Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Futuro presidente do Cruzeiro fala sobre o time de 2018, dívidas, perspectivas e turbulência política

WAGNER

Wagner Pires de Sá concedeu uma longa entrevista ao Paulo Galvão e Tiago Mattar do Estado de Minas e Superesportes, esclarecendo muitas dúvidas.

Eleito em 2 de outubro, quando derrotou o candidato de oposição Sérgio Santos Rodrigues em um dos pleitos mais apertados da história recente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá só tomará posse no dia 18. Porém, já trabalha para manter o clube nos trilhos, ainda que admita não ter acesso a tudo nas áreas administrativa e financeira. O desafio é grande, visto que a Raposa está endividada e não tem recursos para contratações. Apesar disso, ele acredita que será possível brigar por títulos em 2018, inclusive da Copa Libertadores, principal objetivo da equipe. “Com três reforços o (técnico) Mano (Menezes) resolve o problema dele”, diz o futuro mandatário da Raposa, que pretende delegar poderes a cinco vice-presidentes, sendo um deles o braço direito Itair Machado, que cuidará do futebol.

Leia a entrevista exclusiva concedida ao Estado de Minas/Superesportes, no qual falou, inclusive, da crise política que se seguiu à eleição, quando foi chamado de traidor pelo atual presidente, Gilvan de Pinho Tavares:

Qual a principal mudança na vida depois que virou presidente do Cruzeiro?

Nós mudamos toda a nossa rotina. Eu até vou parafrasear o atual prefeito Alexandre Kalil, que disse em entrevista que administrar um clube de futebol é muito mais complexo e difícil que administrar Belo Horizonte. Estou sentindo isso. Primeiro, porque a gente perde uma das coisas pelas quais a gente mais luta na vida, que é a liberdade. Antes, saía com tranquilidade na rua. Hoje sempre tem alguém pedindo para tirar fotografia, por enquanto, graças a Deus. Pois sei que se um dia tivermos problemas de resultados o mesmo que pede para tirar foto joga uma pedra. Nós temos que nos preparar. É um desafio a mais. Costumo dizer que o que move a vida da humanidade são os desafios. Se pararmos e nos acomodarmos, não chegamos a lugar algum. Eu como pretendo ter uma perspectiva de 200, 300 anos pela frente… vou explicar isso: o chinês pensa 500 anos para frente. Se ele pensar num curto espaço onde vive, a humanidade não desenvolve. Então estou pensando lá na frente. Quero deixar uma semente que possa brotar e dar frutos”. (mais…)


Na TV Brasil Zico também detona com o excesso de precauções e estatísticas no futebol atual

IMG_2971

Sergio Bocage. Márcio Guedes, Zico e o ex-volante Zé Mário, atual presidente da Federação Brasileira de treinadores de futebol, durante o programa no Mundo da Bola, da TV Brasil.

Há alguns dias transcrevi ótimo artigo do Gustavo Fogaça Guffo – @pitacodoguffo da Rádio Gaúcha e do blog “Esquemão”, do portal Zero Hora, em que ele descrevia detalhadamente o uso competente que o Grêmio faz das estatísticas e a importância deste mecanismo para que o time jogasse o melhor futebol do Brasil. Frisei que era um texto do mês de junho, quando nem mesmo os gremistas achavam que o título da Libertadores seria conquistado.

O José Eduardo Barata, um dos mais assíduos e atentos comentaristas aqui do blog, já começou detonando o artigo pelo título “O Grêmio e o Futebol Orgânico”, e iniciou um ótimo debate aqui sobre a eficácia das estatísticas no futebol. Outro importante comentarista do blog, Régi-Galo, escreveu hoje: “Ô Barata,
Desde a sua definição de ‘bando de sardinhas’ e ‘Pai do Roger’ que eu não paro de rir dessa estória.
Por favor, estatisticamente, foi apenas uma brincadeira (para mim, hilária)!!!”

