Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Na briga entre os ex-amigos Gilvan e Perrella, pode sobrar para o presidente Wagner Pires de Sá

Contas da gestão Gilvan de Pinho Tavares não foram aprovadas nem rejeitadas na reunião de ontem do Conselho Deliberativo do Cruzeiro. Troca de acusações entre os ex-presidentes do clube ganhou o noticiário nas últimas horas.

Reportagem do Superesportes: * ‘Irresponsável’: Gilvan ataca Zezé Perrella após reunião tensa no Conselho do Cruzeiro

Ex-presidente se irrita com Perrella após ter números contestados

Durante os seis anos em que presidiu o Cruzeiro, entre 2012 e 2017, Gilvan de Pinho Tavares raramente saiu do sério. Na noite dessa quarta-feira, quatro meses depois de deixar o cargo máximo do clube, ele trocou o discurso pacífico que lhe é peculiar pelo ataque. Tudo por conta da postura e de declarações do novo presidente do Conselho Deliberativo, o senador Zezé Perrella, acerca dos números da gestão de Gilvan no Barro Preto. O clima entre eles já tinha azedado na eleição presidencial de outubro passado, quando Zezé apoiou Sérgio Rodrigues e Gilvan respaldou a candidatura de Wagner Pires de Sá, que acabou eleito para a sucessão. À época, Perrella dirigia duras críticas à gestão de Pinho Tavares, principalmente por considerá-la ultrapassada. O então mandatário respondia com seus feitos: o bicampeonato brasileiro (2013/2014) e o penta da Copa do Brasil (2017). 

Nesta quarta-feira, os dois tiveram uma discussão acalorada na reunião do Conselho Deliberativo que tratava do balanço financeiro de 2017, último ano da gestão de Gilvan. Perrella alegava que seria um erro submeter os números do clube à votação pelo fato de os conselheiros não terem recebido o documento com antecedência mínima de 15 dias para apreciação. Pinho Tavares rebateu lembrando que a função de repassar os dados das finanças ao Conselho cabia justamente a Zezé, presidente do órgão. 

Por fim, a votação acabou adiada para o mês de maio. Diante disso, o balanço financeiro de 2017 será publicado oficialmente esta semana sem ser aprovado ou reprovado pelos conselheiros, algo inédito no Cruzeiro. É que a Lei Pelé exige a divulgação dos números de entidades esportivas até o fim de abril, sob pena de sanções, como o eventual afastamento do presidente executivo, no caso, Wagner Pires de Sá.  (mais…)


Saudosismo e injustiças dificultam a afirmação de jovens promessas no Atlético

Início dos anos 1970. Cerezo chegava com tudo, mas Vanderlei Paiva era titular e ídolo da torcida. Mazurkiewcz, Getúlio, Grapete, Silvestre, Cláudio Mineiro e Vanderlei Paiva; Arlem, Campos, Toninho Cerezo, Reinaldo e Nilson.

Em quase todos os grandes clubes é assim, mas no Galo, conheço bem, por ter sido repórter setorista lá durante muito tempo. Não é de hoje. Eu era criança e me lembro do Toninho Cerezzo retornando do Nacional de Manaus, jogando e correndo demais, pedindo passagem no time principal do Atlético. Mas tinha o Vanderlei Paiva no caminho. O famoso “carregador de piano” era ídolo da massa, que não gostava da ideia de vê-lo fora do time. Porém, a diferença era grande demais. O time passava aperto contra qualquer adversário com o Vanderlei e bastava o Cerezo entrar no lugar dele para tudo mudar e o time vencer sem maiores dificuldades. Até que não teve jeito. Cerezo virou titular absoluto e o Vanderlei recebeu todas as homenagens a que tinha direito e foi jogar na Ponte Preta.

E mexer com os velhos ídolos pesa também. Muita gente boa da imprensa não gosta de tocar no assunto porque envolve jogadores muito importantes da história do clube: Leonardo Silva, o capitão artilheiro, por exemplo. Dia 22 de junho fará 39 anos. Impossível um zagueiro atuar em alto rendimento nessa idade durante 90 minutos. Velocidade, reflexos, contusões, tudo contra, em comparação com atacantes jovens e velozes que vão pra cima com tudo o que têm direito.

Aí, a nova geração que está chegando paga a conta. A cobrança para cima do jovem Gabriel é exagerada e beira a covardia. Impressionante como jogadores que saem da base do Atlético não podem contar com a mesma paciência que colegas da imprensa e boa parte da torcida têm com jogadores que são contratados longe de Minas. Mesmo tendo este Bremer o Atlético foi buscar Maidana no São Paulo. Se fosse um grande zagueiro não seria cedido pelo clube paulista com a facilidade que foi. E o Felipe Santana? Até hoje não justificou o altíssimo investimento feito nele. Impossível entender essa aquisição.


