Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Goleiro Bruno enfrenta as consequências dos atos cometidos e Boa Esporte continua perdendo apoios

BRUNO

Em entrevista ao Eduardo Costa, na Itatiaia, durante o Carnaval, disse o goleiro Bruno que “você não pode culpar o destino pelas consequências das suas escolhas”. Verdade mais que verdadeira e ele está enfrentando uma barra pesada na tentativa de retomar a vida. Patrocinadores do Boa Esporte estão debandando, pressionados por manifestações como esta, enviada ao blog pelo engenheiro Raul Otávio Pereira:

“A liberdade concedida ao goleiro assassino Bruno é motivo de revolta, estranhamento e repúdio. Sua posterior contratação pelo Boa é, no mínimo, um acinte. Um tapa na cara das pessoas honestas e de bem. Um desrespeito às mulheres e à memória da vítima.

Varginha mancha sua história com essa aberração. Aliás, ela pode entrar junto para os anais junto com o episódio do ET. Os dois casos são “de outro mundo”. Sei que existem defensores – com aquele discursinho hipócrita de que “ele já pagou sua pena”, “todos merecem uma segunda chance”, etc e tal. Cada um fala o que quer.

O que não dá também prá engolir é o tratamento de superstar que está sendo dado a esse criminoso. Só no site mg.superesportes nesse momento que estou escrevendo existem 3 (três !) – (três!)- fotos desse sujeito. Não dá prá engolir e aceitar.

E o pior é ver essas três fotos com o meliante exibindo aquele sorriso cínico. “Me tira os tubos””.

Raul Otávio da Silva Pereira

O SuperFC publicou na tarde de hoje:Após Nutrends Nutrition –  do ramo de suplementos nutricionais – interromper o patrocínio ao Boa Esporte, de Varginha, no Sul de Minas, foi a vez do Cardiocenter da cidade solicitar ao time que retire sua logo do site oficial do clube…”

 

Mais cedo, o Grupo Góis & Silva já tinha tirado o pé do acelerador com esta publicação:

PATROCINADORBOA

Um dos principais parceiros do Boa


América reclama e o Cruzeiro assume a liderança do campeonato

CRU

Rafael Sóbis comemora mais um gol com a camisa do Cruzeiro, ao lado do Thiago Neves

O América elegeu o árbitro Cleisson Veloso Pereira como o vilão do jogo e responsável pela derrota de 1 a 0 para o Cruzeiro, gol do Rafael Sóbis, de pênalti, aos 16 minutos do primeiro tempo. A Raposa mandou no jogo até os 30, o Coelho cresceu demais depois disso, mas não teve competência para empatar, esbarrando na própria pontaria fraca e em pelo menos três grande defesas do goleiro Rafael, um dos melhores em campo.

O público no Independência foi de 13.834, renda de R$ 167.774,00. Para quem gosta de estatísticas, o jornal Lance publicou os dados do Footstats:

“Posse de bola do América-MG: 49%
Posse de bola do Cruzeiro: 51%
Finalizações certas do América-MG: 4
Finalizações certas do Cruzeiro: 2
Finalizações erradas do América-MG: 4
Finalizações erradas do Cruzeiro: 6
Cruzamentos certos do América-MG: 7
Cruzamentos certos do Cruzeiro: 3
Cruzamentos errados do América-MG: 31
Cruzamentos errados do Cruzeiro: 7
Passes certos do América-MG: 336
Passes certos do Cruzeiro: 329
Passes errados do América-MG: 41
Passes errados do Cruzeiro: 31
Lançamentos certos do América-MG: 15
Lançamentos certos do Cruzeiro: 11
Lançamentos errados do América-MG: 23
Lançamentos errados do Cruzeiro: 29
Desarmes certos do América-MG: 16
Desarmes certos do Cruzeiro: 12
Faltas cometidas pelo América-MG: 12
Faltas cometidas pelo Cruzeiro: 8”


Do Mineiro à Champions League: o futebol e as magias que o envolvem

FMF

Semana passada a Federação Mineira de Futebol twittou esta foto, mostrando o encantamento da criança com o ambiente do Mineirão, momentos antes de Cruzeiro x Caldense. Aquela suntuosidade toda e os olhos focados no Henrique, capitão do Cruzeiro. Possivelmente o garoto sentiu naquele momento o mesmo que senti quando pisei pela primeira vez no gramado do Mineirão em um Atlético x Ceará, no início da década de 1970. Tive olhar semelhante para o goleiro uruguaio Ladislao Mazurkiervsky, ídolo do Galo naquela época.