O Barata respondeu no mesmo tom, irônico e bem humorado: “REGI.GALO ,
quando das minhas intervenções por aqui você
tem se mostrado :
– em concordância com minhas ideias = 49%
– satisfeito por se distrair com elas = 31%
– alheio ao comentário = 17%
– em oposição = 03%
Acredito que os meus dados estejam dentro
da margem de erro :
2,7% para mais ou para menos .
Me corrija se estiver errado”

O Alissom Sol mora nos Estados Unidos e é defensor das estatísticas. Vem travando um interessante debate com o Barata. Num de seus comentários, disse: “…nada tenho contra os chamados craques, e todos gostamos de vê-los jogar. Contudo, a desobediência tática sistemática encorajada no Brasil é que gera casos como o goleiro “Muralha”, do Flamengo: apesar de inúmeras falhas anteriores, ainda insiste em driblar e arriscar perder a bola, jogando por terra o trabalho do time inteiro devido às suas “convicções pessoais”. Isto não é aceitável em nenhum outro lugar do mundo.

Ganhou repercussão internacional após a última Copa a frase “Portugal tem [Cristiano] Ronaldo, o Brasil tem Neymar, a Argentina tem Messi, mas a Alemanha tem um time!” (link). Usaram estatísticas na seleção de jogadores, na preparação, esquema tático, seleção do local para a base de treinamento, etc. Não deve valer nada, não é mesmo? Talvez com um improviso aqui e ali o Brasil até ganhe a Copa de 2018. Mas Tite já está errando ao ir contra suas próprias convicções de “levar os jogadores no melhor momento”, ninguém no Brasil sabe qual o esquema tático do time, e escolheram uma base de treinamentos e agora já começam a reclamar da mesma pois vai gerar enormes deslocamentos na fase de grupos (veja em um mapa onde está Sochi: link, e pense se você não escoheria uma base mais central). O lema do Brasil continue: Que se dane a Estatísticas e análise de dados, e viva o improviso!..”

Entrando no mérito dessa discussão, tenho convicção de que as estatísticas são importantes em qualquer atividade humana, inclusive no futebol, mas também não tenho dúvidas de que há um exagero na valorização disso em nosso futebol, principalmente por grande parte da imprensa. Também nas comissões técnicas com seus departamentos médicos, de fisioterapia e fisiologia. Usam estatística para tirar jogadores de determinadas partidas, de forma absurda. Muitos treinadores só escalam o time depois de ouvir os fisiologistas, fisioterapeutas e médicos.

IMG_2969

Agora há pouco, usando o controle remoto na busca de algo interessante para assistir na TV, tive a satisfação de ver o Zico dando uma aula sobre futebol e falando verdades sobre esta “lambuzada” na utilização de dados estatísticos no futebol atual pelos profissionais brasileiros. E deu como exemplo o Real Madri, cujo último treino antes da final da Champions contra a Juventus, ele teve a oportunidade de assistir. Segundo Zico, o Zidane comandou um treino que fez lembrar o que se fazia no Flamengo há 30 anos. Treinava-se até à véspera o que se pretendia que fosse feito no jogo no dia seguinte. Nada de poupar esforço ou jogador. E dava certo, como deu certo para o Real Madri nessa final. O ex-camisa 10 usou algumas expressões usadas pelo José Eduardo Barata, como frescura demais no futebol atual, o que faz com que os jogadores se acomodem e passem a se sentir de “louça”, que podem quebrar a qualquer momento. Aí começam a dizer que jogaram tantas partidas na temporada, que estão cansados, prestes a se machucar e que precisam passar o fim de semana com a família, para relaxar. Zico e Zé Mário lembraram que no tempo deles jogava-se mais de 80 partidas por temporada e hoje não se chega a 70.

É o que penso também sobre estatística: importante sim, mas usada de forma equivocada e exagerada em incontáveis situações no futebol verde e amarelo. Com direito a muito curioso ou picareta dando uma de “expert”, na imprensa e nas comissões técnicas.

