Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Depois da derrota para a Chapecoense, Cruzeiro de olho na TV assistindo as denúncias do Fantástico

Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro.

De único time invicto do ano e defesa menos vazada, à “peneira” do início do Brasileiro. Inacreditável o Cruzeiro nessas primeiras rodadas do campeonato.

Quatro derrotas, duas vitórias, 13 gols sofridos e apenas sete marcados. Alardeada invencibilidade em 2019 como “único time do país que não perdeu na temporada”, até começar o Brasileiro, quando a realidade bateu à porta. O time não era aquele “melhor do país” decantado pela imprensa nacional, que não consegue o nível do campeonato mineiro, e que nem avaliou corretamente a primeira fase da Libertadores da América. Foi só começar a enfrentar adversários de maior peso que a casa caiu. Essa derrota em casa para a Chapecoense acendeu a luz vermelha, coincidentemente na mesma noite em que a Globo põe no ar a realidade administrativa/financeira do clube no ar.

O Fantástico fez chamadas durante o dia e assustou à diretoria que soltou uma nota oficial à tarde, tentando minimizar os danos:

““Nação Azul,

Me dirijo a vocês para me manifestar em nome do Cruzeiro Esporte Clube, de forma antecipada e imediata, a respeito de uma matéria realizada pelo Grupo Globo, que será exibida na noite deste domingo, 26 de maio de 2019, no programa Fantástico, conforme chamada realizada pela emissora durante a exibição da partida Flamengo x Athletico.

Primeiramente, lamento que a última eleição presidencial ainda não tenha acabado para alguns indivíduos. Adversários derrotados no pleito têm insistido, nos bastidores, em tentar tumultuar o ambiente do Cruzeiro, com o auxílio de um pequeno grupo, plantando notícias junto a alguns profissionais da mídia nacional, que infelizmente têm acreditado em tais conteúdos.

Nossa gestão assumiu o Clube de forma oficial no início do ano de 2018 com a maior e mais absurda e delicada dívida de sua história. No entanto, a nossa diretoria não tem medido esforços e já vem exercendo uma política de contenção de gastos, e tem trabalhado em um grande projeto de planejamento para tentar equacionar as dívidas do Cruzeiro.

Todas as perguntas enviadas pela reportagem do Grupo Globo, nesta semana, foram prontamente respondidas aos jornalistas, dentro do prazo pedido pelos mesmos, atendendo ao deadline da matéria.

Atualmente, o Cruzeiro possui 14 conselheiros que formam uma oposição. Nós apuramos que um deles teve acesso a documentos sigilosos e os divulgou de maneira proibida para o público externo, mesmo em se tratando de registros de cunho interno, de uma entidade privada.

O intuito deste comunicado não é, em momento algum, o de atrapalhar a veiculação da reportagem prometida pela emissora para a noite deste domingo. Mas, sim, o de tranquilizar a Nação Azul, aos verdadeiros cruzeirenses, reforçando nosso compromisso de tratar as coisas do Clube com a maior transparência e responsabilidade possível, dentro e fora das quatro linhas, pois, reforço, assumimos a instituição sabendo da constrangedora situação financeira do Clube.

Reitero minha lamentação em relação ao comportamento ressentido destes alguns indivíduos que se dizem cruzeirenses, mas que, na verdade, pensam apenas em seus benefícios próprios, colocando os aspectos político e pessoal acima de qualquer sentimento em relação ao Clube.

A atual diretoria quer apenas fazer o nosso trabalho em paz e recolocar o Cruzeiro nos trilhos, consertando diversos erros, alguns que ultrapassam os limites da absurdez, cometidos pela gestão passada.

Em nome da transparência e da lisura que o Cruzeiro merece ser tratado e nossa torcida merece ser informada, decidimos nos manifestar de forma imediata.

