Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Metade mais um dos atleticanos querem Papagaio como atacante titular do Galo contra o Goiás

Foi o que a enquete da 98FM mostrou. Também votei no Papagaio. Se o Palmeiras investiu nessa promessa, 19 anos de idade, é porque tem algo a mostrar. Ricardo Oliveira está na hora de buscar outra atividade. Alerrandro já mostrou até onde pode chegar. Está na hora do Papagaio ser verdadeiramente testado.

A 98 perguntou:

Quem deve ser o atacante titular do Galo no domingo?

Alerrandro

20%

Ricardo Oliveira

14%

Papagaio

51%

Terans de falso 9

16%

5.460 votos · Resultados finais


Medo de arriscar e pressão pra fugir da zona da degola derrotam o América novamente em casa

Se o “se” valesse alguma coisa o América teria conseguido vencer finalmente nesta segundona nacional. O time começou quente pra cima do Atlético-GO, que jogou com uma das camisas mais feias que já vi no futebol, mas o time é bom. Com a chance de sair na frente, um pênalti aos quatro minutos, Jonatas Belusso bateu como manda o figurino: forte quase tocando na trave, rasteiro, mas o goleiro Mauricio se esticou todo e defendeu com competência rara.

O Coelho foi em busca do empate mas jogando com três volantes é difícil. Aos 43 do segundo tempo, com o time quase todo no ataque, o gol da vitória goiana, marcado pelo Jorginho, de cabeça. O Atlético-GO entrou na zona de classificação com essa vitória e o América continua na penúltima posição. O público pagante foi de 1.241 no Independência para uma arrecadação de renda: R$ 5.982,00.


Como disse o Héverton Guimarães “Atlético enfiou a faca, mas ficou com dó de girar. Como perde gols! Impressionante”

O Atlético se aproveitou de uma falha do Marcelo Benevenuto numa saída de bola do Botafogo para fazer 1 a 0, mas desperdiçou três outras oportunidades impressionantes, que dariam para sair com um placar mais tranqüilo do Engenhão. Vinícius marcou e o resultado final foi este mesmo, depois de boa atuação da maioria do time.

Sobre o gol não confirmado pela arbitragem e sobre o Elias, também concordo com o Héverton: “não vi falta no lance. Pra mim foi legal. Bom jogo do Elias.”

A escalação que deu certo: Cleiton, Patric, Réver, Igor Rabello, Fábio Santos, Jair, Elias, Otero (Maicon), Vinicius (Natan), Chará e Ricardo Oliveira (Papagaio). Técnico: Rodrigo Santana.

O público pagante foi de 14.345 pagantes. O jogo da volta será quarta-feira, 21h30, no Independência. Pelo Brasileiro o Galo joga domingo em Goiânia contra o Goiás, às 19 horas.


Atlético e Botafogo são instáveis; estatísticas e tabus são bobagens ao vento. O que vale é a qualidade de cada time no momento

Imagem: www.atletico.com.br

Levantamentos de jogos anteriores entre os adversários e “tabus” feitos pela imprensa antes de todo jogo são apenas recheios aos noticiários pois na prática não valem nada em termos de previsão do que poderá acontecer na partida. A mesma coisa quando um jogador ou treinador vai enfrentar o seu ex-clube. Tem repórter e comentarista que gostam de dizer que o fulano conhece muito bem o clube tal porque trabalhou lá ou jogou lá. Só se forem as dependências físicas e mesmo assim se não tiver passado muitos anos da última passagem da figura pelo clube, já que tudo muda numa velocidade impressionante. Para Botafogo x Atlético ocorre sempre essa farra de previsões baseadas em retrospectos e agora com o “ingrediente” Igor Rabelo, zagueiro que foi do clube carioca.

O que vale é a qualidade de cada time, o resto é perfumaria pura. E se analisarmos pelo atual momento de ambos é jogo para empate esta noite pela Sul-Americana, 21h30 no Engenhão. Dois times instáveis e inconfiáveis. Se, na sequência, depender de decisão por pênaltis o Galo corre mais riscos, já que só tem o Fábio Santos como ótimo cobrador. Muito bom que o Cleiton tenha mais uma oportunidade no gol. Parece estar se credenciando como bom sucessor do Victor, para futuro muito próximo. Cazares está fora, barrado por uma conjuntivite. Jogador difícil de confiar, pois depende do jogo; da “lua”, etecetera e tal. Tomara que o Vinícius comece jogando ao invés do Luan. Também gosto do volante Jair, que não chega nem perto da perfeição tecnicamente, mas tem aquilo que grandes volantes do Galo tinham e têm que ter: vontade de ganhar e espírito de liderança. Os últimos que exerciam bem isso foram o Pierre e Leandro Donizete. O que não sai da memória dos atleticanos que estavam nas arquibancadas nos anos 1980 é o saudoso Chicão. Um adversário dava porrada no Reinaldo, Éder, Cerezzo ou qualquer outro craque e lá estava o Chicão avisando ao próprio porradeiro ou ao craque do time dele que o pau ia cantar pro lado dele também. Parece que o Jair tem essa característica. Usei “parece” duas vezes neste texto porque tudo para ainda em formação neste time do Atlético, apesar de estarmos com a temporada em “alto mar” neste 2019.

