Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Se não for vítima de outro complô, Abel poderá fazer um bom trabalho no Cruzeiro

Abel é muito bom treinador, uma boa pessoa, cuja carreira tanto de jogador como técnico é marcada pelo diálogo. Inicialmente a sua principal tarefa será melhorar o ambiente na Toca da Raposa e administrar as panelas internas, que chegaram ao auge do racha. Há uma aposta no bom convívio que ele teve com Thiago Neves e Fred, quando os comandou no Fluminense em 2012. Sete anos se passaram e certamente eles não têm mais a força física para executar o que ele determinava naquela época. Terá de haver uma adaptação de mão dupla para que eles e o time rendam.

As redes sociais do Cruzeiro anunciaram como será o sábado no clube com o novo comandante: Cruzeiro Esporte Clube

@Cruzeiro “O técnico Abel Braga será apresentado oficialmente na tarde deste sábado, às 15h, na Toca da Raposa 2. Os jornalistas terão acesso ao centro de treinamentos celeste às 14h45. Após a coletiva, Abel Braga comandará seu primeiro treino no Clube.”


Ao invés de demitidos eles foram para os microfones e holofotes como se nada demais tivesse acontecido

Difícil acreditar que, com uma barriga dessas, este seja o principal armador de jogadas de um clube profissional de futebol

Que preguiça ouvir as entrevistas do técnico Rodrigo Santana e do diretor de futebol Rui Costa. Frios, tranqüilos, burocratas e explicações “técnicas”. Aliás, tentativas de explicações, já que não convencem a mais ninguém, ou a quase ninguém. Lamentável que alguns repórteres, especialmente os chamados “setoristas”, atualmente não façam as perguntas que todo torcedor gostaria de fazer e apenas fiquem quicando bolas para os sujeitos chutarem.

Do jeito que o Rui Costa falou, ele não tem nada a ver com os caros pernas de pau contratados por último, que se somaram aos que o antecessor dele, Alexandre Gallo trouxe.

Um dirigente desses se aproveita do fato de não ser de Belo Horizonte e nem morar aqui. Caso o time seja rebaixado, por exemplo, pega o primeiro avião, vai embora e que a torcida sofra bem longe dele. Imune às pressões. Não terá vizinhos ou prestadores de serviço para encher a paciência dele ou de parentes e nem repórteres na porta da casa dele buscando explicações.

O treinador, como chefe da comissão técnica, não foi questionado sobre essa barriga absurda para um jogador profissional, do Cazares, o maior enganador do futebol mineiro das últimas décadas.

Triste!


Que o Atlético comece já o trabalho pensando na temporada de 2020

Foto: @sulamericana

Este time do Atlético impressiona pela inconstância técnica e falta de controle emocional. Como é um time de jogadores rodados, alguns velhos mesmo, não deveria ser assim pelo menos no que se refere aos nervos. Depois de um bom primeiro tempo, ótimo começo de segundo, com 2 a 0 no placar, se intimidou com a natural reação do Colón. Tomou o gol que levaria a decisão para os pênaltis e não teve forças para reagir.

O goleiro Cleiton, um dos mais jovens do time, fez a parte dele. Defendeu de forma brilhante a primeira cobrança argentina. Mas o veterano Réver e o irresponsável Cazares bateram com displicência e o Colón volta para a Argentina classificado, merecidamente, já que os dois jogos foram limpos, sem interferência das arbitragens nos resultados.

Que a diretoria inicie já os planos para o ano que vem. Começando por um diretor de futebol competente e um treinador à altura, que saibam contratar e tenham competência para montar um elenco. A situação é grave: seis derrotas consecutivas no Brasileiro e sequência de jogos dura: Vasco no Independência, Palmeiras e Flamengo fora e Grêmio no Independência.


Demitido pelo São Paulo, Cuca terá sua lembrança pairando sobre o Mineirão neste Atlético x Colón

Foto: Bruno Cantini/Atlético

Não tem jeito de não falar disso. Cuca é o sonho de milhares de atleticanos, para voltar a comandar o time. E ele está precisando dar uma volta por cima na carreira já que seu prestígio anda abalado em função dos últimos trabalhos. Se fracassar novamente em seu próximo clube será rotulado de “ultrapassado” ou “rico acomodado”. O Galo que já ressuscitou tantos jogadores e treinadores, está precisando dar uma sacudida na comissão técnica e no time, já pensando em 2020. Isso, se o Cruzeiro ou algum outro clube não anunciá-lo antes.

