Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Um Atlético totalmente diferente do que a torcida está acostumada. Sem sofrimentos, sem sustos, sem grandes falhas e até Patric jogando bem

Réver comemora o gol dele, primeiro do jogo, junto com Ricardo Oliveira.

No fim, já bem cansado, Patric perdeu uma bola e errou um passe, mas sem comprometer. Aos 26 do segundo tempo Levir Culpi fez o que deveria fazer: tirar Ricardo Oliveira, que com quase 39 anos, obviamente sentia o peso da idade no calor terrível que fazia em Montevidéu. O Atlético vencia por 1 a 0 e precisava dos 11 em campo para desempenhar todas as funções possíveis. Levir corrigiu um erro cometido no primeiro jogo da Libertadores, neste mesmo estádio, contra o Danúbio. Vencia por 2 a 0, o adversário apertava com tudo a que tinha direito e o Galo não defendia com todos. Voltou com um frustrate 2 a 2.

Além disso, menos de cinco minutos depois da troca de Ricardo Oliveira por Zé Welison, o treinador voltou a optar pelo ataque e velocidade com a entrada de Maicon Bolt no lugar do Chará.

Não tomar gols já foi uma conquista, criou muitas oportunidades de gol, poderia ter terminado o primeiro tempo com um placar de três a zero. Ricardo Oliveira e Luan desperdiçaram boas chances. O segundo tempo foi de equilíbrio, mas de muita pressão do Defensor até os 26 minutos, quando Levir iniciou as substituições e arrumou a casa. Jair entrou no lugar de Adilson, para acabar de fechar a defesa atleticana e garantir o placar. Luan mostrou boa condição física e mais uma vez Cazares foi o melhor em campo.


Cornetas do Galo têm menos motivos para reclamar; os do Villa Nova, assustados

De vez em quando torcedores do Galo reclamam aqui no blog do presidente Sérgio Sette Câmara. Entendo que ele errou no diretor de futebol e no treinador em seu primeiro ano de mandato, mas o “conjunto da obra” da administração dele é bom.

Mas, depois de ver aquele show de “cornetagem” do João Otávio, da torcida do Villa Nova, os “cornetas” alvinegros devem estar felizes demais que o Sette Câmara tenha vencido a eleição no Atlético em 11 de dezembro de 2017, por 266 votos a 41. O adversário da época, Fabiano Lopes Ferreira, gosta de futebol e em novembro do ano passado foi eleito vice-presidente do Villa, e luta para manter o Leão do Bonfim na primeira divisão estadual. A firma dele patrocina o Cruzeiro, o Flamengo.

A eleição no Villa Nova foi bem tranquila, como mostra a memória eletrônica do Superesportes:

* “Ex-candidato à presidência do Atlético, vice do Villa Nova fala sobre os projetos do Leão para 2019”

Fabiano Lopes exercerá mandato até 2020 no clube de Nova Lima – O novo vice-presidente do Leão do Bonfim aposta em sua experiência para montar uma equipe competitiva para o próximo ano. Redação /Superesportes  postado em 08/11/2018 12:28 (mais…)


A mídia tradicional em discussão: exemplo de João Otávio, o “corneta” de Nova Lima, confirma constatação de Gerard Piqué

Símbolo da torcida Pavilhão Vermelho, do Villa Nova, que teve o João Otávio como um dos fundadores

Todos os tradicionais veículos de comunicação estão buscando caminhos para se reposicionarem no mercado. A internet mudou tudo e obriga não só os meios impressos, mas também a TV, aberta e por assinatura. Os profissionais do setor estão no mesmo barco e quem não se atualizar está com os dias contados.
Em 2016 o zagueiro Gerard Piqué disse em entrevista que era preciso cortar a imprensa ruim pela raiz, e que para isso bastaria usar as redes sociais, pois ele e os companheiros de Barcelona tinham mais seguidores que o jornal mais lido da Espanha.
Na época Piqué reclamava que a urgência da notícia tinha mais importância que o rigor da apuração, gerando polêmicas e por consequência problemas para os envolvidos. E dava razão ao Barcelona e outros grandes clubes da Europa que decidiram blindar seus jogadores da imprensa que tinha este comportamento. E citou seu exemplo pessoal: “Eu poderia não dar mais entrevistas, e nada aconteceria. O jogador tem cada vez mais poder, e usa menos a imprensa. Alguns têm mais seguidores que o jornal esportivo mais lido na Espanha”.

