Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

André Rizek, Renata Fan, Gustavo Villani, Lívia Laranjeira, Rogério Corrêa, Léo Figueiredo, Alexandre Simões e outras feras do jornalismo, juntos, 7 e 8 de junho em Belo Horizonte

Vai ser na segunda edição do Minas Call-Up, em que especialistas em jornalismo apresentarão casos de sucesso, curiosidades da carreira, dificuldades e prazeres da profissão.

O atual situação do mercado da comunicação, especialmente voltado ao esporte, diante da crise econômica brasileira, será amplamente discutido, com dicas de perspectivas e como se estabelecer nessa profissão. O jornalismo voltado ao esporte, futebol sobretudo, atrai a curiosidade das pessoas e é um dos principais alvos dos alunos de comunicação social. A dificuldade de introdução no mercado tem deixado os estudantes bastante ansiosos.

Obrigado ao companheiro Rodrigo Fuscaldi, um dos idealizadores dessa iniciativa e que nos enviou mais informações dessa realização da Sport Box Conteúdo Esportivo.

Nos dias 7 e 8 de junho, das 8 às 18 horas, no Teatro do Centro Cultural Minas Tênis Clube, em Belo Horizonte. (mais…)


No recomeço do Vanderlei Luxemburgo, Vasco ficou no “quase” em São Januário

Foto: Globoesporte.com

Foi bom ver o recomeço do Vanderlei Luxemburgo depois de mais de um ano afastado da prateleira de cima do nosso futebol. Jogo duro contra o Avaí em São Januário, 1 a 0, aos 36 do segundo tempo, e três pontos garantidos até que aos 49 o time catarinense empata.

Eu já estava com o título deste post pronto para mandar: “Placar magro, time gordo, mas bom começo do Vanderlei Luxemburgo em São Januário”.

Mas, 1 a 1 ficou de bom tamanho pelo equilíbrio na ruindade da partida.

Não será fácil a missão dele, mas é o momento certo para mostrar que continua sendo um dos treinadores de ponta do Brasil. Como diria o professor Paulo Bento, lá em Porto Firme (na Grande Viçosa), o Vasco é um “catadão”, elenco de renegados e catados em várias partes do país e do mundo, com direito a alguns bem acima do peso, para não chamá-los de gordos. O argentino Maxi Lopes, como principal exemplo. Mas, “é o melhor que está tendo”, e sucesso ao Luxa no “Vasxcão”.

A torcida o queria. Enquete realizada antes da contratação dele o apontava como preferido or 53% dos vascaínos; seguido pelo Dorival Junior 19%; Levir Culpi 18% e Thiago Larghi com 10%.

Mas, dureza mesmo foi o Grêmio perdendo mais uma, 2 a 1 pro Ceará, em Fortaleza, se mantendo na zona da degola: “Grêmio perde do Ceará e é o vice-lanterna do Brasileirão


Nas análises dos balanços, Cruzeiro tem a pior gestão financeira entre os 24 clubes da Série A; Flamengo a melhor

Botafogo e Internacional fazem companhia à Raposa neste perigoso ranking. Flamengo, Palmeiras e Grêmio são os que têm melhores gestões. Análise foi apresentada pelo economista e professor da Fundação Getúlio Vargas, Samy Dana, no programa Seleção, do Sportv.  Ele e outros especialistas avaliaram os últimos dez balanços de cada clube.

Confira no link:

http://sportv.globo.com/selecao-sportv/videos/v/estudo-de-campo-samy-dana-traz-a-parte-ii-dos-balancos-do-clubes-brasileiros-em-2018/7617890/

O Superesportes repercutiu a informação:

* “Economista aponta Cruzeiro como pior gestor financeiro do futebol brasileiro”

Para Samy Dana, clube adota ‘doping financeiro’ ao contabilizar a venda de Arrascaeta no balanço 2018.

