Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Depois de 31 anos nas bancas o jornal Hoje em Dia passa a se concentrar no digital

Tive o prazer de ser colunista do Hoje em Dia durante sete anos. Lá aprendi, participei de grandes coberturas e fiz grandes amizades, que felizmente continuo cultivando. O jornal sempre teve excelentes profissionais, em todas as áreas, e continua com um time de primeiríssima. Ontem, a direção soltou um comunicado ao público e ao mercado publicitário que a partir de agora vai trabalhar com total intensidade nas edições digitais. Já tem um dos portais mais acessados de Minas e quer ampliar a sua produção e audiência. Veja mais informações no portal da revista De Fato, de Itabira:

* “Jornal “Hoje em Dia” encerra versão impressa após 31 anos”

Título somente estará disponível nas plataformas digitais

O jornal Hoje em Dia distribuiu nesta terça-feira (20) um comunicado ao mercado e aos leitores no qual informa o fim da sua edição impressa e anuncia novidades editoriais. A nota informa que o jornal dirige seu foco agora integralmente para as plataformas digitais, mas acrescenta que a mudança não se restringe a retirar de circulação a versão impressa diária; aos conteúdos tradicionais, se somarão novos conteúdos e canais. “Vêm aí a TV Hoje em Dia, podcasts, web rádio e um portal repaginado”, afirma a nota. A decisão, tomada pela presidência da empresa, tinha sido comunicada à redação em reunião realizada ontem. Aos jornalistas foi também informado que, apesar das mudanças, a rotina da redação permanece, inclusive a diagramação, porque o PDF da versão impressa ficará disponível na internet.

Na nota distribuída hoje, o jornal explica que a edição digital diária do jornal, no formato tabloide, continuará sendo oferecida normalmente aos assinantes, de segunda a sexta, assim como a edição especial de fim de semana.

O portal Hoje em Dia, com cobertura jornalística diária acessível a todos, será mantido.

O jornal afirma ainda que seu projeto é usar a tecnologia para expandir seu público, “chegar a cada vez mais pessoas e telas, conectar e transformar, superando a média atual de 10 milhões de acessos mensais no último trimestre, sendo 2 milhões originados das redes sociais”.

“Em todas as plataformas, continuamos garantindo visibilidade também a publicações legais, balanços e outros formatos de anúncios e parcerias comerciais”, informa a nota.

Clique AQUI para ler a íntegra da nota.

(Com informações do site do SJPMG)

https://defatoonline.com.br/jornal-hoje-em-dia-encerra-versao-impressa-apos-31-anos/


Falta de ataque minimamente brilhante impediu uma vitória com placar mais dilatado para o Galo

Mais chances desperdiçadas, novo erro na cobrança de mais um pênalti e nova insistência irritante com Ricardo Oliveira. Na enquete do twitter do Atlético Jair (em foto do site do Galo) foi o eleito pela torcida como melhor em campo, com 52% dos votos. Elias ficou em segundo com 25%, Igor Rabello em quarto com 21% e Réver teve 2% dos votos. A equipe da Itatiaia elegeu Elias, que para mim se redimiu com o gol de desempate, já que entrou sonolento em campo, assim como quase todo o time e cometeu pênalti desnecessário.

Quando vi a escalação confirmada com Ricardo Oliveira no ataque, acionei o “piloto automático”, na base do seja o que Deus quiser. E jogou a partida inteira. Nessa idade, já deveria estar optado pela vida religiosa, já que fala muito bem e deve conhecer muito do assunto. Geuvânio foi sacado do banco reclamando. Disse que foi opção do técnico Rodrigo Santana, que alias, demorou para colocar o Alerrandro, que teve pouco tempo para mostrar alguma coisa. O placar foi apertado, pois terá de empatar ou marcar gols em Bogota. Basta 1 a 0 para que o La Equidad fiquei com a vaga. De novo o Galo desperdiçou pênalti e dessa vez por desconhecimento da regra dos jogadores que invadiram a área.


