Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Bruno está sendo injustiçado

Parte da torcida do Atlético tem sido injusta com o goleiro Bruno. Domingo exagerou na dose, ao vaiá-lo em grande parte do jogo, principalmente depois do gol do Atlético-PR, onde ele não teve a menor culpa.

A rigor, falha grave dele, foi só contra o Santo André, mas na média, é muito melhor que Edson e Juninho, que deixaram a massa alvinegra traumatizada.

E Bruno tem sido inteligente em todas as entrevistas: em momento algum é grosso com a torcida ou com qualquer repórter que o pergunta sobre o assunto. Fala sempre em melhorar e que o torcedor tem o direito de cobrar. Humildade de quem sabe superar adversidades.


Defeitos de caráter herdados da Corte

Nos dias seguintes a toda tragédia como aquela de sexta feira no anel rodoviário a imprensa sai entrevistando as famílias das vítimas fatais. Num país onde as novelas são as maiores atrações da televisão, fica tudo parecendo obra de ficção. Uma vergonha!

Pior é que “autoridades” e até alguns filósofos são entrevistados para falar das causas, efeitos e possíveis soluções, e falam, quase sempre as mesmas inutilidades. Radar que não funciona há anos, por falta de licitação. Pode?

Mas, a razão de tudo, basicamente, é uma só: a impunidade. O motorista do caminhão que provocou as mortes e os feridos, certamente está em casa ou já dirigindo outra carreta, enquanto as famílias sofrem suas perdas irreparáveis.

Ontem, um Ministro do Supremo deu uma canetada para amaciar políticos corruptos e, ou, acusados de corrupção. Os grandes exemplos de impunidade vem de cima, alimentando e incentivando delitos de maior e menor gravidade país afora.

Quem lê o livro do Laurentino Gomes, 1808 , a história da vinda da família real para o Brasil, entende melhor porque a sociedade brasileira é desse jeito.


Barrichello, também, nunca foi santo neste circo

Sobre nota em minha coluna sobre o Circo da Fórmula 1, o Alisson Sol, lá da Inglaterra, escreveu:

“Farsa. Rubens Barrichello disse que Nelson Piquet “foi um grande piloto mas ainda tinha muito a crescer como cidadão”. Com a farsa do filho, Nelsinho, que depois entregou a sujeira, num acordo de “delação premiada” com a FIA, ficou a dúvida do que é pior: um farsante ou um traíra? E Piquet ficou mal, porque é claro que estava por dentro de tudo que estava acontecendo.

Só para que eu entenda bem: sua dúvida em relação ao “farsante” incluía o Barrichello, não é mesmo? Afinal, é preciso lembrar que Barrichello entregou uma corrida a seu companheiro de equipe, desta forma falsificando o resultado oficial da competição. Para os que acham que isto é irrelevante, é preciso lembrar que há um enorme mercado de apostas nos países da Europa. Muita gente perde (e ganha) dinheiro com apostas que vão da Fórmula 1 ao tênis, só para esquecer um pouco o futebol, criquete, etc. Nada pessoal, mas não me parece haver santo neste “circo da Fórmula 1” (nunca vi descrição mais apropriada!). Não quero parecer defensor do Piquet Jr., mas gostaria de perguntar-lhe o seguinte: você acha que esta foi a primeira vez que isto aconteceu? Acha mesmo que dirigentes da F1 iriam dar imunidade ao Piquet Jr. se não temessem o fato de que o Piquet pai provavelmente sabe muito mais do que o filho? 

O pior nestes casos é ver a patriotada dos meios de comunicação. Em 2007, quando a McLaren foi punida por ter obtido informações técnicas da Ferrari, a imprensa inglesa praticamente só noticiava uma coisa: o fato de que a Renault também havia obtido informações técnicas da McLaren, mas não foi punida. Agora, a imprensa inglesa está se deliciando com a armação na Renault. Enquanto isto, o jornal Le Monde deste final de semana tem em sua terceira página uma reportagem enorme sobre os “Caríssimos patrocinadores da Fórmula 1”. A reportagem, ocupando 80% da página, foca no fato de que a McLaren é uma empresa sem ações na bolsa, desobrigada de apresentar seu balanço em público, mas com receita estimada em 1 bilhão de dólares por ano, e aproximadamente 1,200 funcionários. Após listar vários fatos irrelevantes, a reportagem “lembra” que a McLaren foi punida em 2007 devido ao caso de espionagem. Após esta longa matéria fria, uma reportagem pequena ao pé da página diz que “A escuderia Renault é acusada de armação por um de seus pilotos”. A reportagem faz questão de citar que a FIA ainda não autenticou os depoimentos que já aparecerem em diversos sites na Internet, feitos por Nelson Piquet Jr. Finalmente, em algo que não li em outro lugar, cita novamente Barrichello, que teria dito que esta estória parece estranha, e que alguém provavelmente quer a cabeça de Flavio Briatore. Ao que parece, bairrismo da imprensa não é monopólio de ninguém!

