Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Mesmo depois de dois empates América ainda tem 07 pontos de frente na luta pelo retorno à Série A

AFC

O América voltou a queimar a boa gordura que tem na ocupação de uma das vagas da Série 2018, mas é importante voltar a vencer. O empate de ontem foi contra adversário que aspira de forma consistente uma vaga também. O Criciúma está na 9ª posição com 31 pontos, porém, a apenas três pontos do quarto colocado que é o Ceará. Dois empates, contra o desesperado Goiás, em Goiânia, e em casa contra um adversário qualificado. Nada preocupante, mas a sequência de jogos é pesada, momento de reencontrar as vitórias. Ser líder ou campeão é mero detalhe, pois o importante mesmo é ficar entre os quatro.

Hoje, a diferença para o 5º colocado é de 10 pontos, ainda uma gordura satisfatória, para quem está com a casa arrumada.

CLASSIFICAÇÃO PG J V E D GP GC SG %
América-MG 41 22 11 8 3 28 15 13 62
Internacional 39 21 11 6 4 31 14 17 62
Vila Nova-GO 35 21 10 5 6 23 18 5 56
Ceará 34 21 10 4 7 26 21 5 54
Juventude 34 21 9 7 5 26 19 7 54
Guarani 31 21 9 4 8 24 22 2 49
Paraná Clube 31 21 8 7 6 27 18 9 49
Boa Esporte Clube 31 21 8 7 6 22 20 2 49
Criciúma 31 22 8 7 7 23 25 -2 47
10° Brasil de Pelotas 30 22 9 3 10 25 34 -9 45
11° Londrina-PR 30 21 8 6 7 33 29 4 48
12° CRB 29 21 8 5 8 21 26 -5 46
13° Oeste 28 21 6 10 5 21 20 1 44
14° Paysandu 27 21 7 6 8 20 19 1 43
15° Goiás 25 22 7 4 11 23 29 -6 38
16° Luverdense 24 21 5 9 7 22 25 -3 38
17° Santa Cruz-PE 23 21 6 5 10 22 29 -7 37
18° Figueirense 21 21 5 6 10 24 31 -7 33
19° Náutico 17 21 4 5 12 15 27 -12 27
20° ABC 16 21 4 4 13 15 30 -15 25

Não aguentou a pressão: Wagner Mancini agiu igual à vaca da piada manjada: deu 40 litros de leite e em seguida chutou o balde

MANCINI

Foi bem na encarada no repórter e depois ligou para alguém para se vangloriar do feito. Este alguém que não era de tanta confiança assim, repassou a gravação pra todo mundo e agora o treinador do Vitória paga mico, se desculpando. Cabeça cozida!

Do site da Placar:

* “Mancini se desculpa com Corinthians e jornalista por áudio vazado”

Treinador do Vitória se envolveu em confusão com repórter após triunfo em Itaquera. Depois, irritou torcedores alvinegros com conversa vazada

Desde o triunfo do Vitória em Itaquera, que acabou com a invencibilidade do Corinthians, o técnico da equipe baiana, Vagner Mancini, se envolveu em uma sequência de confusões. Primeiro, discutiu com o repórter Felipe Garraffa, da Rádio Bandeirantes, na entrevista coletiva. Depois, teve um áudio vazado, no qual ofendia o jornalista, o chamando de “corinthiano babaca.” O caso irritou muitos torcedores alvinegros, inclusive o ex-presidente do clube Andrés Sánchez, que gravou um vídeo para criticar o treinador. Nesta terça-feira, Mancini se pronunciou e pediu desculpas ao clube e ao jornalista.

Por meio de um comunicado oficial, Mancini contou que ligou para o jornalista e também para o presidente do Corinthians Roberto de Andrade para se desculpar pelo conteúdo do áudio. Também se dirigiu à torcida do clube paulista e disse que seu “sentimento sempre foi e será de máximo respeito.” (mais…)


Willy Gonser em fotos, vídeos e áudio, falando sobre o Galo, Grêmio, sua vida e a profissão

WILLYLIVRO

Foto que fiz do Willy em janeiro de 2013, na varanda da casa dele em Alcobaça/BA, onde ele morava desde 2010. Levei para ele o livro do jornalista e escritor Eduardo Murta, lançado naquela época, sobre os dez maiores jogadores da história do Galo.

