Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Profetas do acontecido continuam errando, inclusive nas comunicações. Nem o Rádio AM morreu. Pena que o Jacaré foi derrotado

A história conta que foi uma dificuldade dos diabos para o torcedor brasileiro ficar sabendo que o Brasil foi campeão mundial em 1958. As comunicações eram precaríssimas e multidões se reuniam nas praças país afora, ouvidos atentos a alto falantes, para saber o que estava ocorrendo nos jogos.

De certa forma vivi essa experiência hoje em Sete Lagoas. Não deu para ir a São João Del Rey para assistir a estreia do Democrata contra o Athletic. A FMF, que costuma transmitir os jogos via internet, não transmitiu. Nos salvou a Rádio Eldorado 1300 AM. Excelente narração do Kenner Tarabal, que grita “yes”, quando sai gol, tipo o “Caixa”, gritado pelo deputado Mário Henrique quando está empunhando o microfone da Itatiaia.

Primeiro tempo muito bom, jogo lá e cá, oportunidades muitas para os dois times e zero no placar. No segundo, o goleiro democratense Leo fez uma defesa parcial “milagrosa”, segundo o Tarabal, mas a bola sobrou para o Mococa que fez 1 a 0 para os sanjoanenses. O Democrata partiu pra cima, criou chances, mas não conseguiu empatar. Mesmo assim saiu aplaudido pelo bom número de democratenses que se deslocaram à terra de Tancredo para prestigiar os comandados do técnico Paulinho Guará. O camisa 10 Filipinho, ex-Galo, foi o cérebro e motor do Athletic, em tarde de muita inspiração.

Fazer o quê, né?

Mas valeu a pena matar saudades da transmissão pelo rádio, principalmente AM, a minha origem nos microfones. A força do rádio continua impressionante. Quando surgiu o cinema, “especialistas” garantiam que o radio iria acabar. Veio a TV, “especialistas” decretaram que o cinema e o rádio estavam com os dias contados. Veio a internet e os novos profetas do acontecido e engenheiros de obra pronta juraram que finalmente seria o fim do rádio, da tv e do cinema. O tempo passou e todos os meios estão aí firmes e fortes, usando a internet como aliada. Até o rádio AM, que proporcionou essa alegre volta ao passado nessa tarde de sábado. Pena que o nosso Jacaré perdeu, mas sábado que vem, vai se recuperar, na Arena, 16 horas contra o CAP Uberlândia.


Elenco fraco e estratégia errada: Atlético está seguindo o mesmo mau caminho dos anos anteriores

twitter.com/sulamericana

Triste dizer, mas o Atlético está seguindo o mesmo mau caminho dos anos anteriores. Treinador poupando jogadores numa competição considerada de menor importância, em um time que não sabe nem quem deveria ser titular. Vários não têm condição de jogar no Galo por absoluta falta de futebol para isso. O Campeonato Mineiro deveria ser usado para testar e treinar o elenco, que tem deficiências em todos os setores, mas o técnico entende diferente.

A situação é tão complicada que Dudamel vê a sua principal marca comprometida, ao tomar de 3 a 0 de um time da prateleira de baixo da Argentina, que é o poder defensivo. Afinal, onde está essa eficiência tão decantada?

Não há dúvida quanto às deficiências do elenco que ele tem nas mãos, porém, depois do empate em casa contra o Tombense ele deu declarações estranhas, tipo: “eu não esperava que o adversário respeitasse tanto o Atlético”, tentando justificar a impotência do time dele para superar o sistema defensivo adversário.

Sobre o time nesta derrota humilhante na Argentina, uma defesa sonolenta, com Réver chegando atrasado, como sempre, e muita gente culpando o Gabriel, injustamente. O goleiro Michael fez pelo menos três defesas espetaculares. Não fosse ele a goleada teria sido muito pior. No jogo da volta, o Atlético terá de vencer por quatro gols de diferença. Possível? Claro que sim, porém, para o time do Dudamel ficar razoável, terá que melhorar muito, pois atualmente está ruim demais.

Domingo tem a URT em Patos de Minas. Pelo humor da torcida, uma eventual derrota já provocará grande turbulência em relação ao futuro do treinador.


