaram milhões de mortes.

            Os EUA financiaram os golpes de 1964 e de 2016, no Brasil, o que levou a ruína financeira de várias empresas e a morte de milhares de brasileiros.

            Mas você deve estar “serto”. Nesse momento nós temos é que nos preocupar e discutir sobre uma pequena Ilha no meio Caribe, pois ela é um grande risco para a humanidade com o seu Rum, Mambo, Charutos e jogadores de beisebol.

            Um dos motivos do Brasil estar vivendo o que estamos vivendo é a estupidez, da maioria dos brasileiros, de acreditar que os EUA são os mocinhos e o que eles fazem é para o bem da humanidade.

  • Luiz disse:

    Pois é . guerra é uma maluquice que ninguém se entende .
    Ouvi Eduardo Costa citando alguém (me desculpem pelo lapso de memória) que dizia:
    ” A guerra é o resultado de dois governantes, que se conhecem, se odeiam mas não se enfrentam
    Lutam por eles jovens que não se odeiam, não se conhecem e morrem” Em nome de que tudo isso?

  • Raul Otávio Pereira disse:

    É o típico caso da luta do rochedo contra o mar, na qual quem sai perdendo é o marisco.

    A mídia hegemônica insiste em vitimizar a Ucrânia e demonizar a Rússia, mas o buraco é mais em baixo. Não tem nada de Estados Unidos “santinho” nessa história.

    Longe de defender e muito menos justificar a invasão russa, tem que ser levado em consideração o acordo geopolítico do pós guerra (1945) que dividiu o mundo em duas zonas de influência – uma vinculada aos Estados Unidos e outra vinculada à então União Soviética. Isso tem funcionado razoavelmente bem desde aquela época.

    Uma adesão da Ucrânia à OTAN rompe esse equilíbrio de forças à medida em que este país passaria a ser uma (mais uma) simples marionete americana, com direito a bases militares e foguetes/bombas mais próximos de Moscou. Isso tudo além de estreitar a ligação geográfica entre a Rússia e a Europa.

    Como eu disse, ninguém está certo nessa brincadeira. Mas não dá para fechar os olhos para a realidade.

  • Raws disse:

    Pois é, mesmo não sendo eu um entendido em geopolítica, com sede em conhecimento, acabei sempre lendo sobre o tema. Agora no caso do atual conflito estou me aprofundando. Como toda a tragédia que se torna uma guerra, esta ainda tem o agravante de poder se tornar a terceira mundial. O pior é que, se as nações que só possuem uma sigla de unidas, mas não são, se não peitarem Putin, se arrependerão muito em breve.
    Vi um vídeo de um soldado russo, fazendo uma self com uma bateria de disparos e um sorriso no rosto. Então pensei o que já tenho comigo, não demos certo como raça “humana”.
    Com relação a Utsch, o incluirei nas orações. Tem uns cabras que são mais machos que outros. Ou com menos parafusos.