IMG_2970

Márcio Guedes, Zico e Zé Mário.


Peladas de fim de ano entre famosos do futebol estão em baixa, mas Ronaldinho merece uma despedida em Minas, pra valer!

RONALDINHOTEMPOHD

Em foto do Hoje em Dia,  Ronaldinho Gaúcho comemora com os amigos um dos quatro gols da vitória sobre os amigos do penta.

Essas peladas de fim de ano entre jogadores em atividade e aposentados estão perdendo a graça a cada ano. A única que enche estádio continua sendo a do Zico, muito bem organizada pelo próprio ex-craque do Flamengo.

No início do ano dizia-se que Ronaldinho Gaúcho teria um jogo de despedida em Belo Horizonte, mas o evento não decolou. Segundo a imprensa esse evento de ontem, intitulado de “Game of Dreams”, organizado pela ONG “Prevenir e Preservar”, visava arrecadar alimentos em ação social. Apesar de reunir grandes nomes do futebol brasileiro, teve um Mineirão com pouquíssima gente, numa grande oportunidade desperdiçada de se realizar um jogo de despedida pra valer e arrecadar muito mais para doações.

Thiago Nogueira do SuperFC informa que este encontro reuniu “o maior número de pentacampeões para uma partida festiva desde a conquista do título, há 15 anos. Dos 23 jogadores da lista de Luiz Felipe Scolari, 15 estiveram ao jogo beneficente: Lúcio, Roque Júnior, Edmílson, Ricardinho, Gilberto Silva, Rivaldo, Ronaldinho Gaúcho, Dida, Anderson Polga, Júnior, Denílson, Vampeta, Juninho Paulista, Edilson e Luizão. … oito tinham outros compromissos e não puderam comparecer: Marcos, Cafu, Roberto Carlos, Ronaldo, Belletti, Kléberson, Rogério Ceni e Kaká…”


Na lista das 10 maiores revelações do Brasileiro, nenhum de Minas. Entre os 30, dois zagueiros

DEZMAIS

O jornal O Globo elegeu lista de dez jogadores que considera as revelações do Brasileiro da Série A, pela ordem: o meia Arthur (Grêmio), o lateral esquerdo Guilherme Arana (Corinthians), o meia Wendell (Fluminense), o goleiro Jean (Bahia), o atacante Paulinho (Vasco), o meia Mateus Rossetto (Atlético-PR), zagueiro Igor Rabello (Botafogo), meia-atacante Lucas Paquetá (Flamengo), atacante David (Vitória) e Lucas Veríssimo, zagueiro do Santos. Deixou Vinícius Jr. Do Flamengo como inelegível, por já estar vendido ao Real Madri.

O futebol mineiro que sempre revelou grandes jogadores, passou em branco, o que mostra que é preciso melhor essa “garimpagem” por aqui, além de os clubes estarem optando por contratações caras, de jogadores rodados, ao invés de saber lançar os bons de suas bases.

O blogueiro Pedro Venâncio, do Globoesporte.com fez uma lista de 30, sendo 20 da Série A, sete da B, dois da C e um da Série D. Nessa, os zagueiros Murilo do Cruzeiro e Bremer do Atlético aparecem. (https://globoesporte.globo.com/blogs/na-base-da-bola/post/2017/11/28/arthur-murilo-vinicius-junior-as-30-revelacoes-do-brasileirao-2017.ghtml)

Entendo que o Matheusinho, do América merece aparecer como revelação numa lista de 10 melhores da Série B.


Na relação custo/benefício Thiago Neves é o campeão das assistências do futebol brasileiro. Fred é o 17º

tn

Como diria o Alencarzinho, presidente do América, “este dá resultado”. Provou ter sido um excelente investimento. Além de assistências chama o jogo para ele e marca gols decisivos.

