Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Da coluna de amanhã

Duas notas que estarão em minha coluna de amanhã no Jornal O  Tempo:

Poderoso

Muricy Ramanho foi para o Palmeiras levando um auxiliar. Vanderlei Luxemburgo foi para o Santos com todos que o acompanham: Antônio Melo, Cláudio Pavanelli e mais dois auxiliares técnicos: Nei Pandolfo e Luiz Cláudio Lula da Silva (filho do presidente Lula). E mandou contratar, sem exames médicos, o volante Emerson (ex-seleção), quase dois anos sem jogar.

Na área

Dois campeões com o Cruzeiro em 2003 estão de volta ao país. O atacante Mota e o zagueiro Edu Dracena. O primeiro, em definitivo, depois de quase cinco anos na Coréia, acertou com o Ceará, para defendê-lo na Série B. O zagueiro faz tratamento de recuperação no Corinthians, que já mandou recado ao Fernerbahce, da Turquia, que tem interesse em ficar com ele.

Leia a coluna completa no www.otempo.com.br


Boa sugestão

Da Inglaterra chegam bons comentários e uma boa sugestão ao Cruzeiro. É do mineiro Alisson Sol, que além de cruzeirense, gosta de futebol como um todo. Executivo de uma das maiores corporações do mundo, sabe o que fala. Confira:

“Leandro Domingues, Alessandro, Anderson, Sorín, etc… Está dando para começar a escalar um time razoável com os jogadores não muito bem aproveitados por Adílson Batista. Vá lá que grandes técnicos do futebol mundial também tenham acumulado muitas discórdias (Telê Santana, por exemplo). Mas estes eram técnicos campeões, disciplinando jogadores em sua maioria no começo da carreira. Junte a isto as discussões com a imprensa, e Adílson está um pouquinho verde para já ter acumulado tantos antipatizantes. Tais jogadores, ainda em atividade, vão espalhando uma imagem dele que, verdadeira ou não, afeta sua atividade.

Talvez esteja na hora da direção do Cruzeiro contratar um psicólogo para ajudar o técnico, mas não com sessões apenas com os jogadores… Um bom consultor de recursos humanos, fazendo um “feedback de 360 graus” também poderia ajudar Adílson. O potencial está lá, mas o técnico pode estar jogando fora uma carreira com grande potencial por motivos fúteis.

Fique registrada a grandiosidade de Sorín, que pensando na sua relevância histórica, preferiu sair do clube a continuar recebendo para não jogar, ou criar polêmica com o técnico.”


Que não sejam dois cavalos!

Depois da rodada de ontem da Série B, tem mais um Atlético líder do campeonato brasileiro: é o goianiense, cujo treinador é o Mauro Fernandes, meu conterrâneo de Sete Lagoas.

Tomara que o Atlético dele, assim como o das Minas Gerais, não se revele um “cavalo paraguaio”, como apregoam paulistas e cariocas.

Interessante na rodada de ontem é que o Guarani de Campinas vencia a Portuguesa por 3 x 0 e tomou uma virada de 4 x 3.

O Vasco suou muito para vencer o Fortaleza em São Januário, mas continua fora dos quatro primeiros.

O Ipatinga perdeu para o Ceará e caiu para a 11a posição.

A classificação completa da segundona nacional depois da 14a rodada:

 

PG

J

V

E

D

GP

GC

SG

%

Atlético-GO

29

14

9

2

3

30

17

13

69%

Guarani

28

14

8

4

2

21

14

7

67%

Portuguesa

27

14

8

3

3

21

17

4

64%

Figueirense

26

14

8

2

4

24

15

9

62%

  Vasco

26

14

7

5

2

19

7

12

62%

Ceará

25

14

7

4

3

20

13

7

60%

Ponte Preta

24

14

7

3

4

23

13

10

57%

Bragantino

22

14

6

4

4

22

17

5

52%

Bahia

20

14

5

5

4

17

16

1

48%

10º

Brasiliense

19

14

6

1

7

19

19

0

45%

  Ipatinga

19

14

5

4

5

22

20

2

45%

12º

América-RN

18

14

6

0

8

17

23

-6

43%

13º

Paraná

17

14

5

2

7

14

22

-8

40%

14º

Juventude

16

14

4

4

6

18

21

-3

38%

15º

São Caetano

15

14

4

3

7

18

15

3

36%

  Vila Nova

15

14

4

3

7

12

21

-9

36%

17º

Fortaleza

14

14

4

2

8

22

26

-4

33%

  Duque de Caxias

14

14

3

5

6

15

21

-6

33%

19º

ABC

11

14

3

2

9

9

27

-18

26%

20º

Campinense

6

14

2

0

12

14

33

-19

14%

 


