Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Elenco: a bola da vez, de novo

O jornalista Marcelo Machado escreveu e concordo com ele:

“ Como já foi dito aqui e quase em todos os outros lugares, “é preciso ter elenco para brigar no campeonato brasileiro”. A frase já cansou você leitor, eu sei. Mas por falar em elenco, o do Cruzeiro sempre tão elogiado – e com razão – deu mostras de fraqueza contra o Botafogo.

Com os vetos a Wellington Paulista e Kléber, Adilson não tinha a disposição nenhum atacante de área e teve que escalar Guerrón e Thiago Ribeiro. No segundo tempo, Jancarlos (bom reserva para Jonathan) cansou devido ao fato de estar voltando de contusão. Adilson não tinha um terceiro lateral para colocar em campo. Marquinhos foi deslocado, enfraquecendo o meio. Gilberto, também sem ritmo, saiu extenuado. Entrou Vinicius, zagueiro. Dudu está com a seleção sub-17 e Bernardo mal fisicamente.

Sinal que o Cruzeiro não tem elenco? Não. Sinal que é impossível prever tantos atropelos nas mesmas posições. A sequência do Cruzeiro, após o Vitória, conta com São Paulo, Inter, Palmeiras, Barueri, Avaí, Goiás e Atlético-MG, todos que brigam na parte de cima da tabela.

Para chegar à Libertadores o time de Adilson precisa ganhar todos os pontos fáceis (como teoricamente seria os do jogo contra o Botafogo) e ainda vários difíceis. Depois do clássico mineiro ainda faltarão nove rodadas para o fim do campeonato. Como são confrontos diretos, ou a Raposa estará na briga de vez, ou poderá pensar efetivamente em 2010 a partir de outubro. Ou seja, pensar no elenco.”

 Leia mais em www.blogdemarcelomachado.blogspot.com


Atentado à liberdade de expressão

Preste atenção no e-mail que recebi do Marcus Vinicius Bragaglia de Montenegro, torcedor do América, porque trata-se de agressão à liberdade de expressão:

“ Prezado Chico Maia,

Fiquei um pouco afastado da internet, mas tomo a liberdade de levar ao seu conhecimento, um fato acontecido com a torcida americana no jogo em que alcançamos finalmente o nosso objetivo de voltarmos a série B do brasileiro.

Temos um grupo de torcedores, que sempre acompanha o América nos seus jogos no independência e fora de BH e somos conhecidos como os 300 espartanos.. Tal referência se deve ao fato de termos constantemente de lutar contra a torcida adversária, mídia, polícia e nessa batalha desproporcional, sempre ficamos com nosso orgulho elevado, porque temos argumentos e fazemos com que cada 1 de nós valha por 1.000 dos adversários.

Voltando ao fato desagradável, acontecido no independência, informo o seguinte.

Temos, entre várias bandeiras feitas pelo nossa torcida, uma em especial, que pertence ao nosso grande colecionador Marinho, que tem as cores do América e da bandeira da palestina. Essa bandeira traduz o sentimento de uma torcida que sempre foi menosprezada e que mesmo sendo considerada minoria, luta com todas as forças para mostrar que está viva e que merece um lugar ao sol, principalmente na mídia que faz questão na sua maioria de nos ignorar.

Na último jogo no independência, fomos surpreendidos por policiais, que sem mais ou menos começaram a retirar a bandeira que estava no alambrado. O Nosso colega Ramon, foi ver o que estava acontecendo e quase acabou preso, por tentar impedir aquele ato autoritário do policial.

Ficamos sabendo que o motivo da retirada da bandeira se deveu a solicitação de uma família de origem judia que estava no independência e se sentiu ofendida pelo fato de ter uma bandeira com as cores americanas e palestinas no estádio.

Será que além dos fato de termos que aguentar notícias inverídicas, humilhações, falta de respeito por parte da grande mídia esportiva, ainda teremos que aguentar este tipo de preconceito?

