Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Confiança 3 x 1 Cruzeiro: técnico culpa a arbitragem; presidente pede à torcida que não desanime

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Presidente Sérgio Rodrigues depois do jogo: ‘Não é porque começa dessa forma que temos que desanimar.’. Quem viu a entrevista do técnico Felipe Conceição depois do jogo, pensa que viu outra partida. O torcedor Eduardo Silva, um dos comentaristas mais assíduos aqui do blog, foi mais realista:

* “Chico,

Existem jogadores de futebol burros! E existe o Adriano…kkk Olhaaaa, esses caras são muito burros!! Um cidadão que joga de volante, toma cartão no início do jogo e depois faz outra falta no meio de campo??? TÁ DE SACANAGEM…. vai ser energúmeno assim lá longe… Deixa essa merd#$% ai no nordeste ou manda ele voltar a pé… Zé Ruela!

Eu, sinceramente, queria ter uma hora de conversa com esses caras!! PQP É por isso que uns técnicos como Sampaoli, o Fernando Diniz e outros não conseguem implantar uma filosofia de jogo posicional, de jogo tático com esses caras… Não vão entender nunca!

E em um dia de “tempestade perfeita” o Fábio que tinha feito um penalti em Neto Berola???? kkkk É isso, meus amigos, Neto Berolaaaa…kkkk Depois toma outro cartão por pegar a bola de mão fora da área, é expulso e o técnico tira quem? quem? Rafael Sóbis??? kkkk PQP QUINHENTOS MILHÕES DE VEZES…kkkk O Sóbis é a ÚNICA mente pensante nesse time, pode fazer um gol de falta, comandar o time… kkk Tem que rir pra não chorar.

Mas vem o segundo tempo e para surpresa, ocorre o empate mas não aguentam jogar com menos dois em campo e eles acabam vencendo. O azar é tão grande que o juiz deixou de marcar um penalti pro Cruzeiro no início do jogo, antes dessas lambanças todas, uma disgrameira sem fim!

Parece que tem uma força sobrenatural de almeida que as coisas além de não funcionar, tudo conspira contra o time… É uma coisa sem explicação! Praga de cachorro magro, só pode!

Mas, ainda bem que um funcionário que estava trabalhando numa “certa Arena” aqui em BHte enterrou uma cabeça de cavalo e as coisas vão virar para o outro lado da lagoa…kkk

Vamos acreditar!

Nada está tão ruim que não possa piorar…”

***

O também cruzeirense, Marcio Borges, escreveu sobre a primeira rodada:

“Chico, assistindo a estreia do Vasco contra o operário de ponta grossa. E mais uma vez comprovando que camisa não ganha jogo. Hoje o futebol está muito nivelado. Nao tem bobo, como gostam de dizer. Mais de vinte minutos do segundo tempo e o operário vai vencendo por 2×0 e jogando bem. Sem sofrer pressão, sem sentir estar jogando em São Januário.
Que sirva de exemplo ao Cruzeiro pra não passar o aperto que passou ano passado……ah, e o botafogo perdeu pro Vila Nova de Goiás na estreia.”

***

O atleticano Renato César também opinou:

“Grande papo de vendedor este. E tem gente caindo. Futebol é momento e nenhum destes clubes ateavessa grande fase.

Botafogo empatou na estreia, Vasco perdeu em casa. Remo, adversário do Galo na copa do Brasil, venceu fora de casa.

Enquanto eu escrevia isto, gol do Berola…”


Cruzeiro teve tempo para se preparar. E estreia na Série B contra time dirigido por Rodrigo Santana, ex-técnico do Atlético

Em 2021, empate no turno, em Aracajú, 1 a 1, e vitória do Confiança no Mineirão, por 2 a 1. Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

O Confiança ficou em 15º lugar na Série B do ano passado, com 46 pontos. Entrou na disputa como campeão sergipano. O Cruzeiro ficou em 11º com 49 e ficou fora das semifinais do Mineiro. No campeonato que começa hoje para ambos, o time de Sergipe ficou fora da final estadual, já que foi eliminado pelo Sergipe, que conquistou o título em cima do Lagarto. O Cruzeiro melhorou no Mineiro, já que este ano chegou à semifinal, sendo eliminado pelo América.

