Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Gaúcho Wianey Carlet, que chamou Galo de “marrecada” informa: “Evidentemente que eu sei que o Atlético não é um time de marrecas!”

WIANEY

Pedro Ernesto e Wianey Carlet (direita), no papel de “Azedinho” durante o programa Sala de Redação, da Rádio Gaúcha

***

Clima de festa e de tensão em Belo Horizonte para Atlético x Grêmio. Ambiente tipicamente de final de uma grande competição: a cidade respira futebol e o assunto é este em todos os cantos. O preto e branco nas ruas faz lembrar o dia da final da Libertadores da América em 2013, em que carros e pessoas “trajando” o uniforme alvinegro buzinam e gritam “Gaaaaallllllloooo” quando passam um pelo outro. E assim como em 2013 tem muito azul na parada, todos contra, obviamente. Porém, o azul gaúcho se mistura ao preto, não só na camisa, mas também na sintonia que é tradicional entre atleticanos e gremistas. Nessa rivalidade histórica e salutar, a torcida do Cruzeiro tem como parceira no Rio Grande do Sul a do Internacional.

Por isso é que a diretoria do Grêmio se apressou em soltar nota oficial duas semanas atrás, quando o radialista Wianey Carlet incendiou essa final da Copa do Brasil, chamando o time do Atlético de “naba” e “marrecada”, expressões típicas sulistas para desqualificar um adversário. Mas a nota nem teria razão de ser, já que o próprio Wianey disse dias depois que aquilo não passou de uma brincadeira, dentro do espírito do programa Sala de Redação, tradicionalíssimo da Rádio Gaúcha, um dos mais longevos do rádio brasileiro. Virou inclusive tema de livro, “Sala De Redação – Aos 45 do primeiro tempo”, recém lançado, pelos jornalistas Cléber Grabauska e Junior Maicá.
Um programa que faz lembrar o nosso saudoso Minas Esporte, que durou mais de 30 anos na TV Bandeirantes, que fez história na imprensa mineira. Estive lá por 16 anos, trocando zoações com o cruzeirense Flávio Carvalho e até hoje pessoas comentam comigo episódios dos programas daquela época. Hoje mesmo, no Redação Sportv, o Fred Melo Paiva lembrou do Minas Esporte, dizendo que “saía da PUC e ia almoçar” nos assistindo.
Quando o Wianey zoou com o Galo ele estava interpretando o personagem “Azedinho”, que cumpre o papel de sacanear todo mundo que pode no programa, que tem uma audiência fantástica. Só que em Belo Horizonte pouca gente sabe disso e o circo pegou fogo, com a repercussão dada por colegas da capital mineira. Wianey morreu de rir da onda que seus comentários criaram e em seus textos e falas normais, no jornal Zero Hora e na própria Rádio Gaúcha, disse: “Evidentemente que eu sei que eu o Atlético não é um time de marrecas, eu falei aquilo pra provocar o João de Almeida Neto”, colega de programa.
A situação faz lembrar também a turma da 98FM, maior sucesso recente do rádio mineiro, cujos programas e transmissões esportivas são excelentes, porém com 90% de humor e gozações pra cima de tudo e todos do futebol. Principalmente quando falam dos adversários mineiros. Já pensou se os gaúchos tivessem levado a sério a enquete feita pelo 98 Futebol Clube dias antes do Azedinho chamar o Galo de “marrecada”?

Veja aí: 98 Futebol Clube ‏@98FC: O Grêmio levou um pau do Sport…… isso significa?

45% Só pra rebaixar o Inter
5% É fraco mesmo
11% Tá fingindo de morto
39% Normal, gaúcho gosta
Sobre a bola rolando, não sei. Tenho certeza apenas que teremos dois jogos sensacionais, para quem quem “nervos de aço”, como diria o gremista Lupicínio Rodrigues. E espero que o Galo esteja inspirado hoje e dia 30 para ficar com a Taça!

