Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Cruzeiro atrás de goleiros

Calma gente!

O Fábio não foi vendido, nem se machucou!

É para as categorias de base, onde haverá testes. Acabei de receber comunicado da assessoria de imprensa da Raposa, dizendo o seguinte: 

DEPARTAMENTO DE FUTEBOL DE BASE

Seletiva de goleiros para o 2º semestre de 2009

Data: 14 de setembro (segunda-feira)

Horário: 13h

Local: Toca da Raposa I – entrada pelo portão lateral

Público: garotos nascidos nos anos de 1993, 1994, 1995 e 1996.

OBS:

– Os interessados deverão se apresentar na data, horário e local previsto sem necessidade de inscrever previamente, se enquadrando nas condições abaixo. 

Condições para participação:

– O Cruzeiro NÃO irá oferecer alojamento e alimentação.

– É necessário apresentar certidão de nascimento e atestado médico.

– Os goleiros deverão trazer suas vestimentas para treinamento (chuteira, luvas, calça e camisa).

– A condição física para os goleiros nascidos nos anos de 1996 e 1995 é ter estatura mínima de 1,80m e para os goleiros nascidos nos anos de 1994 e 1993 é ter estatura mínima de 1,85m.

– Outras informações pelo telefone: (31) 3427-3800.


Duke, hoje, no Super Notícia


BMG aposta no Vivo/Minas

Os presidentes do Minas Tênis Clube, Sergio Bruno Zech Coelho, e do BMG, Ricardo Pentagna Guimarães, assinaram ontem, contrato de co-patrocínio do banco para a equipe de vôlei masculino Vivo/Minas. Nesta temporada 2009/2010, a logomarca do BMG estará estampada nos uniformes do time. Também participaram da cerimônia os atletas André Nascimento, Henrique e André Heller, o técnico Marcão, dentre outros representantes das duas instituições.

Segundo o presidente minastenista, com o apoio do BMG será possível a contratação de reforços para o time, que busca seu quinto título na Superliga e o décimo da história do vôlei masculino do clube. ‘É uma satisfação ter o BMG como parceiro. Esperamos que esse seja o início de um relacionamento que dê bom retorno em negócios para o banco e em vitórias para o clube’, afirmou Sergio Bruno Zech Coelho.

‘O BMG investe em esporte há muitos anos e é uma honra colocar nossa marca junto com a do Minas, em uma equipe vencedora. Somos duas instituições fortes e de tradição, e o namoro era antigo. Concretizar essa parceria é motivo de muito orgulho para todos nós’, declarou Ricardo Guimarães.

Líder no segmento de crédito consignado para servidores públicos civis e militares, aposentados e pensionistas do INSS, o BMG, atualmente, patrocina os times de futebol do Coritiba, Atlético Goianiense, América Mineiro, Ipatinga e Tupi, além da ginasta Jade Barbosa, do judoca Eduardo Santos e do lutador de artes marciais Vitor Belfort.

Oscar Dias Corrêa Júnior (presidente do Conselho Deliberativo do Minas), Ricardo Guimarães, Sergio Bruno Zech Coelho e Gustavo Lage (diretor geral de esportes do Minas); em pé, Sergio Veloso, Marcão, André Heller, André Nascimento e Henrique

Foto: Orlando Bento


Com a palavra, o torcedor III

Agora são meus conterrâneos e apaixonados pelo nosso Democrata Jacaré, que  mandam uma boa notícia:

“AAD: NOVA CAMISA RETRÔ!

A Associação Amigos do Democrata, em mais uma iniciativa ligada ao Centro Democratense de Memória (CEDEM), está lançando a nova camisa retrô do Jacaré. Trata-se de uma réplica perfeita do modelo utilizado em 1946, ano em que o alvirrubro foi campeão amador de Sete Lagoas…”

Clique e leia: http://www.amigosdodemocrata.com.br/shownotice.php?id=318

ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO DEMOCRATA
www.amigosdodemocrata.com.br

CENTRO DEMOCRATENSE DE MEMÓRIA
www.memoriademocrata.com


Com a palavra, o torcedor! II

O cruzeirense João Duarte, mora em Vitória-ES, e mandou felicitações ao americano Cacá Tomazzi, que mora em Miami-EUA. Amigos de infância em Conceição do Mato Dentro, que continuam falando de futebol, agora via internet, sempre com boas análises:

“Cacá,
O America chegou perto do LIMBO, mas, reagiu… Se voce se lembra em 2008, disputava a SEGUNDONA em Minas Gerais (a qual conquistou com meritos) e se classificou para a serie C de 2009 na tabua da beirada, apos combinacao de resultados de certo ponto improvavel.
Ai parece que acordaram da letargia e as correntes do clube que antes lutavam pelo poder desistiram do fogo amigo e resolveram todos trabalhar em favor do clube cedendo mao de suas vaidades individuais e o tal Conselho Gestor acabou colocando cada um onde rendia mais…

Alguns do elenco ainda tinham importante ligacao sentimental verdadeira com o America pois eram crias da casa que voltavam.
Quimica feita… Resultado apareceu e esta ai o Coelho na serie B.
Mas, não se iluda Caca, será preciso um algo mais para retornar a serie A…
Entrarao mais recursos. O negocio eh administra-los…
Boa sorte na B… Te esperamos na A em 2011.
Um abraço – Joao Duarte”


Com a palavra, o torcedor!

