Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Em dez minutos de bom futebol Cruzeiro liquidou o Santos na Vila Belmiro

Golaço do Raniel deu vitória ao Cruzeiro na Vila

Não vi o jogo inteiro. Fico com algumas opiniões de alguns companheiros que conhecem do assunto:

Alexandre Simoes‏ @oalexsimoes: “Raniel, mais uma vez, deu vida ao ataque do Cruzeiro. Tem virado rotina. Fábio e Dedé foram monstros. Jogo foi fraco tecnicamente. Mas vitória cruzeirense foi justa.”

@UOLEsporte: “Gabigol pede pênalti, juiz chama VAR pela 1ª vez no Brasil, mas não marca. o árbitro Wilton Pereira Sampaio aproveitou para ouvir o árbitro assistente de vídeo e, informado, mandou o jogo seguir…”

Samuel Venâncio™‏ @samuelvenancio: “9ª assistência do Robinho no ano. 7º gol do garoto Raniel.”

Paulo Galvão‏ @paulogalvaobh: “Vocês manteriam o Barcos como titular ou trocariam pelo Raniel? Sinceramente, sou mais o garoto. Acho que Barcos pode ser útil, mas não como titular.”

Rádio Itatiaia: “Cruzeiro vence Santos na Vila e abre vantagem na disputa por vaga nas semifinais da Copa do Brasil: https://bit.ly/2vvSrH0 


Cuca de um lado, Mano do outro, VAR no meio e outros ingredientes para um grande jogo

A charge do Duke no Super Notícia de hoje mostra, com o humor fino de sempre, que as opções táticas serão decisivas no clássico em Santos pela Copa do Brasil.

Acredito que Cruzeiro e Santos farão um ótimo jogo, daqui a pouco, na Vila Belmiro, especialmente no plano tático. Competição “mata-mata”, em que a forma de jogar dos times muda em relação a pontos corridos e dois estrategistas, dos melhores do nosso futebol frente a frente. Mano Menezes e cia. pressionados por causa de duas derrotas consecutivas, Cuca estreando em um Santos vivendo momento delicado, lutando contra a zona do rebaixamento no Brasileiro, precisando de uma vitória que alivie a pressão, ainda mais em casa. O estilo ofensivo, às vezes exagerado do Cuca, contra a solidez do sistema defensivo do Mano, que tem dado certo no Cruzeiro, inclusive atual campeão da Copa do Brasil, jogando assim.

Holofotes voltados ao Thiago Neves, principal jogador cruzeirense, cujo futebol anda desaparecido. Grandes jogadores costumam emergir em momentos assim, de intensa pressão, em que o time precisa do futebol dele. Bola, tem. Se estiver inteiro, pode fazer diferença esta noite.

Também tem a estreia do VAR, né? Que deverá dar  muito o que falar no futebol brasileiro. Aguardemos as 19h45!


Com improviso, uma das “estrelas” da Copa da Rússia estreia oficialmente hoje na Copa do Brasil: VAR, com imagens da Globo e da Fox

Foto: Globoesporte.com

Depois do mundo, agora as competições nacionais passam a contar com a tentativa tecnológica de se diminuir os erros das arbitragens. A partir das 19h45, no Santos x Cruzeiro, vamos conferir como as “autoridades” brasileiras do apito vão se comportar.

O Uol deu uma geral sobre o funcionamento do recurso:

“VAR da Copa do Brasil terá menos câmeras que a Copa e imagens da Globo”

Serão entre 14 e 16 câmeras por jogos no torneio, contra 35 no Mundial  

O árbitro de vídeo da Copa do Brasil terá menos da metade das câmeras da Copa do Mundo da Rússia-2018 e usará imagens da Globo e Fox Sports, transmissoras da competição.

Serão entre 14 e 16 câmeras nos jogos do campeonato, enquanto a Fifa utilizava 35 equipamentos por partida no Mundial.