GAUCHO

A propósito, estou aguardando o voo de volta do Rio para Belo Horizonte e ao meu lado aqui no Aeroporto Santos Dumont, este gremista já roeu quase todas as unhas, embarcando para chegar em Confins e seguir direto para o Mineirão.


Em entrevista à Folha de hoje Renato Gaúcho dá pistas para o Marcelo Oliveira

RENATOGAUCHO

Boa conversa do comandante do Grêmio com Luiz Cosenzo da Folha, em que ele abre o jogo sobre a sua visão do futebol como um todo, inclusive sobre o time dele:

* “Não vou aprender lá fora mais do que já sei, diz Renato Gaúcho”

Renato Gaúcho, 54, vive com uma certeza. Está convencido de que não tem o que aprender fora do Brasil.
Em entrevista à Folha, o treinador que comanda o Grêmio nesta quarta (23) no primeiro jogo da final da Copa do Brasil contra o Atlético-MG, às 21h45, no Mineirão (com Globo, SporTV, ESPN Brasil e Fox Sports), defendeu os colegas brasileiros das críticas de serem piores que os europeus e duvidou que Guardiola, do Manchester City, e José Mourinho, do United, teriam sucesso por aqui.
“Não vou aprender nada lá fora do que já sei porque não vejo nenhum time jogar diferente. Concordo que o Guardiola e o Mourinho estão entre os melhores, mas queria que trabalhassem aqui com o nosso calendário, com os salários atrasados”, disse.
O gremista alfineta os técnicos que vão à Europa em busca de qualificação e voltam rapidamente ao Brasil.
“Técnico falar que foi para a Europa [se aperfeiçoar] e voltar dez dias depois, com foto de jogador importante, é a maior piada do planeta.”
Campeão como jogador no clube gaúcho, comentou sobre a possibilidade de conquistar um título nacional que o Grêmio não vence há quinze anos.
“Não sei se tem como ser mais amado do que já sou”.
*
Folha – Pela sua história no Grêmio, o título da Copa do Brasil seria especial?
Renato Gaúcho – Seria fantástico, já que seria o primeiro na Arena. Título não tem preço, mas para mim seria fundamental. Eu ganhei quase tudo pelo Grêmio como jogador e agora posso ganhar como treinador um título nacional que o clube não conquista há 15 anos. Eu seria ainda mais amado pela torcida, apesar de não saber se tem como ser mais.
Voltei para o Grêmio sem tempo para treinar. Pegamos o Atlético-PR, que tem o Autuori, que é um p… de um treinador. Na sequência, pegamos o Cuca, que acho um dos melhores do Brasil, se não for o melhor. Logo depois, pegamos o Cruzeiro, que é dirigido pelo Mano Menezes, que já foi da seleção brasileira, e eliminamos todos. Aí eu te pergunto. Não tenho mérito na história? Fiquei quase dois anos parado e consegui isso.
Como foi a decisão com a diretoria de abrir mão do Brasileiro e focar na Copa do Brasil? (mais…)


Esta noite no Mineirão: o maior ganhador dos últimos cinco anos contra o maior da Copa do Brasil

CAM

Virou costume: desde 2012, o Galo levantou taças em todas as temporadas (Foto: Maurício Paulucci)

Entre as várias competições nacionais e internacionais o Atlético inicia hoje a sua sétima final consecutiva contra outro que é da prateleira de cima do futebol Sul-Americano. Bela reportagem do Guilherme Frossard no Globoesporte.com:

* “Maior vencedor no Brasil desde 2012, Atlético-MG inicia busca pelo 7º título”

Se vencer a Copa do Brasil, Galo vai ampliar supremacia dos últimos cinco anos em território nacional; Alvinegro está garantido pela 5ª vez consecutiva na Libertadores

Nenhum clube brasileiro conquistou mais títulos que o Atlético-MG nos últimos cinco anos. E a galeria de troféus pode crescer nos próximos dias. Nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Mineirão, o Alvinegro recebe o Grêmio no primeiro jogo da decisão da Copa do Brasil, que pode valer o sétimo título em meia década.

