Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Lélio Gustavo está prestes a jogar a toalha para Sampaoli, mas ainda não abre mão dele no Galo  

Foto: O Tempo

Para quem não é de Minas Gerais, Lélio Gustavo é o comentarista mais franco e direto da imprensa mineira. Pavio curto, que bate da medalhinha pra cima, sem tomar conhecimento se o alvo da crítica é amigo, parente, patrocinador ou coisa que o valha. Senta o porrete ou elogia de acordo com as próprias convicções. Respeitado, uma referência. E, vem tomando muita porrada de atleticanos por defender firmemente o técnico Jorge Sampaoli.

Aqui, no blog, algumas das queixas contra ele, desde 17 de dezembro de 2020, quando a paciência de grande parte da torcida se esgotou. Naquele dia, escreveu o Paulo Rodrigues: “Chico Maia,
Bom dia; quando o Atlético estava sem treinador, eu torcia pela contratação de Odair Hellmann , porém, depois dos elogios dos comentaristas Lélio Gustavo e Cadu Doné com relação à vinda e o trabalho de Jorge Sampaoli, passei a acreditar, mas ontem eu acordei e vi que estávamos todos enganados, o negócio dele é apenas marketing, não conquistaremos nada enquanto ele estiver no comando, medroso e covarde. Como Vanderlei Luxemburgo diz “o medo de perder tira a vontade de vencer”. Se conseguirmos uma vaga na Libertadores será lucro.”

Dias depois, foi a vez do Márcio Luiz, mais bravo: “Passadores de pano como o teu amigo Lélio Gustavo, por exemplo, né. Já tá ficando feio o não reconhecimento dele de que esse argentino é um ENGODO. Acho q vc vai ter de dar uns toques nele lá, rs rs. E o pior é q até o velho Abras (Roberto), 51 anos só de Atlético, fomenta, mas, a seguir desiste do embate. Lamentável. O pior e mais vazio argumento é o que tem sido usado pelo Lélio Gustavo, “viúva apaixonada” pelo Sampaoli. Aos que criticam o trabalho do treinador ele rebate dizendo que quem critica é porque está querendo a volta do Dudamel ou Rodrigo Santana. RIDÍCULO!”

Pensei comigo: será que o Lélio Gustavo continua teimoso como nos nossos tempos de Rede TV ou BH News? Aquele mesmo que não abria mão da opinião de que “Maradona jogou mais do que Pelé”?

Liguei para ele esta semana, para falar da vida e obviamente saber se ele tinha “fechado questão” no apoio ao Sampaoli. Para minha surpresa ele disse que já não acha Maradona melhor que Pelé. Concluiu isso depois de assistir repetidas vezes o documentário “Pelé eterno”. Aleluia irmão!

Sobre o treinador do Galo ele disse que também se desapontou com ele, nas escalações, substituições, demora em fazê-las, escolhas de titulares, a empáfia e por aí vai. Mas que vai começar falar sobre isso só depois da última rodada do Brasileiro, para que ninguém o acuse de estar tumultuando o ambiente da Cidade do Galo. Por enquanto, continua acreditando que ele é o melhor técnico para o Atlético e caso ganhe mais reforços, que considera de verdade, acredita que os títulos virão.

Ou seja: a teimosia continua. Torçamos para que ele esteja certo.


Hora de se discutir “o fator” Jorge Sampaoli e a próxima temporada do Galo

Não acredito em profissionais que não se envolvem com as comunidades nas quais estão inseridos. Se todo o altíssimo investimento feito pelo Atlético estivesse dando o devido retorno, paciência. Esta seria a fórmula certa, mas não está. E a conta um dia vai chegar, para cada atleticano, caso esta situação perdure.

