Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Técnico Andrade vê Atlético e Flamengo iniciando nova era

* Disse o técnico Andrade, do Flamengo, sobre o clássico de domingo: “Não vai ter esse clima dos anos 1980”. Parecem óbvias, porém são sábias e providenciais palavras do ex-meio campista, que formou um trio histórico com Adílio e Zico. Seria uma frase óbvia, caso a paixão e, em muitos casos, a ignorância não predominassem no futebol. Atlético e Flamengo sempre fizeram grandes jogos, mas as duas torcidas viviam em paz e clima de cordialidade, tanto em Belo Horizonte quanto no Rio de Janeiro. As relações começaram azedar numa sequência de jogos entre eles, que começou no famoso “jogo da solidariedade”, amistoso no Maracanã, cuja renda fora revertida às vítimas das terríveis enchentes em Minas, em 1979. Foi 5 x 1 para o Flamengo, mas até aí tudo bem, pois era jogo festivo, inclusive com Pelé atuando o primeiro tempo pelo rubro-negro.

Mas aí vieram os jogos do brasileiro de 1980, com o Flamengo campeão, depois de partidas espetaculares. A Libertadores da América, com o fatídico jogo do Serra Dourada, em Goiânia, quando o José Roberto Wrhigt entrou para a história do futebol brasileiro com a expulsão de mais da metade do time do Atlético.

A violência nas arquibancadas que se iniciou em 1980 acabou com a fraternidade entre as massas e as hostilidade só aumentaram, de forma irracional, inacreditável.

Nova era

De lá para cá os dois clubes experimentaram o comando de alguns dos piores dirigentes do futebol brasileiro, foram ao inferno e recentemente iniciaram novos caminhos. É tempo de recomeço, também, entre essas duas “nações” e as palavras do Andrade precisam ser ouvidas por todos. O Brasil estará de olho no Mineirão domingo. Bom dia para um grande exemplo de festa e respeito mútuo.

* Estas e outras notas estarão em minha coluna no jornal O Tempo de amanhã, nas bancas.


Vergonha para o Estado do 2o maior PIB do país

O que adianta as autoridades dizerem que somos a segunda economia do Brasil? Saiu no site oficial do Rio Branco de Andradas, às 15h54 de hoje, dia 04 de novembro:

“Está consumado: o Rio Branco encaminhou, hoje, por via postal, bem como transmitiu, por fac-símile, à Federação Mineira de Futebol, ofício com o seguinte teor:

”Andradas, 3 de novembro de 2009

Assunto:

CAMPEONATO MINEIRO DE 2010
RENÚNCIA À VAGA – PEDIDO DE LICENÇA
PARA AFASTAMENTO DE COMPETIÇÕES OFICIAIS, POR TEMPO INDETERMINADO

Senhor Presidente,

Comunicamos a Vossa Senhoria que não compareceremos à reunião do Conselho Técnico designada para o próximo dia 11, tendo em vista que não participaremos do próximo Campeonato Mineiro de Futebol da Primeira Divisão de Profissionais.

Solicitamos licença para permanecer afastados de competições oficiais, por tempo indeterminado.

Com nossos cordiais e respeitosos cumprimentos,

RIO BRANCO DE ANDRADAS FC

(a) membros da Diretoria e do Conselho Deliberativo”

Lamentável

Uma região “rica” cheia de multinacionais, cheia de políticos falastrões e influentes, que se juntam aos falastrões e “influentes” de Belo Horizonte, mas que não cumprem nem fazer cumprir acordos, não apoiam, como deveriam, uma instituição séria como o Rio Branco.


Armando Nogueira

O amigo Hélio Antônio Correa, da nossa querida Conceição do Mato Dentro, morador do Caiçara, em BH, pergunta pelo Armando Nogueira, um dos grandes nomes do jornalismo brasileiro.

Infelizmente ele está afastado das atividades profissionais, recuperando-se de um câncer, há quase dois anos, em sua residência no Rio de Janeiro.

Tomara que volte logo a brindar o público com seus textos da melhor qualidade.


Circuito Mineiro de Trekking na Gruta do Maquiné

untitled


Portuguesa é campeã da Copa Kaiser

 

Vitória dramática veio somente na cobrança de pênaltis, sobre o Inconfidência, que encerrou participação invicta. Campeã irá disputar a Copa Kaiser Brasil. 