Pesquisando aqui no próprio blog encontrei muita coisa legal que postei sobre esta grande e agora saudosa figura que nos deixou hoje. A despedida do programa Toque de Classe, do Orlando Augusto, na TV Horizonte, numa ótima reportagem do Marcelo Beckler, que hoje brilha como correspondente em Barcelona.

Uma longa entrevista que o Willy concedeu a uma web rádio de São Paulo, que nos foi enviada pelo leitor Tiago Reis e um texto e foto ótimos, enviados pelo grande companheiro jornalista Luiz Carlos Alves, sobre a cobertura da Copa do Mundo de 1970.

Confira:

Em 30 de julho de 2013

Em entrevista, Willy Gonser fala da conquista do Galo e diz que a torcida fez diferença!

Agradeço ao Tiago Reis (que não é do Itatiaia), que nos enviou esta ótima colaboração ao blog:

* “Boa Tarde, Chico!”

Com a conquista da Libertadores pelo Atlético, muitos atleticanos nas redes sociais perguntaram sobre  Willy Gonser.

No sábado, ele concedeu uma entrevista para a uma web rádio de São Paulo no qual falou sobre essa conquista, o rádio e outros assuntos.

http://radioamantes.wordpress.com/2013/07/27/exclusivo-ao-radioamantes-no-ar-willy-gonser-destaca-participacao-da-torcida-do-galo-na-campanha-da-libertadores/#comments

É uma entrevista um pouco longa, mas vale a pena para matar saudades de um dos maiores narradores esportivos do Brasil.

Um abraço. Tiago Reis

***

Em 22 de outubro de 2011

O nome da música e uma foto do Willy Gonser, no México em 1970

LCA

 

Em 2011 eu cobria os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara e o Luiz Carlos Alves enviou dicas, informações, lembranças e uma ótima foto dele no México, 1970, em Guanajuato, inclusive junto com o Willy Gonser, na época na Rádio Nacional do Rio: (mais…)


Luto no esporte e na comunicação: lá se foi o grande Willy Gonser!

WILLY

Com que tristeza informo que morreu agora há pouco, no Hospital da Unimed/Santa Efigênia em Belo Horizonte, o grande ser humano e locutor esportivo Willy Gonser, aos 80 anos de idade. À família e a tantos fãs que ele deixou, os nossos sentimentos. Um grande amigo que se vai, mas como diz o Milton Nascimento, “qualquer dia amigo, a gente vai se encontrar…”.

Transcrevo texto no blog e coluna que escrevi para os jornais O Tempo e Super Notícia, de 28 de janeiro de 2013, quando contei sobre visita que fiz a ele em Alcobaça-BA, onde ele estava residindo.

* Willy Gonser: aposentado, mas bem informado do mesmo jeito

* Escrevi esta coluna em Alcobaça, Sul da Bahia, aonde vim visitar um dos grandes nomes da narração esportiva do rádio brasileiro.  Willy Fritz Gonser, curitibano que adotou Belo Horizonte e foi adotado por ela, em 1979, quando foi contratado pela Rádio Itatiaia para substituir a outro mito do nosso rádio, o saudoso Vilibaldo Alves, que tinha sido contratado a peso de ouro pela recém chegada Rádio Capital, a única emissora a ameaçar a supremacia da emissora do Januário e Emanuel Carneiro, nos últimos 30 anos.

 

Na história

O “alemão” chegou, viu, deu conta do recado, entrou para história do futebol mineiro com as suas inesquecíveis transmissões e desde dezembro de 2009, recolheu-se em Alcobaça, após resolver se aposentar. Conta que a decisão não foi voluntária, mas não guarda mágoa “de nada, nem de ninguém”, apesar da ressalva:

__Tive um problema momentâneo na voz, que com um mês de tratamento, estaria resolvido; mas a vida é assim mesmo; é preciso abrir espaço para os novos que chegam.

