Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/blog/www/wordpress/wp-includes/pomo/plural-forms.php on line 210
No empate do Galo no Equador, canal português destaca gol do Felipe Azevedo como o mais bonito da Libertadores 2022 até agora | Blog do Chico Maia

Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

No empate do Galo no Equador, canal português destaca gol do Felipe Azevedo como o mais bonito da Libertadores 2022 até agora

Ponto precioso conquistado pelo Atlético em Guaiaquil, neste 1 x 1 contra o Independiente Del Vale.  Fez gol logo aos sete minutos, Hulk mais uma vez, e poderia ter ampliado em duas outras oportunidades, com Arana e o próprio Hulk. Fez um grande primeiro tempo. No segundo os donos da casa cresceram. Empataram aos cinco minutos, com Sornoza, e tiveram pelo menos duas grandes chances desperdiçadas também.

Assisti o jogo pelo Sportv 2, de Portugal.  https://www.facebook.com/SPORTTVPortugal/

Ótima transmissão e bons comentários, inclusive. No intervalo eles mostraram os 10 gols mais bonitos da Libertadores até agora. Muito legal ver o América sendo destacado por causa do gol do Felipe Azevedo contra o Galo. O mais bonito até agora, de acordo com a transmissão portuguesa. O comentarista se aprofundou sobre a rivalidade entre Atlético e América e destacou que o Ademir era do Coelho, e é considerado como a grande contratação do “Gualo” para a temporada 2022. Deve ter perdido o papel em que estava o nome de Belo Horizonte e titubeou ao falar que os dois clubes são mineiros e “vizinhos”, da mesma “região”, mas que o América não tem o mesmo poder financeiro para contratar jogadores, como o Atlético.

Sobre a partida, comentarista e narrador concordaram na opinião de que o Atlético parece ter se cansado depois dos 25 do segundo tempo, possivelmente em função da altitude. “O Ulk” e seus companheiros estão torcendo para o jogo acabar rápido”, disse um deles. Que houve equilibrio na maior parte do jogo, que o empate foi justo, mas se qualquer um vencesse teria ficado de bom tamanho.

Felipe Azevedo, em foto do Mourão Panda/América


Deixe uma resposta para Pedro Vitor Cancelar resposta

Comentários:
20
  • Fred disse:

    Foi um bom resultado, o Del Vale também briga com força por uma vaga. E com a nova regra do sorteio das oitavas, não há motivo pra lutar pra ser primeiro do grupo e geral. Importa que o Galo não deixou um adversário direto por uma das vagas, jogando em casa, fazer 3 pontos. Agora traz os jogos pra BH.

    Dito isso, penso que o treinador atleticano acertou na proposta, mas depois errou nas substituições. Acertou escalando 3 zagueiros, uma defesa sólida e jogando pra sair na velocidade. No segundo tempo, era “renovar o gás” e continuar com a proposta, colocando Vargas e Savarino. Mas aí ele inventou de colocar o Rubens e matou o time.

  • Raws disse:

    Como o blog é democrático, todos nós podemos livremente expor as opiniões, inclusive os cornetas.
    O que acho estranho é que parece que vi uma partida e eles outra. Outra coisa, qualquer técnico, bom ou fraco, sabe muito mais que a maioria dos torcedores, porque?
    Tem os vários departamentos do clube lhe ajudando, consegue estudar os adversários com as diversas informações e fora os desfalques, escala o que acha melhor. Aí certos torcedores que não conheciam o nome de 3 jogadores do adversário, acham que tudo foi errado.
    É mui difici…

  • Alexandre (de Curitiba) disse:

    Realmente deve ser dura a vida de técnico de futebol. Senão, vejamos.

    Em 2020, Sampaoli monta a base do time do Galo. Depois de um primeiro semestre pra lá de complicado por conta do início da pandemia, o time começa a disputar os torneios mais pesados jogando numa intensidade absurda, quase de forma suicida, e talvez, por isso mesmo, acabou perdendo um campeonato brasileiro que estava quase na mão. Vamos lembrar que aquela temporada de 2020 só terminou no início de 2021. Um mês depois, tome nova temporada, agora sob um novo comando técnico do time.

