Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

O jeito Kalil de montar time

O jornalista Marcelo Bechler Machado tenta explicar, em seu blog, a fórmula de Alexandre Kalil para montar o time que é líder do campeonato brasileiro:

 “Alexandre Kalil costuma dizer que, quando assumiu, não tinha time nem técnico. Falta dizer que não tinha dinheiro também. Até onde se sabe, Ziza Valadares havia solicitado o adiantamento da cota da TV referente a 2009 para pagar os compromissos de 2008. O que Kalil fez? Deu um jeito.

Um jeito para contratar o caro Emerson Leão e depois o vice-campeão brasileiro de 2008, Celso Roth.

Kalil fez uma super manobra e trouxe Diego Tardelli sem custos. Assim como Júnior, Carlos Alberto, Renan, Alessandro, Jonilson, Alex Bruno, além de Thiago Feltri e Éder Luís. Enfim, o time inteiro.

Na semana em que a contratação de Rentearia parecia certa pelo Cruzeiro, Alexandre Kalil deu um jeito e fechou com o atacante, considerado inviável financeiramente para o rival.

Como pode o Atlético, único time da Série A sem patrocínio, com a cota da TV gasta há quase um ano, acertar a contratação de um jogador cobiçado pelo rival – que acaba de vender Ramires por 7,5 milhões de Euros, faturar mais de dois milhões de reais com a renda da final da Libertadores, fora o acerto com a TV e o patrocinador master recém-chegado?

A única possibilidade é dando um jeito. Kalil ainda não se pronunciou sobre como fez para contratar Renteria, mas o certo é que audácia não faltou. Talvez vendo o Corinthians se despedaçando, o Inter que não se encontra, o Palmeiras sem técnico e São Paulo e Cruzeiro longes da disputa, o presidente sinta que o título pode ser uma realidade, especialmente se reforçar mais o elenco.

Quando o Cruzeiro desistiu do atacante e se cogitou em “outro grande”, pensou-se no substituto de Keirrison no Palmeiras. Com Kalil, quando se falar em clube grande, é preciso lembrar do Atlético.” 

Leia mais em www.blogdemarcelomachado.blogspot.com


» Comentar

Comentários:
6
  • Renato Paiva disse:

    É isso mesmo! Só com credibilidade se conseguem investimentos de peso. E isso o Kalil tem! Tomara que o Galo continue neste caminho. Ainda precisamos de reforços e de colocar na cabeça de alguns jogadores, especialmente do Eder Luiz, que eles não são craques. O Celso Roth se mostrou bom nisso e vai acertar ainda mais o Galo.
    Sds.

  • Renato César disse:

    Bom dia, prezado Chico!

    Segue comentário que postei no meu blog hoje. Este ano está tudo dando certo até o momento (neste campeonato).
    Falei do Sobrenatural de Almeida, mas não citei o seu nome porque não tinha certeza da fonte. Lembro disto lá nos tempos de Minas Esporte, na década de 90, mas não tenho certeza de ser criação sua.

    “Temos que tomar o cuidado com os nossos comentários porque sempre haverá uma boa dose de paixão embutida. E a parte racional diz que ainda é muito cedo para tentar adivinhar qual será a nossa colocação no final do Campeonato. Mas algumas observações podem ser feitas durante a disputa.

    O time do Galo tem demonstrado um jeito de jogar que nos faz lembrar os times campeões. Tanto a parte da qualidade técnica da equipe, quanto as partes tática, física e até mística. É, mística sim. Aquela conhecida sorte de time campeão tem comparecido sempre nos nossos jogos.

    Vejam o jogo de ontem. O Aranha fechou o gol. Isto pode ser visto como ‘todo grande time começa por um grande goleiro’ mas também pode ser visto como um time que tem muita sorte, porque a bola não entra ali de jeito nenhum.

    Aí o jogo estava difícil, 0x0 no primeiro tempo e o Aranha começando a se destacar na partida quando o ‘Sobrenatural de Almeida’ entra em campo. Sim, porque o gol do Serginho foi obra do além. Ele cabeceou de um jeito que a bola sairia a uns 3 metros do gol, se saísse. Mas, ao bater no chão, a bola simplesmente se virou para o lado do gol. Como que isto seria possível pelas leis da física?

    E o gol do Tardelli? O Thiago Feltri ‘roubou’ a bola e cruzou mal para a área. O Tardelli se posicionou para chutar de pé direito e… a bola bate na sua coxa esquerda e entra!

    Tanto no primeiro quanto no segundo gols do Galo, a parte tática funcionou: pressão na saída de bola, roubada de bola e cruzamento para elemento surpresa dentro da área. Mas o ‘Sobrenatural de Almeida’ colaborou com os gols também.

    A sorte é elemento merecido para quem faz a sua parte. E o Galo tem demonstrado que o time foi bem montado, que o trabalho tem sido bem feito (trabalho tático, administrativo, técnico e motivacional), que existe cumplicidade de torcida, comissão técnica, jogadores e diretoria, e que os resultados obtidos até o momento são justos.

    Espero que o ‘jeito de campeão’ permaneça, porque eu quero muito comemorar este e outros títulos que poderão vir!”
    Abraços!
    Renato César
    Padre Eustáquio – BH – MG
    Acesse: http://rcgalo.blogspot.com/

  • Silvio disse:

    è o jeito kalil de deixar nos Atleticanos feliz

  • Paulo disse:

    Chico, o histórico do Atlético mostra que não há milagres e nem audácia. Divida crescente, ex-presidente que deixa créditos a receber de mais de 40 milhões, amigos do galo construindo o centro de treinamento. O Atlético sempre foi forte no meio empresarial e na política e na imprensa. Perdeu espaço por pura incompetência e falta de transparência. Com certeza a contratação do atacante Reiteria foi bancada por algum grupo empresarial.

    • admin disse:

      É VERDADE CARO PAULO,
      PORÉM SE NÃO HOUVER UM COMANDANTE SÉRIO, DEDICADO E QUE SAIBA USAR A FORÇA DO ATLÉTICO, NÃO TEM JEITO. E O GALO ESTAVA SEM ALGUÉM ASSIM NO COMANDO HÁ MUITOS ANOS.
      ABRAÇO,
      OBRIGADO,
      CM