Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Em dois minutos, Cruzeiro toma virada do CSA, com mais falhas individuais

Foto: twitter.com/CSAoficial

A fragilidade do elenco se mostrou evidente outra vez. A cada partida falhas infantis comprometem o resultado. Abriu o placar aos cinco minutos do primeiro tempo, tomou a virada aos 26 e 28 e não teve forças para reagir.

Próximo jogo, quarta-feira, no Mineirão, contra o Guarani, às 19 horas. No jornal Hoje em Dia os detalhes da derrota desta noite:

“. . . A equipe celeste abriu o placar com Felipe Augusto, de  cabeça, logo aos cinco minutos do primeiro tempo, após escanteio cobrado por Marcinho.

Os donos da casa conseguiram a virada em um intervalo de dois minutos, com o atacante Iury, que balançou as redes de Fábio aos 26 e aos 28 minutos da etapa inicial.

Ambos os tentos do Azulão contaram com falhas individuais dos zagueiros do Cruzeiro. Primeiro com Weverton e depois com Joseph.

Com o resultado, a Raposa caiu para a 13ª posição, com sete pontos . . . (mais…)


Santos 2 x 0 Atlético: não deu tempo de ouvir as entrevistas depois do jogo, mas certamente vão transferir a culpa para alguma coisa ou alguém

Foto: twitter.com/SantosFC

Outra partida ruim do Atlético. Allan expulso novamente. Não deu tempo de ouvir as entrevistas de jogadores, diretoria e comissão técnica, mas certamente reclamarão de alguma coisa ou de alguém. Transferir responsabilidade é a tônica, que engana a muito torcedor apaixonado que vê perseguição em qualquer crítica. Já ouvi sujeito dizendo que o problema é o “tabu” de jogar na Vila Belmiro. Só faltava esse tipo de idiotice para justificar resultado ruim.

Até hoje não entendi aquela reação do Cuca contra o árbitro Vuaden, depois da derrota para o Ceará. Será que ele queria ser expulso e ficar fora deste jogo contra o Santos, que foi seu time anterior? No vestiário, minutos depois, ele mesmo reconheceu que exagerou e disse: “Errei sim, mas está feito; pelo menos desabafei”. Ora, ora, e como fica o clube que o paga, o time que precisou dele no banco hoje e principalmente o torcedor. E não vi ninguém cobrando do treinador por isso. Só silêncio e bajulação.

Sobre essa derrota especificamente, perder para o Santos, na Vila Belmiro, não seria o “o fim do mundo” para quem quer brigar pelo título. Não poderia e não pode perder ou empatar em casa é para Fortaleza, Ceará, Chapecoense e demais da turma de baixo.

E a derrota para o Santos começou, mais uma vez, com a inoperância do Guga, que não conseguiu matar o contra ataque do time paulista. Hulck foi desarmado na entrada da área do Santos, por Luan Peres, que passou para Marcos Guilherme, que passou para Kaio, que entregou para o Jean abrir o placar.

O segundo gol santista foi no apagar das luzes, com o Galo atacando na base do desespero em busca do empate.

Próximo jogo, quinta-feira, Mineirão, 19 horas, contra o Atlético goianiense. Aí é que mora o perigo!


Assistindo a derrota do Flamengo, Holanda x Rep. Tcheca e Democrata x União Luziense

Estava com saudade da Arena do Jacaré e ontem fui ver Democrata x União Luziense.

Amistoso/teste de ambos os times que vão se enfrentar breve pela segunda divisão estadual, que começa no sábado que vem.

Tecnicamente não foi um bom jogo mas valeu pela vontade de lado a lado. Parecia que estava valendo uma classificação para alguma coisa, com direito a porradas, bate-boca, empurra-empurra e xingamentos ao trio de arbitragem. E zero a zero no placar.

Miguel Lopes (diretor comercial), Renato Paiva (presidente), Luciano (GDA Negócios) e Mateus Vicentini – Sicredi).

Depois da partida, paz geral, confraternização e cada time confiante no próprio taco, de que dessa vez alcança o acesso à primeirona.  Ponho fé no Jacaré!

Trabalho sendo muito bem feito pela diretoria e comissão técnica, dentro e fora de campo. Este aí é o diretor de comunicação, Raphael Carrusca, que está dando show na função.

No jogo das 11 horas de hoje, pelo Brasileiro, o Juventude ganhou do Flamengo 1 a 0, no gramado da casa do time gaúcho, encharcado, mas para os dois times. O Globoespote.com mancheteou: “Em gramado alagado, Juventude aproveita erro do Flamengo e vence no Jaconi”

Hummm!!