A redenção do Galo desde 2012 passa por números, troféus e pelo orgulho da torcida. De um clube que brigava apenas por conquistas regionais, o Alvinegro se transformou em um time respeitado por todos os adversários, com um desempenho espetacular jogando em seus domínios e que entra na lista de favoritos para vencer qualquer competição que disputa. Os números e as conquistas dos últimos anos evidenciam a transformação atleticana.

Desde 2012, o Atlético-MG não passou nenhuma temporada sem levantar troféu. Foram seis neste período. No primeiro ano da sequência vitoriosa, o Campeonato Mineiro foi vencido de forma invicta, e o Brasileirão bateu na trave: vice-campeão. Em 2013, no ano mais especial da história do clube, mais um Estadual na conta e a conquista da inédita – e tão sonhada – Taça Libertadores. Em 2014, o clube comemorou a Recopa Sul-Americana e Copa do Brasil – vencida sobre o Cruzeiro, maior rival. Em 2015, novo vice-campeonato do Brasileirão e mais uma taça do Campeonato Mineiro. Além do Galo, apenas um clube brasileiro venceu seis títulos neste mesmo período, o Internacional. Todos os troféus do Colorado, porém, foram regionais: cinco Campeonatos Gaúchos e uma Recopa Gaúcha.

Não para por aí. Alguns outros números merecem ser ressaltados. Devido a mais uma boa campanha no Campeonato Brasileiro, o Atlético-MG garantiu, novamente, presença na Taça Libertadores da próxima temporada. Será o quinto ano consecutivo que o Galo vai disputar o maior torneio do continente – mais uma chance para buscar o bicampeonato. Somente um clube brasileiro havia disputado cinco ou mais edições da Libertadores em sequência: o São Paulo, de 2004 a 2010, emplacou sete participações consecutivas no torneio. (mais…)


Desespero colorado, clima de decisão em Beagá, sufoco carioca e baianos torcendo pelo Cruzeiro

INTERDUZINA

A situação do Internacional foi muito bem definida nesta charge e o Cruzeiro poderá acabar de empurrá-lo para a Série B.

O Vitória nunca torceu tanto para um clube mineiro como agora.

Belo Horizonte já está com clima de grande jogo para Atlético x Grêmio amanhã na primeira partida da final da Copa do Brasil.

O Vasco passa aperto para conseguir retornar à A 2017.

Futebol de fortes emoções esta semana no Brasil.


O Cazares contra o Santa Cruz e o Galo no Brasileiro, na opinião de colegas da imprensa e torcedores

CANTINI

Para amenizar, esta belíssima foto e frase do BRUNO CANTINI ‏@brunocantini : “Tem criança que nos emociona, nasce Atleticano.”

***

Jogadores de futebol deveriam se lembrar de imagens como essa toda vez que entrassem em campo. Certamente correriam mais e pensariam melhor antes de fazer uma besteira.

Opiniões de companheiros da imprensa sobre a expulsão do Cazares, a mesma minha:

Mário Marra ‏@mariomarra 

Cazares conseguiu ser expulso tendo sofrido uma falta. É bom jogador, mas foi muito pouco inteligente.

Igor Assunção ‏@Igortep 

Foi burro, irresponsável e moleque. Isso sim.

***

Opiniões de companheiros sobre o time no campeonato:

Vinicius Grissi ‏@ViniciusGrissi 

Atlético levou 48 gols no Campeonato Brasileiro. O mesmo tanto que o Figueirense. Ajuda a explicar porque passou longe do título.

Héverton Guimarães ‏@hevertonfutebol 

Atlético sofreu 3 gols do rebaixado Sta Cruz e de quebra teve Giovanni como melhor em campo. Time não marca. Ñ existe organização defensiva.