Com a perda do campeonato o Confiança entrou em crise, demitiu o técnico Daniel Paulista e contratou Rodrigo Santana, que teve um momento muito bom no Atlético, mas depois sumiu do cenário da prateleira de cima dos treinadores brasileiros. Para ele, essa Série B é um recomeço. Teve pouco tempo para preparar o time, mas leva a vantagem de estrear em casa, diferente do Felipe Conceição, que teve tempo de sobra para ajustar o Cruzeiro.

À exceção das próprias comissões técnicas, ninguém, de sã consciência, tem a menor ideia de como estão os respectivos times, compostos, em sua maioria, por jogadores desconhecidos. No caso do Cruzeiro, considero isso como um fator positivo, pois à exceção de famosos e rodados, como Fábio e Rafael Sobis, os demais sabem  que terão que “comer grama” para atingirem seus objetivos coletivos e individuais. Como disse certa vez o então presidente Alvimar Perrella, são jogadores  de “barriga vazia”, em busca da afirmação profissional para subirem de patamar.

O provável Cruzeiro esta tarde: Fábio, Cáceres, Joseph, Ramon e Matheus Pereira; Adriano (Flávio), Matheus Barbosa e Rômulo, Bruno José, Airton e Rafael Sobis

O Premiere transmite, com narração do Jaime Júnior, comentários de Fábio Júnior e Alexandre Lozetti.

Rodrigo Santana assumiu dia 13 de maio. Depois que saiu do Atlético, passou pelo Coritiba e Avaí. Foto: AD Confiança


Próximo adversário do Atlético na Libertadores e o tio do Tardelli, comentarista da história do rádio mineiro

Ao ler a coluna do Fernando Rocha (que será publicada amanhã, no Diário do Aço, de Ipatinga), é que fiquei sabendo que o Tardelli é sobrinho do Aloysio Martins, um dos melhores comentaristas da história do rádio esportivo de Minas. Marcou época na Rádio Guarani nos anos 1970/60. Tempos em que a emissora dos Diários Associados era uma potência de audiência em todo o estado, com uma equipe que ostentava nomes como Jota Júnior, Waldir Rodrigues, Flávio Anselmo, Paulo Celso, Valter Luiz, Dirceu Pereira e tantos outros, que fizeram escola.

Nesta mesma coluna, o Fernando Rocha avalia e especula um dos possíveis adversários do Galo nas oitavas da Libertadores, que poderá ser um peixe graúdo do futebol Sul-americano. Bom também, né? Se tiver que ser campeão, vai logo eliminando os concorrentes mais famosos logo de cara.

Confira estes trechos da coluna do Fernando:

* “Diego Tardelli Martins era sobrinho do saudoso Aloysio Martins, durante décadas comentarista da Rádio Vanguarda,  além de colega de trabalho um grande amigo de muitas jornadas alegres e tristes. Aloysio também foi jogador profissional na década de 60 defendendo o Goiás, meio-campista clássico, muito bom jogador, assim como seus comentários sobre futebol. Hoje, no  andar de cima, deve estar feliz com sobrinho querido, a quem chamava de “Tardelinho”, motivo de muitas preocupações dele e da família, pelo início conturbado da carreira fora de campo.

  • Com o passar do tempo, sobretudo  após  sua chegada ao Atlético, Tardelli deslanchou. E foi se consagrar com a camisa do alvinegro, “debaixo do pavilhão alvinegro”, como diria seu tio Aloysio, carregado nos braços pela massa atleticana, transformado ídolo com lugar perene na galeria dos  maiores jogadores da história do Galo. Sai pela porta da frente com a certeza do dever cumprido. Que Deus abençoe sua vida e de sua família.
  • Foram definidos os 16 clubes que vão disputar as oitavas da Libertadores com jogos de mata-mata. Ficar em primeiro lugar de seu grupo não deu muita vantagem ao Galo como se esperava, pois poderá enfrentar gigantes como Boca Juniores, River Plate e São Paulo, que terminaram a fase de grupos em segundo lugar. A única vantagem de fato é decidir sempre em casa os mata-matas, pois mesmo sem a torcida presente o Mineirão, o “Gigante” tem sido um fator importante para obtenção de bons resultados…”
  • Fernando Rocha – Diário do Aço – Ipatinga

