Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

América: ganha é líder, perde é líder, empata é líder!!!

TRUMP

A frase é do comunicador multimídia Thiago Reis “Seu Nome Seu Bairro”, da Itatiaia.

😁😁😁🐰🐰👍🏽👍🏽👍🏽👍🏽👍🏽

Criativa e verdadeira, inclusive com a foto do presidente norte americano. Foi twittada por ele  @thiagoreisbh

Concordei e retwittei o seguinte:

“E diferente do Trump todo mundo é bem vindo, né Thiagão!!! Até ele!,”


Na mentira do “país do futebol”, mais um veículo especializado em esportes luta pela sobrevivência

LANCEGRAFICO

Circulação média diária do jornal Lance, junho-2016 a junho-2017

Dizem que a expressão dizendo que o Brasil é o país do futebol foi criada no Rio, lá pelos anos 1940/50, no afã dos radialistas, jornalistas da época, motivarem as transmissões, incentivarem as pessoas a ir aos estádios e obviamente vender muitos anúncios e exemplares.

A ideia era até boa, coerente, mas os interesses inconfessáveis de tantos dirigentes e políticos pelo caminho, nunca deixaram o futebol brasileiro deslanchar e chegar a patamares de organização, e por consequência dinheiro, da Europa, por exemplo. A partir da década de 1980 começou a avalanche de vendas dos nossos principais jogadores para os clubes de lá: Falcão e Cerezo para a Roma; Careca para o Nápoli e Zico para o modesto Udinese, também da Itália, puxaram a fila.

O futebol deles foi se refinando, atraindo gente, milhões, bilhões, até ganhar todo o planeta, através de marketing bem feito. Camisas de clubes europeus tomam conta do mundo inteiro, têm escolinhas, que além de render grana, costumam render bons jogadores e tudo funciona. A mídia foi fundamental neste processo e os clubes souberam usá-la. Hoje, muitos, têm seus próprios canais de TVs, rádios, revistas e portais de internet que dão lucro.

Nós, paramos no tempo. De vez em quando damos uma regredida.

Já tivemos ótimas publicações especializadas: Manchete Esportiva, Jornal dos Sports, Jornal da Tarde, Gazeta Esportiva, Placar e outras de cunho mais regional. Nas rádios e TVs, programas que ficaram famosos, duravam horas e tinham grande audiência. Locais e nacionais. Tudo foi se acabando, por falta de investimentos dos próprios veículos, dos anunciantes e principalmente pela desorganização e corrupção da estrutura do futebol. Nos clubes, federações e CBF, sempre rolo, sempre muita gente ganhando fortunas ilicitamente.

Com a diversificação da mídia, criação de novos atrativos para jovens e idosos, além do descrédito do futebol dentro e fora de campo, os grandes anunciantes foram migrando, buscando outros mercados, e continuam.

A última grande novidade da mídia esportiva foi o jornal Lance, investimento ousado, de sonhadores que ainda acreditavam na força do futebol como produto comercial. Pois, lamentavelmente está passando apuros, conforme reportagem do jornal especializado em mídia, Meio & Mensagem:

* “Jornal Lance entra em recuperação judicial”

A Areté Editorial e suas empresas parceiras deram entrada em pedido “como forma de garantir a continuidade dos negócios”

A Areté Editorial S.A., Lance Imobiliária Ltda. e Lance Mídia Digital Ltda., responsáveis pelo jornal Lance e suas propriedades digitais, enviaram comunicado anunciando recuperação judicial do grupo. Segundo nota, a medida visa permitir planejamento e reorganização focando na continuidade das publicações. “O objetivo da medida é o ordenamento e adequação dos fluxos financeiros de pagamento de passivos”, diz o texto, citando a crise do mercado jornalístico e a recessão econômica brasileira como motivos da queda nos negócios do Lance. “Importante medidas internas já foram realizadas, como severo ajuste de custos gerais e despesas buscando uma operação superavitária”, continua.