***

Opiniões de torcedores sobre o Cazares e na sequência, sobre o time:

Sô Dico da Massa ‏@SoDicodaMassa 

Cazares correndo sério risco de virar um Jobson que habla…

***

* Roger Campos:

“Prezado Chico Maia,
As exibições do Galo esse ano mostraram que o time é MUITO fraco na defesa. Ninguém consegue cobrir lateral nesse time. Bola cruzada na área é meio-gol. Erazo me espanta em certos momentos onde parece que as pernas dele endurecem (e olha que sou “favorável” a ele).

Com todo respeito ao trabalho do Marcelo Oliveira, não teve competência para arrumar o time. Não aceito de forma alguma o argumento de que não foi ele quem montou o time, que não teve tempo para treinar e tudo mais. Quantos jogos o Tite precisou para acertar a seleção? Nenhum. Fez uns dois treinos rápidos e o time aprumou e hoje já podemos dizer que é uma bela seleção. Marcelo está há 8 / 9 meses e o time é frouxo, oscilante. A final da Copa do Brasil vai ser aquele famoso “teste do coração”.

Em tempo, parabéns para Curvelo pela Stock Car!”

* Roger Campos


Mineiros com as cabeças distantes do Brasileiro: Cruzeiro e América miram 2017; Galo o Grêmio!

CRUSAN

Em foto da assessoria de imprensa do Mineirão, detalhes de Cruzeiro 2 x 2 Santos

* * *

Os três mineiros em campo na rodada de hoje do Campeonato Brasileiro estavam pensando mais em outros compromissos do que nos jogos em questão. O Cruzeiro livre do risco de rebaixamento articula a montagem de um elenco melhor para 2017. Com Mano Menezes garantido no comando, tudo indica que na próxima temporada a torcida cruzeirense voltará a ter mais alegrias que sustos e raiva como em 2016 e 2015. Pela primeira vez o treinador gaúcho iniciará um ano coordenando a montagem do grupo. Além de trazer jogadores de qualidade tem a preocupação de segurar Arrascaeta, que estaria nas pretensões do Borússia Dortmund.

GREAFC

Já rebaixado, o América se reforçou no comando do futebol com a contratação do Ricardo Drubsky como diretor, para formar dupla com o técnico Enderson Moreira, que deu uma arrumada na casa, mesmo assumindo quando o time já estava em situação crítica em relação à permanência na Série A. Perder para o Grêmio em Porto Alegre não foi nenhuma novidade.

CAMSAN

O Atlético mandou time reserva para enfrentar o Santa Cruz em Recife, poupando os titulares para os jogos finais da Copa do Brasil.

 

Pressão total

Vencer bem o Grêmio, quarta-feira, no Mineirão será fundamental. A mesma pressão de Belo Horizonte terá reciprocidade em Porto Alegre no dia 30. Dentro e fora de campo, para ambos os lados serão jogos tensos. Comissão técnica e jogadores do Galo jogarão naturalmente pressionados a vencer, contra um time bem montado pelo Renato Gaúcho, pressionado pela voz das arquibancadas.

 

A hora deles

Em momentos como este é que um treinador costuma fazer diferença. As estratégias adotadas para os jogos de ida e volta têm influência direta no resultado final. Saber escalar fulano ou cicrano no jogo em casa e na casa do adversário, de acordo com a característica de cada atleta e necessidade de placar. Esperar o adversário ou partir pra cima sem tomar conhecimento do fator campo?

 

Um ou outro

Há jogadores que se dão melhor sob pressão que outros, mas tecnicamente costumam ser inferiores a um que é decisivo. Treinadores se mostram mais competentes que outros em momentos como este, ao saber optar por um ou outro de acordo com cada circunstância. Por isso se fala tanto da diferença de competições do sistema “mata-mata” para as dos pontos corridos.