Série B 2021 tem cinco campeões brasileiros da A. Quatro vagas de acesso, das mais disputadas da história

Imagem: Folha de Pernambuco – www.folhape.com.br

Começando hoje, sexta-feira, com o empate sem gols entre Brasil e Londrina, em Pelotas. Mais três partidas esta noite: Guarani x Vitória, Náutico x CSA e Vila Nova x Botafogo. O Cruzeiro estreia amanhã, 16h30 em Aracajú contra o Confiança. A disputa por uma das quatro vagas da Série A 2022 será, possivelmente, a mais difícil da história da competição. Além dos clubes “elevadores”, que sobem e descem constantemente, há sempre uma surpresa, que surge do nada, como o Cuiabá, ano passado, ou um Bragantino, turbinado pela Red Bull. Quem lembrou de detalhes como estes foi o Fernando Rocha, na coluna dele, no Diário do Aço, de Ipatinga:

* “São  20 clubes disputando quatro vagas na elite, além do título. Em 2020, o Cruzeiro era o único time com camisa “pesada”, mesmo assim não conseguiu subir. Este ano a expectativa é de uma Série B muito mais difícil, pois pela primeira vez na história, a competição  terá a participação de cinco times que já foram  campeões da Primeira Divisão: Cruzeiro, Botafogo, Coritiba, Guarani e Vasco da Gama. Além disso, conta com alguns times  acostumados ao sobe e desce, todos calejados em matéria de Série B: Ponte Preta, Vitória , Goiás, CSA, CRB, entre  outros.  “Há momentos na vida em que o homem tem que virar dragão ou acaba apanhando papel no meio da rua”. Nelson Rodrigues. (Fecha o pano!)”

Fernando rocha – Diário do Aço – Ipatinga


Chega ao fim a “Era Tardelli” no Atlético, de grandes conquistas para ambos os lados

Fotos: Agência Galo

Tardelli conquistou sete títulos com o Atlético: quatro Estaduais, uma Libertadores, uma Copa do Brasil e uma Recopa Sul-Americana — Foto: Bruno Cantini/Atlético

Pelo que saiu na imprensa, foi um desfecho cordial e feliz nessa relação, muito boa para o Galo e para o jogador. No fim de 2008 ele estava em baixa no Flamengo e o Atlético vivia uma convulsão política/administrativa, com a renúncia do presidente Ziza Valadares; algumas semanas de vácuo de poder, até a eleição e posse de Alexandre Kalil. Aí, juntaram-se tampa e balaio. Ele voltou para a prateleira de cima dos craques do futebol brasileiro e ajudou o clube a recuperar prestígio e dinheiro. Depois de um ótimo contrato na China, retornou ao Atlético e foi fundamental nas conquistas da Libertadores, Copa do Brasil e outros títulos. Sintonia fina com a torcida, foi rodar o mundo novamente. Passou pelo Grêmio, onde não conseguiu jogar, em função de contusões, e novamente recebido nos braços da torcida alvinegra. Mas, o tempo é cruel principalmente com os atletas e as contusões, de novo, o atrapalharam. Chegou o momento de uma nova despedida, já que, aos 36 anos de idade, não dá mais.

Entra para a história dos maiores jogadores que o Atlético já teve e sempre terá o carinho dos atleticanos.

O jornalista Victor Martins contou um pouco dessa trajetória, lembrando detalhes das idas e vindas, desde 2008/2009, no blog dele, no Uai:

* “Diego Tardelli chegou ao Atlético por dívida do Flamengo pela compra do goleiro Bruno”

A história de Diego Tardelli como jogador do Atlético se encerra neste domingo, na estreia do Campeonato Brasileiro. O contrato do atacante não será renovado e ele fará sua última exibição com a camisa alvinegra. São 230 jogos, 112 gols marcados e títulos conquistados. Diego Tardelli está entre os maiores jogadores da história do Galo. Por isso será homenageado pela diretoria atleticana depois do jogo com o Fortaleza, no Mineirão. O vínculo se encerra no dia 31.