Atenciosamente,

Wagner Pires de Sá”


Atlético abriu mão de atacar e fórmula do técnico Rodrigo Santana falhou

Victor voltou a fazer defesas espetaculares e salvou o Galo de uma goleada em Porto Alegre. O Grêmio, que faz campanha muito ruim no Brasileiro foi respeitado demais pelo técnico atleticano na estratégia adotada nesta partida. Foi defensivo demais e pagou por isso. Rodrigo Santana apostou na fórmula preferida do Mano Menezes, de apostar em uma bola que entra na “casinha” adversária e depois segurar a onda. Mas o ataque alvinegro foi pífio e ficou em branco.


Com “reforços” comprometedores e técnico “rolando lero” não será fácil a vida do América nessa Série B

Em foto do Mourão Panda (América) o volante Luiz Fernando (esquerda) e o goleiro Thiago, vindo do Flamengo e que falhou feio no gol da vitória do Brasil de Pelotas

O América perdeu mais uma, a terceira em quatro jogos, e conseguiu pegar a lanterna da Série B. O treinador Barbieri, que na derrota em casa para o Sport Recife, culpou os erros individuais do time, dessa vez disse que viu “evolução” no futebol apresentado por seus comandados e reclamou do “excesso de virilidade” dos jogadores do Brasil de Pelotas. Excesso de virilidade!!!

Desse jeito, não vai ser fácil ficar em posição intermediária da tabela de classificação ao fim da disputa.


América mostra a nova tendência de Minas: de revelador de talentos a importador e apostas em refugos

Estamos retornando aos tempos das “baciadas” e “barcas”. Depois de buscar alguns mais novos do Rio e São Paulo o América traz Michel Bastos. Virou assunto nos principais veículos da mídia nacional, mas o resultado dentro de campo, absolutamente incerto. Normalmente essas contratações às pencas, em cima da hora ou no meio de qualquer disputa não dão certo, mas, o Coelho quer pagar (de novo) para ver.
Na verdade, o futebol mineiro está se inserindo nessa novamente. Um diálogo entre um atleticano e um cruzeirense aqui nos comentários do blog, mostra essa preocupação, nos dois lados da lagoa, também.
Na sequência, veja o destaque do “Estadão” para a contratação do América, e depois veja o papo entre o Paulo F . (Galo)  e Claytinho do Nova Vista (Cruzeiro):

* “América-MG contrata Michel Bastos para sequência da temporada”
Jogador de 35 anos estava sem clube desde a rescisão de contrato com o Palmeiras

Michel Bastos está sem clube desde que não teve o contrato renovado com o Palmeiras em dezembro do ano passado. No segundo semestre, ele foi emprestado ao Sport e fez parte do elenco rebaixado para a Série B. Foram 23 jogos e quatro gols.

Por conta do tempo parado, Michel Bastos deve demorar um pouco para estrear pelo América-MG, que entra em campo na segunda-feira, contra o Coritiba, às 20 horas, no Independência, pela quinta rodada da Série B…”
Paulo F.:

“Os elencos de Atlético e Cruzeiro tem uma coisa em comum: ambos possuem vários jogadores com história no clube, tem mais idade, e que possuem grande respaldo com torcida e diretoria, o que os tornam intocáveis. O problema é que esse perfil de jogador se acomoda mais facilmente e tende a querer influenciar no time e no clube, criando-se as “panelas”. Qualquer time vencedor que se preze roda o elenco! Cruzeiro e Atlético pararam de rodar o elenco. TItularidade tem que ser merecida, pela análise dos desempenhos e capacidade de decisão. Um jovem vai correr mais que um experiente, até porque ainda está buscando seu espaço. Sem falar no retorno financeiro que uma prata da casa traz.
Não consigo entender porque não dar mais chances para atletas da base! Faz muito sentido! Em 3 jogos de titular da pra ver se presta. Olha esse João Pedro do Fluminense, por exemplo…”

Paulo F.