Segundo números do Instituto Verificador de Comunicação (IVC), o Lance teve queda de 22,8% em sua circulação paga no período de um ano, comparando junho de 2016 com junho de 2017 — uma das métricas utilizadas para pautar investimento publicitário. Essa conta soma dados de venda avulsa, assinaturas de impresso e de digital, sendo que a marca decresceu em circulação nos três quesitos. Veja abaixo gráfico mostrando a curva do jornal no decorrer do ano:

http://www.meioemensagem.com.br/home/ultimas-noticias/2017/08/15/jornal-lance-entra-em-recuperacao-judicial.html


Impressionante como Ronaldinho Gaúcho continua dando retorno ao Atlético

ronaldinho

Uma sintonia perfeita, que foi dentro e agora fora de campo, com a torcida, diretoria, jogadores e funcionários. Coisa rara entre clubes e atletas nas últimas décadas, depois que futebol se tornou puro negócio. Essa história do argentino Dybala, postando pedido de autógrafo dele na camisa do Galo mostra um pouco disso, divulgada em boa parte da imprensa mundial. O Atlético precisa tirar mais proveito desse relações públicas informal, que em momento algum deixa de elogiar tudo e todos do Galo e Belo Horizonte, quando perguntado, em todas as entrevistas que concede.

MIGUELINA

Um dos motivos desse carinho do R10, foi a cena inesquecível no Independência, das faixas de apoio à mãe dele, D. Miguelina, que se tratava de um câncer.

ronaldinhoemae

Depois, em agradecimento, ela entrou em campo com ele, no primeiro Dia das Mães posterior. Há coisas na vida que dinheiro nenhum do mundo paga.

Aqui, reproduções da Placar e do portal Terra.com.br, do simpático pedido do Dybala:

* “Destaque da Juventus e na mira de grandes clubes europeus, o atacante argentino Paulo Dybala revelou ser fã do brasileiro Ronaldinho Gáucho com um pedido inusitado em seu Instagram. O jogador publicou uma foto de uma camisa 10 do Atlético-MG e pediu autógrafo ao ex-camisa 10 da seleção brasileira.

Dybala era jogador do Palermo, da Itália, quando Ronaldinho Gaúcho conquistou a Copa Libertadores de 2013 pelo Atlético-MG. Dybala não deu pistas sobre como conseguiu o uniforme do Galo.”

 * “Dybala pede autógrafo de Ronaldinho em camisa do Atlético-MG”

No Stories do Instagram, o jogador da Juventus compartilhou a foto de uma camisa do Galo com o nome do craque brasileiro e pediu a assinatura

Fã declarado de Ronaldinho Gaúcho, o atacante da Juventus, Paulo Dybala compartilhou no Stories do Instagram, nesta quarta-feira, uma foto de uma camisa 10 do Atlético-MG, com o nome do craque brasileiro, pedindo-lhe um autógrafo.

― Ronaldinho, pode assinar? ― escreveu o atacante argentino.

Dybala já havia declarado ser fã de Ronaldinho Gaúcho. Em entrevista à revista da UEFA, o jogador contou que a única camisa que gostaria de ter era a de craque brasileiro:

― A única camisa que eu queria ter era a de Ronaldinho. Uma vez, o Gennaro Gattuso me prometeu que iria ligar pedindo uma camisa para mim, mas não aconteceu. ― contou Dybala ― Na adolescência, o Ronaldinho era um dos meus jogadores preferidos e a imagem que ficou dele é que é possível se divertir e jogar com um sorriso no rosto. ― confessou o atacante.

DYBALA

https://www.terra.com.br/esportes/lance/dybala-pede-autografo-de-ronaldinho-gaucho-em-camisa-do-atletico-mg,07c755d430ed1f045a83de79bc0238b0fi5xu7yf.html


Um Galo verde como o América, admirado por um cruzeirense numa esquina do Palmeiras

Galo verde 1

Senhoras e senhores do blog, cheguei em casa muito chateado com mais este atentado, agora na fantástica Barcelona, concordando com quem disse que o “ser humano não deu certo!”. Porém, uma mensagem no e-mail, do Marcelo Satch Moraes, um antigo e sumido comentarista do blog, me animou. Parece coisa pouca, mas não é. Nem samba do crioulo doido, como o título do post sugere.

É a simplicidade das coisas, no caso, no trato com as palavras e imagens, pelo Marcelo. Simples, como deveria ser tudo na vida, para que todos fôssemos mais felizes.