Aí me lembrei das muitas desculpas que muita gente arruma para as derrotas e empates do Galo contra times da prateleira de baixo. Como diz o Rômulo Righi Aquino, campeonato por pontos corridos é como “catar moedas”. No fim, vale quem tem mais. Pontos perdidos são irrecuperáveis. Numa eventual reta final, apertada, contra adversários do Rio ou São Paulo, certamente haverá “coincidências” de erros de arbitragem a favor deles.

Assisti também a vitória da República Tcheca por 2 a 0 sobre a Holanda, pelas oitavas de final da Eurocopa. Grande jogo e a velha máxima do futebol: quem não faz, leva. Aos seis do segundo tempo, Malen teve a melhor chance do jogo até então, cara a cara com o goleiro Tcheco, que conseguiu tomar a bola dele. Na lance seguinte, o zagueir De Ligt, meteu a mão na bola, perto da área holandesa e tomou cartão vermelho. Aos 22, Holen, fez 1 a 0; e aos 34, Schick, matou o jogo e mandou os holandeses pra casa.

E que beleza de espetáculo também fora de campo; estádio cheio, organização beirando a perfeição e alegria no futebol.

Aliás, conheci em 2009, o antigo estádio em Budaspeste, que foi demolido em 2015 para dar lugar ao atual, moderníssimo, que manteve o nome em homenagem a Puskas, o maior craque da Hungria, um dos grandes gênios do mundo da bola.

Aí me lembrei que hoje tem Brasil x Equador, 18 horas, pela Copa América, no “majestoso” estádio Olímpico de Goiânia.

Sou mais a Arena do Jacaré!


Entra ano, sai ano, a loucura continua no futebol. Os três times mineiros jogam no mesmo horário: e no domingo à noite!

Pois é! E pior, às 20h30 de um domingo! Porém, não reclamemos demais, já que sempre há espaço para pioras. Torçamos para que, pelo menos, o time de cada um de nós vença. Nesta zorra toda, não se sabe se a ideia é da CBF ou da TV dona dos direitos de transmissão, já que ela é quem paga e tem autonomia para fazer o que bem entende na tabela, dias e horários das partidas. E viva a decadência geral do futebol verde e amarelo!

Este assunto foi abordado pelo Fernando Rocha, na coluna dele no Diário do Aço, de Ipatinga, que vai circular amanhã, e que nós temos o privilégio de ler antes aqui no blog:

. . . “Só mesmo a dona CBF para produzir uma situação dessas, ao marcar os três jogos dos mineiros pelas Séries A e B no mesmo dia e horário. Hoje, às 20:30hs, jogarão Santos x Atlético na Vila Belmiro, América x Internacional no Independência, pela Série A; CSA x Cruzeiro, em Maceió, pela Série B. Enquanto isso, a desinteressante Seleção da CBF vai jogar às 18hs, horário nobre isolado, pela inexpressiva Copa América. (Fecha o pano!). . .” (mais…)


No jogo de “seis pontos”, as virtudes e defeitos de Cruzeiro e Vasco na luta pelo retorno à Série A

Na votação da torcida, pelas redes sociais do Cruzeiro, Matheus Barbosa foi o melhor em campo com 57,6%, seguido por Bruno José, com 34%. Realmente, o Barbosa mereceu, não só pelos dois belos gols nesta partida de extrema importância contra o Vasco, em que prevalecia o “vencer ou vencer”, para as pretensões do time nesta Série B.

Ele tem sido um dos principais destaques da Raposa, artilheiro na temporada com seis gols, com os dois marcados no Campeonato Mineiro e um na Copa do Brasil. Bruno José é outro que vem se destacando e o técnico Mozart lembrou um fato interessante sobre ele, relatado pelo Samuel Venâncio: @samuelvenancio “Como é o futebol: Mozart chegou no CSA e liberou o Bruno José pra ir pro Brasil de Pelotas. Tava conhecendo o grupo ainda. Perguntei isso a ele na coletiva. Falou que encontrou o Bruno depois na Série B e disse que tinha se arrependido. Agora voltam a trabalhar juntos.”

São as voltas que a vida e a bola dão!

Sobre o jogo, uma opinião mineira e uma carioca:

Edu Panzi, da Itatiaia: @edupanzi “Cruzeiro e Vasco fizeram um jogo mais brigado do q jogado, mas eu gostei. M. Barbosa foi o destaque, claro, mas o que o Bruno José correu, deu carrinho e lutou, merece menção. Vitória importante, em jogo grande, pra dar moral e trazer um pouco de tranquilidade. Valeu o resultado”

Renato Maurício Prado:  @RMPoficial “Vendo esse show de horrores protagonizado por Cruzeiro e Vasco é bem difícil crer que um dos dois volte à Série A, este ano. Que times medíocres!


Ceará 2 x 1 Atlético: melhor aceitar e encarar as deficiências do que ficar dando as mesmas desculpas; enquanto é tempo

Foto: www.itatiaia.com.br/LC Moreira/Estadão

Se o Atlético tinha 14 desfalques, o Ceará tinha 11. E comparem o nível dos “alternativos” que o Cuca e o Guto Ferreira tinham para escalar.

