Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

E lá se foi o Januário de Oliveira!

Foto: Reprodução/Instagram/Itatiaia.com.br

Era uma simpatia de pessoa. O conheci no início dos anos 1980, no Maracanã, apresentado pelo Vilibaldo Alves, enquanto montávamos o equipamento para uma transmissão pela Rádio Capital. Ele era da Rádio Mauá. Que descanse em paz!

Coincidentemente me deparei com uma foto em que ele e o Vilibaldo estão juntos, com outros grandes nomes da história do rádio, durante a Copa do México, em 1970. Está lá no site “Terceiro Tempo”, do Milton Neves, na seção “Que fim levou”.

Da esquerda para a direita, em pé: Vilibaldo Alves (Itatiaia), Jorge Marins (operador da Mauá, Rio), Luís Orlando (Mauá), Paulo Roberto (Itatiaia), João Saldanha (Globo), um mexicano, atrás dele Jorge Cury (Globo), na frente Valdir Amaral (Globo), o grande árbitro, escritor e jornalista Pedro Escartin (Fifa), Orlando Batista (Mauá), um mexicano, Flávio Araújo (Bandeirantes) Joseval Peixoto (Jovem Pan), Denys Menezes (Globo), Osvaldo Faria (Itatiaia), Roberto Silva (Bandeirantes) e Luiz Carlos Alves. (Itatiaia). Agachados: Luís Mendes (Globo), Flávio Alcarraz Gomes (Coordenador Geral), Ademir Marques de Menezes (Mauá), um mexicano, outro mexicano e Januário de Oliveira (Mauá)

https://terceirotempo.uol.com.br/que-fim-levou/januario-de-oliveira-1627

***

No O Globo de hoje, o Thales Machado o homenageou no Obituário:

* “Januário de Oliveira, tá aí o que vocês não queriam”

Após 11 dias internado, ex-locutor esportivo sofreu parada cardíaca enquanto tratava um quadro de pneumonia

Thales Machado

Tá aí o que você não queria ler. Difícil, muito difícil não começar a falar de Januário de Oliveira, morto ontem aos 81 anos – ele sofreu uma parada cardíaca enquanto tratava um quadro de pneumonia em um hospital particular de Natal-RN, cidade em que morava com a família – sem usar o artifício de brincar com seus bordões.

No futebol, há quem marque sua passagem  pelos gols marcados e títulos conquistados. Locutor de rádio e TV por mais de quatro décadas – trabalhou em grandes veículos de 1952 a 1998, quando foi obrigado a se aposentar graças à cegueira causada pela diabetes – Januário ficava na memória todas as vezes em que a rede balançava, não importa que time marcasse. Virava herói ao criar os da galera: o Valdeir “The Flash”, do Botafogo; o Anjo Loiro da Gávea Sávio, do Flamengo; o matador de São Januário, Valdir Bigode, do Vasco e o Super Ézio, do Fluminense.

Transformando o jogo numa história em quadrinhos cheia de entretenimento, sem deixar a informação de lado (“O que é que só você viu, Addison?”, perguntava ao repórter de campo), Januário foi marcante porque conseguiu se inserir no espetáculo, tal qual o atacante, o estádio, o gol. Há, numa certa época e lugar, jogos que só parecem fazer sentido com sua voz ao fundo, em especial as transmissões do futebol carioca dos anos 90 da TV Bandeirantes.

Perder Januário nessa época sinistra, muito sinistra de mais de mil mortes por dia é deixar só na memória momentos de alegria daquele que sabia que é isso que o povo gosta. Não há como fugir do clichê que é cruel, muito cruel sua partida. “Acabou o milho, acabou a pipoca, fim de papo”. Descanse em paz.

https://oglobo.globo.com/esportes/obituario-januario-de-oliveira-ta-ai-que-voces-nao-queriam-1-25042118

Com a camisa do Galo, que lhe foi presenteada pelo também saudoso centroavante Ézio.


