Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/blog/www/wordpress/wp-includes/pomo/plural-forms.php on line 210
Blog do Chico Maia | O seu espaço interativo | Página22

Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Depois da vitória em Valadares, jogadores do Atlético manifestaram repúdio à piada da Globo sobre pênaltis para o time

O técnico Mohamed viu que o time estava sem criação e força ofensiva. Aos 23 do segundo tempo ele colocou Nacho no lugar do Jair e o argentino chamou o jogo para ele. E marcou o gol da vitória aos 40 minutos.

O comentarista do blog, Júlio Soares, criticou o treinador: “O Turco continua inventando e pirracento que é, repetiu ontem o que já não havia dado certo contra o Pouso Alegre. 4 atacantes, dois volantes, sem centroavante e nenhum meia de ligação. Demora a substituir e torna a despedaçar o time: coloca meias pelas pontas e deixa um volante; uma salada O cara chega, encontra um time formado e quer inventar tirando a espinha dorsal. Está capengando contra os times da rabeira, quando pegar Caldense ou o Athletic, vai penar. Feijão com arroz ou vai dançar!”

Depois da partida os jogadores externaram a sua insatisfação com a postura da Globo, que num programa de quinta-feira entrou na onda das redes sociais e fez piada sobre a marcação de pênaltis a favor do time. Se recusaram a dar entrevista para a emissora.

Zoação entre torcedores faz parte do futebol e é salutar, porém, quando um veículo de comunicação poderoso como a Globo entra no jogo, assusta, já que árbitros, bandeirinhas e VAR também assistem e certamente vão pensar duas vezes antes de marcar faltas e pênaltis a favor do Galo na sequência. Uma pressão subliminar, que funciona. O Brasileirão vem aí.

O SuperFC deu mais detalhes:

* “Atletas do Galo boicotam Globo após piada com teoria sobre pênaltis”

Irritados com piada sobre “Pênalti pro Galo” no programa Globo Esporte, jogadores ignoraram repórter da emissora ao fim da partida contra o Democrata-GV

Após o apito final e a importante vitória por 1 a 0, no estádio Mamudão, os jogadores do Atlético se recusaram a dar a tradicional entrevista pós-jogo à TV Globo neste sábado (12).

Conforme a assessoria de imprensa do clube, a postura dos atletas tem a ver com a piada “Pênalti pro Galo”, feita pela emissora durante o programa esportivo Globo Esporte Minas. O Atlético informou que não irá se manifestar sobre o assunto.

Na última quinta-feira (10), no início do programa da TV Globo Minas, um dummy, um tipo de manequim como os do reality show “Big Brother Brasil”, entrou no estúdio para entregar um bilhete ao apresentador Maurício Paulucci. Nele, estava escrito: “Pênalti pro Galo”. Momento ocorreu logo após uma entrada ao vivo direto da casa do BBB, quando um dummy “trolou” os participantes e os telespectadores – ele entregou um bilhete dizendo que hoje haverá prova do líder, o que já ocorre todas as quintas-feiras. Foi um dos assuntos mais falados nas redes sociais naquele dia.

Desde o Brasileirão de 2021, o Galo teve 21 pênaltis marcados a seu favor, em todas as competições, enquanto o Flamengo, 11 – Grêmio e Palmeiras, em segundo lugar, tiveram 12. A última penalidade atleticana marcada foi no clássico contra o Cruzeiro, nesse fim de semana, que gerou bastante polêmica.

Pegando o Campeonato Brasileiro de 2021, quando o Galo foi campeão, foram 11 pênaltis marcados. Em 2020, ano que o Urubu levantou a taça, foram 10 a favor do campeão, ou seja, diferença mínima.

Globo pediu desculpas

Um dia após a brincadeira, a Globo Minas, no mesmo programa, pediu desculpas pela zoação feita contra o Atlético, mas o estrago já tinha sido feito.

