Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Viagem a um tempo que não volta mais: prazer danado ir ao Independência assistir à final da Copa Itatiaia

COPAITATIAIA

Fotos: Leonardo Silva Faria

Me senti como nos antigos festivais do futebol amador do interior de Minas, em que famílias inteiras iam juntas para a beira dos campos, gramados ou não, torcer pelo time do bairro ou da cidade contra “visitantes” de outro bairro ou de cidade vizinha.

COPABANDA2

Não faltou a banda musical . . .

COPACAMELOS

. . . nem as barracas dos camelôs que vendem de tudo, nem os bares da vizinhança.

COPABAR2

Só que tudo em proporções gigantes, justificando os 56 anos da promoção de uma das maiores emissoras de rádio do Brasil e dos milhões de habitantes de Belo Horizonte e região metropolitana.

O prazer de estar no Independência se renova a cada jogo e confesso que não esperava que uma final de Copa Itatiaia fosse tão e até mais prazerosa que muitos jogos profissionais, do Galo, Cruzeiro e América. Quase 15 mil pessoas, gente simples, que enquanto caminhava nas imediações do estádio ou nas filas de acesso comentava que iria entrar no “Gigante do Horto” pela primeira vez.

COPAFAMILIA

Não é prá menos: com o ingresso do futebol profissional custando os olhos da cara é realmente difícil para alguém que vive do salário ou pouco mais que isso, pagar para entrar num templo desses. Senti ao vivo e em cores vivas, frente a frente, o que é a famosa, covarde e sacana elitização do futebol no Brasil.

COPAENTRADA

Verona do Bairro Aparecida, representando Belo Horizonte e o Sarzedo Esporte Clube, da cidade do mesmo nome, representando o interior, tiveram tratamento VIP para decidir o título. Tudo de primeira, como se fosse um jogo do Brasileiro: estrutura total da FMF, autoridades policiais, bombeiros, segurança, ambulâncias e cobertura da imprensa com uma vantagem fundamental: sem tanto protocolo que tanto passou a encher o saco nos últimos anos no futebol mineiro e nacional.

COPAORGANIZACAO

Gramado impecável, arquibancadas cheias, bares internos e externos lotados, vendendo cerveja até o intervalo e diversão pra todo mundo. Com direito a provocação e respostas das torcidas, numa boa, como antigamente, só no jogo de palavras e palavrões, sem porrada, sem agressões.

A torcida do Sarzedo mais provocativa mandava a do Verona “praquele lugar”. A do Verona, maioria absoluta presente, retrucava com gestos e gritos de “roceiros”. Um gordinho encarava com gestos os “sarzedenses” que davam o troco: “Gordinho viaaado, gordinho viaaaado…” e o danado, gozador, simplesmente se virou, baixou a bermuda e mostrou o traseiro, provocando gargalhada geral, inclusive dos provocadores.

Mesmo presente em grande número e bem armada a PM não precisou agir, porque todo mundo que estava ali só queria se divertir, como deveria ser sempre o futebol.

O jogo foi razoável. O Verona parecia que quebraria o jejum: há cinco anos nenhum time da capital ganha a Copa Itatiaia. Mas tomou um gol em meados do segundo tempo e não teve forças para reagir. A turma do futebol amador de Beagá jura que os times do interior detém tanto poder porque as cidades se unem em torno do seu representante, inclusive o poder público. Segundo Claudinho, do Santa Cruz, oito dos 11 titulares do Sarzedo trabalham na prefeitura da cidade e são liberados para treinar. Sem falar que o comércio injeta grana para que o time fique forte e derrote o adversário da capital.

É do jogo! Parabéns ao Sarzedo que fez por merecer e manteve Belo Horizonte na fila nessa briga.

Só sei que valeu demais a pena ter ido ao “Indepa” e convido às senhoras e senhores que nunca foram, que não deixem de ir na final de 2018. Uma viagem no tempo em que o futebol profissional era parecido com isso!


Lélio Gustavo informa e convida: “daqui a pouco tem Tinga, gerente do Cruzeiro, no 98 Esportes”

TINGA

* “Hoje vamos receber no o novo gerente de futebol do , ! A partir de 8h, assista pela Live”


Globo não renova contrato de Luís Ernesto Lacombe

LACOMBE

Foi uma surpresa para todos, inclusive para ele, que ao entrar de férias se despediu dos telespectadores dizendo que em fevereiro estaria de volta. Ótimo profissional, que em dezembro lançou um livro sobre as perseguições enfrentadas pela família pelo nazismo na Alemanha.
Informações do portal Mídia Esporte:

* “Luís Ernesto Lacombe não tem contrato renovado e é dispensado pela Globo”

Cris Dias assumirá posto do jornalista na apresentação do bloco de esportes do “Bom Dia Brasil”

Após 20 anos de trabalho na Rede Globo, o jornalista esportivo Luís Ernesto Lacombe não teve o seu contrato renovado e foi dispensado pela emissora carioca.