Cuiabá e Alberto Valentim desmentem boatos sobre a demissão do treinador, que não perdeu nenhuma partida comandando o time

Foto: AssCom Dourado/olharesportivo.com.br

Foram 10 jogos, sete vitórias e três empates. Campeão invicto do Campeonato Mato Grossense. Por isso, após a demissão, depois do empate em casa contra o Juventude, na estreia do Brasileiro, gerou tanta onda e está dando um trabalhão danado para as partes se explicarem. O técnico, que é mineiro, de Oliveira, falou à ESPN:

* “Valentim nega boatos, rebate dirigente do Cuiabá e abre o jogo sobre demissão: ‘Tudo tem um limite’”

O técnico Alberto Valentim, que foi demitido do Cuiabá após a estreia do Campeonato Brasileiro, neste último domingo (30), falou sobre sua demissão e admitiu problemas internos envolvendo o vice-presidente do clube, Cristiano Dresch. Alberto negou qualquer motivo pessoal em sua demissão e disse que não houve qualquer conflito com jogadores no vestiário após o empate com o Juventude em 2 a 2. “Não teve discussão, os jogadores se mobilizaram, não queriam nem deixar que eu deixasse a Arena”, disse o técnico ao “SporTV“.

Desde minha chegada no Cuiabá, sempre fui muito aberto, nem sempre concordava com a direção. A gente falava por horas e horas e eu respeito muito as hierarquias, mas tudo tem um limite. Quando algumas coisas são levadas para dentro de campo, pressionando para colocar certo jogadores, a relação vai ficando desgastada. Eu soube que poderia ser demitido, segui com meus posicionamentos e depois do jogo conversei com meus jogadores”.

https://www.espn.com.br/futebol/artigo/_/id/8719488/valentim-nega-boatos-rebate-dirigente-do-cuiaba-e-abre-o-jogo-sobre-demissao-tudo-tem-um-limite

No site Olhar Esportivo, de Cuiabá, explicações e nota do clube caçula da Série A nacional:

* “Cuiabá desmente boatos e revela decisão sobre demissão de Alberto Valentin”

Técnico foi dispensado pelo Dourado após a estreia com empate diante do Juventude-RS na Série A na Arena Pantanal

A diretoria do Cuiabá se posicionou sobre a demissão do técnico Alberto Valentin. Em apuração exclusiva da reportagem do Olhar Esportivo, o vice-presidente do clube, Cristiano Dresch, explicou o motivo.

“Desde a reta final do Estadual já não estávamos vendo evolução na equipe. Há alguns dias não acreditava mais no trabalho dele aqui no Cuiabá. Foi uma contratação equivocada e optamos por não dar continuidade”, disse o vice-presidente do Cuiabá, Cristiano Dresch.

Ainda segundo o dirigente, não teve nenhuma discussão com o técnico após o empate em 2 a 2 contra o Juventude na Arena Pantanal, pela estreia na Série A do Campeonato Brasileiro 2021.

“Não teve nenhum tipo de confusão após o jogo. É tudo fakenews, aconteceu de forma natural essa insatisfação, ninguém da diretoria teve contato com o técnico no estádio. Vamos com calma, tentar contratar o novo técnico na próxima semana. O nosso objetivo é se manter na Série A, não podemos inventar”, finalizou Dresch. (mais…)


A Venezuela também se ofereceu. Insistência em realizar a Copa América este ano, é a oficialização de que a presença do torcedor de futebol nos estádios é completamente desprezível

Está no site Somos fan.com, da Colômbia, dia 22 de maio: “Venezuela quiere la Copa América en reemplazo de Colombia”

https://www.somosfan.com/deportes/venezuela-copa-america/57368/

Nosso continente é sinônimo de esculhambação. O futebol acompanha o que se passa na política. Nisso, o Brasil, colonizado por portugueses, é igual aos demais países, colonizados pelos espanhóis. Vejam a situação dessa Copa América. Seria realizada conjuntamente, pela Argentina e Colômbia. Faltando menos de um mês, os colombianos anunciam a desistência, em função das manifestações políticas, violentas. E, ontem à noite, faltando menos de 15 dias, a Argentina também desiste, oficialmente, por causa do aumento assustador de casos de Covid-19.

Hoje bem cedo, o Diogo Olivier, comentarista da RBS TV/Globo, de Porto Alegre, twittou:

@diogo_olivier: “Quem se importa com a Copa América? Cancelem. Simples.”

Eu entrei na conversa com a minha opinião: essa insistência em realizá-la é a oficialização de que a presença do torcedor nos estádios é completamente desprezível! Que ele continue comprando pacotes de TV, camisas e souvenir do seu clube e seleções.

Pouco antes do almoço a Conmebol anuncia que a competição será realizada no Brasil e agradece ao governo federal e à CBF.

Até parece que a pandemia não existe mais no território brasileiro.