“Aqui no GE, a gente sempre busca falar sobre o futebol mineiro com precisão, mas também de forma leve. Só que ontem a gente fez uma brincadeira aqui que muitos atleticanos não gostaram. A gente entende esse sentimento do torcedor e queria deixar claro que, de forma alguma, a gente teve a intenção de ofender a torcida do Galo”, disse o apresentador Maurício Paulucci.

https://www.otempo.com.br/superfc/atletico/atletas-do-galo-boicotam-globo-apos-piada-com-teoria-sobre-penaltis-1.2631463


Melhor locutor do Brasil, o Caixa está bem de saúde, depois do susto no calorão de Valadares

Força ao amigo Mário Henrique. A notícia está no portal da Itatiaia:

* “Após passar mal em Valadares, Mário ‘Caixa’ tranquiliza torcida e diz que está tudo bem”

O narrador precisou de atendimento médico devido ao forte calor no Mamudão, local da partida entre Democrata e Atlético, neste sábado (12)

O forte calor em Valadares, durante o duelo entre Democrata x Atlético, não prejudicou só o espetáculo dentro das quatro linhas. Nas arquibancadas, torcedores também tiveram que se virar para acompanhar os mais de 90 minutos de bola rolando no Mamudão, e, na cabine da Itatiaia, o narrador Mário ‘Caixa’ também sentiu os efeitos do termômetro nas alturas,  precisando de atendimento médico.

Segurando a transmissão até o limite, ele precisou ‘ser substituído’ nos minutos finais do confronto e Álvaro Damião assumiu a responsabilidade de conduzir a narração até o apito final. Levado para um hospital da cidade, Caixa passou por uma bateria de exames e, minutos depois, tranquilizou a todos com uma excelente notícia:

“Tive uma desidratação muito forte e a pressão caiu bastante. Estou fora de perigo e agora está tudo tranquilo. Tinha tomado umas três garrafas de água e achei que estava tranquilo. Não tive sede hora nenhuma. Foi de uma vez”, destacou o narrador da rádio de Minas.

https://www.itatiaia.com.br/noticia/apos-passar-mal-em-valadares-mario-caixa-tranquiliza-torcida-e-diz-que-esta-tudo-bem


Ficar fora da decisão do Mineiro é um retrocesso na vida do América. Para ligar o sinal de alerta

A derrota para o Uberlândia foi apenas o desfecho da campanha ruim que o time está fazendo neste campeonato. A delegação está a caminho de Guayaquil, para decidir vaga para a fase de grupos da Libertadores. Classificando-se ou não a situação é preocupante, pois o Brasileiro começa daqui a poucas semanas e o que se vê é um time despreparado para essa disputa, que é a que conta pra valer na temporada, no caso americano.

O contrato do técnico Marquinhos Santos dura até o fim do estadual. Sinceramente não sei se ele é o nome ideal para conduzir o Coelho. Não assisto aos jogos do time com a atenção suficiente para fazer essa avaliação. Que os americanos se manifestem também aqui no blog.


Atlético prorroga contrato do goleiro Rafael; retorno de Jr. Alonso seria uma ótima. Um lateral direito também seria bem-vindo

Fotos: Pedro Souza/@Atlético

Entendo que o Galo está se preparando bem para as disputas mais importantes da temporada. Gosto do trabalho do Antônio Mohamed. Usa o Campeonato Mineiro para observar vários jogadores que nunca são testados; observa quem tem condição de ficar no elenco e os que já deveriam ter sido dispensados e negociados há tempos, além de ver as carências.

Hoje foi anunciada a permanência do Rafael até 2025, cujo atual contrato iria até o fim deste ano. Muito bom goleiro. Pena, que nesta posição o sujeito só pode ser aproveitado ali, onde o Everson resolveu o problema, está em grande forma e nunca se machuca. Em junho o Rafael completará 33 anos. Um reserva de luxo. No Cruzeiro, do Fábio, e agora no Atlético.

Sem poder jogar pelo Krasnodar, que o buscou no Galo, Jr. Alonso bem que poderia ser reincorporado ao elenco atleticano. Por causa da invasão à Ucrânia, todos os estrangeiros que jogam na Rússia tiveram seus contratos suspensos pela FIFA e podem atuar por qualquer clube fora de lá, até que as coisas se resolvam. Flamengo e outros, também estão interessados e os procuradores do paraguaio certamente sabem tirar o devido proveito desta situação. Não fosse isso, o ótimo zagueiro já estaria vestindo a camisa alvinegra novamente.

