Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/blog/www/wordpress/wp-includes/pomo/plural-forms.php on line 210
De Capitão do Venda Nova a treinador de ponta: a bela história do Enderson Moreira, de volta ao Atlético-PR | Blog do Chico Maia

Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

De Capitão do Venda Nova a treinador de ponta: a bela história do Enderson Moreira, de volta ao Atlético-PR

Enderson Moreira com a esposa Rosângela, em seu refúgio na cidade de Fortuna de Minas

No dia seis de março o jornal Folha de S. Paulo publicava: “…Mesmo com o Santos na liderança do Campeonato Paulista e com cinco vitórias em sete jogos, o clube anunciou nesta quinta-feira (5) a demissão do técnico Enderson Moreira, que estava no clube desde setembro de 2014…”.

Nada que abalasse a este mineiro, nascido por força do destino na capital de São Paulo, há 43 anos. Acostumado às dificuldades naturais enfrentadas por quem quer vencer no futebol, ele só lamentou o fato de ter de interromper um trabalho vitorioso, cujos melhores resultados seriam colhidos durante o Campeonato Brasileiro. Enquanto aguardava convite para dar sequência à carreira, Enderson Moreira curtia a família na cidade de suas origens, onde ele tem uma bela casa e de onde nunca se afastou: Fortuna de Minas, a 98 Km de Beagá (35 Km de Sete Lagoas), terra do seu pai, Romário de Melo Moreira, falecido há 15 anos. A mãe, D. Maria Alves também é do interior mineiro: Capitólio, a 279 Km da Capital, no lago de Furnas.

ENDERSONLUIZFERRICARDO

Entre os auxiliares, Luiz Fernando Flores (esquerda, ex-meia do Cruzeiro) e Ricardo Leão

Por razões profissionais, no dia 28 de setembro de 1971, seu Romário e D. Maria moravam em São Paulo quando ele nasceu, mas três meses depois todos estavam de volta a Minas. Em Beagá foram morar no Bairro Venda Nova onde a vizinhança se tornou parte da família e onde ele se casou, com a vizinha Rosângela, namorada desde criança, filha dos padrinhos dele, seu Manoel e D. Ilda Tolentino. Este ano, Enderson e Rosa completam 20 anos de casados, já curtindo o sucesso dos filhos, Bruna, 18, aprovada em 1º lugar no vestibular de Psicologia da UFMG, e Rafael, 17, que faz Curso Técnico em Administração no Sebrae/MG.

Durante a entrevista que fiz com o Enderson me lembrei do slogan de campanha do gaúcho Leonel de Moura Brizola: “Quem conhece o Brizola, vota no Brizola!”. Terminada a conversa saí convencido de que esta frase se aplica a ele, e certamente serei mais um torcedor dos times que ele dirigir. Trata-se de um batalhador desde criança, daqueles que assim como milhões de jovens brasileiros sonham ser jogador de futebol e, quando vê que não vai dar, descobre uma atividade ligada ao mundo da bola. Ele é mais um exemplo da importância do esporte, possivelmente o maior fator de inclusão social em países como o nosso. Pena que os governantes brasileiros nunca pensem assim.

ENDERESONCUNHADOS

Em sua casa em Fortuna de Minas, com os cunhados Ordilei e Amarildo (esquerda) e o auxiliar Ricardo Leão. Ordilei é meia direita, jogou no Sport Recife, joga agora no futebol amador e recentemente foi Campeão da Copa Itatiaia pelo Brumadinho

*

* De Capitão e Torneiro Mecânico a técnico de ponta

Enderson Moreira começou a vida no futebol defendendo o Venda Nova, onde era volante. Como demonstrava espírito de liderança foi nomeado Capitão do time pelo treinador Ricardo Drubsky. Ele nunca imaginaria que ali estava o embrião do futuro treinador, já que, anos depois foi trabalhar como preparador físico e depois auxiliar do Drubsky, em times de base e profissionais. Do Venda Nova foi jogar no Santa Tereza, onde foi colega do meia Cleisson, que jogou no Cruzeiro, Atlético e Flamengo. Mas, orientado pelo pai, preocupado com o futuro dele, Enderson fez ao mesmo tempo, cursos técnicos no Senai. Formou-se como Fresador e Torneio Mecânico.