E o início de tudo foi entre o final de 2008 e o começo de 2009. Eleito presidente do Atlético em outubro de 2008, Alexandre Kalil tinha em mente a necessidade de buscar um goleador para a equipe que seria montada na temporada seguinte. No entanto, o dirigente encontrou um clube totalmente devastado financeiramente, sem nenhuma condição de investir pesado em contratações. A solução encontrada foi usar uma dívida que o Flamengo tinha com o Atlético pela compra do goleiro Bruno. Revelado pelo Galo, o arqueiro foi parar na Gávea após rápida passagem pelo Corinthians. O Rubro-Negro devia cerca de R$ 1,2 milhão ao Atlético pela negociação. A proposta alvinegra foi prontamente aceita pela diretoria carioca: abatimento total da dívida mais R$ 700 mil.

A transferência seria inviável sem esse crédito do Atlético pela venda de Bruno.

Com o negócio fechado entre os clubes, faltava convencer o jogador. Num primeiro momento Diego Tardelli não via a troca do Flamengo pelo Atlético com bons olhos. Revelado pelo São Paulo e já com passagem pelo futebol europeu no currículo, o atacante tinha a permanência no Rio de Janeiro como a melhor escolha para chegar à Seleção Brasileira. Foi então que entrou Bebeto de Freitas na história.

Bebeto estava de volta ao Atlético, para mais uma vez ajudar o amigo Alexandre Kalil. Foi dada a ele a missão de buscar Diego Tardelli. E Bebeto de Freitas conseguiu. Foi ele quem convenceu o atacante a trocar o Flamengo pelo Atlético.

Passados mais de 12 anos, está claro que a decisão foi acertada. Diego Tardelli chegou à Seleção Brasileira, como queria. Além de se tornar ídolo de uma torcida e conquistar títulos importantes. A Copa Libertadores de 2013 certamente é o maior, mas a Copa do Brasil de 2014 foi especial. Diego Tardelli fez o gol da vitória na partida final, contra o Cruzeiro. Um gol que jamais será esquecido pelos atleticanos. Assim como Diego Tardelli também não. (mais…)


Cruzeiro fica sem diretor de futebol, no dia do segundo aniversário da reportagem que denunciou a situação caótica do clube

Wagner Pires de Sá nos tempos em que era presidente, fotografado pelo Vinícius Silva/Cruzeiro 

André Mazzuco chegou dia sete de janeiro ao Cruzeiro, vindo do Vasco. Cinco meses depois está de malas prontas para o Santos. Até aí, nada de errado. Apenas mais um desses executivos de futebol trocando um clube por outro que fez proposta melhor. O problema é que faltam quatro dias para a estreia do time no Brasileiro da Série B e todo o trabalho de montagem do time e estratégia para o campeonato foram armados por ele.

Também hoje, fazem dois anos da reportagem no Fantástico que revelou as mazelas da gestão do Wagner Pires de Sá. Porém não foi só o curto período dele que comprometeu as finanças do clube, mas o alvo das supostas investigações é só ele, garantindo a impunidade geral que sempre predomina nos escândalos no Brasil, especialmente no esporte.

André Mazzuco em foto/reprodução da TV Cruzeiro

O comentarista do blog, Eduardo Silva, cruzeirense, falou destes e de outros problemas que atormentam a torcida da Raposa:

“1) O zaguerio Cacá que foi formado na Toca da Raposa foi vendido a um clube do Japão e o cara e seu empresário saíram reclamando que o clube devia em torno de 600 mil pra ele, entrou na justiça e recebeu na verdade 230 mil reais, ou seja, para um jogador de futebol isso é troco, dinheiro de pinga!

