Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Times alagoanos se tornaram pedra no sapato do Cruzeiro e CSA tira sarro em suas redes sociais

E já no segundo jogo, Ney Franco começa tomar porrada. Coitado, sem jogadores à altura, nenhum treinador consegue montar time. Aquela primeira provocação do Thiago Neves ao CSA, continua gerando consequências. Virou uma disputa alagoana entre os dois maiores rivais do estado. Ninguém quer perder para o Cruzeiro. No Brasileiro da Série A 2019, Copa do Brasil 2020 e Série B 2020, CSA e CRB se tornaram pavor da Raposa, que está seis jogos sem vencê-los.

Após a derrota de ontem para o CSA, Alberto Rodrigues usou o twitter para mais um desabafo: @maisvibrante “Derrota acachapante do Cruzeiro ante um time fraco q é o CSA. Ney Franco falhou na formação do time e nas alterações e fica na obrigação de mudar o time. Falhas clamorosas do setor defensivo. Tá ficando vergonhoso…”

E agora CSA dá o troco em suas redes sociais: @CSAoficial ” Fala, Zezé! Bom dia, cara…

BORA NAÇÃO!! Acreditar sempre!!! Vitória do Azulão, 3×1 no Cruzeiro. Pelo amor de Deus, né? Respeita o #MaiorDeAlagoas

. Acorda, Zé!!!! Vamos lutar até o fim.

Os 70 anos da TV no Brasil, a suposta ação do TN contra o Galo e o “amor” à camisa

Obrigado ao Luiz Souza, que sugeriu uma postagem sobre os 70 anos da televisão brasileira. Aqui, lembrança dos áureos tempos do Minas Esporte, programa que marcou época na TV de Minas Gerais, durante mais de 30 anos. Estávamos nos preparando para entrar no ar. O Minas Esporte era comandado pelo Flávio Carvalho. Eu o substituía eventualmente na apresentação. Como no dia desta foto, em 1994, com a bancada formada pelo Tostão (esq.), Valdir Barbosa (que poucos meses depois se tornaria chefe da comunicação do Cruzeiro e o saudoso Luiz Carlos Alves, que infelizmente morreu em agosto de 2017. Observem as câmeras e o monitor de TV, hoje peças de museu.

***

Ontem selecionei alguns comentários da turma do próprio blog e por algum motivo técnico a postagem não saiu.  Seguem agora:

Luiz Souza

“Prezado Chico e amigos
Que tal falarmos dos 70 anos da TV brasileira? Seria um bom post para discussão.
Do ponto de vista esportivo, já que aqui é um espaço pertinente, acho que o gol mais emblemático que eu vi foi o do Carlos Alberto na final de 70 contra a Itália. Aquela bola que o Pelé dominou, olhou para o lado e viu o Carlos Alberto correndo, rola a bola para o lateral, quase com “desdém” e imagina…”vai lá e faz….liquida que o tri é nosso”. Emocionante naquele momento. Outra imagem maravilhosa foi aquela atleta na olimpíada se arrastando para cumprir a maratona com o estádio de pé aplaudindo…esse foi de chorar. Vitórias de Airton Senna, Piquet, Emerson Fittipaldi .
Do lado do Galo…o gol de Dadá contra o Botafogo na final de 71..o pé do Vitor, gols de Reinaldo…Aquela Libertadores, maluca e sofrida…enfim, seria bom ouvir os amigos do Blog.
Quais as imagens que mais marcaram cada um de vocês?

Abraços a todos”

– – –

Stefano Venuto Barbosa

Thiago Neves x Atlético: “Não está cobrando judicialmente, fez uma notificação, se tivesse mesmo direito já teria entrado com um processo, no meu modo de ver, foi só pra jogar pra torcida. Ele não tem um contrato pra cobrar e a lei especial que rege contratos de jogadores exige o exame médico anexo e assinatura do jogador, sem contrato e assinando com outro clube ele vai cobrar o quê? Não existe prejuízo a ser cobrado.”

– – –

Dudu Galomaio

“Bom dia, Chico!
E o Cerezzo perdeu mesmo. Não somente eu, mas muitos atleticanos que conheço, reconhecemos o grande jogador que foi. Porém, ficou a antipatia e desprezo. Deixou de ser ídolo. Restou apenas a lembrança de que um dia foi um grande jogador do Galo.