Crescimento das despesas com a montagem de elenco, problemas de geração de receita e aumento da dívida de curto prazo. Esses são alguns dos argumentos apontados pelo economista e professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Samy Dana, para indicar o Cruzeiro como a pior gestão financeira do futebol brasileiro. “O endividamento do Cruzeiro sobe muito. Ele opera no negativo vários e vários meses. Ele foi o clube que aumentou, percentualmente, mais a dívida de curto de prazo, aquela dívida cara, de má qualidade. Também tem problema de geração de caixa, ou seja, ele não consegue se pagar”, detalhou o economista ao canal SporTV.

A análise considera os últimos dez balanços dos 24 primeiros clubes do ranking da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O estudo foi apresentado por Dana na edição do programa Seleção Sportv, exibido nesta quarta-feira.

Samy Dana também criticou o balanço de 2018 do clube celeste, considerado por ele um ‘doping financeiro’. “Ele já contabilizou o resultado da venda do Arrascaeta em 2018 (13 milhões de euros ou R$ 55,2 milhões na cotação da época da transação), o que não deveria. Deveria ser em 2019. Ganhou a Copa do Brasil, competição que rende R$ 60 milhões. Mesmo assim, ele não sai do negativo”, observou.

Oficialmente, a administração do Cruzeiro defende que a inclusão da venda do uruguaio na atividade financeira de 2018 aconteceu porque a Link Assessoria, que gerenciou as negociações com o Flamengo, apresentou a proposta ao clube em dezembro do ano passado.

O último balanço financeiro do Cruzeiro apresentou déficit de R$ 27.236.795,00. Enquanto a receita líquida foi de R$ 373.508.994, os custos diretos e as despesas operacionais chegaram a R$ 400.745.788.

A dívida total do clube era de R$ 557.477.179 em 2017 e fechou 2018 em R$ 575.625.942.

Já são sete exercícios seguidos de déficit. O último ano com fechamento das contas no azul foi 2011, com lucro de R$ 13,1 milhões. Na sequência, o Cruzeiro acumulou números negativos em 2012 (R$ 30,9 milhões), 2013 (R$ 22,8 milhões), 2014 (R$ 38,6 milhões), 2015 (R$ 25.7 milhões), 2016 (R$ 29,3 milhões) e 2017 (R$ 16,8 milhões).

Outros clubes

O levantamento de Samy Dana também apontou, além do Cruzeiro, o Botafogo e o Internacional entre as piores gestões financeiras do Brasil. (mais…)


Quando fez 1 a 0, América twittou: “É PRA TIRAR A ZICA!!!!! AdeMITO recebeu na direita, invadiu a área e balançou as redes…”

Foto: Mourão Panda/América

Desse jeito o América está em ritmo de Série C. A boa performance no fraco Campeonato Mineiro deixou muita gente no Coelho iludida, pensando que o time estava no rumo certo para a temporada. Grande erro de avaliação.

Inacreditável a virada do Sport pra cima do América no Independência. Aos 25 minutos do segundo tempo a abertura do placar pelo Ademir provocou um otimismo exagerado do twtter oficial do clube, que postou @AmericaMG: “25/2T – GOOOOOOOOOOOOL! É PRA TIRAR A ZICA!!!!! AdeMITO recebeu na direita, invadiu a área e balançou as redes do @SportRecife. 1 a 0 pro #Coelhão!”

AdeMITO? Daí a pouco nem ele e nenhum colega de time conseguiu segurar a vontade do clube pernambucano, que partiu pra cima e virou, com Guilherme aos 45 e Hyuri, ao 49.

Com 1 ponto, vice lanterna, à frente apenas do Brasil de Pelotas, a diretoria promete trazer jogadores para que o técnico Barbieri tente arrumar a casa no período de parada do campeonato durante a Copa América.


 Jorge Jesus, o prestigiado treinador português que assistiu no Independência a vitória do Galo sobre Flamengo

À esquerda direita Rubens Menim, Jorge Jesus, prateleira de cima, poderá vir para Minas Grais. . Foi jogador de meio campo, se tornou técnico, começando por clubes pequenos até chegar ao Benfica, onde se consagrou e com quem é totalmente identificado. Está com 64 anos de idade, em plena forma e treinou por último o Al-Hilal, da Arábia Saudita até 30 de Janeiro.