    Cuca foi bem mais contido que Sampaoli, e implementou um jogo um pouco mais cadenciado, não tendo pudor em se defender quando era mais necessário e propondo o jogo mais ofensivo sempre que tinha adversários que o permitiam (um dos grandes pecados do Sampaoli). Paralelamente ao comando técnico do jogo, fico imaginando àquela altura como já estariam os gráficos de desempenho e os elaborados pelo pessoal do departamento de fisiologia, dando conta dos níveis de desgaste muscular de cada atleta. Como exemplo, Keno não terminou bem a temporada de 2020 e levou tempo para engrenar na de 2021.

    Ao final da temporada de 2021, o time do Galo vence dois torneios desgastantes e quase vence um terceiro (o campeonato Mineiro a gente coloca na conta da pré-temporada). O desgaste àquela altura não era somente físico, mas também emocional. Provavelmente o departamento de fisiologia já havia apartado o botão de alerta para vários atletas… Cuca estranhamente “salta do barco” quando o time já era apontado como o grande favorito aos títulos a serem disputados em 2022 (Será que já não previa problemas? Como saber?).

    Começamos 2022 sob novo comando técnico. Turco recebe um elenco recheado de craques, mas também (muito provavelmente) um painel cheio de luzes amarelas de alerta para a condição física e desgaste muscular de vários atletas. Lembram que falei do desgaste do Keno no final de 2020? Pois é, ele não está jogando ultimamente por problemas de contusão e como fez falta no jogo de ontem! Se as temporadas atípicas de 2020 e 2021 já foram difíceis, imagina a de 2022 que vai ter de terminar mais cedo por conta da Copa do Mundo em novembro. Da primeira vez que escrevi sobre isso aqui, eram 28 semanas e agora já são pouco mais de 23. Jogos intensos em três torneios diferentes e, como a torcida ficou mal acostumada a ganhar títulos, queremos ver o Galo disputando os três para ganhar.

    De 2020 pra cá assisti a todos os jogos do Galo. Ontem, pela primeira vez vi um sinal claro de que a coisa não está nada bem. E me refiro ao condicionamento físico, ou melhor, ao desgaste da maioria dos jogadores. Até do Everson (Ué, mas goleiro não fica parado? Sim, mas também tem o desgaste emocional). O tal segundo tempo horroroso do último sábado contra o Coritiba, já deveria servir de alerta para a maioria da torcida de que os jogadores em campo não são máquinas! E 72 horas depois daquele jogo, eis que entram novamente em campo, a pouco mais de 2.500 metros de altitude, do outro lado do continente, contra um time bem treinado e jogando de forma intensa. Até o Hulk, com todo o cuidado que toma em relação ao seu preparo físico e a recuperação após os jogos, sentiu. Não me lembro, nestes últimos dois anos, de ver vários jogadores do time com dificuldade de por força na perna para dar um passe, em especial as triangulações na saída da defesa. O Turco está tendo de se virar para manter a “máquina de jogar bola” funcionando, tendo de trocar peças o tempo todo (e ainda assim é chamado de professor pardal).

    Daqui pra frente, não adianta espernear. A fisiologia vai ter papel preponderante na hora da escalação do time. Isso é fato. E talvez por isso mesmo, algumas estranhezas possam aparecer de vez em quando, como jogar com dois laterais esquerdos, quatro zagueiros, e pior aí vai. Ah! E lembrando que isso tudo sem ter tempo suficiente para treinar o time entre as partidas disputadas.

    Não vejo o Turco como o problema a ser resolvido no Galo. Muito pelo contrário. Só pelo fato dele não mexer na estrutura da equipe, mantendo a base e o jeito de jogar do ano anterior, já fez muita coisa (comparem com o Paulo Souza no Flamengo…). Na minha opinião, é bom a torcida ir se acostumando a não ver tantos jogos como os do ano passado. Vou continuar repetindo que nesta temporada iremos ver o time jogando a “conta do chá”, e precisando valorizar cada ponto conquistado. O que não quer dizer que puxões de orelha não devam ser dados de vez em quando, principalmente quando houver a chance clara de vencer jogos e isso não acontecer por displicência dos atletas ou comissão técnica.

    Desculpem o “textão”, mas o assunto merecia uma reflexão um pouco mais apurada.