Quanto ao Mister Rebaixamento (Adilson Batista), esse não corre esse risco. Será sempre ídolo da “Conchinchina Azul”, faça o que fizer. Sabe por quê? Porque do lado de lá, não precisa muito pra ser ídolo.. basta provocar o Galo na mídia, que será eternamente louvado, mesmo que acabe com o clube azulino.”

– – –

Antônio Silva

“O mais impressionante é a detonação do Galo por boa parte da imprensa, tudo porque o Galo é 2º colocado no Brasileirão e tentam a todo custo criar crise. E a torcida do Galo embarca na onda, inclusive de azulinos infiltrados. Ontem o Alterosa esportes dedicou 99% do programa aos casos T. Neves e Villa e 1% ao processo do Adilson Batista, mas omitiram as centenas de outros processos, quase que imediatos. No programa, parecia que América e Crucru estavam na SÉRIE A no topo da tabela e o Galo nas últimas colocações da SÉRIE B. Era uma euforia total da oposição sem explicação nenhuma, já que os dois atleticanos fazem a linha de oposição do programa às diretorias do Galo. Parei de assistir!”


Máscaras que caem e a hipocrisia nua no mundo do futebol

Tenho aversão a jogador já rodado, que quando é apresentado em um novo clube, beija a camisa, fala maravilhas do motivo que o fez “escolher” este novo patrão, diz que acredita no “projeto”, que a torcida é a melhor do mundo, que nunca viu centro de treinamento igual, e bla, bla, bla…

Na verdade, são tantos os interesses inconfessáveis (Ave Brizola!), hipocrisia e mentiras motivados, orientados e incentivados pelos departamentos de marketing e publicidade dos clubes. Neste futebol absolutamente comercial que tomou conta do Brasil, mas nada profissional, como deveria ser. A imprensa faz o jogo, às vezes como “inocente útil”, às vezes por “excesso de amizade” e na maioria dos casos, por interesses comerciais mesmo, já que os patrocinadores dos clubes, jogadores, repórteres, comentaristas e veículos de comunicação, em muitos casos são os mesmos. E não se fala mal de patrão, ou de quem paga as contas e salários, não é?

Neste contexto, a máscara cai em mais uma jura de amor eterno de ex-jogador/treinador a um clube de futebol. Adilson Batista acionou o Cruzeiro em dois processos trabalhistas, exigindo o pagamento de  R$ 1,3 milhão.

Ora, ora, claro que todo contrato tem que ser cumprido e quem trabalha precisa receber. Porém, se ele não está em situação financeira difícil e este direito dele está muito longe de prescrever, para quê botar mais essa corda no pescoço do clube agora? Mesmo se estivesse apertado, precisando de dinheiro urgentemente, que tal negociar extrajudicialmente, já que o Cruzeiro era o “amor” da vida dele?

Faz lembrar o Toninho Cerezo que jurou a vida toda que jogaria “de graça” no Atlético antes de encerrar a carreira. No retorno do futebol italiano, flertou com o Galo, acertou com o Cruzeiro e estreou justamente contra o “glorioso” (como ele se referia ao Atlético) no dia seis de março de 1994. Foi um dos melhores em campo na vitória cruzeirense por 3 a 1, três gols do Ronaldo, que começava a se tornar o “fenômeno” naqueles tempos. Na sequência, salvou o Cruzeiro do rebaixamento, marcando gol e dando passe para outro na vitória sobre o União São João em Araras/SP. Depois, levou calote do Cruzeiro. Entrou na justiça e “estranhamente” perdeu a ação, já que a sua citação para a audiência foi enviada para endereço errado, porém dada como “recebida”.

Perdeu a paixão que a massa tinha por ele, arrependeu-se amargamente, mas era tarde.


E lá se foi o repórter Paulo Rodrigues

À direita, Paulo Rodrigues na cobertura de treino do Atlético em 1990, na Vila Olímpica. A partir da esquerda, o técnico Jair Pereira, Chico Maia, Jorge Luiz (na época do Hoje em Dia), Roberto Nery (Diário da Tarde) e Paulo Celso, do Estado de Minas. 

