Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Cruzeiro, do treinador mais “antigo” deste Brasileiro contra o Ceará, de um dos mais recentes

Robinho, de volta ao time, em foto do Vinnicius Silva/Cruzeiro

O Cruzeiro pega o Ceará, 19h15, no Mineirão. O “Vovô” começou bem o campeonato goleando o CSA por 4 a 0 em Fortaleza. Poderá ser uma “vaca atolada” esta noite, ou não. O time é comandado pelo mineiro Enderson Moreira, que chegou para o Brasileiro, logo depois da demissão do Lisca Doido, que caiu por perder o estadual e por desgaste com jogadores e diretoria. A conferir.

Na 98 FM o Adroaldo Leal‏ Informou a possível escalação do Cruzeiro @AdroaldoLeal: “Mano deverá realizar algumas mudanças no time – Robinho e Léo voltam, Dodô deve ser mantido. Henrique e Rodriguinho devem ser poupados. Provável Cruzeiro: Fábio, Edílson, Dedé, Léo e Dodô. Lucas Silva ou Ariel Cabral, Romero, Robinho, Thiago Neves, Marquinhos Gabriel e Fred.

O “Estadão” deu destaque hoje para os técnicos com mais tempo de casa neste Brasileiro e Mano está no topo da lista: 33 meses (desde 26 de julho de 2016), seguido por Renato Gaúcho (Grêmio, 18 de setembro 2016), Rogério Ceni no Fortaleza (10 de novembro 2017), Oldair Hellmann (Internacional, 25 de novembro 2017) e Marcelo Cabo que comanda o CSA desde 19 de fevereiro de 2018.

Essa “longevidade” de vários deverá começar acabar logo nas primeiras rodadas do Brasileiro, com mais umas duas ou três derrotas ou mais uma ou duas goleadas. Nem o 3º colocado escapa: Rogério Ceni tomou de 4 a 0 do Palmeiras na estreia e corre risco. Recebe hoje o Athlético-PR e domingo vai ao Rio enfrentar o Botafogo.

Pior que a situação dele é a do Marcelo Cabo, menos famoso e com menos prestígio no CSA. Recebe o Palmeiras hoje e o Santos no domingo.

Geninho desde 18 de abril do ano passado no Avaí, que é o sexto da lista do “Estadão”,  perdeu na estreia para o Galo, recebe o Grêmio  hoje e domingo vai a Salvador enfrentar o Bahia.


Há 25 anos morria Ayrton Senna na Itália; no Mineirão a “SeleGalo” com Renato Gaúcho, Éder e Adilson Batista empatava com o Cruzeiro de Ronaldo “fenômeno”, Dida, Cerezo e outras feras

A partir de Emerson Fittipaldi a Fórmula 1 se tornou a segunda atração esportiva de quase todo brasileiro. Só perdia para o futebol. Com  ele e depois dele vieram Nelson Piquet, José Carlos Pace e o fenomenal Ayrton Senna, o nosso maior campeão.

A morte dele, aos 34 anos dde idade, mexeu com todo mundo. Quase todos nós nos lembramos do exato momento em que tomamos conhecimento da notícia. Eu estava dirigindo meu carro, um Ford Escort vermelho, a caminho do Mineirão, na rodovia MG-424, passando por Pedro Leopoldo, ouvindo a rádio CBN. Os narradores falaram do acidente “gravíssimo”, da chegada do helicóptero para socorrê-lo, da torcida para que ele se recuperasse, da expectativa em torno das primeiras notícias “direto do hospital” em Bolonha (a 35 Km do circuito de Ímola), e a agonia estava apenas começando. Um pouco mais tarde a notícia da “possível” morte cerebral e finalmente a confirnmação da morte. Era difícil acreditar.

Foi num 1º de maio, como hoje. O tempo passa depressa. Depois de Ayrton Senna vieram “foguetes molhados” como Rubens Barrichello, Felipe Massa e outros que fizeram menos fama. Nós, mineiros, chegamos a nos empolgar na crença de que o Cristiano da Matta fosse “estourar”. Também não deu.

Cheguei ao Mineirão e o assunto era só esse. O jogo foi fraco tecnicamente. Os jogadores também estavam baqueados por causa da notícia. Foi 1 a 1, gol do Gaúcho (que morreu aos 52 anos, em março de 2016) para o Galo e Cleisson para a Raposa.

O Cruzeiro comandado pelo saudoso Ênio Andrade: Dida, Paulo Roberto Costa, Célio Lúcio, Luizinho e Nonato; Ademir, Cerezo, Cleisson e Macalé; Ronaldo e Roberto Gaúcho (Catê).