    • Humberto disse:

      Posso discordar em um ponto: vc falou em desgaste, seja ele qual for não faz sentido, pois além da temporada estar no início tem esse maldito rodízio ainda. Mais no restante vc tem razão.

    • Edson Dias disse:

      Prezado Alexandre,

      Eu AGRADEÇO seu textão, meu caro, eivado de lucidez e de realidade, da primeira à última linha. Em que pese essa doença que atingiu parte da torcida de que tem que vencer todo jogo, e com pelo menos três gols de diferença, a verdade é que o resultado de ontem foi um BOM resultado.
      Não há dúvida alguma de que o time está sentindo desgaste físico, e está se dosando em muitos jogos. Ano passado, fomos os últimos a terminar a temporada. Neste ano, também por isso, começamos dez dias depois que a maioria dos clubes.
      Agora são três competições simultâneas, com viagens barra pesada, uma atrás da outra, e campeonatos que até meados de novembro terão que terminar: TODOS eles.

      Não tem como manter nível em todos os jogos, não tem como não rodar elenco.

      obrigado por sua lucidez!

    • Silvio Torres disse:

      Concordo até a página dois. Todos sabiam que a temporada seria assim. Tiveram tempo de sobra para se programar e preparar o elenco. O Atlético tem jogadores de sobra para um rodízio BEM FEITO. Por exemplo: assim como faço desde o início do ano, muita gente já cobra e não entende porque o JOVEM Igor Rabello não joga. Também outros do meio campo. Outra coisa. Uma das principais causas do banzo em relação ao Jorge Jesus é que ele simplesmente não poupou ninguém nas campanhas do queridão em 2019. E é óbvio que um espetacular esquema tático fazia parte disso. Um time bem treinado, com jogadores de alto nível, tem um desgaste muito menor que uma equipe com maioria de pernas de pau e bagunçada em campo, correndo como loucos atrás dos adversários. O Atlético, por tudo que está acontecendo desde a chegada do Menim, já era para estar nesse ôto patamar.

      • Edson Dias disse:

        Mas, só pra começar, não dá comparar o calendário de 2019 com o de 2022, viu? Neste ano, a Libertadores vai acabar em outubro. O Brasileiro e a CdB, até meados de novembro.

        • Silvio Torres disse:

          Sim, por isso comecei dizendo que todos sabiam disso e que o elenco do Atlético tem jogadores de sobra para um rodízio BEM FEITO.

          • Alexandre (de Curitiba) disse:

            Obrigado Humberto, Edson Dias e Silvio Torres pelas colocações e opiniões. Podemos divergir ou concordar, mas o importante aqui é querer bem e torcer sempre pelo nosso Galo!

            Fiquei refletindo sobre alguns comentários desse post do Chico, bem como sobre pontos levantados no meu próprio comentário. Gostaria de complementar que, como atleticanos, precisamos ficar atentos para não cair na mesma armadilha que os flamenguistas. Após o ano fantástico que tiveram com o Jorge Jesus em 2019, nada mais prestou ou presta! E olha que até campeonato brasileiro eles ganharam no ano seguinte, mas o clube acabou virando uma máquina de moer técnicos.

            A temporada passada entrou para a nossa história, sem dúvida nenhuma. Mas penso que temos de olhar pra frente e entender que anos como 2021 têm tudo para ser o que os estatísticos chamam de “outliers”, ou seja, pontos fora da curva. Não que não tenhamos de cobrar alto desempenho, jogos intensos e extremamente prazerosos de serem assistidos, bem como aumentar nossa coleção de títulos e sempre melhorar nossas estatísticas. Mas temos de ter a sobriedade de entender que nem sempre conseguiremos jogar de forma tão entusiasmante e efusiva como foram a maioria dos jogos daquele brasileirão e Copa do Brasil. Até porque os adversários também vão se aprimorando e evoluindo sempre, inclusive entendendo melhor nossos pontos fracos e se preparando melhor antes de cada partida. Por outro lado, neste ano, por exemplo, nosso time tem apenas uma única derrota logo início do ano, mas já fomos campeões em cima do próprio Flamengo, vencemos uma final única (aff…) em cima do nosso antigo maior rival e continuamos invictos na Libertadores, jogando partidas difíceis como aquela lá no “cafundó do judas” na Colômbia, ou mesmo a desta semana contra um adversário invicto dentro de casa na Libertadores, quase como estamos invictos em nossos domínios. E sem esquecer o América, que sempre complica muito as partidas que disputamos em BH.