Enquanto isso, Rodrigo Santana suspira, e a torcida com pensamento positivo para ver se passa pelo Colón esta noite no Mineirão, 21h30. Jogar todas as fichas no retorno do volante Jair é exagero demais, não é? Sou do tempo que fichas desse tipo eram depositadas num Reinaldo, Ronaldinho Gaúcho, Éder, etecetera e tal.

Ninguém tem nem ideia de qual Galo estará em campo: o da raça e sangue nos olhos ou o lerdo, dos velhos, cansados e boêmios! Arbitragem do colombiano Andres Rojas. Video manipulador de vídeo do uruguaio Esteban Ostojich. O provável time que começa jogando: Cleiton, Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Jair, Elias, Luan (Vinícius) e Cazares; Chará e Di Santo.

Quem não for ao estádio assiste pelo DAZN, na internet, cujas transmissões melhoraram bastante, apesar do atraso de 30 segundos em relação à transmissão do rádio.


Rogério Ceni deve estar se lembrando do que ele fez com Ney Franco no São Paulo

A frase “aqui se faz, aqui se paga”, entra em cena mais uma vez. Apesar de quê, como disse o leitor Marcelão Alves Souza “… isso nao justifica a panela do Cruzeiro”, que está afundando o time.

Como treinador do Cruzeiro, o ex-goleiro do São Paulo bateu de frente com uma das principais estrelas do time, Thiago Neves, amigo e defensor do principal dirigente do clube, Itair Machado. Para complicar, o zagueiro Dedé, outra estrela de primeira grandeza azul, passou a defender a volta do TN30 como titular. Não tem jeito de aguentar. Aí lembrei-me de 2012, quando Rogério Ceni era ídolo maior e principal “manda chuva” do elenco sãopaulino e peitou de todo jeito ao recém-contratado técnico Ney Franco, que o encarou e teve a solidariedade de muita gente. Notícias da imprensa na época:

ESPN -6 de agosto de 2012

“Ney Franco acusa Ceni de mandar no São Paulo”

***

Agência Gazeta Press – 25/10/2012

“Após bater de frente com Rogério Ceni, Ney Franco ganha parabéns de Emerson Leão”

“O futebol de hoje está esquisito, tem muito clube em que não é o treinador que manda. Hoje é o rabo que balança o cachorro”.

***

Uol – 26/10/2013

Muricy reprova atitude de Rogério Ceni em polêmica com Ney Franco: “tem hierarquia”…

***

Estadão – 09/11/12

“René Simões indica que ingerência o tirou do São Paulo”

Dois dias depois de acertar a sua saída do cargo de diretor técnico do Centro de Formação de Atletas (CFA) do São Paulo, René Simões tentou explicar, em texto publicado na sua página pessoal no Facebook, o que o fez pedir demissão do posto. Ele indicou que houve ingerência no seu trabalho e comparou a situação com o entrevero recente entre Rogério Ceni e Ney Franco…

Na sequência, ele citou o entrevero Rogério Ceni e Ney Franco, quando o capitão pediu a entrada de um jogador durante a partida, o treinador colocou outro e o goleiro expressou seu descontentamento, ainda durante o jogo…”

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro


Goleiros fizeram diferença no Ceará 0 x 0 Cruzeiro. Insistência de Ceni com Fred e David incomoda a torcedores

Os goleiros Diogo Silva e Fábio foram os protagonistas desse empate sem gols entre Ceará e Cruzeiro. Cada um fez pelo menos duas defesas salvadoras. O ponto conquistado tira a Raposa momentaneamente da zona da degola, mas o “crescimento” de produção do time, decantado por alguns da imprensa ainda não convenceu a muitos cruzeirenses. Como é o caso do Luiz Ibirité, que desabafou no blog: “Rogério Ceni, pode começar a se explicar, tem montado o time muito mal, e mexido pior ainda, não tem feito a leitura correta dos jogos, manter Fred e David é jogar com dois a menos! Que me desculpem os cruzeirenses, mas já vou confeccionar minha camisa pro ano q vem, vamos subir zero!”