Ressalvo que quando falo da falta de notícias da mídia, não incluo o seu nome, porque voce é um dos poucos que ainda respeita o América e que coloca o seu e-mail  e a sua coluna para divulgar nossas reclamações e ou sugestões.

Só queria desabafar pelo fato acontecido e dizer que é um absurdo este tipo de postura por parte da polícia, porque se assim fosse, as torcidas de atlético e cruzeiro teriam que ser proibidas de entrar com suas bandeiras de louvor a guerrilheiros e outras personalidades e com as organizadas

Espero realmente que a partir de agora, a mídia possa dar um tempo maior para a divulgação do nosso querido time, porque isso ira beneficiar e muito o futebol mineiro.

Atenciosamente

Marcus Vinicius Bragaglia de Montenegro “

RESPONDI AO MARCUS:

Alô Marcus,

isso é um absurdo, um atentado à liberdade de expressão e não entendo porque só agora você está denunciando esse abuso policial.

Vocês fizeram uma denúncia formal? A polícia errou feio nessa. Árabes e judeus sempre conviveram bem no Brasil, principalmente em Belo Horizonte, e ninguém tem o direito de tentar trazer desavenças para cá, ainda mais em um estádio de futebol, dos poucos lugares onde todos são iguais, sem distinção de cor, raça, credo religioso, poder, e tudo o mais.

Quanto ao pouco espaço dedicado pela imprensa ao América, fico com a frase do ex-presidente Magnus Lívio de Carvalho, quando ele assumia a presidência do clube: “O América vai conquistar o seu espaço na mídia à medida que fizer por merecer, dentro de campo”. Assim foi feito. O Coelho voltou à Série A, mas lamentavelmente caiu, para a B, para a C e até para a segunda divisão mineira. Pagou o preço que tinha de pagar e está recuperando o espaço perdido, dentro de campo, como tem que ser. É a lei natural das coisas.


Gilberto, de novo

Gilberto continua preciso em seus cruzamentos para a área adversária, com a bola em movimento, como foi contra o Náutico, ou parada, como no gol de empate esta noite contra o Botafogo no Engenhão. Pôs a bola na cabeça do Tiago Ribeiro.

Depois do jogo o técnico Adilson Batista não conseguiu dar entrevista. Estava completamente rouco, de tanto gritar.


Com a palavra, o leitor

” Chicao,
Quem diz que o Kleber prende o time não conhece futebol. Kleber teve queda de rendimento em funcao de alguns problemas fisicos que so passam com repouso e vai TINIR em setembro…. Pode apostar nisto.
E setembro eh o mes importante no Brasileiro pois enfrentaremos outros postulantes ao titulo.
O classico será de novo um divisor de aguas… E o Kleber vai jogar.
Nossas chances aumentam muito.
Kleber ficando faz nosso time ficar tao forte quanto antes.
Wellington Paulista eh um bom definidor e agora tera o Guerron para lhe cruzar bolas. E o gringo tem uma velocidade CAVALAR… Coisa de Louco…
O Cruzeiro vai melhorar o rendimento.
E como eu te falei CELSO ROTH vai se render ao 3-5-2 e o time vai piorar… Não gosto do sistema … A conferir.
E o Cacapa vem para a Toca… Como ele esta com 33 anos eu não sei, mas, pelo menos incorpora experiencia.”
A conferir volume 2.
Um abraco – JDuarte


Com a palavra, o telespectador!

” Bom dia, prezado Chico!