Pelo protocolo da Fifa, é obrigatório que sejam utilizadas as imagens das transmissões dos jogos. Há ainda uma empresa contratada para operar o VAR em cada um dos oito estádios.

“Vamos utilizar 14, 15 ou 16 câmeras. São duas empresas, Globo e Fox. É bom esclarecer que com sete câmeras, já teremos 95% de todos os lances. Uma situação especial, uma mão escondida [pode passar]. Nós vamos recorrer a todas as imagens disponíveis. Temos solução para todos os lances”, analisou Manoel Serapião, coordenador do árbitro de vídeo no Brasil.

O custo da operação será de R$ 50 mil por jogo, ou R$ 700 mil até a final da competição. A Broadcast será a empresa responsável por estruturar o árbitro de vídeo nas partidas, após ganhar a concorrência promovida pela CBF, que contou com dez postulantes a fornecedor do serviço.

A CBF divulgou também a escala de arbitragem para os jogos de ida das quartas de final da Copa do Brasil.

Para este ano, o VAR (sigla em inglês para Video Assistant Referee) foi rejeitado no Campeonato Brasileiro porque a CBF não quis arcar com os custos e jogou a responsabilidade para os clubes, que não aceitaram pagar o valor proposto –R$ 50 mil por jogo, o mesmo que será pago pela entidade na Copa do Brasil.

https://www1.folha.uol.com.br/esporte/2018/07/var-da-copa-do-brasil-tera-menos-cameras-que-a-copa-e-imagens-da-globo.shtml

 


Galinho hexacampeão da Taça BH. Quem sabe tem um lateral direito e um zagueiro para o time profissional aí!?

Com dois gols de Gulherme e um do Mário, o Atlético fez 3 a 1 no Fluminense e conquistou seu sexto título nesta 34ª edição da Taça BH, há quatro anos sendo disputada na categoria sub-17. O Atlético também foi campeão em 2011, 2009, 2005, 1989 e 1988.

Qualquer título é importante, mas a principal função da base é revelar jogadores para o time principal. A torcida sonha com grandes novos Reinaldos, Cerezzos, etecetera, mas em caráter de urgência, ficaria feliz demais com um lateral direito e um zagueiro para evitar pesadelos como os vividos pelo Galo este ano.


Parabéns à Alvorada FM 94,9. 40 anos de pleno sucesso!

Fernanda Takai cantou os 60 anos da Bossa Nova em homenagem aos 40 anos da Rádio Alvorada FM, agora há pouco, na Caravaggio Jardim Canadá, belíssima galeria de arte e eventos.

Por meio desta foto do Francisco Bessa, entre dois grandes nomes da publicidade mineira e brasileira, Helvécio (18) e Fernando Campos (Solution), a minha homenagem à emissora, que comemora quatro décadas de sucesso.

Há 33 anos o Bessa comanda essa rádio, sempre inovando, liderança absoluta de audiência em seu segmento.

Tive o prazer e a honra de trabalhar nesta casa, de gente brilhante, onde fiz grandes amizades, aprendi demais e a quem sou eternamente grato.


Vaca não está reconhecendo bezerro: Thiago Larghi gostou do time e acha que todos os jogadores foram bem

Foto Bruno Cantini/Atlético

O Atlético tem o melhor ataque do Brasileirão, 30 gols, mas em compensação tem a segunda pior defesa, 24, atrás apenas do Vitória que levou 31. A lerdeza desses defensores é de matar todo atleticano de raiva. O time achou um gol no primeiro tempo, defendeu-se como pôde, tomou o empate aos 39, num contra ataque que poderia ter sido evitado, não fosse o vacilo do Elias. Fez 2 a 1 com o Ricardo Oliveira, que até então estava apagado em campo e conseguiu tomar outro empate quando o árbitro se preparava para apitar o fim do jogo.