 

Nota 10

Disse o locutor do Sportv: “Se a cidade tem 80 mil habitantes, nestes dias a população subiu para, pelo menos, 200 mil com a presença do circo da Stock Car.” Durante toda a vida ouvi falar da intenção de governos e empresários construírem um autódromo em BH ou numa das outras maiores cidades de Minas. Conversa fiada! Foi Curvelo quem deu o exemplo de arrojo e competência para dar ao estado um autódromo de verdade.

stock

Estreia da Stock Car em Curvelo traz corridas estratégicas nas vitórias de Fraga e Maurício –


Ecos do Passado no futebol e na imprensa: de Guará a Déa e Luiz Carlos Januzzi

LUIZ

O saudoso Luiz Carlos Januzzi (esq.), Emanuel Carneiro (Rádio Itatiaia) e o jornalista Rogério Perez, na entrega do Troféu Guará em 1995. Luiz foi um ótimo jogador do Democrata e era filho do Guaracy Januzzi, o famoso Guará o “Perigo Louro”, artilheiro do Atlético, que foi obrigado a parar precocemente com o futebol. Empresta o nome ao maior prêmio do futebol mineiro, promovido há 53 anos pela Itatiaia.

* * *

Numa caminhada pela Serra do Cipó dia desses tive o prazer de me encontrar com a Déa Januzzi, um dos grandes nomes do jornalismo mineiro, famosa pelas reportagens e colunas durante décadas no Estado de Minas. Figura humana fantástica, aposentou-se e hoje mora numa aconchegante casa em Cardeal Mota, distrito de Santana do Riacho, onde está o principal ponto de partida para o turismo na Serra.

Déa-Januzzi-33

Déa é filha daquele que se transformou uma das maiores lendas do futebol brasileiro, Guará, imortalizado pela sua raça, gols e amor ao Atlético e pela iniciativa do Januário Carneiro (fundador da então recente Rádio Itatiaia), que batizou a maior premiação aos melhores do futebol mineiro com o nome dele. Guará era artilheiro de média de quase um gol por jogo, mas parou com o futebol muito novo, aos 23 anos, em função de um choque de cabeça com o zagueiro Caieira, do Cruzeiro, no estádio de Lourdes.

GUARA

O nosso maior clássico começava ganhar os contornos atuais e essa é uma das histórias mais dramáticas, que vale a pena ser lembrada (http://www.galodigital.com.br/enciclopedia/Guaracy_Januzzi).

Um resumo de quem é a Déa está neste blog, da Maya Santana – http://www.50emais.com.br/premio-merecido-para-uma-jornalista-excepcional-3/ – porque eu quero falar mesmo neste post é sobre o irmão dela, Luiz Carlos, que foi um grande amigo e que nos deixou em maio de 2014, também precocemente. Sou amigo dos filhos dele, Eduardo e Kal, e semanas atrás publiquei esta foto (destaque do alto do post) de 1995 em minha coluna no jornal Sete Dias. Mas o espaço no impresso é pequeno e aqui temos espaço à vontade para “falar”. E deixarei a maior parte dessa fala para uma outra grande figura, a quem admiro muito e a quem sou muito grato: José Augusto Faria de Sousa, um dos pioneiros da imprensa esportiva de Sete Lagoas, apesar de ser curvelano da gema. Veja que belíssimo texto que o Zé Augusto escreveu em homenagem ao Luiz, poucos dias após a morte dele e publicado por nós na edição do dia 15 de maior de 2014:

* “À MEMÓRIA DE LUIZ CARLOS JANUZZI”

José Augusto Faria de Sousa

Único filho homem de um gênio do futebol (o consagrado e legendário Guará – Guaracy Januzzi), eterno ídolo  e símbolo do Clube Atlético Mineiro, desde muito  cedo Luiz Carlos  já estava seguindo as pegadas do pai,  nas categorias de base do clube alvinegro,  onde  o genitor se consagrara.

E vivendo num clube onde sobravam estrelas, que lhe tiravam a chance de projetar-se na sua arte, Luiz Carlos acadou cedido ao nosso Democrata  Futebol Clube, que também experimentava  um momento de  esplendor da sua grandeza, no profissionalismo..