O desabafo espontâneo do vilanovense João Otávio é um bom exemplo dos novos tempos que norteiam a mídia. A partir do momento em que seu vídeo viralizou ele foi visto por mais de seis milhões de pessoas, em dois dias. E tudo começou na TV Banqueta, emissora comunitária que existe há quatro anos em Nova Lima. O dono é o Fred Sarti, que já possuía jornal impresso, com o mesmo nome na cidade.

E o João já tem experiência de vídeo. Fez em 2017, voluntariamente, a TV Villa, junto com o jornalista Wagner Álvares de Freitas, tradicional e grande colaborador do Leão do Bonfim, autor do livro comemorativo dos 100 anos do clube. Aliás, o Wagner elogia a personalidade do João, a quem considera “muito inteligente e lúcido”. É estudante de Direito, tem 19 anos de idade, e caso aceite um dos muitos convites, poderá aumentar o time de comentaristas esportivos de Minas e do Brasil a qualquer momento.

E vale a pena ver de novo as verdades espontâneas do João Otávio, depois dos 5 a 1 que o Villa tomou do Tupynambás, em Nova Lima, na primeira rodada do Campeonato Mineiro:


A impunidade que norteia a irresponsabilidade e descompromisso de incontáveis dirigentes do futebol brasileiro

Jogadores do Fluminense não treinaram em protesto por falta de salários, mas o clube repatriou Ganso, uma das contratações mais caras do futebol brasileiro este ano. 

A legislação do futebol brasileiro permite o surgimento de determinados dirigentes que em países minimamente sérios jamais chegariam ao comando de alguma instituição. A certeza da impunidade faz com que este tipo de elemento apronte as maiores irresponsabilidades e tudo fica por isso mesmo.

Em novembro do ano passado, quase terminando a temporada, os jogadores do Fluminense ameaçaram entrar em greve por falta de pagamento de salários. Antes do jogo contra o América deram o ultimato ao presidente Pedro Abad e só entraram em campo porque receberam, depois do jogo de volta da semifinal da Copa Sul-Americana, no Maracanã, contra o Atlético-PR.

Escapou do rebaixamento muito provavelmente devido àquele pênalti perdido pelo Luan para o Coelho. Semanas atrás o Fluminense anunciou a contratação de Ganso, excelente jogador, enquanto estava inteiro fisicamente. Depois que operou os dois joelhos (ligamento cruzado anterior e reparar o menisco lateral,em 2007 e 2010) nunca mais foi o mesmo. Uma das contratações mais caras  do país em 2019.

Domingo na decisão da Taça Guanabara, Fluminense e Vasco poderiam ganhar um bom dinheiro, já que a previsão de público era acima de 60 mil pessoas. Mas por vaidade e picuinha puras, o senhor Pedro Abad foi pra Justiça e conseguiu que um homem de toga determinasse que o jogo fosse com portões fechados. O Vasco conseguiu que uma mulher de toga mandasse abrir os portões, durante a partida, para quase 30 mil vascaínos que adquiriram ingressos entrassem.

O jornalista Rodrigo Capelo, especialista em números escreveu no twitter dele, ontem:‏ @rodrigocapelo “Saiu o borderô da final da Taça Guanabara. Vasco e Fluminense receberam R$ 109 mil líquidos cada pela partida, justo a que minimizaria prejuízos de um campeonato esgotado e falido. Este é o resultado da tosca confusão em relação ao lado das arquibancadas. Parabéns aos envolvidos!”

Hoje à tarde a manchete dos jornais, sites, rádios e TVs eram: “Jogadores do Fluminense se recusam a treinar por causa de salários atrasados”.

Mas, este presidente pouco ou nada deve se importar. Afinal, daqui alguns dias haverá eleições no tricolor e ele cairá fora, deixando a bomba na mão do sucessor. Aliás, pleito antecipado, já que ele quase sofreu impeachment ano passado e ganhou a chance de ter uma saída menos humilhante.


Dos 20 clubes da Serie A 2019, somente seis estão com alvarás de segurança de seus alojamentos em ordem

Atlético, Internacional, São Paulo, Avaí, Bahia e Chapecoense estão em dia, de acordo com reportagem do Estadão/Revista IstoÉ:

*“Maioria dos clubes da Série A descumpre normas de segurança em seus alojamentos”

A tragédia que vitimou dez garotos em consequência do incêndio ocorrido no alojamento das categorias de base do Flamengo, há pouco mais de uma semana, no Rio de Janeiro, comoveu o Brasil por se tratarem de jovens entre 14 e 16 anos e chocou por mostrar que um dos clubes mais ricos do país alojava suas promessas em contêineres. Afinal, se no topo da pirâmide do futebol os meninos viviam em local cheio de irregularidades, o que esperar de times de estrutura mais modesta? Levantamento feito pelo Estado junto aos órgãos competentes (prefeituras e Corpos de Bombeiros) constatou que o caso flamenguista pode não ter sido a exceção à regra: na verdade, dos 20 clubes que disputarão a Série A do Campeonato Brasileiro em 2019, a maioria (14) possui alguma pendência em seus centros de treinamento.