Tive o prazer de trabalhar com o Vicente Paulo Rodrigues, o Paulinho, no começo da minha carreira em Belo Horizonte, na Rádio Capital, em 1979. Ele cobria o Atlético, o Afonso Alberto o Cruzeiro e eu o América.

Hoje tivemos a triste notícia da morte dele, aos 73 anos de idade. A Rádio Itatiaia prestou uma bela homenagem a ele no programa Rádio Esportes e no site da emissora:

* “Morre ex-radialista da Itatiaia, Paulo Rodrigues, aos 73 anos”

Paulo Rodrigues nasceu em Ibirité, no dia 14 de setembro de 1947

O corpo do Paulo Rodrigues será velado no Memorial Zelo, no bairro Gutierrez, em cerimônia restrita a familiares, em virtude da pandemia do novo coronavírus.

Ele foi, por muitos anos, setorista do Cruzeiro na Rádio de Minas.

História

Paulo começou a carreira na Rádio Jornal de Minas, hoje Rádio América. De lá, foi para a Rádio Capital de São Paulo, onde participou da cobertura da sua primeira Copa do Mundo, em 1978, na Argentina.

Voltou para BH e daqui não saiu mais. Passou pelas rádios Inconfidência, Capital e Itatiaia. Pela Itatiaia, participou da cobertura de três Copas do Mundo: 1982 na Espanha, 1986 no México e 1990 na Itália.

Depois, foi para a Rádio Mineira. Em seguida, apresentou um programa na TV a cabo. A Itatiaia faz uma homenagem a Paulo Rodrigues, relembrando o gol da conquista da seleção brasileira na Copa América de 1989: vitória sobre o Uruguai por 1 a 0, no Maracanã. A lateral do gol é do Paulo Rodrigues e a narração é do inesquecível Willy Gonser.

Ouça aqui.

https://www.itatiaia.com.br/noticia/morre-ex-radialista-da-itatiaia-paulo-rodrigues-aos-73-anos


Morre Dudu, ex-preparador físico do Cruzeiro. O futebol perde um grande profissional

Apenas 49 anos de idade. Se recuperava de um AVC e Mano Menezes o aguardava para trabalhar com ele no Bahia.
Mas, nesta madrugada veio a péssima notícia. O treinador postou no twitter esta foto (acima) e esta mensagem:
@manomenezes
* “Vá em paz, meu grande amigo. Foi um grande privilégio para mim ter percorrido esse caminho ao seu lado. Ficam os ensinamentos. Fica a história que construímos juntos.”
***
O Cruzeiro publicou este comunicado:
@Cruzeiro
* “Lamentamos a morte do preparador físico Eduardo Silva, o Dudu, que defendeu a nossa camisa e foi peça fundamental em grandes conquistas, como o bicampeonato da Copa do Brasil em 2017 e 2018.”
***
Nossos sentimentos à família!

Novidade no retorno da Libertadores é o SBT novo dono das transmissões em canal aberto

O Palmeiras já está nas alturas de La Paz para enfrentar o Bolívar, hoje, às 21h30 (de Brasília), no estádio Hernando Siles, pela terceira rodada da fase de grupos, com transmissão pelo SBT. O Sistema Globo está fora, também nos canais por assinatura, em que a Fox Sports já transmite e no lugar do Sportv entra a Conmebol TV, serviço de pay-per-view da Confederação Sul-Americana. O jornalista Luis Menon escreveu no blog dele que a Globo “trucou” e levou “seis”, nessa negociação:

* “Globo trucou e levou seis na cabeça. Bom para o mercado jornalístico”

A Globo sofreu uma grande derrota comercial. Mandou uma carta à Conmebol rompendo o acordo de US$ 60 milhões. Achou que não haveria concorrência e que um novo acordo poderia ser assinado, em melhores condições. A Conmebol não se incomodou e foi à luta por novos parceiros. E, quando estava próxima de assinar com o SBT, foi procurada novamente pela Globo —que oferecia cerca de US$ 15 milhões a menos do que o contrato original. Não houve acordo e a Libertadores, a partir de quarta-feira, tem uma nova casa. (mais…)


Uai? Adilson Batista também aciona o Cruzeiro na justiça

Foto: Cruzeiro/Divulgação

Do Globoesporte.com:

* Demitido em março, Adilson Batista aciona Cruzeiro em dois processos na Justiça do Trabalho

Ações correm em segredo de justiça e foram iniciadas há pouco tempo

Por Gabriel Duarte — de Belo Horizonte

O Cruzeiro enfrenta novo processo de um ex-treinador na Justiça do Trabalho. Depois de Mano Menezes, desta vez quem acionou o clube foi Adilson Batista. O treinador entrou com duas ações judiciais contra a Raposa, segundo apurou o ge. Ambos correm em segredo de justiça, mas a reportagem teve confirmação das ações.