O Atlético de Waldir Espinosa: Humberto, Luiz Carlos Winck, Adilson Batista, Kanapkis e Paulo Roberto Prestes; Éder Lopes, Darci, Zé Carlos e Éder Aleixo (Clayton); Renato Gaúcho e Gaúcho (Reinaldo).

Neto, hoje comentarista da Band, machucado, não jogou.

O árbitro foi Lincoln Afonso Borjaile Bicalho (que morreu em dezembro de 2009, aos 53 anos) auxiliado por Marco Antônio de Souza Machado e Marco Antônio Gomes.

Os gols e mais detalhes nessa reportagem do Hoje em Dia no dia 1º de maio do ano passado, de autoria do Fred Ribeiro, que agora está no jornal O Tempo, brilhando como sempre, diga-se:

https://www.hojeemdia.com.br/esportes/h%C3%A1-24-anos-morte-de-ayrton-senna-teve-atl%C3%A9tico-x-cruzeiro-em-luto-e-com-lendas-em-campo-1.617929


Está ruim; mas pode piorar! Que o América tenha muita calma nessa hora

Não vá cair na besteira de demitir treinador agora e agir de cabeça quente, apesar deste péssimo começo. 

O técnico Givanildo Oliveira foi sincero na entrevista depois do jogo e não ficou em cima do muro fazendo média com o elenco que tem nas mãos: precisa de reforços; “é urgente” Alguém poderia perguntar: mas só agora que você percebeu isso? Mas ele se antecipou na resposta: “A diretoria está trabalhando em cima disso. O que acontece é que as vezes tem (quer um) jogador que é um pouco mais caro (e não consegue contratar), e a gente não pode pegar e trazer outro jogador só para dar uma satisfação. Então, não adianta. É com calma, estão trabalhando em cima disso, das contratações. Eles (diretoria) também sabem que é urgência”

Fazer o quê? Que a diretoria se vire então!

Recém chegado da Série A, dois jogos, duas derrotas, para times que subiram da B do ano passado. Um a zero para o Operário em Ponta Grossa, um a zero para o Botafogo de Ribeirão Preto em pleno Independência. Situação incômoda do América neste início de campeonato, numa ducha fria em todos nós que acreditávamos que o time estivesse acertado. Ledo engano. O Campeonato Mineiro ilude, não é de hoje, mas entra ano sai ano e os dirigentes, dos clubes e da Federação não se tocam. Nem a maioria da imprensa, que entra o oba-oba, se engana e engana o público ao falar e escrever que o time tal tal fez uma partida partida e “vendeu caro” a derrota para um dos edinheirados da capital. Cruzeiro, Atlético e América deitam e rolam sobre os sobreviventes clubes do interior, que vendem almoço para comprar a janta neste estadual de fórmula esgostada, ridícula e que nos levam ao fracasso nas competições mais importantes da temporada.

Li a twittada que o grande (em todos os aspectos) Héverton Guimarães‏  escreveu depois do jogo @hevertonfutebol:  “Aniversário do América, melão rolando pela série B, depto de marketing com ações para torcedores e apenas 1800 pessoas no estádio.”

Mas aí eu pergunto, caro Héwerton: queria o quê? Casa cheia para ver o que viu?

Nenhum marketing resolve se o clube não tiver um time minimamente confiável.

Sem vitórias, nem Jesus salva!


E lá se foi a Beth Carvalho, intérprete do belíssimo segundo hino do Galo!

Vai festejar lá no céu com milhões de atleticanos que também nos deixaram e velam por nós lá de cima! Viva Beth Carvalho!

Aos 72 anos de idade. Guerreira, lutou pela vida e cantou na cama até seus últimos dias. A música “Vou festejar”, foi adotada pela massa atleticana nos anos 1980 e ela adotou o Atlético. Descanse em paz Beth Carvalho e obrigado pela obra que deixou, como essa e outras tantas que podem ser conferidas no YouTube:

https://www.youtube.com/watch?v=wSjelkRuK8U


Parabéns América, 107 anos; preferencialmente com uma grande vitória esta noite

O Coelhão faz aniversário hoje e todos os americanos, mais aqueles que apesar de torcer pra outros times gostam do clube, torcem por uma grande vitória daqui a pouco, 21h30, no Independência sobre o Botafogo de Ribeirão Preto. É a segunda rodada da Série B, com jogos que prometem.

Givanildo e cia. perderam na estreia para o Operário de Ponta Grossa e precisam vencer hoje.

O adversário começou bem, derrotando o Vitória-BA por 3 x 1 em Ribeirão Preto.


