Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Pedrinho BH é a nova baixa na diretoria interina do Cruzeiro e com ele sai também o Alexandre Mattos

Foto: Prefeitura de Montes Claros/Divulgação

Situação complicada. Depois de Vittorio Mediolli, agora há pouco foi o Pedro Lourenço que deixou a diretoria provisória do clube, conforme informação dada bem cedo hoje pelo SupoerFC, por meio dos repórteres Fernando Martins Y Miguel e Josias Pereira:

* “Empresário deixa a reunião após definir que não será mais gestor do clube”

Foto: Agência Palmeiras

https://www.otempo.com.br/superfc/cruzeiro/confirmado-pedro-lourenco-comunica-saida-e-notaveis-discutem-substituicao-1.2282311


Expectativa geral em torno de Dudamel no Atlético e demais estrangeiros comandando times brasileiros em 2020

Em foto do site do Galo, Rafael Dudamel em frente à sede de Lourdes.

Na onda do sucesso do português Jorge Jesus no Flamengo em 2019 a temporada deste ano será diferente em termos de motivação e expectativa quanto à forma de jogar e sucesso ou não dos clubes que estão apostando em técnicos do exterior. Até a vinda do europeu Jesus para o Flamengo os sul-americanos nunca conseguiram grandes títulos comandando clubes do Brasil. Outro português, Jesualdo Ferreira, vai comandar o Santos, o Galo vai com o venezuelano Dudamel, o Internacional com o argentino Coudet e o Bragantino negocia com outro português.

A revista Veja analisou o estilo de cada um dos já confirmados:

* “Invasão estrangeira: quem são os treinadores recém-chegados ao Brasil”

Dudamel, do Atlético, Jesualdo Ferreira, do Santos, e Eduardo Coudet, do Inter, farão companhia a Jorge Jesus, cujo sucesso lhes abriu as portas

O impacto causado pelo português Jorge Jesus, campeão brasileiro e da Libertadores pelo Flamengo, e pelo argentino Jorge Sampaoli, que deixou o Santos depois do vice-campeonato nacional, abriu as portas a novos treinadores estrangeiros em 2020. Três clubes da primeira divisão já confirmaram as contratações de comandantes de fora do país: o Atlético-MG, com o venezuelano Rafael Dudamel, o Santos, com o português Jesualdo Ferreira, e o Inter, com o argentino Eduardo Coudet.

Outros clubes, como o recém-promovido Red Bull Bragantino, que negocia com o português Carlos Carvalhal, também podem recorrer à metodologia gringa até o início do Brasileirão. Nem todos os forasteiros, porém, seguem exatamente a filosofia de jogo que consagrou Jesus e Sampaoli. Confira, abaixo, o que esperar dos novos “misteres”.

Rafael Dudamel (Atlético)

Dudamel, de 47 anos, surpreendeu os torcedores de seu país ao deixar a seleção venezuelana depois de cinco anos de um elogiado trabalho, alegando desavenças com a diretoria. No comando da seleção “Vinho Tinto” adulta, ele participou de 42 jogos, com 12 vitórias, 17 empates e 13 derrotas. No ano passado, se destacou na Copa América do Brasil, no qual empatou com a seleção anfitriã na primeira fase e caiu nas quartas de final diante da Argentina.

A Venezuela de Dudamel causou enormes problemas à seleção brasileira e a outras gigantes do continente jogando de maneira defensiva e organizada, assustando nos contra-ataques. Ao desembarcar nesta segunda-feira, 6, em Belo Horizonte, ele negou que seja um “retranqueiro”. “Meu estilo é ganhar!”, disse. “Estou muito feliz de estar no Galo, por sua grandeza, por sua história e é uma grande oportunidade de triunfar”, completou.

Dudamel foi um goleiro de destaque, titular de seu país durante muitos anos – era o goleiro do Deportivo Cáli, da Colômbia, na final da Libertadores de 1999 vencida pelo Palmeiras –, e pendurou as luvas em 2010, quando iniciou a nova carreira no Estudiantes de Mérida, único clube que dirigiu. Ele assinou contrato de dois anos com o Atlético e tem como um de seus principais trunfos a habilidade para desenvolver jovens jogadores, uma necessidade do clube. Era ele o treinador da surpreendente seleção venezuelana que conquistou o vice-campeonato mundial sub-20 em 2017.