Acredite: no futebol “profissional” do Brasil clubes não conseguem por times em campo em jogos oficiais. Hoje foi o Figueirense

A decadência do futebol brasileiro desceu mais um degrau esta noite com o vexame dado pela diretoria do Figueirense, de nem sequer dar alguma garantia aos seus jogadores de que pagaria salários e outros direitos até o próximo dia 28. Isso foi pela Série B nacional. Na semana passada tivemos situação semelhante quando o Pirapora não entrou em campo para enfrentar o Mamoré, pela terceira divisão mineira, logo na primeira rodada, por falta de jogadores inscritos e outros problemas financeiros. Quem não tem competência que não se estabeleça. As federações e a CBF deveriam tomar medidas e criar antídotos para evitar absurdos como um clube não entrar em campo em jogo oficial. Desrespeito absoluto.

No portal Terra, detalhes da palhaçada de Cuiabá hoje:

“A delegação do Figueira até chegou a ir para a Arena Pantanal, mesmo com atraso, mas, após uma conversa no vestiário, os atletas optaram por não jogar. Cumprindo o protocolo, o árbitro Pathrice Maia esperou por 30 minutos para iniciar o duelo marcado para as 21h30 (de Brasília) antes de decretar o WO. Os jogadores ainda não receberam os direitos de imagem dos últimos dois meses e o salário de julho, mas esperavam pelo pagamento nesta terça-feira para disputar o jogo. Como não houve um contato da diretoria, decidiram por boicotar a partida. (mais…)


Galo não pode deixar o La Equidad se transformar em “carne de pescoço” esta noite no Horto

Foto: www.atletico.com.br

Adversário desconhecido, sem tradição no futebol colombiano, fazendo campanha fraca no atual campeonato local e franco atirador, por ter chegado às quartas de final da Sul-Americana, quando nem a sua torcida acreditava nisso. Quase os mesmos ingredientes de adversários que já fizeram a massa do Galo sofrer em casa e fora, em função da soberba de treinadores e jogadores que achavam que era só entrar em campo que a força da camisa cuidaria do resto.

Para esta noite o técnico Rodrigo Santana poderá utilizar o que tem de melhor no elenco, mas tudo indica que Ricardo Oliveira será o centroavante titular: Cleiton, Patric, Igor Rabello, Réver e Fábio Santos; Jair, Elias, Chará e Vinícius, Cazares e Ricardo Oliveira. O jogo começa às 21h30 com apito para o paraguaio Mário Díaz de Vivar, auxiliado pelos patrícios Milciades Saldívar e Roberto Cañete. O Video Manipulador de Resultados fica com Daniel Fedorczuk, do Uruguai.

O portal Lance! Fez um resumo da história do time colombiano: “Conheça o La Equidad-COL. Rival do Galo nesta terça-feira, pela Sula”

Colombia’s La Equidad football team during the penalty shootout against Paraguay’s Independiente during their Copa Sudamericana football match at the Nemesio Camacho “El Campin” stadium in Bogota, Colombia on April 16, 2019. (Photo by Juan BARRETO / AFP)

***

O La Equidad não começou bem a temporada colombiana… ocupa a 19ª colocação, com apenas quatro pontos em seis partidas disputadas. Até agora,foram quatro derrotas, um empate e apenas uma vitória. Foi derrotado pelo Millonarios, no sábado 17, por 3 a 2, fora de casa. Nos torneios de mata-mata, o La Equidad também não vai bem. Na Copa da Colômbia, o time foi eliminado pelo Deportivo Pasto, nos pênaltis, pelas oitavas de final do torneio.

Modelo de jogo

O Galo vai ter de ter paciência para entrar na defesa do La Equidad, pois é uma equipe que prima por esperar o adversário em seu campo, buscando o contra-ataque. O técnico Humberto Sierra comanda a equipe que tem no meia Stalin Motta, capitão da equipe,um dos destaques ao lado do goleiro Diego Novoa. Motta é dos tempos áureos de conquistas do La Equidad.
Quem é o La Equidad?