Considero o Sampaoli um grande treinador. Não entro no mérito das escalações, opções táticas e substituições que ele faz durante as partidas, pois só ele, que está no dia a dia dos treinos, sabe onde dói o calo. Mas, no decorrer do trabalho dele por aqui, tenho observado outros fatores que fazem pensar. Um grande treinador precisa exercer outros papéis, além de escalar o time. Mandou contratar jogadores para posições que o time não precisava, goleiro, por exemplo. Não pediu lateral direito que resolvesse a carência, nem zagueiros, confiando nos que estão lá, que formam uma das defesas mais vazadas do campeonato. Mandou contratar jogadores de qualidade duvidosa, um deles, Leo Sena, que ele mesmo dispensou, pouco depois que chegou. O time precisando de um finalizador e ele manda trazer o chileno Vargas, um articulador, que até agora, nada de se explicar. No Vasco, o promissor Marrony marcava gols e sempre se destacava. Contratado a peso de ouro, sua bola sumiu sob comando de Sampaoli, que não consegue tirar o melhor dele.

No auge da pandemia por aqui, o treinador não demonstrava preocupação com a Covid-19. Não era chegado em usar máscaras e não pegava no pé de quem não as usava. Compareceu a uma festa de membro da comissão técnica dele, que iniciou um surto na Cidade do Galo, ele inclusive, infectado. E tome desfalques em jogos cujos pontos perdidos estão fazendo falta agora.

Desde que chegou, se recolheu na casa que alugou em Lagoa Santa e na Cidade do Galo, sem nenhum interesse em se interagir com Minas, Belo Horizonte e a nossa gente, nossa cultura. Como um alto burocrata de uma grande estatal, faz o que bem entende e não dá a mínima para ninguém. Seu salário estando em dia é o que importa. Se o trabalho der resultado em campo, ótimo, se não der, paciência, não tem que prestar contas. Se encherem muito o saco dele, dá um tchau para o “Mineiro” e a “sus hinchas”, para não dizer, “que se fodam todos”.

E este espírito parece que foi incorporado pelos jogadores, maioria forasteiros, sem ligações, parentes, amigos ou maiores compromissos com Belo Horizonte. Na base do “Se der, deu! Se não der, dane-se!”.


O Inter continua querendo dar o título aos principais concorrentes, mas parece que o Galo não quer mesmo!

Foto: Pedro Souza/Atlético

Na briga do Galo por vaga direta na Libertadores, o líder do campeonato, Internacional, conseguiu perder mais cedo, em Porto Alegre, para o desesperado Sport Recife, por 2 a 1. Aí toda a imprensa começou com a ladainha novamente: “o Atlético volta a ter chances reais de chegar ao título; basta vencer o Fluminense”!

Ih, aí é que está o problema. O narrador e comentaristas que transmitiam pela TV certamente têm ordem superior para “jogar pra cima” qualquer pelada que a emissora transmite, aí dispararam a dizer que o Galo detinha “fantásticos” 68% de posse de bola. Mas não diziam que o time não dava nenhum chute a gol e que o primeiro tempo foi muito ruim, de dar calo nas vistas.

O segundo tempo melhorou, mas o Galo passou a ter “só” 67% de posse de bola. E nada de levar perigo ao gol do adversário. Aos 47 e aos 52 do o goleiro Everson fez duas ótimas defesas, garantindo o placar de zero a zero, que garante um ponto. A luta pela fase de grupos da Libertadores continua, meus caros e minhas caras!


Em apoio à campanha pela vida do Rafael, de dois anos de idade

Na vida temos que ser uns pelos outros, especialmente quando há uma criança envolvida. Estou solidário e também contribuindo com a campanha de arrecadação para a compra do remédio mais caro do mundo. Confira no vídeo:


Depois de quatro anos, Alencar da Silveira Jr. volta a presidir o América

Foto: Daniel Hott/América

* “. . . Jornalista, radialista, deputado estadual (PDT) e presidente do América. Polivalente, falastrão – no bom sentido do termo – e personagem marcante no futebol mineiro, Alencar da Silveira Júnior se prepara para deixar a cadeira mais importante do clube de coração e se diz orgulhoso do legado de sua gestão. . .”

No dia 18 de novembro de 2017 o Henrique André, do Hoje em Dia, iniciava com estas palavras a ótima entrevista que fez com o então presidente Alencar da Silveira Jr. em seus últimos dias como presidente do Coelho. “Após o título do Campeonato Mineiro de 2016, encerrando um jejum de 14 anos, e dois acessos para a Primeira Divisão do Brasileiro…”, dizia a sequência do texto.