Sorin e Adilson Batista

Revendo e relendo a coletiva do Sorín de ontem, mais as observações de vários colegas e torcedores do Cruzeiro, notei que um pedaço fundamental da entrevista passou-me batida. Foi quando ele disse que “estava em condições” de viajar para o Chile e depois para enfrentar o Atlético e a final da Libertadores, mas que foi descartado.

Ou seja: parou de jogar porque sabe que o Adilson Batista não estaria vendo mais utilidade nele.

Uma pena, porque com uma perna só, tem mais a render que um punhado de titulares de vários clubes que disputam o topo do brasileiro.


Recordar é viver

O Kleyton Borges postou essa em seu blog:

Recordar é viver…

1971
Até parece que foi ontem.

Vai aí minha homenagem ao inesquecível Telê Santana, ao

meu querido amigo jornalista Luis Carlos Alves e ao então

presidente da FMF, recentemente falecido Cel. José Guilherme Ferreira.

 

Na comemoração do título Luis empunhava um pequeno microfone com uma anteninha de fazer inveja.

Do blog do Kleyton Borges

Do blog do Kleyton Borges


Convocação em discussão

A convocação do Diego Tardelli continua rendendo na torcida atleticana. Eis o que disse o Rodrigo Araújo de Magalhães:

“Para ele foi bom, pro Galo péssima. Vai desfalcar justamente no jogo contra o
Palmeiras. Gostaria que o Dunga convocasse Marcos, pro gol; Edmílson,
para dar experiência À zaga; Pierre para o lugar de Ramires; Cleiton
Xavier para furar retrancas e Diego Souza, que é excelente atacante.
Se Eto´o é melhor que Luís Fabiano e Obina é melhor que Eto´o,
Obina deveria ser convocado.
Quero ver levar o Tardelli é pra jogo de eliminatória e Copa do
Mundo. Acho que o Galo líder há tantas rodadas não dá lucro pra
turma da CBF-Globo e agregados.
Vamos ver se vai jogar mais que 15 minutos. A grande chance é ficar
no banco e Professor Dunga dizer que o observou nos treinos e ele se
movimentou bem e mostrou respeito ao grupo da seleção, etc.
Mudando de assunto, estava assistindo ao final do jogo do Galinho e
fiquei feliz de ver que teremos um goleiro de seleção principal,
pegador de pênalti em breve. Esse Renan Ribeiro devia ter sido
efetivado.
Um abraço
Rodrigo”


Vale a pena ser honesto?

Vale a pena ser honesto? Qual o valor da honestidade hoje?

Essas perguntas estão sendo feitas pelo jornal O TREM Itabirano, de Itabira, que resolveu fazer uma enquete com brasileiros (escritores, garis, poetas, jornalistas, historiadores, pedreiros, empresários, músicos, advogados, operadores de motoniveladoras…) e deu-me a honra de participar.

O TREM ITABIRANO é um dos melhores jornais do interior de Minas Gerais, independente de políticos e grupos empresariais. Voltado ao debate e ao questionamento das mazelas da terra de Carlos Drumond de Andrade, do nosso estado e do Brasil.

O editor é o Marcos Caldeira, que escreve bem demais da conta, e é um desses cada vez mais raros “doidos” que se aventuram a apostar em jornal de qualidade editorial e visual no interior mineiro.

Antes dessas perguntas vem o seguinte preâmbulo:

“A desonestidade está tão em alta no Brasil que a honestidade já é, por muitos, considerada burrice em nosso país. Chegamos, parece, à triste era pintada por Rui Barbosa: “De tanto ver triunfarem as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto”.