Não quis aceitar homenagens de despedida e afirma que nunca houve convite para ser efetivado como comentarista. “Apenas uma sondagem; nada formal; não me queriam mais.”, repete.

Livro

Além de rever o amigo, com quem aprendi muito de rádio e jornalismo, a visita ao Willy Gonser também foi em função de um projeto de livro no qual trabalho desde 2009, sobre jornalismo esportivo. Incentivado pela professora Ângela Moura, do Uni-Bh, tenho entrevistado companheiros das diversas mídias do país sobre o assunto, além de selecionar experiências pessoais que acho interessante repassar para futuros colegas e ao público.

 

Livro do Willy

 

A tarefa de escrever um livro sobre o nosso meio é maior do que eu imaginava e as quase duas horas de gravação com o Willy são uma demonstração disso: só o próprio, e suas histórias, dão uma obra dessas. Que, aliás, ele me contou, já está sendo trabalhada pelo seu filho, Guilherme, jornalista emergente da Itatiaia. Possivelmente ainda este ano estará nas livrarias.

 

Raridade

Willy Gonser é caso raro de quem fez história nos maiores centros do futebol do Brasil. Começou aos 17 anos, depois de testes, na Rádio Marumbi, de Curitiba, passando pela Rádio Gaúcha de Porto Alegre em três oportunidades; Joven-Pan, de São Paulo; Nacional e Continental do Rio, e a nossa Itatiaia.

Aos 76 anos, mesmo sem nenhuma atividade profissional, continua com a mesma característica que o marcou por toda a vida: altamente bem informado.

 

Sobre tudo

Foi ele quem me informou da tragédia das mortes na boate de Santa Maria-RS. É desses que se informa de tudo, apesar do esporte; sobretudo futebol, ser o seu foco principal. Se Nilton Santos era a “Enciclopédia”, dentro das quatro linhas, o Willy sempre foi a nossa no jornalismo. Faz lembrar meu pai, Vicente, meu mestre maior, mesmo sem nunca ter sido jornalista.

Esta visita a ele vai render muitas colunas.

 

Sequência

Impossível resumir duas horas de entrevista neste “minifúndio” de espaço, como diria Roberto Drumond, mas o Willy pensa o seguinte do nosso atual futebol: se penitencia quanto ao Ronaldinho Gaúcho: achava que o Galo tinha entrado numa fria; o Cruzeiro contratou um monte de bons jogadores, porém, precisará de uns quatro meses para começar a colher resultados; o América está certo em investir de acordo com as suas condições, e o resultado virá com o tempo.

Discorda da demissão do Mano Menezes, mas já que foi demitido, Felipão foi uma boa escolha.

Pois é! O papo foi longo e vou contando nas próximas colunas.

Meu livro, não tenho a menor ideia de quando sai; mas sairá, e avisarei aos senhores.

http://blog.chicomaia.com.br/2013/01/27/willy-gonser-aposentado-mas-bem-informado-do-mesmo-jeito/


Antes de pensar em zona da Libertadores, Atlético precisa ainda de mais 19 pontos, para se livrar de outra zona

CAAMFLU

Segundo cálculos do especialista em números Domingos Sávio Baião, 45 é o número de pontos para um clube não correr risco de rebaixamento no Brasileiro 2017. O comentarista deste blog, engenheiro Raul Otávio da Silva Pereira, cruzeirense, escreveu após a vitória da Raposa sobre o Sport: “15 pontos”. Só isso!

Desde a primeira rodada, a cada ponto conquistado pelo time, ele escreve com o número de pontos que ainda faltam para o time escapar do perigo.

Antes de falar em tentativa de classificação para a Libertadores 2018 os atleticanos deveriam fazer a mesma contagem, pois a situação é muito delicada.

Quando, aos 25 minutos do segundo tempo, vi o Fred entrando no lugar do Rafael Moura, constatei que o Micale tinha razão em deixá-lo no banco. Com uma barriga daquelas, não tem mesmo condição de atuar 90 minutos, nem começar jogando. Mas como pode um clube como o Atlético permitir que um de seus maiores investimentos nos últimos anos chegasse a esta situação? Profissional que ganha em torno de R$ 1 milhão é porque tem diferenciais em relação aos colegas. Deveria justificar o muito do dinheiro que ganha a mais. O mesmo pode se dizer do Robinho, que ficou no banco o tempo todo e nada acrescentou, quando foi utilizado nessa derrota para o Fluminense. Ganha quase igual ao Fred.