ASSISTENTE

Um dos melhores e mais assíduos comentaristas aqui do blog, José Eduardo Barata, não gosta muito das estatísticas. Eu valorizo algumas, que têm a ver com o resultado prático que elas produzem. Essa por exemplo, demonstrada pelo analista gaúcho Gustavo Fogaça Guffo, que recomendo:‏ @pitacodoguffo, direto de Porto Alegre:

“QUEM FOI MAIS DECISIVO?”

Quem participou mais dos ataques de gol da sua equipe no Brasileirão? Ninguém supera #ThiagoNeves do @Cruzeiro, com 25 participações. Ou seja, 53% dos gols da Raposa tiveram o meia envolvido (média de 0,8 por jogo).


Na derrota do Flamengo, secador do América funcionou; mas a decisão continua indefinida

REVER

Réver abriu o placar, mas o Flamengo tomou a virada em Avellaneda

Foi um jogo bom de se ver e no Maracanã, quarta que vem, o Flamengo correrá o mesmo risco que o Lanús correu contra o Grêmio. Terá que buscar o gol, mas se sair muito afoito, toma no contra ataque e a situação se complica mais. E o Independiente mostrou eficiência nos contra ataques, com muita velocidade. Certamente o jogo da volta será melhor que este 2 a 1 argentino. Falar em “pressão” da torcida carioca no Rio é bobagem. Todo time argentino é acostumado com isso e joga até melhor quando pressionado até à tampa. Prevalecerá quem jogar mais bola e cujo treinador for mais esperto na opção tática.

E continua atraindo as atenções de muitas torcidas, diretamente interessadas: a do Galo, para ir para a pré-Libertadores; a do Vasco para entrar direto na fase de grupos; a do Sport Recife, que entraria na Copa Sul-americana e a do América que torce contra o Flamengo, para poder entrar na Copa do Brasil a partir das oitavas de final.


Recomendações para hoje, no Independiente x Flamengo: Diego Rodríguez, Maximiliano Meza e Lucas Albertengo

FLAINDE

O Flamengo no caldeirão do Independiente na primeira da final da Copa Sul-americana. A partir das 21h45, um dos últimos jogos da temporada 2017, que interessa muito ao Atlético, que pode se classificar para a pré-Libertadores em caso de conquista do rubro-negro carioca.

O Renato César, comentarista aqui do blog recomenda: “Para observar hoje: Diego Rodríguez, Maximiliano Meza e Lucas Albertengo (este tem sido inclusive reserva da equipe).

O volante e o atacante eu recomendo ao Galo: futebol, perfil e preço.”

Informações do Globoesporte.com: Flamengo – técnico Reinaldo Rueda
O time de Reinaldo Rueda vem se uma sequência desgastante nos últimos dias. Depois da semifinal na Colômbia, semana passada, a equipe jogou em Salvador contra o Vitória, pela última rodada do Brasileirão. Fora dos últimos dois jogos, há expectativa de que o capitão Réver forme novamente a dupla de zaga com Juan. César, que voltou a jogar após dois anos na semana passada, será mantido no gol. (mais…)


Em jogo de confraternização, comissão técnica do Galo vence a imprensa mais uma vez

TIMEIMPRENSA

Fui convidado, mas por compromissos profissionais cheguei atrasado e não deu pra jogar. Talvez tenha sido este o grande motivo do dilatado placar a favor da comissão técnica do Atlético, cujo time foi coordenado pelo Domênico Bhering: 7 x 2. Se eu estivesse jogando, possivelmente, o placar seria de um ou dois gols a menos.

Este é o time dos colegas que cobrem o dia a dia do Galo. Craques dos microfones, canetas e teclados, mas nem tanto de futebol dentro de campo. Da esquerda para a direita, em pé: Léo Gomide, Victor Martins, Luciano Dias, Diego Bertozzi, Fabrício Almeida, Thiago Cardoso, Roger Dias, Lauro Lopes, Cláudio Rezende, Rafael Araújo, Frederico Ribeiro e Christiano Junqueira; agachados: Marquinhos Froes, Túlio Kaizer, Guilherme D’Assumpção, Rafael Bruno, Guilherme Frossard, Thiago Nogueira e Marcellus Madureira.