   Uma das melhores profissões que existe no mundo atual é a de comentarista de futebol. E pode ser do próprio futebol em si ou mesmo específico de arbitragem. Como estas pessoas ganham bem para falarem bobagens sem preocupação nenhuma com nada. Usam toda a tecnologia para formar opiniões, mas ainda assim conseguem falar muita bobagem.
   Na transmissão ontem pela TV, o comentarista de arbitragem já estava dizendo que o árbitro era fraco. Aí na expulsão do Iarley ele já foi logo dizendo que o árbitro se precipitou. Mas quando viu a repetição do lance, percebendo que o Iarley havia levantado o pé para atingir diretamente ao jogador do Galo, ele não teve a coragem de assumir que o engano foi dele e disse que era lance para amarelo só.
   E os comentaristas de futebol então?! Na hora do pênalti, o Pedro Oldoni pegou a bola para cobrar e ninguém falou nada. Quando ele perdeu, aí vem o comentarista falar: “quem tinha que cobrar era o Renan Oliveira…”. E na hora do pênalti para o Goiás, após o Felipe marcar, vem ele dizer: “aí, quem tem que cobrar é o cobrador oficial, muito simples…”. Antes não se fala nada. Depois, fica tudo óbvio!
   Sobre pênalti, tem gente que adora outra fase batida do futebol: “esse aí só faz gol de pênalti”. Estes, chegaram até a falar que o Tardelli era o artilheiro do ano porque tinha feito metade dos gols em cobranças de pênaltis. Mas sem ele, nós já desperdiçamos duas cobranças que poderiam ter nos dado a liderança do Brasileirão e a classificação para a próxima fase da Sulamericana. Pênalti é fundamento e o gol oriundo de uma cobrança é legítimo (na maioria das vezes). Acerta quem trabalha este fundamento. ”

Atenciosamente,
Renato César
Visite meu blog:
http://rcgalo.blogspot.com/


Não se pode errar tanto

Um pênalti é importante demais numa partida de futebol e o Atlético está abusando em perder oportunidades como essa. Considero como única deficiência do trabalho do técnico Celso Roth a falta de melhor aproveitamento dos seus jogadores nesse tipo de lance, que muitos gostam de chamar de “detalhe”. Coisa nenhuma de detalhe, pois é fundamental, decisivo.

Todos os jogadores, inclusive os goleiros, deveriam treinar cobranças de penalidades, todos os dias.

Os maiores treinadores da história se destacavam, também, pelo alto rendimento de seus times em cobranças, de falta, pênaltis e córner.

Principalmente quando não se tem craques que resolvam jogos na base da genialidade pessoal.

Ontem, contra o Goiás, o misto do Atlético poderia ter vencido e bem, se o Pedro Oldoni não tivesse perdido o pênalti, no início da partida, quando o adversário acabava de ter um jogador expulso.


Kléber fica, mas…

Diz o pontenovense Tunai, em sua música “As aparências enganam” que “o amor e o ódio se irmanam nas geleiras das paixões”. Acredito que é no futebol que essa frase mais se aplica com toda a sua intensidade. Os torcedores amam apaixonadamente o jogador que veste a camisa do seu time mas, diante da menor possibilidade de “separação”, o sentimento começa a passar pelo desprezo, chegando ao ódio, dependendo do desfecho do caso.

Foi só o Porto anunciar que o Kléber poderia estar a caminho de ir para lá que muitos cruzeirenses passaram a desdenhá-lo e fazer críticas, tipo: “sem ele o time joga mais solto; Wellington Paulista é mais acionado quando ele não joga; falhou quando mais precisamos dele”. Até chegar no infalível: “já vai tarde”. É o futebol!

Enfrentei essa mudança de humor quando o Tucho passou pelo Atlético, de forma inversa. Revelação do América, fracassou no Galo. Fui dos primeiros a chamá-lo de “foguete molhado”. Mas, escalado contra o Cruzeiro, marcou dois gols e foi o melhor em campo. Ouvi todo tipo de desaforo, ainda na tribuna de imprensa do Mineirão.

Porém, aquele tinha sido o “canto do cisne” dele. Nunca repetiu atuação semelhante e pouco tempo depois foi emprestado, até acabar o contrato.

Gulosos

Belo Horizonte bate cabeça para resolver o problema dos estádios para nossos clubes jogarem em 2010, e vê o sonho do metrô para a Copa de 2014, bater asas. Mas ontem já houve reunião com uma turma do COB para tratar das Olimpíadas de 2016, que ninguém sabe se será no Brasil, EUA, Japão ou Espanha. O mesmo COB que ainda não fechou as contas dos Jogos Rio’2007.

