Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Dinheiro do consumidor do futebol continua bancando a farra dos cartolas da CBF e federações

O “Estadão”, de S. Paulo fez uma boa reportagem sobre o círculo do poder do futebol brasileiro, que poderia ser chamado também de “circo”. Enquanto clubes pequenos, porém tradicionais agonizam e desaparecem do cenário, médios e grandes vivem de pires na mão, a cartolagem que administra federações e a confederação deitam e rolam. Entidades que nem deveriam existir, já que o correto seria a existência das ligas dos clubes para cuidar dos interesses dele, razão de ser do futebol. Mas, não. E quem gosta de futebol banca tudo, seja pagando ingresso, comprando produtos dos clubes, pacotes de TV, enfim. As  entidades levam percentual de quase tudo, além de cobrar inúmeras taxas para os clubes fazerem qualquer coisa.

O jornal paulista fez um resumo de como funciona a engrenagem:

* “CBF e federações estaduais têm parceria pelo poder”

Com agrados como mensalinho e viagens à Copa, entidade nacional tem apoio total das estaduais e ajuda seus cartolas a se ‘eternizarem’ nos cargos

Por Almir Leite e Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

Em abril de 2014, Marco Polo Del Nero foi eleito presidente da CBF, para assumir um ano depois, com votos de 26 das 27 federações estaduais. No mês passado, Rogério Caboclo foi eleito presidente da CBF, a partir de abril de 2019, com votos das 27 federações. Isso porque, o presidente da Federação Gaúcha, Francisco Novelletto, que se abstivera no pleito anterior, desta vez votou no candidato único. Desde 1989 tem sido assim. O indicado da situação é eleito, ou reeleito, com apoio maciço dos presidentes de federações estaduais.

Esse apoio não é de graça. A CBF trata os presidentes de federações com muitos mimos. Convites para chefiar delegações da seleção em amistosos e torneios oficiais, criação de competições regionais e mesadas. Este ano, eles terão um bônus: ida à Copa do Mundo da Rússia, com todas as despesas pagas.

O “voo da alegria’’ levará os presidentes de federações – e de dez clubes das Séries A e B, definidos por sorteio – para assistir aos jogos do Brasil na primeira fase. Os convites foram feitos em fevereiro, mas a CBF nega que tiveram cunho eleitoral em favorecimento a Caboclo. Alega a entidade que a viagem tem como objetivo o aprimoramento dos dirigentes em nível administrativo. (mais…)


Apito amigo tira vitória do América em Fortaleza, mas diretoria do Coelho ainda não disse que se trata do “velho futebol brasileiro”.

Foto do Daniel Hott/AFC

A arbitragem comandada pelo senhor Eduardo Tomaz de Aquino Valadão, de Goiás foi muito amiga do Ceará e aos 47 do segundo tempo enxergou um pênalti para que o jogo terminasse 2 a 2. Mais um erro absurdo desses sopradores de apito que volta e meia infernizam a vida de algum time em Minas, no Brasil e no mundo. Mas, diferentemente do que ocorre no Campeonato Mineiro a diretoria do Coelhão não foi para os microfones depois do jogo dizer que há “esquema” e que este é o “velho futebol brasileiro”.

Que o Coelho, que ruge forte em nossas montanhas não se comporte como um hamster ou camundongo pelas bandas cariocas, onde se encontra a sede da CBF, batizada agora como “Casa do Futebol Brasileiro”, tirando o nome do José Maria Marin, hoje presidiário em Nova York.

O time fez um belo primeiro tempo, se impôs, fez 2 a 0, mas voltou do intervalo como se tivesse comido uma feijoada no vestiário. Se encolheu, esperou o Ceará reagir e cedeu o empate aos 47. No último lance, com a ajuda vergonhosa da arbitragem ao dono da casa.