O destaque positivo foi o Chará. Cazares entrou numa preguiça danada e não cumpriu o que se esperava dele, de segurar a bola no ataque ou definir o jogo nas oportunidades que teve. As falhas individuais continuam comprometendo. No primeiro gol baiano, vacilo do Elias, no segundo foi um atleticano, que não identifiquei quem até agora (e nenhum locutor de TV ou rádio também), cortou a cobrança de lateral para o centro da área, dando passe para o Régis marcar o gol.

Não dá para continuar ouvindo o técnico Tiago Larghi dizer que “todo o time foi bem”, “fizemos um grande jogo”, a arbitragem “nos prejudicou mais uma vez” e etecetera e conversa fiada e tal.

O Custodio Pereira Neto‏ da Cariogalo resumiu bem: @CustodioTodinho “Pelo amor de Deus! Fim de jogo, fez 2×1, tem que acabar a partida. Faz falta, troca jogador, cai no chão, fura a bola, qualquer coisa. Bola pro mato que vale campeonato. Deixar matar no peito 2 vezes e chutar livre, de dentro da área, é um vacilo imperdoável. Do time todo!”


Neymar, cercado de cabeças cozidas, marca mais um gol contra!

O filme que a Gillette fez para tentar melhorar a imagem do Neymar foi uma das coisas mais ridículas já produzidas pela indústria publicitária mundial. A começar pela ideia, totalmente desnecessária. Um atleta como ele melhora a imagem de forma natural, trabalhando pelo próprio time, fazendo belas jogadas, marcando gols, coisas que ele sabe fazer muito bem. O problema dele é exatamente o seu “staf”, lamentavelmente comandado pelo pai, um despreparado para isso. Cuidou mal da saída do filho do Santos para o Barcelona, de onde também saiu mal. Na seleção brasileira tem sido um desastre em termos de imagem, sem dar retorno dentro de campo nas Copas América e Copas do Mundo das quais participou. Sempre compondo o bloco do “eu sozinho”, último a sair do vestiário, o que aquece sozinho e último a retornar ao vestiário, sempre deixando à mostra um detalhe que estará nas peças publicitárias na sequência: uma camisa, uma bolsa, uma meia e até cuecas. Nas entrevistas não fala coisa com coisa, quando as dá. Depois da eliminação na Rússia, se recusou a falar, mesmo sendo o principal jogador.

Primeiro ganhou a antipatia internacional, agora a nacional. Aí aparece um gênio com a ideia desse vídeo horroroso, texto de péssimo gosto, cheio de jargões e frases de almanaque de quinta categoria. Deve ter sido coisa do pai, já que publicitário minimamente competente não elabora nem produz tanta porcaria. Conseguiu reforçar a imagem de canastrão que o jogador conquistou mundo afora!


Vitória americana, sensacional; na garra e no erro do adversário, ao estilo Adilson Batista

A história de que “hoje a bola não entraria de jeito nenhum”, serviu também para o Santos, e quem se beneficiou de um pênalti corretamente marcado foi o América. O árbitro paranaense Rafael Traci foi corajoso dentro da Vila Belmiro, ao apitar a falta no Marquinhos. A esta altura os dirigentes do Santos devem estar xingando até a última geração do apitador, por não se submeter a pressões e fazer o que tinha que ser feito naquele momento. Talvez até por isso tenha dado exagerados seis minutos de tempo extra, que o Santos não soube aproveitar.

Outra vez um time bravo e disciplinado taticamente. Defendeu-se muito bem, desde o início, apostou em um erro qualquer do adversário e volta com um ótimo e inesperado resultado para Belo Horizonte. Todo o time foi guerreiro, mas o goleiro João Ricardo e o zagueiro Messias fizeram diferença especial.


Cruzeiro em segunda derrota consecutiva e sem nenhuma explicação convincente

Nas enfadonhas entrevistas coletivas pós-jogo, quando treinador e jogadores não têm o que responder sobre uma derrota o discurso é sempre o mesmo: “hoje a bola não quis entrar”. No caso destes 2 a 0 para o São Paulo, Mano Menezes acrescentou: “nem de pênalti”.