Que arrancada do América sob comando do Felipe Conceição: 12 jogos invicto, chegando à zona de classificação

Doze jogos de invencibilidade, sendo oito vitórias e quatro empates. De lanterna à quase dentro da zona de classificação para a Série A, a apenas dois pontos do quarto colocado. Pelo conjunto da obra, a Rádio Itatiaia deu o prêmio de melhor em campo contra o Brasil de Pelotas ao treinador, com muita justiça. A torcida elegeu Matheusinho, na enquete feita no twitter oficial América FC @AmericaMG: “Torcedor, quem foi o #DestaqueFiat da vitória do #Coelhão sobre o @GEBrasilOficial? Dê o seu voto!”

Matheusinho 61%

Júnior Viçosa 20%

Pedrão 10%

Willian Maranhão 9%

Junior Viçosa também foi destaque neste jogo, que teve público de 3.374 pagantes. Ele bateu pênalti quando o jogo estava 0 a 0 e o goleiro do Brasil defendeu.  Mas, 12 minutos depois ele fez 1 a 0 e no segundo tempo, aos 26, deu o passe para Matheusinho fechar o placar. O zagueiro Pedrão jogou muito bem novamente e tranquiliza à torcida, já que o “mistério” Paulão parece estar chegando ao fim, com a provável ida dele para o Fortaleza. A classificação:

P   J V   E D GP GC SG
1 BRAGANTINO   48 24   14 6 4 40 14 26
2 ATLÉTICO-GO   42 24   11 9 4 27 17 10
3 SPORT   41 24   10 11 3 32 22 10
4 CRB   37 24   11 4 9 30 26 4
5 BOTAFOGO-SP   36 24   10 6 8 24 23 1
6 OPERÁRIO   36 24   10 6 8 22 26 -4
7 CUIABÁ   35 23   9 8 6 26 20 6
8 AMÉRICA-MG   35 24   9 8 7 25 23 2
9 CORITIBA   34 23   9 7 7 29 23 6
10 PARANÁ   33 23   8 9 6 18 20 -2
11 PONTE PRETA   31 23   8 7 8 23 21 2
12 BRASIL DE PELOTAS   29 24   8 5 11 19 27 -8
13 OESTE   29 24   6 11 7 25 25 0
14 LONDRINA   28 24   8 4 12 28 34 -6
15 GUARANI   28 24   8 4 12 18 24 -6
16 VITÓRIA   25 24   6 7 11 20 30 -10
17 VILA NOVA   25 24   5 10 9 16 23 -7
18 SÃO BENTO   23 24   6 5 13 26 33 -7
19 CRICIÚMA   23 24   5 8 11 15 24 -9
20 FIGUEIRENSE   23 24   4 11 9 18 26 -8

E lá se foi o Magnus Lívio de Carvalho, dos melhores dirigentes do nosso futebol; grande benemérito do América

Um dos melhores dirigentes que o futebol mineiro já teve. Grande figura humana, uma pessoa que tive o prazer de conhecer, dessas que valiam a pena conversar. Meus sentimentos à família e ao América pela grande perda. Valeu Magnus! Até um dia.

O América soltou um Comunicado Oficial:

“O América Futebol Clube comunica, com imenso pesar, o falecimento de Magnus Lívio Lucas de Carvalho, ex-presidente do Clube, que nos deixou nesta terça-feira, aos 80 anos.

Figura de grande importância na história do Clube, Magnus Lívio esteve à frente do América entre 1988 e 1994. Entre outras conquistas, ele foi o presidente do título do Campeonato Mineiro de 1993. Magno Lívio também fazia parte do Conselho Consultivo do Clube e do Conselho de Ética e Disciplina.

O velório acontecerá no Funeral House, a partir das 17h desta terça-feira. O sepultamento será nesta quarta, às 10h, no Cemitério Bosque da Esperança.

Em nome de todos os seus colaboradores e torcedores, o América expressa seus sentimentos à família de Magnus Lívio.”