O Galo pra esta noite: Cleiton, Patric, Igor Rabello, Réver e Fábio Santos, Jair; Chará, Elias, Luan (Vinicius) e Otero; Alerrandro (Ricardo Oliveira). Técnico: Rodrigo Santana

Botafogo: Gatito Fernández, Marcinho, Joel Carli, Marcelo Benevenuto e Gilson; Alex Santana, João Paulo, Cícero e Erick; Pimpão e Diego Souza. Técnico: Eduardo Barroca

Apita o paulista Raphael Claus, auxiliado pelo baiano Alessandro Rocha Matos e pelo goiano Fabrício Vilarinho. O do vídeo é o gaúcho Anderson Daronco.


Luz no fim do túnel do América, que assume a sua fragilidade na luta contra o rebaixamento

Foto: Mourão Panda/América

A pior coisa que existe é a figura do “pobre soberbo”, aquele que come couve e arrota caviar. O América costuma adotar essa postura, mas parece que pelo menos neste momento isso mudou. Claro que um empate dentro de casa contra um adversário que também luta contra a queda para a Série C não pode ser considerado bom. Porém, melhor assumir que vai somar pontos para fugir da zona da degola do que continuar achando que tem um time ao menos razoável e perder mais jogos e se atolar de vez nessa segundona.

Gostei da entrevista pós 0 a 0 do supervisor transformado em técnico, Felipe Conceição, ao ser cobrado por entrar com três volantes e terminar o jogo com eles, mesmo no Independência e contra o Oeste/SP. É a realidade americana, que não tem jogadores para partir para cima sem o risco de tomar gols. E ele usou o mesmo discurso do Mano Menezes: “primeiro é se preocupar em não tomar gols; assim você fica mais próximo da vitória”. Aposta em uma bola e de repente consegue os três pontos numa dessas “goleadas” de 1 a 0.

A diferença é que Mano tem jogadores de qualidade na criação no meio e capacidade de finalização no ataque, coisa que o Coelho está longe.

Para quem está na zona da degola desde o inicio do campeonato, somar mais um ponto já está bom e sair da lanterna dá uma animada, apesar de apenas um ponto acima do, quem diria, Guarani de Campinas.

A classificação da Série B:

P J V E D GP GC SG
1 BRAGANTINO 23 11 7 2 2 16 5 11
2 PARANÁ 22 11 6 4 1 13 9 4
3 BOTAFOGO-SP 20 11 6 2 3 13 8 5
4 LONDRINA 20 11 6 2 3 13 11 2
5 PONTE PRETA 19 11 5 4 2 16 11 5
6 CORITIBA 18 11 5 3 3 14 10 4
7 ATLÉTICO-GO 18 11 5 3 3 13 10 3
8 SPORT 18 11 4 6 1 15 11 4
9 FIGUEIRENSE 17 11 4 5 2 11 7 4
10 CRB 16 11 5 1 5 13 12 1
11 CUIABÁ 15 11 4 3 4 10 11 -1
12 OPERÁRIO 14 11 4 2 5 9 10 -1
13 BRASIL DE PELOTAS 13 11 4 1 6 8 11 -3
14 OESTE 13 11 2 7 2 9 6 3
15 CRICIÚMA 12 11 3 3 5 7 12 -5
16 VILA NOVA 11 11 2 5 4 7 11 -4
17 SÃO BENTO 9 11 2 3 6 12 17 -5
18 VITÓRIA 7 11 2 1 8 11 23 -12
19 AMÉRICA-MG 7 11 1 4 6 7 15 -8
20 GUARANI 6 11 1 3 7 5 12 -7

 


Grande resultado do Cruzeiro no Monumental de Nuñes com direito a essa tensão no último minuto dos descontos

Imagem: twitter.com/Cruzeiro

O primeiro tempo foi do River Plate que se impôs do princípio ao fim e desperdiçou pelo menos duas oportunidades claras. O Cruzeiro se defendeu muito bem e Fábio outra vez fez ótimas defesas. No segundo tempo o time voltou com mais confiança e equilibrou as ações, levando perigo ao gol argentino em contra ataques. O River pôs em campo Lucas Pratto que estava sendo poupado exatamente para uma “emergência” e quase funcionou. Suarez chutou para cima o pênalti sofrido por ele, garantindo o zero a zero no placar.