Igor, capitão da Portuguesa, recebe o inédito troféu. Tedesco e José Reis (Kaiser) e Marco Artur, da Federação Mineira de Futebol, na solenidade que marcou a final da Copa Kaiser BH

Foto: Agência Nitro

foto final Copa Kaiser BH

A equipe campeã da 1ª Copa Kaiser BH é uma portuguesa que se veste de amarelo e preto. Um time que ganha quase todos os títulos que disputa e, de certo modo, pela fama adquirida, causa timidez nos seus adversários. Com 34 anos de existência, a vencedora é a Portuguesa, do bairro São Gabriel. Para comemorar o título inédito, os jogadores participaram de grande festa no Estádio Santa Cruz, com mais de 2.000 torcedores.

O adversário, o muito bom Inconfidência, do Concórdia, digno vice-campeão, encerrou sua participação invicto, após 14 jogos disputados. Perdeu o título na decisão por pênaltis ( 8 a 7), após empate em 1 a 1 no tempo normal de jogo, sempre equilibrado e arduamente disputado, numa grande festa do Futebol Amador de Belo Horizonte. A Portuguesa, de campanha equilibrada, venceu nos momentos certos, conquistou a Tríplice Coroa em 2009: Torneio Corujão, Campeonato Mineiro e Copa Kaiser.

Na véspera, a Ferroviária venceu o Felicidade ( 2 a 1) e ficou com o 3º. lugar. Agora, a Portuguesa vai representar o futebol amador de BH na Copa Kaiser Brasil, diante de campeões de São Paulo e Paraná. Outras informações nos sites:

www.copakaiserbh.com.br e www.futebolamadordeminas.com.br


Sistema Globo de Rádio esclarece situação com o Willy Gonser

Recebi gentil e esclarecedor e-mail do Gerente de Esportes do Sistema Globo de Rádio, Álvaro Oliveira Filho, do Rio de Janeiro, que publico na íntegra:

“Prezado Chico, bom dia.

Sou leitor do seu blog e não posso deixar de enviar um esclarecimento que julgo importante, pois percebo nos seus posts o quanto você é cuidadoso na apuração dos fatos. Então vamos a eles: em momento algum o Sistema Globo de Rádio procurou o locutor Willy Gonser para apresentar uma proposta. Ao contrário. Fomos procurados por ele nas duas ocasiões. Willy disse que estava insatisfeito na sua empresa e que precisava mudar de ares. Nosso interesse, claro, foi imediato, pois estamos sempre com as portas abertas para profissionais talentosos. Nas duas vezes, porém, a negociação não avançou porque (de acordo com o que nos foi relatado pelo próprio Willy Gonser) ao retornar à sua empresa para falar de nossa conversa, recebeu a promessa de que os motivos de sua insatisfação seriam contornados. Depois disso, jamais voltamos a conversar com Willy Gonser, a quem respeitamos e continuamos considerando um excelente profissional. Agradeço a você pela atenção e coloco-me à disposição para qualquer esclarecimento adicional. Cordiais saudações,

Alvaro Oliveira Filho

Gerente de Esportes

Sistema Globo de Rádio”


Perguntas e sugestão que vem de Brasília

Do Distrito Federal, Taguatinga, escreveu o Juliano Oliveira:

“Escrevo aqui das bandas do Planalto Central. Não deixo de acompanhar uma notícia sequer do Galo, inclusive em seu blog e twitter. Pesquisando um documento da CBF, descobri o CNEF – Cadastro Nacional de Estádios de Futebol, com data de setembro de 2009 e onde consta o Mineirão com capacidade de 75.783 torcedores. Por que atualmente há o limite de 64.800 ingressos para os jogos? Não é possível o Galo articular com o Ministério Público, a FMF e a PM e solicitar o aumento para este número que consta nos registro da CBF?” Boas perguntas e sugestão!


Verdades verdadeiras, do Millôr

As mais recentes do Millôr Fernandes, no twitter dele: http://twitter.com/millorfernandes  

* As principais formas de governo são as ruins e as muito piores.  

* Repito um velho conselho, cada vez mais válido, sobretudo pro Congresso: “Quando alguém gritar Pega Ladrão, finge que não é com você.  