Henrique tem e não tem razão de reclamar das cobranças da torcida do Cruzeiro

Incomodado com as críticas e cobranças, o volante Henrique desabafou na entrevista coletiva na Toca da Raposa: “A gente sabe que o torcedor é muito emocional e de imediatismo. Esquece muito rápido as coisas. Todos só olham para o agora, mas esquecem o que já foi feito… Isso infelizmente é natural no futebol”.

Henrique completará 33 anos de idade dia 16 de maio. Ele tem razão em quase tudo o que disse, mas se esquece “apenas” que o tempo passa e ninguém é eterno. O que foi feito, e bem feito por ele e demais jogadores que conquistaram títulos, passou. O torcedor que novos títulos e bola nas redes adversárias.

Não fosse isso, os cruzeirenses gostariam de ter ainda o Piazza como seu principal volante e líder. Como diz o filósofo popular diamantinense, Waldívio Marcos de Almeida, “o tempo é praga e arregaça com o sujeito”.


Sem grana para ela, CBF aciona justiça para impedir Neymar de usar amarelo em propaganda de cerveja

Nessa briga de cachorros grandes a entidade quer ganhar até no berro do boi. Enquanto os clubes, razão de ser de todo o circo, vivem de pires na mão, por serem desunidos e viverem na  base do “cada um por si e Deus pra todos”. Reportagem da Folha de S. Paulo:

*Justiça proíbe propaganda com Neymar de uniforme

Empresa patrocinadora da seleção entrou com ação para vetar imagens

Por Maria Cristina Frias

Uma propaganda da cerveja Proibida em que o jogador Neymar aparece de camisa amarela e shorts brancos foi vetada por liminar da Justiça na quarta-feira (18).

A CBF e a Ambev, patrocinadora da seleção, entraram com uma ação para impedir que a Proibida anuncie com o uniforme da Seleção.

Não eram só as roupas que incomodavam: também pediram para que a Proibida não usasse na sua campanha símbolos como o número 10 e as estrelas. Em sua decisão, o desembargador Wagner Cinelli deu razão em parte à CBF.

Será considerada cópia de uniforme da Seleção Brasileira de Futebol o conjunto de camisa, shorts e meias que tenham as mesmas cores de qualquer um dos figurinos oficiais”. Essa é uma preliminar, mas o advogado da CBF, Gustavo Piva de Andrade, do Dannemann Siemsen, diz considerar que a disputa está ganha. (mais…)


Um ano atrás Salah evitava o caos financeiro da Roma; ontem, detonou com o ex-clube dentro de campo

O mundo futebolístico hoje destaca o egípcio Salah, atacante que detonou a Roma ontem, marcando gols e dando passes para outros. Com os 5 a 2 feitos em casa o Liverpool vai à Itália para o jogo da volta, mas com todo o cuidado para não perder por três gols de diferença, como a Roma fez com o Barcelona na fase anterior da Liga dos Campeões.

O Diário de Notícias, de Lisboa, deu interessantes detalhes a respeito da importância deste grande atacante:

* “Salah, o egípcio que salvou a Roma e ressuscitou o Liverpool”

Há um ano estava em Roma e agora carregou os reds até às meias-finais da Liga dos Campeões.

O Liverpool recebeu a Roma naquele que foi o primeiro jogo das meias-finais da Liga dos Campeões. Um confronto entre duas equipas que surpreenderam nos quartos-de-final, eliminando Manchester City e Barcelona, respetivamente, e que tem um facto curioso a rodeá-lo: o reencontro de Salah com os ex-colegas, um ano depois de ter salvo a Roma de uma crise financeira… e de agora ter revitalizado o Liverpool.

Em junho de 2017, o clube italiano tinha a UEFA à perna devido ao fair play financeiro e foi obrigado a abrir mão do seu jogador mais cobiçado, o egípcio Salah, que rumou ao Liverpool por 42 milhões de euros. Na altura, a direção do emblema italiano explicou aos adeptos a razão da venda, para equilibrar as contas, de forma a evitar uma dura penalização do órgão máximo do futebol europeu.

Salah seguiu então para Inglaterra com destino ao Liverpool, onde encontrou um clube sedento de títulos e revelou-se fundamental para o sucesso dos reds nesta temporada, tendo sido mesmo eleito no último fim de semana como o melhor jogador da Premier League – é atualmente também o líder da Bota de Ouro, com 31 golos marcados no campeonato inglês (leva ainda oito na Champions, apenas atrás dos 15 de Ronaldo).