Esta semana o Barcelona aprontou o que nove em dez especialistas diziam ser “impossível”. Devolveu com sobras a goleada que tomou em Paris e eliminou o PSG da Champions, de forma épica. Se o árbitro alemão errou ou não a favor dos catalães, e se o zagueiro Thiago Silva amarelou de novo, são outras histórias; o fato é que o futebol é sensacional por isso tudo. Não importa o lugar do mundo, o tamanho da competição a qualidade dos jogadores, nada. Há sempre uma emoção por acontecer para alguém, de alguma geração, por algum motivo.

BARCA

E como diz o Milton Leite: “segue o jogo…”


Galo muito abaixo do esperado na estreia, em jogo que parecia válido pelo Campeonato Mineiro

FRED

Fred, de pênalti, empatou para o Galo no início do segundo tempo.

Um jogo desses de dar “calo nas vistas”, que mais parecia confronto pelo Campeonato Mineiro numa noite de sábado. Em condições normais um empate na Argentina poderia ser considerado bom, valendo pela Libertadores. Porém foi o primeiro jogo oficial do Godoy Cruz e o Atlético já está jogando há mais de um mês.

Tomou gol com um minuto e meio de partida, velho problema de desatenção de sempre. Só Otero mostrou algum futebol no primeiro tempo. No segundo, Cazares entrou no lugar de Danilo e o time melhorou; Fred empatou cobrando pênalti, sofrido pelo Elias, que assim como Robinho, o próprio Fred e todo o resto, entrou em campo. Jogar mesmo que é bom, quase nada.

Tem que melhorar muito.


O Galo e as perspectivas na Libertadores, cujo caminho começa hoje

Belo Horizonte_MG, 24 de Julho de 2013

UOL - Final da Copa Libertadores da America

Na foto, lance do jogo Atletico MG x Olimpia (PAR)

Foto: MARCUS DESIMONI / NITRO

Tenho lido a discussão do comentarista do blog José Eduardo Barata com outros atleticanos sobre o time sob o comando do Roger Machado. Concordo com o Barata na maioria dos comentários dele, mas nessa estamos em lados opostos. Pelo que vi até agora, a minha expectativa é que ele dará mais alegrias à torcidaa alvinegra do que seus antecessores.  Demonstra mais segurança em relação ao elenco, passa a ideia de que sabe o que quer em termos táticos, acredita que só a repetição e insistência com as escalações, treinos e sistema de jogo podem gerar bons resultados e que isso termina no famoso “padrão de jogo” que todo torcedor ou comentarista da imprensa gosta de cobrar.

Claro que posso estar errado no que penso, mas Roger tem tudo para marcar de forma positiva a sua passagem pelo Atlético. Tem um elenco muito bom, porém, com sérias limitações. Que ninguém espere um time veloz como aquele de 2013, já que há, entre os 30 inscritos, 11 jogadores com idade acima dos 30 anos; as principais peças em especial. Isso pesa muito, no segundo tempo e na reta final de qualquer competição. Em compensação, é um grupo de jogadores sérios, altamente profissionais, também fora das quatro linhas. Se cuidam e têm experiência de sobra em gramados internacionais. Pressão não os abala.

E por outro lado, o Galo nunca inscreveu tantos jogadores da base na primeira fase da Libertadores como agora.

O repórter Frederico Ribeiro apresentou o perfil do Galo que arranca hoje na busca no bi. Muito interessante. Confira:

 

O Atlético começa nesta quarta-feira a trajetória na Libertadores 2017 na estreia contra o Godoy Cruz, na Argentina, às 19h30. Para ir em busca do bicampeonato no torneio, o Galo formulou uma equipe com bastante experiência, não só na competição continental. Dos 30 inscritos da equipe mineira, 11 jogadores tem mais de 30 anos, uma marca recorde interna, nas cinco participações seguidas do alvinegro, desde 2013.

Quando ergueu o troféu há cinco temporadas, o Atlético reunia jogadores já veteranos como Leonardo Silva e Gilberto Silva e tinha 10 jogadores acima dos 30 anos. Léo permanece no elenco preto e branco, hoje ostentando 37 anos (fará 38 dia 22 de junho), a braçadeira de capitão e a reverência da torcida. Em 2013, Ronaldinho tinha 33 anos e contava com a proteção de Leandro Donizete (30), Pierre (31) e Josué (33). Agora, Robinho é quem tem 33 anos, e conta com Elias (31) e Fábio Santos (31) na retaguarda, além do companheirismo ofensivo de Fred (33).