É claro que isso está errado e a culpa é de quem comanda todo o circo. Só o treinador não dá conta de cobrar dedicação dos jogadores. É desgastante demais. Daí a importância de um diretor de futebol, competente, voz forte e presente no dia a dia do clube. O Galo não teve esta figura nos últimos dois anos, com a enfermidade do Eduardo Maluf e enfrenta as consequências.

Estes 2 a 1 do Fluminense foram uma reprise de outras tantas partidas em que o time atua até bem, mas perde. Típico de situações em que a casa está desarrumada, proporcionando as mesmas desculpas e conversas fiadas de pós-jogo, como o dessa noite chuvosa do Maracanã. Com desculpas, tipo “placar injusto”, precisamos continuar trabalhando, “azar”, “Deus não quis dessa vez”, e por aí vai.

Valdívia melhorou muito o time, ao ser escalado no segundo tempo, no lugar do Roger Bernardo, que deveria ter ido embora junto com o mentor, Roger Machado. Aliás, nem deveria ter vindo.

Luan atuou os 90 minutos com a disposição de sempre. Victor fez quatro grandes defesas no primeiro tempo, mas falhou no primeiro gol tricolor. Bola em escanteio daquele jeito é do goleiro e fim de papo. Errou no posicionamento e facilitou para o Henrique Dourado cabecear.

Micale deveria falar menos, não tentar explicar tanto o inexplicável, porque está se desmoralizando com este discurso vazio. Com o jogo desta noite foram sete jogos, quatro derrotas, duas vitórias e um empate. Duas eliminações consecutivas: Copa do Brasil e Libertadores. Cinco gols marcados, nove sofridos.


Com gols e jogando bem, ninguém vai se lembrar do que o Sassa apronta fora de campo

SASSA

Se continuar jogando e marcando gols como vem fazendo nestes primeiros jogos, Sassá entrará para a história como um grande nome do Cruzeiro. No sábado ele foi acusado de agressão por um torcedor em boate da capital, que estaria tirando foto dele com um celular. Hoje, ele entrou contra o Sport e foi um dos responsáveis pelo fim da invencibibilidate do líder do brasileiro. Com foi muito bem, ninguém vai conseguir tirar proveito dos filmes dele.

Do O Tempo:

* “Cruzeiro vence Sport em último jogo antes da decisão na Copa do Brasil”

Thiago Prata

Sassá voltou a marcar e comandou a vitória celeste por 2 a 0 no Brasileiro

Polêmico, folclórico, goleador. Esse é Sassá, pivô de atritos fora de campo, autor de frases emblemáticas nas entrevistas e matador dentro das quatro linhas. Se na madrugada de sábado o atacante se envolveu numa confusão numa boate, na tarde deste domingo o camisa 99 voltou a estufar as redes, comandando a vitória do Cruzeiro sobre o Sport, por 2 a 0, no Brasileirão. Quando deixou o gramado, foi aplaudido. E “passou” seu faro de gol para o substituto Raniel, que fechou o placar. O resultado colocou o clube no sexto lugar do torneio, com 30 pontos.

Com o tento anotado em cima do Leão, o avante tornou-se o artilheiro da equipe celeste na competição nacional, ao lado de Thiago Neves, cada um deles com seis gols. Considerando as últimas quatro partidas da equipe na Série A, foram quatro gols, um por duelo. Nada mal, não é? (mais…)


Encarada do Wagner Mancini no repórter sem noção foi tão importante quanto o fim da invencibilidade do Corinthians

mancini

Jogos de futebol são ganhos, empatados e perdidos, mas perguntas e condutas de jornalistas e perguntadores quase sempre passam batidas. A não ser quando alguém de coragem, argumentos e bom de verve reage e põe as coisas nos devidos lugares, como fez o técnico do Vitória, Wagner Mancini na coletiva depois do 1 a 0 do time dele no líder do campeonato. Tomara que este episódio não caia no esquecimento geral, como bem observou o comentarista do do blog, Luiz Ibirité:

http://sportv.globo.com/futebol-nacional/videos/v/vagner-mancini-discute-com-jornalista-apos-triunfo-do-vitoria-contra-o-corinthians/6091116/?utm_source=whatsapp&utm_medium=share-bar-desktop&utm_campaign=share-bar

ou

 


América: ganha é líder, perde é líder, empata é líder!!!