No Cruzeiro, por exemplo, outro gigante em termos técnicos e financeiros, os dois locais utilizados para treinamentos, chamados de Toca 1 e Toca 2, ainda “se encontram em processo de regularização, sendo o clube formalmente notificado da necessidade de regularização no prazo legal de 60 dias”, diz o Corpo de Bombeiros Militares de Minas Gerais (CBMMG). Já a prefeitura de Belo Horizonte afirma ter notificado o clube para a obtenção dos alvarás de funcionamento. O Cruzeiro não se posicionou sobre o assunto. A assessoria de comunicação afirmou que trata da questão junto aos órgãos competentes.

O Grêmio, campeão da Copa Libertadores de 2017 e outra potência no País, foi notificado na quarta-feira pela prefeitura de Eldorado do Sul por não ter licença do município para o seu alojamento da base, localizado na cidade a 50 km de Porto Alegre. (mais…)


No Rio o retrato da decadência do futebol brasileiro; no Independência, bom jogo, apesar da chuva

Enquanto não havia condição de jogo no Independência a TV mostrou mais de meia hora de Vasco 1 x 0 Fluminense, uma pelada da pior qualidade, coroando a palhaçada promovida pelos dirigentes dos dois clubes e pela Justiça, que determinou portões fechados. A decadência do futebol brasileiro escancarada na esculhambação geral do Rio de Janeiro. Durante o jogo foi autorizada a entrada da torcida e o pau quebrou. Correria e confusão. Naquele que já foi o palco mais charmoso do futebol sul-americano, um dos templos sagrados do planeta.

No Horto o gramado alagado prejudicou a qualidade do jogo no primeiro tempo, mas mesmo assim foi um bom espetáculo. No segundo tempo a bola rolou melhor e os dois times melhoraram. O América foi mais incisivo, esbarrou no ótimo sistema defensivo cruzeirense, comandado por Dedé. No Coelho, vários destaques, em especial o Zé Ricardo. Que jogador!

Mas a torcida americana gostou mais do Neto Berola, pelo que mostra a enquete feita após a partida por meio das redes sociais oficiais:

43% Neto Berola

09% Diego Jussani

38% Zé Ricardo

10% Juninho

Na guerra tática, Givanildo e Mano Menezes também empataram. O zero a zero ficou de bom tamanho.

Com isso o Galo, agradecido, assumiu a liderança com um ponto a mais que o América, o vice-líder.


Assistências do Guga e gols que geram confiança na vitória sobre o Tupi

Em foto do SuperFC, Vinícius comemora o segundo gol do Galo, aos 36 do segundo tempo

Sábado de time B contra um dos piores do campeonato mineiro no Independência com  9.491 pagantes. Um treino de luxo que serviu para confirmar que o lateral Guga e o atacante Maicon Bolt estão evoluindo a cada jogo e gols que geram expectativa positiva na torcida de que Vinícius e Alerrandro poderão ser bastante úteis na temporada, especialmente o Vinicius.O crescimento do Guga foi destacado pelo Thiago Nogueira‏, do O Tempo: @thiagonoggueira

“Guga: 2ª assistência em 5 jogos pelo Galo. Apenas no segundo tempo, a torcida do Atlético gritou o nome dele quatro vezes, pelo o que contei. Meia Vinícius faz o primeiro gol com a camisa do Galo. @supernoticiafm #supernoticiafm #CAMxTUP

Destaque também para a homenagem do Galo a outra instituição de muito valor para todos os mineiros, como destacou o twitter do clube:

Atlético‏ @Atletico

“A Polícia Civil é a entidade homenageada de hoje, na camisa do Galo, na sequência das reverências às corporações que realizam trabalho heroico em Brumadinho. Parabenizamos novamente a Polícias Militar, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e voluntários. MG agradece. #ForçaBrumadinho

Mais detalhes no site do Galo:

* “Alerrandro e Vinícius comemoram gols” (mais…)