Originado de uma empresa de seguros, a Equidad Seguros, o La Equidad foi fundado em 1982, tem sede em Bogotá, e é conhecido como “Los Aseguradores”(os seguradores)… conseguiu acesso à primeira divisão colombiana em 2007 e desde então, nunca mais foi rebaixado. A maior conquista foi em 2008, quando venceu a Copa da Colômbia, derrotando o Once Caldas na decisão.

O La Equidad é dono do Estádio Metropolitano de Techo, que tem capacidade para 8 mil torcedores. Mas, não será lá o jogo de volta contra o Galo, pois o local não possui a capacidade mínima exigida pela Conmebol para jogos da Copa Sul-Americana. O duelo será no Estádio El Campín, que tem capacidade para mais de 35 mil lugares, que não devem ser totalmente preenchidos, pois é um time de pouca torcida.

Segundo time do coração

Por ser mais jovem, o La Equidad não criou raízes na torcida de Bogotá para ter uma rivalidade como dos tradicionais Independiente Santa Fé e Millonarios, e é tratado como o “segundo time” para os torcedores das duas maiores forças da capital colombiana. Trazendo para um exemplo local, é como o América, que possui simpatia de atleticanos e cruzeirenses…

La Equidad na Copa Sul-Americana

O time da seguradora está na quinta participação na Copa Sul-Americana desde que está na elite . A primeira foi em 2009, após o título da Copa da Colômbia, mas sem ir muito longe, pois o time foi eliminado logo na primeira fase do torneio.

As outras participações do La Equidad na Sula foram em 2011, 2012 e 2013, chegando às oitavas de final em 2013. Este duelo com o Galo, pelas quartas, já é o melhor resultado do clube em sua história nos torneios continentais. Se chegar às semifinais,o feito histórico será ainda maior.

Campanha em 2019 na Sula

Para chegar ao duelo com o alvinegro de Minas Gerais, os colombianos passaram por Independiente Campo Grande-PAR, Deportivo Santaní-PAR e Royal Pari-BOL. Foram quatro vitórias e dois empates, diante do Independiente Campo Grande, na primeira fase, conseguindo a vaga na disputa por pênaltis.

https://www.terra.com.br/esportes/lance/conheca-o-la-equidad-col-rival-do-galo-nesta-terca-feira-pela-sula,24be9a5d8ed87f5370e881b8b04eec5cihtutqrf.html


Campeonato começa mostrar quem é quem nas partes de cima e de baixo da classificação

Para ilustrar este post, o encontro do Thadeu, de Conceição do Mato Dentro, com o maior ídolo dele, Alberto Rodrigues, domingo, antes do jogo contra o Santos. Foi no camarote da Kater, do também conceicionense Cristiano Lages. Thadeu realizou o sonho dele de conhecer pessoalmente o Albertinho, com quem já tinha batido um papo por telefone.

***

Quem levanta o tema do “quem é quem no Brasileiro” é o Fernando Rocha, na coluna dele no Diário do Aço, de Ipatinga, desta terça-feira. Previsões neste brasileiro costumam falhar feio, tanto em relação à briga pelo título e vagas na Libertadores quanto na luta contra o rebaixamento. Já se viu de tudo na história da competição, num equilíbrio impressionante. Com a crescente diferença financeira dos últimos anos a tendência é que favoritos iniciais passem a se confirmar, já que seus elencos têm titulares e reservas em nível semelhante e isso pesa muito. Guilherme Barcelos, o “Papagaio”, um dos goleiros mais famosos da Copa Itatiaia, acha que Palmeiras, Flamengo e São Paulo brigarão pelo título, por terem mais peças de reposição. Pode ser. O Santos já começou sentir seus desfalques e perdeu dois jogos consecutivos. Prever rebaixados está menos difícil, já que Avaí, Chapecoense e CSA são candidatíssimos a três vagas. A outra poderá ficar com um dos mais famosos. Hoje, Fluminense, Botafogo e Vasco estão na parada. Aguardemos. Enquanto isso, vejamos o que pensa o Fernando Rocha sobre isso e outros temas, na coluna do Diário do Aço:

* “Para uma competição que, antes da Copa América, muitos apontavam como decidida – embora só tivessem sido disputadas as nove primeiras rodadas -, o Campeonato Brasileiro apresenta um quadro dinamicamente oposto, apenas seis rodadas depois, onde se vê que os seis primeiros colocados podem se considerar na disputa pelo caneco.

