Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Resultado da pesquisa por "Carta Aberta"

A Carta Aberta do Democrata repercutiu muito, a CBF anunciou ajuda a muitos clubes, mas o Jacaré e a maioria continuam excluídos

Foto: Democrata Futebol Clube

Fiquei impressionado com a repercussão nacional da “Carta Aberta” do Democrata de Sete Lagoas, divulgada por quase toda a imprensa brasileira. E teve eco onde precisava: FMF, FIFA e CBF que, sintomaticamente, dias depois, soltou um “pacote de bondades”, distribuindo dinheiro para os clubes das Séries A, B, C e D do país. Aliás, “pacotinho”, já que a merreca de R$ 19 milhões nem arranha a fortuna que essas entidades têm em seus cofres. E pra variar, o Democrata e a maioria dos “pequenos”, está fora até destes beneficiados pela merreca, já que não disputam a Série D nacional.

Por isso é que os próprios clubes e suas respectivas cidades precisam continuar mobilizados para continuar sobrevivendo, pois, se depender das entidades mandantes e dos coirmãos graúdos, morrerão à míngua. E vida que segue.

Para quem não se lembra a Carta Aberta do Democrata foi um desabafo contra a postura das entidades que mandam no futebol brasileiro e mundial, que nunca voltam as suas atenções aos clubes menos famosos, com a cumplicidade, silêncio e omissão dos gigantes, que também perdem, já que tradicionalmente estes clubes sempre formaram jogadores para eles.

Antes de mandar a “Carta Aberta” para a imprensa, o coordenador do Jacaré, Renato Paiva, teve o cuidado de consultar os companheiros da diretoria, que depois de ler, foram unânimes no aval ao documento, sob um argumento muito simples: o clube não teria nada a perder, porque não tem nenhum rabo preso, nem deve nenhum favor a nenhum clube e a nenhuma das entidades atingidas. Além do mais, o sentimento de quase todos os clubes do interior do país é o mesmo, mas poucos têm essa independência para abrir o jogo, pois falta transparência à maioria.

Para quem não leu, é só clicar aqui: http://blog.chicomaia.com.br/?s=Carta+Aberta


Situação de quase todos os clubes do interior do Brasil é a mesma do Democrata, que apela em CARTA ABERTA À FMF, CBF E FIFA

Coordenador executivo do Democrata, Renato Paiva (esquerda),técnico Paulinho Guará e Marcos Salum, em reunião de pedido de apoio ao América, em novembro do ano passado.

Há menos de um ano uma diretoria totalmente comprometida com novos métodos e transparência absoluta, assumiu o nosso Democrata de Sete Lagoas e operou “pequenos” milagres, quitando dívidas trabalhistas, fiscais e com fornecedores que se arrastavam por décadas. Recuperou a credibilidade do clube, construída há 105 anos, reassumiu a Arena do Jacaré, que bem administrada, tem sido uma fonte de receitas, ao contrário que era dito antes, e montou um time que vinha fazendo bonito no Módulo II do Campeonato Mineiro, com grandes chances de subir. Porém, a pandemia vivida pelo mundo parou o campeonato. Os jogadores e comissão técnica tiveram seus salários pagos e agora todos estão aguardando os acontecimentos, sem saber que rumo tomar.

Aproveitando o momento, o coordenador da diretoria democratense, Renato Paiva, fez um desabafo, reclamando dos absurdos cometidos pelos legisladores e pelas entidades que mandam no futebol, que nunca voltam as suas atenções aos clubes menos famosos, com a cumplicidade, silêncio e omissão dos gigantes, que também perdem, já que tradicionalmente estes clubes sempre formaram jogadores para eles.

Felizmente o manifesto do Democrata está encontrando ressonância entre jornalistas e veículos de todo o país, que têm divulgado e comentado o assunto. Eis a

CARTA ABERTA À FMF, CBF E FIFA –  COVID-19 COMO A ÚLTIMA GOTA

Exmos. Srs. Presidentes da Federação Mineira de Futebol (FMF), Adriano Guilherme de Aro Ferreira, da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Langanke Caboclo, e da Federação Internacional de Futebol (FIFA), Giovanni Vincenzo Infantino

Nas últimas semanas, temos visto escancarada a realidade do futebol brasileiro, especialmente daquele vivenciado pelos chamados “clubes invisíveis”, que são os grandes empregadores e formadores do futebol brasileiro desde que a bola chegou neste país.