            Mas vamos em frente!

  • Horacio disse:

    Bem vindos a libertadores, nem só os argentinos jogam futebol, esse time jogou muito. Libertadores nunca vai ser um passeio, o mineiro já acabou e agora tá valendo.

    Del vale com muita correria, viradas de bola longas e precisas, movimentação, infiltração com bolas rápidas. Com rever na zaga e mariano de lateral, puxando a defesa pra perto da área, abrindo espaço, perdendo todas as bolas aéreas.. é, passamos alguns apertos. Qual será o problema do Igor, rodízio é so pra velho?

    O meio teve problemas, não conseguia abafar as jogadas. errando o tempo da bola e perdendo divididas. Muita velocidade e pouca qualidade prejudicou a finalização deles. No segundo piorou, marcaram em cima o Nacho e o Zara, perdemos a ligação de contrataque, e gerou boas chances p eles.

    A estratégia foi correta, aguentar a pressão e sair no contrataque. Mas em jogos desse tipo o Jair é melhor que o Zara que poderia jogar mais perto do UlK. Ademir só pro segundo tempo, mas não estou no CT o dia todo para decidir isto.

    Está sendo um problema a quantidade de boas jogadas e chances que perdemos na frente tendo uma defesa lenta e pouco confiável atrás. No segundo tempo, quando eles marcaram muito bem o Galo, ainda perdemos grandes chances. Diante das circuntância resultado normal, mas, o jogo aqui, vai ser pedreira.

    Mas chilique de corneta não deixa de ser engraçado.

    • Paulinho disse:

      Comentário perfeito. Parece que os corneteiros até torcem pra alguma coisa dar errado para reclamar depois. Reclamam como se a Libertadores só tivesse os brasileiros, River Plate e Boca.

  • Carlos Henrique disse:

    Cuca nao fazia rodizio como Sampaioli e o Mhamed ‘tURCO”
    Se colocar um time titular, fazer modificaçoes
    com a leitura do jogo, quase que da certo
    muitas vezes o cara sai do banco, e muda o jogo faz gols
    como o cara do Coritiba, que entrou bem
    e o time empatou o jogo, mas muitas vezes nao aconteçe
    voce tem o Ademir, pode entrar e mudar o jogo ou nao
    assim como o Vargas , Savarino Ademir
    elenco é ótimo, alo sai na frente de todos

    mas tem que saber usar, ex. Godin para min so pode jogar se for com 3 zagueiros
    foium grande zagueiro, foi, mas perde todas na velocidade
    entao o Turco deveria mexes, so quando, fazer a leitura do jogo
    para tentar melhorar a equipe
    esta se perdendo, so com o tempo, e sequencia do campeonato
    veremos, nada de trocar de tecnico
    ele tem que rever alguns conceitos
    se nao… voces sabem oque acontece
    se nao ganhar nada

  • Pedro Vitor disse:

    Gostaria de compartilhar com vocês

    https://www.otempo.com.br/mobile/superfc/atletico/galo-torcida-pede-saidas-de-cuca-rever-allan-e-guga-do-atletico-1.2475405?amp

    Momento bem parecido com o atual, Momento, do Atlético, na temporada.

    Enfim, o time campeão Mineiro, e da Super Copa dos campeões, praticamente líder do Brasileiro, e divide a liderança do seu grupo na Libertadores.

  • Jerônimo disse:

    Zaracho mal na partida.
    Alan amarelado, nervoso e muito mal na partida.
    E o Turco Pardal não os tirou do jogo.
    Aí…quando vai substituir ele troca:
    O Nacho pelo Rubens.
    O Mariano pelo pseudo lateral, Guga.

    Resultado: o time passou a ter dois laterais esquerdos e nenhum lateral direito.

    O time ficou com um buraco no meio. O Turco Pardal recuou o time e passou 15 sofrendo pressão. Ridículo! Não perdemos o jogo porque o time do Dele Vale é muito ruim na finalização.