O Galo jamais inscreveu tantos jogadores das categorias de base na Libertadores como agora. O volante Ralph, por exemplo, comemorou o 19º aniversário apenas na terça-feira (7), véspera da partida em Mendoza. O goleiro Cleiton, o quarto da posição inscrito pelo Atlético, também tem 19 anos.

É uma contrapartida para a bagagem que outros atletas na reserva trazem. Rafael Moura também tem 33 anos. O goleiro Giovanni, titular momentaneamente até a recuperação de Victor, completou 30 anos em fevereiro. Já o “santo” está com 34 anos, em fase final da recuperação na lesão do ombro. Na defesa alvinegra, Felipe Santana fará 31 anos neste mês ainda. E no DM está Maicosuel, fará 31 em junho. Contratado recentemente, mas já inscrito na Libertadores, o volante Adilson é outro elemento com mais de três décadas de vida.

Se o Galo passar para as oitavas de final, o clube dos 30 poderá ganhar o reforço de Roger Bernardo, que fará 32 anos em agosto. O jogador do Ingolstadt tem pré-contrato com o Atlético e só poderá participar da Libertadores 2017 caso o alvinegro passe das fases de grupos.

Clube dos 30 no Galo
2013 – Léo Silva, Pierre, Junior Cesar, Leandro Donizete, Ronaldinho, Araújo, Gilberto Silva, Alecsandro, Richarlyson e Josué
2014 – Victor, Léo Silva, Pierre, Josué, Ronaldinho e Leandro Donizete
2015 – Victor, Léo Silva, Emerson Silva, Pierre, Josué, Leandro Donizete e Dátolo
2016 – Victor, Léo Silva, Edcarlos, Leandro Donizete, Dátolo, Robinho e Lauro
2017 – Victor, Giovanni, Léo Silva, Fabio Santos, Elias, Robinho, Fred, Rafael Moura, Felipe Santana, Maicosuel, Adilson

http://hojeemdia.com.br/esportes/com-um-time-completo-acima-dos-30-anos-atl%C3%A9tico-traz-experi%C3%AAncia-para-libertadores-2017-1.450619


Rafael Sóbis é quem faz a diferença, dentro de campo, a favor do Cruzeiro

CRU

O Cruzeiro jogou pro gasto e voltou para Belo Horizonte com três pontos sem sobressaltos. Mesmo com o calorão do Vale do Mucuri o time dominou a partida e correu até mais que os donos da casa no segundo tempo. A exemplo de Otero no Galo, Rafael Sóbis é o cérebro estrelado. Jogando muito e brincando com  a situação de ser um dos veteranos do elenco:

– O velhinho está bem. Já são três anos sem lesão. Aprendi a conhecer o meu corpo. Agora é esperar o corpo esfriar e torcer para não doer tudo.

Sóbis é muito bom também na fala e toda entrevista dele é interessante. Nunca fica nas obviedades. Muitos companheiros da imprensa adoram quicar a bola para jogadores, treinadores e dirigentes fazerem média. Com Sóbis não tem disso. Foi instado a reclamar do gramado, mas não entrou nessa e respondeu:

– Acho que poderia ser em um campo melhor. Mas o time deles não tem culpa porque trabalham com um orçamento menor. Cabe a nós irmos lá e fazermos um bom jogo.


Mesmo com seis vitórias em seis jogos, tem atleticano insatisafeito com o time e há até quem sugira Bruno Rodrigo e Julio Baptista à diretoria

OTERO

Otero, de novo, o melhor em campo

O Atlético resolveu acordar e aí virou o jogo contra o Vila Nova, sem maiores problemas. Fred está começando bem demais o ano e espera-se que estes gols se repitam no Campeonato Brasileiro daqui a dois meses.

Otero foi, de novo, o melhor em campo, mas recebeu uma advertência mais do que justa do jornalista Fael Lima, via twitter: “… podia evitar essas cambalhotas no gol. Já vimos lesões assim em outros clubes. Chega de peça importante no DM”.

No que o Igor Assunção‏, da 98FM concordou e acrescentou: @Igortep “Ele mesmo já ficou umas semanas paradas ano passado após uma comemoração assim em gol feito na seleção venezuelana”.

Ouvindo o João Vitor Xavier esta tarde comandando o “Bastidores”, pela Itatiaia, ouvi torcedores descendo o bambu no time e na comissão técnica, com palavras duras e argumentos que não consegui entender. Até parece que o Galo está fora da zona de classificacão. Lidera com 100% de aproveitamento. Em compensação, na mesma sequência de entrevistas, torcedores andaram dizendo que a zaga “está mal demais” e que o Atlético precisa contratar o Bruno Rodrigo, que “está dando sopa por aí”.