Jesualdo Ferreira (Santos)

(mais…)


Lateral Edilson já participou do rebaixamento de quatro clubes do futebol brasileiro

Edilson em apresentações pelo Atlético, em 2005, e pelo Cruzeiro, em 2018 (Foto: Paulo Filgueiras/Estado de Minas e Ramon Lisboa/EM/D.A Press)

Exatamente há um mês o Cruzeiro caía para a segunda divisão na derrota para o Palmeiras, 2 a 0, no Mineirão. Logo após a partida o Superesportes lembrou esta triste marca do lateral Edilson, suja contratação foi descartada pelo Grêmio, ontem. Eu nem lembrava que ele tinha jogado no Atlético.

* Edilson se torna o único jogador a ser rebaixado com Atlético e Cruzeiro

Lateral atuou nas temporadas do rebaixamento das duas equipes mineiras

“Edilson também foi figura presente em outros rebaixamentos da Série A para a B em times brasileiros durante a carreira. Em 2011, ele fez parte do elenco do Athletico-PR que terminou em 17º lugar no Brasileiro, com 41 pontos. Já em 2014, atuou pelo Botafogo. O clube carioca terminou em 19º e vice-lanterna, com 34.”

https://www.mg.superesportes.com.br/app/noticias/futebol/cruzeiro/2019/12/08/noticia_cruzeiro,3630257/edilson-se-torna-unico-jogador-a-ser-rebaixado-com-atletico-e-cruzeiro.shtml


Sete Lagoas se mobiliza para tentar recolocar o Democrata na prateleira de cima do futebol mineiro

Em foto de Luísa Gonçalves o time do Democrata que disputou o campeonato do ano passado, totalmente mudado para a temporada 2020

Com a credibilidade recuperada por uma nova e atuante diretoria o Democrata Jacaré está conseguindo mexer novamente com toda a cidade que quer ver o time subindo este ano para a primeira divisão estadual de 2021. Com bons apoiadores comerciais, programa de sócio torcedor fazendo sucesso e venda de camisas e outros produtos com a marca do clube, o otimismo é grande e está contagiando toda a região. Para conhecer um pouco deste trabalho, se associar e adquirir camisas e souvenir é só acessar www.lojadodemocrata.com.br/socio-jacare-2020

Segunda-feira o técnico Paulinho Guará iniciou os preparativos para a estreia dia oito de fevereiro em São João Del Rey, contra o Athletic, como mostra esta reportagem do Celso Martinelli para o jornal Sete Dias:

* “Paulinho promete Jacaré jogando com intensidade e leveza” (mais…)


Exemplo que vem do Sul para Minas: Grêmio não quer mais Edilson. Pra ser contratado, precisa ter condição de jogo

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

A notícia está no Zero Hora, de Porto Alegre. Parece óbvia, mas Atlético e Cruzeiro estavam na contramão até o ano passado, nessa história de contratar velhos jogadores manjados ou “baleados”. Edilson era tido como certo no Grêmio, mas tomou bomba na avaliação da diretoria e comissão técnica. E olhem que ele foi campeão foi campeão da Libertadores em 2017 pelo clube. Repetindo: 2017.

* “Não rolou”

Grêmio desiste da contratação do lateral-direito Edilson

Baixo rendimento do jogador nas últimas temporadas pesou na decisão

Na busca por um lateral-direito para disputar posição com Victor Ferraz, o Grêmio aproveita as últimas semanas sem bola rolando para analisar o mercado. Um dos nomes oferecidos à direção foi o de Edilson, atualmente no Cruzeiro, que tem duas passagens pelo clube. O modelo de negociação foi discutido internamente, mas a opção foi de não contratar o atleta, em função de seu rendimento recente. O jogador de 33 anos deve conseguir a liberação do time mineiro nos próximos dias. Com isso, Edilson vai ficar livre no mercado e aceitaria um salário menor do que o atual, em Belo Horizonte. A decisão por não trazê-lo de volta à Arena em 2020 ocorreu depois de debate entre os dirigentes do Tricolor, em reunião do Conselho de Administração na última segunda-feira (6).