Gol do “Sobrenatural de Almeida” derrota o América em Curitiba. Primeira rodada da Série A foi dos cearenses. Ceará com time reserva bateu o Grêmio

Pela manhã o Fortaleza venceu o Galo no Mineirão. À tarde, envolvido na Copa Sul-americana e Copa do Brasil, o Ceará, dirigido por Guto Ferreira venceu o tetracampeão gaúcho por 3 a 2, no Castelão, usando time reserva, já que quarta-feira terá clássico contra o Fortaleza, pela Copa do Brasil. O Corinthians perdeu em casa para o Atlético-GO, 1 a 0. Também surpreendente foi a derrota da Chapecoense, em casa, e de 3 a 0 para o Bragantino. Outra surpresa nesta primeira rodada foi o placar de Bahia x Santos: 3 a 0 para os baianos, em Salvador.

O América encarou bem o Athetico em Curitiba, mas, aos 42 do segundo tempo, Eduardo recebeu de Terans, tentou cruzar para Babi e a bola foi direto para o gol. Tipo do lance anormal, que o Nelson Rodrigues gostava de dizer que era obra do “Sobrenatural de Almeida”, que às vezes acontece no futebol. Uma pena, pois o Coelho estava fazendo uma ótima estreia em seu retorno à Série A.


Vitória justa do Fortaleza. Começo decepcionante do Atlético no Brasileiro 2021

Foto: @Mineirão

Em disputas por pontos corridos, como o Brasileiro, o Campeonato começa a ser perdido assim, com derrota dentro de casa e ainda por cima para adversário cujo principal objetivo é evitar o rebaixamento. E tudo indica que o Fortaleza acertou ao contratar este treinador argentino, Juan Pablo Vojvoda, que chegou na primeira semana de maio para substituir Enderson Moreira. Já dirigiu o Newell’s Old Boys, Defensa y Justicia, Huracan e por último o Union La Calera, do Chile. Nesta virada sobre o Atlético, em pleno Mineirão, ele arrumou o time cearense no intervalo com as alterações que fez. Ao contrário de Cuca, que piorou o Galo com as mexidas dele. O meio campo que estava ruim, continuou mal, com as entradas de Zaracho, Nathan, Sávio e Vargas, nos lugares de Alan, Nacho, Savarino e Marrony. A rigor, o Atlético mostrou bom futebol até os 15 minutos iniciais. A partir daí o jogo ficou amarrado e o gol só saiu aos 39, com Hulk cobrando pênalti que ele mesmo sofreu. No segundo tempo só deu Fortaleza, que aos 10 minutos teve um gol do Romarinho anulado, por impedimento. Aos 14 Pikachu empatou e aos 49 fez o segundo.

Concordo com o que escreveu o Custódio Pereira Neto, da Cariogalo, no twitter: @CustodioTodinho: “PARA SER CAMPEÃO.Empatar em casa é ruim, mesmo contra adversários diretos pelo título.

Tem que vencer Fortaleza, Bahia, Ceará e afins. Empate contra eles não é bom nem fora de casa. Não importa o lugar na tabela ou as circunstâncias: pontos perdidos por deslizes farão falta.”

Falou e disse!


Confiança 3 x 1 Cruzeiro: técnico culpa a arbitragem; presidente pede à torcida que não desanime

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Presidente Sérgio Rodrigues depois do jogo: ‘Não é porque começa dessa forma que temos que desanimar.’. Quem viu a entrevista do técnico Felipe Conceição depois do jogo, pensa que viu outra partida. O torcedor Eduardo Silva, um dos comentaristas mais assíduos aqui do blog, foi mais realista:

* “Chico,

Existem jogadores de futebol burros! E existe o Adriano…kkk Olhaaaa, esses caras são muito burros!! Um cidadão que joga de volante, toma cartão no início do jogo e depois faz outra falta no meio de campo??? TÁ DE SACANAGEM…. vai ser energúmeno assim lá longe… Deixa essa merd#$% ai no nordeste ou manda ele voltar a pé… Zé Ruela!

Eu, sinceramente, queria ter uma hora de conversa com esses caras!! PQP É por isso que uns técnicos como Sampaoli, o Fernando Diniz e outros não conseguem implantar uma filosofia de jogo posicional, de jogo tático com esses caras… Não vão entender nunca!