O egípcio, que entretanto está valorizado em 140 milhões de euros, é assim o principal destaque para este embate. O seu treinador, Jurgen Klöpp, também não tem dúvidas de que este regresso será especial. “Mudar de equipa também faz parte da vida de um jogador de futebol. Ele também é o que é graças à Roma. Sabemos que vai ser complicado para ele, mas é um profissional”, salientou o alemão, confiante num bom resultado em Anfield Road. “Estamos bem preparados para seguir em frente, queremos dar ainda mais alegrias aos adeptos”, confessou. (mais…)


Sobre treinadores, curiosos, enganadores e milagreiros

O comentarista Silvio T., sugeriu mais postagens sobre treinadores de futebol, e então vamos lá. Sou desses que valorizam a categoria. Tem gente que acha que eles não têm tanta importância assim. Há uma corrente que diz: “treinador não ganha jogo, mas perde”. Levir Culpi escreveu até um livro, cujo título saiu de um xingamento que ele sofreu à beira do gramado: “Burro com sorte”. Aliás, este é dos melhores que já tive o prazer de ver trabalhar. Daqueles que conseguem montar times competitivos com jogadores apenas dedicados, sem talento acima da média. Para mim o maior erro do Daniel Nepomuceno como presidente do Atlético foi tê-lo desprezado. Depois, passou o mandato inteiro tentando um substituto que mantivesse o Galo no patamar de títulos e competitividade, mas, em vão.

Levir pode ser encaixado da categoria dos “milagreiros” e me lembrei dele ao ler esta ótima análise feita pelo Martín Fernandes, no O Globo, sobre um dos maiores “milagreiros” do futebol mundial. Confira:

* “Wenger, o milagreiro”

Se a Premier League é hoje o melhor campeonato nacional do mundo, deve muito ao francês

David Dein era dirigente do Arsenal, nos primeiros tempos de Arsène Wenger no clube londrino, quando precisou fazer o check-in do técnico num hotel. Ao preencher o campo “profissão”, escreveu lá: “Milagreiro”. A história foi contada por Amy Lawrence no jornal britânico “The Guardian” ontem, tão logo Wenger anunciou sua saída do Arsenal depois de 22 anos.

Wenger de fato fez milagres. Antes de conquistar títulos, precisou vencer as desconfianças que brotavam de todos os lados — dentro do vestiário que ele comandava, na imprensa, entre os colegas de profissão. Um técnico francês, vindo de um clube japonês, chamado para resgatar da irrelevância um dos mais tradicionais clubes ingleses. Foi um choque em 1996. Se hoje parece fácil, é por causa dele.

Ao desembarcar em Londres, Wenger foi recebido a pedradas pelos tabloides — “Arsène quem?” — e pelo então técnico do Manchester United, Alex Ferguson: “Dizem que é um homem inteligente, certo? Fala cinco línguas? Bom, tenho um garoto de 15 anos da Costa do Marfim que também fala cinco línguas”. (mais…)


Imperdível, neste fim de semana: Tabuleiro Jazz Festival, em Conceição do Mato Dentro

Em janeiro, tive o prazer de estar com os responsáveis diretos por este grande acontecimento cultural, em almoço no apartamento do Zé Fernando Aparecido, prefeito de Conceição (sentado à esquerda), ao lado do poeta e escritor Petrônio Souza, do Toninho Horta (com o neto no colo) e do Silvinho Resende (à minha direita), Secretário Adjunto de Assuntos Institucionais da Prefeitura de Belo Horizonte.

Para quem for, indico a Pousada Alto do Baú (www.pousadaaltodobau.com.br/ – (31) 98819-0359) e a Espinhaço Eco Tour, que tem todas as informações sobre demais meios de hospedagem, passeios e o turismo na cidade e região: www.facebook.com/espinhacoecotur – 31 98262 8556.

A programação completa e mais detalhes nos foram enviados pela Cláudia Brandão, da Parole Comunicação Integrada.

” Evento vai reunir nomes consagrados do jazz no Brasil e no mundo,  além de atrações musicais locais, gastronomia regional e oficinas infantis”

Um dos cenários de maior beleza natural do Brasil será palco de uma grande celebração do jazz contemporâneo, reunindo expoentes do gênero no país e no mundo. De 27 a 30 de abril, a cidade de Conceição do Mato Dentro (MG) recebe o Tabuleiro Jazz Festival.