      Juntamente com as chuteiras, trouxe consigo um modesto emprego de Mensageiro do  ex-IAPI (Insituto de Aposentadorias e Pensões dos Industriários), que ganhara nos tempos do Atlético,  para ajudar na sua manutenção de moço pobre.

Voltado para o objetivo da carreira de jogador profissional, não comparecia ao trabalho, na repartição pública, tendo as faltas abonadas pelas chefias, pois, aquele emprego humilde, era apenas uma ajuda de custo para o futuroso craque, sendo a situação comum naqueles tempos em que o futebol não gerava as riquezas de hoje…

            Aqui, na cidade pequena, onde a rivalidade era quase insuportável, a coisa não funcionou do mesmo jeito… (rivalidade histórica do Democrata com o Bela Vista).

            Sua falta de assiduidade ao trabalho foi denunciada e, como não poderia deixar de ser, organizaram uma Comissão de Inquérito, para apurar o abandono de emprego… (mais…)


Gente! Bora depressa pra Curvelo que o trem tá bom demais lá!

STOCK0

Terra ótima, de gente boa demais da conta. A cidade está lotada de gente do país todo e gringos de várias partes do mundo.

Do nosso jornal SETE DIAS, reportagem do Renato Alexandre:

* Stock Car invade o Circuito dos Cristais

Renato Alexandre

No próximo domingo, 20, Minas Gerais recebe pela primeira vez os campeonatos brasileiro e sul-americano da Stock Car para a 11ª etapa, a penúltima do ano. A maior categoria do automobilismo nacional acelera no recém-inaugurado Circuito dos Cristais, em Curvelo. A Copa Petrobras de Marcas e o Campeonato Brasileiro de Turismo também participarão do evento com a realização da sétima e penúltima etapa de suas categorias.

Por se tratar de uma novidade para pilotos e equipes, a organização do evento disponibilizou treinos extras na sexta-feira para que os competidores façam um melhor reconhecimento do traçado de 4.420 metros. As atividades de pista têm início nesta sexta-feira, 18, a partir das 8h30, com o primeiro treino extra do Brasileiro de Turismo. Na sequência vêm a Stock Car e a Copa Petrobras de Marcas, que também realizam seus primeiros treinos. No sábado acontecem os treinos livres, classificação e as primeiras corridas do fim de semana, tanto do Marcas, quanto do Turismo. Já a Stock Car realiza suas corridas somente no domingo, a partir das 13 horas.

Dessa vez, o fãs do automobilismo que comparecerem ao Circuito dos Cristais, terão direito a estacionamento gratuito na compra do ingresso, que já estão a venda tanto pela internet, no site www.t4f.com.br, quanto nos pontos de venda físicos. No final de semana do evento, também será possível comprar as entradas diretamente na bilheteria do autódromo de Curvelo, com pagamento somente em dinheiro. Estudante, idosos, maiores de 60 anos e aposentados têm direito à meia-entrada de arquibancada mediante apresentação de documento tanto na compra como no acesso ao evento. A entrada é proibida para menores de cinco anos de idade. Crianças de cinco a 14 anos não pagam ingresso, mas devem estar acompanhados dos pais ou representantes legais maiores de idade de deverão portar documento original com foto ou certidão de nascimento original.

STOCK1

Setores disponíveis: 

– Arquibancada (Setor 1 e Setor 3): R$ 50,00 somente no sábado, R$ 150,00 para sábado e domingo e R$ 130,00 só para o domingo;

– Arquibancada (Setor 2): R$ 190,00 para sábado e domingo (com direito à visitação aos boes no domingo e ao Kit Torcedor – sacola, cordão, boné e copo);

– Paddock (Setor 2): R$ 390,00 para sábado e domingo (Área premium do autódromo, com alimentação e bebida à vontade e acesso à visitação aos boxes no domingo).