Obrigado a ele e confiram aí:

* “Olá Chico, boa noite…

Sou cruzeirense e leitor assíduo do seu blog e te parabenizo pela forma serena, cordial e justa como o conduz.

Por isso, foi chato ver hoje cedo que você teve que ser um pouco mais, digamos, incisivo pra “por ordem na casa’…..

Tomara que o juízo e o bom senso voltem a frequentar cabeça de todos que comentam aqui rsss

Aproveitando…… Hoje vinha despreocupado na rua e reparando aleatoriamente na paisagem urbana, vi a imagem que te mando em anexo….

Uma árvore, na esquina das Avenidas Dom João VI com Raul Mourão Guimarães no bairro Palmeiras com um formato peculiar……

Galo verde 2

Como te disse, sou cruzeirense… mas o que vi, do ângulo que vi, foi um Galo….. verde (pelas folhas)….

Acho que isso não poderia ser outra coisa senão um sinal de paz…. Um Galo (CAM) verde (AFC) observado por um cruzeirense (CEC )…

Abs…”

Marcelo Satch Moraes

(ou Marcelo Satch, como costumava assinar no blog)


Enquanto estrangeiros ocupam espaços por aqui, o mineiro Carlos Alberto Silva foi o último brasileiro a fazer sucesso em um clube europeu, em 1993

CALBERTOSILVA1

Carlos Alberto Silva morreu em janeiro deste ano, aos 77 anos. Trabalhou no Cruzeiro, Atlético, América, Seleção Brasileira e vários outros grandes clubes brasileiros.

A Folha de São Paulo pegou o gancho da fala do técnico do Botafogo e entrou no assunto hoje, lembrando que o saudoso Carlos Alberto Silva foi o último e raro brasileiro a se dar bem na Europa, e mesmo assim no futebol português, onde foi bicampeão nacional com o FC do Porto. Felipão foi bem na seleção deles, vice-campeã da Eurocopa’2008 e se deu mal depois no Chelsea, da Inglaterra.

* “Sem licença e prestígio, técnicos do Brasil estão fora da elite do futebol”

A queixa de Jair Ventura, técnico do Botafogo, após à contratação do colombiano Reinaldo Rueda pelo Flamengo reacendeu a discussão sobre a presença de estrangeiros no futebol nacional e a ausência de profissionais brasileiros em ligas do exterior.

Brasil e Inglaterra são os únicos países que não têm profissionais em ação na elite de Itália, França, Espanha, Alemanha, Uruguai e Argentina. As outras nações que já venceram a Copa do Mundo.

Parte do problema é que licenças emitidas pela CBF não são admitidas na Europa.

Desde o ano passado, a entidade brasileira pede a equiparação à Fifa.

Jair Ventura usou a chegada de Rueda para criticar a falta de reconhecimento dos brasileiros. Em seguida, disse que não tinha nada contra o colombiano.

“O treinador estrangeiro pode vir ao Brasil, mas ele tem que seguir as normas que teriam que existir no futebol brasileiro. Para eu ser técnico do Real Madrid e ser aceito, a CBF teve que enviar para o clube e para a federação espanhola o meu currículo e confirmar que eu era técnico no Brasil”, escreveu Vanderlei Luxemburgo, do Sport, em sua conta no Facebook.

O direcionamento da crítica ao colombiano incomodou outros profissionais do país.

“É ótimo que treinadores estrangeiros venham para o Brasil. Eles podem ver a dificuldade que é trabalhar aqui e os problemas que enfrentamos. Tanto isso é verdade que os profissionais do exterior que vieram tiveram dificuldade”, afirma Mano Menezes, do Cruzeiro.

Na próxima quarta (23), reunião de diretores de desenvolvimento das entidades continentais, na sede da Fifa, em Zurique, na Suíça, vai debater uma antiga reivindicação dos treinadores brasileiros: o reconhecimento das licenças de técnicos expedidas pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol). (mais…)


América e o lateral Ceará: ótima relação custo/benefício numa grande oportunidade de negócio para ambos

ALENCEARA

Deputado e presidente americano, Alencar da Silveira Junior na apresentação do Ceará à imprensa

O América apresentou o lateral Ceará para ajudar o time a manter o ritmo no returno da Série B e garantir o acesso. O jogador dispensa comentários sobre o futebol que ainda tem e o grande profissional que é. Será de enorme utilidade. Além do mais é mais um atleta de fora que vem para Belo Horizonte, gosta tanto que adota a nossa capital com a família e tudo. Ceará ficou quase quatro anos no Cruzeiro e quando saiu não vendeu nem alugou a casa. Manteve-a, dizendo que voltaria para morar nela, depois que parasse com a bola.