O baixo rendimento com a camisa do clube mineiro em 2019 foi fator fundamental para não contar com o lateral mais uma vez no clube. Na última temporada, foram apenas 28 jogos e uma série de lesões. Em 2018, teve oito partidas a mais (36) e, no último ano pelo Grêmio, em 2017, Edilson disputou 40 jogos, revezando com Léo Moura na conquista da Libertadores.

Agora, a direção espera pelo retorno das atividades no CT Luiz Carvalho para explorar mais nomes no mercado para a lateral. Victor Ferraz é o único jogador à disposição de Renato no atual elenco. Leonardo Gomes, lesionado, só voltará aos gramados no final do primeiro semestre.

https://gauchazh.clicrbs.com.br/esportes/gremio/noticia/2020/01/gremio-desiste-da-contratacao-do-lateral-direito-edilson-ck546xk8o023s01oddccbmzjj.html


Presidente interino abre o jogo: “o Cruzeiro, hoje, é uma terra arrasada”. Alerta vale para outros grandes clubes

Presidente interino José Dalai Rocha, em foto do Vinnicius Silva/Cruzeiro

Na música “Revanche”, Lobão questiona: “… mas se tudo deu errado, quem é que vai pagar por isso?” E repete duas vezes: “quem é que vai pagar por isso?”.

Já passou da hora de mudanças na legislação brasileira que rege as associações esportivas. É inacreditável que os responsáveis por arruinar as contas do clube simplesmente saiam, retornem às suas vidas normais e a instituição fique na pior desse jeito!

E o pior é que todos os clubes brasileiros já passaram ou passam por situações semelhantes e não me lembro de algum cartola ter sido incriminado e penalizado.

O presidente interino do Cruzeiro, José Dalai Rocha, tem tratado os assuntos do clube com toda a transparência, sem rodeios. Na última coletiva revelou o constrangimento de não ter o que falar com jogadores e funcionários em relação aos salários atrasados, a não ser pedir mais paciência: “Reunimos com os atletas, mas não apresentamos solução. Pedimos compreensão a quem não pode mais esperar. Mas estamos pedindo. É o único caminho. O Cruzeiro, hoje, é uma terra arrasada, infelizmente”.

Ele responsabiliza o ex-presidente Wagner Pires de Sá, que por sua vez responsabiliza o antecessor Gilvan de Pinho Tavares, que por sua vez responsabiliza Zezé Perrella e por aí vai.

A administração passada agiu como se estivéssemos em uma filial da casa da moeda. As dívidas são astronômicas”, disse o Dr. Dalai Rocha.

Eu pedi compreensão. Não podemos dar prazo. Na certeza que, os que quiserem sair, não terão obstáculos desnecessários do clube, eles têm direito de seguir seus caminhos. Os que quiserem ficar, ombreando conosco, serão recompensados. Gostaria de dizer um prazo, mas, infelizmente, não temos. Nossa esperança é a participação do torcedor”.

O clube deve salários de outubro, novembro e dezembro, além do 13º, sem falar em Fundo de Garantia, férias, etecetera, etecetera…

Sobre as demissões feitas nos últimos dias ele explicou: “Não é só pelo fato de alguém ter trabalhado na antiga diretoria que seria excluído. Mas está sendo feita uma auferição com base em salários. Uma das características da administração passada é uma prodigalidade na qual não encontramos razão de subir salários. A pessoa ganha 5 mil reais, é um bom funcionário, aí passa para 15 mil. O Conselho Gestor se assusta a todo momento quando vê a progressão salarial. Eles são empresários, homens com 10, 15, 20 mil funcionários. Esses homens, quando têm funcionários que ganham 3 mil reais, que desempenham muito bem o seu papel, aumentam para 3.500. E no outro ano aumenta para 4. O funcionário fica satisfeitíssimo. No Cruzeiro, o salto é de canguru. De 3 para 12, de 12 para 30, de 30 para 60 (mil). Assim aereamente. É isso que estamos suportando agora. Um absurdo.

Funcionários que trabalharam na gestão passada, com bom desempenho e com salário compatível, estão sendo mantidos. Outros, infelizmente corta o coração, pessoas amigas, boas, mas o Cruzeiro não está suportando essa carga.