TRUMP

A frase é do comunicador multimídia Thiago Reis “Seu Nome Seu Bairro”, da Itatiaia.

😁😁😁🐰🐰👍🏽👍🏽👍🏽👍🏽👍🏽

Criativa e verdadeira, inclusive com a foto do presidente norte americano. Foi twittada por ele  @thiagoreisbh

Concordei e retwittei o seguinte:

“E diferente do Trump todo mundo é bem vindo, né Thiagão!!! Até ele!,”


Na mentira do “país do futebol”, mais um veículo especializado em esportes luta pela sobrevivência

LANCEGRAFICO

Circulação média diária do jornal Lance, junho-2016 a junho-2017

Dizem que a expressão dizendo que o Brasil é o país do futebol foi criada no Rio, lá pelos anos 1940/50, no afã dos radialistas, jornalistas da época, motivarem as transmissões, incentivarem as pessoas a ir aos estádios e obviamente vender muitos anúncios e exemplares.

A ideia era até boa, coerente, mas os interesses inconfessáveis de tantos dirigentes e políticos pelo caminho, nunca deixaram o futebol brasileiro deslanchar e chegar a patamares de organização, e por consequência dinheiro, da Europa, por exemplo. A partir da década de 1980 começou a avalanche de vendas dos nossos principais jogadores para os clubes de lá: Falcão e Cerezo para a Roma; Careca para o Nápoli e Zico para o modesto Udinese, também da Itália, puxaram a fila.

O futebol deles foi se refinando, atraindo gente, milhões, bilhões, até ganhar todo o planeta, através de marketing bem feito. Camisas de clubes europeus tomam conta do mundo inteiro, têm escolinhas, que além de render grana, costumam render bons jogadores e tudo funciona. A mídia foi fundamental neste processo e os clubes souberam usá-la. Hoje, muitos, têm seus próprios canais de TVs, rádios, revistas e portais de internet que dão lucro.

Nós, paramos no tempo. De vez em quando damos uma regredida.

Já tivemos ótimas publicações especializadas: Manchete Esportiva, Jornal dos Sports, Jornal da Tarde, Gazeta Esportiva, Placar e outras de cunho mais regional. Nas rádios e TVs, programas que ficaram famosos, duravam horas e tinham grande audiência. Locais e nacionais. Tudo foi se acabando, por falta de investimentos dos próprios veículos, dos anunciantes e principalmente pela desorganização e corrupção da estrutura do futebol. Nos clubes, federações e CBF, sempre rolo, sempre muita gente ganhando fortunas ilicitamente.

Com a diversificação da mídia, criação de novos atrativos para jovens e idosos, além do descrédito do futebol dentro e fora de campo, os grandes anunciantes foram migrando, buscando outros mercados, e continuam.

A última grande novidade da mídia esportiva foi o jornal Lance, investimento ousado, de sonhadores que ainda acreditavam na força do futebol como produto comercial. Pois, lamentavelmente está passando apuros, conforme reportagem do jornal especializado em mídia, Meio & Mensagem:

* “Jornal Lance entra em recuperação judicial”

A Areté Editorial e suas empresas parceiras deram entrada em pedido “como forma de garantir a continuidade dos negócios”

A Areté Editorial S.A., Lance Imobiliária Ltda. e Lance Mídia Digital Ltda., responsáveis pelo jornal Lance e suas propriedades digitais, enviaram comunicado anunciando recuperação judicial do grupo. Segundo nota, a medida visa permitir planejamento e reorganização focando na continuidade das publicações. “O objetivo da medida é o ordenamento e adequação dos fluxos financeiros de pagamento de passivos”, diz o texto, citando a crise do mercado jornalístico e a recessão econômica brasileira como motivos da queda nos negócios do Lance. “Importante medidas internas já foram realizadas, como severo ajuste de custos gerais e despesas buscando uma operação superavitária”, continua.