Aos 18 anos passou no concorridíssimo vestibular de Educação Física da UFMG e ao mesmo tempo montou uma escolinha de futsal no Bairro Venda Nova, que lhe ajudava a custear os estudos. Aos 19 deu os primeiros passos como treinador, comandando o time de futsal do Colégio Magnum, incentivado pelo diretor da escola, Professor José Alonso. No futebol a primeira oportunidade surgiu no América, onde o seu ex-treinador Ricardo Drubsky comandava o time júnior e estava precisando de um preparador físico. Recém formado, foi indicado ao Ricardo Drubsky pelo Nival de Sá, presidente do Venda Nova quando eles trabalharam juntos lá em 1986.

A partir daí foram vários títulos conquistados e o crescimento profissional de ambos. De cara, vice-campeão da Taça BH pelo América, perdendo o título para o Cruzeiro. No ano seguinte, o troco: Campeão da Copa São Paulo pelo Coelho, sobre o Cruzeiro. Também no América trabalhou com o técnico Chico Formiga, como auxiliar da preparação física. Chegou a trabalhar com Toninho Cerezo, que jogou no Coelho, sob o comando do Ricardo Drubsky em 1996.

Em 1998 iniciou a trajetória como treinador, assumindo o Proesp/7 de Setembro, projeto universitário do professor Jurandy Gama Filho. Em 1999 comandou o juvenil B do América que tinha parceria com o Santa Tereza. Em 2000 o juvenil principal do América. Se 2001 a 2004 ele se afastou dos clubes tradicionais para cuidar de um projeto de futebol escolar do Colégio Magnum. Em 2004 Ricardo Drubsky assumiu o comando da base do Atlético e o levou para dirigir o juvenil, conquistando pela primeira vez o Torneio de Gradisca, na Itália, vencendo a Juventus de Turim na final por 3 a 0. No ano seguinte nova final entre eles em Gradisca e dessa vez vitória dos italianos. Mesma época em que Marcelo Oliveira comandava o júnior do Galo.

Em 2006 Ricardo Drubsky foi para o Cruzeiro e o levou como auxiliar do juvenil. No mesmo ano Drubsky assumiu a base cruzeirense e o promoveu a técnico do júnior. Foi vice-campeão mineiro, perdendo o título para o Galo, comandado pelo Marcelo.

2007 foi um ano especial para Enderson Moreira: comandou o Cruzeiro na conquista do título da Copa São Paulo; foi vice no mesmo ano da Taça BH e Campeão Brasileiro sub-20, quando alguns jogadores se destacaram: Guilherme, hoje no Atlético; Maicon, zagueiro do FC do Porto; o meia Bernardo e o atacante Jonhatan.

Em 2008 foi auxiliar do Ricardo Drubsky na disputa da Série A do Brasileiro pelo Ipatinga e assumiu o comando no mesmo ano. Foi substituído por Marcelo Oliveira no Tigre em 2009, quando assumiu o sub-20 do América. Mesmo cargo que ocupou no mesmo ano no Atlético-PR. Em 2010 comandou o time sub-23 do Internacional, onde se destacava Oscar, hoje Chelsea. Em 2011 ganhou mais visibilidade nacional ao substituir Muricy Ramalho e comandar interinamente o Fluminense até que Abel Braga assumisse. Comandou a reação do Flu na Libertadores da América, conseguindo a improvável classificação na primeira fase, mas eliminado pelo Libertad do Paraguai nas oitavas.

Em 2011 Enderson conseguiu entrar para o time dos principais treinadores do país graças ao trabalho feito no Goiás. Conseguiu evitar a queda para a Série C e montou o time que seria campeão da B em 2012 e chegar em 6º lugar em 2013. Em 2012 comandou jogadores que depois se destacaram no Cruzeiro como Egydio e Ricardo Goulart. Foi bi-campeão goiano; chegou à semifinal da Copa do Brasil, ano em que eliminou o Atlético no Independência.

Em 2014 fez ótimo trabalho no Grêmio, até ser eliminado da Libertadores da América pelo San Lorenzo, na cobrança de pênaltis.

Luiz Fernando Flores, ex-meia do Cruzeiro é o seu auxiliar permanente. Enderson se inspirou em dois treinadores com quem trabalhou e em dois que se tornaram mitos no futebol brasileiro, mas com quem não chegou a trabalhar: Fernando, seu comandante no Santa Tereza, que hoje é instrutor da Escolinha Zico no Buritis; e Ricardo Drubsky, grande incentivador que se tornou amigo; mais Telê Santana e Ênio Andrade.