O evento, realizado pela prefeitura do município, contará com a participação de artistas conceituados, tendo como palco o distrito de Tabuleiro, região caracterizada por natureza exuberante e com fortes tradições culturais, numa sintonia perfeita entre música e natureza. Nomes consagrados do jazz mundial, como Toninho Horta (BH), Paul McCandless (EUA), Paul Hanson (EUA), Stephan Kurmann (SUI) e Michael Eckroth (EUA), além de grandes artistas da MPB e da música instrumental, como Joyce Moreno, Carlos Malta, Magno Alexandre, Enéias Xavier, Marcio Bahia e Lincoln Cheib têm presença confirmada no evento. (mais…)


Média de idade dos treinadores do Brasileiro deste ano é a menor desde 2010

O jornal O Globo soltou no dia da primeira rodada do Campeonato Brasileiro um bom guia da competição e dedicou espaço especial para a renovação dos técnicos no Brasil. Thiago Larghi, do Atlético teve direito a foto de quase meia página na contracapa do guia. Aos 37 anos, é o segundo mais jovem. Maurício Barbieri, do Flamengo, com 36 é o mais novo, mas assim como o comandante do Galo, também é “interino” segundo a diretoria. Odair Hellmann, 41, era “interino” no Campeonato Gaúcho e foi efetivado como técnico do Internacional no retorno à Série A.

Fernando Diniz, 44, é apontado como o técnico que atrai a maior expectativa. Comanda o Atlético-PR. Interessante é que o trabalho dele chamou muito a atenção no início de 2016 quando levou o Audax ao vice-campeonato paulista. Seria natural que algum clube da Série A nacional o contratasse para o Brasileiro daquele ano, mas isso não ocorreu. Ficou de molho, no Oeste-SP, mais de um ano e só agora ele tem essa oportunidade. Mineiro de Patos de Minas, foi meio campista do Corinthians, Fluminense, Flamengo, Cruzeiro (2004) e vários outros times. Formado em psicologia, defensor do futebol ofensivo e de muito toque de bola, deverá levar o Atlético-PR a uma boa campanha.

Outro que está sob observação é o Jair Ventura, 39 anos, que se destacou no Botafogo e agora tenta repetir o bom trabalho no Santos.

Certamente essa renovação dos treinadores tem como inspiração maior o Fábio Carille, 44 anos, o “interino” de maior sucesso nos últimos anos no futebol brasileiro, campeão com o Corinthians.

Rogério Micale, 49 anos, está no Paraná Clube. Grêmio Barueri e Atlético foram as duas experiências comandando times profissionais. Não se deu bem e agora tem nova oportunidade. Começou perdendo duas nas duas primeiras rodadas: 1 a 0 pro São Paulo no Morumbi e 4 a 0 em casa pro Corinthians.


No Galo, esperança que um “cabeça cozida” siga o exemplo de determinação do Gustavo Blanco

Um certo aperto no fim do segundo tempo em função do desespero do Vitória, mas o Atlético fez um bom jogo. Apesar da vitória o principal assunto foi a saída, finalmente, de Elias do time. Roger Guedes foi muito bem. Tomara que deixe de ser um cabeça cozida, pois bola tem.

Não por coincidência o melhor em campo foi o Gustavo Blanco e sugiro a leitura dessa ótima reportagem do Henrique André, sobre este jogador, no Hoje em Dia:

* “Preconceito na base e salvo por um jornalista: as histórias de Blanco, novo reforço do Atlético” (mais…)


Mano sob pressão: derrota no Rio e adversário pela Libertadores toma de seis pelo campeonato chileno

Para mim o técnico do Cruzeiro continua tirando água de pedra, com um elenco razoável, dentro das condições financeiras possíveis do Cruzeiro na atualidade. Mas o twitter Uai Tevê reflete o que incontáveis cruzeirenses pensam e cobrou do Mano Menezes essa derrota e a campanha ruim até agora no torneio continental.

Não tive ainda o prazer de conhecer o administrador deste twitter, mas é muito bom e recomendo. Importante lembrar que desde os 20 minutos do primeiro tempo o Cruzeiro jogou com um a mais. E o @uaiteve cornetou com convicção: “Na minha opinião, que não vale lá muita coisa, se o Cruzeiro perde do Universidad de Chile ~que tomou hoje de 6 x 1 do Unión La Calera no Campeonato Chileno~ o Mano não aguenta e sai do time.”

* Identificação do  UaiTV: “Sou jornalista e colaborador do @50jardas, com passagens pelo portal @TVHistoria e @TVHorizonte ndem Belo Horizonte. Quando deixam, falo sobre aviação também.”


Página 18 de 1.053« Primeira...10...1617181920...304050...Última »