A defesa é o único setor em que o time ainda não está pronto e tem carências.

Na lateral direita principalmente. Mariano sente o peso dos 35 anos; em 23 junho completará 36. Muito para a posição. E não tem um reserva que chegue nem perto do que ele ainda joga. Laterais habilidosos e velozes, são cada dia mais importantes em times que têm pretensões altas. E, também, cada vez mais raros. Arana é um ótimo exemplo. Ele bem, é sinônimo de vitórias do Atlético. E raramente joga mal.


De novo, América domina a partida mas não faz gol em casa. E escapou de tomar, de pênalti, no penúltimo minuto

Decisão da vaga para a fase de grupos da Libertadores continua aberta, depois do 0 x 0 contra o Barcelona de Guayaquil. O Coelho enfrentou um grande adversário e foi bem, mas faltou finalização. No fim, contou com a má pontaria do Carlos Garcés, que chutou pênalti para fora. O resumo do que houve de melhor no jogo, descrito pela revista Trivella:

“. . . A metade final do primeiro tempo ficou mais aberta e mais intensa, com bons avanços das duas equipes. O Barcelona era mais contundente em suas chegadas, na base da velocidade, e assustaria aos 27, num chute cruzado de Jonathan Perlaza que saiu ao lado do gol. A grande chance dos Canários viria nessa sequência, num giro de Gonzalo Mastriani, que exigiu uma defesa milagrosa de Jaílson. Isso acordou o América, que teria sua principal oportunidade com Wellington Paulista na área, mas o chute veio em cima de Burrai. Porém, os equatorianos cresceram na partida e incomodavam mais, com novas intervenções seguras de Jaílson até o intervalo.

O segundo tempo começou com o América mais ligado. Logo no primeiro minuto, Wellington Paulista tentaria e seria travado na área, em lance no qual os mineiros reclamaram de pênalti. O jogo se desenvolvia no campo de ataque americano, já que o Barcelona recuava bastante e via suas tentativas de partir em velocidade frustradas pela marcação adversária. Raros eram os momentos em que os Canários se aproximavam da área mineira. Ao menos, também não concediam muito ao Coelho, em minutos silenciosos, no máximo com uma batida de Everaldo por cima aos 21.

O Barcelona só voltaria a incomodar aos 24, em cruzamento perigoso na área. Já a entrada de Matheusinho deu novo gás ao ataque do América, mesmo que não surgissem chances tão claras. À medida que os minutos passavam, todavia, o duelo ficava arrastado. Os times não apresentavam muitos recursos e o desgaste se evidenciava. O Coelho tinha dificuldades para converter seu domínio territorial em finalizações. E, como na ida contra o Guaraní, o preço quase foi pago no final. Aos 43, a arbitragem marcou um pênalti de Jaílson sobre Michael Carcelén. A sorte dos mineiros é que Carlos Garcés errou a mira na cobrança e mandou para fora.

Os acréscimos, enfim, tiveram sua dose de emoção. O Barcelona ensaiou uma pressão, mas o América também ganharia uma chance de ouro no fim, com uma falta marcada na lateral da grande área. Seria a deixa para o Coelho mandar a bola para o meio do pagode. Na confusão depois do cruzamento, Felipe Azevedo apareceu livre para fuzilar. O goleiro Burrai acabou fazendo uma defesa espetacular e salvou a pele também do Barcelona, aliviado no último instante.

O empate em casa não é o melhor resultado para o América Mineiro, até pela maneira como o time teve o domínio do jogo. Porém, o Barcelona criou as melhores chances e desperdiçou uma oportunidade imensa para sair com o triunfo. O duelo permanece aberto antes do reencontro em Guayaquil. Quem sabe, para que o Coelho complete uma trajetória épica escrita desde a fase anterior.”

https://trivela.com.br/america-do-sul/libertadores/apesar-do-final-dramatico-america-mineiro-e-barcelona-de-guayaquil-nao-sairam-do-zero-no-independencia/


Adversário do América esta noite é da prateleira de cima do Equador e já foi vice-campeão da Libertadores duas vezes

Fotos: @America

Em 1990 perdeu a final para o Olímpia, do Paraguai e em 1998, para o Vasco. Esteve em sete semifinais, inclusive ano passado, quando foi eliminado pelo Flamengo. Disputa a sua 24ª edição.