Vixe! Tem lobista de todo lado. Como diz o Rogério Perez: “Menos gente, menos!”.

Dia desses, alguém aqui no blog sugeriu que o Galo contrate Julio Baptista, também ex-Cruzeiro. Aí me lembrei de uma expressão que o Duke costuma usar quando se depara com alguma aberração: “creudenspai”, ou “cruz credo!”.

Também me lembrei do genial Fred Melo Paiva com o programa dele no History Channel, “O Infiltrado”. Deve ter algum “infiltrado” sugerindo essas coisas à diretoria atleticana.


Internet entra em campo no futebol e faz redes de TV ligarem o sinal de alerta: mais de dois milhões assistiram clássico paranaense, segunda-feira

CAPCOR

Depois dessa experiência, algo vai acontecer nestas complicadas e nebulosas negociações. Notícia no site da Veja: 

* “Atletiba na internet tem público maior que população de Curitiba”

Jogo é apontado como marco na exibição de partidas no país

Primeiro clássico transmitido pelas redes sociais no Brasil, o jogo Atlético Paranaense e Coritiba da última segunda (1º) foi assistido por 2,4 milhões de torcedores. Isso só no Facebook. O número é maior do que a atual população de Curitiba, de 1,8 milhão de habitantes.

No Youtube, o jogo teve pico de audiência de 208.000 pessoas simultâneas , maior transmissão da história do esporte no Brasil.

Na avaliação dos clubes, o jogo boicotado pela Federação Paranaense por não ser exibido pela Globo será um marco para a entrada de dois gigantes da comunicação, o Facebook e o Google, no futebol brasileiro.

http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/atletiba-na-internet-teve-publico-maior-que-populacao-de-curitiba/


Placar poderia ter sido maior; Cruzeiro errou passes e gols demais

HENRIQUE

Em foto do SuperFC, Henrique, capitão e mais uma vez destaque do time.

***

Obrigado ao Alex Sousa, que escreveu para o blog a resenha de Cruzeiro 2 x 1 Caldense:

* A Caldense, mesmo em desvantagem, pouco apareceu no ataque. Um time de chutões. O Cruzeiro dominou o jogo, criou algumas oportunidades, contudo, Thiago Neves, Robinho e De Arrascaeta erraram passes demais. Sóbis perdeu um gol feito, logo a 2’ do 2º tempo, numa rara jogada de velocidade do time azul. Jogo ruim; o time azul fez uma péssima exibição e, nos segundos finais, ainda levou um gol da fraca Caldense, em lance em que a defesa (ponto fraco do time no ano) foi surpreendida por um lançamento entre Manoel e Fabrício. O Cruzeiro custou a engrenar na partida e só chutou abola em gol a 20’ minutos, com Rafael Sobis. Depois as jogadas e finalizações começaram a aparecer, sobretudo pela direita, com apoio de Ezequiel e tentativas isoladas de Sobis e De Arrascaeta; Henrique acabou marcando dois gols em lances de bolas rebetidas erradamente pela defesa da Caldense. (mais…)


O bom, o ruim e as incógnitas do Galo no empate em Chapecó

CAMCHAPE

Este empate do Atlético com a Chapecoense pela Primeira Liga serviu para confirmar que o Carlos Eduardo foi uma contratação completamente equivocada e ele já deveria ter sido dispensado a tempos. O zagueiro Felipe Santana continua sob observação. Ele mesmo diz que voltará a jogar o que jogou no Borússia. Aguardemos, mas está demorando para mostrar pelo menos algum lampejo daquele jogador.

O meia da base, Anderson, entrou no lugar do Carlos Eduardo e o time melhorou demais. Leva jeito.

O técnico Roger falou das observações que fez neste 2 a 2 do time misto do Galo em Chapecó:

“__ Acaba que empatar fora não é mau resultado, mas fica o gosto amargo pelo que produzimos no primeiro tempo. Altíssimo nível e, consequência disso, o placar de 2 a 0 justo. Mas aí com dois lances de desatenção, eles empataram. Mas eles mesmo com um a menos, se desdobraram, mas não saímos do empate. Fica a frustração pelo que produzimos na primeira etapa. Se continuássemos na mesma intensidade, poderíamos ter tido a vitória. Pesa um pouco entrosamento, essa competição cumpre função importante, colocar todo mundo pra jogar e dar ritmo de jogo para alguns jogadores que vão nos dar alegrias lá na frente”.


Página 20 de 991« Primeira...10...1819202122...304050...Última »