* Gran Circo Brasil: meia dúzia de trapezistas e quase duzentos millhões de palhaços.  

* Repare bem na cara da Mona Lisa e diga se não é a expressão perfeita de quem acabou de dar uma bela cafungada.

* Se Deus quisesse que o homem voasse, lhe teria dado mais dólares.

* Precisamos urgentemente de um código de falta de ética.

 * Caras brilhantes fazem frases brilhantes e idiotas as repetem. Não vá repetir essa para os amigos.


Abra os olhos América !!!

Retrocesso 

Quando todos pensamos que o América está partindo para voltar ao seu lugar de direito, vem a possibilidade um retrocesso inacreditável. O governo do estado investe uma fortuna na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, para disponibilizar um estádio para 25 mil pessoas, moderno, melhor que o Independência atual, para os três clubes da capital.

Dirigentes americanos falam em jogar em estádios amadores, ou até no Castor Cifuentes, onde nem o Villa Nova está mais satisfeito porque o antigo “Alçapão” não serve mais nem para ele. Ficou pequeno para o Leão do Bonfim e sua apaixonada torcida.

E não pensem as cabeças pensantes do Coelho que terão o apoio maciço da torcida novalimense, porque lá as pessoas torcem é para o Villa, e depois para os demais.

Se pensam também que alguma prefeitura de qualquer cidade vai oferecer alguma vantagem financeira para o clube jogar em seu reduto, também

vão quebrar a cara, porque as prefeituras estão todas no sufoco, em débito com as suas próprias comunidades.

E não venham me dizer que estou advogando em causa própria, porque Atlético e Cruzeiro vão jogar a maioria dos seus jogos é em Sete Lagoas.

Para os desinformados, e que não querem se informar, trata-se de uma cidade de 230 mil habitantes, que envolve mais 18 municípios, que totalizam quase 600 mil pessoas.

Seria a chance do América conquistar novos torcedores, além do grande número de americanos que há na região, doidos para ver o time de perto. Ao contrário de Nova Lima, que tem o Villa, hoje a região de Sete Lagoas não tem time na primeira, nem na segunda divisão mineira, já que, infelizmente o Democrata está na terceirona.

Lamento a cabeça dura de uma banda da diretoria do América, porque, por pura desinformação, o Coelho corre o risco de perder uma média de público que o time não tem nem em seus jogos em Belo Horizonte, bem acima dos 10 mil pagantes.

O maior perdedor nessa história será o próprio América, caso essa tolice seja cometida. Não tenham dúvida.

É bom frisar que não sou candidato a nada em 2010, não preciso fazer nenhuma média com meus conterrâneos e só fico na minha santa terrinha nos fins de semana, e mesmo assim quando não vou para Conceição do Mato Dentro ou alguma outra cidade mineira. Neste fim de semana, por exemplo, vou para Diamantina, matar saudade da terra de JK, e curtir a roda de samba da turma da Bat Caverna (cada vez melhor), na casa do “sô” Edvaldo Orlando e dona Elvira, sábado.

Mas, claro, chego a tempo de ver Galo e Flamengo no Mineirão, domingo!

Que a diretoria do América pegue a duplicada Br-040 (via Ceasa/Brasília), dê uma chegada lá, veja tudo, se informe, converse com os integrantes da “Setecoelhanos”, “Coelhosete” e outras facções “coelhanas”, fique sabendo do forte potencial e da realidade americana lá, volte a BH pela MG 424 (via Pedro Leopoldo), que será duplicada, e conclua: é besteira e amadorismo pensar em outra alternativa.


Cascudão é fogo!

Tá certo que a torcida vai ao Mineirão esta noite é para homenagear o Sorin, porém, o Argentinos Jrs. não está cumprindo a sua parte de trazer o seu time principal, de acordo com o contrato com a televisão que comprou os direitos de transmissão. Pelo menos é isso que foi dito pela organização do jogo, que os dois times deveriam começar o jogo com suas melhores equipes. Apesar de que, não faria nenhuma diferença porque ninguém conhece o time principal dos argentinos.

Amistoso é fogo, ainda mais com cascudo. O importante é a homenagem, e o show do Skank, que é sempre bom demais da conta.