Muitos torcedores adoram se enganar e ser enganados. Uma turma que detesta que se aponte falhas do time, do técnico ou da diretoria. Fazer o quê? Prefiro o mundo real. Há tempos escrevo aqui que sem lateral direito e zagueiros o Galo não alcançará seus objetivos. Que Jorge Sampaoli pensou em meio campo ofensivo e ataque, mas não exigiu que a diretoria contratasse os defensores que o Atlético precisava. Só Junior Alonso não bastaria, como está se vendo. Será que ele não enxergou que Réver, Igor Rabello, Bueno, Guga e mesmo o Mariano, indicado por ele, não eram soluções?

O mala do treinador argentino ameaçou entregar o cargo várias vezes, caso a diretoria não buscasse o goleiro Éverson, pois ele sabia “jogar com os pés”. O Galo tinha acabado de contratar Rafael, excelente, que vinha jogando bem. Mas . . .

Não satisfeito, nova birra do Sampaoli e lá vem Sascha, que até hoje não se explicou. No fim da temporada, Jorge Sampaoli foi embora para Marselha, mas, estranhamente, não mandou os franceses levarem também seus afilhados. Bons jogadores, boas pessoas, bons pais de família, mas não são jogadores à altura do Atlético.

O resultado está aí. A cada jogo é um que entrega a rapadura.

Aos dois minutos Lima agradece o passe do Éverson e faz 1 a 0. A partir daí andei trocando impressões com companheiros jornalistas via twitter. Pedro Rocha Franco, do jornal O Tempo, escreveu: @pedrorfranco “O problema de ter o Bueno no time é que um dia ele é escalado, né

@EuMuriloRocha?!?!

Murilo Rocha da Band, respondeu: @EuMuriloRocha “É isso! Que Deus nos projeta porque essa zaga aí não vai não.

Entrei na conversa:

@chicomaiablog “Pois é, caro @pedrorfranco, mas no gol do Ceará ele não teve culpa nenhuma. Nem o Gabriel. Éverson errou na saída de bola e depois ainda aceitou o chute de tão longe. É bom goleiro, mas abaixo do que o Galo precisa para as suas pretensões, que são grandes conquistas.”

Aos 50 minutos do segundo tempo,  Éverson dá outro gol ao Ceará e o Pedro Rocha Franco twittou: @pedrorfranco “Deu ruim”

E retornei: @chicomaiablog “O que eu te falei sobre o goleiro? Bom, pra times “alternativos”. Para o Atlético, de jeito nenhum. Herança do enganador Jorge Sampaoli.”

Depois do jogo Cuca foi, de novo, pra cima do árbitro, como se isso fosse resolver alguma coisa.


Soa estranho, mas é fato: empate foi ruim, mas diante das circunstâncias até que foi bom

Aos 33 do primeiro o zagueiro Ricardo Silva não consegue acompanhar o atacante Paulinho, comete pênalti, e toma cartão amarelo. Juventude 1 a 0, em cobrança do Mateus. Aos 29 do segundo tempo o mesmo Ricardo comete falta no Mateus e toma outro cartão amarelo e o vermelho. Quando já se imaginava que o América perderia mais uma, Ribamar sofre pênalti e Juninho Valoura empata. Enquanto isso, a 2.307 km do Independência, Messias, um dos melhores zagueiros do país, fundamental no acesso do Coelho à Série A, se preparava para entrar em campo, pelo Ceará, na vitória de 2 a 1 sobre o Atlético, em Fortaleza.

Ao invés de ficar só reclamando de arbitragens, da imprensa, da tabela do campeonato, o América deveria se concentrar em corrigir erros como este, de não investir num grande zagueiro como o Messias. Além das outras posições onde há carências claras, tão faladas e reclamadas pela torcida e imprensa.

Menos mal, que Wagner Mancini foi bastante realista na entrevista após o empate e se mostrou corajoso nas mexidas no decorrer da partida. Partiu para o tudo ou nada na busca do empate e arriscou certo. Pelo menos um ponto garantido.


Em nome do passado grandioso dos dois, e da situação na tabela, Cruzeiro e Vasco deverão fazer um grande jogo esta noite

No “Bom Dia Minas”, de hoje, o Elton Novais e o Sérgio Marques destacaram a força de Cruzeiro e Vasco, que juntos, somam grandes títulos nacionais e internacionais. Por isso, têm duas das maiores torcidas do Brasil. Poucos minutos depois, num intervalo, a chamada da própria Globo para a transmissão ao vivo deste jogo, às 21h30, destacando que a “Série B nunca foi tão forte”.