A informação foi dada pelo site ‘Na Telinha’ e confirmada pela Globo, que comunicou que Cris Dias assumirá o posto de Lacombe na apresentação do bloco de esportes do “Bom Dia Brasil” a partir de segunda-feira (16).

Ao final da sua última participação no telejornal matutino da Globo, na última sexta-feira (13), Lacombe anunciou que estava saindo de férias: “Segunda-feira, Cris Dias! Vou dar uma paradinha. Em fevereiro eu volto”, disse.

Luís Ernesto Lacombe estava na Globo desde 1997. Na emissora carioca, apresentou o “Esporte Espetacular” por sete anos e também comandou o “Placar da Rodada”, após os jogos de futebol nas noites de quarta-feira, até chegar ao “Bom Dia Brasil” em 2011.

O jornalista também trabalhou na Globo News e no SporTV. Antes de sua passagem pela Globo, ele esteve na Band Rio, Rede Manchete e RBS TV (afiliada Globo em Santa Catarina).

http://www.portalmidiaesporte.com/2017/01/luis-ernesto-lacombe-nao-tem-contrato.html

No O Globo de 19 de dezembro a notícia do lançamento do livro:

* “Luís Ernesto Lacombe lança livro baseado na história de parentes vítimas do nazismo”

“Cartas de Elise — Uma história brasileira sobre o nazismo” é baseado nas correspondências escritas pela bisavó do jornalista (mais…)


Dia de aniversário do Bebeto de Freitas, que concedeu ótima entrevista ao Thiago Nogueira, no O Tempo

BEBETO

Parabéns e muita saúde a esta grande figura e profissional exemplar. Vale a pena ler a entrevista de página inteira feita com ele pelo Thiago Nogueira:

* ‘Kalil foi claro sobre a minha função: ‘É o social, Bebeto’

Bebeto de Freitas, secretário municipal de Esporte e lazer

Em 1967, aos 17 anos, ele conquistava, no ginásio do Minas, em BH, o título brasileiro juvenil de vôlei pelo Estado da Guanabara, o primeiro da carreira. Cinquenta anos depois, Bebeto de Freitas, 66, técnico da Geração de Prata (1984), ex-presidente do Botafogo (2003-2008) e ex-diretor do Atlético (1999, 2001 e 2009), volta à capital mineira para assumir, pela primeira vez, um cargo público. A convite do amigo e prefeito Alexandre Kalil, o sobrinho de João Saldanha, primo de Heleno de Freitas e pai de Rico de Freitas – técnico de Ágatha e Bárbara, medalhistas de prata na Rio 2016 – comandará a pasta de Esporte e Lazer do município sob um norte: “Cuidar do social”, aponta.

Como surgiu o convite e como deve ser o trabalho à frente da Secretaria de Esporte e Lazer?

O convite surgiu de um telefonema. Quem conhece o prefeito sabe que ele não é prolixo. A conversa deve ter demorado um minuto. Ele falou: “Preciso que você venha”. Perguntei: “Posso te ajudar?”. Nunca tive envolvimento com o poder público. Trabalhei 20 anos no Estado do Rio de Janeiro (como professor de educação física) e não quis mais. Se tinha uma pessoa para me trazer para isso, a única era o Alexandre Kalil. E ele foi bem claro sobre qual seria minha função aqui. “É o social, Bebeto”. Essa é a grande preocupação da prefeitura. É um conceito dele, ver o que tem, melhorar o que tem e, se tiver possibilidade, crescer. O esporte e o lazer fazem parte de um desenvolvimento econômico-social importante. Entendemos que a atividade esportiva, desde maternidade até a minha idade, é a poupança que fazemos para nossas vidas. Uma cidade que tenha a atividade física como um das prioridades, sem dúvida, vai auxiliar a saúde.

E de que forma pretende desenvolver esse trabalho?

Penso como o prefeito: oferecer oportunidades a todos e, principalmente, àqueles mais necessitados, com projetos que possam ajudar efetivamente a atividade física.

E que tipos de projetos pensa?