A verdade é que o time deu uma desarrumada. Falar em ausência do Thiago Neves não cola, já que ele atravessa fase ruim há vários jogos, das piores da carreira dele; segundo consta, em função de problemas extracampo, que “acometem” muitos jogadores que veem morar em Belo Horizonte.

Mas, independentemente de qualquer coisa o São Paulo mereceu a vitória. O time é muito bem treinado pelo Diego Aguirre, totalmente diferente daquele Atlético que ele comandou. O próprio Aguirre está diferente. À beira do gramado, orientando e cobrando dos seus jogadores, ao contrário daquele frio chefe com jeito de burocrata dos tempos da Cidade do Galo.

A cobrança aumentou por uma reação contra o Santos pela Copa do Brasil esta semana.


Até agora o poder do dinheiro não está sendo soberano no Brasileirão

Como bem lembrou o repóter fotográfico Eugênio Sávio, as seis primeiras posições do campeonato têm um carioca, um paulista, dois mineiros e dois gaúchos. Claro que a disputa está em seu começo, mas é um sintoma de que a “espanholização” do nosso futebol ainda não chegou. Os nossos candidatos a Real Madri e Barcelona tupiniquins, Flamengo e Corinthians não estão disparados na frente na mesma proporcionalidade dos gigantes espanhóis. O rubro-negro lidera, com dois pontos de diferença sobre o São Paulo, mas o time é comparável a quase todos os demais, em termos de elenco. O Corinthians anda mal das pernas em termos administrativos e dentro de campo, perdendo jogador importante até para o futebol egípcio, caso de Rodriguinho, ex-América. Clubes fora do eixo Rio/SP para ocuparem as primeiras posições têm de ser competentes demais para montar times e trabalhar nos bastidores, já que a diferença do que arrecadam em direitos de TV e publicidade é absurdamente menor. Normalmente a força da grana começa a se fazer sentir depois da metade do returno, quando contusões, suspensões e vendas de jogadores pesam e as peças de reposição de mineiros e gaúchos não são tão boas quanto às cariocas e paulistas.

Por falar em Eugênio Sávio, vale lembrar que ele é belorizontino, professor da PUC/MG, criador do Festival de Fotografia de Tiradentes e fotógrafo dessa foto . . .

. . . a mais  mais comentada da Copa da Rússia, com aquele flagra do gol do Paulinho contra a Sérvia.

CLASSIFICAÇÃO PG J V E D GP GC SG %
Flamengo 31 15 9 4 2 24 9 15 69
São Paulo 29 15 8 5 2 23 14 9 64
Atlético-MG 26 15 8 2 5 28 22 6 58
Grêmio 26 15 7 5 3 15 7 8 58
Internacional 26 15 7 5 3 19 12 7 58
Cruzeiro 24 15 7 3 5 13 11 2 53
Palmeiras 23 15 6 5 4 22 15 7 51
Corinthians 22 15 6 4 5 17 12 5 49
Fluminense 21 15 6 3 6 18 19 -1 47
10° Botafogo 20 15 5 5 5 17 18 -1 44
11° Vasco 19 13 5 4 4 19 19 0 49
12° Sport 19 15 5 4 6 16 19 -3 42
13° Vitória 18 15 5 3 7 19 27 -8 40
14° América-MG 17 15 5 2 8 17 23 -6 38
15° Santos 16 14 4 4 6 16 18 -2 38
16° Bahia 16 14 4 4 6 15 19 -4 38
17° Chapecoense 16 15 3 7 5 15 21 -6 36
18° Paraná Clube 13 15 3 4 8 8 19 -11 29
19° Atlético-PR 10 14 2 4 8 13 19 -6 24
20° Ceará 8 14 1 5 8 8 19 -11 19

 


Página 11 de 1.065« Primeira...910111213...203040...Última »