Estes “clubes invisíveis”, quase sempre esquecidos pelos “grandes”, mas que os abastecem de jogadores, e pelas instituições que controlam o futebol, mas que cobram AS MESMAS (absurdas) taxas pagas pelos grandes, acabaram de cair no abismo; o copo d’água acabou de transbordar com a última gota, chamada Covid-19.Esta quebradeira não é culpa do Covid-19, mas chegou ao seu limite com ele.

Isto aconteceu, em grande parte, porque os “invisíveis”, que antes formavam jogadores e os vendiam, desde o fim da “lei do passe”, formam para que clubes maiores e agentes venham e os levem gratuitamente. O custo de formação continuou com os “invisíveis”, mas a receita nos foi usurpada, sem que fosse feito um fundo que permitisse que estes clubes fossem mantidos vivos.

Nem mesmo um calendário digno foi pensando para que as atividades deles percorressem o ano todo. Muito menos foram tentados patrocínios coletivos para auxílio em material esportivo, transporte e outras despesas cotidianas. Por que não trazer patrocinadores para os campeonatos menos interessantes para a mídia e, em troca, colocar anúncios destes patrocinadores nos campeonatos de maior audiência? Não seria uma justa troca?? Afinal, somos nós a base do futebol brasileiro. É aqui que tudo começa!! E vocês sabem disso!! Mas, nosso fôlego acabou. O desequilíbrio financeiro gerado nas últimas décadas chegou ao seu limite.

Enfim, estamos pedindo SOCORRO em nome do nosso querido Democrata Futebol Clube, de Sete Lagoas/MG, que tem 105 anos de fundação e revelou inúmeros grandes jogadores, vários com passagem pela Seleção Brasileira, que tirou outras tantas crianças e jovens das ruas, educando-as, que gerou milhares de empregos e que entreteve centenas de milhares de pessoas ao longo de sua história. Mas, acreditamos que este é um recado de todos os “clubes invisíveis”. Nos ajudem! Não só com um apoio financeiro imediato, o que seria um antitérmico, mas com uma reestruturação do futebol que nos devolva a dignidade.

Como somos invisíveis, não sei se a carta chegará aos seus destinatários, apesar de contarmos com as redes sociais. Não chegando, fica apenas como desabafo de pessoas que lutam pela sobrevivência de clubes de futebol pelo Brasil afora.

Aqueles que quiserem/puderem, sintam-se à vontade para replicar esta carta como quiserem.

Cuidem-se!

Sete Lagoas, 03 de abril de 2020.

Renato Paiva

Democrata Futebol Clube


Mais aberta e solidária. Uma FIFA bem diferente sob Gianni Infantino

Gianni Infantino e Tedros, diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, em foto do www.fifa.com

O suíço Gianni Infantino foi eleito presidente da FIFA em 26 de fevereiro de 2016. Era Secretário-Geral da entidade maior do futebol mundial e foi candidato único, depois de afastados do caminho todos os concorrentes, inclusive o ex-craque francês, Michel Platini, até então o grande favorito e presidente da UEFA. Como não existe virgem em puteiro, a crença geral era que Infantino fosse uma continuidade de Joseph Blatter e companhia. Pois, não tem sido. Pelo menos na postura pública, completamente diferente de Blatter, que adorava ser cortejado como um “Chefe de Estado”, de acesso quase impossível, se achava intocável, acima do bem e do mal.

Nessa pandemia que assolou o mundo, a FIFA tem mostrado a cara e vem soltando comunicados de ações solidárias desde 23 de março, quando a coisa estourou no mundo todo. Quinta-feira, 9, Gianni Infantino fez um pronunciamento em português, falando das ações e preocupações da entidade para colaborar de alguma forma na minimização dos problemas. Até Blatter, a FIFA se comunicava em inglês, francês, espanhol, alemão e japonês. Exceção para o português, durante a Copa das Confederações e Copa do Mundo, em 2013/14, já que o Brasil seria palco dessas competições.

Também na semana passada a assessoria de imprensa da FIFA mandou uma carta para todos os seus cadastrados, de solidariedade pelo que todos nós estamos passando no mundo. Parece uma bobagem, e pode até ser, mas mostra um lado humano da entidade que até então nunca existiu.

Confira:

* “Estimado(a) Francisco,

Esperamos que cuando reciban esta carta se encuentren bien de salud, tanto ustedes como sus familias y amigos.

Vivimos tiempos difíciles e insólitos; el impacto de la enfermedad COVID-19 ha causado estragos en todo el mundo y ha cambiado en gran medida la manera en que vivimos y trabajamos.