A falta cometida por Henrique, que puxou Lucas Pratto pela camisa, não foi dada pelo árbitro, mas ele foi alertado pelo VAR. (mais…)


Duelo de grandes estrategistas: Mano x Gallardo, atração à parte neste River x Cruzeiro

Foto/montagem: globoesporte.globo.com

Marcelo Gallardo é maior revelação como treinador da América do Sul (que trabalha no continente), nos últimos anos. Ex-meio campista aguerrido, identificado com o próprio River, onde foi ídolo, disputou as Copas de 1998 e 2002 pela Argentina. Está com 43 anos de idade e começou a vitoriosa carreira de treinador no Nacional de Montevidéu, em 2011. Está há cinco no comando do River. Depois dessa Libertadores, assume a seleção argentina.

Ele e Mano Menezes travarão uma disputa à parte. Considero Mano um dos melhores estrategistas do continente também. É o técnico mais longevo no Brasil atualmente, com três anos ininterruptos no comando do Cruzeiro. Com os seus 57 anos de idade e cacifado pela rodagem em vários grandes clubes e seleção brasileira, conhece bem as táticas do Gallardo, que por sua vez também o conhece muito bem.

O Cruzeiro se reforçou para reinício da Liberadores; River não conseguiu e corre rico de ficar sem Lucas Pratto. Certamente teremos mais um jogo memorável entre Cruzeiro e River Plate esta noite em Buenos Aires, a partir das 19h15. Neste grande intervalo entre a fase de grupos e as oitavas, o Cruzeiro conseguiu um reforço de verdade, Pedro Rocha, que resolveu enorme problema do Mano Menezes em termos técnicos e táticos. Habilidoso, muita velocidade e eficiente tanto pelo centro do ataque quanto pelas beiradas. Tudo que o Mano precisava para os seus mortais contra ataques.

Já o River não conseguiu se reforçar e o técnico Marcelo Gallardo ainda corre o risco de ficar sem Lucas Pratto, importantíssimo taticamente, mas “baleado”. Deve ficar no banco hoje e dificilmente estará 100% no jogo de volta, na semana que vem em Belo Horizonte.

Pratto é tão importante para o time que a maioria da torcida do River preferia que ele fosse poupado neste primeiro jogo para ficar inteiro no segundo. É o que revela enquete feita pelo jornal Olé:

Los hinchas no saben qué hacer con Pratto”

Foto: http://www.cariverplate.com.ar

En la encuesta que propuso Olé para los de River, con más de 12 mil votos, poquito más de la mitad opinó que lo cuidaría para la revancha contra Cruzeiro en Brasil. ¿Vos qué harías?  

River abre esta noche su serie de octavos de final contra Cruzeiro y, como seguramente le sucedió a Marcelo Gallardo durante toda la semana, los hinchas no deciden qué hacer con Lucas Pratto. Esto quedó reflejado en la encuesta que propuso Olé, en la que votaron más de 12 mil personas, con una leve ventaja del 54% para los que preferirían resguardarlo para la revancha del martes que viene en Belo Horizonte…” (mais…)


Atuação vergonhosa e empate com gosto de derrota do Atlético contra o Fortaleza

Pois é! A torcida aplaudiu o time eliminado pelo Cruzeiro na quarta-feira, pela “entrega” e hoje viu o inverso: um time preguiçoso, displicente e irresponsável contra o Fortaleza, em pleno Independência. Com a derrota do Palmeiras e empate entre Corinthians e Flamengo era a oportunidade de ouro de chegar mais perto do topo da tabela. Fez 2 a 0 no primeiro tempo, tinha tudo para golear, mas resolveu administrar o placar, e tomou o empate. Duas cobranças de pênalti pessimamente executadas e dois pontos jogados fora nessa pauleira que é campeonato brasileiro. Um resultado desanimador e um futebol da pior qualidade.