O que é phoda é o cara saber que o clube tá numa draga danada e mesmo assim ele ainda querer ferrar aqueles que abriram as portas pra ele, o formou, o projetou e depois ele cospe no prato que comeu! Mais um que sai fechando as portas por onde passa! burrroooo…

2) Hoje 26/05 faz 2 anos da reportagem do Fantástico da Rede Globo mostrando a roubalheira desenfreada que ocorria no clube! Já falei o que penso, mas o mais triste é saber que NÃO expulsaram os conselheiros que detonaram o clube!

Como pode uma instituição com milhões de torcedores ser comandada e usada por 300… 400 conselheiros a seu bel prazer. O Presidente Sérgio Santos que prometeu que seriam expulsos tem que vir a público falar disso! UM ABSURDO esses maus elementos ainda continuarem no clube, pra dizer o mínimo. Como não pode escrever palavrão aqui, fica registrado TODOS os palavrões para essa corja que assaltou o clube e o colocou nessa situação! Fica esperto presidente, estamos de olho!

3) A justiça também na sua morosidade absurda daqui uns dois anos vai condenar alguns deles e depois vai procurar algum dinheiro ou algum bem em nome deles e sabe o que vai achar? NADAAAA… Os caras devem ter transferido tudo para parentes e laranjas. Tem um malandro andando ai de “Mercedinha” na rua como se nada tivesse acontecido…

Na minha opinião deveria levantar os pagamentos efetuados indevidamente e seguir as transferências financeiras e os bens que foram comprados em nome de terceiros e arrestá-los de volta ao clube, não vejo outra alternativa. Mas estamos no Brasil, onde a justiça tarda e FALHA!

4) O Diretor de Futebol está indo pro Santos. Esses caras tbém qualquer 1 real a mais que mostram pra eles, já estão dando linha. O caboclo ao invés de procurar fazer um trabalho longo, sólido, conseguindo o acesso para a série A para por no currículo, prefere ir para outro clube SEM dinheiro e com um monte de promessas que não serão cumpridas… Já vai tarde! Que venha o Alexandre Mattos!

Esse já sabe o que é ser campeão em time grande!

Se é que me entendem…”


AHFAM: a valorização do futebol amador de Minas Gerais, da capital e do interior

O criador e mantenedor é o Domingos Sávio Baião, o brilhante analista de números do futebol da Rádio Itatiaia, apaixonado pelo futebol amador, que há oito anos vem batalhando pela valorização do setor e resgate da história. Coleciona camisas dos times amadores e já tem quase duas mil em seu acervo. Periodicamente ele promove exposições para exibi-las e reunir dirigentes, atletas, ex-dirigentes e ex-atletas do nosso futebol amador.

Um trabalho sensacional que merece todo apoio. Para contatos com o Domingos e envio de camisas para o acervo, ele disponibiliza o telefone: 31 9 9985 6082.

Neste vídeo ele veste a  camisa do Fluminense de Serra Azul de Minas (Vale do Jequitinhonha, 272 Km de Belo Horizonte, 45 Km do Serro) e agradece a camisa do Conceição, de Conceição do Mato Dentro.

O significado da sigla e endereços eletrônicos são fáceis:  Acervo Histórico do Futebol Amador

https://www.youtube.com/watch?v=by9nLiXglAE

Parabéns ao Domingos por este trabalho.


Atlético passeou em campo e garantiu benesses do regulamento na fase mais perigosa da Libertadores

Foto: twitter.com/Atletico

Independentemente do adversário ser o La Guaira da Venezuela, foi a vontade e qualidade do futebol praticado que tornaram o jogo fácil no Mineirão. Logo de cara, espantou a frase “é porco magro que suja a água”, com atuação coletiva e individuais impecáveis, especialmente de Hulk, Nacho e Arana. Guga vem fazendo boas partidas; hoje mais uma. O mesmo se pode dizer do Igor Rabello. Daqui pra frente, com ossos mais duros pela frente, é que vamos ver a realidade: se Cuca conseguiu fazê-los melhorar o rendimento ou se essas atuações elogiáveis têm sido “lampejos”.

