Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

As perspectivas do Galo com Jorge Sampaoli neste Brasileiro

Assim como quase todo atleticano fiquei muito irritado com o jogo de ontem, o pior do Atlético sob o comando do Sampaoli. Mas longe de mim qualquer pessimismo em relação ao trabalho que está apenas começando ou quanto às possibilidades do time neste Brasileiro. Trata-se do melhor técnico que o Galo contratou, depois da “Era Cuca”. Ele é da prateleira de cima, dos melhores do futebol mundial. Mas a cobrança por resultados é imediata, proporcional ao perfil dele e ao prestígio de que desfruta. Está iniciando o trabalho, fazendo testes dos mais variados possíveis, na escalação e táticos, jogo a jogo, com carências no elenco em várias posições. Falta um criador no meio e um comandante de ataque. Para furar bloqueios como o do Botafogo, por exemplo, só com alguma assistência genial ou um gol com a ação do “Sobrenatural de Almeida”, só possíveis, quando há jogadores em campo, nessas posições, acima da média.

Também na lateral direita ele tem problema. Guga é fraco e ainda não se sabe como o Mariano retornou do futebol turco, já que ainda está em recuperação física. Na esquerda, Arana é excelente, mas não tem um reserva à altura.

Sampaoli cobra reforços semanalmente. Alexandre Mattos é um diretor de futebol competente e bem relacionado, corre atrás para atendê-lo. O temperamento do treinador é difícil e ao contrário de seus colegas brasileiros, não dá a mínima para o que a imprensa, dirigentes ou torcedores falam ou pensam sobre ele. Sampaoli deixa claro isso no livro dele, publicado no Chile, em 2015, durante a Copa América daquele ano. O titulo da obra (foto que ilustra este post) já diz tudo: “No escucho y sigo” (Eu não escuto e eu vou em frente).

Que os atleticanos mais apaixonados tenham consciência disso e não caiam nessa, de “teorias conspiratórias”, de que o comentarista fulano ou beltrano está criticando o argentino para “desestabilizar” o trabalho dele e prejudicar o Atlético. Se ele tiver que chutar o balde e “cascar fora” quando lhe der na telha, não precisa de nenhum argumento infantil desse tipo.

Concordo com o que escreveu o jornalista Martins y Miguel, retwittado pelo Custodio Pereira Neto, da Cariogalo, depois do jogo horroroso contra o Inter: @CustodioTodinho “Eu diria que o desafio é Sampaoli começar e terminar 2021, o que apenas Cuca conseguiu nos últimos 30 anos. Isso mostrará que, FINALMENTE, entendeu-se a lógica do futebol, como diria Jürgen Kloop: – Esteja certo sobre o cara que você está contratando e dê a ele (reforços e) tempo twitter.com/martinsymiguel…”.

Nessa mesma toada, concordo também com o que escreveu o Dr. Lásaro Cândido da Cunha, vice-presidente do Galo, sobre a grita geral alvinegra por um “10”: @lasaroccunha “Desculpe-me a franqueza: em 112 anos tivemos um camisa 10 clássico e espetacular (R10-R49).Tivemos outros ótimos, mas não propriamente um “10”. No modelo de jogo proposto, há q se ter calma e tempo. Ontem foi doído, mas ruim mesmo foi o resultado de 4a feira. Vida q segue..GALO!”.

Sampaoli corre atrás de uma uma solução. Descobriu o lugar certo do Nathan jogar, e estava dando certo. Um jogador que muitos atleticanos (eu inclusive), achava que deveria ter sido incluido na mesma barca de dispensas do Di Santo, Ricardo Oliveira e etecetera. Mas Nathan se machucou e agora o Galo busca outras opções. Treinadores acima da média conseguem encontrar, caso do Sampaoli, e com o dinheiro que o Rubens Menin está colocando, já já encontrarão o nome certo.


Melhor jogador de futebol do mundo, hoje. Façamos nossas apostas

Imagem: Globoesporte.com

Na votação da equipe da ESPN, o polonês Lewandowski é melhor e Neymar fica em terceiro lugar, mesmo se vencer a Champions, hoje,a partir das 16 horas. Outros craques estão no páreo como Mbappé,  Messi, Cristiano Ronaldo, De Bruyne, estes, mesmo fora da final. Eu votaria no Lewandowski.

E você?

Vejo os palpites da ESPN, inclusive do nosso conterrâneo Mário Marra, um dos melhores comentaristas do país:

* “Comentaristas da ESPN analisaram e escolheram os melhores do mundo na atual temporada”

https://www.espn.com.br/video/clipe/_/id/7329444


Atlético de hoje fez lembrar o do Dudamel, do Rodrigo Santana, Thiago Larghi…

Foto: Pedro Souza/Agência Galo

Até as desculpas esfarrapadas depois da derrota foram semelhantes. O atual treinador disse que o time é “muito novo”. A diferença é que as comissões técnicas desses antecessores do Sampaoli custavam uma merreca em relação à atual.