Por isso, não é possível saber quais são os pedidos do ex-treinador cruzeirense, nem os valores pleiteados. O Cruzeiro informou que ainda não foi notificado sobre as ações. Por meio de sua assessoria de imprensa, Adilson Batista limitou-se a dizer que o processo estava em segredo de justiça.

Adilson ainda precisa receber o valor da multa contratual, de R$ 600 mil. Os débitos com ex-treinadores do clube ultrapassam os R$ 9 milhões. O treinador deixou o clube em março deste ano, após a derrota por 1 a 0 para o Coimbra, pelo Campeonato Mineiro.

Seus auxiliares: o preparador físico José Mário Campeiz e o auxiliar técnico de Adilson, Cyro Garcia, também acionaram o Cruzeiro na Justiça há pouco tempo.

O treinador assumiu o Cruzeiro no fim do ano passado, quando a Raposa já estava em situação bem complicada no Brasileiro e não conseguiu evitar o rebaixamento inédito para a Série B. Adilson continuou no cargo em 2020 e fez 12 partidas pelo clube, com quatro vitórias, quatro empates e quatro derrotas.

https://globoesporte.globo.com/futebol/times/cruzeiro/noticia/demitido-em-marco-adilson-batista-aciona-cruzeiro-em-dois-processos-na-justica-do-trabalho.ghtml


Mart Minas inaugura sua 40ª loja, agora em João Monlevade

Esta é a quarta inauguração de 2020, seguindo o plano de expansão, que prevê várias aberturas no Estado.

O Mart Minas, maior e mais completo atacado e varejo de Minas Gerais, inaugura no dia 24 de setembro sua 40ª loja no Estado, em João Monlevade, município situado a 110 km de Belo Horizonte, destacado na indústria siderúrgica, no comércio e na prestação de serviços, além da construção civil.

Com o início das atividades em Monlevade, o Mart Minas passa a contar com 40 unidades no Estado e a inauguração de mais uma loja representa maior oportunidade de crescimento nesta importante região mineira. “Levamos à cidade mais uma loja ampla, confortável e com grande variedade de produtos, a preços competitivos, que vai atender às famílias da região e os micro e pequenos comerciantes que atuam no município, assim como os que estão em cidades do entorno, tendo o Mart Minas como seu parceiro no abastecimento”, afirma Filipe Martins – Diretor Comercial e Marketing da rede.

A nova unidade Mart Minas em João Monlevade possui 5.250 m² de área de venda, 25 check-outs e amplo estacionamento com cerca de 400 vagas para carros, além de posições para motos e bicicletas. Preparada para atender donos de bares, pizzarias, padarias, hotéis e consumidores finais, a loja oferece mais de 10.000 opções de produtos, que podem ser adquiridos em embalagens fechadas e fracionadas, de acordo com a necessidade do cliente. Oferece ainda o serviço de televendas, com uma equipe preparada para agilizar e facilitar suas compras.

Nos setores de mercearia, bomboniere, bebidas, higiene e beleza, limpeza, frios e laticínios, há uma ampla variedade de marcas regionais e as líderes de mercado, sempre com a opção de compra no varejo e no atacado. Frutas e verduras, selecionadas, sempre frescas, completam a experiência de compra dos clientes, que também encontrarão itens de confeitaria, bazar e embalagens.

Sobre o Mart Minas

Maior e mais completo atacado e varejo de Minas Gerais, o Mart Minas possui 40 lojas e atende cerca de 550 cidades próximas às regiões onde estão inseridas, oferecendo aos seus clientes um mix de mais de 10 mil itens. Sua história teve início em 2001, quando seu fundador, Murilo Martins, inaugurou a primeira unidade em Divinópolis. Oito anos depois, a rede já estava estabelecida e presente em outras quatro cidades. Em 2011, com a entrada do novo sócio, Rono Neves, a empresa deu sequência ao plano de expansão, alcançando novas regiões do Estado, até chegar ao número atual de 40 lojas.