Uma boa vitória daqui a pouco (21h30) no Independência será fundamental para um jogo com melhores perspectivas na semana que vem em Guayaquil. Lá, ao contrário de Assunção, será com casa cheia, beirando umas 60 mil pessoas gritando a favor do Barcelona. Trio argentino no apito: Darío Herrera, auxiliado por Juan Belatti e Diego Bonfá.

Tudo indica que o técnico Marquinhos Santos deverá manter Everaldo e Pedrinho no ataque, nos lugares de Matheusinho e Felipe Azevedo, que foram titulares contra o Guaraní, do Paraguai. O Barcelona é dirigido pelo argentino Jorge Célico, que ficou no lugar do compatriota Fabián Bustos, contratado recentemente pelo Santos.

O provável América que começa jogando: Jailson, Patric, Maidana, Éder e Marlon; Juninho, Lucas Kal e Alê; Everaldo, Wellington Paulista e Pedrinho.

O americano Márcio Amorim, tradicional apoiador e presença no blog, tentou nos enviar comentário sobre a classificação contra o Guarani, mas não chegou até nós. Pedi que reenviasse, mas ele deixou para depois dessa nova batalha do Coelho pela Libertadores:

* “Bom dia, meu amigo! Infelizmente, não copio textos e a inspiração do momento motivada pela espetacular classificação na Libertadores se perdeu com ele. Não dá para fazer igual. Fico aguardando o resultado do jogo contra o Barcelona, pedindo a Deus que a inspiração volte com um resultado “inspirador”.

Primeiro, gostaria de dizer que o América fez bem em colocar time alternativo contra o Vila, embora eu tivesse sido contra desde o início. Quero que meu time ganhe tudo que disputar. Acho que diminui a importância do Campeonato Mineiro que já tem a imagem tão desgastada. Uma vitória, hoje, garante um mínimo, se não me engano, de seis jogos de altíssimo nível e valores infinitamente superiores ao da participação no Mineiro.

Com um pouco mais de tirocínio, o América deveria sair pela porta da frente, para não receber punição, perdendo ou empatando em Uberlândia. Grande abraço!”

* Márcio Amorim

No Dia Internacional da Mulher, o América usa as suas redes sociais para mostrar  força e inserção pra valer no futebol feminino


Com tantos comentários sobre a arbitragem, pouco se falou sobre a bola rolando no gramado do Mineirão e a qualidade do espetáculo, inclusive do comportamento dos dois times

Dois jogadores que se destacaram no clássico: Hulk e Rafael Cabral, em foto do twitter.com/Mineirao

Então, para finalizar o clássico de domingo, sugiro o comentário do professor e escritor Ronaldo Guimarães (irmão do ex-treinador, atual comentarista em Santa Catarina, Rui Guimarães), a quem agradeço:

“Todo mundo falando que o Cruzeiro fez uma partidaça e tal.  Porra, os caras atacaram 2 vezes – uma naquela entregada do Godin que o Vitor Roque chutou de fora da área e o gol. Só! E nós? Senão, vejamos:
1- chute do Jair na entrada da área que passou tirando tinta;
2- chute do Savarino na entrada da área que passou perto;
3- Hulk driblando o goleiro e chutando pra fora com o gol vazio;
4- Hulk cortando pro meio e Rafael fez milagre;
Não vou contar da bicicleta que foi fácil pro goleiro;
5- Hulk de falta e o goleiro fez uma bela defesa no ângulo;
6- Passe de Vargas e Hulk, na pequena área,  meteu na trave;
7- Jair cortando pro meio, dentro da área e o goleiro pegando firme;
8- Bela enfiada do Hulk para Ademir que cortou pro meio e o Rafael fez outra defezaça.

Esqueci alguma? Oito chances contra uma. Passeio de bola. E se essas bolas entram? Como que ficariam os comentaristas?
Ok, vamos tirar o pênalti (que foi) e dar de lambuja.
Placar final 9 a 2.”