Um abraço,

Alisson Sol”


Jornalista Cosme Rímoli troca grupo Folha pela Record

O jornalista Cosme Rímoli anunciou na semana passada que deixará de ser colaborador do portal UOL. Rímoli atuou como blogueiro na seção de esportes do site, registrando mais de onze milhões de acessos à sua coluna, a qual estreou em fevereiro desse ano. Rímoli se transfere para o portal da Rede Record, o R7, cuja inauguração acontece, segundo a assessoria da emissora, ainda neste mês de setembro. O jornalista terá um blog nos moldes de seu anterior, no UOL. Em seu último post, o jornalista esportivo escreveu que cumpriu sua missão e agradeceu os frequentadores e o portal. Rímoli já não consta mais na relação de blogs parceiros do UOL.

Fonte: http://portalimprensa.uol.com.br


Ex-zagueiro Geraldão não é mais o supervisor do Villa

Mudanças administrativas no Villa Nova. O diretor Wellis Vaccari vai acumular também o cargo de supervisor, já que Geraldo Dutra, o Geraldão, ex-zagueiro do Cruzeiro, não vai mais exercer essa função no clube.

                            O 20º reforço do Leão do Bonfim para a disputa da Taça Minas Gerais já treina no Estádio Municipal Castor Cifuentes: o lateral-direito Alex, 24 anos, oriundo do Fluminense de Feira-BA, equipe que foi defendida por ele na Série D.

                            Alex nasceu em Ilhéus-BA no dia 27 de junho de 1985. Antes do Fluminense baiano, o atleta jogou nesses times: Vitória-BA, ABC-RN, Itabuna-BA, Corinthians Alagoano-AL, CRB-AL, Colo Colo-BA e Bahia de Feira-BA.

                            Com a goleada de 5×0 sobre o Funorte no último sábado, no Alçapão do Bonfim, o Villa Nova manteve a liderança do Grupo A da Taça Minas Gerais, agora com oito pontos.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa do Villa Nova


A 24a rodada

O campeonato fica melhor a cada rodada e gostei da análise do último fim de semana da Série A, feita pelo jornalista Rivelle Nunes, em seu blog http://rivellenunes.blogspot.com/ 

“Das 10 equipes que ocupam a metade de baixo da classificação, do Flamengo ao Fluminense, nenhuma delas mudou de posição nos nove jogos do final de semana.

O mesmo aconteceu com os três primeiros colocados, Palmeiras, Internacional e São Paulo. Destes, o tricolor, que venceu o Avaí (2 a 0), foi favorecido pelas derrotas do Palmeiras para o Vitória e do Internacional para o Cruzeiro, ambas por 3 a 2. Quem também comemorou foi o Atlético. A vitória sobre o Atlético/PR (2 a 1),combinada com derrota do Goiás para o Barueri (3 a 1), colocou o Galo de volta no G4.

O Grêmio finalmente comemorou uma vitória como visitante, fazendo 2 a 0 no Náutico, nos Aflitos, e foi quem mais subiu na tabela, duas posições. O outro pernambucano, o Sport, também foi derrotado, 3 a 0 para o Flamengo, sábado no Maracanã.

No melancólico clássico carioca, um 0 a 0 para desagradar a todos: times, torcida, imprensa. Não era realmente possível esperar mais dos dois cariocas do G4 do mal. Na Vila Belmiro, o Santos venceu o Santo André, por 1 a 0, e ainda sonha com algo maior nesse Brasileiro.

Foram marcados 25 gols em nove partidas.”


As restrições da Folha de São Paulo à turma dela na internet

O jornal Folha de S.Paulo anunciou em comunicado interno, que os jornalistas e colunistas do veículo devem seguir algumas regras ao usar redes sociais, como Twitter e blogs. A recomendação, assinada pela editoria executiva, é que os profissionais não assumam opiniões partidárias, sobre qualquer candidato ou campanha, e também veda a publicação de conteúdo exclusivo, acessível apenas para assinantes do jornal.