E em um dia de “tempestade perfeita” o Fábio que tinha feito um penalti em Neto Berola???? kkkk É isso, meus amigos, Neto Berolaaaa…kkkk Depois toma outro cartão por pegar a bola de mão fora da área, é expulso e o técnico tira quem? quem? Rafael Sóbis??? kkkk PQP QUINHENTOS MILHÕES DE VEZES…kkkk O Sóbis é a ÚNICA mente pensante nesse time, pode fazer um gol de falta, comandar o time… kkk Tem que rir pra não chorar.

Mas vem o segundo tempo e para surpresa, ocorre o empate mas não aguentam jogar com menos dois em campo e eles acabam vencendo. O azar é tão grande que o juiz deixou de marcar um penalti pro Cruzeiro no início do jogo, antes dessas lambanças todas, uma disgrameira sem fim!

Parece que tem uma força sobrenatural de almeida que as coisas além de não funcionar, tudo conspira contra o time… É uma coisa sem explicação! Praga de cachorro magro, só pode!

Mas, ainda bem que um funcionário que estava trabalhando numa “certa Arena” aqui em BHte enterrou uma cabeça de cavalo e as coisas vão virar para o outro lado da lagoa…kkk

Vamos acreditar!

Nada está tão ruim que não possa piorar…”

***

O também cruzeirense, Marcio Borges, escreveu sobre a primeira rodada:

“Chico, assistindo a estreia do Vasco contra o operário de ponta grossa. E mais uma vez comprovando que camisa não ganha jogo. Hoje o futebol está muito nivelado. Nao tem bobo, como gostam de dizer. Mais de vinte minutos do segundo tempo e o operário vai vencendo por 2×0 e jogando bem. Sem sofrer pressão, sem sentir estar jogando em São Januário.
Que sirva de exemplo ao Cruzeiro pra não passar o aperto que passou ano passado……ah, e o botafogo perdeu pro Vila Nova de Goiás na estreia.”

***

O atleticano Renato César também opinou:

“Grande papo de vendedor este. E tem gente caindo. Futebol é momento e nenhum destes clubes ateavessa grande fase.

Botafogo empatou na estreia, Vasco perdeu em casa. Remo, adversário do Galo na copa do Brasil, venceu fora de casa.

Enquanto eu escrevia isto, gol do Berola…”


Cruzeiro teve tempo para se preparar. E estreia na Série B contra time dirigido por Rodrigo Santana, ex-técnico do Atlético

Em 2021, empate no turno, em Aracajú, 1 a 1, e vitória do Confiança no Mineirão, por 2 a 1. Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

O Confiança ficou em 15º lugar na Série B do ano passado, com 46 pontos. Entrou na disputa como campeão sergipano. O Cruzeiro ficou em 11º com 49 e ficou fora das semifinais do Mineiro. No campeonato que começa hoje para ambos, o time de Sergipe ficou fora da final estadual, já que foi eliminado pelo Sergipe, que conquistou o título em cima do Lagarto. O Cruzeiro melhorou no Mineiro, já que este ano chegou à semifinal, sendo eliminado pelo América.

Com a perda do campeonato o Confiança entrou em crise, demitiu o técnico Daniel Paulista e contratou Rodrigo Santana, que teve um momento muito bom no Atlético, mas depois sumiu do cenário da prateleira de cima dos treinadores brasileiros. Para ele, essa Série B é um recomeço. Teve pouco tempo para preparar o time, mas leva a vantagem de estrear em casa, diferente do Felipe Conceição, que teve tempo de sobra para ajustar o Cruzeiro.

À exceção das próprias comissões técnicas, ninguém, de sã consciência, tem a menor ideia de como estão os respectivos times, compostos, em sua maioria, por jogadores desconhecidos. No caso do Cruzeiro, considero isso como um fator positivo, pois à exceção de famosos e rodados, como Fábio e Rafael Sobis, os demais sabem  que terão que “comer grama” para atingirem seus objetivos coletivos e individuais. Como disse certa vez o então presidente Alvimar Perrella, são jogadores  de “barriga vazia”, em busca da afirmação profissional para subirem de patamar.

O provável Cruzeiro esta tarde: Fábio, Cáceres, Joseph, Ramon e Matheus Pereira; Adriano (Flávio), Matheus Barbosa e Rômulo, Bruno José, Airton e Rafael Sobis

O Premiere transmite, com narração do Jaime Júnior, comentários de Fábio Júnior e Alexandre Lozetti.