Primeira rodada não diz muita coisa. A partir da quinta é que se tem um desenho do que poderá ser o campeonato

Em termos de briga na cabeça e na rabeira. Mas todo ponto é muito importante a partir de agora. O fantasma dos estaduais continua dando o que falar, como bem lembrou o Luiz Prosperi, ex-Estadão, comandante do portal ChuteiraFC (http://chuteirafc.cartacapital.com.br/), muito bom aliás: “Série A é outra história. Conceitos construídos nos estaduais viram pó na primeira rodada do Brasileirão.”

A bola da vez para técnico do Atlético agora é o conceituado colombiano Carlos Osório. São dois problemas a se atentar com relação a ele e treinadores estrangeiros de perfil semelhante: até conhecer o clube, o elenco, a cidade, o campeonato já estará passando da metade e o time capengando. Ou, quando, dá certo, aparece uma seleção de algum país do planeta com uma mala de dólares e leva o sujeito, interrompendo o trabalho.

Não vi o zagueiro Murilo em ação muitas vezes mas lembro de grande jogos dele em 2017. Peço ajuda a quem o acompanha com mais atenção, pois estou assustado com o tanto de porrada que ele tem tomado. Na estreia do Cruzeiro na Libertadores ele cometeu um vacilo que quase resultou em gol do Huracan, mas fez uma boa partida. Mas recebeu tratamento de muitos companheiros da imprensa como se tivesse sido o pior em campo. Nessa derrota para o Flamengo, Fábio falhou no primeiro gol. Dedé com toda a experiência foi muito mal, mas tenho ouvido até agora que o Murilo foi o grande vilão. Como só vi os melhores momentos da partida não posso opinar. Mas entendo que a carga pra cima dele está maior do que ele merece.


Conceição impediu-me de assistir a estreia mineira no Brasileirão 2019

Depois que inventaram a desculpa ninguém mais tem culpa, não é? Sendo assim, peço desculpas às senhoras e senhores que prestigiam este blog, pela falta de comentários sobre as estreias de Atlético e Cruzeiro no Brasileiro, ontem. Espero que compreendam o motivo: Três Barras, este belíssimo Distrito de Conceição do Mato Dentro (fotos, a 14 Km do Centro da cidade) está na contagem regressiva para acabar com a falta de internet e telefonia.

Dentro de mais alguns dias a CMDNet, do Cristiano Lages, vai conectar o lugar com o mundo. As torres já estão instaladas, o sinal chega já já. E eu estava lá, aonde nem as rádios de Belo Horizonte  entram direito. Fiquei sabendo pelo AM da Inconfidência, de madrugada, que o Galo venceu o Avaí e que o Cruzeiro perdeu para o Flamengo. No retorno à Capital esta manhã ouvi os comentários dos companheiros da Itatiaia, no alto da Serra do Cipó.

Fica o convite para que conheçam Três Barras, onde estão algumas das mais belas cachoeiras de Minas, um visual espetacular das nossas montanhas e trilhas que dão vontade de caminhar eternamente, como a que nos leva ao Distrito do Tabuleiro, por baixo da famosa cachoeira. Também há trilhas por cima da cachoeira, passando pelo “Buraco”, uma imperdível região quilombola ou por Cubas, outro lugar de beleza e tranquilidade inacreditáveis.

É tudo Conceição, que voltou a atrair gente que gosta de natureza, cultura, turismo religioso, turismo de aventura, gastronomia e esportes radicais. Retomada iniciada pelo prefeito Reinaldinho Guimarães e abraçada decisivamente pelo atual prefeito, Zé Fernando Aparecido, um apaixonado pela região e por políticas públicas voltadas a atividades como essas.

Coincidentemente ele esteve hoje em Três Barras (à direita na foto abaixo, ao lado do Vereador Sidinei e do visitante diamantinense Waldívio Marcos de Almeida), reunido com a comunidade, ouvindo as pessoas, curtindo o lugar e cumprindo os compromissos da campanha de 2016.

Em 17, 18 e 19 de maio teremos a segunda edição do Tabuleiro Jazz Festival, ideia e incentivo do Zé. Ano passado foi espetacular. Este ano promete ser melhor ainda. As senhoras e senhores do blog convidados, obviamente.

Certamente tomaremos uns “chás com torradas”, juntos lá. Durante o evento são exibidos e comercializados produtos locais, como queijos especiais, inseridos entre os melhores do estado e do país (http://rocacapital.com.br/quais-sao-as-regioes-produtoras-de-queijos-em-minas-gerais/), cachaças, doces, artesanato e por aí vai.

Voltando à Três Barras, quem aparecer tem agora ótima opção de hospedagem, que é a Pousada e restaurante Kayuá, da Bete, nessa foto com o irmão Riquinho, locutor que fez fama nos bons tempos da Rádio 107 em BH e na Bom Jesus de Conceição. Atualmente é professor de arte e comanda a Companhia de Teatro Condelon.