Que bom que o América viu na experiência e profissionalismo dele uma boa oportunidade de negócio. Para a Série B dá, com sobras. Não pode é o Coelho repetir os erros pós outros acessos de não saber mesclar os ganhadores da vaga com um time competitivo e sustentável da Série A.


Equilíbrio total na vitória do Grêmio em Porto Alegre. Só mesmo uma falha individual para a bola entrar

LUAN

Fábio fez duas defesas espetaculares, aos 12, evitando gol de cabeça do Barrios, e aos 35 espalmando para fora chute fortíssimo do Pedro Rocha. Mas aos 46 soltou a bola chutada nem tão forte assim pelo Luan, e ela espirrou justamente para onde não poderia: pés do Barrios, que só empurrou para abrir o placar para o Grêmio. Um ótimo primeiro tempo, de pura entrega dos jogadores de ambos os lados. Pressão natural dos donos da casa e sistema defensivo cruzeirense funcionando quase 100%.

O segundo tempo foi mais amarrado. Naturalmente o Cruzeiro buscando o empate, mas sem se arriscar tanto, evitando sofrer mais gols, e o Grêmio bem precavido, satisfeito com a vitória. Buscava o segundo gol só na boa, sem riscos.

Individualmente, Luan é o que faz grande  diferença, e esta noite, de novo. O Cruzeiro foi totalmente coletivo e quase retornou com o empate. Os dois treinadores usaram as táticas que melhor convinha a ambos. Partida equilibradíssima, que só teve um vencedor porque uma única falha aconteceu para que saísse o gol.

O árbitro, apesar de toda pressão, foi bem, principalmente por conseguir administrar a falta de colaboração dos jogadores dos dois times. No Mineirão o jogo da volta será muito parecido, em termos de riscos.


Sem pagar salários e próximo adversário do Tupi na Série C, Mogi Mirim corre risco de novo WO

MOGI1

A maioria dos clubes do interior vive situação financeira dramática. O Mogi é do Estado mais rico do país. Imaginem como estão os mineiros e dos outros estados! Muitos sobrevivem dos empresários que tomaram conta do futebol brasileiro, graças à Lei Pelé. Outros de prefeituras, que tiram recursos de prioridades da população para botar no futebol. Alguns de vaquinhas e dos bolsos de torcedores apaixonados.

Vejam essa reportagem do Globoesporte.com sobre o Mogi, que já foi uma potência do interior paulista:

* “Ex-Palmeiras e Ponte é proibido de entrar no Mogi, e elenco faz reunião na calçada”

Porta-voz do grupo, meia Cristian é vetado de acessar dependências do Vail Chaves e tem apoio dos companheiros; presidente descarta diálogo com jogadores que decidiram não atuar no último sábado

A crise do Mogi Mirim teve mais um capítulo na tarde desta terça-feira. Estava prevista uma conversa do elenco com a diretoria e a presença do Sindicato dos Atletas Profissionais do Estado de São Paulo, mas nenhum representante do clube compareceu.

Em sinal de apoio ao meia Cristian, ex-Palmeiras e Ponte Preta e que foi proibido de entrar no estádio, o grupo se reuniu na calçada para deliberar sobre os próximos passos da greve em decorrência dos salários atrasados.

Por enquanto, o impasse continua. Em ebulição nos bastidores e na lanterna do Grupo 2 da Série C, o Sapo caminha a passos largos para o rebaixamento à quarta divisão nacional.

O presidente Luiz Henrique de Oliveira descartou negociar com os atletas. Para ele, o diálogo entre as partes acabou no momento em que os jogadores resolveram não atuar no último sábado, acarretando na derrota por WO para o Ypiranga. A partir de agora, o tratamento com a maioria será na esfera judicial. (mais…)


Na dança das cadeiras para 2018, já se fala em possíveis diretores de futebol para Atlético e Cruzeiro. Alexandre Matos na mira

MATTOS

Os dois clubes estão com o processo eleitoral em pleno andamento. Amanhã, às oito horas, o advogado Sérgio Rodrigues, candidato da oposição cruzeirense, será entrevistado pela turma da 98FM no programa 98 Esportes.