O Palmeiras, incensado pela imprensa paulista  como “virtual campeão”, até a paralisação para o torneio continental, perdeu até a condição de vice-líder para o Flamengo, se bem que ambos com a mesma pontuação,  estão distantes apenas dois pontos do líder, Santos, estacionado com 32 pontos, após perder nas duas últimas rodadas. Menos mal que, mesmo derrotado na Arena da Baixada, o Galo permaneça em 4º lugar, com 27 pontos, mas agora empatado com o São Paulo e Corínthians, sendo que o tricolor do Morumbí tem um jogo a menos.  O que faltou de gols na 15ª rodada do Brasileirão, apenas 18 em dez jogos, sobrou de gente nos estádios, média de 31 mil torcedores por jogo, a melhor até agora, superando com sobras o recorde anterior de  24 mil, na 10a. rodada.

Na parte de baixo da tabela, a luta contra o rebaixamento também ficou mais acirrada, após os resultados  do fim de semana. O Cruzeiro saiu e o Fluminense entrou na zona da “confusão”, ao ser derrotado pelo CSA, em pleno Maracanã. A diferença do Gremio, 13º com 18 pg, para  a Chapecoense, o 17º e o primeiro clube da zona de rebaixamento, é de apenas 5 pontos. Não há dúvida que o Campeonato Brasileiro deste ano,  se comparado a alguns dos principais certames de pontos corridos disputados no mundo, ganha disparado em equilíbrio, devido à quantidade de reais postulantes ao título.

Aqui não se pode fazer previsões tão cedo, pois está longe de ser fato raro ou uma zebra gigantesca, a vitória de um time que está nas últimas posições, sobre um dos primeiros colocados. O que deve ser também considerado é que  Palmeiras e Flamengo, reconhecidamente, os elencos mais ricos e, na teoria, mais fortes dos seis primeiros, juntamente com a dupla Gre-Nal, Corínthians, o Galo, estão envolvidos em competições continentais ou Copa do Brasil, o que, obviamente, é uma desvantagem para todos eles. O Santos, apesar das duas últimas derrotas consecutivas, só tem o foco no Brasileiro, por isso tem mais chances de se manter na ponta, o que no fim das contas não lhe traz um grande favoritismo sobre os demais. (mais…)


Resultado e futebol animadores na estreia do Rogério Ceni

Foto: @Cruzeiro

Às 15h18 o Luciano Dias, do Hoje em Dia, anunciava no site a primeira escalação de Rogério Ceni como técnico do Cruzeiro: “Fabrício Bruno, Dodô como volante, David e Pedro Rocha como “falso 9… Ariel Cabral, Robinho, Sassá e Fred são opções no banco de reservas. Léo, com desgaste muscular, e Edilson, suspenso, são desfalques para o duelo contra o Peixe…”

Toda mudança de treinador gera uma motivação inicial em qualquer time, mas o novo comandante do Cruzeiro foi ousado e mostrou a sua cara logo no primeiro jogo, sem rodeios. Na sequência tirou o lateral Egídio e pôs Fred em campo, que abriu o placar, concluindo uma bela jogada. Também, depois de bela troca de passes, Thiago Neves fez 2 a 0. Gols de dois jogadores que não estavam correspondendo com Mano Menezes.


