Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

A bandeira do América

Vale a pena ler a história da presença da bandeira do América no jogo Brasil 3 x 0 Itália. Os autores da façanha foram o Renato Horta e a esposa Ivone. Ele, conselheiro americano, nos escreveu, contando detalhes da história: ” Fui com minha mulher Ivone que também torce para o América e tivemos o imenso prazer de colocar a bandeira do América e assistir ao jogo Brasil x Itália em Pretória. Ficamos sensibilizados com a repercursão que a bandeira e a camisa do grande América fizeram naquele estádio.Sem querer exagerar, mais de cem pessoas, entre repórteres, fotógrafos e torcedores de todo o mundo passavam, fotografavam e comentavam sobre a beleza da camisa e da bandeira. Colocamos a bandeira uns 40 minutos antes do início do jogo e logo que começou os seguranças da FIFA “pediram” que a gente a retirasse. Tentamos saber o porquê daquele “pedido” e não obtivemos nenhuma resposta convincente. Suportamos a pressão até 15 minutos ( e não 07 como você noticiou ) e quando não teve mais jeito, tivemos que retirá-la. Chico, poder assistir à um jogo Brasil X Itália ao vivo em Pretória é muito bom! Assistir à este mesmo jogo, com uma vitória de 3 x 0 para o Brasil é ótimo! Assistir a este mesmo jogo, com uma vitória de 3 x 0 para o Brasil, com a bandeira e a camisa do América, isto não tem preço.  Um grande abraço e parabéns pela brilhante cobertura sobre a Africa e a Copa.”

Renato Horta

Violência no futebol

Marcos Henrique dos Santos enviou o seguinte comentário ao blog:
“Chico, tenho uma modesta opinião sobre violência no futebol (aquela violência entre pseudo “torcedores”, que muitas das vezes resultam em mortes): alguns torcedores mais experientes, ensinam seus filhos à odiarem o “inimigo”, em vez de respeitarem o adversário. Já presenciei pais ensinarem seus filhos à desrespeitarem torcida, hino, escudo, cores adversárias… Isso faz com que nossas inocentes crianças cresçam odiando literalmente o outro time, que prá eles representa o mal, o inimigo.

Conclamo aos torcedores adultos que doravante eduquem as crianças à conviverem com as diferenças, que aceitem os torcedores do outro time como “adversários”, que respeitem as demais pessoas. TODOS os clubes de futebol (disse “TODOS”, sem exceção) são importantes e valiosos para seus torcedores (seja “criado” sob as frondosas árvores do parque de BH, seja criado por italianos e seus descendentes, seja criado à época para a elite, seja criado por portugueses, etc…).

Não somos obrigados a compartilhar o mesmo gosto, porém, somos OBRIGADOS a aceitar as diferenças. Não tem necessidade de baixarmos o nível, afinal, presume-se que o homem é dotado de inteligência. PAZ NO FUTEBOL E NOS DEMAIS ESPORTES, RESPEITO ENTRE TODOS JÁ…”


26 bilhões, de novo!

O senhor Marden da Mota Couto escreveu ao blog: “Segundo dados do Instituto Nacional de Estudos Demográficos (Ined) – da França – em 2005 – o planeta Terra tinha 6,477 bilhões de habitantes.
Então é impossivel que 26 bilhões assistam a Copa em 2010, mas pode ser que sejam mais de 26 milhões.”

Explicarei de novo: são realmente 26 milhões de telespectadores, de acordo com os dados oficiais da FIFA. E ela esclarece que essa audiência é durante todo o mês de realização da Copa do Mundo, de todos os jogos. Cada pessoa assiste vários jogos e isso possibilita sim esse número fantástico de telespectadores. Aliás, é graças a essa audiência que a FIFA fatura bilhões de dólares dos seus patrocinadores, que não pagariam a fortuna que pagam, caso esses dados não fossem confirmados por eles mesmos.