Los deportes son importantes para la sociedad y esta pandemia está perjudicando gravemente al mundo del fútbol. En la FIFA somos conscientes de que el brote de coronavirus ha afectado y está afectando especialmente a muchos periodistas y a todos los profesionales que trabajan en la prensa deportiva. (mais…)


Recomendação comum dos cariocas no Rio: cuidado com a mochila aberta!

Os muitos problemas da cidade do Rio são compensados em grande parte pela receptividade dos cariocas. Como segurança está no topo das preocupações, existe uma espécie de mutirão informal de ajuda mútua e as pessoas se protegem e dão recomendações importantes a quem é de fora e não é acostumado a tomar determinados tipos de cuidado. No transporte público ou nas ruas e shoppings é comum alguém alertar: a sua mochila está aberta!

Por falar em mochila, todo jornalista credenciado, em toda Olimpíada e quase toda Copa do Mundo, ganha uma, cheia de brindes, e material útil ao trabalho, dos patrocinadores e do comitê organizador. Das seis edições que cobri, a melhor foi a de Pequim, que uso até hoje. Resistente e com vários compartimentos que acomodam bem e protegem notebook, gravador, telefone e essas coisas. Muitos colegas também continuam usando essa chinesa, facilmente identificável devido ao belo design. A de Londres foi uma das mais fracas em todos os aspectos. Feiazinha e frágil, com as alças arrebentadas pouco tempo depois de algum uso.

A do Rio é bem legal também e está fazendo sucesso entre jornalistas do mundo todo. Dentro dela vem um fone de ouvido, material de divulgação turística da cidade e sedes do futebol (como Belo Horizonte), informações sobre transporte oficial para a imprensa (urbano e dentro do Parque Olímpico), um cartão para uso do metrô, ônibus e VLT com direito a duas passagens por dia até o fim dos jogos, além de um item que provoca piadas, porém importante: um frasco de repelente! Nestes tempos de tantas doenças transmitidas por mosquitos, todo cuidado com as visitas é pouco!

MOCHILA2

A mochila de Pequim’2008 (esquerda) continua sendo a campeã em qualidade e visual.


Americano envia carta ao STJD pedindo justiça de verdade

Marcus Vinicius Bragaglia de Montenegro fez um desabafo no blog e nos mandou também a carta que endereçou ao STJD, com bons argumentos:

* “Caro Chico Maia,”

Dei uma sumida né?

Estou sinceramente decepcionado com a mídia mineira e nacional.
é inacreditável vermos que quase ninguém da nossa mídia está falando sobre o absurdo que estão fazendo com o Coelhão no caso do julgamento do Icasa. Todos falando categoricamente que o Avaí é o representante da 4ª vaga.
Não ouvi um comentário mais contundente sobre isso.
Uma vergonha o que aconteceu com o julgamento do Corinthians e ninguém comenta que o critério que foi adotado para não penalizar esse time foi justamente o contrário do que fizeram com o Coelhão.
Nem parece que o Coelhão é de Minas Gerais. Ninguém compra a briga a nosso favor. O América tem que lutar sozinho. Nem espaço para que nossa diretoria dê os argumentos são colocados à nossa disposição.
Conto com a sua ajuda.
que ao menos tenhamos um espaço para nossos argumentos.
Abaixo e-mail que enviei para a assessoria e para o próprio STJD.
Espero que pelo menos leiam o conteúdo.
Um abraço

