Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Pressão nos treinadores; a queda do Abel Braga, as dúvidas quanto ao Antônio Mohamed e o momento do América

Foto: Pedro Souza/Atlético

Os muitos anos no futebol me tornaram menos afoito para avaliar o trabalho de treinadores, jogadores e dirigentes. Até uns anos atrás, era porrada nos primeiros tropeços de qualquer um e sugestão para que “cabeças rolassem”. Observo a desconfiança e pancadaria no técnico do Atlético. Para mim, até agora, ele está indo muito bem. E enfrenta pressão menor do que o Cuca enfrentou no retorno dele ao Galo. Nos comentários aqui do blog, o Pedro Vitor Canela (a quem agradeço mais uma vez), enviou link de reportagem de O Tempo, de 21 de abril de 2021, quando grande parte da torcida e imprensa, pediam a demissão do Cuca:

“Galo: torcida pede saídas de Cuca, Réver, Allan e Guga do Atlético – Massa fica indignada após mais um jogo ruim na temporada e empate com o La Guaira na Venezuela”

https://www.otempo.com.br/mobile/superfc/atletico/galo-torcida-pede-saidas-de-cuca-rever-allan-e-guga-do-atletico-1.2475405?amp

E comentou: “Momento bem parecido com o atual, Momento, do Atlético, na temporada.

Enfim, o time campeão Mineiro, e da Super Copa dos campeões, praticamente líder do Brasileiro, e divide a liderança do seu grupo na Libertadores.”

***

Pegar um time que ganhou quase tudo na temporada anterior e mantê-lo vencendo, não é fácil. Ainda mais quando se tem um grupo de grandes jogadores, estrelas, onde o ego exacerbado às vezes complica tudo. Para aqueles que falam que “com este elenco, nem precisa de treinador”, lembro de incontáveis casos de outros, até com mais estrelas, que não deslancharam ou fracassaram. O Flamengo pós-Jorge Jesus, por exemplo, que ainda não engrenou, mesmo investindo alto nos sucessores do português.

Mohamed está testando tudo; escalando times diferentes, fazendo experiências táticas e o time ganhou a maioria dos jogos. Mas, dois empates, estão gerando uma tempestade, que entendo como exagerada.

Abel Braga é mais velho de idade e de atividade que o comandante do Atlético. Não aguentou a pressão e jogou a toalha no Fluminense. Diz que não pretende mais trabalhar em clubes brasileiros. Cada um sabe de si, mas um camarada realizado como ele, dentro e fora das quatro linhas, não deveria ficar se sujeitando a certas situações que o futebol impõe, numa idade dessas, 69 anos. Ainda mais sendo apreciador de bons vinhos, como ele.

Doeu muito a derrota do América, em casa, para o Tolima, não só para os americanos. Praticamente carimbou o fim do Coelho na Libertadores 2022. Mas também observo uma reação exagerada de muitos americanos, em relação à diretoria e até ao técnico Wagner Mancini. Ora, ora, não só a torcida do Coelho, mas todo o futebol mineiro precisa continuar é comemorando a chegada do clube a um patamar aonde ele nunca esteve em seus mais de 100 anos de história. Com torcida, dinheiro, patrocinadores e presença na mídia infinitamente menores que o Cruzeiro, por exemplo, vejam como e aonde o Coelho e a Raposa estão.

Todos precisam remar para frente, para que não haja nenhum retrocesso, principalmente na disputa da Série A do Brasileiro. Erros acontecem. Para mim, o maior erro da diretoria foi na contratação do Marquinhos Santos, que não estava à altura do América. Mas, passou, e entendo que foi corrigido com o retorno do Mancini. Agora é bola pra frente, evitar as últimas posições do Brasileiro e brigar novamente por vaga na Libertadores 2023.

Gostei de dois comentários sobre a situação americana: do jornalista, americano, deputado estadual, Rafael Martins e do cruzeirense Alisson Sol, que mora nos Estados Unidos:

@rafaelmartinstv

“Apesar de decepção de ontem, o @AmericaMG vive o melhor tempo em sua história centenária.”

O Rafael postou esta imagem do gabinete dele, onde aparece também a foto de outra paixão que ele tem na vida, o filho Vicente. E antes, ele tinha twittado um desabafo bem humorado, para aqueles que o chamaram de “pé frio”.

“Um monte de gente me dizendo que a minha presença no Indepa tá pesando o

@AmericaMG. Vou experimentar não ir no sábado. Rsrs.. A ver…”

Respondi a ele: @chicomaiablog: Que bobagem, @rafaelmartinstv! Essa história de fulano “pé frio”, é justificativa de dirigentes e técnicos para tentar se esquivar de incompetências próprias. E muito torcedor cabeça cozida embarca.

O Alisson Sol escreveu:

“Acho que torcida não ganha jogo. Aliás, se for muito cheia de picuinha, atrapalha o time. E o América-MG tem de fazer uma boa análise da experiência da Libertadores e evitar achar que o mundo acabou. O time esteve bem perto de não se classificar para a fase de grupos. O que aprendeu daquilo?