Mais detalhes no site do América:

* “… Com o empate, o América fica na décima posição, com sete pontos conquistados. O próximo compromisso da equipe americana, pelo Campeonato Brasileiro da Série A, será no dia 20 de maio, contra o Botafogo-RJ, às 16h, no Independência. (mais…)


As contestações e aprovações das supostas surpresas e injustiças do Tite na convocação para a Copa

Os 23 convocados para a Copa 2018: Alisson, Casemiro, Cassio, Coutinho, Danilo, Douglas Costa, Ederson, Fagner, Fernandinho, Filipe Luís, Firmino, Fred, Gabriel Jesus, Marcelo, Marquinhos, Miranda, Neymar, Paulinho, Pedro Geromel, Renato Augusto, Taison, Thiago Silva e Willian.

Iniciando a seção cornetagem, é importante lembrar que unanimidade nunca existiu e nem existirá, nunca. Tite sabe o motivo da convocação ou não de cada um. Fosse eu, teria convocado Marcos Rocha (Palmeiras), Luan e Arthur (Grêmio).

Vamos a opiniões de alguns companheiros jornalistas, começando pelo paulista @juliogomesfilho: “Fred dentro, Arthur fora. Taison dentro, sem camisa 9 ou Giuliano. Geromel dentro, Rodrigo Caio fora. Filipe Luís dentro, Alex Sandro fora. Tite será cornetado pelos dois do Shakhtar, Fred e Taison”. O mesmo Julio Gomes emendou: “Caramba! O Dedé, do Cruzeiro, está na lista dos 35!”

Da Band e 98FM o Héverton Guimarães@hevertonfutebol mandou bala: “Depois que Kléberson foi convocado, também contestado e campeão mundial, não vou esculachar convocações de Taison e Fred. Até pq o Brasil vai ganhar essa porra!” E também emendou: “Dedé na lista dos 35 e a turma falando que eu tava exagerando.”

Do Hoje em Dia, o HENRIQUE ANDRÉ‏ @ohenriqueandre resolveu arriscar: “Fagner e Taison, os mais questionados na lista, serão os heróis do hexa.”

Informação inbteressante Fred Ribeiro, também do Hoje em Dia: “Convocação de Tite pra Copa tem 2 mineiros: Danilo, de Bicas, e o volante Fred, de Belo Horizonte. Ambos campeões nacionais (Liga e Copa) por Man City e Shakhtar. Há 9 paulistas, 4 cariocas, 4 gaúchos, 2 paranaenses, 1 catarinense, e 1 do nordeste – Roberto Firmino (Alagoas).”

O repórter e deputado João Vítor Xavier @joaovitorxavier: “Convocar sempre é muito complicado. Cada um tem uma preferência. Mudaria algumas poucas coisas na seleção. Provavelmente não levaria Fred, Taison, Cássio e Fagner. No mais, está perto do que acho ideal.”

Milton Neves‏ @Miltonneves:Arthur do Grêmio: o sacaneado da vez!”

OMundo ESPN‏ @ESPNagora faz uma pergunta muito interessante: “2014 ou 2018? Qual seleção estava melhor servida de “9”?

Samuel Venâncio @samuelvenancio: “Arthur fora da Copa deveria ser crime!”

Galvão Bueno, viaSporTV@SporTV: “Eu nunca me furtei a dar opinião. Se eu tivesse o direito de convocar, teria levado o Arthur e o Luan nos lugares do Fred e do Taison, com todo respeito ao bom futebol dos dois.”

Juca Kfouri@BlogdoJuca: “Tite convocou sem surpresas. Teria cometido erro grave se em vez de Geromel chamasse Rodrigo Caio. Mas não vejo em que Taison possa fazer diferença, quando é óbvia a diferença que Arthur faria. Tomara que ainda dê tempo…”


Alencarzinho aproveita encontro legislativo no Rio Grande do Sul para prospectar negócios para o América

Não faltaram futebol e possibilidades de parcerias na 22ª Conferência Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais, realizada de sexta a sábado em Gramado-RS. Alencar da Silveira Jr. (direita) com o filho Arthur e o presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, neste evento realizado pela União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais – Unale.