Sucesso a ele no Atlético-PR que o contratou nesta segunda-feira.

ENDERSONSD

Com o jornal SETE DIAS em sua casa

* * *

* Fiz esta reportagem com o Enderson Moreira para o nosso jornal SETE DIAS, de Sete Lagoas, porém com atraso de cinco meses. Era para ter sido em novembro, para a edição de aniversário do jornal, quando foram entrevistados filhos e pessoas ligadas às cidades da região que se destacam no estado e no país em alguma atividade. Mas, antes tarde do que mais tarde, e agradeço a ele e à família por terem me recebido tão bem na casa deles em Fortuna de Minas.


» Comentar

Comentários:
6
  • Rodrigo Carvalho disse:

    Dos Moreiras da Fábrica de Cachoeira. Assinamos Carvalho e temos o sangue Moreira, ele assina Moreira e tem o sangue Carvalho. Faz um ótimo trabalho no América.

    Chico Maia, sou o Americano filho de Nilton Campolina de Carvalho, de Inhaúma/MG, que contava o quando tentava marcar o gênio Genuíno e não conseguia. Meu pai com 18 anos jogava sua 3a. partida no time principal do Democrata e arrebentaram o joelho dele em uma partida. Cresci ouvindo meu pai contar sobre o craque Genuíno.

  • carlos henrique disse:

    Muito bom tecnico,no Santos é complicado, parar tecnico, la nao para mesmo .Mas fez um excelente trabalho, como no Goiás, uma nova geraçao surge , gosto tb do doriva, campeao do paulista, e jogou no Galo, e o Leo condé, da caldense,muito novo, nao tem 40 anos, mas inteligente demais.
    Acho que tanto, E . Moreira, doriva e Condé , logo estarao na ponta.

  • Anderson Palestra disse:

    Ele acertou com o Atlético PR.
    Eu sou muito mais apostar em técnicos como o Enderson do que nos viciados e caros de plantão, como Muricy, Tite, etc…
    Inclusive achava que ele deveria ser contratadado quando o Roth caiu, porém veio o Marcelo, que também teve meu apoio. Acho inconcebível gastar os tubos com técnicos.

  • LEANDRO disse:

    Dizem que o bernard está quase certo com o galo, se vier acho que o levir não dura muito tempo no cargo, teimoso e pirracento, vai relutar para colocar o bernard pra jogar como faz com o cardenas que foi uma contratação que ele não pediu, feito isso vai deitar falação na imprensa querendo detonar a diretoria caso o atlético continue com essa má fase, sendo assim ou ele pede demissão ou o daniel nepomuceno vai deixar de ser omisso e chutar o seu traseiro mostrando firmeza de um verdadeiro presidente…

    O levir é até um bom treinador, mas tem a mania de se meter em areas em que não lhe compete, acha que sabe mais que todos e não se contem em trabalhar só no campo, gostar de expor o trabalho de outros perante a imprensa e isso fere a hierarquia do clube…
    Basta lembrar que o levir foi contra a contratação do douglas santos quando aceitava pedro botelho e foi a favor da contratação de emerson conceição, e só colocou o douglas santos para jogar depois da contusão do botelho e as inumeras falhas de emerson conceição, e o que vemos hj é que a diretoria acertou no douglas santos que pra mim hj é um dos melhores laterias esquerdos do brasil…
    Concordo com a contratação do bernard sim pois fortaleceria demais o nosso elenco, se vai dar certo é outra historia, mas a qualidade do bernard já conhecemos….. e a de cesinha e maicossuel também por isso acho a vinda do bernard uma boa…

  • audisio disse:

    Bom técnico. Vai dar o que falar. Gosta de montar equipes com perfil agressivo com intensidade muita ofensividade.

  • Thiago disse:

    Pois é Chico, e foi detonado pelos ‘meninos da vila’ Gabriel ( Gabigol) e outros da patota do Robinho. É como eu disse no post anterior onde citei o caso dos moleques da Shakktar que envergonham o país lá fora. A juventude metida a craque, mas no fundo são idiotas mimados pelos seus empresários.