Caso acerte com o Atlético e se tiver sapiência, poderá fazer história na América do Sul. Sapiência, neste caso, seria adotar o Rodrigo Santana como um filho e estabelecer uma simbiose com ele: “te ajudo a se tornar um top mundial e você me ajuda a fazer história no futebol brasileiro e do continente”.

Em Portugal, Porto x Benfica é como Atlético x Cruzeiro e Jorge Jesus falou sobre a possibilidade de dirigir o FC Porto: (mais…)


Até Mano Menezes se assustou com a goleada que o Cruzeiro tomou do Fluminense

Com Atlético 2 x 1 Flamengo no mesmo horário, não vi  jogo, e fico com o que escreveu um dos melhores jornalistas do país, Alexandre Simões,‏ do Hoje em Dia: @oalexsimoes “Era só um momento ruim. Agora é crise. A sorte é ter a semana de treinos e um adversário fraco pela frente, a Chapecoense, na próxima rodada do Brasileirão. A goleada para o Fluminense, recheado de garotos e com um orçamento MUITO menor, foi um vexame.

* “Goleada do Fluminense evidencia fragilidade do Cruzeiro e coloca o time em crise”

O Cruzeiro de Mano Menezes segue em crise. E isso foi evidenciado na humilhante goleada de 4 a 1 para o Fluminense na noite deste sábado (18), no Maracanã, pela quinta rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. Sem intensidade, com baixo poder de marcação, num ritmo claramente inferior ao adversário, a Raposa, apesar de encarar um time de investimento muito inferior e que tem como aposta principal garotos das categorias de base, foi facilmente batida. (mais…)


Apesar do Vídeo Manipulador de Resultados o Galo conseguiu vencer o Flamengo

Foi na determinação, na tática, no coletivo e na qualidade individual. Uma vitória incontestável. Um Atlético de um passado recente, ao estilo 2013/14.

No Brasil o que a FIFA chama de Vídeo Auxiliar de Arbitragem (VAR), deveria ter o nome de Video Result Handler (Vídeo Manipulador de Resultados) ou VRH. A expulsão do Elias foi uma das maiores sacanagens produzidas por este mecanismo inventado para beneficiar a quem de interesse dos que mandam nos bastidores do futebol. Ficarei apenas neste exemplo do Elias. Nem falarei do Guga que, aos 17 do segundo tempo, tomou porrada semelhante à que o Elias deu e foi expulso covardemente.

Com o Vídeo Manipulador de Resultados fica mais difícil identificar o responsável pela mão grande. Tipo, teria sido o apitador do gramado, um dos bandeiras ou um dos VAR?

Na correria de um jogo importantíssimo, dos principais clássicos do país, choques do princípio ao fim, nervos à flor da pele, vem a TV, pinça um segundo de pé mais alto do Elias atingindo o adversário. Minutos depois chama o árbitro e mostra a ele, quadro a quadro, câmera lentíssima, que o Elias pegou o adversário. O apitador, manipulado ou não, (ou seria o chefe do VAR?) e interpreta que houve maldade, intenção de machucar o colega de profissão, PQP! Dá vontade de mandar o futebol à merda e ir curtir outra diversão, dentre tantas que a vida oferece. Mas além de gostar,  sou gratíssimo ao futebol e a tudo que ele me proporcionou na vida. Contestarei sempre a putaria que mancha este belo esporte.

Também não falarei da parcialidade nojenta da transmissão da partida.

Sobre o jogo: que pena que o Cazares não ponha na cabeça que ele poderia ser um astro mundial com a bola que tem. Craque! Mas, irresponsável fora de campo e inconstante dentro. Inteiro, ninguém o segura. Capaz de gols fantásticos como o que marcou hoje.

Já disse aqui que este Rodrigo Santana tem virtudes especiais como treinador e que deveria ser efetivado. No mínimo, sabe administrar um grupo ou, como dizem os executivos empresariais, conhece de “gestão de pessoas”. O mesmo elenco do Levir Culpi, está produzindo quase 100% mais. Simplesmente porque pratica o futebol solidário, em que todos se ajudam. Em esportes coletivos só a cumplicidade garante vitórias. Com todos fazendo a parte de cada um, Victor voltou a ser Victor com defesas sensacionais.