***

Claytinho do Nova Vista – BH:

Caro Paulo F,

Vc disse tudo!
MG tá voltando a ser aquele reduto de medalhão, que já rodou pelo mundo e pelo eixo Rio-Sampa e depois vem pra cá ficar só no embromation…
No Cruzeiro tem aquele tal de Popó, que tem um histórico incrível de gols nas categorias de base, mas que praticamente nem foi testado direito no time principal.
E no caso do seu Atlético Mineiro, aquele Alejandro pelo pouco que jogou, já demonstrou ter alguma estrela.
Ou seja, só aí temos exemplos de dois jovens jogadores, que têm potencial, mas são preteridos. Já que preferem continuar apostando em ex-jogadores em atividade, como o Fred e o Ricardo Oliveira.

Abraços,

Claytinho do Nova Vista – BH


Itair Machado chama a imprensa para tentar debelar o incêndio que se instalou na Toca

Em foto do Vinnicius Silva (assessoria do Cruzeiro) , o Capitão Henrique e Itair Machado na coletiva na Toca da Raposa

O poderoso do futebol do Cruzeiro deu entrevista coletiva ontem para tentar acalmar os ânimos e fazer esclarecimentos neste momento de muitos gols sofridos, poucos gols marcados e posição ruim na tabela do campeonato. O futebol sempre foi e continuará sendo assim: enquanto o time está ganhando nenhum problema incomoda nem aparece. Mas as vitórias desaparecem e derrotas se acumulam o bicho pega.

A queda de rendimento em campo é a soma de vários fatores: adversários mais fortes no Brasileiro e as limitações do elenco são evidentes. Porém, o principal fator é a quebra do bom ambiente no grupo. O tal “racha” é uma verdade, que evidentemente diretoria e comissão técnica não assumem porque estão tentando resolver. E isso tem que ser internamente. Quando as chamadas “panelinhas” (quase normais em todo time), entram em choque é difícil administrar as consequências que se mostram dentro de campo. Futebol é coletivo e quando as peças não se ajudam, não tem jeito. Atraso de pagamentos influencia sim, mas nem sempre é o principal motivador de crises. Quando as principais estrelas se desentendem, todo o grupo é afetado.

Mais uma vez a atuação do Mano Menezes será fundamental para recolocar as coisas nos devidos lugares. Terá de usar toda a experiência de vida e gastar saliva para juntar as lideranças do grupo e fazê-las se entenderem novamente. No mínimo, se suportarem, para o bem de todos e principalmente do time.


Galo perdeu no Chile, mas “em condições normais de temperatura e pressão” deve dar Galo no Independência

Sem os seus melhores jogadores o Atlético perdeu o jogo de ida para o La Calera, mas o técnico Rodrigo Santana e o time estão otimistas em relação jogo de volta, pela Copa Sul-Americana. Vi manifestações, aqui mesmo no blog, de atleticanos contrários à estratégia de poupar titulares nesta partida. Entendo que foi um risco calculado.

Detalhes do 1 a 0 para os chilenos no site do Galo: (mais…)


América traz mais um carioca; o desabafo e as cobranças de um americano indignado

Antes que algum cabeça cozida diga que tenho alguma coisa contra os cariocas, aviso que defendo é a tradição de formador de jogadores do América, cuja única saída seria essa. Depois de Thiago, goleiro do Flamengo, o América anuncia a chegada de Luiz Fernando, volante, 24 anos, do Fluminense (foto AFC).

Aí fica a velha pergunta: e a base? Cadê a base do Coelho que ficou famosa no país e chegou a ser a maior reveladora de grandes jogadores do Brasil nos anos 1980/90? Euler, Gilberto Silva, Palhinha, Fred, Ronaldo Luiz, etecetera e tal.

Obrigado ao Márcio Amorim que constantemente nos brinda com ótimas análises sobre o América, como essa:

“Impressionante a força que recebemos deste amigo atleticano, Marcão de Varginha. Penso que o seu otimismo é que tem feito muita falta a muitos americanos, inclusive eu. A pequena torcida do América tem o péssimo hábito de reclamar de tudo. Tudo serve de esculpa para não comparecer aos estádios.

