Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Vem aí a Rádio Super Notícia FM, com as possíveis voltas ao microfone de Roberto Abras, Arthur Moraes e Pequitito

ABRASARTHUR

Arthur Moraes (esquerda) e Roberto Abras, em forma e animados para o retorno ao mundo do rádio

Excelente notícia para o público e principalmente para o mercado de trabalho de jornalistas e radialistas: deverá ser no dia 1º de maio a estreia da Rádio Super Notícia FM 91,7 que promete marcar época no mercado radiofônico mineiro. Novidade da Sempre Editora, proprietária de jornais como O Tempo, Super Notícia e Pampulha. Empresas integrantes do grupo pertencente ao empresário Vitório Medioli. A nova rádio terá programação eclética, com destaque para o jornalismo em geral, focado principalmente em esportes, cidades, política, entretenimento e música.

O diretor é o jornalista Heron Guimarães, que já comanda a Sempre Editora, e o coordenador geral é o Rogério Maurício, que deixou o cargo de editor-chefe do jornal Super Notícia, para se dedicar exclusivamente à 91,7. Rogério tem grande experiência no ramo. Já foi da Rádio Globo e ultimamente participava, como debatedor convidado, do Rádio Vivo, o tradicional programa do José Lino Souza Barros, na Itatiaia.

Os estúdios da Rádio Super Notícia estão quase totalmente prontos, com o que há de mais moderno na tecnologia, junto às redações do O Tempo e Super, na Avenida Babita Camargos, na divisa de Belo Horizonte com Contagem e alguns nomes de peso do rádio esportivo mineiro estão praticamente confirmados, como o Osvaldo Reis, o “Pequitito”, que era um sucesso nas rádios Globo/CBN, até a recente extinção da equipe de esportes das emissoras em Minas e Arthur Moraes, que saiu da Itatiaia há pouco mais de um ano.

Outros dois nomes podem ser confirmados a qualquer momento: Roberto Abras, que estaria disposto a voltar a trabalhar, já que havia se aposentado na Itatiaia no fim do ano passado, e o comentarista Lélio Gustavo, que está muito bem na 98 FM, mas que também foi convidado.

O investimento na contratação de grandes profissionais não se restringe a Minas Gerais. Também está praticamente acertada a vinda, de bons profissionais de Goiânia, cidade que sempre lança grandes nomes para o rádio esportivo.

O surgimento da Rádio Super Notícia FM faz lembrar a Rádio Capital, em 1979, que sacudiu o rádio mineiro, quando contratou grandes nomes, investiu em jovens desconhecidos, como eu na época, buscado em Sete Lagoas, e que marcou época com uma programação diferente e alta movimentação do setor.


Rebaixados já estão definidos nesta fórmula falida de um campeonato a cada ano mais decadente

MINEIRO

Com a derrota de ontem para o Democrata em Governador Valadares, 1 a 0, o América de Teófilo Otoni retornou à segunda-divisão, junto com o Tricordiano. Mais do mesmo e o Campeonato Mineiro segue, pobre tecnicamente, sem novidades, mas atendendo aos interesses da cartolagem da FMF, demais federações do país e à CBF.

Atlético ou Cruzeiro será o campeão, com alguma possibilidade de o América quebrar essa hegemonia. O campeão soma pouquíssimo à sua história; o que perder viverá os dias seguintes de muita onda, risco de crise e risco de queda do treinador, até a primeira rodada do Brasileiro, quando ninguém se lembrará mais deste campeonato.

E ano que vem começa tudo de novo!

Atlético e Cruzeiro ficam na zona de conforto deles. Recebem polpuda cota da Globo, quase R$ 6 milhões, cada. Não se mexem para mudar tudo, de forma que os paupérrimos clubes do interior trabalhem a base e revelem jogadores, como já foi até meados dos anos 1980.