    Zaracho e Jair caíram de produção, pois o posicionamento deles em campo, com o Turco Pardal, mudou. Infelizmente, com essa enganação de técnico não passaremos das oitavas na libertadores.

  • Silvio Torres disse:

    Antonio Ponto de Interrogação Mohamed vai ter três partidas em BH pela Libertadores pra provar que não é o rei do empate. Momento altamente preocupante do Atlético. Time não mostra força física e qualidade tática para se dar bem nas competições importantes. Se o América vencer hoje, a vaga nesse grupo vai virar briga de foice no escuro.

  • JESUM LUCIANO DA SILVA disse:

    Na. Vida temos que reconhecer nossos erros, e não vejo demérito nenhum em assumir, já passou da hora da direção do galo ver que com este treinador não iremos ganhar nada, time piorou d+, legado do cuca tá dissipando a olhos nus, só olhar o nervosismo dos jogadores campo, vai chegar a hora que o talento individual não vai resolver as coisas, é muito melhor pecar por ação do que por omissão.tem mais de ano que não vejo o Allan pilhado e nervoso dentro de campo, jogo passado foi o hulk.nao pensem que sou Maria querendo arrumar confusão mas é gasto muito dinheiro com montagem de elenco para ficar nesta inconstância, torcedor é tudo igual, começar a perder não vão perdoar ninguém aí já pode ser tarde,estas ultimas partidas América, genérico Paraná, Coritiba, independente,mostrou uma dificuldade que não tínhamos ano passado.que eu esteja errado com minha preocupação e tenha dar a mão a palmatória no final da temporada.colocar Guga para melhorar time, e de doer os olhos, espero que tenham cuidado com o Rubens, pois parece ter muito futuro, que não seja queimado igual muitos outros.

  • Márcio Luiz disse:

    Outra coisa: o Turco fez a mágica de inventar um outro “super-herói no time do Galo:
    O Homem INVISÍVEL (ZARACHO)
    O treinador está desconstruindo tudo q esse excelente jogador havia mostrado até então.

  • Márcio Luiz disse:

    Mais um 2o tempo RIDÍCULO, IRRITANTE.
    Pergunto: no Independência tbm tinha “altitude”???

    Com essa BOSTA de treinador medroso e sem nenhuma ambição de vencer, corremos o risco de sermos eliminados pelo primeiro adversário q aparecer na 2a fase da Liberta.
    Se nos classificarmos, né……..

    Com esse elenco q temos acho q até o Marcelo Oliveira (o treinador “vencedor” mais estranho do nosso futebol já q ninguém o procura) faria melhor q esse embuste q está (des)treinando o Atlético.
    PQP, viu.

  • Jerônimo disse:

    Problemas do Galo na era Cuca:
    – Guga na lateral direita.
    – Nacho não consegue jogar 90 minutos.
    – Ausência de um batedor de faltas e finalizador de média distância.

    Problemas do Galo na era Turco Pardal:
    – Guga na lateral direita.
    – Nacho não consegue jogar 90 minutos.
    – Ausência de um batedor de faltas e finalizador de média distância.
    – Godin na zaga.
    – Hulk caindo de produção, pois só recebe bola “quadrada”.
    – Bolas longas em excesso.
    – Defesa instável.
    – Time sem intensidade.
    – Turco Pardal não fala o idioma de 80% dos jogadores do elenco e o seu trabalho não passa confiança à torcida.

    Resumo: o Galo piorou muito de 2021 para 2022.

  • Raws disse:

    Tirando a notória dificuldade dos visitantes, pela falta de oxigênio, nada a reclamar.
    Muito boa partida de se ver. Chances perdidas de lado a lado e um empate bom devido as circunstâncias.
    Ficou nítida a tática do adversário de segurar no primeiro tempo e esperar o segundo, com a certeza que o adversário sofreria mais. Se o Turco demorasse mais 5 minutos nas substituições, tomaríamos um gol por falta de perna. Três zagueiros hoje foi providencial, pois dois não suportariam já cansados o jogo do abafa.
    Se o Turco tivesse mexido bem como hoje, não teríamos empatado contra os paranaenses.
    Vamo, que vamo. Libertadores é adrenalina pura.