De molho

O Atlético emprestou o zagueiro Marcos, de graça, ao Fortaleza, que luta contra o rebaixamento para a Série C, e ainda pagaria metade do salário do jogador, que ganha R$ 60 mil. Mas o ex-capitão alegou que as dores nas costas voltaram a incomodá-lo e preferiu permanecer em Belo Horizonte. Fora dos planos do Galo.

Estas e outras notas estarão em minha coluna de amanhã no jornal O Tempo, nas bancas!


Pergunta e resposta

Recebi a seguinte pergunta do Marco Túlio Nascimento Chagas:

“Olá Chico!

Vi no seu bloq que havia enviado para o Cruzeiro um email sobre a transferência de Ronaldo “fenômeno” teria ocorrido apenas em janeiro deste ano.

Eles responderam?

Um abraço.

Marco Túlio N. Chagas”

Respondi a ele: “Responderam que vão ver o que aconteceu e retornarão depois.”

Então, continuemos aguardado!


Cruzeiro x Botafogo

CRUZEIRO X BOTAFOGO

 

RESUMO ESTATÍSTICO

TOTAL DE JOGOS: 70
Vitórias do Cruzeiro: 29

Empates: 23

Vitórias do Botafogo: 18

 

TOTAL DE GOLS: 188

Gols do Cruzeiro: 103
Gols do Botafogo: 85

 

 

CAMPEONATO BRASILEIRO

Cruzeiro e Botafogo se enfrentaram 42 vezes pelo Campeonato Brasileiro. Foram 17 vitórias do Cruzeiro, 13 empates e 12 vitórias do Botafogo. O ataque cruzeirense marcou 65 gols e a defesa sofreu 52.

Primeiro confronto pelo Campeonato Brasileiro:

14/11/1971 – Empate 2 a 2 (no Maracanã, no Rio de Janeiro)

Recordes do Campeonato Brasileiro

– Maior número de pontos ganhos (100) – Brasileirão 2003

– Maior número de vitórias (31) – Brasileirão 2003

 

 

PRIMEIRO JOGO

15/11/1936 – Empate 3 a 3 (amistoso em Belo Horizonte)

 

 

ÚLTIMO JOGO

20/8/2008 – Botafogo 1 a 0 (no Engenhão, no Rio de Janeiro, Campeonato Brasileiro)

 

 

MAIOR RESULTADO

13/9/2000 – Cruzeiro 4 a 0 (em Ipatinga-MG, pelo Campeonato Brasileiro)

 

O CONFRONTO NO RIO DE JANEIRO

Foram 16 confrontos no Rio de Janeiro com três vitórias do Cruzeiro, seis empates e sete derrotas. O ataque cruzeirense marcou 18 gols e a defesa sofreu 22.

Primeiro confronto no Rio de Janeiro:

27/8/1969 – Empate 1 a 1 (no Maracanã, pela semifinal da Taça Brasil, gols de Palhinha para o Cruzeiro e Roberto para o Botafogo)

CRUZEIRO X BOTAFOGO

RELAÇÃO DETALHADA DO CONFRONTO

 

