Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Pontaria descalibrada quase complica a vida do Atlético em Juiz de Fora

Se tivesse sido derrotado o Atlético estaria em turbulência e as redes sociais xingando todo mundo, do roupeiro ao presidente. Mas empatou, e o resultado serve como um anestésico. Controla a dor, mas todos sabem que há um problema, ou vários, e que o rendimento tem de melhorar.

Até os 16 minutos parecia que o Atlético massacraria o Tupi. Três oportunidades claras desperdiçadas. Uma do Ricardo Oliveira, inacreditável. A bola cruzada pela direta pedia “pelamordedeus” que ele a empurrasse para abrir o placar.  Daí a pouco o Vitinho (o “Safadão”, foguete que não estourou no América) fez Tupi 1 a 0.

O alvinegro de Juiz de Fora foi todo para a defesa e nem arriscava contra ataques. Erik perdeu uma chance quase igual à que o Ricardo Oliveira errou no primeiro tempo. Roger Guedes chegou na cara do Vilar e errou também. Aí o técnico Thiago Larghi chamou o resto da “cavalaria”. Otero entrou no lugar do Thomas Andrade. Antes Cazares e Luan já tinham entrado nos lugares do Erik e Roger Guedes. O argentino sentiu o peso de começar como titular e não mostrou nada do que fez na estreia dele com a camisa do Galo.

O time de hoje: Victor, Patric, Maidana, Gabriel, Fábio Santos, Arouca, Elias, Thomas Andrade (Otero), Erik (Cazares), Roger Guedes (Luan) e Ricardo Oliveira

O Tupi continuou muito bem fechado e parecia que o placar ficaria no 1 a 0 pra ele. Até que aos 43 o Cazares chutou forte e contou com o famoso e há tempos sumido montinho artilheiro. A bola passou dentro dos braços do Vilar (que fez uma bela partida) e entrou. Empate que acabou sendo bom para ambos.

O primeiro a comentar este 1 a 1 aqui no blog foi o Gabriel Junior, antes mesmo deste post. Só discordo dele quanto ao Patrick, que, sem ter a quem marcar, fez uma boa partida hoje. Confira a opinião do Gabriel:

* “Vamos às considerações, já que, as vitórias ocultam muitos erros. O time do Galo erra muitos passes. Desafiam a lei da física tentando passar a bola pelo corpo do adversário. Deixam de tocar fácil e tentam o mais difícil. Continuam as bolas altas do meio do campo para a área adversária. Patric precisa treinar fundamentos e levantar a cabeça quando chega a linha de fundo. Ricardo Oliveira precisa ser menos fominha, deixou de tocar para o companheiro livre no início do jogo e parar de querer fazer gols de toquinhos. Achei que o Larghi demorou a mexer e não tiraria dois atacantes pra por dois meias, tiraria o Erik que está perdido em campo, principalmente quando joga pelo meio, Luan na direita e Guedes na esquerda e Cazares como meia ofensivo no lugar do Tomás que não atuou bem. Adilson fez muita falta, Arouca é lento, chega atrasado e faz muitas faltas. Ainda é cedo, mas achei o Maidana um pouco disperso, talvez pela desproteção à zaga pelo Arouca. Achei que os dois gols perdidos no início do jogo complicou a partida.”

* Gabriel Junior


Com show de Mancuello, Cruzeiro bate fácil o Boa e fica a 8 pontos do vice-lider

Que diferença do Mancuello do Flamengo para este do Cruzeiro. Desarma, dá assistências e faz gol. Enquete do twitter do clube perguntando quem foi o melhor em campo deu 100% pro argentino, que fez o segundo gol e deu passe para o Rafael Sóbis marcar o primeiro. Sóbis também fechou o placar. O time foi quase todo reserva com a boa performance do Dedé que jogou os 90 minutos: Rafael; Lucas Romero, Dedé, Digão e Marcelo Hermes; Lucas Silva, Bruno Silva (Henrique), Mancuello e Thiago Neves (Arrascaeta); Rafael Sóbis e Raniel (Rafael Marques).

Público pagante: 15.946, renda de R$ 188.929,00.