Segundo números do Instituto Verificador de Comunicação (IVC), o Lance teve queda de 22,8% em sua circulação paga no período de um ano, comparando junho de 2016 com junho de 2017 — uma das métricas utilizadas para pautar investimento publicitário. Essa conta soma dados de venda avulsa, assinaturas de impresso e de digital, sendo que a marca decresceu em circulação nos três quesitos. Veja abaixo gráfico mostrando a curva do jornal no decorrer do ano:

http://www.meioemensagem.com.br/home/ultimas-noticias/2017/08/15/jornal-lance-entra-em-recuperacao-judicial.html


Impressionante como Ronaldinho Gaúcho continua dando retorno ao Atlético

ronaldinho

Uma sintonia perfeita, que foi dentro e agora fora de campo, com a torcida, diretoria, jogadores e funcionários. Coisa rara entre clubes e atletas nas últimas décadas, depois que futebol se tornou puro negócio. Essa história do argentino Dybala, postando pedido de autógrafo dele na camisa do Galo mostra um pouco disso, divulgada em boa parte da imprensa mundial. O Atlético precisa tirar mais proveito desse relações públicas informal, que em momento algum deixa de elogiar tudo e todos do Galo e Belo Horizonte, quando perguntado, em todas as entrevistas que concede.

MIGUELINA

Um dos motivos desse carinho do R10, foi a cena inesquecível no Independência, das faixas de apoio à mãe dele, D. Miguelina, que se tratava de um câncer.

ronaldinhoemae

Depois, em agradecimento, ela entrou em campo com ele, no primeiro Dia das Mães posterior. Há coisas na vida que dinheiro nenhum do mundo paga.

Aqui, reproduções da Placar e do portal Terra.com.br, do simpático pedido do Dybala:

* “Destaque da Juventus e na mira de grandes clubes europeus, o atacante argentino Paulo Dybala revelou ser fã do brasileiro Ronaldinho Gáucho com um pedido inusitado em seu Instagram. O jogador publicou uma foto de uma camisa 10 do Atlético-MG e pediu autógrafo ao ex-camisa 10 da seleção brasileira.

Dybala era jogador do Palermo, da Itália, quando Ronaldinho Gaúcho conquistou a Copa Libertadores de 2013 pelo Atlético-MG. Dybala não deu pistas sobre como conseguiu o uniforme do Galo.”

 * “Dybala pede autógrafo de Ronaldinho em camisa do Atlético-MG”

No Stories do Instagram, o jogador da Juventus compartilhou a foto de uma camisa do Galo com o nome do craque brasileiro e pediu a assinatura

Fã declarado de Ronaldinho Gaúcho, o atacante da Juventus, Paulo Dybala compartilhou no Stories do Instagram, nesta quarta-feira, uma foto de uma camisa 10 do Atlético-MG, com o nome do craque brasileiro, pedindo-lhe um autógrafo.

― Ronaldinho, pode assinar? ― escreveu o atacante argentino.

Dybala já havia declarado ser fã de Ronaldinho Gaúcho. Em entrevista à revista da UEFA, o jogador contou que a única camisa que gostaria de ter era a de craque brasileiro:

― A única camisa que eu queria ter era a de Ronaldinho. Uma vez, o Gennaro Gattuso me prometeu que iria ligar pedindo uma camisa para mim, mas não aconteceu. ― contou Dybala ― Na adolescência, o Ronaldinho era um dos meus jogadores preferidos e a imagem que ficou dele é que é possível se divertir e jogar com um sorriso no rosto. ― confessou o atacante.

DYBALA

https://www.terra.com.br/esportes/lance/dybala-pede-autografo-de-ronaldinho-gaucho-em-camisa-do-atletico-mg,07c755d430ed1f045a83de79bc0238b0fi5xu7yf.html


Página 5 de 1.001« Primeira...34567...102030...Última »