Jogo feio, dos dois times, ao contrário dos sorrisos e abraços dos dois treinadores, argentinos, que se confraternizaram efusivamente à beira do gramado antes da bola rolar . . .

. . . como mostra essa foto do Globoesporte.com. Fiquei absolutamente frustrado ao ver uma partida parecida com jogo de “compadres”, como se o empate fosse bom para ambos, ou que a derrota não representasse nada de ruim para um dos dois. Assim como contra o Botafogo, o Atlético teve mais posse de bola, mas isso não vale nada, quando a bola não entra no gol adversário. Além do mais, contra os cariocas, o goleiro do outro lado teve que trabalhar demais, e contra o Inter, nada disso.

Os gaúchos fizeram 1 a 0 numa displicência inadmissível da defesa atleticana, aos 9 minutos. Pensei que o Galo fosse para cima, na forma camicase de jogar do Sampaoli, mas, nem isso. Continuou com mais posse de bola, sem agredir efetivamente, sem levar perigo ao Internacional, que por sua vez, passou a respeitar demais o Galo e também não se arriscava muito ao ataque. Placar mínimo, para futebol de ambos abaixo disso.

Do outro lado do mundo, já com o sol ao alto, a

Galo Australia definiu de forma irônica, com precisão: @GaloAustralia “Juiz deu amarelo pro Sampaolli e na linguagem labial ali eu entendi que o motivo foi pela escalação do Hyoran”.

Mas, o Atlético de hoje foi todo de “Hyorans”.


Ufa! América finalmente vence em casa, e de virada

E não foi fácil. Enfrentando o Oeste/SP, um candidato ao rebaixamento, pressionado por três jogos sem vencer, começou tomando gol dos 21 minutos. Empatou aos 29, gol do Rodolfo e só virou aos 43 do segundo tempo, quando muita gente achava que seria uma nova frustração dentro do Independência. Toscano, que acabara de entrar, marcou em cobrança de falta, fazendo a alegria da torcida americana. Chegou aos oito pontos e entrou para o grupo dos quatro primeiros, mas amanhã, com o complemento da rodada, poderá perder essa condição.

Não foi um grande jogo nem uma grande partida do Coelho, mas como disse o técnico Lisca depois do jogo: “venceu”. E isso levanta o astral, espanta qualquer indício de crise e da ânimo para a sequência. Não há nada fácil para nenhum dos concorrentes.


Deu no rádio: Serra do Cipó está reaberta aos visitantes. Ô vontade!

Desde hoje bem cedo, por volta das 6h50, estava querendo dar essa dica aqui. Ouvi no “Jornal da Itatiaia” que a partir deste fim de semana as pousadas, hotéis, bares e restaurantes da Serra do Cipó (Cardeal Mota), em Santana do Riacho, estão recebendo novamente, de braços abertos, os visitantes.

Ouvi inclusive uma entrevista do prefeito André Ferreira Torres, fazendo o convite, com a recomendação de que não viaje sem antes reservar a hospedagem, já que todas têm número limitados de apartamentos, em cumprimento às normas das autoridades sanitárias. Muitos atrativos ainda não estão liberados, mas com este friozinho, só de ver as cachoeiras, de longe, já está bom demais. E lugar pra correr, caminhar e contemplar não falta. Além, óbvio da receptividade espetacular das pessoas e as comidas e bebidas da melhor qualidade.

Pena que neste fim de semana eu não posso. Tanto serviço que só agora tive tempo para escrever o que eu gostaria de ter escrito aqui pela manhã. Mas fica a sugestão.

Vá curtir este que um dos mais belos e agradáveis lugares que conheço no mundo. E tão perto! A apenas uma hora e alguns minutos da Capital da nossa Minas Gerais!

Só entrar no Google e escolher uma das ótimas pousadas. Indico sempre a Chão da Serra, do Taquinho e Graça . . .

… este casal queridíssimo do lugar. Se lá já estiver lotado eles e a equipe da pousada terão o maior prazer em indicar outras, de acordo com a preferência do cliente.

Só ligar 31 3718 7040 ou acessar www.chaodaserra.com.br

Passei pela Serra no início da pandemia e até o Juquinha já estava se cuidando, usando máscara.


Chapecoense vence e entra no G4 da Série B. Ao Cruzeiro faltou o empenho dos jogos anteriores

Nessa foto da assessoria de comunicação do Mineirão no twitter @Mineirao, muito do que foi o jogo desta noite: embolado, muitas bolas pelo alto, jogo amarrado.