Rodrigo Santana assumiu dia 13 de maio. Depois que saiu do Atlético, passou pelo Coritiba e Avaí. Foto: AD Confiança


Próximo adversário do Atlético na Libertadores e o tio do Tardelli, comentarista da história do rádio mineiro

Ao ler a coluna do Fernando Rocha (que será publicada amanhã, no Diário do Aço, de Ipatinga), é que fiquei sabendo que o Tardelli é sobrinho do Aloysio Martins, um dos melhores comentaristas da história do rádio esportivo de Minas. Marcou época na Rádio Guarani nos anos 1970/60. Tempos em que a emissora dos Diários Associados era uma potência de audiência em todo o estado, com uma equipe que ostentava nomes como Jota Júnior, Waldir Rodrigues, Flávio Anselmo, Paulo Celso, Valter Luiz, Dirceu Pereira e tantos outros, que fizeram escola.

Nesta mesma coluna, o Fernando Rocha avalia e especula um dos possíveis adversários do Galo nas oitavas da Libertadores, que poderá ser um peixe graúdo do futebol Sul-americano. Bom também, né? Se tiver que ser campeão, vai logo eliminando os concorrentes mais famosos logo de cara.

Confira estes trechos da coluna do Fernando:

* “Diego Tardelli Martins era sobrinho do saudoso Aloysio Martins, durante décadas comentarista da Rádio Vanguarda,  além de colega de trabalho um grande amigo de muitas jornadas alegres e tristes. Aloysio também foi jogador profissional na década de 60 defendendo o Goiás, meio-campista clássico, muito bom jogador, assim como seus comentários sobre futebol. Hoje, no  andar de cima, deve estar feliz com sobrinho querido, a quem chamava de “Tardelinho”, motivo de muitas preocupações dele e da família, pelo início conturbado da carreira fora de campo.

  • Com o passar do tempo, sobretudo  após  sua chegada ao Atlético, Tardelli deslanchou. E foi se consagrar com a camisa do alvinegro, “debaixo do pavilhão alvinegro”, como diria seu tio Aloysio, carregado nos braços pela massa atleticana, transformado ídolo com lugar perene na galeria dos  maiores jogadores da história do Galo. Sai pela porta da frente com a certeza do dever cumprido. Que Deus abençoe sua vida e de sua família.
  • Foram definidos os 16 clubes que vão disputar as oitavas da Libertadores com jogos de mata-mata. Ficar em primeiro lugar de seu grupo não deu muita vantagem ao Galo como se esperava, pois poderá enfrentar gigantes como Boca Juniores, River Plate e São Paulo, que terminaram a fase de grupos em segundo lugar. A única vantagem de fato é decidir sempre em casa os mata-matas, pois mesmo sem a torcida presente o Mineirão, o “Gigante” tem sido um fator importante para obtenção de bons resultados…”
  • Fernando Rocha – Diário do Aço – Ipatinga

Série B 2021 tem cinco campeões brasileiros da A. Quatro vagas de acesso, das mais disputadas da história

Imagem: Folha de Pernambuco – www.folhape.com.br

Começando hoje, sexta-feira, com o empate sem gols entre Brasil e Londrina, em Pelotas. Mais três partidas esta noite: Guarani x Vitória, Náutico x CSA e Vila Nova x Botafogo. O Cruzeiro estreia amanhã, 16h30 em Aracajú contra o Confiança. A disputa por uma das quatro vagas da Série A 2022 será, possivelmente, a mais difícil da história da competição. Além dos clubes “elevadores”, que sobem e descem constantemente, há sempre uma surpresa, que surge do nada, como o Cuiabá, ano passado, ou um Bragantino, turbinado pela Red Bull. Quem lembrou de detalhes como estes foi o Fernando Rocha, na coluna dele, no Diário do Aço, de Ipatinga:

* “São  20 clubes disputando quatro vagas na elite, além do título. Em 2020, o Cruzeiro era o único time com camisa “pesada”, mesmo assim não conseguiu subir. Este ano a expectativa é de uma Série B muito mais difícil, pois pela primeira vez na história, a competição  terá a participação de cinco times que já foram  campeões da Primeira Divisão: Cruzeiro, Botafogo, Coritiba, Guarani e Vasco da Gama. Além disso, conta com alguns times  acostumados ao sobe e desce, todos calejados em matéria de Série B: Ponte Preta, Vitória , Goiás, CSA, CRB, entre  outros.  “Há momentos na vida em que o homem tem que virar dragão ou acaba apanhando papel no meio da rua”. Nelson Rodrigues. (Fecha o pano!)”