Bolzan foi prefeito da cidade de Osório (a 100 Km de Porto Alegre) e deputado estadual. Estava curioso para saber da fórmula da diretoria do América, do qual Alencar foi presidente até o ano passado, para recolocar o Coelho na prateleira de cima do futebol brasileiro.


Vitória convincente em Curitiba, que mantém o Galo na briga pelo primeiro lugar

Foto: www.atletico.com.br

Às 19h30, com quase mil votantes, a enquete feita pelo twitter  @atletico apontava que estava sendo escolhido pela torcida como o melhor em campo na virada sobre o Atlético-PR:

12% Bremer

15% Cazares

43% Róger Guedes

30% Victor.

No segundo tempo todo o time foi muito bem, mas realmente o Róger Guedes desequilibrou. Quando quer, joga demais. E parece que ele anda querendo, pois tem se empenhado e se destacado em todos os últimos jogos.

Este jogo em Curitiba foi de um tempo para cada Atlético. O primeiro, do paranaense, com Victor fazendo diferença a favor do Galo. O segundo, totalmente mineiro. Tivesse com uma pontaria melhor teria marcado pelo menos mais três gols, depois que o jogo já estava 2 a 1. O Atlético-PR foi todo ao ataque depois que tomou a virada e abriu a porteira para que os contra ataques alvinegros fossem encaixados.

Que bom que o Thiago Larghi viu que o Leonardo Silva agora pode ser mais útil no banco do que como titular. Com 38 anos ele não tem mais a velocidade e reflexos exigidos de um zagueiro te alta competitividade.

O treinador foi ousado mais uma vez nas mexidas e dessa vez deu certo. Ainda no primeiro tempo, aos 38, tirou Luan e Otero para as entradas de Elias e Cazares. O time melhorou e virou o jogo.


Fox Sports terá a mineira Isabelly Morais trabalhando na Copa 2018

Mérito da crença no próprio taco e da persistência. Parabéns Isabelly!

Ontem à noite o canal Fox Sports anunciou: “E as vencedoras são: Isabelly Morais, Manuela Avena e Renata Silveira! Parabéns, meninas: vocês vão narrar a Copa do Mundo nos canais @foxsportsbrasil!”

Em seguida a mineira Isabelly Morais‏ twittou emocionada @isabellymoraiis: “Amigos, consegui! Sim, vou narrar a Copa do Mundo pelos canais Fox Sports! Não consigo explicar o que tô sentindo, mas digo que tô muito feliz. Sério, Deus é muito bom. A Inconfidência, minha eterna casa, me deu uma base enorme para encarar tudo isso. Agora, só vou!!!”

É a Isabelly, que ano passado cravou o nome dela na história da imprensa brasileira como a primeira mulher a narrar um jogo e futebol (América x Avaí). Ela é da Rádio Inconfidência, teve toda a força do José Augusto Toscano, chefe de esportes e dos companheiros mineiros, que torcemos por ela.

A FOX Sports a escolheu no concurso “Narra Quem Sabe”, comandado pela Vanessa Riche (ex-Sportv). Iniciamente foram 300 inscritas.

Isabelly Morais tem 20 anos de idade e foi a única mineira a concorrer. Nesta foto, do portal da Rede Minas, ao lado do comandante de esportes da Inconfidência, o gente muito boa José Augusto Toscano.


Além dos três pontos, Cruzeiro comemora cinco jogos sem tomar gols

Foto: www.cbf.com.br

Com belas homenagens a todas as mães no dia delas, às quais parabenizo, num domingo de sol tímido e ótima temperatura o Cruzeiro fez para o gasto, o suficiente para vencer o Sport Recife por 2 a 0. Cinco jogos sem tomar gols e jogando bem. Isso dá confiança e embala qualquer time.

Dedé abriu o placar, de cabeça, e novamente jogou muito bem. Arrascaeta fez um golaço, num chutaço de longe. O público presente foi de 21.907 e o pagante 19.390 para renda de R$ 407.831,00.

Depois do jogo Mano Menezes disse que o placar poderia ter sido mais elástico. Realmente, mas o Sport fez a parte dele para não tomar uma goleada.