Fred, Cruzeiro, acordos mal feitos pelos clubes e as dificuldades para a diminuição dos danos

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Carlos Ghosn já foi considerado “herói nacional” no Japão pelo trabalho de recuperação da Nissan, cujo comando ele assumiu, quando ela estava quase falida. Desde a primeira prisão, em novembro de 2018, ele come o pão que o diabo amassou, enfrentando a própria montadora que chamou a polícia e a justiça para apurar possível malversação do dinheiro do conglomerado. Sem entrar no mérito neste caso, no mundo corporativo é assim que funciona. Existe auditoria, investigação e cadeia em caso de confirmação de mau uso do cargo. No futebol, que movimenta bilhões, existem mistérios e o descompromisso de quem faz negócios milionários em nome dos clubes. O “executivo” dá um prejuízo gigante à instituição, e daí? Se demite ou é mandado embora, volta para a sua vida normal e não sofre nenhuma punição. No máximo a execração pública, mas que dura pouco, já que a memória nacional é curta.

Um dos piores negócios feitos pela diretoria que complicou a vida do Cruzeiro foi o Fred. Por sua vez, um dos melhores negócios feitos pelo Sette Câmara no Galo. Já não estava jogando em alto rendimento e custava muito caro. No Cruzeiro rendeu menos que no Galo e ainda contribuiu bastante para o rebaixamento para a segunda divisão nacional. Agora negocia a saída da Raposa, que lhe deve aproximadamente R$ 27 milhões, segundo o próprio conselho gestor do clube. Incluindo os R$ 10 milhões de multra ao Atlético, que tem duas decisões judiciais favoráveis, Câmara Nacional de Resoluções de Disputas – CNRD -, e na Justiça do Trabalho. A disputa nos tribunais continua.

No fim de dezembro de 2017 o Galo contratou Ricardo Oliveira, aos 37 anos de idade, quando ainda rendia alguma coisa. Uma boa alternativa para o ataque em 2018 e 2019. Foi até bem no primeiro ano, mas ano passado, uma lástima. E não é que teve o contrato renovado? E o Maicon Bolt? Estava sem clube, depois de rescindir com o Antalyaspor, da Turquia. Contrato até o fim de 2021.


Sete Lagoas agradece e comemora apoio do MartMinas, que vai patrocinar também o Democrata Jacaré no Mineiro

Muito interessante a repercussão do post anterior, sobre a parceria do MartMinas com a Caldense. Em minha página no facebook, mais de 1500 visualizações e alguns comentários bem legais, como estes, cujos autores agradeço:

Gilberto Silva Que bom alguém investindo em clubes do interior 👏👏👏👏parabéns mart Minas

Warley Squaranti Bem que poderia ser os clubes de nossa Sete Lagoas

Ivan Gomes Dos Reis Warley Squaranti com certeza amigo

E não é que os anseios dos sete-lagoanos gente boa Warley e Ivan já estavam sendo atendidos?

Pois é! O Democrata anunciou em suas redes sociais que o MartMinas volta a patrocinar o clube, retomando uma parceria que ocorreu em 2012, quando o grande atacarejo chegou à cidade.

Foto do Juarez Rodrigues/EM D.A Press/Superesportes

Aliás, o Jacaré fez jogo treino contra o Cruzeiro ontem, na Toca da Raposa (5 a 1 para Raposa), e estreia no campeonato da segundona (Módulo II) sábado, às 15 horas, em São João Del Rey, contra o Atlhetic.

Confira os jogos do time no campeonato que começa esta semana: (mais…)


MartMinas é o mais novo patrocinador da Caldense

Gerente de marketing da Caldense, Paulo Ney, entre o sub-gerente do Mart Minas, Simônio da Silva Carvalho (esq,) e o gerente Herten da Conceição Fonseca, em foto do Renan Muniz, assessor de Comunicação da Veterana.

A Associação Atlética Caldense acertou contrato de patrocínio com a rede de atacado e varejo MartMinas, que irá estampar sua marca na parte superior das costas do uniforme de jogo da Veterana durante toda a temporada 2020. A unidade da empresa em Poços foi inaugurada em dezembro de 2019 e fica localizada na Avenida Alcoa 1133, no Jardim Paraíso, Zona Sul.