Para arrematar, duas twitadas que merecem atenção especial.

01 – Delegado de Polícia em Curvelo, Dr. André Pelli‏ @delegadoandre: “Só para salientar mesmo, porque não adianta reclamar de arbitragem… no início do jogo o Bruno Henrique deu uma entrada forte no @luanmadson e juiz não deu sequer amarelo. O lance do Elias era para amarelo, não para expulsão. @Atletico #DeOlhoNoApito

02 – Jornalista Victor Martins retwuitando Pedro Neves‏ @pedroecrn: “Eu já falo isso a algum tempo, o Var no Brasil só vai ser mais uma ferramenta para favorecer os times que sempre foram beneficiários. E teve atleticano que queria o VAR porque iria trazer justiça e imparcialidade….”


E lá se foi o gente boa Ney da Matta!

Que tristeza a notícia dessa tarde de sábado, a morte do técnico Ney da Matta, aos 52 anos de idade. Figura querida por onde passou no Brasil, um batalhador do futebol, que tinha muito a acrescentar na atividade.

Detalhes no Superesportes:

* “Aos 52 anos, morre Ney da Matta, ex-técnico de Boa Esporte e Ipatinga”

Ele estava internado desde o início da semana com quadro de pancreatite

Morreu, por volta das 13h deste sábado, aos 52 anos, o técnico Ney da Matta. Ele estava internado desde o início da semana no Hospital Márcio Cunha, em Ipatinga, com quadro de pancreatite. O falecimento foi confirmado pelo prefeito de Ipatinga, Nardyello Rocha. Por meio das redes sociais, Rocha lamentou o óbito. Ele havia pedido orações para Ney da Matta nos últimos dias.

Ney passou por vários exames, quando foi diagnosticada a doença, até ser levado para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital no decorrer da semana.

O último trabalho de Ney da Matta foi pelo CRAC, de Catalão-GO, de janeiro e março deste ano. Além disso, ele treinou, entre os times do futebol mineiro, Ipatinga, Villa Nova, Tupi, Tombense, Democrata de Sete Lagoas, Araxá, Uberlândia, Unaí, Valério, Tricordiano e o Boa Esporte. Nesse último, foram cinco passagens. Em uma delas, foi campeão da Série C, em 2016, garantindo o retorno do time à Série B.

Campinense-PB, CSA-AL, CRB-AL, América-RN, Remo-PA, Sampaio Corrêa-MA, Brasil de Pelotas-RS, Guarani de Campinas-SP, Grêmio Inhumense-GO, Linens-SP, Guará-DF, Brasiliense-DF, Anápolis-GO, Unibol-PE e Nacional do Amazonas foram outros times treinados por Ney fora de Minas.

Além do título da Série C com o Boa Esporte em 2016, Ney conquistou também, pelo clube de Varginha, a taça simbólica de Campeão do Interior, em 2014. Em 2011, pelo Ipatinga, faturou a Taça Minas Gerais.

Boa Esporte emite nota de pesar

É com todo pesar que o Boa Esporte Clube recebe a triste notícia do falecimento de nosso querido amigo e ex-treinador do clube, Ney da Matta. Ele parte deixando-nos muitas lições de amizade, profissionalismo, ética e humanidade. 

Neste momento de dor, nos solidarizamos com seus familiares ratificando nossos pêsames pela grande perda, e agradecemos a dedicação e trabalho prestados ao clube na qualidade de treinador, nos anos de 2014, 2016, 2017 e 2018. 

Em face desta prematura perda, o Boa Esporte Clube declara luto. A Deus pedimos, também, que dê ao nosso amigo o merecido repouso eterno em seu reino. 

VARGINHA, 18 DE MAIO DE 2019. 