Os telefones da pousada: 31 97123 0850 / 98282 9413 e 99794 8173.

Na Kayuá você poderá encontrar gente ótima e a alegria contagiante de pessoas como a Silvana e Paula. . .

… ótimos exemplos da receptividade do povo de Conceição do Mato Dentro, que fica a menos de 180 quilômetros Belo Horizonte.


Disse Matheuzinho sobre a péssima estreia do América: “A gente não conhecia o adversário

Na contramão do futebol de hoje Matheuzinho tentar justificar a derrota na estreia do América: “A gente não conhecia o adversário. Antigamente Garrinha e outros craques podiam se dar ao luxo de não tomar conhecimento dos adversários porque era só jogar bola e botar o outro lado, cheio de pernas de pau no bolso. O tempo passou, as coisas se igualaram e os mais organizados e conhecedores dos bastidores passaram a predominar.

Garrincha parou de jogar em sete de setembro de 1972 , morreu 20 de janeiro de 1983. Aí me vem o Mateusinho e diz que “A gente não conhecia o adversário. A gente tentou criar, a gente tentou chegar, mas o time deles é alto e a gente perdeu um pouco nisso também, na bola aérea, e foi nisso que a gente tomou o gol.” “A gente não conhecia o adversário”.

Aí fica difícil demais acreditar no América.


Brasileirão começa hoje para Minas Gerais com o América no Paraná

É a Série B e o Coelhão precisa retornar à primeira divisão em 2020. Força Mecão.  Detalhes da estreia contra o Operário em Ponta Grossa-PR no Superesportes:

* “Com meta de voltar à elite, América visita ascendente Operário-PR em estreia na Série B”

Clubes se enfrentam pela primeira rodada, em Ponta Grossa, no Paraná

Victor Paixão /Superesportes

OPERÁRIO-PR x AMÉRICA

Motivo: primeira rodada da Série B do Campeonato Brasileiro

Data: sexta-feira, 26 de abril

Horário: 19h15

Local: Estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa

Árbitro: William Machado Steffen (SC)

Auxiliares: Eder Alexandre e Thiaggo Americano Labes (ambos de Santa Catarina)

OPERÁRIO-PR

Simão; Léo, Lázaro (Alisson), Sosa e Allan Vieira; Chicão, Índio e Xuxa; Uilliam, Felipe Augusto e Bruno Batata.

Técnico: Gerson Gusmão

AMÉRICA

Fernando Leal; Leandro Silva, Diego Jussani, Paulão e João Paulo; Juninho, Zé Ricardo, Felipe Azevedo, Matheusinho e Jonatas Belusso; Júnior Viçosa

Técnico: Givanildo Oliveira (mais…)


Depois da penúltima rodada o Cruzeiro continua nadando de braçada na Libertadores

Dedé em foto do Cruzeiro em grande momento da carreira, animando torcedores na Toca da Raposa

O Cerro, que estava na cola do Cruzeiro, perdeu pro Zamora; o Flamengo, que no papel, era um dos maiores favoritos ao título, patina e corre o risco de ficar fora das oitavas. Com nove pontos, decidirá sua vida em Montevidéu, contra o Peñarol, que também tem nove e precisa vencer para não correr o risco de ser eliminado, já que o terceiro colocado é o equatoriano LDU, sete pontos, que receberá em casa o boliviano San José, que tem 4 e estáa eliminado.

Outro “favoritaço” no papel era o Palmeiras, que também patina. Goleou esta noite o Melgar, fora de casa, e chegou aos 12 pontos, classificado, junto com o argentino San Lorenzo, que tem 10 pontos.

E o Grêmio? Até começar a Libertadores era o time queridinho da imprensa brasileira, por jogar “o melhor futebol no Brasil” atualmente. Quase foi eliminado nessa primeira fase mas reagiu, venceu o Libertad (12 pontos) em plena Assunção, chegou aos sete pontos, o mesmo que a Universidade Católica, do Chile, que entretanto jogará a última rodada em Porto Alegre contra o Grêmio.

No Grupo C ninguém incomoda o primeiro lugar geral do Cruzeiro. O Olímpia do Paraguai (nove) está classificado e vê a briga de Godoy Cruz e Concepción (seis) pela segunda vaga.

Único que pode incomodar pra valer o Cruzeiro é o Internacional que tem 12 pontos, contra o River que tem nove, Palestino quatro e o Alianzza de Lima (um).


Página 11 de 1.100« Primeira...910111213...203040...Última »