Isso estava sendo mostrado desde maio do ano passado. O departamento médico do Cruzeiro – comparado a Flamengo, Santos, Internacional, Grêmio e Corinthians – gasta três ou quatro vezes mais que esses times. Um fisioterapeuta no Santos ganha 6 ou 7 mil. Aqui ia para 15, 20 ou 30”.

Ele fez comparações também em relação aos gastos com as categorias de base: “O Cruzeiro gastou R$ 51 milhões com divisões de base e teve lucro de R$ 2 milhões. O Santos gastou R$ 25 milhões e teve lucro de R$ 180 milhões”.


Democrata apresenta time, parceiros e lança Programa Sócio Jacaré

Daniel Calazans, diretor de futebol, concede entrevista na apresentação dos jogadores 

Uma diretoria séria e muito motivada assumiu ano passado o nosso Democrata de Sete Lagoas e está conseguindo mobilizar a cidade em torno do clube que disputa a segunda divisão mineira (chamada de Módulo II), a partir do dia 8 de fevereiro, quando estreia em São João Del Rey contra o Athletic.   Quinta-feira, dia 3, o grupo de jogadores e os patrocinadores/parceiros foram apresentados à imprensa na Arena do Jacaré. O técnico é o ex-jogador Paulinho Guará, que também jogou no Atlético e no futebol sueco.

Na mesma solenidade foi dada ênfase à necessidade de aumentar o quadro de associados, para garantir uma temporada animadora este ano, visando retornar à primeira divisão de Minas de 2021.

Detalhes do Programa SÓCIO JACARÉ 2020, que estão nas redes sociais do clube, com todas as facilidades para quem quiser se associar: (mais…)


Anúncios de demissões de funcionários e saídas de jogadores importantes sacodem a segunda-feira do Cruzeiro

Apresentado o novo diretor de futebol: Ocimar Bolicenho, que comandou este setor do Londrina até o ano passado

Semana passada o ex-goleiro Raul foi demitido das funções que ocupava no marketing do Cruzeiro. O domingo foi de surpresa geral com o anúncio pelo próprio Vittório Medioli de que ele estava saindo. Hoje a segunda-feira foi de demissões de gente graúda lá dentro, como o diretor de futebol Marcelo Djian e, do preparador de goleiros Robertinho, do fisioterapeuta Charles de Oliveira Costa, “Charlinho”, dos jornalistas Valdir e Marcone Barbosa e vários outros. Dentro de campo a saída mais emblemática hoje foi a do capitão Henrique, que vai para o Fluminense, mesmo destino do Egídio.

Também foi apresentado o novo manda-chuva do futebol: Ocimar Bolicenho, que comandou este setor do Londrina até o ano passado, rebaixado para a Série C do Brasileiro. Ele também exerceu a mesma função na Ponte Preta, Athletico-PR e Bahia. Em princípio atuará ao lado do Alexandre Mattos, que vai colaborar com o Cruzeiro, sem salário, até que saia seu visto de trabalho na Inglaterra, onde será diretor de futebol do Reading, da segunda divisão.

Além dos citados aqui, os demais desligados de hoje: Leandro Franco (também preparador de goleiros), Anderson Nicolau e Emerson Polimeno (preparadores físicos), André Rocha e Eduester Lopes (fisioterapeutas), Leonardo Corradi (médico) e Quintiliano Lemos (diretor administrativo da base).

Medioli anunciou a saída dele por meio da sua coluna no O Tempo, intitulada “Recomeçar do Zero”, em que defende uma intervenção judicial no clube, “Doa a quem doer”:

* “Recomeçar do zero”

A reconstrução do Cruzeiro passa inevitavelmente pela elaboração de um estatuto coerente e alinhado com a realidade

(mais…)


Dudamel chega recusando o rótulo de “retranqueiro”: “Meu estilo é ganhar!”