CLASSIFICAÇÃO PG J V E D GP GC SG %
Cruzeiro 22 8 7 1 0 15 1 14 92
América-MG 14 8 4 2 2 9 6 3 58
Tombense-MG 12 8 3 3 2 7 5 2 50
Patrocinense 12 8 3 3 2 11 10 1 50
Atlético-MG 11 7 3 2 2 10 5 5 52
Boa Esporte Clube 11 8 3 2 3 3 5 -2 46
Tupi 9 7 3 0 4 10 13 -3 43
Villa Nova-MG 9 8 3 0 5 7 10 -3 38
URT 8 7 2 2 3 8 9 -1 38
10° Caldense-MG 8 7 2 2 3 5 7 -2 38
11° Uberlândia 6 7 2 0 5 7 13 -6 29
12° Democrata-GV 4 7 1 1 5 5 13 -8 19

A difícil decisão da diretoria do Atlético: efetivar Thiago Larghi ou buscar um veterano?

Neste caso, quando se escreve “diretoria”, leia-se Sérgio Sette Câmara, pois a decisão final é dele, porque em caso de insucesso o porrete da torcida e imprensa desce é no lombo dele, o comandante maior. Com a devida recíproca: se der certo, o presidente será exaltado e se candidata a entrar para a galeria dos grandes dirigentes da história secular do clube.

A imprensa vive de modismos. Por causa do sucesso do Fábio Carille em 2017, o “pangaré que virou alazão”. Está na moda midiática falar em apostas como essa, com citações ao treinador do Corinthians, ao ainda emergente Jair Ventura Filho, que fez bom trabalho no Botafogo e outros menos famosos. Sou nascido nos anos 1960 e tenho na memória três exemplos de apostas do Atlético desse tipo. Duas de sucesso e uma de fracasso: sem dinheiro para nada, em 1974 o comandante dos juniores, Barbatana, foi efetivado no time profissional. Apostou na meninada que ele já conhecia e a diretoria buscou alguns “bons e baratos” no interior de Minas e São Paulo. Daí surgiu um dos melhores times do futebol brasileiro, comparado à seleção de 1982, que jogava o futebol mais bonito e moderno, mas não foi campeão. Perdeu nos pênaltis a final para o São Paulo, no Mineirão, invicto, 11 pontos à frente na primeira fase do Brasileiro.

Vinte anos depois, depois do fracasso da “Selegalo”, o jeito foi apostar em um até então desconhecido Levir Culpi. O paranaense de personalidade que pegou o time na “repescagem” do campeonato (uma fórmula que dava oportunidade aos eliminados na primeira fase de ainda chegarem à decisão do Brasileiro), e o levou à semifinal contra o Corinthians. Eliminado no Morumbi, gol de falta do lateral Branco, num frango do goleiro Humberto.

Dois anos antes disso, uma aposta fracassada: Arthur Bernardes, carioca que veio para comandar o júnior, indicado por Jair Pereira que dirigia o time principal e foi para o futebol árabe pouco tempo depois. Efetivado no lugar do Jair, Bernardes não estava preparado para a missão e com ele o Galo entrou numa enorme crise.

Os companheiros jornalistas e radialistas mais rodados lembram do melhor exemplo de sucesso de todos: Telê Santana, que foi buscado nos juniores do Fluminense para se tornar campeão brasileiro com o Galo em 1971.

Para mim o Atlético está agindo certo com o Thiago Larghi, 37 anos de idade, estudioso, de personalidade, discreto e frio. Não se empolga com os elogios depois das vitórias convincentes do time porque sabe que as críticas e vaias vêm em proporção maior em caso de uma única derrota em consequência de erro numa escalação. Ciente que só vitórias ou perspectivas de melhoras garantem qualquer treinador no cargo de qualquer clube.

Nas entrevistas de ontem foi perguntado sobre as brincadeiras nas redes sociais em torno do seu nome e do técnico Pep Guardiola, “Larghiola”:

“Claro que vi. Cheguei a receber algumas. Acho bem gratificante o reconhecimento do trabalho, mas os dois pés estão bem ficados no chão e temos uma caminhada longa pela frente”, afirmou Larghi, que, apesar de aberto às brincadeiras, ainda se mantém sempre sério. “As pessoas que estão ao meu redor falam que sou um pouco sério. Talvez eu seja, tento levar tudo na seriedade”, disse ao jornal O Tempo.

Pode dar certo sim. Está sendo observado em todos os detalhes pela diretoria e pessoas do circulo do presidente Sette Câmara, a quem caberá bater o martelo. A sequência do Campeonato Mineiro e Copa do Brasil são fundamentais para isso, de olho no calendário, porque também há o risco de ter de buscar outro com o Brasileiro começando.