Reclama do dia, reclama do horário, este, muitas vezes, realmente pornográfico. Entretanto, quando joga em um domingo à tarde, como este, às 16 horas, temperatura amena, em Belo Horizonte, em estádio próprio, sem outra partida concorrente na TV, surgem as mesmas desculpas. E só aparecem os mesmos de sempre. Valeu Marcão!

Falar do time do América é ser repetitivo. O time é muito, muito, muito fraco. Um time que fez uma campanha pouco acima de medíocre no medíocre campeonato mineiro não pode ser considerado suficiente para enfrentar uma Série B, com anseios de acesso. A fictícia zaga americana, no Mineiro, levou seis gols do Cruzeiro, sendo TODOS, dentro da pequena área. TODOS.

Se eu fosse listar aqui os melhores que temos com condições de lutar pelo acesso, eu pararia em uns três ou quatro, se tanto: Matheusinhos, machucado e em fase péssima; Toscano, um bom de bola acima do peso; o sacrificado Zé Ricardo, atualmente, cometendo seguidos erros, afetado pela ruindade dos demais.

Qualquer treinador que aparecer no América e tentar fazer um meio campo, escalando o Juninho, fracassará. Nenhum conseguiu e caiu. (mais…)


André Rizek, Renata Fan, Gustavo Villani, Lívia Laranjeira, Rogério Corrêa, Léo Figueiredo, Alexandre Simões e outras feras do jornalismo, juntos, 7 e 8 de junho em Belo Horizonte

Vai ser na segunda edição do Minas Call-Up, em que especialistas em jornalismo apresentarão casos de sucesso, curiosidades da carreira, dificuldades e prazeres da profissão.

O atual situação do mercado da comunicação, especialmente voltado ao esporte, diante da crise econômica brasileira, será amplamente discutido, com dicas de perspectivas e como se estabelecer nessa profissão. O jornalismo voltado ao esporte, futebol sobretudo, atrai a curiosidade das pessoas e é um dos principais alvos dos alunos de comunicação social. A dificuldade de introdução no mercado tem deixado os estudantes bastante ansiosos.

Obrigado ao companheiro Rodrigo Fuscaldi, um dos idealizadores dessa iniciativa e que nos enviou mais informações dessa realização da Sport Box Conteúdo Esportivo.

Nos dias 7 e 8 de junho, das 8 às 18 horas, no Teatro do Centro Cultural Minas Tênis Clube, em Belo Horizonte. (mais…)


No recomeço do Vanderlei Luxemburgo, Vasco ficou no “quase” em São Januário

Foto: Globoesporte.com

Foi bom ver o recomeço do Vanderlei Luxemburgo depois de mais de um ano afastado da prateleira de cima do nosso futebol. Jogo duro contra o Avaí em São Januário, 1 a 0, aos 36 do segundo tempo, e três pontos garantidos até que aos 49 o time catarinense empata.

Eu já estava com o título deste post pronto para mandar: “Placar magro, time gordo, mas bom começo do Vanderlei Luxemburgo em São Januário”.

Mas, 1 a 1 ficou de bom tamanho pelo equilíbrio na ruindade da partida.

Não será fácil a missão dele, mas é o momento certo para mostrar que continua sendo um dos treinadores de ponta do Brasil. Como diria o professor Paulo Bento, lá em Porto Firme (na Grande Viçosa), o Vasco é um “catadão”, elenco de renegados e catados em várias partes do país e do mundo, com direito a alguns bem acima do peso, para não chamá-los de gordos. O argentino Maxi Lopes, como principal exemplo. Mas, “é o melhor que está tendo”, e sucesso ao Luxa no “Vasxcão”.