O técnico Dudamel foi recebido com festa por um grande número de torcedores do Atlético em Confins. Criou-se uma expectativa positiva muito grande entre os atleticanos com a vinda dele. Considero uma boa aposta da diretoria que está acreditando pra valer já que fez um contrato de dois anos. Há uma lógica na opção pelo venezuelano, considerado como um desses técnicos que tiram “água de pedra”, ou seja, consegue extrair o máximo de um elenco, mesmo que a qualidade técnica da maioria ou até da totalidade dos jogadores seja apenas razoável, caso do Galo no momento. Pelo que tenho lido e pelo pouco que já vi em alguns jogos da seleção da Venezuela, os comandados por Dudamel têm que “morrer” em campo, além de obedecerem cegamente às determinações táticas dele. Com um time jovem, formado por jogadores que estão buscando um bom futuro na profissão ele poderá conseguir os resultados esperados pelo clube. A condição física e a disciplina têm de andar juntas e estar 100%.

Na entrevista de chegada a Belo Horizonte o venezuelano rechaçou o rótulo de “retranqueiro” e disse que “Meu estilo é ganhar!”, o que pode ser interpretado que placares de 1 a 0 ou 2 a 1 poderão ser considerados “goleadas”. Muita gente não gosta dessa filosofia, muito bem aplicada no Brasil principalmente pelos treinadores gaúchos. Não tenho nada contra, principalmente quando não se tem mais Reinaldos, Cerezos, Ronaldinhos e outros jogadores de alta qualidade num elenco.


Atlético estreia com derrota para o River do Piauí na Copa SP

Com fama de saber trabalhar e lançar jogadores jovens, o técnico venezuelano Dudamel está chegando para comandar o Atlético. Resta saber se ele terá material humano para fazer isso no momento. Foram os “prata da casa” quem tiraram o Atlético do atoleiro em meados dos anos 1970, quando o Galo não tinha dinheiro para comprar uma “Cibalena”, como dizia o Gil Costa. Sem grana para poder buscar velhos, rodados e desgastados refugos do Rio e São Paulo, foi obrigado a apostar até no treinador do junior, na época “juvenil”, Barbatana, para tocar a vida. Ele subiu junto com seus antigos comandados, Reinaldo, Cerezo, Marcelo, Paulo Isidoro, Marinho, Marcinho, Márcio Gugu. Getúlio, Heleno, João Leite, Alves e outros mais.

Com outro “detalhe” importante: tudo era mais simples e barato, com gente de Belo Horizonte, Grande BH e interior de Minas, dentro e fora de campo, com raras e ótimas exceções, que eram buscadas com muito critério, observando-se custo e benefício.

Depois de assistir a estreia com derrota do Atlético na Copa SP, para o River do Piauí, o comentarista aqui do blog, Bernardo Montalvão, escreveu: “O Galo tem que parar com esse negócio de comprar atletas refugos de outros clubes para a base. Não me venham com esse negócio de Dudamel aproveitar jogadores da base, porque o Galo não tem ninguém pra lançar da base. Hoje mesmo o time perdeu para o Ríver do Piauí e com uma apresentação medíocre. O atacante do Ríver passou por todo mundo. Contratem atletas de idade mais nova, mas que já demonstraram alguma coisa.”

Classificam-se os dois primeiros de cada grupo para a próxima fase.

Resumo do noticiário do globoesporte.com sobre o jogo: “… Na segunda etapa, logo aos dois minutos, Erick Pulga fez fila, passou quatro marcadores, deixou o goleiro Jean no chão e empurrou para as redes, marcando um golaço no Joaquinzão. A tônica da partida após o gol seguiu com o Atlético-MG desorganizado, tentando sem sucesso uma reação, enquanto o River-PI soube administrar bem o resultado e saiu merecidamente com a vitória.

Após a primeira rodada, o Taubaté, time da casa, na liderança… venceu por 3 a 0 a equipe do Capital-TO e assumiu a ponta, com três pontos. O River-PI tem a mesma pontuação, porém o saldo de gols é menor, já que venceu o Atlético por 1 a 0. Galo e Capital completam a chave, na terceira e quarta colocação, respectivamente, ainda sem pontos.

O Atlético volta a campo em busca da primeira vitória na próxima segunda-feira, às 15h, diante do Capital-TO, no Joaquinzão. Já o River-PI faz o duelo de líderes do grupo diante do Taubaté, equipe da casa, às 12h45…” (mais…)


Página 11 de 1.142« Primeira...910111213...203040...Última »