Marcus Vinicius Bragaglia de Montenegro

STJD

* “Prezados senhores,

Gostaria de tentar entender o porque de tanta implicância com o América Futebol Clube, uma instituição que preza por valores morais no futebol, tendo sido punido por requerer seus direitos em campo em 2003 e ser penalizado com a exclusão de todos os campeonatos patrocinados pela CBF por 2 anos.
Cumprimos essa punição e continuamos firmes no propósito de moralizar as instituições que regem o nosso futebol.
Qual teria sido o critério para que o Corinthians fosse absolvido do erro que cometeu?
Se vocês aceitaram o argumento de que a culpa foi da federação Paulista de futebol, porque o mesmo critério não foi aceito no julgamento do América, já que a responsável pela situação do atleta foi a CBF que liberou o atleta no bid e no qual nos foi cobrado R$ 5.000,00 pelo registro?
Como entender um procurador dar declarações antes mesmo que o América desse entrada numa denuncia contra o Boa Esporte Clube e ainda por cima, fazendo ameaças contra o América, tentando intimidar o nosso direito.
Seria ético dar uma declaração de que o Avai não perderá os pontos, antes de um julgamento, que nem está marcado?
Como entender uma time que está desde a 20ª rodada jogando com efeito suspensivo e até hoje o julgamento em 2ª instância não foi marcado, sendo adiando várias vezes.
Não nos esqeucendo que o time foi excluido em primeira estância.
Precisamos moralizar o futebol. O STJD tem a oportunidade de corrigir essa injustiça que foi colocada sobre o América, um time que conseguiu seu direito de disputar a série A em campo, pois totalizou mais pontos que o Vasco da Gama, ficando em terceiro lugar na competição..
Não vamos ficar aqui citando casos obscuros que o STJD fez vistas grossas.
O importante é corrigir essa covardia que estão fazendo com o América.
Em qualquer situação sobre o caso Icasa, o América terá vantagem.
Se os pontos forem descartados o América por ter perdido 1 ponto ficará com a quarta vaga.
Caso reconheçam o erro e nos devolvam os 6 pontos, ficaremos em terceiro lugar no campeonato e se por ventura terminarem os jogos por WO, o Amércia também se classificará.
Façam uma análise da nossa campanha. Tivemos mais vitórias que os times que se classificaram, maior saldo de gols e por aí vai.
Caso o julgamento do Icasa continue sendo adiado e não tenha um desfecho favorável ao América, uma brecha será aberta para que outros clubes e o própro América entrem na justiça comum requerendo os seus direitos.
Vamos ver se o STJD vai ter coragem de novamente imputar um pena ao nosso clube.
Que Deus ilumine os julgadores para que usem a lei e a razão nesse julgamento. Não podemos levar esse julgamento para o lado político pois tem interesses declarados nesse processo, sendo um deles o presidente da federação Catarinense de futebol um dos vice presidentes da CBF.
Que a jstiça seja feita e que o nosso América Futebol Clube esteja na série A como legítimo representante que por direito conquistou a sua vaga. – Belo Horizonte”

Marcus Vinicius Bragaglia de Montenegro


Continua só uma TV aberta no Brasileiro

A alegria de quem sonhava ver o Brasileiro em mais de uma TV aberta durou pouco.

Veja esta notícia que está no Uol Esporte:

“Clube dos 13 define que Brasileiro manterá exclusividade na TV aberta”

Gustavo Franceschini

No Rio de Janeiro

O Clube dos 13 ainda não divulgou o modelo de contrato que pretende oferecer às empresas de mídia pelos direitos de televisão do Campeonato Brasileiro de 2011 a 2013. A entidade já definiu, porém, que a exclusividade na TV aberta será mantida, assim como o número de jogos exibidos pela emissora escolhida.

“A aberta vai continuar com exclusividade e não vamos abrir um novo dia de jogos. Isso está descartado. Hoje o que mais cresce é o pay-per-view, e se eu aumentar um dia eu vou atrapalhar isso”, disse Ataíde Gil Guerreiro, diretor de marketing do Clube dos 13, durante a Soccerex, feira de futebol que acontece no Rio de Janeiro até a próxima quarta.

O ex-dirigente do São Paulo é o responsável pela comissão de televisão do Clube dos 13, entidade que negocia os contratos com as televisões em nome dos clubes. Gil Guerreiro diz estar estudando modelos europeus para a elaboração do novo modelo de contrato, que recentemente sofreu uma alteração importante.

Por determinação do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), que combate o monopólio, o direito de preferência da Globo acabou. A emissora, atual dona dos direitos de transmissão, tinha o direito de cobrir qualquer proposta rival, mas agora terá de competir normalmente com as outras emissoras.

O Clube dos 13 ainda não definiu, no entanto, se vai manter a exclusividade em outras mídias. TV fechada e internet, por exemplo, podem ter mais de uma contratante. O número de propriedades também deve aumentar. A entidade estuda explorar até as redes sociais, uma das cerca de 15 propriedades que serão oferecidas ao mercado.

Gil Guerreiro disse ainda que o Clube dos 13 pretende contratar uma auditoria para inspecionar o processo. KPMG, Ernest & Young, Artur Andersen, PriceWaterhouseCoopers e Delloitte foram procuradas. 

* http://esporte.uol.com.br/futebol/campeonatos/brasileiro/serie-a/ultimas-noticias/2010/11/23/clube-dos-13-define-que-brasileiro-mantera-exclusividade-na-tv-aberta.jhtm


Marcelo Oliveira esclarece porque não retorna ao comando do Cruzeiro agora

Treinador divulgou carta aberta na tarde desta segunda-feira

MARCELO


Troféu Óleo de Peroba do ano vai para Ronaldo, que continua “fenômeno”!