A torcida o queria. Enquete realizada antes da contratação dele o apontava como preferido or 53% dos vascaínos; seguido pelo Dorival Junior 19%; Levir Culpi 18% e Thiago Larghi com 10%.

Mas, dureza mesmo foi o Grêmio perdendo mais uma, 2 a 1 pro Ceará, em Fortaleza, se mantendo na zona da degola: “Grêmio perde do Ceará e é o vice-lanterna do Brasileirão


Nas análises dos balanços, Cruzeiro tem a pior gestão financeira entre os 24 clubes da Série A; Flamengo a melhor

Botafogo e Internacional fazem companhia à Raposa neste perigoso ranking. Flamengo, Palmeiras e Grêmio são os que têm melhores gestões. Análise foi apresentada pelo economista e professor da Fundação Getúlio Vargas, Samy Dana, no programa Seleção, do Sportv.  Ele e outros especialistas avaliaram os últimos dez balanços de cada clube.

Confira no link:

http://sportv.globo.com/selecao-sportv/videos/v/estudo-de-campo-samy-dana-traz-a-parte-ii-dos-balancos-do-clubes-brasileiros-em-2018/7617890/

O Superesportes repercutiu a informação:

* “Economista aponta Cruzeiro como pior gestor financeiro do futebol brasileiro”

Para Samy Dana, clube adota ‘doping financeiro’ ao contabilizar a venda de Arrascaeta no balanço 2018.

Crescimento das despesas com a montagem de elenco, problemas de geração de receita e aumento da dívida de curto prazo. Esses são alguns dos argumentos apontados pelo economista e professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Samy Dana, para indicar o Cruzeiro como a pior gestão financeira do futebol brasileiro. “O endividamento do Cruzeiro sobe muito. Ele opera no negativo vários e vários meses. Ele foi o clube que aumentou, percentualmente, mais a dívida de curto de prazo, aquela dívida cara, de má qualidade. Também tem problema de geração de caixa, ou seja, ele não consegue se pagar”, detalhou o economista ao canal SporTV.

A análise considera os últimos dez balanços dos 24 primeiros clubes do ranking da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O estudo foi apresentado por Dana na edição do programa Seleção Sportv, exibido nesta quarta-feira.

Samy Dana também criticou o balanço de 2018 do clube celeste, considerado por ele um ‘doping financeiro’. “Ele já contabilizou o resultado da venda do Arrascaeta em 2018 (13 milhões de euros ou R$ 55,2 milhões na cotação da época da transação), o que não deveria. Deveria ser em 2019. Ganhou a Copa do Brasil, competição que rende R$ 60 milhões. Mesmo assim, ele não sai do negativo”, observou.

Oficialmente, a administração do Cruzeiro defende que a inclusão da venda do uruguaio na atividade financeira de 2018 aconteceu porque a Link Assessoria, que gerenciou as negociações com o Flamengo, apresentou a proposta ao clube em dezembro do ano passado.

O último balanço financeiro do Cruzeiro apresentou déficit de R$ 27.236.795,00. Enquanto a receita líquida foi de R$ 373.508.994, os custos diretos e as despesas operacionais chegaram a R$ 400.745.788.

A dívida total do clube era de R$ 557.477.179 em 2017 e fechou 2018 em R$ 575.625.942.

Já são sete exercícios seguidos de déficit. O último ano com fechamento das contas no azul foi 2011, com lucro de R$ 13,1 milhões. Na sequência, o Cruzeiro acumulou números negativos em 2012 (R$ 30,9 milhões), 2013 (R$ 22,8 milhões), 2014 (R$ 38,6 milhões), 2015 (R$ 25.7 milhões), 2016 (R$ 29,3 milhões) e 2017 (R$ 16,8 milhões).

Outros clubes

O levantamento de Samy Dana também apontou, além do Cruzeiro, o Botafogo e o Internacional entre as piores gestões financeiras do Brasil. (mais…)


Página 22 de 1.114« Primeira...10...2021222324...304050...Última »