Jogo de hoje é contra o Boa, pelo Mineiro, mas Cruzeiro está de olho é no Racing e estreia na Libertadores

Twitter do @SuperesportesMG ontem depois do jogo do Racing: “Racing vence e mantém embalo antes da estreia na Libertadores contra o Cruzeiro”.

As twittadas da imprensa esportiva ontem à noite foram neste tom. Essa e a do repórter Samuel Venâncio,‏ mostram bem isso. O setorista que cobre a Raposa e grande parte dos cruzeirenses estavam atentos ao jogo do Racing, primeiro adversário na Libertadores, que jogava em Mendoza, pelo Campeonato Argentino: “@samuelvenancio:

“Minutos finais em Mendoza: Godoy Cruz 1×1 Racing. Centurión marcou pro Racing.

Racing fez o segundo agora no final da partida: 49 do segundo tempo – Cuadra. Vitória do Racing – quarta consecutiva!

Centurion levou o Relógio Seculus. Daqui a pouco deve ter “Su nombre su barrio” com  @thiagoreis”

Com time misto o Cruzeiro entra em campo às 16h30 contra o Boa pela 8a rodada do estadual, já classificado para a fase decisiva.


Com desfalques importantes América empata em jogo “morno”, sem gols, em Tombos

Torcida do Tombense na campanha mundial contra racismo e preconceito, estendeu faixas de repúdio no estádio

Até o twitter oficial do Coelhão ironizou a qualidade da partida: “Acabou aqui em Tombos: América 0x0 Tombense. Que a baladinha de sexta e o fim de semana da galera seja BEM MELHOR do que o jogo de hoje! De qualquer jeito, seguimos nas cabeças do Mineiro! #PraCimaDelesCoelho


Você vai? A partir do ano que vem Libertadores da América será decidida em jogo único, em sede neutra

se definirá en final única a partir de 2019 con mayores beneficios a los clubes y la competencia. ▶️

 

A Conmebol vai imitar a Uefa com a decisão ao estilo Champions League. Decisão ocorreu agora há pouco quando a maioria das confederações Sul-americanas votaram a favor da ideia. Na Europa dá certo porque além da locomoção entre os países ser fácil o mundo inteiro se interessa pela disputa. Na América do Sul é diferente, além da pobreza geral predominante. Uma experiência. Tomara que dê certo.

Em termos de grana a situação é esquisita. Veja o que informa o , do O Globo: “Conmebol vai pagar apenas 2 milhões de dólares de compensação por finalista da Libertadores a partir de 2019 para realizar a final em jogo único. Só a Copa do Brasil vale 50 milhões de reais pro campeão e 20 mi para o vice. Bola fora!”

O , jornalista do Estado de Minas fez uma pergunta interessante, que repasso às senhoras e senhores do blog. Gostaria da resposta e opinião de vocês: “Já perguntei aqui uma vez e repito: se tivesse uma final entre Atlético Nacional-COL e Colo-Colo no Mineirão, por exemplo, você iria? Quero ouvir opiniões a respeito.”


América e Tombense, dois times em bom momento, abrem a 8a rodada do Mineiro hoje

Vamos ver até que ponto a derrota para o Atlético teve alguma influência no bom futebol apresentado pelo Coelho até agora. O time é vice-lider, com dois pontos a mais que três que estão na cola: Atlético, Boa e o próprio Tombense, que é comandado pelo Ramon Menezes, que deve mandar a campo: Darley, David, Anderson, Wellington Carvalho e Bruninho, PH, Felipe Baiano e Caio César, Cássio Ortega, Flávio e Daniel Amorim.

Enderson Moreira, deve escalar o Coelho com: Glauco, Norberto, Messias, Rafael Lima e Giovanni, Zé Ricardo, Gerson Magrão e Juninho, Marquinhos, Aylon e Rafael Moura.

Não conta com João Ricardo, Lima e Matheusinho, machucados.

Apito para Ricardo Marques Ribeiro com Márcio Eustáquio Santiago e Marcus Vinícius Gomes nas bandeiras.

Amanhã tem Patrocinense x Villa Nova, 16 horas; Cruzeiro x Boa, 16h30.

No domingo, Caldense x URT às 16; Tupi x Atlético às 17 horas.

Na segunda-feira, 20h30 em Valadares tem Democrata x Uberlândia.