Mais detalhes no Hoje em Dia:

* “Morre Magnus Lívio, ex presidente do América e símbolo da reconstrução do clube nos anos 90”

Luto para a torcida do América. Faleceu na madrugada desta terça-feira (24), o ex presidente do clube entre as décadas de 1980 e 90, Magnus Lívio Lucas de Carvalho. O corpo do ex dirigente americano será velado a partir das 17h, no Funeral House, e o sepultamento acontecerá nesta quarta-feira (25), no Bosque da Esperança, às 10h. Lembrado pela história de resistência e reconstrução do América, a primeira passagem de Magnus Lívio como presidente do Coelho aconteceu entre 1988 e 1990. Era um momento complicado do clube, que passava por dificuldades financeiras. Com surgimento de bons valores, como Ronaldo Luiz, Palhinha e Euller, o Coelho dava sinais de respiro. Outro momento marcante aconteceu em 1989, quando o América ficou responsável pela manutenção e administração do estádio Independência. O clube também promoveu a inauguração simbólica do Centro de Treinamento Lanna Drummond, local de treinos da equipe profissional até hoje.

Magnus assumiu a presidência novamente entre 1992 e 1994. Em um time que contava com nomes como Milagres, Flávio Lopes, Euler, Hamilton e Robson, o Coelho conquistou o título estadual em 1993, colocando fim a um jejum de 21 anos, o maior da história do clube.

Magnus também ficou conhecido por enfrentar a CBF. Incorfomado com o critério de rebaixamento do Campeonato Brasileiro de 1993, o clube ingressou com uma ação na Justiça Comum contra a entidade máxima do futebol do país. Como troco, a CBF baniu o América de qualquer competição nacional federada pela instituição por quase três anos. (mais…)


Do outro lado do mundo a @GaloAustralia twittou: “Estamos em queda livre…”

Foto: twitter.com/sulamericana

Seis derrotas consecutivas no Brasileiro e a mesma fala repetida de jogadores e treinador: “infelizmente a bola não está entrando”. Discurso mais surrado! Deu pena ouvir a fala do técnico Rodrigo Santana na coletiva depois do jogo. Repetitivo e sem saber o que dizer e nem o que fazer.

A história desse enredo é mais simples. Bem explicada pelo catalão Ferran Soriano no livro dele, de 2010, sobre o Barcelona: “A Bola não entra por acaso”. Infelizmente no Brasil são poucos os profissionais, dirigentes e treinadores que têm a grandeza e bom senso de um Mano Menezes, que quando vê que não consegue fazer a coisa andar, assume e pede demissão.

Se o time principal é ruim, imagine o reserva, mesmo contra o ex-lanterna da competição. O Avaí quer ressuscitar no campeonato e o Galo dá sinais de que quer brigar para ficar fora da zona da degola.

Leonardo Silva, 40 anos de idade, vai liquidando a imagem de um dos maiores zagueiros da história do clube. Falta de bom senso dele e da diretoria. Ele por não ter se despedido dois anos atrás e o clube por insistir nesse saudosismo. O futebol profissional não aceita isso e resultados como este de hoje são apenas consequência.

Segundo o repórter Cláudio Rezende, da Itatiaia, o uruguaio Lucas Hernandez e o paraguaio Ramon Martinez custaram R$ 20 milhões. Mas o futebol deles ficou nos países de origem, se é que têm essa bola.

O que esperar do indisciplinado Cazares? Ou de Luan, com problema físico crônico? Nem falemos agora do Ricardo Oliveira, bom de fala, 39 anos de idade, e sem bola para jogar pelo Atlético. O treinador, perdido, com o mesmo discurso pós derrotas. Aguardemos o que ocorrerá quinta-feira contra o Colón, pela semifinal da Sul-Americana.


Contagem regressiva para o início das obras do estádio do Galo

Imagem: facebook.com/ArenaMRV 

Em ótima entrevista do Thiago Reis, hoje, na Itatiaia, com o diretor da Arena MRV, Bruno Muzzi, detalhes inéditos dos trâmites burocráticos e do cronograma para o início das obras.

* “Diretor executivo da Arena MRV revela previsão para início e fim das obras”

Com o processo burocrático perto do fim, o sonho do Atlético em ter um estádio próprio caminha para sair do papel e literalmente virar concreto a partir do início do ano que vem. A informação foi dada pelo diretor executivo da Arena MRV, Bruno Muzzi, em entrevista exclusiva ao repórter da Itatiaia Thiago Reis veiculada neste domingo.

Bruno Muzzi, em foto do https://mysocialmate.co/u/arenamrv

A expectativa de Muzzi é que o início das obras seja entre novembro deste ano e fevereiro de 2020, a depender da autorização do poder público. “Estamos com 97% [finalizado] para conseguir essa licença de instalação e iniciar as obras. Avançamos muito, tivemos grandes vitórias, vitórias difíceis que, talvez, um ano atrás, a gente achasse que fosse intransponível”, afirmou.