O Mart Minas cresce e amplia também a atuação e o investimento na área social através dos diversos projetos que apoia. O Troco Solidário é mais uma importante iniciativa neste sentido. Ao pagarem suas compras, os clientes são convidados a doarem o troco, para que as doações sejam repassadas para uma instituição da cidade. A campanha tem o objetivo de contribuir para a melhoria da qualidade de vida da população e o desenvolvimento das comunidades onde o grupo está inserido. “Para nós, atuar no mercado não significa apenas um negócio, mas também um trabalho em busca de crescimento e oportunidades para uma sociedade sustentável e mais justa”, afirma Filipe Martins.

Inauguração do Mart Minas em João Monlevade (MG):

Data:  dia 24 de setembro às 8h. Às 07:30h: realização de uma breve cerimônia de abertura.

Endereço:  Avenida Alberto Lima, nº 1.655, Bairro Nova Aclimação, CEP: 35.931-185, João Monlevade – MG

Instituição que receberá o Troco Solidário: Hospital Margarida

Horário de funcionamento: 

– Segunda-feira a sábado, das 7h30 às 21h;

– Domingo de 07h30 às 14h;

– Feriados consultar a unidade.

Siga o Mart Minas nas redes sociais:

Facebook: @MartMinasAtacadoEVarejo / Instagram: @MartMinasAtacadoEVarejo

Site: www.martminas.com.br


Que o exemplo da torcida do Atlético tenha um caráter pedagógico para jogadores e demais profissionais

Foto: Twitter/Reprodução/Mineirão

Thiago Neves já pediu desculpas às torcidas do Galo e do Corinthians, por excessos cometidos nas provocações. Veja vídeo abaixo. Foi em 2018, depois de conquistar a Copa do Brasil com o Cruzeiro, conforme mostra link da Gazeta Esportiva no fim deste texto. Mas a bola dá voltas.

A reação da torcida do Atlético à possível contratação dele foi impressionante. Pela velocidade, quantidade e o teor dos protestos, via redes sociais, acionamento da imprensa e presença nas ruas. Na própria noite de segunda-feira houve o recuo da diretoria e na terça, quando todos imaginavam que o assunto morreria nas redes sociais, uma multidão foi para Avenida Olegário Maciel, em frente à sede do Galo, entoando cânticos contra o jogador e contra os autores da ideia da sua aquisição.

De Viçosa, terra que abriga uma das maiores universidades do país, recebi essa mensagem do advogado e professor, atleticano, Paulo Bento: “Que isso tenha um caráter pedagógico para estes cabeças de bagre que jogam futebol. O mundo dá voltas.”.

Pois é! Thiago Neves nunca esperava por essa, mas fez por merecer. Viu que em Belo Horizonte a situação é muito ruim para ele. Detestado pela torcida do Cruzeiro, por ter sido um dos responsáveis diretos pelo rebaixamento, e mais ainda pela massa do Galo, a quem ele ofendeu reiteradas vezes, com gestos e palavras, para fazer média com os cruzeirenses. Pior: ofendeu aos torcedores e à instituição Clube Atlético Mineiro. Não satisfeito, ainda fez piada com a tragédia de Brumadinho, causada pela Vale. Milhares de pessoas sofrendo, e ele e utilizando de tema tão sério e delicado para provocar torcedores rivais.

Saído pela porta dos fundos do Cruzeiro, demorou se recolocar em um grande clube, Grêmio, mas foi dispensado poucas semanas depois de chegar. Em fim de carreira, o Atlético, precisando de um jogador do estilo dele, poderia ser uma fonte segura para um recomeço. Como o Galo sempre foi para vários outros jogadores na história. Mas as bobagens ditas por ele num passado bem recente inviabilizaram um negócio que possivelmente teria sido bom para ambas as partes.