Realmente. Se para cruzeirenses e vascaínos é um horror estar de novo na segunda divisão, para outros clubes e interesses de parceiros comerciais, como a dona exclusiva dos direitos de transmissão do campeonato, é bom demais.

Nos comentários aqui do blog, um americano reclamou que a Globo transmite jogo da Série B no horário nobre, depois da novela, e põe o América para jogar às 16 horas, sem transmissão em canal aberto, mesmo sendo pela Série A. Também aqui no blog, um cruzeirense comemora que o Cruzeiro tem jogos transmitidos pela Globo, mesmo estando na B. É a famosa história de enxergar o copo “meio cheio” ou “meio vazio”, dependendo do interessado.

Ora, ora, contra as leis de mercado não se briga, principalmente quando se trata de empresa da iniciativa privada. Só a estatais são permitidas (e exigidas) ações de incentivo a alguma atividade ou filantropia.

Convenhamos que um América x Juventude e um Cruzeiro x Vasco são incomparáveis em termos de atrativos comerciais, né? Ou não?

Sobre o jogo em si, Cruzeiro e Vasco estão em apuros e precisam demais vencer esta noite. Tecnicamente os times se equivalem, na ruindade.

Os cariocas estão na 10ª posição, com sete pontos, e a Raposa em 17º, zona da degola, com quatro, junto com Avaí e Londrina, também quatro, e Ponte Preta, que tem dois pontos.


Contra o Ceará, Atlético vai mostrar se a briga é pelo título ou por vaga na Libertadores

Esta foto que ilustra o post não é a escalação do time desta noite em Fortaleza e sim dos desfalques, motivados por contusões, Covid e jogadores a serviços das seleções dos seus países. Foi uma montagem legal do Bom Dia Minas na manhã de hoje, apresentada pelo Elton Novais e Sérgio Marques, para acrescentar ao noticiário do Galo, do repórter Guilherme Frossard.

O Ceará luta contra o rebaixamento. Está na 12ª posição, com cinco pontos. Não dá para comparar o investimento dos dois clubes entre titulares e reservas. O jogo é num dos melhores estádios do Brasil, de Copa do Mundo, excelente gramado. Com um detalhe altamente considerável: sem público. A torcida cearense não estará lá pressionando. Um jogo como se fosse no Mineirão.

Realmente são muitas ausências, de peso, porém, não podem ser de justificativa para futebol ruim, com requintes de preguiça que o Atlético demonstra contra adversários muito inferiores tecnicamente, como o desta noite. O jogo de segunda-feira no Mineirão contra a Chapecoense é um ótimo exemplo. Acomodação inaceitável, principalmente para elenco e comissão técnica dos mais caros do futebol Sul-americano. Para quem gastou tanto dinheiro na contratação de treinadores e jogadores para montar um time competitivo, não pode haver desculpas esfarrapadas. Jorge Sampaoli foi quem exigiu a maioria desse grupo e quase não foi cobrado por resultados ruins em Belo Horizonte ou fora, mesmo quando errava nas escalações. Cuca é mais cobrado, como deveria ser com qualquer treinador, mas tem se virado para conseguir encontrar as melhores escalações e forma de jogar. Mas, abusa na reclamação contra as arbitragens e do calendário, “excesso” de jogos” e contusões, como se isso fosse exclusividade do Atlético. No jogo passado quis aliviar a barra do Réver, dizendo que ele estava jogando no “sacrifício”. Ora, ora, o Cuca já deveria ter pedido a contratação de zagueiros urgentemente ou então descoberto alguém das categorias de base para, pelo menos, ter condição de substituir um titular quando precisasse. Réver foi um grande zagueiro, mas hoje, se arrasta em campo.

O resto é “perfumaria”.


Tomara que o “efeito estreia” de treinador funcione para o América, hoje, 16 horas, no Independência contra o Juventude

Wagner Mancini viu a derrota para o Palmeiras na rodada passada e começou trabalhar, pra valer, ontem no Lanna Drumond. Além das limitações do elenco, ele não teve tempo nem de conhecer direito os jogadores. Mas, normalmente, quando chega um novo comandante o time se motiva, todo mundo quer mostrar serviço e dá um sangue a mais. Hoje, o América, com apenas um ponto ganho, precisa demais disso, pois precisa vencer pela primeira vez no campeonato, sob pena de entrar em desespero. O Juventude subiu junto com o Coelho e luta pelo mesmo objetivo, que é se manter na Série A. Já soma cinco pontos. Contra o Cuiabá, também em casa, o América decepcionou e ficou num lamentável 0 a 0. Ontem, o time matogrossense empatou com o São Paulo, 2 a 2, no Morumbi e chegou a três pontos, subindo para a 16a posição. Portanto, esta tarde, no Independência, é vencer ou vencer.


Página 18 de 1.220« Primeira...10...1617181920...304050...Última »