Pontos de venda de ingressos:

Curvelo – Posto AP Viana

Av. Antônio Olinto, 475 – Centro

Curvelo – Posto Minas Central

Rua Desembargador Barta, 10 – Centro

Diamantina – Novo Posto Diamante

Largo Dom João, 92

STOCK2

Sete Lagoas – Posto PJ

Av. Mal. Castelo Branco, 1300

Sete Lagoas – Posto Canaan

Rua Jovelino Lanza, 56


Jornalista Maurício Kubrusly se recupera de cirurgia após infarto

MAURICIO

Do portal Comunique-se

* “Maurício Kubrusly passa por cirurgia após sofrer infarto

O jornalista Maurício Kubrusly se recupera da cirurgia a qual foi submetido para colocação de dois stents no coração, informa reportagem da Veja.com. O processo cirúrgico do comunicador, que é contratado da Rede Globo, foi em decorrência de infarto sofrido no último sábado, 12, conforme confirmou a equipe de comunicação da emissora à reportagem do Portal Comunique-se. Sem detalhar dados sobre o estado de saúde do jornalista e nem em qual hospital ele está internado, o canal televisivo informou que ele deve “voltar em breve ao trabalho”. Com mais de 50 anos de carreira no jornalismo, Kubrusly começou na Rádio Jornal do Brasil, passando, posteriormente, por Jornal do Brasil, Jornal da Tarde, Folha de S. Paulo, Editora Três, Excelsior (atual CBN) e TV Cultura.

Aos 71 anos, Kubrusly é funcionário da TV Globo desde o final da década de 1970. (mais…)


Galo fez um grande primeiro tempo, mas terá que jogar mais para ganhar do Grêmio na final da Copa do Brasil

PRATTO1

O respeitado jornalista paulista Julio Gomes Filho twittou depois desse Atlético 1 x 1 Palmeiras no Horto: ‏@juliogomesfilho 

“Eu acho q o Galo ganhará a Copa do Brasil, acho isso desde as 8as. Mas ficar sem chance no Brasileiro a 3 rodadas do fim? Com esse elenco?”

Não tenho a mesma certeza que ele quanto à Copa do Brasil, mas o questionamento quanto à campanha do Galo no Brasileiro procede totalmente. Com um elenco desses era para o Atlético estar garantido, no mínimo, como vice campeão, terceiro colocado seria muito pouco para este elenco. Entretanto, corre o risco de ter que jogar a pré-Libertadores. Ainda bem que o Botafogo, que está na cola, perdeu ontem para a Chapecoense, e o quarto lugar na tabela foi mantido ainda com uma certa folga.

Quando vi Lucas Pratto no banco me lembrei do Edgardo Bauza, o treinador argentino que fez a mesma coisa que o Marcelo esta noite e tomou feio de 3 a 0 do Brasil no Mineirão. Pelo menos o comandante atleticano foi um pouco mais “esperto” e colocou o argentino logo no início do segundo tempo, no lugar do Maicossuel. E ele foi entrando e empatando o jogo, escorando um ótimo passe do Robinho. Isso aos 13 minutos.

O jogo foi excelente no primeiro tempo e o Galo entrou com tudo. Aos 18 minutos dois jogadores do Palmeiras (Vitor Hugo e Gabriel Jesus) já tinham tomado cartão amarelo. Mas foi o Palmeiras quem saiu na frente, em um dos contra atques típicos dos times dirigidos pelo Cuca. Gabriel Jesus lançado pelo Dudu na direita, contou com a bola resvalando no zagueiro Gabriel, enganando Victor, aos 25.

O ritmo empreendido pelos dois times foi a toda velocidade e eles aguentaram essa correria até os 20 do segundo tempo quando se cansaram e a partida ficou cadenciada até o fim.

Marcelo Oliveira disse que escalará um time totalmente reserva contra o Santa Cruz, em Recife, domingo. Poupará os titulares para a final contra o Grêmio, que começa quarta-feira no Mineirão. É vencer ou vencer! Com um elenco desses, terminar o ano sem título algum, seria dose pra elefante!


Página 18 de 976« Primeira...10...1617181920...304050...Última »