Vídeo manipulador de resultados garante vitória do São Paulo e Fernando Diniz purga pecados do Fluminense

O São Paulo lançou terceiro uniforme idêntico ao número um da seleção uruguaia e explicou via twitter: “@spfc De maneira bastante criativa e inédita, o São Paulo está lançando a terceira camisa de 2019, que homenageia os nossos laços com o Uruguai. A versão final tem as estrelas sobre o escudo.”

Um time de cores preta, vermelha e branca adotar uniforme azul é estranho, mas, certamente imitou os clubes europeus que costumam fazer isso e vendem camisas adoidado. Com a contratação do Daniel Alves e Juanfran, a fórmula precisa dar certo. Os resultados também têm que vir e a arbitragem colaborou para meter a não no Ceará nestes três pontos conquistados no Morumbi, como informou o

@globoesportecom em duas twittadas: “Na Central do Apito, Salvio Spínola diz que Volpi fez pênalti em Felippe Cardoso, e árbitro errou ao não marcar… Técnico do Ceará, Enderson Moreira dispara contra árbitro e VAR no Morumbi: “Era uma festa, não podíamos atrapalhar” http://glo.bo/30hkOa6

***

Enquanto isso o técnico mais “moderno e inovador” do Brasil, Fernando Diniz, continua descendo ladeira. Perdeu para o CSA em casa e continua a luta contra o rebaixamento. Possivelmente o treinador está pagando a conta de pecados passados do Fluminense que se utilizou de tramoias de bastidores para retornar da Série C à A, sem ter que disputar os devidos campeonatos. Com Ganso andando em campo ele não deverá ir muito longe e continuará reclamando de arbitragens.


Homenagens, livro biográfico e autógrafos de Dirceu Lopes em Funilândia

Da esquerda para a direita, o ex-vereador e ex-Secretário de Esportes de Sete Lagoas, Paulinho Maciel, o ex-prefeito de Funilândia, Adir Rocha (Nonô), Dirceu Lopes e o médico André Rocha.

A cidade de Funilândia, a 78 Km de Belo Horizonte, viveu uma manhã diferente hoje, para receber um dos maiores craques da história do futebol. Com as honras que o ex-camisa 10 do Cruzeiro merece, longa fila se formou para autógrafos no livro sobre Dirceu Lopes, da infância em Pedro Leopoldo à glória nos gramados. De autoria do jornalista Pedro Blanc, “O Príncipe – A real história de Dirceu Lopes”.


Sábado de vitória americana e derrota do Galo; domingo de estreia do técnico Rogério Ceni no Cruzeiro

Chará em foto do Bruno Cantini/CAM, desperdiçou duas oportunidades em Curitiba

A luta do América para escapar do rebaixamento continua hoje, secando o Vitória que enfrenta o CRB às 16 horas em Maceió. A vitória de 2 a 1 ontem sobre o Cuiabá confirmou o crescimento do time sob comando do técnico Felipe Conceição. para continuar fora zona da degola. Com 17 pontos, subiu para a 16ª posição. O Vitória está em 19º lugar com 14 pontos, mas se vencer hoje passa o Coelho já que terá uma vitória a mais.

Depois de seis jogos sem derrotas o Atlético perdeu de 1 a 0 para o Athletico-PR, em Curitiba. Fez até um uma boa partida, mas desperdiçou pelo menos duas oportunidades claras de gol com Chará.  Continua em quarto lugar com 27 pontos.

Cruzeiro e Santos farão o principal jogo de hoje. A estreia do técnico Rogério Ceni contra o líder do campeonato, dirigido pelo argentino Sampaoli, que aliás é um dos treinadores que Ceni mais admira. Quando parou de jogar passou quatro dias observando o trabalho dele no Sevilha. O portal da ESPN fez uma reportagem sobre este período:

* “Cruzeiro x Santos: amor pelo rock e esportes para relaxar unem o pupilo Ceni ao mestre Sampaoli”

https://www.espn.com.br/artigo/_/id/5956110/cruzeiro-x-santos-amor-pelo-rock-e-esportes-para-relaxar-unem-o-pupilo-ceni-ao-mestre-sampaoli