O empréstimo que o Cruzeiro vai tomar para pagar dívidas

Esta semana o Conselho Deliberativo do Cruzeiro aprovou, rápido, que a diretoria tome um empréstimo de R$ 300 milhões, no exterior, para pagar parte das dívidas do clube. A quem me pergunta se é bom ou mau negócio, respondo sinceramente que não tenho a menor ideia. Pode ser que sim, pode ser que não. Fico com a opinião de dois cruzeirenses da gema, integrantes de primeira hora deste blog, que aliás, completará dez anos em junho próximo: Alisson Sol, que mora nos Estados Unidos e Klayton Batista Coelho, que mora no Nova Vista, aqui em Belo Horizonte, na divisa com Sabará.

Disse o Alisson:

…”Estou também lendo notícias sobre um possível empréstimo para “resolver os problemas do clube”, pagando as dívidas e tomando um empréstimo em dólar com “juros internacionais”. Em teoria, isto é ótimo. É exatamente o que fazem os bancos brasileiros terem lucros enormes: a captação de recursos a juros baixos, e o empréstimo a juros altos. Estou lendo alguns “protestos” da oposição que não me parecem fazer sentido. Afinal, quem não gostaria de pagar um empréstimo de 12% ao ano com dinheiro de um novo empréstimo a 6% ao ano? Só que há o problema da cotação do dólar. Veja o que a onda de empréstimos em dólar causou na Argentina. Precisaria de que alguém com mais informação apresentasse detalhes sobre este possível empréstimo. Se for sólido, não vejo porque não fazê-lo…”

Disse o Klayton:

…”Sobre o empréstimo, não posso opinar com muita propriedade. Mas aprendi com meu pai desde cedo que, fazer dívida para pagar outra dívida, já é o prenúncio do caos…”

Claytinho do Nova Vista – BH

A Rádio Super Notícia entrevistou um especialista em mercado financeiro, transcrito no portal SuperFC:

“Especialista analisa empréstimo de R$ 300 mi aprovado pelo Cruzeiro; entenda detalhes” (mais…)


Sobre masoquismo e futebol, ou, nada se cria, tudo se copia, ou “Nada se perde, tudo muda de dono”. ou, nada disso!

Imagem: www.biografiasyvidas.com/biografia/l/lavoisier.htm

Coluna do Fernando Rocha que circulará amanhã no Diário do Aço, de Ipatinga: 

* “Vale pouco”

Nada se perde, tudo muda de dono”, frase atribuída ao químico  Antoine Laurent de Lavoisier, que viveu no século XVII,  considerado o pai da química moderna,  numa tardia reflexão após descobrir que lhe haviam roubado a carteira. 

***

Não fosse a velha rivalidade que vem de décadas, o clássico de domingo, no Mineirão entre Cruzeiro x América, poderia ser considerado apenas mais um “treino de luxo”, sobretudo  para o time celeste, que tem usado este fraco e inssonso Campeonato Mineiro, apenas como laboratório para preparar a equipe, visando a disputa da Libertadores a partir do próximo mês.

A contusão muscular de Thiago Neves, que voltarà à equipe  nos jogos da Libertadores,facilitou a vida do técnico Mano Menezes, que tem várias e boas opções no meio-campo.

Rodriguinho é titular, enquanto Marquinhos Gabriel, Robinho e Rafinha, vão disputar a última vaga neste setor, que terá provavelmente dois volantes de maior pegada, casos de Henrique e Lucas Romero.

As laterais também ganharam dois bons reforçosOrejuela e Dodô, desalojando da zona de conforto os titulares Edílson e Egídio, obrigando-os a render mais.

O América, por ser o eventual líder do estadual e obtido classificação no meio da semana para a próxima fase na Copa do Brasil, vai entrar mais motivado, porém a qualidade datual elenco do Cruzeiro, o torna franco favorito para vencer este confronto.

DNA masoquista (mais…)


Sobre Tardelli e outros jogadores que sabem negociar muito bem os seus contratos mundo afora

Antes de qualquer coisa entendo que Diego Tardelli tem o direito de escolher onde quer jogar e o dever de pensar no futuro dele, da família, firmando os melhores contratos possíveis, enquanto tiver futebol para isso.

O que nunca gostei é da postura de qualquer jogador de fazer média com a torcida, usando-a para pressionar a diretoria a entrar em leilões para contratá-lo. Até hoje Toninho Cerezo enfrenta consequências de ter jurado amor eterno ao Atlético, que jogaria de graça pelo clube, onde encerraria a carreira. Acertou seu retorno num dia e no outro se apresentou na Toca da Raposa. E sofre demais por este episódio. Se nunca tivesse falado o que falou não teria passado pelo que passou e passa.