JOGO

GP

X

GC

MOTIVO

DIA

MÊS

ANO

LOCAL

CIDADE

1

3

x

3

Amistoso

15

Nov

1936

Barro Preto

Belo Horizonte

2

4

x

3

Amistoso

15

Set

1940

Barro Preto

Belo Horizonte

3

1

x

1

Amistoso

1

Jul

1945

Barro Preto

Belo Horizonte

4

1

x

1

Amistoso

4

Jul

1945

Barro Preto

Belo Horizonte

5

0

x

3

Amistoso

26

Jan

1947

Barro Preto

Belo Horizonte

6

2

x

1

Amistoso

17

Mar

1948

Barro Preto

Belo Horizonte

7

2

x

1

Amistoso

2

Fev

1957

Barro Preto

Belo Horizonte

8

0

x

3

Amistoso

26

Jun

1960

Independência

Belo Horizonte

9

2

x

1

Taça de Prata

14

Mai

1967

Mineirão

Belo Horizonte

10

0

x

0

Amistoso

23

Jun

1968

Mineirão

Belo Horizonte

11

1

x

1

Taça de Prata

15

Nov

1968

Mineirão

Belo Horizonte

12

0

x

1

Taça Brasil

23

Ago

1969

Mineirão

Belo Horizonte

13

1

x

1

Taça Brasil

27

Ago

1969

Maracanã

Rio de Janeiro

14

0

x

1

Taça de Prata

14

Set

1969

Mineirão

Belo Horizonte

15

2

x

2

Taça de Prata

30

Nov

1969

Maracanã

Rio de Janeiro

16

1

x

0

Taça de Prata

23

Set

1970

Mineirão

Belo Horizonte

17

1

x

0

Amistoso

28

Out

1970

Rei Pelé

Maceió

18

3

x

0

Amistoso

12

Mai

1971

Mineirão

Belo Horizonte

19

2

x

2

Campeonato Brasileiro

14

Nov

1971

Maracanã

Rio de Janeiro

20

1

x

1

Campeonato Brasileiro

1

Nov

1972

Maracanã

Rio de Janeiro

21

1

x

2

Campeonato Brasileiro

24

Out

1973

Maracanã

Rio de Janeiro

22

2

x

1

Campeonato Brasileiro

13

Dez

1973

Mineirão

Belo Horizonte

23

1

x

1

Campeonato Brasileiro

23

Jan

1974

Mineirão

Belo Horizonte

24

2

x

0

Campeonato Brasileiro

31

Ago

1975

Maracanã

Rio de Janeiro

25

2

x

0

Campeonato Brasileiro

26

Nov

1975

Mineirão

Belo Horizonte

26

0

x

0

Campeonato Brasileiro

4

Set

1976

Mineirão

Belo Horizonte

27

0

x

3

Campeonato Brasileiro

19

Fev

1978

Mineirão

Belo Horizonte

28

2

x

1

Campeonato Brasileiro

23

Mar

1980

Mineirão

Belo Horizonte

29

0

x

1

Amistoso

12

Ago

1981

Mineirão

Belo Horizonte

30

0

x

0

Torneio Heleno Nunes

22

Abr

1984

Mineirão

Belo Horizonte

31

3

x

1

Campeonato Brasileiro

28

Fev

1985

Maracanã

Rio de Janeiro

32

3

x

0

Campeonato Brasileiro

7

Abr

1985

Mineirão

Belo Horizonte

33

1

x

3

Amistoso

20

Ago

1987

Mineirão

Belo Horizonte

34

1

x

1

Campeonato Brasileiro

27

Set

1987

Mineirão

Belo Horizonte

35

1

x

1

Campeonato Brasileiro

4

Dez

1988

Caio Martins

Niterói

36

2

x

1

Campeonato Brasileiro

28

Out

1989

Maracanã

Rio de Janeiro

37

1

x

0

Campeonato Brasileiro

19

Ago

1990

Mineirão

Belo Horizonte

38

2

x

3

Campeonato Brasileiro

1

Abr

1991

Caio Martins

Niterói

39

1

x

1

Campeonato Brasileiro

9

Mar

1992

Mineirão

Belo Horizonte

40

1

x

2

Campeonato Brasileiro

6

Jun

1992

Maracanã

Rio de Janeiro

41

1

x

2

Campeonato Brasileiro

4

Jul

1992

Municipal

Juiz de Fora

 RELAÇÃO DETALHADA DO CONFRONTO

 