E as trocas de técnico no Brasil continuam. Você raramente vê times na Inglaterra com técnicos tendo menos de 1 ano para fazer seu trabalho. Agora mesmo, o Liverpool renova com o técnico até 2026. O Fluminense já demitiu o Abel Braga. Novo técnico. Novos assessores. Novos jogadores indicados pelos empresários bem conectados. E assim os times brasileiros seguem acumulando dívidas…”


Deixe uma resposta para Edson Dias Cancelar resposta

Comentários:
7
  • Humberto disse:

    Futebol tá muito chato hoje em dia, tudo tem uma desculpa pronta, é altitude, é o gramado, são as viagens, agora é o clima seco de Goiânia. Se um time é superior ao outro ele tem a obrigação de impor seu melhor futebol, não importa aonde esteja jogando. Que hoje o Galo imponha sua força e faça valer a força do elenco. O time o Goias é fraquíssimo, perdia de 3 x 0 para o Avaí e olha o time catarinense jogou com 10 jogadores desde os 24 minutos do primeiro tempo, eu vi o jogo. Qualquer resultado que não seja a vitoria será uma vergonha.

  • Pedro Vitor disse:

    Obrigado pela citação, mas quem deu a luz, nesse link do “Cuca questionado “, foi o amigo Rapha.

    A verdade é que se abrir o jornal sem levar em conta, os anos, de 2020, e 2021, a gente pensa que o Atlético é que está disputando a segundona, e o Cruzeiro brigando pelo título do Campeonato Brasileiro.

    No momento o que tem me preocupado mais, é essa saída mal explicada, do Savarino, um jogador que nos últimos jogos, fez dois gols e duas assistências, por um valor muito inferior ao que achávamos que poderia ser.

    É uma grande perda ao elenco, poderia ganhar a titularidade, e hoje é menos uma importante opção ao El Turco Mohamed.

    Hoje o Atlético joga contra o Goiás, um adversário que sempre foi uma pedra no sapato na vida do Atlético, jogo fora de casa, imagino que Goiânia deve estar seco, que o Galo se reabilite, e rebata as críticas.

  • Edson Dias disse:

    Sabe o que é curioso??
    Até parece que o trabalho do Cuca, ano passado, foi excelente o ano inteiro. “Ah… mas o Cuca pegou o Atlético todo bagunçado do Sampaoli!”. Uma ova… O Cuca pegou o ótimo trabalho que o Lucas Gonçalves vinha fazendo, baseado no bom trabalho que o Sampaoli também fez antes, apesar de seus defeitos. Temos que lembrar como ganhamos o campeonato mineiro? Dois jogos contra esse mesmo América que todos estão achando o fim do mundo termos empatado agora… dois 0 x0, com o América jogando melhor nos dois jogos. Um começo ruim no campeonato brasileiro, perdendo pro Fortaleza, e algumas rodadas depois empatando com a Chapecoense em casa, e logo perdendo para o Santos fora (num jogo onde não jogou nada). Na Libertadores, uma primeira fase que não foi empolgante, em um grupo que era mais fraco que o de agora. Nas oitavas, passou um aperto terrível contra o Boca.

    A verdade é que com o Cuca o time só começou a jogar bom futebol mesmo de junho em diante, talvez até depois. O time não sobrou antes, era irregular e inconstante também.

    Não vejo, sinceramente, motivo nenhum pra tanto desespero. E outra: vai demitir Turco Mohamed agora e trazer quem? pra começar um trabalho do zero, agora em maio ou junho? Isso não tem muita chance de dar certo né?

  • JESUM LUCIANO DA SILVA disse:

    Rodízio bom é de churrasco, o motivo de técnico ficar inventando moda é por que não tá nem aí, se for dispensado recebe sua multa e os torcedores ficam pagando a conta.

  • Luís Cláudio disse:

    Os números de Mohamed são bons, mas vejo alguns defeitos. Demora mecher quando precisa, por vezes meche sem necessidade trocando seis por meia dúzia, não sabe segurar resultados e não mantém um time base. Descansou jogadores na véspera do jogo contra o América e o time brochou no segundo tempo. Cuca colocava sempre o melhor, pouco poupava.

  • Maikel disse:

    Bom dia, Chico! Mas permita-me discordar de vc. Não estamos reclamando apenas dos resultados (3 empates viu?!?!), mas principalmente do desempenho do time qnd os jogos começaram pra valer. Contra o bruzeiro o sistema de marcação foi frouxo, cedeu mtos espaços; contra o Tolima idem (foi um sufoco e vencemos ninguém sabe como); contra o América o time foi lento, e o sistema de recomposição frouxo tbm; contra o Coxa a mesma coisa, e o treinador disse q estava bem postado (estava, mas deixou o coxa rodar, rodar e fazer os gols – mais uma vez frouxo); contra o Del Vale a mesma coisa, no segundo tempo ficou um cerca lourenço terrível, jogadores olhando e sempre o Del Vale finalizava suas jogadas. Se não podemos criticar agora, vamos criticar qnd estiver 15 pts atras de urubu e porco??? Aí será tarde. E esse alto rendimento do treinador vem do mineiro. Ele precisa repensar esse rodízio excessivo que tá impondo ao time (esse time mal jogou o mineiro). Cuca e Jesus provaram que vc tem q levar os titulares em todos os jogos, fazendo mudanças pontuais de uma partida pra outra (1 ou 2 atletas mais velhos ou cansados). Aqui não é Europa, os jogadores são do segundo escalão, se vc altera 6 atletas de um jogo pro outro, se iguala ao adversário, ai empata ou perde, vide os 3 jogos que empatou em sequência (fora o Brasiliense). Vai rodar o elenco, todo mundo ficará descansado e os pontos ficarão pelo caminho. Rodar no estadual tudo bem, o nível das equipes possibilita. Mas brasileiro, liberta e CB nao da. Aguirre veio com esse pensamento em 16 e não deu certo . Se turco não acordar vai dançar igual ao outro, é nós perderemos o ano.