Na secretaria, trabalhamos com idosos e crianças. Existe o projeto Segundo Tempo, que é referencial do governo federal. Pela primeira vez, o esporte foi para dentro das escolas, atendendo mais de 24 mil crianças. Pretendemos renová-lo. Temos algumas ideias e objetivos para desenvolver o esporte de uma maneira geral.

De que forma a secretaria pode apoiar os clubes na promoção do esporte?

A prefeitura já faz algumas coisas, como a questão do IPTU (os clubes recebem descontos), temos convênios, olhamos o esporte paralímpico, mas o que queremos é melhorar. Alguns clubes estão com problemas, e temos que ajudá-los. Mas a prioridade hoje são os esportes sociais. Esse será o empenho em um primeiro momento, por causa da situação em que vivemos. De toda forma, não faltará apoio da prefeitura para os clubes.

Está claro que o social será a prioridade. Mas já foi possível identificar outros problemas?

A questão social é a prioridade, mas existem outros problemas. Por exemplo, desde que a reforma do estádio Independência começou (2010), as equipes de base de Cruzeiro e Atlético jogam fora de Belo Horizonte (muitas vezes, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas). Talvez, juntamente com a federação e os clubes, possamos encontrar uma solução. Para clubes da tradição do Mackenzie, referência no vôlei, principalmente, o feminino, do Ginástico, referência no basquete, o Olympico, temos que encontrar formas conjuntas de crescer e melhorar o esporte. E tem outros clubes, como o Barroca, que frequentei. Minas Gerais sempre foi um importante reduto de esporte, e Belo Horizonte sempre esteve à frente de esportes olímpicos. Não está fácil, mas temos que encontrar soluções, não só do ponto de vista financeiro. Se tivéssemos um orçamento para investir em tudo, mas não podemos pensar em construir uma cobertura maravilhosa sem ter uma garagem. (mais…)


Alencar assume presidência do América, mas se os Salum não estiverem na diretoria o futebol não funciona

ALENCAR

A assessoria de imprensa do Coelho informa que o conselho gestor composto por nove membros continua dando as cartas, mas que agora há um presidente responsável por falar por todos. Questão de nomenclatura. A verdade é que nada muda e funciona bem em termos administrativos/financeiros. O que não funciona mesmo é o futebol, caso não haja um dos irmãos Salum (Marcos, Caio e Alberto) por perto. Felizmente eles deverão atuar mais de perto nesta temporada, apoiando diretamente o diretor Ricardo Drubsky e o técnico Enderson Moreira.

O jornal O Tempo informou a mexida nos bastidores do Coelho:

* “América muda nomenclatura da diretoria e Alencar ‘assume’ presidência”

Com nove presidentes no Conselho de Administração, Coelho define que o dirigente será linha de frente no futebol (mais…)


Velhos e novos, jogadores, treinadores e programas de TV, em divagações sobre o pior momento do futebol

BERNADINHO

Esta é a pior época do ano para quem gosta de futebol. A bola fica de lado, trocada por treinos físicos, exames médicos e especulações de treinadores e jogadores que vão e que vêm. Os que chegam são cercados de bajulações por grande parte da imprensa e torcedores mais apaixonados. Os mais céticos ficam na expectativa, aguardando quantidade de jogos e qualidade dos adversários para aferir se os contratados chegaram para reforçar ou apenas para cumprir contratos e levarem o dinheiro do contratante.

O Cruzeiro anunciou a contratação de maior vulto. Thiago Neves, que jogou muito futebol pelo Fluminense e depois foi rodar pela Europa e mundo árabe. A maior aquisição anunciada pelo Atlético até agora foi o zagueiro Felipe Santana, que fez sucesso no Borussia Dortmund e depois desceu a ladeira europeia no Schalke 04, também da Alemanha, Olympiacos, da Grécia, e Kuban Krasnodar, da Rússia. Há dúvidas quanto à condição física dele, assim como havia essa mesma dúvida quando o Galo contratou Leonardo Silva, que o Cruzeiro deixou sair.

A realidade é que todo jogador que volta da Europa pode ser comparado com uma laranja chupada. Uns ainda dão algum ou muito caldo, outros retornam bagaços, de que quase nada se aproveita.

Outra verdade é que Atlético e Cruzeiro não precisam contratar tanta gente, já que terminaram 2016 com elencos bem formados. Precisam das famosas aquisições “pontuais”, para determinadas posições. Nas demais, os treinadores têm na cabeça o que fazer, ou acham que têm e bola pra frente.