JOGO

GP

X

GC

MOTIVO

DIA

MÊS

ANO

LOCAL

CIDADE

42

2

x

1

Amistoso

3

Set

1992

Mineirão

Belo Horizonte

43

3

x

0

Campeonato Brasileiro

9

Out

1993

Mineirão

Belo Horizonte

44

1

x

0

Campeonato Brasileiro

17

Out

1993

Caio Martins

Niterói

45

1

x

1

Amistoso

7

Ago

1994

Mineirão

Belo Horizonte

46

1

x

0

Amistoso

6

Ago

1995

Independência

Belo Horizonte

47

5

x

3

Campeonato Brasileiro

1

Out

1995

Mineirão

Belo Horizonte

48

1

x

1

Campeonato Brasileiro

7

Dez

1995

Mineirão

Belo Horizonte

49

0

x

0

Campeonato Brasileiro

10

Dez

1995

Maracanã

Rio de Janeiro

50

0

x

0

Campeonato Brasileiro

10

Nov

1996

Leonardo Nogueira

Mossoró

51

2

x

3

Campeonato Brasileiro

1

Nov

1997

Mineirão

Belo Horizonte

52

2

x

1

Amistoso

19

Jul

1998

Municipal

Pouso Alegre

53

1

x

1

Campeonato Brasileiro

23

Ago

1998

Caio Martins

Niterói

54

4

x

1

Campeonato Brasileiro

28

Jul

1999

Mineirão

Belo Horizonte

55

3

x

2

Copa do Brasil

15

Jun

2000

Mineirão

Belo Horizonte

56

0

x

0

Copa do Brasil

22

Jun

2000

Maracanã

Rio de Janeiro

57

4

x

0

Campeonato Brasileiro

13

Set

2000

Mendes Brito

Ipatinga

58

0

x

3

Campeonato Brasileiro

28

Out

2001

Serejão

Taguatinga

59

0

x

0

Campeonato Brasileiro

18

Ago

2002

Mineirão

Belo Horizonte

60

3

x

2

Campeonato Brasileiro

17

Jul

2004

Mineirão

Belo Horizonte

61

1

x

2

Campeonato Brasileiro

30

Out

2004

Caio Martins

Rio de Janeiro

62

4

x

1

Amistoso

10

Ago

2005

Mineirão

Belo Horizonte

63

2

x

2

Campeonato Brasileiro

12

Out

2005

Mineirão

Belo Horizonte

64

1

x

2

Campeonato Brasileiro

20

Nov

2005

Arena Petrobrás

Rio de Janeiro

65

0

x

1

Campeonato Brasileiro

23

Ago

2006

Maracanã

Rio de Janeiro

66

3

x

1

Campeonato Brasileiro

3

Dez

2006

Mineirão

Belo Horizonte

67

3

x

2

Campeonato Brasileiro

29

Jul

2007

Mineirão

Belo Horizonte

68

1

x

4

Campeonato Brasileiro

1

Nov

2007

Engenhão

Rio de Janeiro

69

1

x

0

Campeonato Brasileiro

17

Mai

2008

Mineirão

Belo Horizonte

70

0

x

1

Campeonato Brasileiro

20

Ago

2008

Engenhão

Rio de Janeiro

Fonte: Assessoria de imprensa do Cruzeiro


Com a palavra um torcedor radical

Boa Tarde !

Saiu no twitter do Emerson Romano da Itatiaia que o Galo estaria interessado no EDU DRACENA, ex-Cruzeiro.

Eu como atleticano que sou, e representando a grande maioria da massa, digo que:

MIL VEZES NÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃO !!!

Esse sujeito nunca teve respeito pela camisa do Atlético.

Sempre desrespeitou a instituição CLUBE ATLÉTICO MINEIRO, principalmente na final do campeonato mineiro de 2006, quando ele disse que o Atlético “estava no lugar que merecia”, e que “era clube de 2ª divisão”.

Dracena no Galo seria trair os nossos princípios.

Edu Dracena JAMAIS !!!!

Um Abraço,

William Renato

B. Céu Azul – BH – MG


Página 975 de 1.025« Primeira...102030...973974975976977...9809901.000...Última »