“Iniciamos a conversa com o Mart Minas desde que a rede anunciou sua vinda para Poços e agora a parceria foi concretizada. É um orgulho pra Cadense ter a maior rede de atacado e varejo do estado estampando a marca na nossa camisa” – comentou o gerente de marketing da Caldense, Paulo Ney. Para o gerente da unidade de Poços do Mart Minas, Herten da Conceição Fonseca, a parceria é uma maneira aproximar a empresa com a população local. “Somos uma rede de atacado e varejo que está chegando agora na cidade e nada melhor do que associar nossa marca, que já é de grande expressão em Minas Gerais, com a Caldense, um dos melhores e mais tradicionais times do estado”. (mais…)


Nem tanto ao mar nem tanto à terra. Como diz o Mestre Perez: menos, gente!

Duas vitórias e dois empates do Atlético no Campeonato Mineiro. Percebo que Dudamel está tratando o campeonato estadual da forma que precisa ser tratado: treino de luxo. O perigo é acabar o campeonato e ele não ter time pronto pro Brasileiro. Mas em tudo na vida há riscos e no futebol não é diferente. Acredito na competência e estratégia do venezuelano.

Lendo e ouvindo os comentários de jornalistas e torcedores, percebo que os colegas da caneta e microfones estão mais exaltados, com opiniões tipo: “Pênalti claro não marcado! No segundo tempo, Patric foi derrubado na área, mas o árbitro mandou o jogo seguir…”  “Foi na minha frente. Na cara do arbitro. Nao deu pq nao quis. E o auxiliar estava com a visão total do lance tb” – @Igortep

“Um gol impedido do Tombense e um pênalti não marcado. E a FMF?” – @candidoh – Cândido Henrique

Dudamel: “Vocês viram? Foi um gol em impedimento (gol do Tombense) e uma falta sobre o Patric, que seria penal. Estamos começando a temporada. Tem que melhorar muito. Espero que essa arbitragem não se repita. Hoje faltou respeito ao Atlético”.

O torcedor Antônio da Silva escreveu: “Quando ouço falar em time alternativo do Galo me dá uma tristeza. Se o titular já é capenga, imagina o alternativo. Aí o time começa perdendo e no 2º tempo o técnico coloca os que estavam sendo poupados. Agora convenhamos, a que ponto chegou o Galo, poupar Zé Wellison. Hyoran, Fábio santos; tem dó gente. Vão por essa cambada pra trabalhar. E o que mais impressiona é ver a insistência com Maidana, Martinez, Hernandez. Patrik não acerta um passe. No caso do Borrero ainda é cedo, mas fico com um pé atrás com um camisa 10 que sai na cara do gol, o goleiro deu o canto direito pra ele e ele chuta lá na arquibancada. Também é cedo pra criticar o goleiro, mas tem que corrigir a saída de bola, mesmo defeito dos outros. 1º ítem no currículo do Galo hoje é ser jovem, pode nunca ter pegado numa bola, mas se for jovem. Pior de tudo, com altos salários… A diretoria não tem moral nem na fmf, gol impedido e penal no Patrikão. Tá osso!”

O publicitário Rômulo Righi: “… sem nenhuma pretensão de ter razão ou função objetiva, já que cornetagem não muda resultado, ouso repetir meu lamento sobre a primeira rodada. *se* o goleiro não tivesse defendido, teríamos estreia com empate. *se* o juiz desse pênalti, talvez não tivéssemos um empate hoje, em casa e contra a Tombense. Concordo que o *se* não muda resultado. Fato. Mas me preocupa que esse time já tem flertado demais com o “fio da navalha”. Os *detalhes*, para evitarmos as armadilhas dos “ses”, têm pesado demais para os resultados do único time mineiro na série A em seu campeonato estadual. Que deus nos projeta!!! Desabafo feito…”

Concordo com todos, porém com ressalvas: o treinador está pondo todo mundo pra jogar. Quer ver e ter pleno conhecimento do material humano que tem nas mãos. Quando a coisa apertou e ele viu que poderia perder o jogo desta tarde, mandou a campo Allan e Hyoran, que melhoram o rendimento do time. Numa arrancada do volante do Liverpool, ele encontrou o Marquinhos, único atacante confiável do Galo atualmente, que marcou o golaço de empate.