Professor Ronaldo Guimarães com o filho Eduardo, professor de Educação Física e Gestor de Projetos


Não houve, não há e nem haverá consenso em torno da arbitragem de Atlético 2 x 1 Cruzeiro. Para muitos especialistas, se houvesse VAR, o pênalti no Hulk seria confirmado

Se até agora, 24 horas depois, a imprensa do país não chegou a uma conclusão, imagine naquele segundo em que o árbitro tinha que decidir, no calor do jogo.

É o assunto mais chato do futebol, pois todo mundo que opina se acha com razão. Nem imagens e reprises garantem nada. Quem se acha prejudicado hoje fala em complô e se esquece de quando foi beneficiado no passado, e vice-versa. Ontem, depois do jogo, o título que escrevi para o post sobre a partida foi: Virada na raça do Galo, mas se houvesse VAR, possivelmente o pênalti no Hulk teria sido anulado. Mas, “se” não existe no futebol!

Hoje, vi gravação da resenha de ontem no Sportv, em que o André Rizek e o ex-meia Roger, que inclusive foi jogador do Cruzeiro, divergiam do Paulo Vinícius Coelho (PVC), que também entendi que não houve pênalti. Então, twittei e repliquei no facebook:

@chicomaiablog

m.youtube.com/watch?v=eE8Ya1 Ih! Novas imagens mostram que se houvesse VAR, o pênalti teria sido confirmado. “Bobo”, mas foi…

https://www.facebook.com/blogdochicomaia/videos/5006286089407378

Parece que foi mesmo, mas, a discussão continua e vai continuar. O técnico do Cruzeiro, Pezzolano, disse que nunca viu isso no futebol. Deve ser porque ele é jovem de idade, e de Brasil, além de assistir pouco sobre o passado do futebol do nosso futebol

E nessa selvageria que estamos vivendo, também no futebol, o árbitro Igor Benevenuto denuncia o que é inaceitável: foi ameaçado por bandidos:

Foto: Pedro Souza – @Atlético

“Árbitro de Atlético-MG x Cruzeiro relata ameaças de morte após pênalti polêmico: ‘Sabem onde moro’

Igor Benevenuto afirma que “uma tragédia está próxima de acontecer” e que não ainda não conseguiu voltar para casa

“Uma tragédia está próxima de acontecer”, afirmou o árbitro, em entrevista ao Seleção SporTV. Igor Benevenuto expôs que, mesmo antes do jogo, já havia sofrido ameaças e relatou que sua família também sofreu ataques ao final da partida. “Horas antes do clássico, eu recebi várias mensagens de ameaças. Falando que se eu marcasse pênalti contra determinada equipe, que eu ia ver com essas pessoas, que sabem onde eu moro. E após o jogo, meu Instagram e WhatsApp viraram uma tristeza. Só mensagens abusivas, falando que vão me pegar, que vão me matar”, revelou.

https://www.terra.com.br/esportes/futebol/arbitro-de-atletico-mg-x-cruzeiro-relata-ameacas-de-morte-apos-penalti-polemico-sabem-onde-moro,f0339daf277f82e79861640a1c7f84f2rhlijphl.html


Virada na raça do Galo, mas se houvesse VAR, possivelmente o pênalti no Hulk teria sido anulado. Mas, “se” não existe no futebol!

Fotos: twitter.com/Mineirao

Como era de se esperar, selvageria horas antes de a bola rolar, entre gangues, no bairro Boa Vista, dessa vez com um morto. Certamente uma briga combinada entre eles, antes, que escapou do rastreamento digital que a Polícia Militar sempre faz. Até nisso estes marginais conseguem evoluir e driblar a repressão preventiva.

O primeiro tempo foi de razoável para fraco, fruto do nervosismo dos dois times. O Cruzeiro entrou precavido, mas também atacando. O técnico Pezzolano sabe da diferença dos valores individuais de cada time e armou corretamente o time dele. O Atlético errou passes demais.