Rodrigo Araújo de Magalhães escreveu e eu concordo com ele:

“Pois é Chico Maia, o Édson pode pegar a frase do Túlio Maravilha,
“COM ÉDSON EM CAMPO NÃO TEM PLACAR EM BRANCO”. Sujeitinho infeliz esse.
Claro que não foi só ele quem errou. Muitos erraram. O jogo estava 2 a 0
e o Galo teve duas chances maravilhosas de fazer gol. Renan Oliveira
teve lances muito bons e outros infantis. Não vi quem, mas o Welton
Felipe saiu jogando “bonito” (fazendo gracinha) e tocou a bola no meio
para alguém que foi fazer igual, perdeu a bola e … gol do Avaí. Eu
sei que o time que está perdendo de 2 a 0, como o Avaí, tem aquele
momento de desânimo e desorganização em campo, quando acha um gol,
ressuscita. O Galo fez isso pelo Avaí. Deu o gol e foi pra defesa, dar
chutão, tentando segurar o resultado e, quem sabe, achar um gol também.

   Quem tem Édson-Mãos-de-Quiabo no gol, não pode confiar tanto na
sorte. Renan Ribeiro já. E pra sua reserva o próximo sub-20. Édson tem
que ser dispensado. Ganhar os direitos federativos, econômicos e perder
todos os direitos de pisar na Cidade do Galo. O Kalil precisa arrumar um
destino pra esse trapalhão. Quem sabe mandar ele pro Flamengo, se
encontrar com seu grande amigo Bruno? Que tem sido solidário com o
Édson, fazendo o mesmo papelinho de frangueiro.

   Esses 2 pontos só podem ser recuperados em caso de vitória contra
Grêmio, Inter, São Paulo ou Pameiras, que são jogos fora de casa, onde
o empate não seria ruim.

Um abraço,
Rodrigo”


Virada é sinal de reação

Mais uma vitória fora de casa e a oportunidade de iniciar um embalo no próximo jogo, em casa contra o Náutico. O Cruzeiro voltou a ser um time guerreiro contra o Flamengo e pode iniciar uma reação sustentável no próximo domingo. Duas vitórias consecutivas num campeonato difícil como este anima a qualquer elenco, e o Náutico poderá ser vítima dessa necessidade de reafirmação da Raposa.

No Flamengo, depois do segundo gol cruzeirense, quando o goleiro Bruno pegava na bola era uma vaia só. Os flamenguistas perderam a paciência com tantas falhas seguidas do jogador.


Preço pago por insistência inútil

O Atlético sabe, há tempos, que o goleiro Edson não tem condições de jogar num clube grande, mas insistiu em mantê-lo no elenco. Está pagando caro, e esse empate em casa com o Avaí faz parte do preço.

Parece que vi jogo diferente dos meus amigos da Rádio Itatiaia, que elegeram por unanimidade, repito, unanimidade, o Renan Oliveira como o melhor em campo.

Com esse empate o Galo desiludiu à maioria da sua torcida em seus sonhos neste campeonato. Com a derrota do Goiás para o Náutico, estava ocupando a terceira posição. Ao tomar o gol de empate, voltou a quinto.


O fenômeno das pistas

Usain Bolt em foto da assessoria de imprensa da PumaUm ano atrás eu e o fotógrafo Eugênio Sávio estávamos conhecendo o estádio Ninho do Pássaro, em Pequim, vasculhando-o de todo jeito, impressionados com aquela obra fantástica. Terminada a missão, resolvemos assistir um pouco da eliminatória das provas de atletismo do dia seguinte.

Um negão vestido de amarelo nos impressionava tanto quanto o complexo olímpico da capital chinesa. Sua velocidade em passadas gigantes dava a impressão que os concorrentes estavam parados ou apenas caminhando. Ficamos até o fim daquela bateria classificatória.

Estávamos diante de Usain Bolt, o jamaicano, que no dia seguinte entraria para a história dos Jogos Olímpicos. Um privilégio vê-lo de perto, competindo.

Agora há pouco recebi um release da patrocinadora dele, a Puma, mesma que veste o Cruzeiro, dizendo o seguinte:

“Mais uma vitória e quebra de recorde mundial do jamaicano Usain Bolt, agora nos 200m rasos do Campeonato Mundial de Atletismo em Berlim. Com o tempo de 19s19, o atleta mais rápido de todos os tempos entrou mais uma vez para a história do esporte mundial. Após mais essa conquista, as primeiras palavras de Bolt foram: “Estou muito feliz com o resultado de hoje. Todos estavam preocupados com o calor, mas para mim foi como correr na Jamaica. Eu sinto que estou na melhor condição física possível e estou completamente focado. Quebrar os recordes mundiais dos 100m e 200m apenas um ano depois de Pequim é inacreditável e é um sonho que se torna realidade”.


Tem gente que gosta de ser enganada

Tem torcedor que adora ser enganado, e quer porque quer que a imprensa minta e mantenha as suas ilusões. A cruzeirense Marta acha que o goleiro Fábio tem razão: “só não é chamado pelo Dunga porque joga em Minas. Se jogasse no Rio ou São Paulo, estaria lá”.

O atleticano Júnior também pensa assim e ainda diz que o Tardelli se jogasse num dos dois estados, teria sido chamado hoje, para o jogo contra a Argentina, ao invés do Adriano.

Eles apresentam outros argumentos nos comentários que fizeram em nosso blog, que sugiro a todos que leiam. A sempre gentil Marta, defende até o Wagner, que outro dia mesmo foi acusado como um dos principais responsáveis pela perda da Libertadores.

O que falta aos torcedores mais apaixonados é razão e bom senso. Por mais que eu considere o Dunga um mala sem alça, tenho que concordar com ele, que o Adriano é mais jogador que o Tardelli, especialmente para um jogo contra a Argentina. E que entre Vitor (Grêmio) e Fábio, qualquer um que ele chamasse, estaria de bom tamanho, pois ambos são ótimos.

E, no momento, qual outro jogador do futebol mineiro reúne condições para ser convocado?

Como diz o mestre Rogério Perez, do Hoje em Dia: “menos gente, menos…”