Frio

Faltando pouco mais de uma hora para começar Brasil e África do Sul a temperatura beira zero grau aqui no estádio Ellias Park, em Joanesburgo.  Na sala de imprensa todo mundo muito bem agasalhado, se preparando para encarar o vento gelado que sopra lá na tribuna, onde nós ficamos.

Todos na expectativa, já que a vitória dos Estados Unidos ontem sobre a Espanha surpreendeu até ao mais otimista dos norte-americanos. Entendo que isso foi positivo para o time do Dunga, que vai entrar comendo a bola. A turma do Joel Santana está motivada pelo apoio pessoal que recebeu ontem do Nelson Mandela, um mito vivo mundial.


O muro da casa do Bispo

Quase todas as residências da região Joanesburgo têm uma placa dessas

Quase todas as residências da região Joanesburgo têm uma placa dessas


Uma torcida só

Bruno Teixeira fez um comentário que me chamou a atenção: “Uma discussão toma conta das Gerais e do Brasil. Os jogos de uma só torcida!!! Após o direito de tomar uma cerveja, querem cassar o direito do torcedor ir ao estádio. Mais uma prova da ausência e ineficiência do Estado. É a lei no menor esforço…”

Concordo totalmente com essa frase do Bruno: “É a lei do menor esforço”, reconheimento da incompetêcia do Estado em cumprir com o dever constitucional que é garantir a segurança das pessoas. Uma vergonha. Ao invés de punir os bandidos, cassa-se o direito de ir e vir das pessoas.

Todos temos que protestar contra mais esse absurdo.


A casa do bispo

O leitor desse blog, Marcelo Machado, escreveu-me o seguinte:  “A foto ficou pequena e naõ deu pra ver o que você quis dizer (sobre a casa do Bispo Desmond Tutu). Dá pra ampliar ou explicar? A galera agradece. Galo lider isolado e invicto. Quem diria. Celso Roth queimando minha língua!”

É que não anexei o texto à casa do Bispo, mas a informação é a seguinte: até ele precisa tomar todas as providências contra ladrões em sua casa, no centro de Soweto, Distrito famoso de Joanesburgo, onde é vizinho da antiga casa do Nelson Mandela, hoje um museu. Desmond Tutu tem cerca elétrica, arame farpado e empresa de segurança armada que protege a sua residência. Vou anexar foto com a placa que mostra o nome da empresa de segurança, afixada no muro. Quanto ao Galo é isso aí!


Bilhões, sim!

De Uberlândia o jornalista Pablo Pacheco nos enviou mensagem estranhando o número de 26 bilhôes de telespectadores previsto para assistir a Copa de 2010 pela TV em todo o mundo. Mesma audiência da Alemanha em 2006. Pensou que fossem “26 milhões”. Mas é isso mesmo: 26 bilhões, de acordo com o diretor de marketing da FIFA, Thierry Veil.


Cotas aqui também

Depois do fim do apartheid, em 1994, a África do Sul adotou o sistema de cotas raciais, como fez o Brasil recentemente. Qualquer branco que quiser abrir uma empresa precisa ter pelo menos um sócio negro. Toda empresa precisa ter pelo menos 20% de negros em seus quadros de funcionários.

A vantagem deles é que aqui negro é negro e branco é branco, sem esse negócio de “pardo”, como existe no Brasil. Em algumas partes do país existe a figura do “colored”, que seria o pardo ou moreno, no Brasil, mas esse não conta para se utilizar das cotas deles.


Prostituição

A pobreza aqui leva a situações constrangedoras, como aliás, em várias partes do Brasil também. Garotas pagam 70 rands (18 reais) para botar um anúncio se oferecendo no jornal. O programa custa R 250 para uma ou R 400 para duas no quarto. Para saber o preço em reais é só dividir por quatro. Muitas vezes são estudantes universitárias, como acontece em nosso país.

Importante lembrar que a África do Sul tem um dos maiores índices de infectação pelo HIV do mundo.


Página 1.010 de 1.012« Primeira...102030...1.0081.0091.0101.0111.012