Ouça a entrevista completa concedida por Bruno Muzzi

O projeto de lei para construir o estádio foi aprovado em primeiro turno na Câmara Municipal de Belo Horizonte e está previsto para ser votado em segundo em outubro, mesmo mês em que a licença ambiental deve ser dada pelo estado. Se passar, a proposta que está na Câmara irá para a prefeitura, que tem até 60 dias para dar um aval. A obra começa em seguida, em um período chuvoso do ano.

“A gente vai ter que planejar muito bem esse início. A velocidade, a produção da terraplanagem inicial. É um terreno complexo, tem uma grande área de corte, de aterro”, declarou. Muzzi relata que o estádio deve ficar pronto após dois anos e meio de trabalho. Isso significa que, se começar a ser erguido em fevereiro do ano que vem (a previsão mais pessimista), será inaugurado em agosto de 2022. “Eu acho que vai ser uma obra em que a gente pode ter questionamentos. Isso em qualquer obra acontece. A gente tem que tomar cuidados para andar muito certinho e nada fugir do planejado”, relatou.

Muzzi explica que o prefeito de Belo Horizonte, o ex-presidente do Atlético, Alexandre Kalil, tem feito um papel adequado em relação ao estádio. “Ele tem que ser isento neste processo. Ele tem os técnicos e secretários para analisar isso, e eles têm que respeitar a legislação”, explicou.

Ao comentar as contrapartidas exigidas pelo poder público para a construção do estádio, o diretor considera que no Brasil há falta de incentivo para empreendimentos que serão positivos para a sociedade. “Se fosse em qualquer outro lugar do mundo, talvez tivesse um papel do estado, do município, para trazer benefícios para que um empreendimento desse porte, que gera uma série de benefícios, pudesse ir para o local.”

Trânsito e meio ambiente

Segundo o diretor, o maior impacto da Arena MRV será no trânsito, pois o estádio ficará entre a BR-040, a Via Expressa e o Anel Rodoviário, vias de congestionamento no horário de pico. E como há jogos que serão disputados em momentos em que naturalmente há grande circulação de veículos, a situação ficaria mais complicada.

Ele disse que diversas obras serão realizadas para melhorar o tráfego na região. “São 14 pontos de intervenção, entre passarelas, duplicação de viaduto, alça no Anel Rodoviário, na BR-040, alargamento da Via Expressa, acessos melhores. A gente promove uma qualidade de trânsito ali, mesmo no dia de jogo, impressionante. Obviamente, no dia de jogo fica denso, mas no dia a dia da cidade as medidas viárias virão de forma expressiva”, conta.

Em relação ao meio ambiente, ele acredita que tudo já está adequado. “A gente está super confortável com as soluções que a gente levou para a arena, seja preservação da nascente, outorga da canalização, supressão da vegetação. A gente adquiriu uma área grande ao lado [da arena] que vai ter 58 mil m² de preservação, mais uma área de preservação interna de 26 mil m². A gente está prevendo caixas de infiltração para manter as vazões, para que a gente não contribua com enchente”, diz.

O estádio

A Arena MRV será erguida no bairro Califórnia, região Noroeste de Belo Horizonte, terá capacidade para 47 mil torcedores e custará R$ 410 milhões, mas, de acordo com o Atlético, nenhum centavo sairá do futebol.

Em setembro do ano passado os conselheiros do clube aprovaram a venda de 50,1% do shopping Diamond Mall para a empresa Multiplan, o que irá gerar R$ 250 milhões para a obra. O restante do dinheiro será captado por meio da venda do naming rights (a MRV comprou os direitos por R$ 60 milhões) e da comercialização de cerca de 4.700 cadeiras cativas do estádio por R$ 100 milhões (60% do valor já foi garantido pelo banco BMG).

O terreno onde a arena será construída está avaliado em mais de R$ 50 milhões e foi doado pela família de Rubens Menin, presidente da MRV.

http://www.itatiaia.com.br/noticia/diretor-do-projeto-da-arena-mrv-revela-previs


Página 28 de 1.144« Primeira...1020...2627282930...405060...Última »