Reclamar da arbitragem, faz parte, mas convenhamos, foram lances difíceis para “olho nu”. Além do mais, não dá para passar aperto contra Tombense em casa e botar culpa no apito ou na FMF. Como diz o Mestre Rogério Perez: “menos gente, menos!”


Cruzeiro e Tupynambás fizeram o jogo mais interessante dessa rodada

O time juiz-forano fez 2 a 0 nos primeiros minutos do primeiro tempo (aos quatro e aos 15) e parecia que os comandados do Adilson Batista não conseguiriam reagir. Mas a mistura de velhos e jovens funcionou bem, com destaque para o lateral Edilson, que assumiu a condição de líder e comandou a reação da meninada. Importante ressaltar que a condição física cruzeirense, infinitamente superior foi fundamental para a virada e goleada. O terceiro gol foi espetacular, com direito de chapéu do estreante Roberson e arremate do Maurício, o grande nome do time nestes primeiros jogos oficiais do ano.


O que esperar do América de Lisca Doido? Eleito o segundo melhor treinador do Brasil no Brasileiro de 2018

Foto:https://twitter.com/AmericaMG

O América tem duas vitórias (Tupynambás em Juiz de Fora e Uberlândia no Independência) e um empate (Caldense também no Indepa) e entra na “Era Lisca Doido” a partir de agora, em substituição ao Felipe Conceição, que venceu o Palmeiras hoje pelo Campeonato Paulista, em Bragança.

O Coelho quase fechou com o Enderson Moreira, que acredito, teria sido ótimo pelo fato de conhecer bem o clube, gosta de trabalhar com a base. Mas Lisca foi uma boa aquisição e pode fazer um grande trabalho em Minas. Em 2018 ele foi eleito o segundo melhor treinador do Brasileirão, na verdade em terceiro, já que Felipão e Renato Gaúcho empataram em primeiro) com 12,2% dos votos de 106 jogadores da Série A entrevistados pelo portal Uol. Scolari e Renato tiveram 19,8%. Mano Menezes e Odair Hellmann ficaram atrás do Lisca, com 7,5%. Em seguida, Cuca, Dorival Júnior e Tiago Nunes 4,7%, Abel Braga 3,7%, Alberto Valentim e Fábio Carille 2,8%, Tite e Thiago Larghi 1,8%, lembram dele?

Na época foram eleitos também os piores e o ranking foi:

1º Jair Ventura: 14,1%

2º Milton Mendes: 10,3%

3º Celso Roth e Rogério Micale: 5,6%}

4º Marcelo Oliveira e Renato Gaúcho: 4,7%

5º Diego Aguirre e Enderson Moreira: 3,7%

6º Felipe Conceição, Jorginho, Osmar Loss e Marcos Paquetá: 2,8%

7º Levir Culpi, Lisca e Vanderlei Luxemburgo: 1,8%

8º Argel, Carlos Alberto Parreira, Cuca, Fernando Diniz, Guto Ferreira, Joel Santana e Roger Machado: 0,9%

Abstenções: 23,5…

A primeira vez que o trabalho do Lisca me chamou a atenção foi num jogo espetacular em Porto Alegre e escrevi aqui no blog, no dia seis de setembro de 2018:

“A intensidade de um jogo das 11 horas de um domingo no fim de setembro me fez parar diante da TV para ver de quem se tratava. Era jogo do Brasileiro, mas parecia do inglês ou espanhol. O time de camisa branca dava um sufoco danado no listrado de preto e azul. Uai, Grêmio? Sim, e em casa, tomando sufoco do Ceará. Jogaço, vitória gremista, de virada, 3 a 2. A partir daí passei a prestar mais atenção ao trabalho do Lisca “Doido”, que tirou o Ceará da penúltima colocação do campeonato, venceu o Flamengo no Maracanã, Corínthians  e está quase conseguindo tirar o time do rebaixamento.