Cordialmente, 
Rone Moraes da Costa 
Presidente

https://www.mg.superesportes.com.br/app/noticias/futebol/interior/2019/05/18/noticia_interior,585701/aos-52-anos-morre-ney-da-matta-ex-tecnico-de-boa-esporte-e-ipatinga.shtml


O importante do novo uniforme do Galo é a qualidade de quem vai usá-lo

Alguns clubes estão se dando bem investindo em produções próprias. O Coritiba é o melhor exemplo, inclusive conseguiu baratear o valor da camisa para o seu torcedor: R$ 229 a original/oficial e R$ 189 a modelo torcedor.

O problema é a logística de fabricação e principalmente distribuição. É preciso montar uma estrutura à parte, como se fosse uma empresa de confecções dentro do clube, segundo informou-me uma especialista experiente no assunto, vitoriosa, que pede para não ter o nome citado.

Segundo ela, em clubes de menor porte, torcidas menores, é menos complicado, já que a distribuição não é tão complexa e a cobrança, idem. Mas em clubes grandes é dor de cabeça na certa com a falta de material nas lojas e até no próprio clube para os treinos e jogos do time profissional e da base. Sem falar na linha de atendimento aos mais diversos perfis de torcedores: crianças, adultos, meninos, meninas, grandes, médios, pequenos, camisas, calções, meias, etecetera e tal.

Com o foco nisso, o futebol, razão de ser de tudo, ficará desfocado. Ou então faltará itens nas lojas e no dia a dia do time. Por isso, os grandes transferem essa responsabilidade à empresas e parceiros famosos e com know how, mas que têm de por o preço da camisa para o torcedor nas alturas, em torno de R$ 300 para cima.

Ontem o Atlético lançou a sua coleção 2019 com desfile e pompa, alardeando em suas redes sociais, coisas tipo: @Atletico “TECNOLOGIA DE PONTA: As camisas de jogo @lecoqsportif são elaboradas em tecido desenhado de microfibra de poliéster, que dá sensação de leveza e flexibilidade aos jogadores. Trata-se do mesmo material das camisas que o torcedor encontra nas Lojas do #Galo.”

Muito bom, né? Mas o importante mesmo é o recheio dessas camisas. Com um time competitivo, brigando na cabeça, não sobra nada nas lojas. Com “meia-boca”, vendedor ficará batendo papo nas lojas sonhando com a chegada de raros interessados.


Muito oba-oba sobre um prêmio que o diretor de futebol do Atlético ganhou. E o time? Vai ganhar alguma coisa?

A maioria dos clubes, jogadores, treinadores, entidades e patrocinadores do rico mundo do futebol têm eficientes assessorias de imprensa e marketing. E grande parte dos veículos de comunicação e repórteres não filtram (pelas mais variadas razões) o que é de interesse do torcedor e vai no embalo.

Virou moda no país, nos principais clubes. No dia sete de abril só se falava dos 400 jogos do Victor pelo Atlético. A goleada de 5 x 0 sobre o Boa pela semifinal do Mineiro ficou ofuscada. Três dias depois o Galo tomava de 4 a 0 do Cerro Porteño em Assunção e adeus às pretensões na Libertadores da América, com uma atuação horrorosa do Victor.

Hoje, até me assustei com a badalação sobre um prêmio recebido pelo recém chegado diretor de futebol do Atlético, Rui Costa (que, acredito, fará um bom trabalho, mas chegou agora), de “melhor do Brasil em 2018”.

E ainda citando “concorrentes” do Palmeiras e Cruzeiro, que ficaram atrás!

Hummmm!

E o Galo? Como vai?

Não seria melhor comemorar e encherem a bola do cartola depois que ele ganhar alguma coisa no clube?

E assim, de grão em grão, a credibilidade da mídia e do futebol vão se esvaindo. Vida que segue.

Confira a notícia:

“Diretor do Galo, Rui Costa é eleito melhor executivo de futebol”

Dirigente atleticano foi premiado pelo trabalho no Athletico-PR, no ano passado; ele venceu a disputa com Alexandre Mattos e Marcelo Djian

https://www.otempo.com.br/superfc/atl%C3%A9tico/diretor-do-galo-rui-costa-%C3%A9-eleito-melhor-executivo-de-futebol-1.2182988


Página 12 de 1.104« Primeira...1011121314...203040...Última »