O Cruzeiro já entrou em campo estranho com uma camisa diferente, como se fosse manchada e ainda por cima com os números quase da mesma cor do azul predominante, o que matou locutores e comentaristas de raiva. Difícil identificar os jogadores. A Chapecoense não se intimidou e encarou, fazendo 1 a 0 aos 10 minutos de partida, com Anselmo Ramon, ex-jogador da Raposa. Certamente acreditando que o gol de empate sairia “naturalmente”, os comandados do Enderson Moreira não mostraram o mesmo apetite das partidas anteriores. De bola em bola cruzada na área, facilitando a vida da defesa da Chape, o gol de empate não saiu, apesar dos cinco minutos de acréscimos dados pelo árbitro alagoano Denis da Silva Ribeiro Serafim .


O Atlético mandou no jogo mas errou dentro e fora de campo e o Botafogo soube se aproveitar

O goleiro Gatito, melhor em campo, em foto do twitter.com/Botafogo/Vítor Silva/BFR

Foi um jogo muito bom de se assistir, de muita intensidade e ótimas defesas dos dois goleiros, com mais trabalho  para Gatito, o ótimo paraguaio do Botafogo. Aos 20 minutos o editor de esportes d’O Globo,

Thales Machado, twittou @thalescmachado: “Ataque do Atlético-MG x Defesa do Botafogo no Nilton Santos até agora.” Aos 26, Allan errou um passe no campo defesa do Botafogo que no contra ataque abriu o placar, com Luiz Fernando, que marcou seu primeiro gol neste Brasileiro.

Terminado o primeiro tempo, Thiago Nogueira, d’O Tempo, escreveu @thiagonoggueira: “Galo com 74% de posse de bola, 15 finalizações e 13 escanteios no 1º tempo. Botafogo vence 1 x 0. via @SofaScoreBR”.

O segundo tempo não foi muito diferente. Botafogo fez o jogo que lhe interessava e mereceu o resultado. Paulo Autuori escalou o time dentro da realidade do elenco que tem à disposição. Inferiror ao Galo, jogou fechado, explorando os contra ataques e eventuais vacilos atleticanos, hoje, cometido pelo Alan. Também jogou bastante nas costas do Guga, o pior do Atlético, que não foi eficiente no ataque e não dava conta de voltar para marcar.

Sampaoli demorou demais a mexer. Só aos 39 do segundo tempo tirouGuga para a entrada de Mariano, Allan para a entrada de Jair e Marquinhos para a entrada do Maílton. O time já estava pondo a língua pra fora de tanto correr e aos 41, em novo contra ataque, Caio Alexandre fez 2 a 0.

Como a arbitragem teve boa atuação e não interferiu no placar, méritos do Botafogo, que foi competente para marcar e não tomar gol.

Na próxima rodada o Galo vai enfrentar o Inter, novo líder, em Porto Alegre, com a oportunidade de voltar a liderar.


A transparência e sinceridade dos técnicos estrangeiros que os brasileiros deveriam assimilar

Em 2018 Jorge Sampaoli visitou Pep Guardiola em Manchester, antes de amistoso na cidade contra a Itália, nos preparativos para a Copa da Rússia, e postou essa foto no twitter.

Depois da goleada do Lyon sobre o Manchester City e a eliminação do time inglês da Champions, um jornalista quicou a bola para Pep Guardiola reclamar da arbitragem, por causa do segundo gol dos franceses. O técnico catalão rechaçou, na lata, sem querer transferir responsabilidades: “Eu não quero falar sobre as circunstâncias, me parece reclamar ou procurar desculpas. Estamos foraFizemos algumas coisas boas no jogo, mas cometemos erros nas duas áreas, e é por isso que perdemos. Precisamos fazer melhor do que isso. É frustrante, mas agora é hora de descansar. Vamos continuar tentando, e um dia eu tenho certeza que vamos poder romper essa barreira”.

No clássico contra o América, na última partida da fase de classificação do Campeonato Mineiro, Jorge Sampaoli mexeu errado e o Atlético tomou sufoco do Coelho no segundo tempo. O treinador argentino, assumiu a culpa: “Queríamos dominar o meio de campo. É totalmente responsabilidade do treinador, que não conseguiu fazer a proposta funcionar. Com a entrada do Marquinhos a intenção era de dominar o meio de campo e o Nathan atuar falso 9, mas seguimos na mesma tônica. Temos que gerar coisas que inquietam o rival. Há que ter diferentes tipos de organização para a gente superar”.