No segundo tempo o jogo foi digno de um Atlético x Cruzeiro. Correria, acertos e erros de ambos os lados e lances geniais. Aos dois minutos, Godin vacilou feio numa saída de bola e entregou para o Vitor Roque, na entrada da área, que quase abriu o placar. Aos nove, cena pavorosa, do choque de cabeça entre o goleiro Everson e o atacante Edu. O atacante cruzeirense foi levado de ambulância para o hospital. Que se recupere o mais rápido possível.

Uma ala da torcida atleticana pediu Ademir, outra pediu Vargas. O técnico Mohamed atendeu às duas, aos 19 minutos, tirando Keno, que não fazia um bom jogo, e Savarino, que estava mal demais.

Mas, aos 24, a genialidade funcionou. Pezzolano valorizou o Vitor Roque, deu moral a ele, que começou como titular, e foi recompensado. O moço de 17 anos se antecipou à zaga e ao goleiro do Galo e abriu o marcador. Parece ser “feijão sem bicho”.

Joga muito.

Depois de alguns minutos atordoado, o Atlético se reorganizou e partiu pra cima. Ademir e Vargas, justificaram, de novo, a crença da torcida neles. Hulk passou a se mexer mais em campo; Nacho idem. Aos 27, Hulk cabeceou na trave. Aos 38, caiu na área e o árbitro Igor Benevenuto deu pênalti. Se houvesse VAR, possivelmente teria sido anulado. O próprio atacante bateu e empatou.

Aos 51, Arana, que hoje fez uma de suas piores partidas com a camisa do Galo, teve um lampejo de Guilherme Arana e cruzou com perfeição, no lugar certo, no pé do Ademir, que bem posicionado, virou o jogo.

Valeu o ingresso dos 53.328 que se deslocaram até o Mineirão, proporcionando renda de R$ 2.479.840,13.

Pezzolano está se mostrando muito bom treinador. Time do Cruzeiro bem organizado.


Domingo, Atlético x Cruzeiro, cheio de grandes perspectivas para um ótimo jogo

Foto: www.esportes.r7.com – Domingo, às 18 horas no Mineirão

Começando pelos treinadores, estrangeiros de estilos diferentes, porém de trajetórias semelhantes. O argentino Antônio Mohamed, 51 anos, ex-atacante, com passagens por grandes clubes da Argentina e México. Depois, treinador, com bons trabalhos, também nestes dois países. O uruguaio Paulo Pezzolano, 38 anos, foi meia esquerda, de clubes do Uruguai, Peñarol, inclusive, além do Athletico-PR. Na recém iniciada carreira de técnico, trabalhou no país dele e também no México, no Pachuca.

Ambos estão com meio campo e ataque bem arrumados, mas ainda acertam graves problemas na defesa, especialmente no miolo da zaga. Com a ressalva de que o elenco do Atlético é composto por grandes jogadores, e joga junto há quase dois anos, testado e aprovado no Mineiro, Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores do ano passado, esta inclusive, da qual saiu invicto, na semifinal por pênaltis contra o Palmeiras.

O Cruzeiro está recomeçando a sua vida, dentro e fora de campo, apostando em jogadores de grande potencial, misturando muitos jovens e alguns rodados, cuja determinação é a principal característica. Será muito bom se o Pezzolano der uma oportunidade real ao atacante Vitor Roque (foto, @Cruzeiro), que completou 17 anos, segunda-feira.

Tem-se falado maravilhas sobre a bola dele. O Alberto Rodrigues, por exemplo, o comparou na última transmissão da Itatiaia, ao próprio Ronaldo “Fenômeno”.

No Galo a minha maior curiosidade é zagueiro Godin (foto, @Atlético), que fez uma boa estreia contra o Patrocinense, marcou gol, mas que falhou muito contra o primeiro adversário de verdade, o Flamengo, na final da Supercopa. Vejamos neste clássico, como será.

Considero essa história de “favorito” a maior bobagem que existe no futebol, principalmente em clássicos desse porte. Claro que em toda partida há um time teoricamente superior ao outro, mas isso não significa nada quando a bola rola. Ano passado, assim como agora, o Atlético era favorito e perdeu de 1 a 0, gol do Airton. Vence quem joga ou se empenha mais e que erra menos.


Página 22 de 1.268« Primeira...10...2021222324...304050...Última »