No Galo, o engenheiro Fred Couto já está no “corpo a corpo” com conselheiros. Não se intitula oposição e tem como slogan “Queremos mais”. O presidente Daniel Nepomuceno diz que na hora certa começará a campanha. Amigo do blog de longa data o cruzeirense João Chiabi Duarte diz que gostaria de ver novamente Alexandre Mattos comandando o futebol do clube, mas tem informações de que ele também está nas pretensões do Galo. Hoje o diretor do setor é o André Figueiredo, que está enfrentando uma campanha contra ele de um grupo de torcedores. Injusta, já que ele assumiu há poucas semanas e não deu nem tempo de fazer alguma coisa para levar culpa.

Alexandre Matos enfrenta a ira de uma das uniformizadas do Palmeiras. Quando o time não vai bem em campo, sobra pra todo mundo, não só treinadores e jogadores. A diretoria de futebol é o penúltimo alvo, sobrando apenas o presidente, que é mais difícil de ser derrubado.
Mattos foi muito bem no Cruzeiro, especialmente no primeiro ano, quando, junto com o Marcelo Oliveira, montou um time “bom e barato”, campeão e depois bi campeão brasileiro seguido.

Os palmeirenses soltaram um manifesto intitulado “Dossiê Palmeiras – Rasgando Dinheiro”.

E listou as contratações feitas por Mattos:

“Custos 2017”
Borja – R$ 34 milhões
Deyverson – R$ 18,7 milhões
Bruno Henrique – R$ 13 milhões
Guerra – R$ 10 milhões
Juninho – R$ 10 milhões
Luan – R$ 10 milhões
Hyoran – R$ 7 milhões
Viega – R$ 4,5 milhões
Keno – R$ 3 milhões
Fabiano – R$ 2 Milhões

TOTAL – R$ 112,2 Milhões

E o comentário no fim daa nota: “Em resumo, “rasgamos dinheiro” em altos investimentos, feitos de forma amadora ou com segundas intenções. Não houve coerência nos valores pagos para a maioria desses atletas. Não houve um consenso para o equilíbrio de posições nas contratações. Algo feito a esmo e contrataram apenas por contratar e aparecer na mídia.”

João Duarte discorda:

“Chico,  não concordo com a análise. Alexandre Mattos mudou o viés do Palmeiras. Mexeu com a autoestima do torcedor. Importante lembrar que o Palmeiras escapou da 2a divisão em 2014 com 40 pontos, porque o Santos fez o favor de vencer o Vitória na última rodada. Falaram de 122 milhões de gastos.  E o que o Palmeiras faturou com as vendas do Vitor Hugo e do Gabriel Jesus não superam isto???  E o crescimento exponencial do AVANTI,  das receitas de bilheteria e da valorização de outros atletas… Quanto vale Dudu hoje, e quanto custou?  E o Roger Guedes? Não bastasse a Copa do Brasil de 2015 e o Brasileiro de 2016 (22 anos de jejum). Sim, a folha do Palmeiras é muito grande…  E o Mina que foi comprado com venda indexada, risco zero e lucro garantido para o Palmeiras???  Eu creio que Alexandre Mattos seja muito bom.”


Jair Ventura; treinador emergente, com requintes de xenofobia e cabeça cozida

jair

O bom comandante do Botafogo, apontado como maior revelação do futebol brasileiro nos últimos anos, pisou na bola ao criticar a contratação do colombiano Reinaldo Rueda pelo Flamengo e demais estrangeiros que trabalham no país. O argumento não poderia ser pior: “tira espaço dos treinadores brasileiros”. Como se não houvesse milhares de técnicos e jogadores do Brasil espalhados pelo mundo. Também, como se ele não tivesse jogadores estrangeiros no time dele.

Depois arrematou com uma hipocrisia bem típica dos cabeças cozidas: “Mas, torço pelo sucesso dele!”.

Ah, é!?


Página 1 de 99612345...102030...Última »