Crise da mídia bate à porta da ESPN, que se vê obrigada a abrir mão de alguns dos melhores jornalistas do país

A imprensa brasileira passa pela maior crise da sua história, em todos os estados, em todos os tipos de veículo, de rádio a TV, passando por jornais, revistas, nas grandes, pequenas e médias cidades. Hoje foi a vez da ESPN anunciar um corte que se tornou assunto em todo o país, de excelentes profissionais. Notícia do jornal Lance:

* “ESPN Brasil corta vice de jornalismo e mais cinco nomes de peso”

Nesta quarta-feira foram rescindidos os contratos do executivo, de quatro comentaristas e da gerente de produção. Outros nomes conhecidos ainda podem ser desligados do canal

A ESPN rescindiu o contrato com o vice-presidente de jornalismo e produção da emissora no Brasil, João Palomino. Nesta quarta-feira, outros cinco nomes de peso souberam que não estão mais nos planos do canal. Os comentaristas Rafael Oliveira, Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi e  a gerente de produção, Renata Netto, receberam a notícia da demissão na manhã desta quarta. Juca Kfouri tinha vínculo com o canal até 29 de agosto e disse que a renovação não foi oferecida. Outros cortes ainda podem ser anunciados nas próximas horas.

Em nota oficial, a ESPN Brasil explicou o que motivou o desligamento dos jornalistas da emissora:

– A ESPN vive um processo de transformação e adaptação para atender aos fãs, acionistas e clientes de esportes em meio às constantes mudanças no consumo de conteúdo. A reformulação faz parte do planejamento da emissora para o próximo ano que seguirá apostando no conteúdo ao vivo e nos direitos esportivos de futebol, tais como Premier League e La Liga, além das ligas norte-americanas como a NFL, NBA, MLB, NHL entre outras – dizia a nota.

João Palomino atuou no jornalismo da ESPN Brasil desde a criação do canal, em 1995. Foi apresentador dos programas ‘Linha de Passe’, ‘Bate-Bola’ e ‘Bola da Vez’. O jornalista também participou das coberturas dos Jogos Olímpicos de 1996, 2000, 2004, 2008 e 2012, além das Copas do Mundo de 98, 2006 e 2010.

Renata Neto entrou na ESPN Brasil em 1995 e foi repórter por dois anos. Depois de deixar a emissora e atuar nas TVs Globo e Record, Renata voltou para a ESPN em 2001 e atuou como editora-chefe do núcleo de esportes radicais por quase 10 anos. Ela se tornou chefe de redação em 2010 e, três anos depois, assumiu os cargos de gerente sênior de produção e coordenadora dos canais ESPN Brasil, ESPN e ESPN+.

Ex-LANCE!, Juca Kfouri foi contratado pela ESPN Brasil em 2005, quando passou a integrar o programa ‘Linha de Passe’, onde atuava até hoje. O experiente jornalista também apresentou o ‘Juca Entrevista’ entre os anos de 2006 e 2013. Comentarista da Rádio CBN, Kfouri é também colunista do UOL Esporte e do jornal Folha de São Paulo.

Arnaldo Ribeiro começou na emissora em 2005, depois de passar pelo jornal ‘O Estado de S. Paulo’ e revista ‘Placar’. No inicio, o jornalista trabalhou como comentarista do Campeonato Argentino.

Ex-LANCE!, Eduardo Tironi ingressou no canal em 2012, como editor-executivo da sucursal da ESPN no Rio de Janeiro. Foi transferido para São Paulo em 2014 e continuou no mesmo cargo até a rescisão do contrato.

Rafael Oliveira estava na ESPN Brasil desde de 2013 e ganhou notoriedade como comentarista do futebol internacional. Antes, ele havia passado pelo Esporte Interativo.

https://www.lance.com.br/fora-de-campo/espn-demiti-vice-jornalismo-mais-quatro-nomes-peso.html


Página 2 de 1.11012345...102030...Última »