Agora a competição  fica mais complicada, com partidas eliminatórias. Um jogo ruim ou um vacilo individual pode por tudo a perder. O benefício de jogar a segunda partida em casa pode se desmanchar logo nas oitavas e o time ser eliminado, se não fizer o dever de casa. Todo cuidado é pouco.

Algumas considerações de gente bem  informada e de bons comentários no twitter, durante e depois dos 4 a 0: Murilo Rocha, da Band e Rádio Bandnews: @EuMuriloRocha “Jogar com o Nacho deve ser muito bom.”

Cândido Henrique, de O Tempo: @candidoh “Hulk é sacanagem demais jogando. Coloca do lado do Nacho ainda. Putz!”

Do outro lado do mundo, a Galo Austrália: @GaloAustralia “ Guga tah jogando demais… nem lembro mais do time que ele torce.”

Duas do Guilherme Frossard, do Globoesporte.com: @guifrossard “O cartão do Allan foi o terceiro dele. Está suspenso para o jogo de ida das oitavas de final (fora de Belo Horizonte, contra algum dos segundos colocados na fase de grupos). Adversário será definido por sorteio.

@guifrossard “É até repetitivo dizer que Guilherme Arana joga muita bola. Mas também é injusto não lembrar: Guilherme Arana joga muita bola.

Fred Ribeiro, também do Globoesporte.com: @fredfrm “Marrony fez o quarto gol dele na temporada e fica atrás de Hulk (7) e Vargas (5) entre os artilheiros do Galo em 2021”

E pra finalizar, uma observação do Milton Neves sobre a grande atuação do Fluminense na vitória de 3 a 1 em Buenos Aires, sobre o River Plate, com destaque para Fred: @Miltonneves “Flu se agiganta e pode surpreender como o Santos na temporada passada”.

Será? Não acredito, mas, no futebol tudo pode acontecer! Até o Fred voltou a jogar futebol.


A importância desse jogo contra o La Guaira; aniversário do Éder e imagens de arrepiar do “aquecimento” da massa no Mineirão raiz!

Este jogo contra os venezuelanos é importante demais para o futuro do Galo na Libertadores. Ser primeiro geral na primeira fase faz lembrar 2013. Mesmo sem a força da torcida nas arquibancadas, por causa da Covid, jogar a segunda partida do “mata-mata” em casa é um excelente negócio. Motiva jogadores, cria um clima diferente na cidade, que acaba refletindo em campo. Que os comandados do Cuca entrem em campo com a mesma vontade da final do Mineiro contra o América, sábado.

Um dos maiores jogadores que vi jogar foi o Éder (foto @Atletico), principalmente com a camisa do Atlético e seleção brasileira. Exímio cobrador de penalidades, lançamentos milimétricos, sangue nos olhos até nos treinos, raramente se machucava e gente boa demais da conta. Era esquentado, com os adversários e trios de arbitragens. Não levava desaforo pra casa e isso que custou cartões amarelos e vermelhos, que não chegaram a prejudicar o time em momentos decisivos. O “bomba” de Vespasiano, a terra natal dele, completa 64 anos muito bem vividos.

Para homenageá-lo e ajudar no clima do jogo, às 21h30 (que será transmitido pela TV Alterosa/SBT), vamos rever estas imagens, de arrepiar, do aquecimento da torcida do Galo, puxada pela Galoucura, no Mineirão legítimo, em 2009, pouco tempo antes de ser fechado para a reconstrução, que o “pasteurizou” para o padrão FIFA, da Copa de 2014.

 


Excusas aos amigos navegantes. Blog ficou quase 24 horas fora do ar! Tem coisa que nem Eisntein explicaria

Recorro a Albert Eisten (14 de março de 1879/18 de abril de 1955), o grande gênio da Ciência, mas certamente há situações na internet que nem ele explicaria.

Agradeço a todos que fizeram contato por outros meios para informar e ou reclamar que o blog estava fora do ar, desde o início da tarde de ontem. Problema sanado, sigamos em frente.


Página 80 de 1.276« Primeira...102030...7879808182...90100110...Última »