Pois, hoje, depois de reunião muito tranquila da cúpula americana, ficou definido que ele voltará a ser presidente, sucedendo a Marcus Salum, que não quis se reeleger, mas continuará na diretoria.

Com Alencar, estarão na diretoria executiva: Euler Araújo, que deverá ser o homem forte do futebol, Paulo Ramiz Lasmar, Ricardo Raso e Glauco Santos. O grupo de apoio encabeçado por Marcos Salum, Antônio Baltazar e Fabiano Jardim.

Sucesso à nova diretoria e que o América continue crescendo, voltando a ocupar seu lugar na prateleira de cima do futebol brasileiro.


A aposentadoria do Tino Marcos e a vacinação do Léo Batista, que continua trabalhando

Divulgação/Globo

Coisa boa ver o Léo Batista firme e forte, aos 88 anos, sendo vacinado e certamente nos garantindo a sua presença no ar por mais muitos anos. E que pena ver o Tino Marcos anunciando que vai se aposentar. Grande figura humana, um dos melhores profissionais da comunicação que tive o prazer de conhecer. Por outro lado, que bom vê-lo tomando essa atitude, de preferir se retirar da pauleira do dia a dia, depois de 35 anos de trabalho, para curtir a vida, ficar mais próximo da família e viver. Isso não é muito comum, principalmente no jornalismo de cobertura do esporte, em que a maioria só sai de cena quando morre ou é “aposentada” pelos leitores e telespectadores.

A vacinação do Leo Batista foi informada no blog do Ancelmo Gois: * “Léo Batista é vacinado contra a Covid-19 no Rio”

Uma das vozes mais marcantes do Esporte da TV Globo, Léo Batista, 88 anos, recebeu hoje a primeira dose da vacina contra a Covid-19. A equipe do “Globo esporte” acompanhou o momento, que será exibido em reportagem do programa de amanhã, dia 10. (mais…)


Contratação de Loco Abreu põe Athletic de São João Del Rey no mapa do futebol Sul-americano

Que bom ter o Campo das Vertentes de volta à prateleira de cima do futebol mineiro. E mais ainda, São João Del Rey, um dos símbolos maiores das nossas montanhas. Os dirigentes do Athletic foram muito felizes na ideia de trazer o Loco Abreu, um nome mundial, que em termos de marketing foi um gol de placa. Tecnicamente também vale a pena já que, mesmo aos 44 anos de idade, vai acrescentar ao time em suas pretensões no campeonato, a primeira delas, se manter na primeira divisão. Depois, quem sabe, brigar até por uma classificação para a fase decisiva.

Além de toda a mídia convencional do Brasil, Uruguai, Argentina e demais países do continente, o site da CONMEBOL.com ,de enorme audiência na Europa e demais continentes, deu destaque ao retorno do atacante aos gramados, para a disputa do Campeonato Mineiro: @CONMEBOL “Sebastián “El Loco” Abreu definitivamente #CreeEnGrande y vuelve a romper su récord, ahora con 44 años es fichado por su equipo #30, el Athletic Club de Minas Gerais”.

O Vitor Lima Gualberto, diretor da InterMedio Sports, de Juiz de Fora, deu as boas vindas ao uruguaio, pessoalmente e via twitter: Vitor Lima Gualberto @vitorlimag “Seja bem-vindo ao Esquadrão de Aço, @loco13com!


Exemplo para os grandes clubes, do que “não fazer”: Montenegro teve que comprar bolas para o Botafogo treinar

Rebaixado pela terceira vez à Série B, o Botafogo luta para sobreviver. No futebol ou em qualquer empresa, sem aumentar receitas e diminuir despesas não tem jeito. Acreditar apenas na força da marca, da tradição, da paixão, dos “mecenas” e essas coisas é um risco sério, raramente bem calculado. O Botafogo entrou nessa e dançou feio. Por exemplo, acreditou que os irmãos João e Walter Moreira Salles (Unibanco/Itaú, dentre outras coisas), botafoguenses apaixonados, iriam viabilizar o clube, como aventado em 2019. Naquele mesmo fim de ano, o blog FogãoNet, dava sinais de desilusão:

* “Com novos investimentos ou não, irmãos Moreira Salles já deram futuro ao Botafogo