Essa é uma enorme diferença de comportamento entre os treinadores estrangeiros e os brasileiros, que normalmente dão as desculpas mais esfarrapadas para justificar maus resultados e não raramente culpam as arbitragens pelos insucessos.

Concordo, também, que a imprensa verde e amarela tem uma paciência especial com os gringos, que não tem com os nossos, mas esta é uma questão de postura pessoal. Alguns técnicos brasileiros sabem se impor e têm os métodos respeitados, pelo menos enquanto os resultados em campo são satisfatórios. Se o respectivo time começa descer a ladeira, a imprensa desce o porrete, inclusive nos estrangeiros. Fim da lua de mel.

Ainda sobre treinadores estrangeiros, gostei do comentário do Renato César feito aqui no blog, sobre o Jorge Sampaoli: “Técnico de seleções que pisou no Brasil na época em que estrangeiros fizeram sucesso (campeão e vice), todo mundo vê com outros olhos. O problema de se ter grandes nomes no elenco é que eles podem fazer algumas bobagens que ninguém fala nada. Se um Thiago Larghi coloca o melhor lateral esquerdo do Brasil no banco e entra com um volante, é “professor pardal” e cai no intervalo do jogo. Se o Levir Culpi faz isto, é “velho gagá”. Mas foi o Sampaoli…

Pelo menos os resultados estão sendo favoráveis. Mas ele precisa manter uma base. E repensar a insistência com alguns jogadores…”


Falta de finalizador competente faz com que o América continue perdendo pontos preciosos na briga pela Série A

Depois de derrota para o Cuiabá e empate com o Operário-PR em casa, o Coelho voltou a perder pontos importantíssimos, hoje, em Caxias, no 0 a 0 contra o Juventude. O jornalista Victor Martins falou dos tantos gols perdidos @victmartins: “América perdeu gols demais contra o Juventude. Segundo empate consecutivo em que fica aquela sensação de dois pontos perdidos, não um ponto conquistado. Certamente o começo de Série B não era o que esperava o América, mas não tira o time do grupo dos favoritos ao acesso”.

Mesma opinião do Vinicius Grissi, da 98FM @ViniciusGrissi: “América deu um amasso impressionante no Juventude na etapa final. Abusou dos gols perdidos e quase levou no fim mais uma vez. Vai deixando pontos preciosos pra trás”.

AVACOELHADA mantém a confiança e o apoio ao time @Avacoelhada: “Fim de jogo: Juventude-RS 0 x 0 América-MG. Buscou o controle do jogo, criou e desperdiçou oportunidades. Mas é um campeonato de resistência, com possibilidades de evolução.”

Com um jogo a mais está em 5º lugar na classificação, com 5 pontos. Atrás do Vitória e Operário-PR, também 5, Juventude e Paraná, 7. Próximo jogo, sexta-feira, 19h15, contra o Oeste-SP, no Independência.


A superação do Galo e do Cruzeiro, a patinação do América e o Barcelona buscando novos rumos

Foto: Bruno Cantini / Agência Galo / Atlético / Fotos Públicas

Para superar retrancas como essa armada pelo Guto Ferreira, só mesmo com jogadas iniciadas pelas laterais ou a genialidade de algum jogador. A manhã do domingo foi de Marrony, que desequilibrou para o Galo. Guga foi mal na direita, e na esquerda, Sampaoli preferiu testar Alan, deixando Arana e Fábio Santos, no banco. Marrony foi o nome do jogo. Bateu com perfeição o pênalti do primeiro gol e o segundo foi um golaço, na corrida e na precisão do forte chute, sem chances para o Fernando Prass.

Os métodos do Jorge Sampaoli estão se consolidando, o time está se encorpando e os jogadores ganhando confiança.

***

Três jogos, três vitórias e o “futebol de resultados” implantado pelo Enderson Moreira vai atendendo 100% aos objetivos do Cruzeiro na Série B. Seis pontos de punição da FIFA pagos, e agora a busca por uma das quatro primeiras posições.

***

O mínimo que se esperava do América contra o Cuiabá era uma vitória, simples que fosse. O empate no apagar das luzes no segundo tempo foi de lascar.

***

O Barcelona confirmou a demissão do técnico Quique Setién, depois de 48 horas da goleada sofrida de 8 a 2 do Bayern de Munique, sexta-feira. Ficando imaginando a situação o que estaria passando pela cabeça dos principais dirigentes do clube neste momento. Diferentemente da tradição de conquistas do clube, este 2020 tem sido terrível, também para os catalães. Desmontar uma estrutura cara como a atual e montar um time competitivo, de acordo com a expectativa geral, não é fácil.


Página 22 de 1.178« Primeira...10...2021222324...304050...Última »