Classificação PG J V E D GP GC SG %
Cruzeiro 19 7 6 1 0 12 1 11 90
América-MG 13 7 4 1 2 9 6 3 62
Atlético-MG 11 7 3 2 2 10 5 5 52
Tombense-MG 11 7 3 2 2 7 5 2 52
Boa Esporte Clube 11 7 3 2 2 3 2 1 52
Villa Nova-MG 9 7 3 0 4 7 8 -1 43
Tupi 9 7 3 0 4 10 13 -3 43
Patrocinense 9 7 2 3 2 9 10 -1 43
URT 8 7 2 2 3 8 9 -1 38
10° Caldense-MG 8 7 2 2 3 5 7 -2 38
11° Uberlândia 6 7 2 0 5 7 13 -6 29
12° Democrata-GV 4 7 1 1 5 5 13 -8 19

Gol fora de casa não passa a valer ouro na próxima fase da Copa do Brasil. Atlético pega Figueirense dia 28

Em 2015 o Galo venceu o Figueirense no estádio Orlando Scarpelli por 1 a 0, gol de Dátolo, aos 45 do segundo tempo

A CBF definiu ontem as datas e horários dos próximos jogos . Dia 28 o Figueirense recebe o Galo, às 21h45. Jogo de volta será em 14 de março no Independência. No fim do ano passado ficou decidido que não haverá mais o gol “qualificado”, que valia como critério de desempate.

Os demais confrontos são:

Atlético Paranaense x Ceará Internacional x Cianorte

Fluminense x Avaí

Goiás x Coritiba

Ponte Preta x Sampaio Corrêa

São Paulo x CRB

Bragantino x Vitória

Ferroviário x Vila Nova

Náutico x Cuiabá


Band e ESPN fora da Copa. Com altos custos e mudanças de estratégias, só redes Globosat e Fox na Rússia 2018

Informações do Portal Mídia Esporte:

* “Band abre mão da Copa do Mundo alegando ‘mudança estratégica’”

Emissora do Morumbi afirma que concentrará todos os reforços em uma nova programação

Na tarde desta quarta-feira (22), a Rede Bandeirantes confirmou que abriu mão de transmitir a Copa do Mundo deste ano. A emissora, que vinha negociando com a Globo um pacote que incluía 32 dos 64 jogos da Copa, diz que desistiu da competição por “mudança estratégica”.
Em nota, a emissora do Morumbi afirma que concentrará todos os reforços em uma nova programação, que será lançada a partir do mês de abril. Com isso, a Band vai apresentar sua nova grade ao mercado publicitário na próxima terça-feira (27) já sem o Mundial.
Assim, a Copa de 2018 será exibida com total exclusividade pela Globo na TV aberta. SporTV e Fox Sports são os canais que irão transmitir os jogos do torneio na TV por assinatura. (mais…)


Finalmente um Atlético como há muito tempo não se via

Faço minhas as palavras do jornalista Mauricio Miranda que escreveu: “Não me lembro da última vez que vi o Atlético fazer jogadas bem trabalhadas como fez no jogo de hoje.”

O jogo começou difícil porque o Botafogo partiu pra cima , tentando aproveitar o fator casa. O Atlético atacava, mas com a devida precaução. Assim foi até os 27 minutos, quando o Roger Guedes abriu o placar, de cabeça, depois de uma jogada bem trabalhada pelo lado esquerdo do ataque atleticano. A partir daí começou um show de bola, com contra ataques certeiros, troca de passes em velocidade e aproveitamento da melhor categoria individual dos jogadores atleticanos. Um massacre, com destaque especial para o Otero, Ricardo Oliveira e Cazares, que resolveu aproveitar a oportunidade de entrar no lugar do Erick, aos 13 do segundo tempo. Jogou muito.

Destaque também para o técnico Thiago Larghi que mais uma vez escalou e mexeu bem no time, que não tomou gols pelo segundo jogo consecutivo e a defesa não bateu cabeça como vinha fazendo há tempos. Nessa toada vai acabar sendo efetivado pela diretoria como treinador definitivo.

Os gols foram aos 27 do primeiro tempo, com Róger Guedes, Cazares, aos 15, Ricardo Oliveira, 21 e Luan aos 36 do segundo tempo.

“Ricardo Oliveira aumenta para o Atlético. São 4 gols pelo Galo em 2018. Em 2017, só foi fazer o quarto gol do ano em 23 de maio”, lembrou o Frederico Ribeiro, do Hoje em Dia.

Próximo adversário pela Copa do Brasil será o Figueirense, que venceu o Oeste em Florianópolis, agora em jogos de ida e volta. Decisão será em Belo Horizonte.


Página 28 de 1.053« Primeira...1020...2627282930...405060...Última »