ARBITRAGEMCAPITAES

O trio de arbitragem, todo feminino, posou com os capitães, Victor Martins (de branco) e Domênico Bhering, do Galo.


Depois de mais de 10 anos no Cruzeiro, Guilherme Mendes se despede

GUILHERMEMENDES

Domingo, depois do empate do Cruzeiro com o Botafogo, o jornalista Guilherme Mendes enviou a mim e a outros companheiros de imprensa, mensagem de despedida através do whatszapp, comunicando o seu desligamento do clube: “Hoje estou encerrando a minha passagem pelo Cruzeiro. Foram 10 anos e meio à frente da diretoria de Comunicação, cheio de conquistas, graças à Deus.
Muito obrigado pelo carinho, respeito e profissionalismo comigo esses anos todos.
Amanhã estarei iniciando um trabalho voluntário de assessoria da ABRAVIC para a realização do jogo do dia 22 de dezembro, em Chapecó, com a renda destinada as famílias das vítimas do acidente aéreo.
Em breve informarei a todos o meu novo número.
Um feliz Natal e um super 2018 com muitas vitórias.

Grande abraço, Guilherme Mendes”

Ainda não informou sobre o futuro dele profissional. Sucesso a ele também nas próximas missões.

Serginho, da TV Alterosa, deverá ser o sucessor do Guilherme no comando das relações do clube com a imprensa.


Em temporada de escolha dos melhores do ano, Globo, CBF, ESPN e Placar elegem seleções quase idênticas

RIZEK

Mais uma demonstração de profissionalismo do André Rizek, que postou na página dele no twitter: “Está aí o cara de quem o sabichão aqui falou que não levaria o Corinthians a lugar algum esse ano… Campeão, revelação e merecidamente melhor treinador. Parabéns, Carille!”

Chegado o momento das eleições e entregas de prêmios aos melhores do ano, são tantas promoções de tantos veículos e entidades que umas se confundem com as outras e há os casos das que se fundem também. Como da Globo/CBF, ESPN/Revista Placar, que elegeram seleções e treinadores parecidíssimos.

TN

Thiago Neves foi o único “mineiro” escolhido, e nas duas seleções.

No gol mais bonito, Otero ganhou o prêmio da Placar/ESPN, por causa daquele chutaço do meio de campo contra o Coritiba. Hernanes, do São Paulo, ganhou da Globo/CBF pelo gol de falta contra a Ponte Preta.

A seleção da Globo/CBF, eleita por jornalistas de todo o país, inclusive este que “vos fala”:

Vanderlei (Santos); Fagner (Corinthians), Balbuena (Corinthians), Geromel (Grêmio) e Guilherme Arana (Corinthians); Bruno Silva (Botafogo), Arthur (Grêmio), Hernanes (São Paulo) e Thiago Neves (Cruzeiro); Henrique Dourado (Fluminense) e Jô (Corinthians). Melhor técnico: Fábio Carille (Corinthians).

otero

A ESPN Brasil e a Revista Placar se juntaram na tradicional “Bola de Prata”, entregue em cerimônia ontem à tarde.

Artilheiros, Jô e Henrique Dourado, com 16 gols cada um, pelo Corinthians e Fluminense.

A seleção: Vanderlei (Santos), Fágner (Corinthians), Geromel (Grêmio), Balbuena (Corinthians) e Thiago Carleto (Coritiba); Michel (Grêmio), Hernanes (São Paulo), Thiago Neves e Dudu (Palmeiras); Luan (Grêmio) e Jô, que também levou o troféu de melhor jogador do Brasileiro.


Página 2 de 1.01612345...102030...Última »