Fica o exemplo para atuais e futuros jogadores e demais profissionais do futebol. Provocações ao rival fazem parte do mundo da bola, mas o desrespeito não, Este tem um preço que costuma ser muito alto. Tudo tem limite, ainda mais para quem já é bem rodado neste meio.

https://www.gazetaesportiva.com/times/cruzeiro/thiago-neves-pede-desculpas-para-corintianos-e-atleticanos-apos-video-polemico/


Lisca, Sampaoli e Ney Franco: a realidade de cada um nas respectivas missões

Foto/montagem Super Notícia

No momento, Lisca é o menos cobrado. O time está na zona de classificação e tem atuado bem. O campeonato é longo, mas neste ritmo, tem tudo para ficar com uma das quatro vagas da Série A 2021.

A simples vitória na estreia deu a Ney Franco sossego para iniciar o seu trabalho à frente do Cruzeiro. Só de se distanciar da zona da degola para a Série C já foi um alívio. Agora é pegar um rumo para entrar na briga pelas primeiras posições.

Jorge Sampaoli foge do convencional, tanto no comportamento pessoal, quanto nos treinos e jogos. Faz o trabalho dele, cumpre o que está escrito no contrato, não dá entrevistas fora do script oficial, não faz média com ninguém e mantém o seu estilo de confundir o adversário, mudando o time e a forma de jogar, permanentemente. Está dando certo, e isso é o que importa. Enfrenta a má vontade de uma parte da imprensa, mas e daí? Nada interfere no trabalho dele.

O jornalista Fernando Rocha, de Ipatinga, conhece muito bem Ney Franco, que ficou conhecido nacionalmente a partir da trajetória iniciada no “Tigre”.  De lá, para a prateleira de cima do futebol brasileiro. Na coluna de hoje, no Diário do Aço, Fernando fala sobre Ney e Jorge Sampaoli.

Vale a pena ler:

* “Ney Franco chegou ao Cruzeiro debaixo de muita desconfiança da torcida e imprensa azul da capital, cuja ficha ainda não caiu. Pensam ainda que o clube tem bala na agulha para gastar fortunas pagando salários milionários a treinadores. Ney Franco é vargealegrense, mineiro aqui dos nossos grotões, e sabe como ser humilde e assertivo ao mesmo tempo. Chegou dando logo um recado direto aos medalhões do grupo,  que não vinham jogando nada: “Só com o nome não se joga a Série B”, disse na entrevista de apresentação.

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

O resultado foi um time diferente em campo, mais aguerrido, aplicado, que  fez um segundo tempo muito bom. O resultado positivo de 1 x 0 sobre o Vitória-BA foi importantíssimo para o Cruzeiro,  na medida em que tirou a equipe da proximidade com a zona de rebaixamento à Série C,  e interrompeu uma sequência de seis jogos sem vencer. Agora,  com mais tempo para treinar, mas sobretudo conversar com o grupo,  espera-se que o rendimento evolua ainda mais nas próximas rodadas.

 

Sampaoli

Alguns colegas da crônica, sobretudo no rádio, têm demonstrado muita má vontade com o trabalho de Jorge Sampaoli e sua comissão técnica no Galo. No entanto, os números são amplamente favoráveis ao argentino e sua equipe, confirmando o acerto do trabalho até aqui. Em 16 jogos venceu 12, empatou um e perdeu três partidas. No Campeonato Mineiro foram sete partidas do Galo sob seu comando, com seis vitórias e um empate. No Brasileiro, em nove jogos, venceu seis e perdeu três vezes. Aproveitamento geral de 77%, a nível estadual 90%, nacional   67%. Neste Brasileirão, onde o time tem figurado sempre na parte de cima da tabela, foram quatro partidas dentro de casa e cinco fora de Belo Horizonte.

Sampaoli vai errar, como ocorreu na escalação do time contra o Bragantino, mas tem inteligência, capacidade, além de  um plantel com qualidade, suficientes  para mexer na equipe  e mudar resultados desfavoráveis. Melhor que só fale depois dos jogos, esconda os treinos, seja cobrado pelo rendimento do time em campo, sem crises xenofóbicas e mimimis de repórteres dinossauros, mal acostumados que ficaram , em anos e anos  de janela obtendo informações privilegiadas nos bastidores. Trata-se de uma nova mentalidade e quem não se adaptar à este novo tempo periga cair no velho ditado: “camarão que dorme a onda leva”.(Fecha o pano!).


Página 71 de 1.231« Primeira...102030...6970717273...8090100...Última »