Atleticanos que se iludiram com uma possível volta do Tardelli até estes dias, não leram ou não acreditaram no vice-presidente Lásaro Cunha, que disse ao Hoje em Dia, em 01/02, com republicação aqui no blog:

… “Então eu posso crer que a vinda do Tardelli também é algo perto da “menor possibilidade”?
… se ele não abaixar, é quase que impossível. Mas houve conversa, lógico. É um ídolo e poderia ser muito útil ao Atlético. Mas não dá pra fazer loucura… se ele resolver efetivamente pretender jogar no Atlético, ele joga. Agora, pra isso ele tem que, de cara, renunciar a essa pretensão salarial de “salário chinês”. O Atlético não vai fazer isso, ele teria de reajustar a uma realidade do clube.

Ainda tem a questão do investidor, que o presidente citou…
Essa história de investidor, não existe essa figura. Na verdade é um patrocinador, ou vai emprestar e cobrar, não tem conversa. O Tardelli tem 33 anos, nenhum investidor vai chegar aqui e investir no Tardelli porque a revenda é quase zero….”

No dia 1o de fevereiro reproduzi duas twittadas do jornalista José Luiz Gontijo, que antecipava o não retorno ao Galo:

joseluizgontijo‏ @joseluizgontijo

Eu Não Acredito que Tardelli venha porque está muito cedo para fazer campanha para deputado e ele ainda tem lenha para queimar antes de entrar para a Coleção de Veteranos do Galo. O Galo aparece no fim da biografia de Tardelli. Não dá para entender esse amor incondicional.”

joseluizgontijo‏ @joseluizgontijo

Tardelli. Todas as vezes que o Galo precisou de Tardelli ele fugiu. Faz média com a torcida do Galo para fazer parte da coleção de Veteranos, pois pretende ser candidato a deputado por Minas. Mas, tenham certeza, enquanto tiver bola não vem!”

Anteontem recebi do atleticano Leonardo Silva de Faria essa reportagem de 2015, da Veja:

* “‘France Football’ elege Diego Tardelli como o maior mercenário do futebol”

Revista relembra passagens do atacante da seleção brasileira por Rússia, Catar e agora China e diz que “ele ama dinheiro e demonstra isso”

Por Da Redação

access_time 7 jul 2015, 10h53

Diego Tardelli é apresentado como reforço do Shandong Luneng, da China (Shandong Luneng/Divulgação)

O atacante Diego Tardelli, que no início do ano trocou o Atlético-MG pelo Shandong Luneng, da China, foi eleito pela revista francesa France Football como o “maior mercenário do futebol mundial desde 2011”. A publicação, uma das mais respeitadas do esporte, afirmou que o camisa 9 da seleção brasileira “ama dinheiro e demonstra isso” e é uma “espécie de melhor pedigree” entre os mercenários – termo ofensivo que representa atletas que priorizam a questão financeira e trocam de clube com frequência.

Eles vão para onde o dinheiro está e não se preocupam com o contexto histórico dos clubes”, é a frase que abre a matéria. A revista relembrou as passagens de Tardelli pelo Anzhi, da Rússia, e pelo Al-Gharafa, do Catar, nos últimos quatro anos, e disse que, apesar do sucesso no Atlético-MG, “decidiu refazer sua mala para descobrir a China”. De forma irônica, a France Football ainda afirma que o currículo do atleta de 30 anos rivaliza com o dos italianos Francesco Totti e Paolo Maldini, que só atuaram por um clube em suas carreiras – Roma e Milan, respectivamente.

Tardelli é seguido na lista pelo camaronês Samuel Eto’o, que foi seu companheiro de ataque no Anzhi em 2011. Nos últimos anos, o ídolo do Barcelona passou por Anzhi, Chelsea, Everton, Sampdoria e fechou contrato recentemente com o Antalyaspor (modesto clube turco que ainda sonha em levar Ronaldinho Gaúcho). Outro destaque da lista é o francês Nicolas Anelka, que chegou a ser anunciado como reforço do Atlético-MG em abril do ano passado, mas jamais apareceu em Minas Gerais. O atleta de 36 anos defende o Mumbay City, da Índia, onde acumula as funções de treinador e jogador.

Os sete maiores mercenários, segundo a France Football: (mais…)


Página 20 de 1.100« Primeira...10...1819202122...304050...Última »