A notícia do Blog do Lauro Jardim (“O Globo”) de que os irmãos Moreira Salles não vão mais investir no Botafogo não chega a ser uma completa novidade. Nem é motivo para preocupação. Desde que o projeto ganhou força, os apaixonados botafoguenses fizeram questão de dissociar sua imagem, disseram que não vão ser donos do clube e que o “compromisso tinha se encerrado” com a contratação de estudo com a Ernst & Young. Algo totalmente normal, dado que os irmãos têm como característica a discrição. Se vão investir novamente no futuro ou não, nos parece precipitado cravar. Ninguém tem bola de cristal ou certeza de como serão os próximos anos do Botafogo. Mas é pouco provável que eles, botafoguenses fervorosos e que sempre ajudaram nas horas ruins, se afastem totalmente.

De qualquer maneira, os investimentos dos Moreira Salles (cerca de R$ 50 milhões) já deram perspectiva de futuro ao Botafogo. Afinal, um Centro de Treinamento para futebol profissional e base dará frutos por muito tempo. E ao iniciarem o projeto da Botafogo S/A, com o estudo, apontaram o caminho do clube como empresa para os próximos anos e abriram a possibilidade da chegada de novos investidores. (https://www.fogaonet.com/blog-da-redacao/com-novos-investimentos-ou-nao-irmaos-moreira-salles-ja-deram-futuro-ao-botafogo/)

Em 28 de outubro de 2020, um dos botafoguenses que mais ajudaram o clube nas últimas décadas, Carlos Augusto Montenegro, deu entrevista bem realista a Emanuelle Ribeiro, do Globoesporte.com:

* “Em meio à turbulência no Botafogo, Montenegro afirma: “O clube está falido””

Clube vive dia movimentado após derrota para o Cuiabá. Dirigente conta: “Outro dia comprei 18 bolas de futebol para eles treinarem. Não tinha bola!”

O Botafogo vive dia turbulento depois de perder para o Cuiabá no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil na última terça-feira. Após declaração polêmica de Felipe Neto e demissão do técnico Bruno Lazaroni, o membro do comitê executivo de futebol Carlos Augusto Montenegro convocou a imprensa para uma entrevista coletiva, afirmou que “o clube está falido” e contou ter precisado comprar bolas para os jogadores treinarem.

– Eu já estava com vontade de sair, mas agora eu não posso, pois seria covarde. Poderia desmarcar essa entrevista, mas preferi fazer. Essa será uma entrevista histórica, pois será a última que pretendo fazer. A ideia do comitê preservou algumas pessoas no Botafogo, quem mais aparecemos somos eu e Rotenberg. Coloco a cara e acabo pagando por isso, mas não vou mudar com 66 anos. Está na hora de eu sair, pois está me fazendo mal – afirma Montenegro.

“As pessoas não entendem que o clube está falido, que não tem dinheiro para pagar água e luz, ficam pedindo Luxemburgo, Abel, contratações, mas não sabem que subimos alguns atletas na marra, a própria efetivação do Bruno foi por falta de dinheiro”

“Corre risco de levar W.O. Não tem receita, só conseguimos pagar salários. A vida não é só isso. Temos viagens, concentração, treino, água, luz, gás, bola. Outro dia comprei 18 bolas de futebol para eles treinarem. Não tinha bola! Por isso não estão jogando bem? Não! Porque eu comprei bola. Quem vai ajudar? Uma vaquinha? Felipe Neto? As pessoas que cobrem o Botafogo? Não sei quem vai fazer isso. Por isso precisamos de dinheiro novo” (mais…)


Fluminense, próximo adversário, fez o oposto do Atlético contra os adversários da prateleira de baixo

Foto: www.trivela.com.br

Pois é! Não tivesse vacilado tanto em função de tantas opções equivocadas do Sampaoli, o Atlético estaria com a mão na taça do Brasileiro 2020. Também gostei da contratação deste treinador argentino que fez sucesso no futebol chileno. Mas, a relação custo/benefício dele ficou muito abaixo do que se esperava. Todavia, não adianta chorar o leite derramado. Vida que segue. O negócio agora é não deixar escapar a vaga na fase de grupos da Libertadores, e para isso, basta vencer o Fluminense, quarta-feira, 21h30, no Maracanã. Tarefa nada fácil.