E vai a minha resposta, que enviarei por e-mail ao Marcos:

“Sempre houve gente desonesta no mundo, e sinceramente não sei se mais ou menos que nos tempos atuais, em qualquer lugar do planeta. Certamente, hoje, a divulgação da vagabundagem nacional é maior, em função do regime democrático que vivemos e dos novos e rápidos meios de comunicação. O que incomoda no Brasil e em países subdesenvolvidos como o nosso, é a impunidade, que deixa os bandidos à vontade, nas áreas pública e privada, isolados ou em quadrilhas, em todas as áreas onde circula dinheiro e poder.

Dito isso, é claro que vale a pena ser honesto! O valor da honestidade hoje é o mesmo que sempre norteou os nossos antepassados. Se os safados de plantão não são punidos pela Justiça (que não está livre de desonestos também), a execração pública já é uma forma de punição e ninguém consegue esconder suas maracutaias durante todo o tempo.

O próprio Rui Barbosa, de competência inegável, cuja famosa frase sobre a honestidade é tão usada, não tem uma boa fama em seu negócios e interesses que defendia, nem sempre confessáveis. Não pode ser apontado mo modelo de honestidade, de acordo com o li em algumas publicações, especialmente no livro do grande Darcy Ribeiro: “E aos trancos e barrancos, o Brasil deu no que deu!”.


Kleyton Borges

Ontem falei do Carlos Valadares, e hoje respondo às tantas pessoas que nos perguntam pelo Kleyton Borges, outro grande companheiro, que marcou época, como repórter nas coberturas do América, Atlético, Cruzeiro e seleção brasileira nas emissoras onde trabalhou, com destaque para as Rádios Capital e Itatiaia, nos tempos do Gil Costa e Osvaldo Faria, respectivamente.

O Kleyton continua na comunicação em Belo Horizonte, porém, voltado mais às áreas cultural e assessoria de imprensa. Participa, como convidado, do programa Rádio Vivo, do excelente José Lino Souza Barros, nos famosos debates das manhãs pela Itatiaia, a cada programa com um tema diferente.

 

Quem quiser matar saudade dele é só acessar o seu portal dedicado à música

www.guiadamusicabh.com.br/

ou o seu blog

http://kleytonborges.blogspot.com

onde faz abordagem bem pessoal dos assunto que lhe vem à cabeça.

 


O futebol lamenta a retirada de Sorin

— É difícil falar, foram muitos anos no futebol, mas vou parar. Tive uma carreira muito bonita, sempre dei sangue por onde passei. Mas acho que é o momento de parar — afirmou o lateral-esquerdo.

Com essas palavras o lateral argentino Sorin iniciou a entrevista coletiva na Toca da Raposa hoje à tarde, anunciando o fim da sua carreira como jogador. Uma pena! Aos 33 anos e um histórico marcado pela seriedade e respeito às pessoas, as sucessivas contusões e os difíceis períodos de recuperação abreviam a trajetória de um jogador que só acrescentou ao futebol.

Este ano foram duas lesões musculares, na panturrilha esquerda e na coxa direita, e ele só pode disputar seis partidas na atual temporada.

Sentiu que não dava mais quando não conseguiu condições físicas para o jogo no Chile, contra o Universidade, pela Libertadores:
— Tive uma lesão e fui cortado. Depois trabalhei fortemente para me recuperar, porque queria jogar a final do Mineiro contra o Atlético e a final da Libertadores. Infelizmente não deu — lamentou o lateral.

Ao fim da conversa com a imprensa agradeceu a todos, inclusive aos jornalistas e veículos de comunicação, com quem teve convivência respeitosa, mesmo nos momentos de críticas e divergências.

Poucos minutos após a entrevista, os sites dos jornais do mundo inteiro davam a notícia, as devidas e justas lamentações.

Todos nós também sempre guardaremos ótimas lembranças desse grande jogador.


O nosso futebol é quem agradece a Sorin

Nessa foto do Washington Alves (VIPCOMM), a emoção da despedida no rosto do grande jogador argentino que só ajudou a engrandecer o futebol de Minas e do Brasil

Nessa foto do Washington Alves (VIPCOMM), a emoção da despedida no rosto do grande jogador argentino que só ajudou a engrandecer o futebol de Minas e do Brasil


Página 1.038 de 1.066« Primeira...102030...1.0361.0371.0381.0391.040...1.0501.060...Última »