O presidente da FMF, de quem se esperava coragem e arrojo para mudar, diz que a entidade está amarrada ao Estatuto do Torcedor e a um emaranhado de leis, e que por isso não muda tudo. E cruza os braços, também nessa zona de conforto, assim como o seu antecessor, Paulo Schettino, que tinha o mesmo discurso. Se quisessem mesmo mudar, se mobilizariam, buscariam apoios políticos e botariam a boca do mundo, denunciando aquilo que todos assistimos anualmente: essa fórmula faliu e a decadência do nosso futebol é gritante.

Pelo poder midiático e financeiro que tem, só a Globo poderia fazer todos se mexerem e buscar o caminho ideal. Mas enquanto estiver bom pra ela, tudo continuará do jeito que está.

E assim caminha a humanidade, com a vida que segue!


Reflexões sobre a merecida vitória do Cruzeiro no clássico

ARRASCAETA

Incrível como o Arrascaeta regula contra o Galo, com gols e assistências memoráveis. Thiago Neves está muito à vontade no Cruzeiro, dentro e fora de campo.

O árbitro Igor Junior Benevenuto foi preciso nas marcações e vai se consolidando como o melhor apitador da atual safra mineira.

Giovani falhou nos gols, mas isso não tira a condição dele de muito bom goleiro. O erro do Fred foi mais grave e pesou mais para a derrota atleticana.

ELIAS

O melhor discurso alvinegro após a derrota foi do Elias, com “sangue nos olhos”, prometendo um time com postura diferente no próximo clássico.


No país da hipocrisia o nosso maior clássico nunca fica de fora das bobagens ao vento

URSULA

Ótimo artigo da Úrsula Nogueira, diretora de esportes da Rádio Itatiaia:

* “O clássico do ‘mimimi’”

Semana de clássico é sempre “mais do mesmo”. Toda vez é a mesma coisa. Infelizmente! Na contramão da civilidade, alguns dirigentes de Cruzeiro e Atlético fomentam, mais uma vez, uma série de polêmicas desnecessárias.

A “bagunça” começou no último domingo (26) quando o repórter Thiago Reis informou que o clássico teria 90% de cruzeirenses e apenas 10% de atleticanos no Mineirão. A famosa polêmica da divisão dos ingressos.

Na última terça-feira (28) a diretoria do Atlético encaminhou um ofício à Federação Mineira de Futebol pedindo o afastamento do árbitro Ricardo Marques Ribeiro. Em entrevista à Rádio Itatiaia, o diretor jurídico do Atlético, Dr. Lásaro Cândido, alegou que o pedido foi feito pelo histórico de jogos do Cruzeiro mediados pelo árbitro. “O que ocorreu ontem, no jogo contra o Uberlândia, praticamente reafirmou essa incapacidade (de Ricardo Marques) de gerir um espetáculo respeitando as regras, pelo menos em jogos envolvendo o Cruzeiro”, disse Cândido.

Se o Atlético tivesse sido prejudicado pela pontuação alcançada pelo Cruzeiro, o pedido de afastamento do árbitro teria um embasamento mais lógico. Mas não foi isso que aconteceu! (mais…)


As artimanhas de todo clássico, que não valem nada, mas que podem valer tudo

RIC

Ricardo Marques Ribeiro, de novo na geladeira alvinegra

Cada dia mais me convenço que Tim Maia é que está certo quando diz que “Tudo é tudo e nada é nada”. Vale para futebol, principalmente quando se fala de um clássico entre Atlético e Cruzeiro. A cada jogo, medidas tomadas pelos dirigentes de um ou outro, quase sempre de ambos, que raramente se justificam, em que o bom senso e a racionalidade passam longe. Eles inventam fantasmas e acreditam neles. Mas às vezes estas fantasias podem ser verdadeiras e acabam influenciando no resultado. Nunca se sabe, não é? Por isso, seguro morreu de velho e é melhor tomar porrada da imprensa ou do lado adversário fora de campo do que lá dentro. Sempre foi assim e assim será. Não dá pra tomar partido de uma das diretorias neste clássico, quando Galo e Raposa vão se enfrentar. A razão está com as duas, ou não; depende do lado de se enxergá-la.