Fernando rocha – Diário do Aço – Ipatinga


Chega ao fim a “Era Tardelli” no Atlético, de grandes conquistas para ambos os lados

Fotos: Agência Galo

Tardelli conquistou sete títulos com o Atlético: quatro Estaduais, uma Libertadores, uma Copa do Brasil e uma Recopa Sul-Americana — Foto: Bruno Cantini/Atlético

Pelo que saiu na imprensa, foi um desfecho cordial e feliz nessa relação, muito boa para o Galo e para o jogador. No fim de 2008 ele estava em baixa no Flamengo e o Atlético vivia uma convulsão política/administrativa, com a renúncia do presidente Ziza Valadares; algumas semanas de vácuo de poder, até a eleição e posse de Alexandre Kalil. Aí, juntaram-se tampa e balaio. Ele voltou para a prateleira de cima dos craques do futebol brasileiro e ajudou o clube a recuperar prestígio e dinheiro. Depois de um ótimo contrato na China, retornou ao Atlético e foi fundamental nas conquistas da Libertadores, Copa do Brasil e outros títulos. Sintonia fina com a torcida, foi rodar o mundo novamente. Passou pelo Grêmio, onde não conseguiu jogar, em função de contusões, e novamente recebido nos braços da torcida alvinegra. Mas, o tempo é cruel principalmente com os atletas e as contusões, de novo, o atrapalharam. Chegou o momento de uma nova despedida, já que, aos 36 anos de idade, não dá mais.

Entra para a história dos maiores jogadores que o Atlético já teve e sempre terá o carinho dos atleticanos.

O jornalista Victor Martins contou um pouco dessa trajetória, lembrando detalhes das idas e vindas, desde 2008/2009, no blog dele, no Uai:

* “Diego Tardelli chegou ao Atlético por dívida do Flamengo pela compra do goleiro Bruno”

A história de Diego Tardelli como jogador do Atlético se encerra neste domingo, na estreia do Campeonato Brasileiro. O contrato do atacante não será renovado e ele fará sua última exibição com a camisa alvinegra. São 230 jogos, 112 gols marcados e títulos conquistados. Diego Tardelli está entre os maiores jogadores da história do Galo. Por isso será homenageado pela diretoria atleticana depois do jogo com o Fortaleza, no Mineirão. O vínculo se encerra no dia 31.

E o início de tudo foi entre o final de 2008 e o começo de 2009. Eleito presidente do Atlético em outubro de 2008, Alexandre Kalil tinha em mente a necessidade de buscar um goleador para a equipe que seria montada na temporada seguinte. No entanto, o dirigente encontrou um clube totalmente devastado financeiramente, sem nenhuma condição de investir pesado em contratações. A solução encontrada foi usar uma dívida que o Flamengo tinha com o Atlético pela compra do goleiro Bruno. Revelado pelo Galo, o arqueiro foi parar na Gávea após rápida passagem pelo Corinthians. O Rubro-Negro devia cerca de R$ 1,2 milhão ao Atlético pela negociação. A proposta alvinegra foi prontamente aceita pela diretoria carioca: abatimento total da dívida mais R$ 700 mil.

A transferência seria inviável sem esse crédito do Atlético pela venda de Bruno.

Com o negócio fechado entre os clubes, faltava convencer o jogador. Num primeiro momento Diego Tardelli não via a troca do Flamengo pelo Atlético com bons olhos. Revelado pelo São Paulo e já com passagem pelo futebol europeu no currículo, o atacante tinha a permanência no Rio de Janeiro como a melhor escolha para chegar à Seleção Brasileira. Foi então que entrou Bebeto de Freitas na história.

Bebeto estava de volta ao Atlético, para mais uma vez ajudar o amigo Alexandre Kalil. Foi dada a ele a missão de buscar Diego Tardelli. E Bebeto de Freitas conseguiu. Foi ele quem convenceu o atacante a trocar o Flamengo pelo Atlético.

Passados mais de 12 anos, está claro que a decisão foi acertada. Diego Tardelli chegou à Seleção Brasileira, como queria. Além de se tornar ídolo de uma torcida e conquistar títulos importantes. A Copa Libertadores de 2013 certamente é o maior, mas a Copa do Brasil de 2014 foi especial. Diego Tardelli fez o gol da vitória na partida final, contra o Cruzeiro. Um gol que jamais será esquecido pelos atleticanos. Assim como Diego Tardelli também não. (mais…)


Página 29 de 1.225« Primeira...1020...2728293031...405060...Última »