Este será um ano marcado por intensa renovação de treinadores. Começando pelo voleibol, onde o vitorioso e inovador Bernardinho sai de cena do comando da seleção masculina e dá lugar ao ex-grande jogador Renan. Como dizia o enigmático presidente da Associação de Futebol Argentina – AFA, Julio Grodona, “tudo passa”. Ou, como diz o ditado popular, “não há mal que sempre dure nem bem que nunca se acabe”.

Bernardinho foi ótimo, contribuiu muito para o esporte brasileiro, mas passou. Assim como passaram grandes treinadores de futebol, agora sucedidos por Rogério Ceni no São Paulo, Roger Machado no Atlético, Eduardo Baptista no Palmeiras, Jair Ventura no Botafogo e o próprio Zé Ricardo que fez sucesso, inicialmente como interino no Flamengo, e que este ano monta o seu próprio grupo e impõe seus métodos desde o início.

Todos são grandes incógnitas e serão observados muito de perto pela imprensa e torcedores de todos os times. Rogério Ceni será o que terá mais holofotes sobre si. Por iniciar a carreira em um dos maiores clubes do país e se cercar de estrangeiros na comissão técnica, com fama de competentes em suas funções.

Como diria o Adilson Batista, que aliás, concluiu seu curso de treinador em dezembro do ano passado: “vamos aguardar”.

Ainda bem que a Libertadores da América começa daqui algumas semanas, mas somente os torcedores dos clubes que estão nela se ligam pra valer. Nos quatro primeiros meses do ano temos que suportar os campeonatos estaduais, todos ridículos, em todos os aspectos. Deveriam existir em outro formato, mas seguem do jeito que são por capricho e interesses nem sempre lícitos da maioria dos dirigentes. Jogos ruins, nível baixíssimo, títulos que pouco ou nada acrescentam aos maiores clubes e fontes de enormes desgastes. Que preguiça!

Pra completar, somos obrigados a tolerar também as grandes redes de TV falando quase que 100% só de cariocas e paulistas, sobrando alguns segundos para os clubes fora do “eixo”, com informações e comentários desinformados e equivocados. Ufa! Vida que segue! Quem sabe muda algum dia!?


E lá se foi o Sávio “Batata”. Missa de Sétimo Dia, hoje, em Conceição

BATATA

A notícia dessa morte abalou a todos que o conheciam, especialmente a nós, amigos dele há décadas em Conceição do Mato Dentro: Savio Luiz Fernandes Almeida, o “Batata”, além figura humana especial um dos maiores e bem sucedidos empreendedores da nossa geração. Se foi, quarta-feira, dia 4, aos 52 anos de idade, vítima de aneurisma.

Um dos pioneiros da nossa pelada de todo fim de ano em Conceição, de mais de 30 anos. À família, a nossa solidariedade. Ontem, houve Missa de Sétimo Dia na Igreja Nossa  Senhora Mãe da Igreja, aqui em Belo Horizonte. Hoje, na Igreja Santana, às 19 horas, em Conceição do Mato Dentro.

Descanse em paz, caro Batata!


Um belo exemplo da justiça vindo de Sergipe

JUIZ

Senhoras e senhores, recebi ontem do Roberto Duarte e pensei que fosse mais uma lenda da internet. Fui conferir e constatei que é verdade. Saiu no O Globo em 2014. O Brasil seria um país perfeito caso os professores e a educação fossem valorizados e respeitados devidamente.

Vejam que legal:

* “Aluno que processou professor por ter tomado celular em sala de aula perde causa na justiça”
O juiz Eliezer Siqueira de Sousa Junior, da 1ª Vara Cível e Criminal de Tobias Barreto, no interior do Sergipe, julgou improcedente um pedido de indenização que um aluno pleiteava contra o professor que tomou seu celular em sala de aula.
De acordo com os autos, o educador tomou o celular do aluno, pois este estava ouvindo música com os fones de ouvido durante a aula.
O estudante foi representado por sua mãe, que pleiteou reparação por danos morais diante do “sentimento de impotência, revolta, além de um enorme desgaste físico e emocional”.
Na negativa, o juiz afirmou que “o professor é o indivíduo vocacionado a tirar outro indivíduo das trevas da ignorância, da escuridão, para as luzes do conhecimento, dignificando-o como pessoa que pensa e existe”. O magistrado se solidarizou com o professor e disse que “ensinar era um sacerdócio e uma recompensa. Hoje, parece um carma”. Eliezer Siqueira ainda considerou que “o aluno descumpriu uma norma do Conselho Municipal de Educação, que impede a utilização de celular durante o horário de aula, além de desobedecer, reiteradamente, o comando do professor”.
Ainda considerou que “não houve abalo moral, já que o estudante não utiliza o celular para trabalhar, estudar ou qualquer outra atividade edificante”.
E declarou:
“Julgar procedente esta demanda, é desferir uma bofetada na reserva moral e educacional deste país, privilegiando a alienação e a contra educação, as novelas, os realitys shows, a ostentação, o ‘bullying intelectivo’, o ócio improdutivo, enfim, toda a massa intelectivamente improdutiva que vem assolando os lares do país, fazendo às vezes de educadores, ensinando falsos valores e implodindo a educação brasileira”.
Por fim, o juiz ainda faz uma homenagem ao professor.
“No país que virou as costas para a Educação e que faz apologia ao hedonismo inconsequente, através de tantos expedientes alienantes, reverencio o verdadeiro herói nacional, que enfrenta todas as intempéries para exercer seu ‘múnus’ com altivez de caráter e senso sacerdotal: o Professor.”
Isto deveria ser lido em todas as salas de aula do Brasil. Aliás, por todos os brasileiros

Leia mais (mais…)


Boas dicas pra quem gosta de esportes e a história do Igor Tep que deixou a 98FM para mexer com areia no Rio

SOFIC

Primeiro, duas dicas pra seguir no twitter: uma página que dá ótimas informações sobre os veículos de comunicação que cobrem esportes e a programação diária das transmissões deles. E tem o Sô Dico da Massa, criado em março de 2015, que se auto define “Sou Galo, sou ranzinza, sou teimoso e nada disso é da sua conta, ôiducú”.

Na sequência a história do Igor Tep Assunção da 98.

Além de charges como a que ilustra este post, Sô Dico tem frases e outras tirinhas como as que se seguem:

SODICO1

@SoDicodaMassa

* “ñ quero títulos, ser intitulado como do Povo ou aparecer. Quero só um tiquinho de ar no pulmão pra gritar GALO cada vez q a vontade bater.

* Dátolo tanto fez cú doce ano passa pra poder ir para o São Paulo ou Flamengo que irritou o Galo e acabou caindo no Vitória. A vida ensina

SODICO2

* Eu já fiz minha parte… #TirinhasDoVéio Retuiti aí ôiducú.

– – –

Também no twitter o Portal Mídia Esporte @midiaesporte (Notícias de Esportes no Rádio e na TV. Tudo sobre os canais esportivos (ESPN, SporTV, Fox Sports, Esporte Interativo e BandSports) e agenda de transmissões), dá dicas do tipo:

Transmissões esportivas da TV (Sábado, 07/01/2017) http://goo.gl/XluDaw 

Esporte Interativo adquire direitos de transmissão da Flórida Cup

Confira os jogos da Flórida Cup que serão exibidos pela Band http://goo.gl/eZiDef 

Igor Assunção ‏@Igortep realmente deixou a 98 FM, mas de férias, desde o dia 1º. Assistiu a posse do Kalil na prefeitura, conforme mostra esta foto, . . .

IGOR1

. . . ele em pé, de terno (acreditem), à frente do curvelano gente boa Marquinho. No dia dois, foi pro Rio com a família, curtir praia e mexer a areia com os pés, segundo informa esta foto que ele postou agora há pouco:

IGOR

E, hoje, perguntou via twitter:

Precisa mesmo voltar, @Rodrigojax?


E lá se foi o cruzeirense Edmar Roque, da Casa dos Contos, Cantina do Lucas…

EDMAR

Que triste a notícia enviada a nós pelo Eduardo de Ávila, da morte do gente ótima Edmar Roque, um dos cruzeirenses mais apaixonados que belo horizonte já teve. Boa prosa, empreendedor sempre cheio de ideias e motivação, infelizmente levado por um câncer. A nota enviada pelo atleticano Eduardo, a quem agradeço:
“Faleceu hoje (7/1), Edmar Roque, proprietário da Casa dos Contos e Cantina do Lucas, dois destacados restaurantes em Belo Horizonte. Velório será hoje no Funeral House a partir das 18:00 hs. Av. Afonso Pena 2158 – BH. Sepultamento será às 10 horas de amanhã, domingo (8/1) no Cemitério Bosque da Esperança também em Belo Horizonte”.


Página 11 de 976« Primeira...910111213...203040...Última »