Concordo também com o companheiro montesclarense Christiano Jilvan, que twittou: “Dedé tá desarmando até Talibã hoje!! Impressionante como o Sport de hoje não tem nada a ver com aquele que jogou contra o América!

Pelas bandas da Band o Héverton Guimarães‏ @hevertonfutebol lembrou: “Dedé tomou terceiro cartão e tá fora do clássico.”

Domingo que vem tem o Galo pela frente.

“Zapeando” as rádios que transmitiram o jogo, foi um prazer rever essa dupla da melhor qualidade da Super Notícia FM 91,7:

Oswaldo Reis “Pequitito” e o irreverente (pra não dizer maluco beleza) Lélio Gustavo.


Fábio Koff: um dirigente que dignificou o futebol brasileiro

O futebol brasileiro está de luto com a morte do ex-presidente do Grêmio e Clube dos 13, Fábio Koff, que será enterrado hoje, em Porto Alegre. Pode-se dizer que era uma “espécie em extinção”, dessas raras autoridades do esporte brasileiro que honrou todos os cargos que ocupou, unindo dignidade, transparência e competência. Em 2016 publicou um livro autobiográfico. No dia 26 de fevereiro daquele ano, concedeu uma longa e muito interessante entrevista ao Globoesporte.com/RBS, que transcrevo aqui. Vale a pena ler:

* “Do Olímpico à Arena: as memórias do ex-presidente do Grêmio Fábio Koff”

Dirigente mais vitorioso da história do clube visita antigo estádio após mais de um ano, relembra histórias e antecipa revelações de biografia que será lançada em março

Por Eduardo Moura, Lucas Rizzatti e Kelly Costa – Porto Alegre

Dirigente mais vitorioso da história do Grêmio, Fábio Koff eternizou seu nome na história do clube. Agora suas memórias seguem o mesmo caminho com a chegada às livrarias de sua biografia, com o sugestivo título “Fábio André Koff: Memórias e Confidências – O que Faltou Esclarecer”. O livro, com 247 páginas, refaz a trajetória do ex-presidente e traz revelações e histórias de bastidores sobre personagens que fizeram parte da vida tricolor nas últimas décadas.

Antes do lançamento oficial, Koff aceitou reviver algumas dessas histórias em uma manhã no Estádio Olímpico, casa que tanto habitou e viu inúmeros títulos e que será palco da apresentação de sua obra, dia 14 de março. No papo exclusivo com GloboEsporte.com e RBS TV no Velho Casarão, falou sobre as lembranças, de ídolos e das taças conquistadas no período de glórias gremista. De sua terceira passagem, mais recente, fez revelações sobre o imbróglio envolvendo o contrato com a Arena, a demissão de Luxemburgo e a contratação de Felipão. Todas registradas no livro pelo jornalista Paulo Ledur e seu pai, o professor Paulo Silvestre Ledur.

– Nos anos 90, acontecia um fato, não é folclore, não estou dourando a pílula. A torcida do Grêmio interagia tanto com a equipe que dava a impressão que festejava o gol antes dele realmente ocorrer – recordou.

Koff completará 85 anos em maio. Foi presidente do Grêmio em 1982 e 1983, período em que o time foi campeão da Libertadores e do Mundial, e entre 1993 e 1996, após recuperar-se de um câncer, para voltar a ser campeão da América, do Brasileiro e da Copa do Brasil. A última passagem, entre 2013 e 2014, teve alto investimento, mas o tri da competição continental não veio. Não se arrepende. Na verdade, o ex-presidente se arrepende de pouco. Talvez de não ter levado adiante a criação de uma liga dos clubes a partir do Clube dos 13, que presidiu de 1987 até sua dissolução, em 2011.  (mais…)


Lembra do Jussiê, ex-atacante do Cruzeiro? Agora é importador de vinhos franceses

Entre tantos casos de ex-jogadores que se deram mal depois que pararam de jogar, está aí um belo exemplo de sucesso. Capixaba de Nova Venécia, quando sentiu que estava na hora de parar, planejou o “pós-bola” e resolveu continuar morando na França, onde se tornou ídolo no Bordeaux. Chegou esboçar uma volta ao Brasil em 2016, acertando com o Atlético-PR. Mas, manjou a barra nestas terras tupiniquins, entrou em acordo com os paranaenses e deu meia volta.  Voltou prá lá!