Vi esta charge do Duke, hoje, no Super Notícia, e me lembrei da última entrevista do ex-jogador. Um antigo ditado popular continua verdadeiro e certamente terá validade eterna: “Quem faz a fama deita na cama”. O ex-centroavante Ronaldo Nazário é um bom exemplo. Fenomenal como jogador, continua fenômeno fora de campo em marketing pessoal, bobagens ditas ao vento e hipocrisia. Um verdadeiro canastrão, cara de pau!

Nos tempos em que jogava nunca assumiu nenhuma posição a favor da categoria. Antes de parar já demonstrava a sua aptidão para os negócios e se tornou empresário de todas as atividades possíveis, desde que rendam muito dinheiro. Quando parou com a bola, uma das primeiras ações foi entrosar com cartolas e políticos influentes nos bastidores. Muitos, nada recomendáveis. Virou até membro do Comitê Organizador da Copa, abençoado por Ricardo Teixeira. Agora, dá porrada no padrinho e na turma que ele deixou em seu lugar no comando da CBF. Zé Maria Marin, preso; Del Nero, sob risco, acuado, doido para curtir uma mordomia em lugar paradisíaco no exterior, mas não pode pisar em nenhum aeroporto internacional.

RONALDO

Como diz desde criança lá em Rio Casca o sábio Murilo de Paula, o “Nhô”: “Com a onça morta, cachorro mija no couro”. Fenômeno de ingratidão. Aliás, gratidão nunca foi uma marca do Ronaldo, que foi bem lançado e muitíssimo bem tratado pelo Cruzeiro e nunca reconheceu isso publicamente. Pelo contrário; andou foi falando bobagens sobre os seus tempos na Toca e em Belo Horizonte.

E a imprensa, ávida por audiência, custe o que custar, abre todo espaço que ele quiser para jogar coisas no ventilador. A fama conquistada como grande jogador lhe dá esta abertura e espaços.

Dizia Leonel Brizola que “os menores seres humanos não são os anões; são os ingratos”.

Os cartolas padrinhos do Ronaldo estão sentindo isso na pele agora.

Ainda bem que atualmente temos memória eletrônica, para ajudar a melhorar a memória do brasileiro, que antes era acusado de ter “memória curta”. Vejam esta “Carta Aberta”, endereçada a ele, em 28 de maio de 2014, às 20h05, pelo jornalista paulista Luis Augusto Símon, o Menon:

Carta aberta a Ronaldo Nazário de Lima

“Ora, Ronaldo, você estava lá, no dia em que o Brasil ganhou o direito de sediar a Copa. Estava com Paulo Coelho, com Lula, com Aécio Neves e Eduardo Campos.

RONALDO2

Você, ao contrário deles, passou a ser membro do Comitê Organizador Local. Ronaldo, você é um dos responsáveis por tudo que envolve a Copa”

“A possibilidade de assumir o Ministério dos Esportes em um suposto governo Aécio Neves também parece mexer com o jogador”. (mais…)


Desabafo americano: principalmente contra o “cidadão da cusparada e da cabeçada gratuita, desleal e inconseqüente”

Marcio Amorin escreveu:

* “Caro Chico Maia!”

Considere isto uma carta aberta, ou uma carta desabafo, ou mesmo uma manifestação de indignação, coisa pouco comum nos brasileiros comuns atuais.

Por que o América merece respeito?

Depois do vexame, mais um, de ontem – nem mais podemos dizer “inesperado”- cheguei à conclusão de que estão brincando com coisas que mereciam mais seriedade.

Estão brincando com os torcedores americanos, de quem cobram apoio e presença constantes; felizmente nem todos são palhaços, como eu que vou a todos os jogos, fazendo parte dos 300 da resistência;

estão brincando com os torcedores simpatizantes, que, a despeito de alguns afirmarem que não, a legião de pessoas que quer bem ao América é enorme, o que ficou comprovado ontem, com o tanto de gente que voltou para casa, sem conseguir o acesso ao estádio;

estão brincando com a imprensa que divulga, estimula, luta por ver um América forte;

estão brincando de profissionalismo, com atletas, dirigentes e técnicos amadores. Por acaso não seria amador um técnico que acredita no cidadão da cusparada e da cabeçada gratuita, desleal e inconsequente de ontem? Não seria amador um técnico que pensa que vai a algum lugar, escalando um ridículo Élvis? Não seria amador um técnico que ignora os atletas da base, como já haviam feito os técnicos amadores anteriores? O atleta da base que entrou ontem, o Ygor, mostrou-se infinitamente superior aos ridículos escalados e estava correndo times menores do interior, que também merecem respeito, enquanto a camisa americana é enxovalhada por medíocres. Só este ano, já encostaram o China, o Lula, o Danilo estava no interior de Goiás, o Leo, hoje titular no Atlético Paranaense e por aí vai.