Era treinador do juvenil do Internacional, quando o Mano Menezes comandava o júnior. O técnico do Cruzeiro e Abel Braga, são os dois colegas de profissão mais admirados por ele, que concedeu ótima entrevista ao “Estadão”:

http://blog.chicomaia.com.br/?s=Lisca+Doido


Já que os estaduais têm que existir Atlético, Cruzeiro e América deveriam fazer deles um laboratório de pré-temporada de verdade

Já que os campeonatos estaduais têm que existir os clubes que disputam o Brasileiro das Séries A e B deveriam fazer deles um laboratório de pré-temporada de verdade. O Athlético paranaense foi o primeiro a adotar a prática, há cinco anos e está se dando bem. O Flamengo está seguindo o caminho este ano. O técnico do Galo, Dudamel, disse que faria isso no Mineiro e de certa forma está fazendo. O Cruzeiro também, porém, na base do “se não tem tu, vai tu mesmo”, já que não tem dinheiro para contratações milionárias como antes. Aliás, acredito que vai se dar muito bem colocando seus jogadores da base para jogar e buscando outros, baratos de bom potencial, como tem feito. A rapaziada corre muito mais que o medalhões e os melhores se sobressaem.

Na arrancada do Mineiro o América empatou em casa com a Caldense, mas ganhou fora do Tupynambás. Parece ter sentido o baque da saída do técnico Felipe Conceição, mas tem um bom grupo de jogadores para tentar repetir a boa temporada do segundo semestre do ano passado e voltar à primeira divisão nacional de 2021.

O Cruzeiro teve dificuldades para ganhar do Villa Nova no Mineirão, com um gol contra do zagueiro, até muito bonito por sinal. Difícil acertar uma bola daquela na gaveta. Principalmente na própria.

O Atlético ficou no zero a zero com o Coimbra, em jogo bem ruim. Como disse o cinegrafista alvinegro Amir Martins, “sem um 10 e sem um nove, não tem jeito”. Ainda mais com três volantes, sendo um deles o Zé Wélison. Daí a pouco vão começar a fritar o treinador, injustamente, já que sem material humano à altura não dá para conseguir os resultados almejados. Concordo plenamente com o Amir.


Em condições normais de “temperatura e pressão”, Tardelli joga mais que R. Oliveira, Bolt e Di Santos, juntos

O tempo passa e Diego Tardelli não é mais aquele jogador importantíssimo que ajudou o Galo a ser campeão da Libertadores da América, sete anos atrás. Mas, dentro das condições do clube e com os atacantes que o time tem no momento, ele seria um grande reforço, sem dúvida. Um vídeo de resposta ao presidente do Atlético a um torcedor, dentro de um avião, está circulando e virou assunto na imprensa, como nesta notícia do Globoesporte.com:

“Sette Câmara sobre Diego Tardelli no Atlético-MG: “Asilo aqui agora, é? Jogador de 36 anos””

Vídeo mostra presidente do time mineiro respondendo a pergunta sobre o atacante; Tardelli, na verdade, tem 34 anos e está livre no mercado desde a saída do Grêmio

O presidente do Atlético-MG, Sérgio Sette Câmara, descartou qualquer possibilidade do atacante Diego Tardelli voltar ao time mineiro. Em um vídeo que circula nas redes sociais, o presidente está dentro de um avião quando é questionado por um homem sobre Tardelli. Sette Câmara prontamente responde: “É asilo aqui agora, é? Jogador de 36 anos!”. A idade do atacante na verdade é 34 anos.

Não é possível saber quando o vídeo foi gravado, mas ele viralizou na internet nesta terça-feira. Segundo a diretoria de comunicação do Atlético-MG, o presidente Sérgio Sette Câmara não vai se manifestar sobre o vídeo que circula em redes sociais.

Livre no mercado desde que rescindiu contrato com o Grêmio no início deste mês, Tardelli voltou à pauta dos torcedores atleticanos. Com duas passagens pelo time mineiro, o atacante é querido pelos alvinegros. Na passagem pelo tricolor gaúcho, foram 47 jogos e sete gols.

Tardelli no Galo (mais…)


Página 3 de 1.13712345...102030...Última »