Informações da coluna da Marluci Martins, no O Globo: * Jussiê: ex-jogador vive em Bordeaux e agora se dedica a vinhos

Aos 21 anos, o capixaba Jussiê deixou o Cruzeiro para tentar a sorte no futebol francês. O Lens foi sua primeira experiência, e o Bordeaux, a casa definitiva, onde o meia jogou por nove anos até decidir pendurar as chuteiras, em 2016. Lá, ele descobriu uma paixão por vinhos que, há dois meses, se transformou em novo business: a Juss Millésimes, importadora com rótulos exclusivos da Borgonha e preços entre R$ 80 eR$ 1,5 mil por garrafa. “Hoje, eu e amigos nos reunimos mais para tomar vinhos do que para assistir a jogos de futebol”, admite o ex-jogador, de 34 anos, que mora em Bordeaux e é um dos destaques da edição de maio da revista “GQ”. 

Jussiê nos tempos de jogador do Bordeaux


Comemoração de derrotas é quando vaca não conhece bezerro e bezerro não reconhece vaca

Quando via coisas estranhas demais acontecendo no curral eleitoral dele um antigo político da minha cidade costumava dizer que “vaca não está conhecendo bezerro e bezerro não está reconhecendo vaca…”.

Estou com esta sensação depois de ver o Atlético desvalorizando a Copa Sul-Americana ontem e colegas da imprensa e alguns jogadores do América comemorando derrota “só de 2 a 1” para o Palmeiras, no Independência. Inclusive  o veterano Leandro Donizete, saiu dizendo em entrevista ao Thiago Reis algo como “aqui prevalece o América…”. Quem ligou o rádio naquele momento teve certeza que o Coelho venceu o time paulista.

Pode parecer simplista, mas a derrota americana foi apenas a consequência de um time de um monte de talentos individuais contra um comum. Quando estava 0 a 0 o Coelho desperdiçou duas oportunidades e o Palmeiras duas. Aí o time paulista aproveitou duas chances e esboçou uma acomodação. O América partiu pra cima, diminuiu o marcador e desperdiçou mais duas oportunidades. Enquanto isso o lateral Norberto e o zagueiro Rafael Lima estavam doidos para tomar mais gols. Perdidos em campo.

A diferença de poder financeiro para investir é isso aí. O mais forte tem jogadores que erram menos e acertam mais. O pobre ou remediado, o contrário.

Xingam Rafael Moura e Luan, por exemplo, que desperdiçam chances absurdas. Mas o dinheiro que o América tem dá para contratar jogadores assim. E de vez em quando eles dão resultados.

Não adianta reclamar do Enderson Moreira, pois ele tira água de pedra. Ruim com ele, muito pior sem ele. Acredito que o América tem time para permanecer na Série A, mas se repetir a velha ciranda dos clubes brasileiros de ficar trocando de treinador, correrá riscos. É preciso reconhecer as limitações de elenco em função da capacidade de investimento.

As zebras ocorrem cada vez menos no futebol, mas ainda existem. Só uma delas, das grandes, poderá levar o Coelho a uma classificação à próxima fase da Copa do Brasil.

O HENRIQUE ANDRÉ‏, do Hoje em Dia twittou uma verdade sobre o capitão americano, que me fez lembrar da situação do Leonardo Silva no Atlético: @ohenriqueandre: “Rafael Lima na corrida com Keno é sacanagem. Segundo gol do Palmeiras, segundo devido à lentidão do capitão do Coelho. Joga muito, mas não dá conta de acompanhar esse ataque.”


Página 20 de 1.058« Primeira...10...1819202122...304050...Última »