Falei em atletas amadores…

Alguns estão brincando de jogar pelada em estádios gramados, cercados de conforto e de todo tipo de apoio. Como criticá-los, se há alguém que acredita neles? Acho que o mínimo que alguns deveriam fazer seria “pegar o boné”, não antes de se desculparem publicamente com aquele mundo de gente de ontem, e desaparecer de vez, levando na bagagem os empresários que os trouxeram, para, juntos, denegrirem a imagem do América.

Um atleta, cujo nome passo a não mais citar em meus inscritos, comportou-se ontem como um bandido. Calma! A minha indignação não chega a este ponto de desrespeito a um cidadão que tenta ganhar a vida de forma decente, embora equivocada. É uma analogia triste, porque lembrei-me simplesmente  dos bandidos que cometem delito, são presos e condenados e, por força de ridículos dispositivos legais, saem à  rua para visitar parentes, no Natal, por exemplo. Assim que colocam os pés fora da prisão, voltam a assaltar e justificar a pena anterior. Pois bem: este cidadão, por força de um efeito suspensivo, após receber uma justa pena por causa de uma nojenta cusparada em um atleta adversário, após um lance de que ele nem participara e que foi vista, repudiada e condenada por todo o país, aparece ontem com aquela cena de agressão patética que desmontou toda e qualquer pretensão; todo e qualquer trabalho que tivesse sido feito para tentar premiar um público de americanos e de simpatizantes, que gostam do América de verdade e o respeitam. Todos sentiram que  o acesso este ano estava fácil, mesmo depois de tantas lambanças “em casa” e foram apoiar, atendendo a uma convocação da imprensa, da diretoria e de amigos americanos. E os “brincalhões” continuaram “brincando”, numa atitude irresponsável e, agora, sim, bandida.

Desculpe, amigo, Chico Maia! Amanhã, pode ser que eu coloque o meu nariz de palhaço, volte ao normal e esteja lá na sexta-feira. No momento, o que sinto é asco. Grande abraço.

Marcio Amorin

————————–

WIL

Foto: Superesportes

Willians deu cabeçada em Yago Pikachu, sendo expulso na sequência


Vasco, Flamengo e Bahia também estão devendo a seus jogadores

Da Folha de S. Paulo, hoje:

* “Clubes não pagam e encaram protestos”

Cruzeiro, Vasco, Fla e Bahia devem a atletas  

No momento em que se exalta a força econômica do futebol brasileiro, que pouco perdeu atletas para fora, escancara-se o rombo interno.

Cruzeiro e Vasco atrasam salários e revoltam seus jogadores. E Flamengo e Bahia também não cumprem questões trabalhistas.

No Vasco, os jogadores não receberam vencimentos de dezembro nem o 13º. O valor devido chega a R$ 6 milhões.

Em protesto, o time não vai se concentrar para encarar o Bangu, hoje, pelo Estadual.

A diretoria alega que perdeu acordo com o BMG e não recebeu da Eletrobrás -dia 14, esperava receber R$ 8 milhões, metade do patrocínio.

Por ser estatal, a Eletrobrás exige Certidão Negativa de Débitos, que o Vasco não possui por ainda ter dívida tributária. “Em 2011, demos como garantia bens do clube. Mas agora o juiz que analisa o caso não aceitou”, diz o vice de finanças, Nelson Rocha. O Cruzeiro, que atrasou salários de dezembro, explica-se com a queda de bilheteria. O clube diz que não jogar no Mineirão causou prejuízo superior a R$ 28 milhões. E, dos 20 mil sócios-torcedores, só 2.000 continuaram.

Os jogadores escreveram carta aberta em protesto contra o presidente Gilvan de Pinho Tavares que, ironicamente, disse que os atletas ganham “uma miséria”.

O Flamengo também deve a atletas. O time tentou adiantar receita de direitos de TV com bancos, mas a operação não deu certo. O Bahia não pagou dezembro e 13º.