Sendo assim, o Cruzeiro acha que limitar o acesso da torcida do Galo pode ajudá-lo. Tentou evitar a entrada até dos mascotes.  O Atlético voltou a colocar o apitador Ricardo Marques Ribeiro na geladeira, alegando que ele é suspeito. Foi funcionário do gabinete do desembargador Wanderley Salgado de Paiva, presidente do Conselho do Cruzeiro, o que motivou o primeiro veto atleticano, da era Alexandre Kalil, em 2009. Retirado da geladeira pouco tempo atrás, voltou apitar jogos do Galo, até bem, mas . . . errou contra o Uberlândia, na semana do clássico, justamente a favor do Cruzeiro.

Se a Federação vai aceitar o veto é outra história, mas a pressão sobre a arbitragem já está feita. Qualquer que seja ela.

Que seja um jogão, e vida que segue…


Estou enganado ou acabou aquela puxação de saco e troca de confetes entre o Neymar e a mídia mais poderosa do país?

GALNEY

Se sim, este é um “legado” a ser comemorado da Olimpíada do ano passado. Desde o rompimento do atacante com o Galvão Bueno, que fez duras e justas críticas a ele na primeira fase dos Jogos do Rio, que a relação entre eles passou a ser profissional, sem oba-oba e enganação de lado a lado.

Neymar passou a ser mais sério dentro de campo e o tratamento a ele, jornalístico, como devem ser as relações entre profissionais das duas pontas, que “mamam na mesma vaca”, porém, em tetas diferentes. Bom para o futebol, bom para os telespectadores, ouvintes e leitores.


Performance impecável de Tite, garante o esquecimento da esculhambação da CBF, federações e cartolagem

636020579816085000

Toda a empolgação com a seleção brasileira sob o comando do Tite de justifica, não só pelos 100% de aproveitamento, mas principalmente pela valorização dos esforços do treinador, que se reciclou, foi estudar no exterior, participou de intercâmbios, aprofundou seus conhecimentos, enfim se preparou para o cargo.

O que se lamenta é que resultados dentro de campo como estes fazem com que as mazelas da cartolagem da CBF continuem. Fora de campo continuaremos atrasados, comandados por gente suspeita lá no Rio e na maioria das federações estaduais.

E a lua de mel com o time e o treinador dura até que haja um tropeço, como a não conquista da Copa da Rússia, por exemplo.


Cruzeiro pagou por respeitar demais o Uberlândia e garantiu vantagem ao Galo na fase decisiva

CRU

Com os 2 a 2 para Cruzeiro e Uberlândia o Atlético se garantiu como o primeiro lugar na primeira fase do Campeonato Mineiro, levando vantagem para a fase decisiva. Uma vantagem que não quer dizer muita, já que vimos incontáveis times nesta condição, serem eliminados no primeiro jogo da reta final.

O que mais irritou neste empate foi a postura fechada do time na maior parte do jogo, como se o adversário fosse de altíssimo nível. Com todas as ótimas condições do Parque do Sabiá, era como se estivesse jogando no Mineirão. Mano Menezes, depois do jogo, disse: “A gente deixou escapar no final, quando era hora de fechar o jogo”.

E o apitador Ricardo Marques Ribeiro enxergou pênalti no primeiro gol cruzeirense que até agora o reprise do lance pela TV tenta mostrar e não consegue.


Que o Atlético tenha desempenho ao menos semelhante no Brasileiro, que assim, será campeão

Que o Atlético tenha desempenho ao menos semelhante no Brasileiro, que assim, será campeão. Até então, campanha impecável no Mineiro, 100% de aproveitamento e belíssimos gols do Fred, como este que abriu o placar contra a URT, depois de uma ajeitada perfeita do Robinho.

Luan entrou no intervalo e foi eleito pela Itatiaia como o melhor em campo. Qualidade técnica nunca foi problema pra ele, mas a condição médica/física, continuará dando trabaho. Coisa séria!


Parabéns ao Galo pelos 109 anos, hoje!

As comemorações da torcida foram um espetáculo à parte, em Belo Horizonte e em boa parte do mundo!


Página 18 de 991« Primeira...10...1617181920...304050...Última »