O Atlético investiu alto e deu ao treinador tudo o que ele queria. E mesmo com tantas mancadas, infantis para um profissional tão experiente, ele continua com apoio considerável de boa parte da torcida, e por incrível que pareça, até de comentaristas conceituados.

Os defensores do argentino costumam usar um argumento que me obriga a duvidar da inteligência deles: “estamos entre os quatro primeiros e vocês ficam pegando no pé do treinador…” Ora, ora, santa memória fraca nacional: com um plantel infinitamente inferior ao atual, sem tempo para treinar, salários atrasados e sem nenhum tratamento de Rei, Thiago Larghi (lembram dele?) liderou o Brasileiro de 2018, vencido pelo Palmeiras. Ficou em segundo lugar durante várias rodadas. Em determinado momento teve um saldo de 17 vitórias em 32 jogos, sete empate e oito derrotas. E olhem que o diretor de futebol era o Alexandre Gallo, hein!?

Nessa história de relação “custo/benefício”, do Jorge Sampaoli, comparem o que o Atlético investiu nele, na comissão técnica dele e nos jogadores que ele mandou contratar, com o próximo adversário, por exemplo, que está na cola por uma das quatro vagas diretas da Libertadores. O Fluminense, que vende almoço para comprar o jantar, nessa reportagem do jornal Extra, do Rio:

* “Fluminense: Aproveitamento de 76,9% contra times que lutam contra o rebaixamento é um dos trunfos no Brasileiro”

O Fluminense que oscilou no Brasileiro após Marcão assumir o comando deu uma reviravolta e entrou de vez na briga pela vaga direta na fase de grupos da Libertadores. Este salto foi possível graças a uma sequência de cinco jogos com quatro vitórias e um empate. O aproveitamento de 86,6% neste período resume bem aquele que é um dos principais trunfos da equipe e que ajuda a entender como ela tem se mantido tão competitiva: praticamente não desperdiçou pontos contra os membros da parte de baixo da tabela. Ao contrário do que fez em edições mais recentes e até do que têm feito alguns de seus principais concorrentes na atual.

Todos os últimos cinco jogos do Fluminense foram contra equipes que lutam contra o rebaixamento: Sport (17º), Coritiba (19º), Botafogo (20º), Goiás (18º) e Bahia (16º). Se incluirmos no recorte os confrontos contra Vasco (15º) e Fortaleza (14º), o desempenho segue positivo. Levando em consideração os dois turnos, foram 39 pontos disputados contra estas equipes. Os tricolores conquistaram 30, o que dá um aproveitamento de 76,9%. É mais da metade do total de 56 obtidos até agora. (mais…)


E lá se foi o Lula Pereira, aos 64 anos!

Foto: Pedro Silveira/O Tempo

Grande treinador, grande figura humana, marcou passagens importantes no futebol mineiro dirigindo o América. Informações do SuperFC: * “Morre Lula Pereira, técnico campeão mineiro de 2001 com o América”

Ex-treinador tinha problemas cardíacos e morreu, neste domingo (7), aos 64 anos em Fortaleza

Morreu neste domingo (7), em Fortaleza, o ex-jogador e ex-treinador Lula Pereira, campeão mineiro de 2001 como treinador do América.

Lula Pereira, de 64 anos, foi vítima de problemas cardíacos decorrentes de um acidente vascular cerebral (AVC), sofrido em 2019. Como jogador, atual por Sport, Santa Cruz e Ceará. Como técnico, trabalhou em dezenas de clubes, como Portuguesa, Flamengo, Bahia. Ele era natural de Olinda (PE).

O América prestou homenagem em suas redes sociais:

América FC @AmericaMG: “O América Futebol Clube lamenta muito o falecimento do ex-técnico Lula Pereira, que conquistou um Campeonato Mineiro pelo Clube. Desejamos força para todos os familiares e amigos.”

https://www.otempo.com.br/superfc/am%C3%A9rica/morre-lula-pereira-tecnico-campeao-mineiro-de-2001-com-o-america-1.2444569


Página 3 de 1.18412345...102030...Última »