Alguns comentários de colegas da imprensa e torcedores no twitter:

Andre Pelli‏ @delegadoandre

“Comportamento desrespeitoso e pouco profissional do @luanmadson que fez a mesma coisa quando o Larghi o tirou do time ano passado. Na hora do diretor de futebol mostrar a que veio. @Atletico

Frederico Ribeiro‏ @Fredfrm “Três últimas cobranças de pênalti do Atlético erradas. Ricardo Oliveira Alerrandro Luan Saudade de Fábio Santos? #trhorto

Victor Antinossi‏ @victorantinossi “Os caras perdem pra uma equipe com 1 vitória em 13 jogos…a torcida bate palma pela “entrega” (que é obrigação SEMPRE). Passa a semana postando campeonatinho de futmesa e empata com uma equipe que mal mal joga a série A. Querem o que agora? Carinho? VTNC cambada de FDP!!!”

Thiago Nogueira‏Conta verificada @thiagonoggueira Fábio Santos em cobranças de pênalti pelo Atlético: 13 gols em 14 cobranças (93% de aproveitamento). Sem Fábio Santos em campo: três pênaltis perdidos (Ricardo Oliveira, Alerrandro e Luan) e um convertido (Cazares).”


Cruzeiro com time reserva, América testando treinador e expectativa sobre qual Galo contra o Fortaleza

Imagem htesports.com.br

O América testa novo treinador hoje às 16h30 contra o Vila Nova, no Serra Dourada, em Goiânia. Felipe Conceição tenta tirar o time da incômoda 20ª posição da Série B, apenas cinco pontos em nove jogos.

O Cruzeiro vai de time reserva contra o Bahia em Salvador, também hoje, 17 horas. Também está em posição incômoda no Brasileiro, 17º lugar, nove pontos em 10 jogos, porém, tem Libertadores na terça-feira, contra o River, em Buenos Aires, e precisa preservar seus principais jogadores. O Bahia, dirigido pelo Roger Machado, está na 11ª posição, com 14 pontos em 10 jogos.

O Galo recebe o Fortaleza do Rogério Ceni, 13º lugar, 13 pontos em 10 jogos. Em quarto lugar, 19 pontos em 10 partidas, tem a oportunidade de subir na classificação, desde que atue com a determinação de quarta-feira contra o Cruzeiro. O que não dá pra entender é o porque de não ter entrado tão determinado no primeiro jogo, quando tomou de 3 a 0, “andando” em campo. Por isso também não entendo aplausos da torcida como depois do jogo de quarta. Os caras cumpriram a obrigação deles nestes 2 a 0, mas porque não fizeram o mesmo no jogo anterior? Qualquer time, nem sempre joga bem, mas garra e determinação é obrigação e este time do Atlético só entra em campo assim de vez em quando, quando muito pressionado, como no jogo passado. Aí fica a expectativa: qual Galo jogará contra o Fortaleza amanhã? O determinado, com “sangue nos olhos” de quarta-feira, ou o burocrático e lerdo de outros jogos?


Triste demais a morte de um pai de família durante o clássico no Independência

Foto e homenagem publicadas pelo Arcebispo @Arcebispo13 no twitter: “Vai com Deus Luciano…. cantaremos por nós e por vc. SEMPRE @Atletico

Mais triste ainda quando o filho pequeno está na companhia dele, como foi o caso. Meus sentimentos, e tenho certeza que de todos que lêem e participam do blog, à família do Luciano Oliveira Palhares, de 34 anos, atleticano, que chegou a ser socorrido, mas morreu no Hospital João XXIII, vítima de infarto.

Lembrei-me de fato semelhante ocorrido em fins dos anos 1950, também no Independência, quando morreu em circunstâncias parecidas o senhor Pedro Maciel, torcedor do Democrata de Sete Lagoas, no momento em que o Jacaré tomou um gol do Bela Vista. Era o primeiro clássico entre eles no profissionalismo, pelo Campeonato Mineiro. Este jogo e essa rivalidade eram tão fortes, que por questões de segurança a Polícia Militar determinou que fosse realizado no “Gigante do Horto”, maior estádio de Minas Gerais naqueles tempos, quando se gastava mais de três horas de deslocamento de Sete Lagoas à Capital.

Reportagem da Globo, retransmitida no Globoesporte.com:

“Homem morre após passar mal no Independência durante Atlético-MG e Cruzeiro”

Torcedor, que estava com o filho, tinha 34 anos, chegou a ser socorrido e morreu no João XXIII; clube divulgou nota de pesar.

Por Magno Dantas, TV Globo (mais…)


Página 6 de 1.110« Primeira...45678...203040...Última »