Os jornalistas que quiserem citar alguma matéria exclusiva poderão fazer referência ao material, publicando o link para o acesso do conteúdo na íntegra. “Não devem colocar na rede os conteúdos de colunas e reportagens exclusivas. Esses são reservados apenas para os leitores da Folha e assinantes do UOL. Eventualmente blogs podem fazer rápida menção para texto publicado no jornal, com remissão para a versão eletrônica da Folha”, explica o texto.

Um dos jornalistas da Folha aguardava pela decisão. “Já sabia que iriam fazer isso. Tinha muita gente abusando. Você não pode emitir opinião de uma matéria que você cobriu”, declarou.

Outro profissional do veículo também esperava esse tipo de orientação do jornal. “Esperava que adotassem uma medida nesse sentido, principalmente pelo direito autoral. A decisão não mudou em nada meu procedimento no Twitter. Eu não faço nada no Twitter que eu não faria na Folha”, revelou o jornalista, que acredita que o conteúdo exclusivo deveria ser liberado. “Seria bem mais proveitoso, mas essa é outra questão”.

Apesar de defender as orientações do jornal, o profissional afirmou que o veículo é rigoroso em relação à imagem dos jornalistas do grupo. “Excedem no rigor, tudo tem que pedir autorização, para entrevistas, palestras, enfim…”.


Globo e Folha restringem uso de blogs, Twitter e outras redes sociais

Os grandes veículos de comunicação começam a fechar o cerco em torno dos seus contratados em suas atividades particulares nas redes de relacionamento pela internet. Ontem a Folha de São Paulo divulgou em sua edição que não vai admitir que seus profissionais misturem suas atividades com blogs, sites e Twitter. Semana passada a Globo já havia se manifestado a respeito. Veja essa notícia publicada pelo www.comunique-se.com.br :

“A TV Globo divulgou um comunicado interno na quinta-feira, em que restringe o uso de blogs e redes sociais pelos seus contratados. A medida atinge tanto artistas, como jornalistas e outros profissionais da emissora.

“A divulgação e ou comentários sobre temas/informações direta ou indiretamente relacionados às atividades ligadas à Rede Globo; ao mercado de mídia e ao nosso ambiente regulatório, ou qualquer outra informação/conteúdo obtidos em razão do relacionamento com a Rede Globo são vedados, independentemente da plataforma adotada, salvo expressamente autorizada pela empresa”, informa o comunicado. A Globo também exige autorização prévia para que os contratados possam ter blogs, Twitter e outras redes sociais vinculados a outros veículos de comunicação. “A hospedagem em Portais ou outros sites, bem como a associação do nome, imagem ou voz dos contratados da Rede Globo a quaisquer veículos de comunicação que explorem as mídias sociais, ainda que o conteúdo disponibilizado seja pessoal, só poderá acontecer com prévia autorização formal da empresa”.

A decisão gerou repercussão, mas até o momento somente artistas da emissora se manifestaram. A atriz Fernanda Paes Leme reclamou.“Não existe Arte sem liberdade de expressão!!”. “Blog, twitter ajudam o público a conhecer o artista por trás do personagem… eu vou continuar por AQUI!”. Jornalistas procurados pelo Comunique-se informaram que ainda não haviam recebido o comunicado. Apesar das restrições citadas, a Central Globo de Comunicação informou que não veda qualquer plataforma para o uso pessoal, mas que as ferramentas devem se limitar a isso. “A presença individual e particular dos nossos contratados deve se restringir, se desejada, exatamente a este universo, estando totalmente desvinculada da atuação na Rede Globo, nem tampouco associados a outros veículos de comunicação. Se essa separação clara não puder ser estabelecida, o uso dessas mídias fica inviabilizado”.

A emissora carioca alega que a medida tem o objetivo proteger seus “conteúdos da exploração indevida por terceiros, assim como preservar seus princípios e valores”.


O Duke não perdoa nem a ele mesmo

A charge do Duke no Super Notícia de hoje mostra que ele não perdoa nem a ele mesmo. Boa demais da conta!


Recuperação

Muito cobrado por causa da escassez de gols, Thiago Ribeiro dá mostras que está recuperando a velha forma. Contra o Internacional sofreu o pênalti que originou o primeiro gol do Cruzeiro, e fez o segundo, em lance de oportunismo e ótima presença na área. É outro que fica mais à vontade sem o Kléber em campo.

Essa e outras notas estarão em minha coluna de amanhã, no jornal O Tempo, nas bancas!